SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 27
O Juízo IInnvveessttiiggaattiivvoo 
ddooss AAddvveennttiissttaass ddoo 77º 
ddiiaa 
qquuee ssee ppeerrddeerrããoo 
TTeesstteemmuunnhhooss ppaarraa aa IIggrreejjaa,, 
VVooll.. 44 PPáágg.. 338844--338866
“Porque todos 
devemos comparecer 
ante o tribunal de 
Cristo, para que cada 
um receba segundo o 
que tiver feito em seu 
corpo, seja bem, ou 
mal.” 
(II Coríntios 5:10)
“De maneira 
que cada um 
dará conta de 
si mesmo a 
Deus.” 
Romanos 14:12
Na manhã de 23 de outubro de 1879, por 
volta das 2 horas da madrugada, o 
Espírito do Senhor repousou sobre mim, 
e eu contemplei cenas do juízo vindouro. 
Faltam-me palavras com as quais 
descrever adequadamente as coisas 
que passaram diante de mim e do efeito 
que tiveram em minha mente.
O grande dia da 
execução do juízo de 
Deus parecia ter 
chegado. Dez mil 
vezes dez milhares 
estavam reunidos 
diante de um grande 
trono, sobre o qual 
estava assentada 
uma pessoa de 
aparência 
majestosa.
Vários livros 
estavam diante 
dEle, e sobre as 
capas de cada um 
estava escrito em 
letras de ouro, que 
pareciam como 
chamas 
flamejantes: 
““LLiivvrroo--rraazzããoo ddoo 
CCééuu””..
Um destes livros, 
contendo os nomes 
daqueles que dizem 
acreditar na verdade, 
foi, então, aberto. 
Imediatamente perdi 
de vista os 
incontáveis milhões 
ao redor do trono, e 
somente aqueles que 
eram professos filhos 
da luz e da verdade 
prendeu minha 
atenção.
Ao serem aquelas 
pessoas nomeadas, 
um por um, e suas 
boas ações 
mencionadas, seus 
semblantes se 
iluminavam com 
santa alegria que 
era refletida em 
todas as direções. 
Mas isto não 
pareceu ter calado 
em minha mente 
com a maior força.
Outro livro foi aberto, 
onde estavam 
registrados os 
pecados dos que 
professam a verdade. 
Sob o cabeçalho geral 
de egoísmo vinham 
outros pecados. 
Também havia 
cabeçalhos em cada 
coluna, e abaixo 
destes, diante de cada 
nome, foram 
registrados, em suas 
respectivas colunas, 
os pecados menores.
Sob cobiça vinha 
falsidade, furto, 
roubo, fraude, e 
avareza; sob 
ambição vinha 
orgulho e 
extravagância; 
COBIÇ 
A AMBIÇÃO CIÚME 
INTEMPERANÇ 
A 
Falsidade Orgulho Malícia Lascívia 
Furto Extravagância Inveja Adultério 
Roubo Ódio Indulgência 
Fraude Paixões Animais 
Avareza 
Ciúme estava acima de 
malícia, inveja, e ódio; e 
intemperança 
encabeçava uma longa 
lista de terríveis crimes, 
tais como lascívia, 
adultério, indulgência a 
paixões animais, etc.
Quando contemplei, fui tomada de 
inexprimível angústia e exclamei: 
“Quem poderá se salvar? Quem 
permanecerá justificado diante de 
Deus? Quem possui vestiduras sem 
manchas? Quem é irrepreensível à vista 
de um Deus puro e santo?”.
Quando O Santo sobre o 
trono lentamente virava as 
páginas do Livro-razão, e 
Seus olhos repousavam 
por um momento sobre os 
indivíduos, Seu olhar 
parecia queimar dentro de 
suas próprias almas, e no 
mesmo instante cada 
palavra e ação de suas 
vidas passava diante de 
suas mentes tão 
claramente como se 
traçadas diante de suas 
vistas em letras de fogo. O 
temor se apoderou deles, e 
suas faces tornaram-se 
pálidas.
A aparência anterior deles, quando ao 
redor do trono, era de descuidada 
indiferença. Porém, quão mudada estava 
agora! O sentimento de segurança se foi, e 
em seu lugar está um terror indescritível. 
Em cada alma está um temor de que não 
sejam achados entre os que se encontram 
em falta.
Todos os olhos estão fixos 
sobre a face dAquele 
sobre o trono; e, quando 
Seu olhar perscrutador 
percorre aquela 
companhia, ocorre um 
estremecimento de 
coração; pois eles estão 
auto-condenados sem 
nenhuma palavra ser 
proferida. Em angústia de 
alma cada um declara sua 
própria culpa, e com 
terrível vividez vêem que 
por haverem pecado têm 
lançado fora a preciosa 
bênção da vida eterna.
Uma classe tem sido registrada como 
estorvo no solo. Quando o penetrante olhar 
do Juiz repousou sobre eles, seus pecados 
de negligência foram distintamente 
revelados. Com pálidos e trementes lábios 
reconhecem que têm sido traidores de seu 
santo legado. Eles tiveram advertências e 
privilégios, porém, nem deram ouvidos nem 
os aproveitaram. Agora puderam ver que 
presumiram muito da misericórdia de Deus.
De fato, eles não tinham tais 
confissões a fazer como tinham os vis 
e degradados corruptos; mas, à 
semelhança da figueira, foram 
amaldiçoados porque não deram 
frutos, porque não desenvolveram os 
talentos confiados a eles.
Esta classe fez o ego supremo, trabalhando 
