SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 25
SéculoXIX na Europa (II):
O Impressionismo.
O Impressionismo.
O Impressionismo foi um movimento que
revolucionou a pintura e deu início as
grandes tendências da arte do século XX.
Os impressionistas buscavam observar os
diversos efeitos da luz solar sobre os
objetos ao longo do dia para registrar na
tela as variações provocadas nas cores da
natureza. Eles não chegaram a formar
uma escola o sistema; apenas
compartilharam algumas técnicas e
procedimentos gerais.
Cor e movimento no pincel
Observe nas obras os seguintes aspectos: ausência de contorno nítido nos barcos, casas,
pessoas e árvores evidência das pinceladas coloridas do artista reflexo dos Barcos das
casas e das árvores; nas duas telas a paisagem é a mesma; o que difere é o ponto de
onde ela é vista e a luz do dia que cada imagem reflete. Em uma delas, há Sol e a água
parece tranquila; na outra, temos a impressão de um dia nublado e de vento, pois as
pinceladas com que o artista pintou a água sugere agitação.
Regata emArgenteuil.
Data: 1872
Dimensões: 48x75cm
MuseuD’Orsay,Paris.
Regata em
Argenteuil sob céu
escuro
Data: 1874
Museu D’Orsay,
Paris.
Procedimentos
gerais dos
impressionistas.
 a pintura deve registrar as tonalidades que os objetos adquirem ao
refletir a luz solar num determinado momento, pois as cores da
natureza se modificam constantemente dependendo da incidência da
luz do sol.
 As figuras não devem ter contornos nítidos, pois a linha é só uma
forma encontrada pelo ser humano para representar, por meio de
imagens, a natureza, os objetos, os seres em geral, etc.
 As sombras devem ser luminosas e coloridas, tal como é a impressão
visual que nos causam, e não escuras ou pretas, como os pintores as
representavam até então.
 As cores e tonalidades não devem ser obtidas pela mistura das tintas
na paleta. Devem ser puros e utilizadas na telas em pequenas
pinceladas. É O Observador que, ao apreciar a pintura, combina as
várias cores, obtendo o resultado final.
 A mistura das cores passa a ser, portanto, resultado do olhar humano,
e não da técnica do pintor, pois ele não as misturas em sua paleta.
Os grandes
pintores
impressionistas
O primeiro contato do público com os
impressionistas foi em uma exposição
coletiva realizada em Paris em 1874. O
público e os críticos, porém, reagiram
mal ao movimento pois ainda se
mantinham fiéis a pintura tradicional. Só
na década seguinte os impressionistas
começaram a ser compreendidos.
Monet as cores
mutáveis da
natureza
O francês Claude Monet 1840-1926
apreciava a pintura ao ar livre, que lhe
permite a reproduzir os efeitos da luz
solar diretamente da natureza. o maior
exemplo desses interesses está na série
que teve como tema a fachada da
catedral de Rouen. Ele a pintou em vários
momentos do dia, registrando as
diferentes entre as impressões que ela
lhe causava.
A passagem da
Luz em Rouen
 A Catedral de Rouen, importante cidade da
França, começou a ser seguida no final do
século XII e é uma das mais belas construções
góticas francesas. Observe, nas três telas a
variação das cores e da aparência da fachada
da Catedral. A causa dessas variações e a
mudança de luz solar: Monet fez as pinturas em
diferentes momentos do dia, comprovando a
sua ideia de que as cores da natureza e dos
objetos expostos ao ar livre se modificam
constantemente, dependendo da incidência da
luz do sol.
Renoir: alegria
e otimismo
 Dois impressionistas, o francês Pierre Auguste
Renoir 1841-1919 foi o que ganhou maior
popularidade, chegando até o reconhecimento
da crítica ainda em vida. Seus quadros
expressam otimismo, alegria e a intensa
movimentação da vida parisiense das últimas
décadas do século XIX. Em 1869, Renoir
envolveu-se em uma curiosa coincidência. Ele e
Monet pintaram a mesma cena: um grupo
