O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Amor Patológico - Descubra o que é

1.173 visualizações

Publicada em

Conheça sobre o amor patológico, como acontece e o que faz na vida de uma pessoa. Numa linguagem clara e objetiva descubra um pouco mais sobre o amor doentio e devastador.

Publicada em: Ciências

Amor Patológico - Descubra o que é

  1. 1. www.psicorientacao.com
  2. 2. Amor Patológico Oque é? É o nome que se dá a um amor cujo comportamento é sem controle, repetitivo, vicioso, em função de dar atenção e cuidar de forma exagerada do parceiro (objeto de afeto). www.psicorientacao.com
  3. 3. O Amor Patológico Ocasiona prejuízos na área profissional, social e principalmente pessoal. www.psicorientacao.com Podemos detectá-lo em relacionamentos complexos e problemáticos.
  4. 4. www.psicorientacao.com O Amor Patológico Em sua conjuntura poderá também estar relacionado a algum quadro psiquiátrico como: síndrome do pânico, depressão, ansiedade...
  5. 5. Como acontece? Logo no início a pessoa que sofre do problema direciona o sentimento amoroso para algum parceiro, em função de suprir alguma necessidade interna. Em seguida ocorre uma sensação de bem estar, como se fosse uma droga agindo sobre alguma insatisfação que é sentida como: sensação de vazio, ansiedade, angústia, tristeza... www.psicorientacao.com
  6. 6. Neste momento o parceiro se torna em algo que supostamente gera alívio para o mal estar. Então, a pessoa que ama agirá de forma compulsiva, impulsiva e poderá comportar-se de um jeito desmedido ou não. O parceiro torna-se um vício para ela. Como uma droga que alivia a dor assim é o amor patológico. www.psicorientacao.com
  7. 7. Cada vez mais a pessoa que ama quer ficar próxima do seu amor, quer controla-lo, e principalmente o quer para si mesmo. Segundo o DSM.IV ao menos três dos critérios abaixo devem estar presentes para o diagnóstico. www.psicorientacao.com
  8. 8. 1) Sinais e sintomas de abstinência - quando o parceiro está distante (física ou emocionalmente) ou perante ameaça de abandono, podem ocorrer: insônia, taquicardia, tensão muscular, alternando períodos de letargia e intensa atividade. 2) O ato de cuidar do parceiro ocorre em maior quantidade do que o indivíduo gostaria - o indivíduo costuma se queixar de manifestar atenção ao parceiro com maior frequência ou período mais longo do que pretendia de início. www.psicorientacao.com
  9. 9. 3) Atitudes para reduzir ou controlar o comportamento patológico são mal sucedidas - em geral, já ocorreram tentativas frustradas de diminuir ou interromper a atenção despendida ao companheiro. 4) É despendido muito tempo para controlar as atividades do parceiro - a maior parte da energia e do tempo do indivíduo são gastos com atitudes e pensamentos para manter o parceiro sob controle. www.psicorientacao.com
  10. 10. 5) Abandono de interesses e atividades antes valorizadas - como o indivíduo passa a viver em função dos interesses do parceiro, as atividades propiciadoras da realização pessoal e profissional são deixadas, como cuidado com filhos, atividades profissionais, convívio com colegas, entre outras. www.psicorientacao.com
  11. 11. AMOR PATOLÓGICO www.psicorientacao.com Apesar de já se saber sobre sua existência, estudos ainda ocorrem para melhor compreensão.
  12. 12. AMOR PATOLÓGICO O amor patológico poderá ocorrer entre: - Amigos; - Relação amorosa; - Parentes (filhos, pais, primos...) www.psicorientacao.com
  13. 13. AMOR PATOLÓGICO Aquele que ama realiza um conjunto de comportamentos sem controle e repetitivos em função do objeto de afeto. www.psicorientacao.com O comportamento exagerado é para: - Evitar a perda; - Receber o mesmo amor de volta; - Não ser traído.
