Mensagens em cores apocalípticas

1.010 visualizações

Publicada em

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.010
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
14
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mensagens em cores apocalípticas

  1. 1. Mensagens em Cores – APOCALÍPTICASPor Daniel Felau (RA, ago/85)Em Apocalipse 6:1-8 o exilado profeta de Patmos viu uma cena marcial, um estado deguerra, que envolve o grande conflito entre o bem e o mal; entre Cristo e Satanás. Joãoviu quatro cavalos apocalípticos e os descreve numa linguagem colorida e pitoresca.Para muitos leitores os quatro cavalos, que fazem parte dos sete selos, destacamapenas aspectos externos da igreja em períodos paralelos às sete igrejas. Há, porém,algo mais profundo nas cores apocalípticas, as quais não se limitam a simples fases daigreja.As quatro cores estão em evidência em toda a Escritura e representam quatrodiferentes atitudes de Deus no esforço de salvar o pecador. Por isso não podemoslimitar a ação do cavalo branco apenas ao período de Éfeso como algo histórico. Ocavalo branco tem ação contínua desde a entrada do pecado até o fechamento daPorta da Graça. O termo "vem", em Apocalipse 6:1, é uma tradução da palavra gregaErkou, que está no imperativo presente e na voz contínua. A tradução correta seria: vaiindo; segue o teu caminho. Expressa uma ação contínua. "A ação do primeiro cavalo é,sem dúvida, contínua, pois ele começa de conquista em conquista e termina somentequando alcançar vitória completa no fim da abertura dos selos."Indubitavelmente, o cavalo branco iniciou a sua ação logo após a entrada do pecado econtinua em plena atividade em to-, dos os séculos, num esforço contínuo junto aosímpios, para levá-los ao arrependimento. Enquanto houver graça, haverá também aação do cavalo branco.Funções dos Mensageiros Divinos1. Cavalo Branco: "Operar junto aos ímpios num esforço contínuo para levá-los aoarrependimento."22. Cavalo Vermelho: "Trazer juízos e aflições sobre aqueles que resistem à graça deDeus com o objetivo de despertá-los ao arrependimento."33. Cavalo Preto: "Trazer os ímpios face a face com as fortes e negras realidades da vida,para serem levados a pesar cuidadosamente as sérias conseqüências do seu curso eentenderem os terríveis resultados à sua frente, se não volverem dos seus caminhospecaminosos."4.
  2. 2. 4. Cavalo Amarelo: Finalmente, Deus manda juízos irrevogáveis de condenação emorte sobre os impenitentes que desprezaram as oportunidades e rejeitaram a graçadivina."Se o vermelho é uma cor de julgamento, então o preto é uma cor de juízos maisseveros. Se o vermelho é uma cor de advertência, então preto é uma cor deadvertências muito mais solenes e duras. Uma é a advertência de perigos no futuro, aoutra é uma advertência de perigos à porta. Uma é presságio de ais e tribulações, aoutra é um presságio de morte. Uma quer dizer: Cautela, você está entrando numcaminho de perigo e aflição; o trilho que você está seguindo trará pedras e feridas; éum caminho avermelhado de sangue; é o caminho da espada, de lágrimas, e não deriso; de amargura, e não de gozo. Foi este o caminho de Adão quando pela primeiravez deixou os caminhos da inocência e beleza no Éden e deparou com espinhos ecardos, o sangue de seu filho Abel e um querubim celestial com espada inflamada. Foio caminho de Balaão, quando se desviou na esperança de fama e fortuna, e deparoucom o anjo do Senhor com espada desembainhada. Tal é então a mensagem dovermelho."Mas o preto é uma cor muito mais sombria e grave. Ainda não é a morte, mas estábem próximo dela. Ele significa: Cuidado, você não tem tempo a perder, você foi longeno caminho do perigo e dos ais, e agora está face a face com o fim. Pare e pare já, oupagará o preço final da morte. O preto era a cor com a qual Tamerlão advertia osinimigos de que sua última hora de esperança estava para se encerrar, de que ospavilhões brancos da misericórdia já estavam longe no passado, de que os pavilhõesvermelhos de sangue estavam, também, já no passado, de