SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 45
Baixar para ler offline
MENSAGEM
CÓDIGO
CANAL DE COMUNICAÇÃO
EMISSOR RECEPTOR
Comunicar
é a capacidade de partilhar, pôr em comum, o que pensamos ou sentimos;
é transmitir uma determinada mensagem.
Elementos de comunicação:
- Estrutura( conteúdo e organização da comunicação )
- Emissor( o que emite a mensagem )
- Recetor( o que recebe a mensagem )
- Mensagem( a significação da comunicação ).
- Canal ou Suporte( o meio pelo qual se realiza a comunicação )
- Código( conjunto de signos estruturados de acordo com o tipo de linguagem
utilizado )
A comunicação entre as pessoas é feita de várias
formas: através da fala, dos gestos, de cartas, de
emails, conversas em computador, etc.
Em todos esses casos, uma pessoa emite uma
mensagem e a outra recebe.
Durante essa comunicação, vamos trocando de papel,
ora sendo emissores, ora recetores.
Os jornais, as revistas, o rádio e a televisão também
são formas de comunicar, sendo
chamados meios de comunicação.
Porém, com esses não temos jeito
de interagir, trocando os papéis,
como fazemos quando
conversamos com alguém.
Tipos de Comunicação
Comunicação Verbal
Quase toda a comunicação verbal é composta por palavras.
-Comunicação oral: são as ordens, pedidos, conversas, debates,
discussões.
-Comunicação escrita: são as cartas, telegramas, bilhetinhos, letreiros,
cartazes, livros, folhetos, jornais, revista.
Comunicação Não-Verbal
Através desta comunicação não-verbal ocorre a troca de sinais: olhar,
gesto, postura, mímica.
Comunicação pelo olhar: as pessoas costumam se entender pelo
olhar. Comunicação por gestos: pode ser voluntária, como um beijo ou
um cumprimento. Mas também pode ser involuntária, como por
exemplo, mãos que não param de rabiscar ou de mexer em algo. Isso é
sinal de tensão e, ou nervosismo.
Comunicação pela postura: o modo como nos sentamos, o corpo
inclinado para trás ou para frente, até mesmo a posição dos pés. Tudo
isso na maioria das vezes é o nosso subconsciente transmitindo uma
mensagem.
Comunicação por mímica: são os gestos das mãos, do corpo, da face,
as caretas.
Para que a comunicação exista é necessária a existência
de um emissor e um recetor.
Recetor
é o destinatário da
informação
ou quem a recebe.
Emissor
Uma fonte
que emite
uma ideia ou
informação
CANAL – Meio de comunicação utilizado
Mensagem – representa o conteúdo da
comunicação.
Código – É um conjunto de sinais e regras
organizados.
Tipos de comunicação
Verbal
- Oral
- Escrita
Não verbal
- Gestual
- Comportamental
- Corporal
- Musical
- Visual
Comunicação casual
Os Índices
Os índices são informações que recebemos em que não houve
qualquer intenção em comunicar.
Comunicação Intencional
Sinais
A Comunicação é intencional quando o significado da
mensagem daquilo que se quer comunicar não pode ter
vários significados.
Comunicação Intencional
Sinais
Comunicação Intencional
Símbolos
O cartaz
é sem dúvida, um dos
meios de comunicação
visual mais utilizados,
nos dias de hoje.
Para que serve um cartaz?
O cartaz
é um meio de
comunicação
muito poderoso na
nossa sociedade
que serve para
divulgar uma
mensagem
Vamos então aprender a fazer um
cartaz tendo em conta
as diversas caraterísticas
e finalidades dos cartazes
Um cartaz que se destine a ser afixado no
interior de um edifício deverá ser diferente do
cartaz dos grandes espaços abertos.
O cartaz que se destina a informar o grande
público, deve ser colocado num local de
passagem e conter uma mensagem forte e de
leitura imediata.
A leitura de um cartaz de rua faz-se com as
pessoas em andamento e, por isso, durante um
tempo muito curto.
Por isso, as suas dimensões são relativamente
grandes. O seu destino é a parede, permitindo
assim que seja visto por vários espectadores.
Existem porém várias
formas de cartazes.
Habitualmente, o cartaz é retangular, uma vez que
o formato do papel e cartolinas, que lhe servem
de suporte é também retangular.
O primeiro passo na
criação de um cartaz é
o da escolha do tema
ou assunto a tratar.
Atenção:
Cada cartaz deverá ter
um único tema.
Um cartaz com vários
temas torna-se confuso e
de difícil leitura.
Segue-se a escolha da mensagem ou título
a partir do registo de frases relacionadas com o tema.
A mensagem deverá
ser curta, sugestiva,
clara, compreendida
por todos e de fácil
memorização, um
verdadeiro “slogan”!
Deves começar por estabelecer uma ordem de
importância para as frases do texto, para que possas
dar a cada uma delas o destaque correspondente.
O tamanho das letras deve