divertindo-se próximo a um rio. O fato, além de
dar fama as duas telas, mostrou bem o
empenho de ambos os artistas em explorar as
superfícies que refletem a luz.
A dança das
cores
 Le Moulin de la galette era um café em
Montmartre, Paris, onde aos domingos se
dançava ao ar livre, sob as árvores e a luz
natural do jardim. Observe o grande número de
pessoas que parecem mover-se felizes durante
o baile. Note as pinceladas coloridas nas
roupas: não se trata de manchas, mas os
diferentes modos como os tecidos refletem a
luz que ilumina o local. Os tons de azul, rosa e
Amarelo sugerem o movimento dos casais em
sua dança.
Detalhe do
baile no
Moulin de la
galette
1876
Renoir
1,31m x 1,75m
Museu
D’Orsay, Paris.
Um só tema
duas visões
 La grenouilliere era o nome de um restaurante nos
arredores de Paris, muito procurado aos domingos.
Observe como os dois artistas pintaram um momento
alegre para um grupo de pessoas. Embora
semelhantes, as cenas têm diferenças, duas das quais
chamam mais a atenção: a primeira é que cada pintor
parece ter visto a cena de um ponto diferente, a
segunda é que cada um parece tê-la visto com uma
iluminação solar diferente. Nas duas, porém, notamos
o mesmo aspecto do Impressionismo: é o Observador
que une visualmente as pinceladas coloridas e
compõem o todo, percebido como um grupo se
divertindo.
La Grenouillière
Renoir Monet
Degas: a luz
dos ambientes
fechados
 O francês Edgar Degas 1834-1917 participou do
Impressionismo mas desenvolver um estilo diferente:
além da cor, a grande paixão dos impressionistas, ele
valorizavam o desenho. Pintou poucas paisagens e
cenas ao ar livre: em seus quadros predominam os
ambientes e interiores, onde a luz é artificial. Seu
grande interesse era flagrar o momento da vida das
pessoas, apreender um instante do movimento de um
corpo ou da expressão de um rosto.
 A tentativa de flagrar instantes revela a influência da
fotografia sobre Degas. É inegável a semelhança de
alguns dos seus quadros com fotos instantâneas: as
pessoas são pintadas como se tivessem sido
registradas em um momento da ação que realizam,
despreocupadas com a presença do artista.
Leveza e
movimento
 O Opéra era o teatro mais importante de Paris, e a palavra
foyer, nesse caso, designa o espaço do teatro reservado ao
ensaio das bailarinas. veja como Degas com pois a cena: ao
centro há um espaço vazio, lembrando um círculo; ao redor
dele estão o professor de dança, um músico e as bailarinas.
Uma bailarina se apresenta ao professor três fazem
exercícios na barra, algumas observam a primeira, outras
conversam e uma descansa sentada. Assim, nosso olhar
circula pela cena e podemos ter a impressão de que o
movimento iniciado com a bailarina que se apresenta
continua no círculo formado pelas outras moças, até chegar
a que está sentada. Talvez seja ela aproximar a dançar e
retomar o movimento que parece ter parado nela. Note a
delicadeza das cores e dos desenhos. Degas construir uma
cena de leveza e movimento com linhas e cores suaves.
O Foyer de
dança no
Opéra
Degas
Museu
D’Orsay, Paris.
Flagrantesdavida
Entre1872e1873,Degasviveuna
casadoseutiomaterno,Michel
Musson,negociantedealgodão
naLouisiana, nosEstadosUnidos.
Oquadroretrata homens
examinando oproduto,fazendo
cálculos,trocandoideias,lendoo
jornal.Observecomo acena
pareceumafotografia
tiradasemqueos
retratados percebam.Note
também queailuminaçãoéum
ambiente fechado;nãoháluz
solar.Veja, ainda,aimportância
dobrancoparaquebrara
monotoniadostonsmarronse
amarelos.
A evoluçãodo impressionismo
O Pontilhismo
O pontilhismo
 Em 1886 ocorreu na França a última exposição Coletiva dos
impressionistas. Uma nova tendência artística teria lugar com dois
de seus participantes - Georges Seurat e Paul Signac -, que
aprofundaram as pesquisas impressionistas quanto à percepção
óptica, isto é, o modo como os objetos são vistos.