somente por interesses egoístas. Eles não 
estavam ricos para Deus, não tendo 
respondido às Suas reivindicações para 
eles. Embora professando ser servos de 
Cristo, não trouxeram nenhuma alma para 
Ele. Tivesse a causa de Deus sido 
dependente de seus esforços, teria 
definhado; pois eles não somente 
retiveram os meios emprestados a eles por 
Deus, mas retiveram-se a si mesmos.
Porém, esses agora puderam ver e sentir 
que em ocuparem uma posição de 
irresponsabilidade com referência à obra e 
causa de Deus, colocaram-se a si 
mesmos do lado esquerdo. Eles tinham 
tido oportunidades, mas não fizeram a obra 
que poderiam e deveriam ter feito.
Os nomes de todos os que professam a 
verdade foram mencionados. Alguns foram 
reprovados por sua descrença, outros por 
terem sido servos preguiçosos. Eles tinham 
permitido que outros fizessem o trabalho na 
vinha do Mestre, e levassem a responsabilidade 
mais pesada, enquanto eles egoisticamente 
serviam a seus próprios interesses temporais. 
Tivessem cultivado as habilidades que Deus 
lhes tinha dado, poderiam ter sido 
encarregados confiáveis, trabalhando para os 
interesses do Mestre.
Disse o Juiz: “TODOS SERÃO JUSTIFICADOS 
PELA SUA FÉ E JULGADOS PELAS SUAS 
OBRAS.” Quão vívida agora apareceu sua 
negligência, e quão sábio o arranjo de Deus 
em dar a cada homem uma obra a fazer para 
promover a causa e salvar seus 
companheiros. Cada um devia demonstrar 
uma fé viva em sua família e em sua 
vizinhança, ao mostrar gentileza para com o 
pobre, simpatizando-se com o aflito, 
engajando-se em trabalho missionário, e 
auxiliando a causa de Deus com seus meios.
Porém, como Meroz, a maldição de Deus 
repousou sobre eles pelo que eles não 
fizeram. Eles tinham amado aquela obra 
que traria o maior lucro nesta vida; e à 
frente de seus nomes no Livro-razão 
devotado às boas obras havia um pesaroso 
vazio.
As palavras ditas a estes foram as mais solenes: 
“Fostes pesados nas balanças, e 
achados em falta. Negligenciastes 
responsabilidades espirituais por causa da 
intensa atividade em questões temporais, 
enquanto vossa própria posição de confiança 
tornava necessário que tivésseis mais que 
sabedoria humana e mais que um julgamento 
finito. Isto vós necessitáveis a fim de 
desempenhar até a parte mecânica de vossa 
obra; e quando desconectastes Deus e Sua 
glória de vossos negócios, afastastes de Suas 
bênçãos.”
Foi, então, perguntada a questão: “Por que não 
lavastes vossas vestes do caráter e as tornaram 
brancas no sangue do Cordeiro? Deus enviou 
Seu Filho ao mundo, não para condenar o 
mundo, mas para que por meio dEle pudesse ser 
salvo. Meu amor por vocês tem sido mais 
abnegado do que o amor de mãe. Era para que 
Eu pudesse apagar vosso negro registro de 
iniqüidades, e colocar a taça da salvação em 
vossos lábios, que Eu sofri a morte da cruz, 
levando o peso da maldição de vossa culpa.
As pontadas da morte, e os horrores da 
escuridão da tumba, Eu suportei, para que 
pudesse conquistar aquele que tinha o poder 
da morte, destrancar a prisão, e abrir para vós 
os portais da vida. Eu Me submeti à vergonha e 
agonia porque Eu vos amei com amor infinito, e 
queria trazer de volta minha teimosa e 
desgarrada ovelha para o paraíso de Deus, 
para a árvore da vida. Aquela vida de felicidade 
que Eu comprei para vós a tal custo, tendes 
desprezado.
Vergonha, reprovação, e ignomínia, tais 
como vosso Mestre por vós suportou, delas 
vos esquivastes. Os privilégios que Ele, por 
meio de Sua morte, trouxe ao vosso alcance 
não têm sido apreciados. Não quisestes ser 
participantes de Seus sofrimentos, e não 
podeis agora ser participantes com Ele de 
Sua glória.” (Ver Filipenses 1:29).
Então foram pronunciadas estas solenes 
palavras: “Quem é injusto, faça injustiça 
ainda; e quem está sujo, suje-se ainda; e 
quem é justo, faça justiça ainda; e quem é 
santo, seja santificado ainda.” (Apoc. 
22:11). Fechou-se, então, o livro, e da 
pessoa sobre o trono caiu o manto, 
revelando a terrível glória do Filho de Deus.
A cena então se passou, e me encontrei 
ainda sobre a terra, com inexprimível 
gratidão de que o dia de Deus ainda não 
tivesse chegado, e que o precioso 
período de provação ainda nos é 
concedido, no qual devemos nos 
preparar para a eternidade. 
TesTemunhos ppaarraa aa IIggrreejjaa 
vvooll.. 44,, pp.. 338844--338866 
FIM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mensagens em cores apocalípticas
Mensagens em cores   apocalípticasMensagens em cores   apocalípticas
Mensagens em cores apocalípticasDiego Fortunatto
 
