Industrialização mundial

12.812 visualizações

Publicada em

0 comentários
9 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.812
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.043
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
859
Comentários
0
Gostaram
9
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • PROFESSOR MÁRCIO LOMAS
  • PROFESSOR MÁRCIO LOMAS PROF. MÁRCIO LOMAS
  • PROFESSOR MÁRCIO LOMAS
  • PROFESSOR MÁRCIO LOMAS
  • PROFESSOR MÁRCIO LOMAS
  • PROFESSOR MÁRCIO LOMAS
  • PROFESSOR MÁRCIO LOMAS
  • PROFESSOR MÁRCIO LOMAS
  • PROFESSOR MÁRCIO LOMAS
  • PROFESSOR MÁRCIO LOMAS
  • PROFESSOR MÁRCIO LOMAS
  • PROFESSOR MÁRCIO LOMAS
  • PROFESSOR MÁRCIO LOMAS
  • Industrialização mundial

    1. 1. A INDUSTRIALIZAÇÃO MUNDIAL
    2. 2. I- A INDÚSTRIA E A PRODUÇÃO DO ESPAÇO GEOGRÁFICO Atividade pela qual os seres humanos transformam matéria prima em algum bem, acabado ou semi- acabado.28/03/13 2
    3. 3. ESTÁGIOS HISTÓRICOS DA INDÚSTRIA INDÚSTRIA MANUFATU- MAQUINOFATU-ARTESANAL REIRA -Prod. Individual -Divisão de tarefas REIRA -Divisão de tarefas - Sem divisão -Patrão x Empreg. -Automação Industr. de tarefas -Ferram./ Máquinas - Espec. Prod. e Trab. Simples28/03/13 3
    4. 4. II- FORMAS DE ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO TAYLORISMO  Início do Século XX  Frederick Taylor  Cronometrou cada fase do trabalho  Operário: tempo de execução da atividade definido pelo engenheiro  Gerente: controle de toda a produção Operário: movimentos repetitivos, mecânicos, programados – baixos salários e exploração28/03/13 4
    5. 5. FORDISMO Henry Ford – século XX – LINHA DE MONTAGEM Produção em Série LINHA DE MONTAGEM Especialização da mão de obra Produtividade em alta baixa dos preços Operação Simples e repetitiva – sem criatividade do trabalhador28/03/13 5
    6. 6. A LINHA DE MONTAGEM DO FORDISMO AS LINHAS DE MONTAGEM DO INÍCIO DO SÉCULO XX E ATUAL.28/03/13 6
    7. 7. TOYOTISMO Fábricas japonesas, desde a década de 1950. Unidades fabris da TOYOTA. TOYOTA MODELO FLEXÍVEL DE PRODUÇÃO. Operário: qualificado permanentemente para desempenhar outras funções no processo produtivo. Estoques mínimos da produção.28/03/13 7
    8. 8. JUST IN TIME Adequação do ritmo da produção industrial às demandas do mercado. Diminuição da estocagem de matérias primas e de produtos. Atividades diárias das fábricas programadas de acordo com as demandas. Capital se reproduzindo no sistema financeiro.28/03/13 8
    9. 9. Fordismo X ToyotismoModel Produçã Processo Controle o de deo Trabalho Qualidad e Grande Linha de  Final da FOR- Escala Montagem produçãoDISMO  Especial.  Estoques Ilhas de  DuranteTOYO- Mínimos produção o processoTISMO  Equipe de prod.28/03/13 9
    10. 10. III- ESTRATÉGIAS DECONTROLE DO MERCADO AS TRANSNACIONAISo Comandadas a partir da sede em país rico.o Controlam o mercado de consumo mundial.o Mantêm filiais em vários países.o inovações absorvidas pelo mercado.o Avanço tecnológico e difusão do mesmo.28/03/13 10
    11. 11. TRANSNACIONAIS28/03/13 11
    12. 12. HOLDING♣ Associações de várias empresas sob o controle da que possui a maior parte das ações.♣ Brasil: Legislação – R$400 milhões anuais – órgãos de defesa da concorrência.28/03/13 12