  14. 14. AMOR PATOLÓGICO Medo Está presente em todo amor doentio e devastador. www.psicorientacao.com Envolve o medo da relação terminar; da solidão, de não ser correspondido...
  15. 15. AMOR PATOLÓGICO Comportamento Aquele que sofre do problema passa a não ter vida própria, e não permite que o outro também tenha. www.psicorientacao.com Facilmente a vida pessoal é deixada de lado para agir em função da relação.
  16. 16. AMOR PATOLÓGICO www.psicorientacao.com Comportamento exagerado envolve o cuidar, o fazer demais pelo outro e controlá-lo. Aquele que ama não quer apenas estar junto quer possuir o parceiro.
  17. 17. AMOR PATOLÓGICO Comportamento www.psicorientacao.com O objetivo se torna em circundar o objeto amado: -Vigia o parceiro de forma constante; -Desejo incontrolável de estar com o parceiro.
  18. 18. O sofrimento está no medo da perda e não no próprio amor. Se o objeto de amor supostamente alivia o mal estar, aquele que sofre não quer perder isso e sente angústia. Aquele que ama de forma doentia dificilmente faz o objeto de afeto feliz. O afasta ao invés de o aproximar. Existe a percepção de que faz demais e recebe de menos, tornando-se também em alguém infeliz. www.psicorientacao.com
  19. 19. Complexidade Quando se está apaixonado ocorre uma exaltação em querer fazer de tudo pela pessoa amada, principalmente quando se está no começo da relação. Desta forma, torna-se mais difícil avaliar logo no início se trata-se de amor patológico. Por isso é importante ficar atento aos comentários daqueles mais próximos e do próprio parceiro sobre comportamentos exagerados. www.psicorientacao.com
  20. 20. Geralmente aquele que tem o problema percebe que algo não está bem, mas procura esconder dos mais próximos. O amor deve ser sentido e não cego. www.psicorientacao.com
  21. 21. Esse comportamento impulsivo e compulsivo pode- se repetir em relacionamentos posteriores. E para evitar a infelicidade o amor patológico deve ser tratado. www.psicorientacao.com
  22. 22. Para saber se sofre amor patológico é importante procurar um especialista. No Slideshare - AVALIE O AMOR QUE VOCÊ SENTE - Você encontrará algumas dicas. Embora não substitua a visita a um especialista. www.psicorientacao.com
  23. 23. "Se percebe que a muito tempo parou de ter objetivos pessoais, parou de ficar tão próximo dos amigos, e seus familiares apontam que você está completamente obcecado é bom ficar atento. www.psicorientacao.com
  24. 24. RISCO Em alguns casos pode-se chegar ao crime e até ao suicídio. Tratamento Primeiro deve ser reconhecido pela própria pessoa a existência de um problema. O fim do amor doentio é possível, mas o quanto antes começar o tratamento melhor será. www.psicorientacao.com
  25. 25. BIBLIOGRAFIA American Psychiatric Association. Diagnostic and Statiscal Manual of Mental Disorders. 4th ed. Washington, DC: American Psychiatric Association; 1994. BORGES, Maria de Lourdes, Amor. 1.ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004. 64p. BOWLBY, John, Apego: a natureza do vínculo. 3.ed.São Paulo: Martins Fontes; 2002. 496p. SANTOS, Eduardo Ferreira, Ciúme, o medo da perda. 5.ed. São Paulo: Ática; 2003. 256p. SOPHIA, Eglacy; TAVARES, Hermano; ZILBERMAN, Mônica, Amor patológico: um novo transtorno psiquiátrico?. Rev Bras Psiquiatr, São Paulo, 7 dez. 2005. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbp/nahead/ahead1c>. Acesso em 01 abr. 2015.
  26. 26. .psicorientacao.com Psicorientacao SPCurta nas redes sociais e receba dicas, frases e vídeos sobre Psicologia. Psico Orientacao Psicorientacao SP Slideshare Psicorientacao psicorientacao@hotmail.com sicorientação  Psicoterapia  Orientação Vocacional Profissional  Consultoria Psicológica Empresarial Palestra e Workshop #psicorientacao
  27. 27. Andressa Souza Alves CRP 06/111647 Maria Cristina Santos Araujo CRP 06/108975 www.psicorientacao.com Psicólogo SP

×