Deus requer santificação aos cristãos 35
Deus requer santificação aos cristãos 35Deus requer santificação aos cristãos 35
Deus requer santificação aos cristãos 35Silvio Dutra
 
A eleição não desanima as almas buscadoras (charles h. spurgeon)
A eleição não desanima as almas buscadoras (charles h. spurgeon)A eleição não desanima as almas buscadoras (charles h. spurgeon)
A eleição não desanima as almas buscadoras (charles h. spurgeon)Deusdete Soares
 
As Chaves do Paraiso
As Chaves do ParaisoAs Chaves do Paraiso
As Chaves do ParaisoEditora EME
 
Estudos sobre o livro de êxodo - C. H. mackintosh
Estudos sobre o livro de êxodo - C. H. mackintoshEstudos sobre o livro de êxodo - C. H. mackintosh
Estudos sobre o livro de êxodo - C. H. mackintoshTsushya marco
 
Estudo adicional_Salvação_432014
Estudo adicional_Salvação_432014Estudo adicional_Salvação_432014
Estudo adicional_Salvação_432014Gerson G. Ramos
 
Para o p Pobre Cristão Duvidoso - Thomas Hooker
Para o p Pobre Cristão Duvidoso - Thomas HookerPara o p Pobre Cristão Duvidoso - Thomas Hooker
Para o p Pobre Cristão Duvidoso - Thomas HookerSilvio Dutra
 
A total-suficiencia-de-cristo-c-h-mackintosh
A total-suficiencia-de-cristo-c-h-mackintoshA total-suficiencia-de-cristo-c-h-mackintosh
A total-suficiencia-de-cristo-c-h-mackintoshDavidson Da Costa Ramos
 
Saltando muralhas - Salmos - livro ii - interpretação
Saltando muralhas - Salmos - livro ii - interpretaçãoSaltando muralhas - Salmos - livro ii - interpretação
Saltando muralhas - Salmos - livro ii - interpretaçãoSilvio Dutra
 
48. o amor à comodidade
48. o amor à comodidade48. o amor à comodidade
48. o amor à comodidadepohlos
 
Breve forma de uma confissão de fé - João Calvino
Breve forma de uma confissão de fé - João CalvinoBreve forma de uma confissão de fé - João Calvino
Breve forma de uma confissão de fé - João CalvinoIgreja Vitória
 
notas sobre o pentateuco levítico - c. h. mackintosh
notas sobre o pentateuco   levítico - c. h. mackintoshnotas sobre o pentateuco   levítico - c. h. mackintosh
notas sobre o pentateuco levítico - c. h. mackintoshdjalmabose
 
Evangélico clarence e macartey - grandes sermões do mundo cpad
Evangélico   clarence e macartey - grandes sermões do mundo cpadEvangélico   clarence e macartey - grandes sermões do mundo cpad
Evangélico clarence e macartey - grandes sermões do mundo cpadmanoel ramos de oliveira
 
33. amai vos uns aos outros
33. amai vos uns aos outros33. amai vos uns aos outros
33. amai vos uns aos outrospohlos
 
É Necessária uma Devida Consideração De Deus
É Necessária uma Devida Consideração De DeusÉ Necessária uma Devida Consideração De Deus
É Necessária uma Devida Consideração De DeusSilvio Dutra
 
❉ Respostas_712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito_GGR
❉ Respostas_712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito_GGR❉ Respostas_712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito_GGR
❉ Respostas_712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito_GGRGerson G. Ramos
 
Estudo adicional_Cristo e a lei no Sermão da Montanha_422014
Estudo adicional_Cristo e a lei no Sermão da Montanha_422014Estudo adicional_Cristo e a lei no Sermão da Montanha_422014
Estudo adicional_Cristo e a lei no Sermão da Montanha_422014Gerson G. Ramos
 

Mais procurados (20)

Mensagens em cores apocalípticas
Mensagens em cores   apocalípticasMensagens em cores   apocalípticas
Mensagens em cores apocalípticas
 
Deus requer santificação aos cristãos 35
Deus requer santificação aos cristãos 35Deus requer santificação aos cristãos 35
Deus requer santificação aos cristãos 35
 
A eleição não desanima as almas buscadoras (charles h. spurgeon)
A eleição não desanima as almas buscadoras (charles h. spurgeon)A eleição não desanima as almas buscadoras (charles h. spurgeon)
A eleição não desanima as almas buscadoras (charles h. spurgeon)
 
As Chaves do Paraiso
As Chaves do ParaisoAs Chaves do Paraiso
As Chaves do Paraiso
 
Bem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficosBem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficos
 
Estudos sobre o livro de êxodo - C. H. mackintosh
Estudos sobre o livro de êxodo - C. H. mackintoshEstudos sobre o livro de êxodo - C. H. mackintosh
Estudos sobre o livro de êxodo - C. H. mackintosh
 
Estudo adicional_Salvação_432014
Estudo adicional_Salvação_432014Estudo adicional_Salvação_432014
Estudo adicional_Salvação_432014
 
Ensino1 as bem_aventurancas
Ensino1 as bem_aventurancasEnsino1 as bem_aventurancas
Ensino1 as bem_aventurancas
 
Para o p Pobre Cristão Duvidoso - Thomas Hooker
Para o p Pobre Cristão Duvidoso - Thomas HookerPara o p Pobre Cristão Duvidoso - Thomas Hooker
Para o p Pobre Cristão Duvidoso - Thomas Hooker
 
A total-suficiencia-de-cristo-c-h-mackintosh
A total-suficiencia-de-cristo-c-h-mackintoshA total-suficiencia-de-cristo-c-h-mackintosh
A total-suficiencia-de-cristo-c-h-mackintosh
 
Le 814 ese_cap11_item10
Le 814 ese_cap11_item10Le 814 ese_cap11_item10
Le 814 ese_cap11_item10
 
Saltando muralhas - Salmos - livro ii - interpretação
Saltando muralhas - Salmos - livro ii - interpretaçãoSaltando muralhas - Salmos - livro ii - interpretação
Saltando muralhas - Salmos - livro ii - interpretação
 
48. o amor à comodidade
48. o amor à comodidade48. o amor à comodidade
48. o amor à comodidade
 
Breve forma de uma confissão de fé - João Calvino
Breve forma de uma confissão de fé - João CalvinoBreve forma de uma confissão de fé - João Calvino
Breve forma de uma confissão de fé - João Calvino
 
notas sobre o pentateuco levítico - c. h. mackintosh
notas sobre o pentateuco   levítico - c. h. mackintoshnotas sobre o pentateuco   levítico - c. h. mackintosh
notas sobre o pentateuco levítico - c. h. mackintosh
 
Evangélico clarence e macartey - grandes sermões do mundo cpad
Evangélico   clarence e macartey - grandes sermões do mundo cpadEvangélico   clarence e macartey - grandes sermões do mundo cpad
Evangélico clarence e macartey - grandes sermões do mundo cpad
 
33. amai vos uns aos outros
33. amai vos uns aos outros33. amai vos uns aos outros
33. amai vos uns aos outros
 
É Necessária uma Devida Consideração De Deus
É Necessária uma Devida Consideração De DeusÉ Necessária uma Devida Consideração De Deus
É Necessária uma Devida Consideração De Deus
 
