Funivale Cartilha Agroecologia

1.109 visualizações

Publicada em

em 2011 andei entre o alto e médio vale do jequitinhonha. foi uma experiência que mexeu bastante com a minha visão de mundo. um pouco do que absorvi tá nesta pequena e breve cartilha sobre AGROECOLOGIA criada com a Funivale, que agora compartilho para visualização online ou download em pdf, via docs do gúgou. - André Mantelli

textos:
Fernanda Bernardes de Almeida , da Funivale;
Viviane Cristina da cunha, IDENE;
José Murilo Alvez de Souza, CAV;
Sueli Gomes Fernandes, CAMPO VALE;

com revisão de Giovana Souza.

https://docs.google.com/file/d/0B3LnBCgQjGoXbXdTNHFVd2EyaE0/edit?usp=sharing

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.109
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
198
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
75
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Funivale Cartilha Agroecologia

  1. 1. agroecologiaPratique agroecologia. Fortaleça a agricultura familiar.
  2. 2. O que é Agroecologia?Agroecologia é uma nova proposta para a agricultura.Um novo que também é velho, pois resgata muita informaçãodos agricultores antigos e dos ensinamentos da natureza.A agroecologia tenta unir a produção de alimentos saudáveiscom a preservação de um ambiente equilibrado.Ela busca também uma melhoria na qualidade de vida dosagricultores, da sua comunidade e dos consumidores.Fazer agroecologia é sentir e viver a agricultura no coração,compreendendo a vida a partir de um organismo vivo, seja eleplanta, animal ou o próprio ser humano. Com ela aprendemosque o planeta Terra não é o lugar de onde tiramos as coisas paraviver e sim o lugar onde vivemos.Esta cartilha é para esclarecer eorientar o produtor rural sobre como sepode trabalhar na propriedade usandoos princípios da agroecologia.TextosFernanda Bernardes de Almeida - FUNIVALEViviane Cristina da Cunha - IDENEJosé Murilo Alves de Souza - CAVSueli Gomes Fernandes - CAMPO VALERevisãoGiovana Souza Design gráfico e fotosAndré Mantelli 3
  3. 3. A agriculturaA agricultura é a atividade mais importante que o ser humanoexerce: sem ela as pessoas não se alimentam e não sobrevivem.Infelizmente a agricultura foi modificada ao longo dos anos atéchegar ao que chamamos hoje de agricultura convencional.Como assim agricultura convencional?Agricultura convencional é aquela que planta imensas áreas deuma coisa só (monoculturas), que coloca venenos (agrotóxicos,agroquímicos ou defensivos) e adubos químicos nas plantas e nosolo e que utiliza grandes máquinas para revolver o solo.Esse tipo de agricultura degrada as terras, diminui a diversidadede plantas e a disponibilidade de água.E na agroecologia?Na agroecologia a agricultura é vista como um sistema vivo,dentro da natureza e rica em diversidade.Relacionam-se vários tipos de plantas, animais, pequenos bichosna terra (microorganismos), minerais e outros habitantes doplaneta Terra.Para entender melhor algumas entre esses dois tipos deagricultura, observe o quadro:Aspecto Convencional AgroecológicoTrabalha com Partes isoladas Partes integradas, sistemasCombate Sintomas –Maneja – CausasNutrição vegetal Aduba o solo quimicamente Dá vida ao soloMatéria orgânica Não usa Usa para alimentar a vida e agregar o solo (ar e água)Pragas e doenças Usa agrotóxicos Recupera o solo, usa micronutrientesVariedades Híbridos e transgênicos Adaptadas ao solo e ao climaCulturas Monoculturas Biodiversidade, rotação, adubação verde, consórciosPreparo do solo Lavração profunda Mínimo, plantio diretoMantém o solo Limpo, por meio de Protegido, por meio de capina e herbicidas plantio direto, adensado, consorciado4 5
  4. 4. Princípios da agroecologiaVisão holística da naturezaTer visão holística, na agricultura, é observar todas as interaçõesda área, desde os insetos, as plantas, a cor da terra, o que sãoestes elementos e porque eles estão ali.Observar o que acontece na propriedade como um todo émuito importante quando se pretende manejar um sistemaagroecológico.Aliança entre o saber popular e o conhecimento científicoTodo conhecimento é importante na construção dos saberes.Agricultor, na agroecologiaseu conhecimentoé muito importante!Baixa dependência de insumos externosInsumos externos é tudo aquilo que precisamos comprar para oplantio porque não temos em nossa propriedade. Por exemplo:sementes, adubos, máquinas.Na agroecologia tentamos reduzir a necessidade de adquirirestes insumos. Nela usamos recursos que se renovam, e que porisso podem ser sempre utilizados – de preferência, recursosencontrados em locais de fácil acesso.Utilização de técnicas específicas para cada localO ambiente local inclui toda a natureza ao redor de onde vivemose atuamos, desde as plantas e os animais até a água e a terra.Este ambiente, quanto mais preservado, mais contribui com oscultivos e diminui o nosso trabalho no campo.É mentira esta história de que existe um modelo certo paracuidar da roça. Não tem uma receita de bolo que não possaser mudada ou melhorada de acordo com os ingredientes quetemos. Na propriedade também é assim!Preservação das diversidades biológica e culturalA diversidade é fundamental para o equilíbrio; equilíbrio quegarante ausência de doenças nas plantas e nos animais.conhecimentopopularconhecimentocientíficoconstruçãodos saberes7
