EXPERIÊNCIA DO PORTO DE LEIXÕES NA FORMAÇÃO PORTUÁRIA

1.068 visualizações

Publicada em

A segunda sessão plenária do IV Encontro de Portos da CPLP, que decorreu na cidade cabo-verdiana do Mindelo, a 17 e 18 de Novembro de 2011, teve como tema central “A IMPORTÂNCIA DA COOPERAÇÃO E FORMAÇÃO NO ESPAÇO CPLP”.
Nesta sessão, o Eng. Matos Fernandes, Presidente do Conselho de Administração dos Portos do Douro e Leixões (APDL), apresentou aos participantes a primeira parte da comunicação “EXPERIÊNCIA DO PORTO DE LEIXÕES NA FORMAÇÃO PORTUÁRIA”. A segunda parte desta comunicação foi apresentada pelo Dr. Lima Torres.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.068
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

EXPERIÊNCIA DO PORTO DE LEIXÕES NA FORMAÇÃO PORTUÁRIA

  1. 1. TÓPICOS DE INTERVENÇÃO1. Leixões2. As origens3. O que se fez4. A nossa actual oferta5. O que nos distingue em relação a outras ofertas de mercado6. O porto de Leixões e a APLOP
  2. 2. Leixões: um pólo de negócios
  3. 3. Leixões: um espaço comvalor cénico e ambiental
  4. 4. Leixões: um exemplo de inovação em SI / TI
  5. 5. Leixões: um domínio partilhado
  6. 6. Leixões: um território de saberes Porque acreditamos que a partilha de conhecimentos faz parte da responsabilidade social de uma empresa; Porque o negócio portuário beneficia com a sua divulgação alargada junto dos sectores da sociedade e da economia Porque aprendemos sempre que nos confrontamos com realidades e problemas diferentes dos nossos
  7. 7. II – AS ORIGENSReferência – Ano 2000Concessões em Leixões(Contentores e Carga Geral)Algumas consequências …
  8. 8. II – AS ORIGENS1. Novas responsabilidades / atribuições para a Autoridade Portuária …Disponibilizar para o porto formaçãoqualificada à medida das áreas eagentes com actividade em Leixões
  9. 9. II – AS ORIGENS2. Libertação de instalações Construção de um Centro de Formação de raiz
  10. 10. II – AS ORIGENSAcrescia … Tradição, já então muito positiva, de Leixões na formação profissional Know how específico e de largos anos de actividade envolvendo quadros e chefias da APDL
  11. 11. II – AS ORIGENSJunho 2002… Inauguração do Centro de Formação do Porto de Leixões
  12. 12. II – AS ORIGENSAlguns objectivos então fixados:• Mais e melhor formação• Assegurar as necessidades formativas da APDL• Formação para o porto e outras entidades• Arranque de projectos na área da Cooperação com outros portos• Privilegiar a intervenção de quadros da APDL (conhecimento/motivação)
  13. 13. III – O QUE SE FEZ 1.293 Acções2003-2011 8.252 Participantes 47.889 Horas de Formação
  14. 14. O Caso Específico PALOP e Timor Leste 2003-2011 1.165 PARTICIPANTES 8.639 HORAS DE FORMAÇÃO 224 ACÇÕES
  15. 15. Palop e Timor Leste 2003 - 2011 Horas Pais nº participantes Acções formaçãoAngola 369 76 2.447Guiné - Bissau 136 49 2.132Moçambique 42 6 447Cabo Verde 554 59 2.153S. Tomé e Príncipe 48 27 1.156Timor Leste 16 7 306Total Global: 1.165 224 8.639
  16. 16. Outros Países Africanos 2003 / 2010 Pais nº participantes Acções Horas formaçãoBenin 5 2 91Camarões 4 2 91Guiné - Conakri 2 1 70Senegal 2 2 91Togo 8 2 91Tunísia 6 2 91Total 27 11 525
  17. 17. O CASO CABO VERDEFormação em Formandos Horas Acções Leixões 2003 - 2011 81 1.431 30Formação em Formandos Horas Acções Cabo Verde 2007 141 220 8 2008 299 474 19 2009 33 28 2 Total: 473 722 29
  18. 18. TOTAL DE FORMAÇÃO COM CABO VERDE 2.153 Horas de Formação59Acções 554 Participantes
  19. 19. O caso específico dos Cursos de GestãoPortuária 7 Cursos 159 Participantes 785 Horas de Formação
  20. 20. Em 2011 Pós Graduação em Gestão e Estratégia Portuária (Parceria com a ENIDH)• 5 Módulos 170 Horas de Formação• 20 Formadores• 3 Seminários• 2 Visitas técnicas