❉ Respostas_712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito_GGR
❉ Respostas_712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito_GGR❉ Respostas_712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito_GGR
❉ Respostas_712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito_GGR
 
Estudo adicional_Cristo e a lei no Sermão da Montanha_422014
Estudo adicional_Cristo e a lei no Sermão da Montanha_422014Estudo adicional_Cristo e a lei no Sermão da Montanha_422014
Estudo adicional_Cristo e a lei no Sermão da Montanha_422014
 

Destaque

As Revelacoes do Santuario - estudo 11.ppt
As Revelacoes do Santuario - estudo 11.pptAs Revelacoes do Santuario - estudo 11.ppt
As Revelacoes do Santuario - estudo 11.pptHerbert de Carvalho
 
As Revelacoes do Santuario - estudo 14.ppt
As Revelacoes do Santuario - estudo 14.pptAs Revelacoes do Santuario - estudo 14.ppt
As Revelacoes do Santuario - estudo 14.pptHerbert de Carvalho
 
O santuário parte 1 - Autor. Ribamar Cantanhede
O santuário parte 1 - Autor. Ribamar CantanhedeO santuário parte 1 - Autor. Ribamar Cantanhede
O santuário parte 1 - Autor. Ribamar CantanhedeRibamar Cantanhede
 
As Revelacoes do Santuario - estudo 23.ppt
As Revelacoes do Santuario - estudo 23.pptAs Revelacoes do Santuario - estudo 23.ppt
As Revelacoes do Santuario - estudo 23.pptHerbert de Carvalho
 
Estudo23 santuario terrestre
Estudo23 santuario terrestreEstudo23 santuario terrestre
Estudo23 santuario terrestreHezir Henrique
 
6000anosdepecado 130617170102-phpapp02 (1)
6000anosdepecado 130617170102-phpapp02 (1)6000anosdepecado 130617170102-phpapp02 (1)
6000anosdepecado 130617170102-phpapp02 (1)O ÚLTIMO CHAMADO
 
Apresentação seminário o_tabernaculo-final
Apresentação seminário o_tabernaculo-finalApresentação seminário o_tabernaculo-final
Apresentação seminário o_tabernaculo-finalApostolo Jose
 
O Tabernáculo do Senhor
O Tabernáculo do SenhorO Tabernáculo do Senhor
O Tabernáculo do SenhorHelio Colombe
 
TREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMOTREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMOigrejafecrista
 

Destaque (13)

As Revelacoes do Santuario - estudo 11.ppt
As Revelacoes do Santuario - estudo 11.pptAs Revelacoes do Santuario - estudo 11.ppt
As Revelacoes do Santuario - estudo 11.ppt
 
As Revelacoes do Santuario - estudo 14.ppt
As Revelacoes do Santuario - estudo 14.pptAs Revelacoes do Santuario - estudo 14.ppt
As Revelacoes do Santuario - estudo 14.ppt
 
O santuário parte 1 - Autor. Ribamar Cantanhede
O santuário parte 1 - Autor. Ribamar CantanhedeO santuário parte 1 - Autor. Ribamar Cantanhede
O santuário parte 1 - Autor. Ribamar Cantanhede
 
As Revelacoes do Santuario - estudo 23.ppt
As Revelacoes do Santuario - estudo 23.pptAs Revelacoes do Santuario - estudo 23.ppt
As Revelacoes do Santuario - estudo 23.ppt
 
Santuário Terrestre.pps
Santuário Terrestre.ppsSantuário Terrestre.pps
Santuário Terrestre.pps
 
Estudo23 santuario terrestre
Estudo23 santuario terrestreEstudo23 santuario terrestre
Estudo23 santuario terrestre
 
6000anosdepecado 130617170102-phpapp02 (1)
6000anosdepecado 130617170102-phpapp02 (1)6000anosdepecado 130617170102-phpapp02 (1)
6000anosdepecado 130617170102-phpapp02 (1)
 
O Evangelismo e a igreja.ppt
O Evangelismo e a igreja.pptO Evangelismo e a igreja.ppt
O Evangelismo e a igreja.ppt
 
O santuário terrestre e os símbolos
O santuário terrestre e os símbolosO santuário terrestre e os símbolos
O santuário terrestre e os símbolos
 
Tabernáculo
TabernáculoTabernáculo
Tabernáculo
 
Apresentação seminário o_tabernaculo-final
Apresentação seminário o_tabernaculo-finalApresentação seminário o_tabernaculo-final
Apresentação seminário o_tabernaculo-final
 
O Tabernáculo do Senhor
O Tabernáculo do SenhorO Tabernáculo do Senhor
O Tabernáculo do Senhor
 
TREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMOTREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMO
 

Semelhante a O julgamento dos asd

Qual a condição da iasd nos últimos dias
Qual a condição da iasd nos últimos diasQual a condição da iasd nos últimos dias
Qual a condição da iasd nos últimos diasJosé Silva
 
Estudo Sobre Jó e seus Amigos - C. H. Mackintosh
Estudo Sobre Jó e seus Amigos -  C. H. MackintoshEstudo Sobre Jó e seus Amigos -  C. H. Mackintosh
Estudo Sobre Jó e seus Amigos - C. H. MackintoshTsushya marco
 
Jó e seus amigos
Jó e seus amigosJó e seus amigos
Jó e seus amigosMauro RS
 
A inclinação da carne é inimiga de deus (charles haddon spurgeon)
A inclinação da carne é inimiga de deus (charles haddon spurgeon)A inclinação da carne é inimiga de deus (charles haddon spurgeon)
A inclinação da carne é inimiga de deus (charles haddon spurgeon)Deusdete Soares
 
C. h. spurgeon a bíblia
C. h. spurgeon   a bíbliaC. h. spurgeon   a bíblia
C. h. spurgeon a bíbliaDenhí Henrique
 
A bíblia (charles haddon spurgeon)
A bíblia (charles haddon spurgeon)A bíblia (charles haddon spurgeon)
A bíblia (charles haddon spurgeon)Deusdete Soares
 
