Passo 1 (1ª parte)

158 visualizações

Publicada em

12 Passos de NA

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
158
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Passo 1 (1ª parte)

  1. 1. O que nos faz adictos é a doença da adicção — não são as drogas nem o nosso comportamento, mas sim nossa doença. Existe alguma coisa em nós que nos torna incapazes de controlar o uso de drogas. Essa mesma “coisa” nos torna propensos à obsessão e à compulsão em outras áreas de nossas vidas. Quando podemos dizer que nossa doença está ativa? Quando caímos na armadilha das rotinas obsessivas, compulsivas e egocêntricas, círculo vicioso que não nos leva a lugar nenhum, a não ser à decadência física, mental, espiritual e emocional.
  2. 2. A negação é a parte da nossa doença que nos diz que não temos uma doença. Quando estamos negando nossa adicção, somos incapazes de ver sua realidade. Minimizamos seu efeito. Culpamos os outros e depositamos expectativas exageradas nos familiares, amigos e empregadores. Passamos a nos comparar com outros adictos, cuja recuperação parece “pior” do que a nossa. Podemos culpar uma droga em particular. Se estivermos abstinentes de drogas há algum tempo, podemos comparar a manifestação atual da nossa adicção com nosso uso de drogas, racionalizando que nada do Primeiro Passo que fazemos hoje poderia ser pior do que aquilo que fizemos antes! Uma das maneiras mais fáceis de saber que estamos negando é quando damos desculpas plausíveis, mas inverídicas, sobre nosso comportamento.
  3. 3. A adicção finalmente nos leva a um ponto em que não podemos mais negar a natureza do nosso problema. Todas as mentiras, todas as racionalizações, todas as ilusões desaparecem à medida que encaramos o que aconteceu com nossas vidas. Entendemos que estamos vivendo sem esperança. Descobrimos que ficamos sem amigos ou tão completamente desconectados que nossos relacionamentos são uma farsa, uma paródia de amor e intimidade. Pode parecer que tudo está perdido quando nos encontramos nesse estado, mas a verdade é que precisamos passar por isso, antes de poder começar nossa jornada de recuperação.

×