George Seurat 1859-1891 em especial, reduziu as pinceladas a um
sistema de pontos uniforme que, no conjunto, permitem perceber
uma cena. Essa técnica foi chamada de pontilhismo: as figuras são
representadas com fragmentos ou pontos, cabe ao observador
percebê-las como um todo plenamente organizado.

Paul Signac 1863-1935 foi outro grande pintor que dominou a
técnica pontilhista. Ele gostava de observar o movimento da água
no mar e nos rios e procurou registrá-los em muitas de suas obras.

Tarde de
Domingo na Ilha
deGrandeJatte.
1884-1886
2,60x 3,50m
TheArt Institute,
Chicago.
OCirco
1891
73 x 59 cm
Museu D’Orsay,
Paris.
Essa é uma importante obra
pontilhista. Além da técnica, observe a
organização dos elementos da cena:
em primeiro plano, vemos a cabeça e
parte das costas e dos braços de um
palhaço. Isso já é uma grande ousadia
na pintura: apresentar, em primeiro
plano uma figura incompleta e de
costas para o observador. O palhaço e a
bailarina que se equilibra no cavalo
ocupam a área central; à direita estão o
adestrador, o malabarista, um grupo de
pessoas com mesmo traje e, mais
acima, a orquestra. À esquerda estão
cavalo e parte da plateia. Observe
como as linhas curvas predominam à
direita e existe em menor número a
esquerda, o que dá a impressão de que
movimento vem da direita para a
esquerda e descreve um círculo pois
segue a linha do picadeiro.
A boia
vermelha
1895
PaulSignac
Museu
D’Orsay, Paris.
Reflexos por meio de pontos
Observe nessa obra
principalmente os pequenos
pontos coloridos que, colocados
lado a lado, formam todos os
elementos representados: o céu,
as casas, as embarcações, a
água, a boia e o reflexo de tudo
isso na água.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Modernismo brasileiro2
Modernismo brasileiro2Modernismo brasileiro2
Modernismo brasileiro2
CEF16
 

Mais procurados (20)

Semana de arte moderna
Semana de arte modernaSemana de arte moderna
Semana de arte moderna
 
ARTE BRASILEIRA
ARTE BRASILEIRAARTE BRASILEIRA
ARTE BRASILEIRA
 
16 artistas conceituais
16 artistas conceituais16 artistas conceituais
16 artistas conceituais
 
Arte Contemporanea no Brasil
Arte Contemporanea no BrasilArte Contemporanea no Brasil
Arte Contemporanea no Brasil
 
História da Arte Aula 4 , Modernismo Brasileiro, abstrato e Pop Art
 História da Arte Aula 4 , Modernismo Brasileiro, abstrato e Pop Art História da Arte Aula 4 , Modernismo Brasileiro, abstrato e Pop Art
História da Arte Aula 4 , Modernismo Brasileiro, abstrato e Pop Art
 
Impressionismo no Brasil
Impressionismo no BrasilImpressionismo no Brasil
Impressionismo no Brasil
 
Missão artistica francesa, academicismo e impressionismo
Missão artistica francesa, academicismo e impressionismo Missão artistica francesa, academicismo e impressionismo
Missão artistica francesa, academicismo e impressionismo
 
Semana 22 parte 1
Semana 22 parte 1Semana 22 parte 1
Semana 22 parte 1
 
Século xix no brasil a modernização da arte
Século xix no brasil  a modernização da arteSéculo xix no brasil  a modernização da arte
Século xix no brasil a modernização da arte
 
Aula: Modernismo
Aula: ModernismoAula: Modernismo
Aula: Modernismo
 
Modernismo 8ºano
Modernismo 8ºanoModernismo 8ºano
Modernismo 8ºano
 
Modernismo america latina
Modernismo america latinaModernismo america latina
Modernismo america latina
 
Arte na segunda metade do século xx
Arte na segunda metade do século xxArte na segunda metade do século xx
Arte na segunda metade do século xx
 
Modernismo brasileiro2
Modernismo brasileiro2Modernismo brasileiro2
Modernismo brasileiro2
 
Academicismo no brasil c/ resumo do impressionismo.
Academicismo no brasil c/ resumo do impressionismo.Academicismo no brasil c/ resumo do impressionismo.
Academicismo no brasil c/ resumo do impressionismo.
 