Os tesouros divinos em vasos de barro
Os tesouros divinos em vasos de barroOs tesouros divinos em vasos de barro
Os tesouros divinos em vasos de barroClelia Oliveira
 
A livre graça charles haddon spurgeon
A livre graça   charles haddon spurgeonA livre graça   charles haddon spurgeon
A livre graça charles haddon spurgeonDeusdete Soares
 
Santo agostinho e a conversão
Santo agostinho e a conversãoSanto agostinho e a conversão
Santo agostinho e a conversãoDalila Melo
 
Isaias 1 - John Dodd - o venerável puritano
Isaias 1 -  John Dodd - o venerável puritanoIsaias 1 -  John Dodd - o venerável puritano
Isaias 1 - John Dodd - o venerável puritanoSilvio Dutra
 
A soberana graça de deus e a responsabilidade do homem (charles haddon spurgeon)
A soberana graça de deus e a responsabilidade do homem (charles haddon spurgeon)A soberana graça de deus e a responsabilidade do homem (charles haddon spurgeon)
A soberana graça de deus e a responsabilidade do homem (charles haddon spurgeon)Deusdete Soares
 
36. o reino da graça
36. o reino da graça36. o reino da graça
36. o reino da graçapohlos
 
Qual seria a condição da IASD nos ultimos dias segundo Ellen White
Qual seria a condição da IASD nos ultimos dias segundo Ellen WhiteQual seria a condição da IASD nos ultimos dias segundo Ellen White
Qual seria a condição da IASD nos ultimos dias segundo Ellen WhiteASD Remanescentes
 
20. a condição da igreja ii
20. a condição da igreja ii20. a condição da igreja ii
20. a condição da igreja iipohlos
 
Estudo adicional o aperfeiçoamento da fé 242014
Estudo adicional o aperfeiçoamento da fé 242014Estudo adicional o aperfeiçoamento da fé 242014
Estudo adicional o aperfeiçoamento da fé 242014Gerson G. Ramos
 
O trabalho de conversão - John Owen
O trabalho de conversão - John OwenO trabalho de conversão - John Owen
O trabalho de conversão - John OwenSilvio Dutra
 
Viver pela Fe nas Dificuldades John Owen
Viver pela Fe nas Dificuldades John OwenViver pela Fe nas Dificuldades John Owen
Viver pela Fe nas Dificuldades John OwenSilvio Dutra
 
Respostas_Discipulando líderes espirituais_1112014
Respostas_Discipulando líderes espirituais_1112014Respostas_Discipulando líderes espirituais_1112014
Respostas_Discipulando líderes espirituais_1112014Gerson G. Ramos
 
Pecado imensurável por charles haddon spurgeon
Pecado imensurável   por charles haddon spurgeonPecado imensurável   por charles haddon spurgeon
Pecado imensurável por charles haddon spurgeondeusdetdfsoares
 

Semelhante a O julgamento dos asd (20)

Qual a condição da iasd nos últimos dias
Qual a condição da iasd nos últimos diasQual a condição da iasd nos últimos dias
Qual a condição da iasd nos últimos dias
 
Estudo Sobre Jó e seus Amigos - C. H. Mackintosh
Estudo Sobre Jó e seus Amigos -  C. H. MackintoshEstudo Sobre Jó e seus Amigos -  C. H. Mackintosh
Estudo Sobre Jó e seus Amigos - C. H. Mackintosh
 
Jó e seus amigos
Jó e seus amigosJó e seus amigos
Jó e seus amigos
 
A inclinação da carne é inimiga de deus (charles haddon spurgeon)
A inclinação da carne é inimiga de deus (charles haddon spurgeon)A inclinação da carne é inimiga de deus (charles haddon spurgeon)
A inclinação da carne é inimiga de deus (charles haddon spurgeon)
 
C. h. spurgeon a bíblia
C. h. spurgeon   a bíbliaC. h. spurgeon   a bíblia
C. h. spurgeon a bíblia
 
A bíblia (charles haddon spurgeon)
A bíblia (charles haddon spurgeon)A bíblia (charles haddon spurgeon)
A bíblia (charles haddon spurgeon)
 
Os tesouros divinos em vasos de barro
Os tesouros divinos em vasos de barroOs tesouros divinos em vasos de barro
Os tesouros divinos em vasos de barro
 
A livre graça charles haddon spurgeon
A livre graça   charles haddon spurgeonA livre graça   charles haddon spurgeon
A livre graça charles haddon spurgeon
 
Santo agostinho e a conversão
Santo agostinho e a conversãoSanto agostinho e a conversão
Santo agostinho e a conversão
 
Isaias 1 - John Dodd - o venerável puritano
Isaias 1 -  John Dodd - o venerável puritanoIsaias 1 -  John Dodd - o venerável puritano
Isaias 1 - John Dodd - o venerável puritano
 
A soberana graça de deus e a responsabilidade do homem (charles haddon spurgeon)
A soberana graça de deus e a responsabilidade do homem (charles haddon spurgeon)A soberana graça de deus e a responsabilidade do homem (charles haddon spurgeon)
A soberana graça de deus e a responsabilidade do homem (charles haddon spurgeon)
 
36. o reino da graça
36. o reino da graça36. o reino da graça
36. o reino da graça
 
Qual seria a condição da IASD nos ultimos dias segundo Ellen White
Qual seria a condição da IASD nos ultimos dias segundo Ellen WhiteQual seria a condição da IASD nos ultimos dias segundo Ellen White
Qual seria a condição da IASD nos ultimos dias segundo Ellen White
 
Amargura pr. jorge
Amargura  pr. jorgeAmargura  pr. jorge
Amargura pr. jorge
 
20. a condição da igreja ii
20. a condição da igreja ii20. a condição da igreja ii
20. a condição da igreja ii
 