portanto diminuir,
consoante se trate de título,
texto ou legendas.
A cor das letras do título
devem ser grossas, pintadas
a cheio e de preferência da
mesma cor.
Pensa na ordem de importância do texto e diz
qual das duas hipóteses é a solução que te
parece mais correta?
É necessário escolher letras simples e fáceis de
serem lidas.
O tipo de letra
Como vamos desenhar o texto?
Recortar letras, decalcadas de jornais ou revistas?
Desenhar letras imaginadas ou processar o texto no
computador?
Já pensaste nos espaços que existem
entre as letras e as palavras?
O espaçamento das letras
Vê se consegues ler a mensagem
seguinte, em que as letras e
palavras foram colocadas ao
acaso…
O sESp AÇoS ENt
RE a Sle Tra Sd
EVEMs ERcURt oSeS
Em ElH AnT eS,
EoES pAçOE NTrEP
Al AvRAsD EVe
Se Rm Ai oR.
Os espaços entre as
letras devem ser curtos
e semelhantes, e o
espaço entre palavras
deve ser maior.
Não achas que é mais simples a leitura
feita desta maneira?
As imagens devem ser
grandes, sugestivas,
ocupar mais espaço que o
texto e contrastar com a cor
base da cartolina.
Paralelamente à criação do texto, ou mesmo
antes, deve surgir a seleção das imagens.
A sua importância na
transmissão da mensagem
é enorme.
Como fazer um cartaz
Um bom cartaz é aquele que "diz" a sua mensagem da forma mais
simples e rápida possível.
Imagina alguém passando rapidinho por ele. A pessoa precisa:
1) Ver que ele está lá.
2) Ficar curioso para saber qual é a mensagem.
3) Entender a mensagem.
Daí, concluis que o teu cartaz deve ter:
1) Poucas imagens, poucas palavras.
2) Um bom contraste de cores ou formas para chamar a atenção. Ou
uma frase de impacto, uma pergunta, um dito popular, um trocadilho,
uma foto ou desenho bem grande, uma careta engraçada, um símbolo
muito conhecido, um sinal de trânsito, um objeto bem ampliado, uma
obra de arte famosa...
3) Pensa na mensagem que pretendes passar e imagina que tens só
2 segundos para convencer alguém disso.
Há imagens
desenhadas,
pintadas
ou obtidas por
colagem de
fotografias ou
recortes de revistas.
O importante é que
“salte” do papel, e
traduza bem a ideia
que se quer transmitir.
Vê a importância dada à imagem nestes cartazes da
Levi’s: são rostos de jovens realizados com colagens que
lembram a tecnologia da marca.
Neste cartaz foi
utilizada uma
radiografia real,
de maneira a criar
uma imagem forte
para captar a
atenção do público.
• A “composição” é a distribuição dos vários
elementos que vão constituir o cartaz na
folha de papel (título, imagem e demais
texto).
 A colocação destes elementos neste espaço
pode ser feita de diversos modos, dependendo
da mensagem que se quer transmitir.
 Em primeiro lugar, devemos estabelecer com
cuidado qual dos elementos deve ocupar o
espaço mais dominante (texto ou imagem?).
Ao mesmo tempo, não devemos esquecer que os
espaços vazios também têm importância.
Esta é uma fase fundamental.
• Geralmente, no fundo do cartaz
utilizam-se cores frias,
reservando as cores quentes
para os pontos mais importantes,
como a ilustração central e o título.
• É preciso ter em atenção que
demasiadas cores, num cartaz
prejudicam a leitura da
mensagem.
LEITURA
LEITURA
Neste exemplo existe contraste
Contraste errado entre a letra e
o fundo: o título não se lê bem
As cores das letras do título têm de sobressair
em relação à cor do fundo do cartaz:
É preciso realizar um cartaz para
anunciar um espetáculo de Ópera
As diferentes fases do estudo deste cartaz que
vamos ver, mantêm sempre 3 elementos base:
o título,
a rosa
e a máscara do fantasma
Como imagens para este cartaz foram escolhidas
uma rosa e a máscara do fantasma
Vamos analisar de seguida, como estes elementos se
relacionam entre si e qual a sua melhor posição.
1 2 3
As diferenças entre cada um destes estudos baseiam-se
na relação e posição dos 3 elementos do cartaz.
A partir do estudo 3 escolheu-se a orientação vertical do
cartaz.
4 5
A partir destes estudos ficou decidido a posição entre a
rosa e a máscara:
Rosa
canto superior esquerdo
Máscara
canto inferior direito
6 7
Na proposta final,
optou-se pela
exclusão da mão e pela
ampliação da máscara.
Observaste os vários
estudos das letras?
Em resumo, para elaborar um cartaz,
deves fazer o seguinte:
Recolha de dados
Texto Imagem
Letra existente ou criada Desenho, foto ou ambos
Esboços de conjunto
Estudos de cor
Maqueta
Cartaz
Não te esqueças então que
para fazeres um bom cartaz,
necessitas sempre de fazer
vários estudos, como podes
observar nestes exemplos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
 