História da Arte: O ambiente modernista
História da Arte: O ambiente modernistaHistória da Arte: O ambiente modernista
História da Arte: O ambiente modernista
 
Plano de aula -Arte Contemporânea-Individual
Plano de aula -Arte Contemporânea-IndividualPlano de aula -Arte Contemporânea-Individual
Plano de aula -Arte Contemporânea-Individual
 
Grafite
GrafiteGrafite
Grafite
 
Semana 22 parte 3
Semana 22  parte 3Semana 22  parte 3
Semana 22 parte 3
 
Luana lima ribeiro
Luana lima ribeiroLuana lima ribeiro
Luana lima ribeiro
 

Semelhante a Século xix na europa (II)

Impressionismo e Pontilhismo
Impressionismo e PontilhismoImpressionismo e Pontilhismo
Impressionismo e Pontilhismo
Auriene
 
Atividades com pintura artes3 ano 2009
Atividades com pintura artes3 ano 2009Atividades com pintura artes3 ano 2009
Atividades com pintura artes3 ano 2009
beljinaldo
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
Laguat
 
Seminários história da arte 04
Seminários história da arte   04Seminários história da arte   04
Seminários história da arte 04
Gabriela Lemos
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
CEF16
 

Semelhante a Século xix na europa (II) (20)

Impressionismo e Pontilhismo
Impressionismo e PontilhismoImpressionismo e Pontilhismo
Impressionismo e Pontilhismo
 
Atividades com pintura artes3 ano 2009
Atividades com pintura artes3 ano 2009Atividades com pintura artes3 ano 2009
Atividades com pintura artes3 ano 2009
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
O Impressionismo
O ImpressionismoO Impressionismo
O Impressionismo
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
Seminários história da arte 04
Seminários história da arte   04Seminários história da arte   04
Seminários história da arte 04
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
Impressionismo (1)
Impressionismo (1)Impressionismo (1)
Impressionismo (1)
 
HISTÓRIA DA ARTE - Século XIX na Europa - Impressionismo e Pontilhismo
HISTÓRIA DA ARTE - Século XIX na Europa - Impressionismo e PontilhismoHISTÓRIA DA ARTE - Século XIX na Europa - Impressionismo e Pontilhismo
HISTÓRIA DA ARTE - Século XIX na Europa - Impressionismo e Pontilhismo
 
Impressionismo (1)
Impressionismo (1)Impressionismo (1)
Impressionismo (1)
 
9o. Ano - Impressionismo -Claude Monet-
9o. Ano - Impressionismo -Claude Monet-9o. Ano - Impressionismo -Claude Monet-
9o. Ano - Impressionismo -Claude Monet-
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
Impressionismo e Expressionismo - 3ª A - 2011
Impressionismo e Expressionismo - 3ª A - 2011Impressionismo e Expressionismo - 3ª A - 2011
Impressionismo e Expressionismo - 3ª A - 2011
 
Impressionismo e Pós-Impressionismo
Impressionismo e Pós-ImpressionismoImpressionismo e Pós-Impressionismo
Impressionismo e Pós-Impressionismo
 
Impressionismo 2012
Impressionismo 2012Impressionismo 2012
Impressionismo 2012
 
6 a (1)
6 a (1)6 a (1)
6 a (1)
 
Entendendo arte sec_xx
Entendendo arte sec_xxEntendendo arte sec_xx
Entendendo arte sec_xx
 

Mais de Fabiana Alexandre

Arte Hostória da fotografia
Arte Hostória da fotografiaArte Hostória da fotografia
Arte Hostória da fotografia
Fabiana Alexandre
 
Arte Neoclassicismo e romantismo europeu
Arte Neoclassicismo e romantismo europeuArte Neoclassicismo e romantismo europeu
Arte Neoclassicismo e romantismo europeu
Fabiana Alexandre
 
Arte Design ilustração reprodutibilidade
Arte Design ilustração reprodutibilidadeArte Design ilustração reprodutibilidade
Arte Design ilustração reprodutibilidade
Fabiana Alexandre
 
Arte Composição fotográfica
Arte Composição fotográficaArte Composição fotográfica
Arte Composição fotográfica
Fabiana Alexandre
 

Mais de Fabiana Alexandre (20)

Neoclassicismo realismo romantismo
Neoclassicismo realismo romantismo Neoclassicismo realismo romantismo
Neoclassicismo realismo romantismo
 