Estudo adicional o aperfeiçoamento da fé 242014
Estudo adicional o aperfeiçoamento da fé 242014Estudo adicional o aperfeiçoamento da fé 242014
Estudo adicional o aperfeiçoamento da fé 242014
 
O trabalho de conversão - John Owen
O trabalho de conversão - John OwenO trabalho de conversão - John Owen
O trabalho de conversão - John Owen
 
Viver pela Fe nas Dificuldades John Owen
Viver pela Fe nas Dificuldades John OwenViver pela Fe nas Dificuldades John Owen
Viver pela Fe nas Dificuldades John Owen
 
Respostas_Discipulando líderes espirituais_1112014
Respostas_Discipulando líderes espirituais_1112014Respostas_Discipulando líderes espirituais_1112014
Respostas_Discipulando líderes espirituais_1112014
 
Pecado imensurável por charles haddon spurgeon
Pecado imensurável   por charles haddon spurgeonPecado imensurável   por charles haddon spurgeon
Pecado imensurável por charles haddon spurgeon
 

Mais de Bruno Da Montanha

Relatório de missões 2 de agosto a 20 setembro 2018 missao na kombi
Relatório de missões 2 de agosto a 20 setembro 2018 missao na kombiRelatório de missões 2 de agosto a 20 setembro 2018 missao na kombi
Relatório de missões 2 de agosto a 20 setembro 2018 missao na kombiBruno Da Montanha
 
A criacao-de-abelhas-nativas-cartilha
A criacao-de-abelhas-nativas-cartilhaA criacao-de-abelhas-nativas-cartilha
A criacao-de-abelhas-nativas-cartilhaBruno Da Montanha
 
Curas e milagres, será que existem mesmo
Curas e milagres, será que existem mesmoCuras e milagres, será que existem mesmo
Curas e milagres, será que existem mesmoBruno Da Montanha
 
Relatório de missões brasil nordeste ibiapina ce nov 2017
Relatório de missões brasil  nordeste ibiapina ce nov 2017Relatório de missões brasil  nordeste ibiapina ce nov 2017
Relatório de missões brasil nordeste ibiapina ce nov 2017Bruno Da Montanha
 
Relatório de missões brasil nordeste são miguel rn nov 2017
Relatório de missões brasil  nordeste são miguel rn nov 2017Relatório de missões brasil  nordeste são miguel rn nov 2017
Relatório de missões brasil nordeste são miguel rn nov 2017Bruno Da Montanha
 
Relatório de missões estado do Mato grosso Brasil
Relatório de missões   estado do Mato grosso BrasilRelatório de missões   estado do Mato grosso Brasil
Relatório de missões estado do Mato grosso BrasilBruno Da Montanha
 
A questão oriental, profecias daniel e apocalipse
A questão oriental, profecias daniel e apocalipseA questão oriental, profecias daniel e apocalipse
A questão oriental, profecias daniel e apocalipseBruno Da Montanha
 
Missão no estado do espirito santo brasil julho-agosto
Missão no estado do espirito santo  brasil  julho-agostoMissão no estado do espirito santo  brasil  julho-agosto
Missão no estado do espirito santo brasil julho-agostoBruno Da Montanha
 
Como ficar blindado contra as doenças!
Como ficar blindado contra as doenças!Como ficar blindado contra as doenças!
Como ficar blindado contra as doenças!Bruno Da Montanha
 
Porque estamos no tempo do fim ?
Porque estamos no tempo do fim ?Porque estamos no tempo do fim ?
Porque estamos no tempo do fim ?Bruno Da Montanha
 
Terceiro encontro de Lorena -SP 14 a 18 junho 2017
Terceiro encontro de Lorena -SP 14 a 18 junho 2017Terceiro encontro de Lorena -SP 14 a 18 junho 2017
Terceiro encontro de Lorena -SP 14 a 18 junho 2017Bruno Da Montanha
 
Relatorio missao nordeste março 2017
Relatorio missao nordeste março 2017Relatorio missao nordeste março 2017
Relatorio missao nordeste março 2017Bruno Da Montanha
 

Mais de Bruno Da Montanha (20)

O noivo vem!
O noivo vem!O noivo vem!
O noivo vem!
 
A verdadeira riqueza
A verdadeira riquezaA verdadeira riqueza
A verdadeira riqueza
 
Relatório de missões 2 de agosto a 20 setembro 2018 missao na kombi
Relatório de missões 2 de agosto a 20 setembro 2018 missao na kombiRelatório de missões 2 de agosto a 20 setembro 2018 missao na kombi
Relatório de missões 2 de agosto a 20 setembro 2018 missao na kombi
 
A fronteira final
A fronteira finalA fronteira final
A fronteira final
 
Hierarquia celestial
Hierarquia celestialHierarquia celestial
Hierarquia celestial
 
A criacao-de-abelhas-nativas-cartilha
A criacao-de-abelhas-nativas-cartilhaA criacao-de-abelhas-nativas-cartilha
A criacao-de-abelhas-nativas-cartilha
 
Curas e milagres, será que existem mesmo
Curas e milagres, será que existem mesmoCuras e milagres, será que existem mesmo
Curas e milagres, será que existem mesmo
 
Relatório de missões brasil nordeste ibiapina ce nov 2017
Relatório de missões brasil  nordeste ibiapina ce nov 2017Relatório de missões brasil  nordeste ibiapina ce nov 2017
Relatório de missões brasil nordeste ibiapina ce nov 2017
 
Nova ordem mundial
Nova ordem mundialNova ordem mundial
Nova ordem mundial
 
Relatório de missões brasil nordeste são miguel rn nov 2017
Relatório de missões brasil  nordeste são miguel rn nov 2017Relatório de missões brasil  nordeste são miguel rn nov 2017
Relatório de missões brasil nordeste são miguel rn nov 2017
 
Relatório de missões estado do Mato grosso Brasil
Relatório de missões   estado do Mato grosso BrasilRelatório de missões   estado do Mato grosso Brasil
Relatório de missões estado do Mato grosso Brasil
 
A questão oriental, profecias daniel e apocalipse
A questão oriental, profecias daniel e apocalipseA questão oriental, profecias daniel e apocalipse
A questão oriental, profecias daniel e apocalipse
 
Missão no estado do espirito santo brasil julho-agosto
Missão no estado do espirito santo  brasil  julho-agostoMissão no estado do espirito santo  brasil  julho-agosto
Missão no estado do espirito santo brasil julho-agosto
 
Como ficar blindado contra as doenças!
Como ficar blindado contra as doenças!Como ficar blindado contra as doenças!
Como ficar blindado contra as doenças!
 