Publicidade e propaganda
Publicidade e propagandaPublicidade e propaganda
Publicidade e propaganda
 
Estudo das cores
Estudo das coresEstudo das cores
Estudo das cores
 
Linguagem verbal e não verbal
Linguagem verbal e não verbalLinguagem verbal e não verbal
Linguagem verbal e não verbal
 
O Cartaz
O CartazO Cartaz
O Cartaz
 
Elementos visuais
Elementos visuaisElementos visuais
Elementos visuais
 
Teoria das cores
Teoria das coresTeoria das cores
Teoria das cores
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
 
Teoria Da Comunicação Revisão
Teoria Da Comunicação RevisãoTeoria Da Comunicação Revisão
Teoria Da Comunicação Revisão
 
Semiótica
SemióticaSemiótica
Semiótica
 
Elementos da comunicação
Elementos da comunicaçãoElementos da comunicação
Elementos da comunicação
 
LINGUAGEM VISUAL | ELEMENTOS BÁSICOS DA COMUNICAÇÃO VISUAL
LINGUAGEM VISUAL | ELEMENTOS BÁSICOS DA COMUNICAÇÃO VISUALLINGUAGEM VISUAL | ELEMENTOS BÁSICOS DA COMUNICAÇÃO VISUAL
LINGUAGEM VISUAL | ELEMENTOS BÁSICOS DA COMUNICAÇÃO VISUAL
 
Mangá
Mangá Mangá
Mangá
 
O que é a arte, tipos de arte (1).pptx
O que é a arte, tipos de arte (1).pptxO que é a arte, tipos de arte (1).pptx
O que é a arte, tipos de arte (1).pptx
 
Elementos da linguagem visual.
Elementos da linguagem visual.Elementos da linguagem visual.
Elementos da linguagem visual.
 
Aula básica sobre as cores
Aula básica sobre as coresAula básica sobre as cores
Aula básica sobre as cores
 
Identidade Visual - Aula 01
Identidade Visual - Aula 01Identidade Visual - Aula 01
Identidade Visual - Aula 01
 
Jogo da Memória - Vanguardas Europeias
Jogo da Memória - Vanguardas EuropeiasJogo da Memória - Vanguardas Europeias
Jogo da Memória - Vanguardas Europeias
 
Retrato e auto retrato
Retrato e auto retratoRetrato e auto retrato
Retrato e auto retrato
 
HUMOR, IRONIA E CRÍTICA EM TEXTOS MULTISSEMIÓTICOS.pptx
HUMOR, IRONIA E CRÍTICA EM TEXTOS MULTISSEMIÓTICOS.pptxHUMOR, IRONIA E CRÍTICA EM TEXTOS MULTISSEMIÓTICOS.pptx
HUMOR, IRONIA E CRÍTICA EM TEXTOS MULTISSEMIÓTICOS.pptx
 