Neoclassicismo realismo romantismo
Neoclassicismo realismo romantismoNeoclassicismo realismo romantismo
Neoclassicismo realismo romantismo
 
Final do século xix europa pos impressionismo
Final do século xix europa pos impressionismoFinal do século xix europa pos impressionismo
Final do século xix europa pos impressionismo
 
Arquitetura moderna e grupo santa helena
Arquitetura moderna e grupo santa helenaArquitetura moderna e grupo santa helena
Arquitetura moderna e grupo santa helena
 
Revisão neoclassicismo/ romantismo/ realismo
Revisão neoclassicismo/ romantismo/ realismoRevisão neoclassicismo/ romantismo/ realismo
Revisão neoclassicismo/ romantismo/ realismo
 
Neoclassicismo realismo pintura de genero
Neoclassicismo realismo pintura de generoNeoclassicismo realismo pintura de genero
Neoclassicismo realismo pintura de genero
 
Vanguardas
VanguardasVanguardas
Vanguardas
 
Linha do tempo revisão enem
Linha do tempo revisão enemLinha do tempo revisão enem
Linha do tempo revisão enem
 
Neoclassicismo, romantismo e arte brasileira no séc XIX
Neoclassicismo, romantismo e arte brasileira no séc XIXNeoclassicismo, romantismo e arte brasileira no séc XIX
Neoclassicismo, romantismo e arte brasileira no séc XIX
 
Neoclassicismo, romantismo e arte brasileira no séc XIX
Neoclassicismo, romantismo e arte brasileira no séc XIXNeoclassicismo, romantismo e arte brasileira no séc XIX
Neoclassicismo, romantismo e arte brasileira no séc XIX
 
Arte brasileira na segunda metade do sec xix
Arte brasileira na segunda metade do sec xixArte brasileira na segunda metade do sec xix
Arte brasileira na segunda metade do sec xix
 
ENEM arte de 2003-2013
ENEM  arte de 2003-2013ENEM  arte de 2003-2013
ENEM arte de 2003-2013
 
Arte Hostória da fotografia
Arte Hostória da fotografiaArte Hostória da fotografia
Arte Hostória da fotografia
 
Arte Renascimento
Arte Renascimento Arte Renascimento
Arte Renascimento
 
Arte Barroco
Arte Barroco Arte Barroco
Arte Barroco
 
Arte Neoclassicismo e romantismo europeu
Arte Neoclassicismo e romantismo europeuArte Neoclassicismo e romantismo europeu
Arte Neoclassicismo e romantismo europeu
 
Arte Design ilustração reprodutibilidade
Arte Design ilustração reprodutibilidadeArte Design ilustração reprodutibilidade
Arte Design ilustração reprodutibilidade
 
Arte Composição fotográfica
Arte Composição fotográficaArte Composição fotográfica
Arte Composição fotográfica
 
Frans post obras
Frans post obrasFrans post obras
Frans post obras
 
História da fotografia
História da fotografiaHistória da fotografia
História da fotografia
 

Século xix na europa (II)