que a hora presente erauma hora de trevas fortes e densas, tendo adiante somente o aniquilamento."5Nações que Receberam Mensageiros DivinosCada nação que subiu ao cenário da História, teve sua oportunidade e recebeu a açãodos quatro mensageiros divinos.1. O Egito recebeu as funções do cavalo branco durante os 430 anos em que oshebreus estiveram lá. Moisés se dirigiu reiteradas vezes ao monarca com a Palavra doSenhor. "Nenhuma outra civilização desfrutou de um tão longo período de graça comoa civilização que floresceu no Vale do Nilo."6Em Êxodo 19:19-25, temos uma viva descrição da atuação do cavalo vermelho, quandotodas as águas do Egito se tornaram em sangue.A ação do cavalo preto é claramente identificada na nona praga, quando houve trevasem toda a terra do Egito (Êxo. 10:21-29)."Quando, porém, os homens passam os limites da clemência divina, a restrição éremovida."7 Foi o que finalmente aconteceu ao Egito. Depois de tantos apelos,mensagens e evidências do poder de Deus, a conta foi encerrada e o Egito recebeu aação do cavalo amarelo na décima praga (Êxo. 11:29 e 30).2. "Quatro vezes, e cada vez com mais severidade, Babilônia sentiu a mão de Deus; aprimeira vez brandamente, no sonho da imagem espantosa. A segunda vez, com mais
  3. 3. dureza no episódio da fornalha ardente. Na terceira, o golpe era maior quando o reiteve de passar sete tempos com os animais do campo. A quarta, porém, foi umagrande catástrofe na qual o rei Belsázar morreu."8"Na história e na profecia o cavalo tem sido usado como símbolo de morte edestruição."93. Outras cidades. Tiro, Edom, Nínive, Sodoma e Go-morra — todas estas cidadesreceberam oportunidades representadas na ação dos quatro cavalos apocalípticos. "É-nos ensinada a lição terrível e solene de que, ao mesmo tempo em que a misericórdiade Deus suporta longamente o transgressor, há um limite além do qual os homens nãopodem ir no pecado. Quando é atingido aquele limite, os oferecimentos demisericórdia são retirados, e inicia-se o ministério do juízo."10O ministério do juízo só começa quando a pessoa permanece deliberadamente nopecado e ultrapassa os limites da paciência divina."O coração que durante muito tempo desdenhou a misericórdia de Deus, torna-seendurecido no pecado, e não mais é suscetível à influência da graça de Deus. Terrívelserá a sorte da alma da qual o Salvador, pleiteando por sua defesa, declararáfinalmente: Está entregue aos ídolos; deixa-o. Oséias 4:17.""Indivíduos que Receberam os Juízos DivinosHerodes — "Herodes foi visitado com os juízos de Deus.1. Enquanto se exaltava a si mesmo na presença de grande multidão, foi ferido peloanjo do Senhor, e morreu da maneira mais horrível."122. Judas — "Judas viu que suas súplicas eram em vão e precipitou-se da sala,exclamando: É tarde! É tarde! Sentiu que não poderia viver para ver Jesus crucificadoe, em desespero, foi enforcar-se."13 Judas teve a sua conta encerrada, mas antes dissoele teve inúmeras oportunidades de arrepender-se. "Enquanto Sua misericórdia éseguida de apelos ao arrependimento, esta conta permanecerá em aberto; masquando atingir um certo limite prefixado por Deus, começa o ministério da Sua ira. Aconta é encerrada. A paciência divina se esgota. Não há mais intercessão pormisericórdia a seu favor."143. Os filhos de Eli — "E foi tomada a arca de Deus; e os dois filhos de Eli, Hofni e Finéiasmorreram." I Sam. 4:11. "Vós que estais a desdenhar os oferecimentos damisericórdia, pensai na longa parcela de caracteres que contra vós se acumula noslivros do Céu; pois há um relatório feito das impiedades das nações, das famílias, dosindivíduos. Deus pode suportar muito enquanto a conta prossegue; e convites aoarrependimento e oferecimentos de perdão podem ser feitos; contudo, tempo virá emque a conta se completará, em que se fez a decisão da alma, em que se fixou o destinodo homem pela sua própria escolha. Dar-se-á então o sinal para ser executado ojuízo."154. Geazi — "Portanto a lepra de Naamã se pegará a ti e à tua semente para sempre.Então saiu de diante dele leproso, branco como a neve." II Reis 4:27. "Dia virá em que