  5. 5. Em um pedaço de floresta temos vários tipos de plantas eanimais. Isto é diversidade! E a planta ou o animal de um tipoajuda o de outro tipo o tempo todo.Vamos diversificar as espécies, melhorar os cultivos, selecionandoas sementes mais fortes e espalhando-as misturadas entre si noterreno e ao longo dos anos.Manutenção a longo prazo da capacidade produtivaCapacidade produtiva é o poder que a relação solo-planta possuide produzir uma quantidade desejável continuamente.Essacapacidade geralmente se esgota depois de um determinadotempo.Então ouvimos a famosa frase: “a terra aqui não dá mais comoantigamente”. Na agroecologia,a capacidade produtiva nãose esgota, não diminui com o tempo. Para isso, reciclamos osnutrientes e a energia da atividade agrícola em vez de introduzirinsumos externos.Produção para o consumo interno e para a vendaOs alimentos agroecológicos são livres de qualquer tipo decontaminante que ponha em risco a saúde do agricultor, domeio ambiente e do consumidor.Eles não são feitos para abastecer mercados distantes.A colheita variada garante, em primeiro lugar, uma mesa fartapara a família do agricultor e, depois, o abastecimento nummercado próximo. Isso deve acontecer, principalmente, atravésde feiras que aproximam agricultor e consumidor final.Se insetos invadem seus campos,eles vêm como mensageiros da natureza, paraavisar-lhes que seu solo está doente.8
  6. 6. Conhecendo o soloO que é o solo?O solo não é apenas a terra, os grãozinhos de areia ou argila. Eleé formado de quatro partes misturadas: o ar, a água, a matériaorgânica e a porção mineral (areia, argila e silte).É importantíssimo manter uma boa estrutura do solo, comtorrões não tão duros e que não se desfazem facilmente. Parater uma boa estrutura temos que ter ar, matéria orgânica, águae a terra propriamente dita em proporção adequada.A matéria orgânica é fundamental para manter a estrutura e avida do solo.Mas o que é matéria orgânica?A matéria orgânica é a parte do solo composta por qualquercoisa que um dia esteve viva: folhas, raízes, caules, frutas, corposdos vermes, esterco, entre outros restos vegetais e animais.Esta parte do solo está sempre mudando. Quando uma folhacai ou um animal morre, se decompõe e retorna para o solo emforma de nutrientes. As plantas absorvem estes nutrientes dosolo e crescem novamente.solo empobrecidosolo enriquecidosolo com muita matéria orgânicaQuanto mais matéria orgânica,mais vida tem o solo, melhor nutrida eequilibrada é a planta que nelese desenvolve.
  7. 7. O solo é vivoO solo é formado por uma enorme diversidade de organismos,que é chamada de parte viva do solo. Eles se alimentam damatéria orgânica.Os organismos do solo trituram e decompõem a matériaorgânica, tornando seus nutrientes disponíveis para as raízes dasplantas. Fazem mais: fabricam húmus, que torna o solo fofo earmazena água e nutrientes para as plantas.Alguns microrganismos que não podem ser vistos a olho nu(como fungos e bactérias) produzem substâncias que ajudam asculturas a crescer e se defender de pragas e doenças.Já os organismos maiores, como as minhocas, formigas e larvas,constroem pequenos canais ou poros que facilitam a circulaçãodo ar e da água e a penetração das raízes no solo.O nitrogênio é retirado do ar por “amigos invisíveis” (as bactériasque moram nas raízes das plantas que têm vagem, como ofeijão) e dado às plantas. Porém, para que tudo isso aconteça,é preciso que exista a matéria orgânica no chão, na forma decobertura morta.12
  8. 8. Cuidando do soloManter o solo cobertoUma importante forma de proteger o solo, sua umidade e amatéria orgânica é fazer a cobertura morta. Além de apresentarcobertura morta, o solo deve estar sempre coberto complantações ou com vegetação nativa, que podem ser chamadasde cobertura viva.Não deixe seusolo expostoOs raios solares matam avida no solo, e o contatodireto com a água lavaos nutrientes.15