Porque estamos no tempo do fim ?
Porque estamos no tempo do fim ?Porque estamos no tempo do fim ?
Porque estamos no tempo do fim ?
 
Você é feito da terra
Você é feito da terraVocê é feito da terra
Você é feito da terra
 
O caminho da vitória
O caminho da vitória O caminho da vitória
O caminho da vitória
 
Terceiro encontro de Lorena -SP 14 a 18 junho 2017
Terceiro encontro de Lorena -SP 14 a 18 junho 2017Terceiro encontro de Lorena -SP 14 a 18 junho 2017
Terceiro encontro de Lorena -SP 14 a 18 junho 2017
 
Relatorio missao nordeste março 2017
Relatorio missao nordeste março 2017Relatorio missao nordeste março 2017
Relatorio missao nordeste março 2017
 
O ungido perseguido
O ungido perseguidoO ungido perseguido
O ungido perseguido
 

Último

Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...silvana30986
 
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EGÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EMicheleRosa39
 
10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José Operário10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José OperárioNilson Almeida
 
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptxGestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptxSebastioFerreira34
 
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaWillemarSousa1
 
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxLição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxCelso Napoleon
 
Material sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significadoMaterial sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significadofreivalentimpesente
 
O Livro de Yashar e Jaser - Impressao.pdf
O Livro de Yashar e Jaser - Impressao.pdfO Livro de Yashar e Jaser - Impressao.pdf
O Livro de Yashar e Jaser - Impressao.pdfSUELLENBALTARDELEU
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoRicardo Azevedo
 

Último (10)

Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
 
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EGÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
 
10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José Operário10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José Operário
 
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptxGestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
 
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
 
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.pptFluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
 
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxLição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
 
Material sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significadoMaterial sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significado
 
O Livro de Yashar e Jaser - Impressao.pdf
O Livro de Yashar e Jaser - Impressao.pdfO Livro de Yashar e Jaser - Impressao.pdf
O Livro de Yashar e Jaser - Impressao.pdf
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
 