  4. 4. a terrível sentença da ira de Deus será pronunciada contra todos os que persistiramem sua deslealdade para com Ele. Isto será quando Deus tiver que falar e fazer coisasterríveis, em justiça, contra os transgressores de Sua lei."16Cidades que Receberam os Juízos Divinos1. Lisboa — "Às dez horas menos vinte minutos, daquela manhã, Lisboa estava imóvele magnificente, em um local dos mais pitorescos e imponentes do mundo. Cidade demagnífico acesso, colocada precisamente onde todas as circunstâncias concorriampara dizer aos fundadores: Construí aqui! Em seis minutos a cidade estava em ruínas...A metade do mundo sentiu a convulsão."172. Messina — "Messina, cidade da Sicília, foi destruída em 28 de dezembro de 1908....Em 30 segundos, o que tinha sido uma cidade formosa pela sua beleza, transformou-seem extenso monte de entulho. Foram mortos 108 mil pessoas."183. São Pedro — "São Pedro era a cidade mais importante das Antilhas Francesas, naAmérica Central; muito conhecida por sua beleza, grandes diversões e alto comércio.Esse povo — prevenido muitos dias antes dos perigos do vulcão Pelee, que começou adar sinais de erupção — não quis fugir. A 7 de maio de 1902, houve uma chuvatorrencial sobre toda a ilha de Martinica e o dia seguinte amanheceu limpo e fresco. Opovo acalmado preparou-se para o "Dia da Ascensão". Repentinamente, porém, àsoito horas, deram-se duas grandes explosões que foram ouvidas até nas ilhasDominicana e Santa Lúcia, seguidas de uma espessa nuvem, muitíssimo grande comlistras brilhantes, que descia da cratera do vulcão, cobrindo totalmente a cidade deSão Pedro. O orgulho das Antilhas Francesas, com seus 28 mil habitantes, foicompletamente aniquilada no espaço de 45 segundos."194. Pompeia — "Herculano e Pompeia, cidades da Itália, na baía de Nápoles, foramsepultadas pelas cinzas e lavas do Vesúvio, na erupção do ano 79. É impossívelimaginar as densas trevas, tremor da terra, ondas do mar, as cinzas caindo por sobre acidade inteira, enterrando e sufocando instantaneamente a todos os 30 mil habitantesde Pompeia."20Todas estas cidades e muitas outras receberam a ação dos quatro cavalosapocalípticos. Porém, temos que ter em mente o seguinte: "Nem tudo que ocorre nomundo acontece porque Deus quer ou aprova. Mas tudo que acontece, acontece porpermissão divina."21 Tudo está nas mãos de Deus. Deus é soberano e logo intervirápara cumprir plenamente o Seu propósito. Muito em breve teremos a culminação dahistória e o fim da graça."Logo o mundo será abandonado pelo anjo da misericórdia, e as sete últimas pragasestão para ser derramadas."22Quando se fechar a Porta da Graça, a ação dos mensageiros branco, vermelho e pretoterá cumprido a sua missão. "Cessa então Jesus de interceder no santuário celestial.Levanta as mãos, e com grande voz, diz: "Está feito."23 A conta de todos é encerrada ecomeça então o ministério de Sua ira simbolizado na cor pálida do cavalo chamado"morte".
  5. 5. "Enquanto Sua misericórdia é oferecida, com chamados para o arrependimento, estaconta permanece aberta; mas quando as cifras alcançam um certo montante que Deustem prefixado, o ministério de Sua ira começa. A conta é encerrada. Cessa a divinapaciência. A misericórdia não mais pleiteia em seu benefício."24Referências:1. Apocalipse, Esboço de Estudos (Thile), pág. 86.2. Idem, pág. 84.3. Ibidem.4. Ibidem.5. Idem, pág. 90.6. O Significado Bíblico da História, pág. 57.7. O Grande Conflito, pág. 33.8. Daniel Fala Hoje {Orlando Boyer), pág. 64.9. A Mão de Deus ao Leme, pág. 214.10. Patriarcas e Profetas, pág. 161.11. Idem, pág. 162.12. Primeiros Escritos, pág. 186.13. O Desejado de Todas as Nações, pág. 538.14. Thile, pág. 90.15. Patriarcas e Profetas, pág. 162.16. Testemunhos Seletos, vol. 2, pág. 266.17. "Então Virá o Fim", pág. 44.18. Daniel Fala Hoje, pág. 66.19. Idem, pág. 65.20. Ibidem.21. O Significado Bíblico da História, pág. 34.22. Testemunhos Para Ministros, pág. 182.23. O Grande Conflito, pág. 612.24. Patriarcas e Profetas, pág. 36

×