  9. 9. Diversificação de culturasA diversificação de espécies pode ser feita por rotação, consórciode culturas, barreiras vegetais, adubação verde, integração daprodução animal à vegetal e agrofloresta.Fazemos rotação de culturas plantando diversas espécies noterreno, numa determinada ordem, e trocando esta ordem detempos em tempos.O consórcio de culturas é o plantio de diferentes espéciesvegetais, simultaneamente numa mesma área. Além de incluir aassociação entre cultivos comerciais, o consórcio pode ser feitotambém com leguminosas para adubo verde.A adubação verde é o plantio de espécies para a produção deuma quantidade grande de folhas, raízes e galhos (biomassa)que servirão de matéria orgânica. É um excelente adubo, poisalém de proteger o solo produzirá mais tarde nutrientes paraas plantas.Falando de um jeito bastante simplificado, as agroflorestas aliamtodas as técnicas anteriores incluindo a preservação das árvores.Você sabia queconservar o solo é tambémconservar a água?
  10. 10. ÁguaA conservação do solo está intimamente ligada ao aumento dadisponibilidade de água. Um não existe sem o outro.Conhecer o caminho que a água percorre facilita se queremosaumentar sua quantidade e qualidade na propriedade.A água da chuva pode seguir dois caminhos: infiltrar na terraou escorrer por cima dela. A água que infiltra na terra abasteceo lençol d’água subterrâneo, o qual alimenta nascentes, rios eoceanos.Já a água que escorre sobre a terra, a enxurrada, provoca erosãodo solo e causa diversos problemas nos córregos e rios, trazendotranstornos a populações humanas, animais e outros seres vivos.Cuidando da águaProteção, preservação e recomposição da vegetação em tornode nascentes, rios e lagos (matas ciliares);Plantio em nível;Cordões de vegetação permanente;Controle do fogo;Bacias de captação de enxurradas;Plantas de cobertura.VOCÊ SABIA?Está na lei : topos de morro, (a partir de 2/3 em relaçãoà base) ;, margens e nascentes de cursos d’água, devemser destinados à preservação permanente.Nas encostas com maior declividade, são maisindicadas as pastagens ou culturas permanentes,porque proporcionam maior cobertura e proteção aosolo, e assim permitem a infiltração da água.evapotranspiraçãoescoamento superficialinfiltraçãoágua subterrânea interfaceoceanoformação de nuvensprecipitaçãoágua doceágua salgada18
  11. 11. SementesMuitas espécies que usamos na nossa alimentação são nativasdas Américas e foram deixadas pelos indígenas, como porexemplo: milho, batata, mandioca, feijão, algodão, tomate,pimenta, amendoim, cacau, abóbora.Outras foram trazidas de outros continentes, como o trigo e oarroz, e por centenas de anos são conservadas e melhoradaspelas famílias agricultoras. Suas sementes são chamadas desementes crioulas.As sementes crioulas não foram modificadas pela indústriae pela ciência; são sementes que germinam ano após ano,sem a necessidade de comercialização.Antigamente parte da colheita era reservada para ser semeadano próximo plantio. Existia uma variedade muito grande desementes adaptadas às mais diversas condições. A quebrada tradição do cultivo dessas sementes faz com que elasdesapareçam.Tenha suas próprias sementes,selecionadas e de vários tipos; elas são aindependência do seu plantio.
  12. 12. Segurança e soberania alimentar A saúde consiste na harmonia do indivíduo como um todo,com os preceitos e leis da natureza, englobando os sistemas motor,emocional e mental, numa perfeita inter-relação com o espiritual. A saúdesocial e ambiental está no bom relacionamento com a sociedade daqual se participa: com a família, com as pessoas da escola, do trabalho,da comunidade e com o meio ambiente. A doença nada mais é quealterações do estado de saúde do individuo. A doença física é o resultadodo desequilíbrio em vários aspectos, como por exemplo: alimentaçãoinadequada, vícios, falta de higiene, vida sedentária, perturbaçõesemocionais, mentais e espirituais. Você sabia que existe uma política de segurança alimentar enutricional? O que será que ela diz? Como a agroecologia pode ajudar naefetivação desta política? Esta política busca entre outras coisas a promoção e aincorporação do direito a alimentação adequada, o apoio à geração deemprego e renda, a preservação e a recuperação do meio ambiente e orespeito às comunidades tradicionais e aos hábitos alimentares locais.Como a agroecologia dá importância à diversidade da produção dealimentos na agricultura e à saúde da família agrícola, e está sempreatenta ao potencial de contaminação dos alimentos e do ambiente pelosagrotóxicos, ela é favorável à implantação da segurança alimentar enutricional. Portanto, preste bem atenção: Uma boa alimentação começa bem antes do preparo doalimento. Depende de questões mais complexas como o direito à terra,à água, às sementes e, principalmente, o conhecimento e as condiçõespara produzir o alimento. É disso que se trata a soberania alimentar! 22
  13. 13. Território da Cidadania do Alto JequitinhonhaFunivale|ComunicaçãoRealizaçãoCampoCentro de Assessoria aos Movimentos Popularesdo Vale do Jequitinhonha

×