  • 1. SéculoXIX na Europa (II): O Impressionismo.
  • 2. O Impressionismo. O Impressionismo foi um movimento que revolucionou a pintura e deu início as grandes tendências da arte do século XX. Os impressionistas buscavam observar os diversos efeitos da luz solar sobre os objetos ao longo do dia para registrar na tela as variações provocadas nas cores da natureza. Eles não chegaram a formar uma escola o sistema; apenas compartilharam algumas técnicas e procedimentos gerais.
  • 3. Cor e movimento no pincel Observe nas obras os seguintes aspectos: ausência de contorno nítido nos barcos, casas, pessoas e árvores evidência das pinceladas coloridas do artista reflexo dos Barcos das casas e das árvores; nas duas telas a paisagem é a mesma; o que difere é o ponto de onde ela é vista e a luz do dia que cada imagem reflete. Em uma delas, há Sol e a água parece tranquila; na outra, temos a impressão de um dia nublado e de vento, pois as pinceladas com que o artista pintou a água sugere agitação.
  • 4. Regata emArgenteuil. Data: 1872 Dimensões: 48x75cm MuseuD’Orsay,Paris.
  • 5. Regata em Argenteuil sob céu escuro Data: 1874 Museu D’Orsay, Paris.
  • 6. Procedimentos gerais dos impressionistas.  a pintura deve registrar as tonalidades que os objetos adquirem ao refletir a luz solar num determinado momento, pois as cores da natureza se modificam constantemente dependendo da incidência da luz do sol.  As figuras não devem ter contornos nítidos, pois a linha é só uma forma encontrada pelo ser humano para representar, por meio de imagens, a natureza, os objetos, os seres em geral, etc.  As sombras devem ser luminosas e coloridas, tal como é a impressão visual que nos causam, e não escuras ou pretas, como os pintores as representavam até então.  As cores e tonalidades não devem ser obtidas pela mistura das tintas na paleta. Devem ser puros e utilizadas na telas em pequenas pinceladas. É O Observador que, ao apreciar a pintura, combina as várias cores, obtendo o resultado final.  A mistura das cores passa a ser, portanto, resultado do olhar humano, e não da técnica do pintor, pois ele não as misturas em sua paleta.
  • 7. Os grandes pintores impressionistas O primeiro contato do público com os impressionistas foi em uma exposição coletiva realizada em Paris em 1874. O público e os críticos, porém, reagiram mal ao movimento pois ainda se mantinham fiéis a pintura tradicional. Só na década seguinte os impressionistas começaram a ser compreendidos.
  • 8. Monet as cores mutáveis da natureza O francês Claude Monet 1840-1926 apreciava a pintura ao ar livre, que lhe permite a reproduzir os efeitos da luz solar diretamente da natureza. o maior exemplo desses interesses está na série que teve como tema a fachada da catedral de Rouen. Ele a pintou em vários momentos do dia, registrando as diferentes entre as impressões que ela lhe causava.
  • 9. A passagem da Luz em Rouen  A Catedral de Rouen, importante cidade da França, começou a ser seguida no final do século XII e é uma das mais belas construções góticas francesas. Observe, nas três telas a variação das cores e da aparência da fachada da Catedral. A causa dessas variações e a mudança de luz solar: Monet fez as pinturas em diferentes momentos do dia, comprovando a sua ideia de que as cores da natureza e dos objetos expostos ao ar livre se modificam constantemente, dependendo da incidência da luz do sol.
  • 10.
  • 11.
  • 12. Renoir: alegria e otimismo  Dois impressionistas, o francês Pierre Auguste Renoir 1841-1919 foi o que ganhou maior popularidade, chegando até o reconhecimento da crítica ainda em vida. Seus quadros expressam otimismo, alegria e a intensa movimentação da vida parisiense das últimas décadas do século XIX. Em 1869, Renoir envolveu-se em uma curiosa coincidência. Ele e Monet pintaram a mesma cena: um grupo divertindo-se próximo a um rio. O fato, além de dar fama as duas telas, mostrou bem o empenho de ambos os artistas em explorar as superfícies que refletem a luz.
  • 13. A dança das cores  Le Moulin de la galette era um café em Montmartre, Paris, onde aos domingos se dançava ao ar livre, sob as árvores e a luz natural do jardim. Observe o grande número de pessoas que parecem mover-se felizes durante o baile. Note as pinceladas coloridas nas roupas: não se trata de manchas, mas os diferentes modos como os tecidos refletem a luz que ilumina o local. Os tons de azul, rosa e Amarelo sugerem o movimento dos casais em sua dança.
  • 14. Detalhe do baile no Moulin de la galette 1876 Renoir 1,31m x 1,75m Museu D’Orsay, Paris.