    13. 13. TRUSTE ۞UNIÃO de várias empresas com o objetivo de controlar as fontes de matérias primas e todas as fases da produção e distribuição do produto para o mercado consumidor.28/03/13 13
    14. 14. CARTEL  Acordo comercial entre empresas.  Cada qual conserva sua autonomia.  Dividem o mercado entre si.  Preço único para os produtos.28/03/13 14
    15. 15. DUMPING ¥ As empresas vendem seus produtos por preços inferiores ao custo, com o objetivo de ganhar o mercado. eserva m fundo de rreserva o de¥Crriaçãode u m fund o de um o ¥C iaçã de acréscim o de um uporrmeio do acréscim venda do po meio do preço de venda do evalorrsobrreo preço d do momentto valo sob e o rmina omen o oduto em d te e inado m prrodutoem d etermo, quando forr p utr , ando fo pa parrausá-lo em o utrooqu a usá-lo em o p r eç . eciso baixarro preço. prreciso ba p ixa o28/03/13 15
    16. 16. IV- ESTRATÉGIAS DE IV- ESTRATÉGIAS DECONTROLE GEOGRÁFICOCONTROLE GEOGRÁFICO28/03/13 16
    17. 17. PRINCIPAIS ESTRATÉGIAS DE CONTROLE GEOGRÁFICODESCONCENTRAÇÃO DESCENTRALIZAÇÃO LOCALIZAÇÃO FLEXÍVEL28/03/13 17
    18. 18. A DESCONCENTRAÇÃO A DESCONCENTRAÇÃO ou DESECONOMIA DE ou DESECONOMIA DE ESCALA ESCALARemoção de unidades produtivas Remoção de unidades produtivas de antigas regiões industriais para de antigas regiões industriais para outras regiões pouco outras regiões pouco industrializadas. industrializadas.NICS: Novos Países NICS: Novos Países Industrializados, como Brasil, Industrializados, como Brasil, Índia, China,Tigres Asiáticos. Índia, China,Tigres Asiáticos.28/03/13 18
    19. 19. A ADESCENTRALIZAÇÃODESCENTRALIZAÇÃO  Ocorre quando a Política de  Ocorre quando a Política de Desenvolvimento Industrial do país Desenvolvimento Industrial do país favorece a implantação de empresas favorece a implantação de empresas em regiões periféricas, através de: em regiões periféricas, através de:  Incentivos Fiscais  Incentivos Fiscais  Incentivos  Incentivos Financeiros Financeiros  Obras de  Obras de infraestrutura infraestrutura28/03/13 19
    20. 20. A A LOCALIZAÇÃO LOCALIZAÇÃO FLEXÍVEL FLEXÍVELÉ a estratégia em que a produção se dispersa em várias unidades produtivas e a mobilidade geográfica das empresas é acentuada.Se o negócio for lucrativo, abandona-se a área industrial original e migra-se para um lugar adaptado às exigências do mercado.28/03/13 20
    21. 21. ESCALA LOCAL: Empresas próximas aosESCALA LOCAL: Empresas próximas aos centros das metrópoles comandam a centros das metrópoles comandam a produção das empresas periféricas. produção das empresas periféricas.ESCALA REGIONAL: Empresas aproveitamESCALA REGIONAL: Empresas aproveitam o baixo custo da mão-de-obra de outro o baixo custo da mão-de-obra de outro país. Exemplo: indústrias maquiladoras do país. Exemplo: indústrias maquiladoras do México. México.ESCALA MUNDIAL: Mobilidade espacialESCALA MUNDIAL: Mobilidade espacial das empresas de países ricos que das empresas de países ricos que operam nos países pobres em busca de operam nos países pobres em busca de vantagens comparativas. vantagens comparativas.28/03/13 21

    ×