  21. 21. 35 Participantes:• 12 PALOP (6 Porto Luanda, 3 Enapor, 2 CFM e 1 Enaport)• 7 da APDL• 14 de Empresas Privadas e outras entidades• 2 inscritos individualmente
  22. 22. A partir de 2009Alargamento do âmbito de actividade
  23. 23. CertificaçõesPela DGERT – Direcção Geral do Emprego e dasRelações de Trabalho: Organização, promoção e execução de actividades formativas
  24. 24. Pelo IPTM – Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos: Curso de OPIP’s – Oficial de Protecção de Instalações Portuárias (Código ISPS)
  25. 25. Certificação (SGQ) do “Meio de Transporte Navio”– a Formação como processo de suporte (auditorias; indicadores...)Na avaliação (anónima) de cada curso, a percentagem derespostas de “Bom” e “Muito Bom”, não poderá ser inferiora 65%.
  26. 26. A NOSSA ACTUAL OFERTA1. Formação Profissional: • Em Leixões ou, localmente, no país de destino • Cursos avulso ou programas multidisciplinares • Conteúdos e calendarização por medida • integral ou em parceria2. Estágios e visitas técnicas3. Consultoria4. Prestação de serviços (12 contratos no último ano e meio)
  27. 27. ALGUMAS ÁREAS DE INTERVENÇÃO• Gestão e Estratégia Portuária (Pós-Graduação)• Concessões Portuárias (Diagnóstico, cadernos de encargos, concurso, contrato, follow-up)• Controlo de Gestão• Estatísticas e indicadores de performance portuária• Tarifários
  28. 28. • Operações Portuárias (organização e gestão, serviços ao navio e à carga, processos e lay-out)• Projectos e Empreitadas (Processo de concurso, apreciação de propostas,assessoria e fiscalização)• Logística• Segurança (ISPS)• Higiene e segurança no trabalho• ………………
  29. 29. V - O QUE NOS DISTINGUE EM RELAÇÃO A OUTRASOFERTAS NO MERCADO• Formadores não profissionalizados, preferencialmente recrutados entre os melhores quadros do sector• Colaboração de outras entidades em projectos formativos ou de prestação de serviços -Universidade do Porto, Universidade Portucalense, Escola Náutica, Escola de Gestão do Porto, UNCTAD,etc• Apoio da Comunidade Portuária de Leixões, designadamente dos Concessionários, em acções onde a sua experiência e conhecimento são relevantes
  30. 30. Colaboração de toda a empresa num projecto que não sendo exclusivo do Centro de Formação, envolve toda a APDL• Formação decorrente em ambiente portuário – Visitas técnicas, – Acompanhamento das operações – Relacionamento com os principais intervenientes da actividade portuária• Possibilidade de realização de Estágios• Excelentes condições de apoio e logística aos Formandos – Cantina – Utilização hoteleira em condições privilegiadas – Instalações sociais da APDL – Gabinete médico
  31. 31. • E ainda …• A actividade desenvolvida não tem natureza comercial - não temos nem nunca teremos qualquer lucro monetário• Privilegiamos a qualidade - limitamo-nos a tentar cobrir os custos (e nem sempre o conseguimos …)• Partilhamos de um desígnio nacional de cooperação com outros países• Contribuímos para o prestígio da Empresa e para a afirmação da marca Leixões
  32. 32. Sem esquecer que…• Temos hoje um relacionamento privilegiado de proximidade, de conhecimento e de amizade com pessoas, empresas e instituições das mais variadas nacionalidades• Muitos dos aqui presentes compreendem bem o alcance desta afirmação…
  33. 33. Numa palavra,A experiência do porto, o envolvimento da APDL,o conhecimento e disponibilidade dos principaisstakeholders colocandoLeixões ao serviço de um projecto global emulticultural de intercâmbio, cooperação etransmissão de conhecimento.
  34. 34. VI – O Porto de Leixões e a APLOP Leixões tem instalações Leixões tem experiência Leixões julga ter algum conhecimento...
  35. 35. Leixões coloca-se ao dispor da Associação de Portos de Língua Portuguesapara colaborar em qualquer iniciativa, projecto ouprograma no quadro do que acabamos de expôr
  36. 36. Obrigado pela vossa atenção

×