  • 15. Um só tema duas visões  La grenouilliere era o nome de um restaurante nos arredores de Paris, muito procurado aos domingos. Observe como os dois artistas pintaram um momento alegre para um grupo de pessoas. Embora semelhantes, as cenas têm diferenças, duas das quais chamam mais a atenção: a primeira é que cada pintor parece ter visto a cena de um ponto diferente, a segunda é que cada um parece tê-la visto com uma iluminação solar diferente. Nas duas, porém, notamos o mesmo aspecto do Impressionismo: é o Observador que une visualmente as pinceladas coloridas e compõem o todo, percebido como um grupo se divertindo.
  • 17. Degas: a luz dos ambientes fechados  O francês Edgar Degas 1834-1917 participou do Impressionismo mas desenvolver um estilo diferente: além da cor, a grande paixão dos impressionistas, ele valorizavam o desenho. Pintou poucas paisagens e cenas ao ar livre: em seus quadros predominam os ambientes e interiores, onde a luz é artificial. Seu grande interesse era flagrar o momento da vida das pessoas, apreender um instante do movimento de um corpo ou da expressão de um rosto.  A tentativa de flagrar instantes revela a influência da fotografia sobre Degas. É inegável a semelhança de alguns dos seus quadros com fotos instantâneas: as pessoas são pintadas como se tivessem sido registradas em um momento da ação que realizam, despreocupadas com a presença do artista.
  • 18. Leveza e movimento  O Opéra era o teatro mais importante de Paris, e a palavra foyer, nesse caso, designa o espaço do teatro reservado ao ensaio das bailarinas. veja como Degas com pois a cena: ao centro há um espaço vazio, lembrando um círculo; ao redor dele estão o professor de dança, um músico e as bailarinas. Uma bailarina se apresenta ao professor três fazem exercícios na barra, algumas observam a primeira, outras conversam e uma descansa sentada. Assim, nosso olhar circula pela cena e podemos ter a impressão de que o movimento iniciado com a bailarina que se apresenta continua no círculo formado pelas outras moças, até chegar a que está sentada. Talvez seja ela aproximar a dançar e retomar o movimento que parece ter parado nela. Note a delicadeza das cores e dos desenhos. Degas construir uma cena de leveza e movimento com linhas e cores suaves.
  • 19. O Foyer de dança no Opéra Degas Museu D’Orsay, Paris.
  • 20. Flagrantesdavida Entre1872e1873,Degasviveuna casadoseutiomaterno,Michel Musson,negociantedealgodão naLouisiana, nosEstadosUnidos. Oquadroretrata homens examinando oproduto,fazendo cálculos,trocandoideias,lendoo jornal.Observecomo acena pareceumafotografia tiradasemqueos retratados percebam.Note também queailuminaçãoéum ambiente fechado;nãoháluz solar.Veja, ainda,aimportância dobrancoparaquebrara monotoniadostonsmarronse amarelos.
  • 22. O pontilhismo  Em 1886 ocorreu na França a última exposição Coletiva dos impressionistas. Uma nova tendência artística teria lugar com dois de seus participantes - Georges Seurat e Paul Signac -, que aprofundaram as pesquisas impressionistas quanto à percepção óptica, isto é, o modo como os objetos são vistos.  George Seurat 1859-1891 em especial, reduziu as pinceladas a um sistema de pontos uniforme que, no conjunto, permitem perceber uma cena. Essa técnica foi chamada de pontilhismo: as figuras são representadas com fragmentos ou pontos, cabe ao observador percebê-las como um todo plenamente organizado.  Paul Signac 1863-1935 foi outro grande pintor que dominou a técnica pontilhista. Ele gostava de observar o movimento da água no mar e nos rios e procurou registrá-los em muitas de suas obras. 
  • 23. Tarde de Domingo na Ilha deGrandeJatte. 1884-1886 2,60x 3,50m TheArt Institute, Chicago.
  • 24. OCirco 1891 73 x 59 cm Museu D’Orsay, Paris. Essa é uma importante obra pontilhista. Além da técnica, observe a organização dos elementos da cena: em primeiro plano, vemos a cabeça e parte das costas e dos braços de um palhaço. Isso já é uma grande ousadia na pintura: apresentar, em primeiro plano uma figura incompleta e de costas para o observador. O palhaço e a bailarina que se equilibra no cavalo ocupam a área central; à direita estão o adestrador, o malabarista, um grupo de pessoas com mesmo traje e, mais acima, a orquestra. À esquerda estão cavalo e parte da plateia. Observe como as linhas curvas predominam à direita e existe em menor número a esquerda, o que dá a impressão de que movimento vem da direita para a esquerda e descreve um círculo pois segue a linha do picadeiro.
  • 25. A boia vermelha 1895 PaulSignac Museu D’Orsay, Paris. Reflexos por meio de pontos Observe nessa obra principalmente os pequenos pontos coloridos que, colocados lado a lado, formam todos os elementos representados: o céu, as casas, as embarcações, a água, a boia e o reflexo de tudo isso na água.