O julgamento dos asd

  • 1. O Juízo IInnvveessttiiggaattiivvoo ddooss AAddvveennttiissttaass ddoo 77º ddiiaa qquuee ssee ppeerrddeerrããoo TTeesstteemmuunnhhooss ppaarraa aa IIggrreejjaa,, VVooll.. 44 PPáágg.. 338844--338866
  • 2. “Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito em seu corpo, seja bem, ou mal.” (II Coríntios 5:10)
  • 3. “De maneira que cada um dará conta de si mesmo a Deus.” Romanos 14:12
  • 4. Na manhã de 23 de outubro de 1879, por volta das 2 horas da madrugada, o Espírito do Senhor repousou sobre mim, e eu contemplei cenas do juízo vindouro. Faltam-me palavras com as quais descrever adequadamente as coisas que passaram diante de mim e do efeito que tiveram em minha mente.
  • 5. O grande dia da execução do juízo de Deus parecia ter chegado. Dez mil vezes dez milhares estavam reunidos diante de um grande trono, sobre o qual estava assentada uma pessoa de aparência majestosa.
  • 6. Vários livros estavam diante dEle, e sobre as capas de cada um estava escrito em letras de ouro, que pareciam como chamas flamejantes: ““LLiivvrroo--rraazzããoo ddoo CCééuu””..
  • 7. Um destes livros, contendo os nomes daqueles que dizem acreditar na verdade, foi, então, aberto. Imediatamente perdi de vista os incontáveis milhões ao redor do trono, e somente aqueles que eram professos filhos da luz e da verdade prendeu minha atenção.
  • 8. Ao serem aquelas pessoas nomeadas, um por um, e suas boas ações mencionadas, seus semblantes se iluminavam com santa alegria que era refletida em todas as direções. Mas isto não pareceu ter calado em minha mente com a maior força.
  • 9. Outro livro foi aberto, onde estavam registrados os pecados dos que professam a verdade. Sob o cabeçalho geral de egoísmo vinham outros pecados. Também havia cabeçalhos em cada coluna, e abaixo destes, diante de cada nome, foram registrados, em suas respectivas colunas, os pecados menores.
  • 10. Sob cobiça vinha falsidade, furto, roubo, fraude, e avareza; sob ambição vinha orgulho e extravagância; COBIÇ A AMBIÇÃO CIÚME INTEMPERANÇ A Falsidade Orgulho Malícia Lascívia Furto Extravagância Inveja Adultério Roubo Ódio Indulgência Fraude Paixões Animais Avareza Ciúme estava acima de malícia, inveja, e ódio; e intemperança encabeçava uma longa lista de terríveis crimes, tais como lascívia, adultério, indulgência a paixões animais, etc.
  • 11. Quando contemplei, fui tomada de inexprimível angústia e exclamei: “Quem poderá se salvar? Quem permanecerá justificado diante de Deus? Quem possui vestiduras sem manchas? Quem é irrepreensível à vista de um Deus puro e santo?”.
  • 12. Quando O Santo sobre o trono lentamente virava as páginas do Livro-razão, e Seus olhos repousavam por um momento sobre os indivíduos, Seu olhar parecia queimar dentro de suas próprias almas, e no mesmo instante cada palavra e ação de suas vidas passava diante de suas mentes tão claramente como se traçadas diante de suas vistas em letras de fogo. O temor se apoderou deles, e suas faces tornaram-se pálidas.
  • 13. A aparência anterior deles, quando ao redor do trono, era de descuidada indiferença. Porém, quão mudada estava agora! O sentimento de segurança se foi, e em seu lugar está um terror indescritível. Em cada alma está um temor de que não sejam achados entre os que se encontram em falta.
  • 14. Todos os olhos estão fixos sobre a face dAquele sobre o trono; e, quando Seu olhar perscrutador percorre aquela companhia, ocorre um estremecimento de coração; pois eles estão auto-condenados sem nenhuma palavra ser proferida. Em angústia de alma cada um declara sua própria culpa, e com terrível vividez vêem que por haverem pecado têm lançado fora a preciosa bênção da vida eterna.
  • 15. Uma classe tem sido registrada como estorvo no solo. Quando o penetrante olhar do Juiz repousou sobre eles, seus pecados de negligência foram distintamente revelados. Com pálidos e trementes lábios reconhecem que têm sido traidores de seu santo legado. Eles tiveram advertências e privilégios, porém, nem deram ouvidos nem os aproveitaram. Agora puderam ver que presumiram muito da misericórdia de Deus.
  • 16. De fato, eles não tinham tais confissões a fazer como tinham os vis e degradados corruptos; mas, à semelhança da figueira, foram amaldiçoados porque não deram frutos, porque não desenvolveram os talentos confiados a eles.
  • 17. Esta classe fez o ego supremo, trabalhando somente por interesses egoístas. Eles não estavam ricos para Deus, não tendo respondido às Suas reivindicações para eles. Embora professando ser servos de Cristo, não trouxeram nenhuma alma para Ele. Tivesse a causa de Deus sido dependente de seus esforços, teria definhado; pois eles não somente retiveram os meios emprestados a eles por Deus, mas retiveram-se a si mesmos.
  • 18. Porém, esses agora puderam ver e sentir que em ocuparem uma posição de irresponsabilidade com referência à obra e causa de Deus, colocaram-se a si mesmos do lado esquerdo. Eles tinham tido oportunidades, mas não fizeram a obra que poderiam e deveriam ter feito.
  • 19. Os nomes de todos os que professam a verdade foram mencionados. Alguns foram reprovados por sua descrença, outros por terem sido servos preguiçosos. Eles tinham permitido que outros fizessem o trabalho na vinha do Mestre, e levassem a responsabilidade mais pesada, enquanto eles egoisticamente serviam a seus próprios interesses temporais. Tivessem cultivado as habilidades que Deus lhes tinha dado, poderiam ter sido encarregados confiáveis, trabalhando para os interesses do Mestre.
  • 20. Disse o Juiz: “TODOS SERÃO JUSTIFICADOS PELA SUA FÉ E JULGADOS PELAS SUAS OBRAS.” Quão vívida agora apareceu sua negligência, e quão sábio o arranjo de Deus em dar a cada homem uma obra a fazer para promover a causa e salvar seus companheiros. Cada um devia demonstrar uma fé viva em sua família e em sua vizinhança, ao mostrar gentileza para com o pobre, simpatizando-se com o aflito, engajando-se em trabalho missionário, e auxiliando a causa de Deus com seus meios.
  • 21. Porém, como Meroz, a maldição de Deus repousou sobre eles pelo que eles não fizeram. Eles tinham amado aquela obra que traria o maior lucro nesta vida; e à frente de seus nomes no Livro-razão devotado às boas obras havia um pesaroso vazio.
  • 22. As palavras ditas a estes foram as mais solenes: “Fostes pesados nas balanças, e achados em falta. Negligenciastes responsabilidades espirituais por causa da intensa atividade em questões temporais, enquanto vossa própria posição de confiança tornava necessário que tivésseis mais que sabedoria humana e mais que um julgamento finito. Isto vós necessitáveis a fim de desempenhar até a parte mecânica de vossa obra; e quando desconectastes Deus e Sua glória de vossos negócios, afastastes de Suas bênçãos.”
  • 23. Foi, então, perguntada a questão: “Por que não lavastes vossas vestes do caráter e as tornaram brancas no sangue do Cordeiro? Deus enviou Seu Filho ao mundo, não para condenar o mundo, mas para que por meio dEle pudesse ser salvo. Meu amor por vocês tem sido mais abnegado do que o amor de mãe. Era para que Eu pudesse apagar vosso negro registro de iniqüidades, e colocar a taça da salvação em vossos lábios, que Eu sofri a morte da cruz, levando o peso da maldição de vossa culpa.
  • 24. As pontadas da morte, e os horrores da escuridão da tumba, Eu suportei, para que pudesse conquistar aquele que tinha o poder da morte, destrancar a prisão, e abrir para vós os portais da vida. Eu Me submeti à vergonha e agonia porque Eu vos amei com amor infinito, e queria trazer de volta minha teimosa e desgarrada ovelha para o paraíso de Deus, para a árvore da vida. Aquela vida de felicidade que Eu comprei para vós a tal custo, tendes desprezado.
  • 25. Vergonha, reprovação, e ignomínia, tais como vosso Mestre por vós suportou, delas vos esquivastes. Os privilégios que Ele, por meio de Sua morte, trouxe ao vosso alcance não têm sido apreciados. Não quisestes ser participantes de Seus sofrimentos, e não podeis agora ser participantes com Ele de Sua glória.” (Ver Filipenses 1:29).
  • 26. Então foram pronunciadas estas solenes palavras: “Quem é injusto, faça injustiça ainda; e quem está sujo, suje-se ainda; e quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, seja santificado ainda.” (Apoc. 22:11). Fechou-se, então, o livro, e da pessoa sobre o trono caiu o manto, revelando a terrível glória do Filho de Deus.
  • 27. A cena então se passou, e me encontrei ainda sobre a terra, com inexprimível gratidão de que o dia de Deus ainda não tivesse chegado, e que o precioso período de provação ainda nos é concedido, no qual devemos nos preparar para a eternidade. TesTemunhos ppaarraa aa IIggrreejjaa vvooll.. 44,, pp.. 338844--338866 FIM