Semelhante a Comunicar em 40

Como fazer um cartaz
Como fazer um cartazComo fazer um cartaz
Como fazer um cartaznelsonesim
 
HOJE É DIA DE LER CARTAZ - Resumo individual das 49 técnicas apresentadas no ...
HOJE É DIA DE LER CARTAZ - Resumo individual das 49 técnicas apresentadas no ...HOJE É DIA DE LER CARTAZ - Resumo individual das 49 técnicas apresentadas no ...
HOJE É DIA DE LER CARTAZ - Resumo individual das 49 técnicas apresentadas no ...IVONETETAVARESRAMOS
 
Estudo do cartaz
Estudo do cartazEstudo do cartaz
Estudo do cartazRui F
 
Signos Visuais, apresentação para a disciplina de Educação Visuais
Signos Visuais, apresentação para a disciplina de Educação VisuaisSignos Visuais, apresentação para a disciplina de Educação Visuais
Signos Visuais, apresentação para a disciplina de Educação VisuaisPauloChambino
 
Cca0331 redacaomidiasgraficasav2
Cca0331 redacaomidiasgraficasav2Cca0331 redacaomidiasgraficasav2
Cca0331 redacaomidiasgraficasav2Diego Moreau
 
O cartaz- algumas dicas
O cartaz- algumas dicasO cartaz- algumas dicas
O cartaz- algumas dicasbeaguadadecima
 
Tirinha, gêneros e tipologia textual - Alunos CEV 2015 1°C
Tirinha, gêneros e tipologia textual -  Alunos CEV 2015 1°CTirinha, gêneros e tipologia textual -  Alunos CEV 2015 1°C
Tirinha, gêneros e tipologia textual - Alunos CEV 2015 1°CJefferson Barroso
 

Semelhante a Comunicar em 40 (20)

O cartaz 6º ano
O cartaz 6º anoO cartaz 6º ano
O cartaz 6º ano
 
Cartaz
CartazCartaz
Cartaz
 
Cartaz
CartazCartaz
Cartaz
 
Estudo do Cartaz - 2019
Estudo do Cartaz  - 2019Estudo do Cartaz  - 2019
Estudo do Cartaz - 2019
 
Como fazer um cartaz
Como fazer um cartazComo fazer um cartaz
Como fazer um cartaz
 
Ppt cartaz
Ppt cartazPpt cartaz
Ppt cartaz
 
Cartaz - como fazer
Cartaz - como fazerCartaz - como fazer
Cartaz - como fazer
 
HOJE É DIA DE LER CARTAZ - Resumo individual das 49 técnicas apresentadas no ...
HOJE É DIA DE LER CARTAZ - Resumo individual das 49 técnicas apresentadas no ...HOJE É DIA DE LER CARTAZ - Resumo individual das 49 técnicas apresentadas no ...
HOJE É DIA DE LER CARTAZ - Resumo individual das 49 técnicas apresentadas no ...
 
Propaganda
PropagandaPropaganda
Propaganda
 
Estudo do cartaz
Estudo do cartazEstudo do cartaz
Estudo do cartaz
 
Signos Visuais, apresentação para a disciplina de Educação Visuais
Signos Visuais, apresentação para a disciplina de Educação VisuaisSignos Visuais, apresentação para a disciplina de Educação Visuais
Signos Visuais, apresentação para a disciplina de Educação Visuais
 
Cca0331 redacaomidiasgraficasav2
Cca0331 redacaomidiasgraficasav2Cca0331 redacaomidiasgraficasav2
Cca0331 redacaomidiasgraficasav2
 
Tipos de cartazes
Tipos de cartazesTipos de cartazes
Tipos de cartazes
 
Cartaz em educação visual e tecnológica
Cartaz em educação visual e tecnológicaCartaz em educação visual e tecnológica
Cartaz em educação visual e tecnológica
 
O cartaz- algumas dicas
O cartaz- algumas dicasO cartaz- algumas dicas
O cartaz- algumas dicas
 
O cartaz
O cartazO cartaz
O cartaz
 
Dicas para construir um cartaz
Dicas para construir um cartazDicas para construir um cartaz
Dicas para construir um cartaz
 
Como fazer cartaz
Como fazer cartazComo fazer cartaz
Como fazer cartaz
 
Apostila de comunicac3a7c3a3o_aplicada-soraia-jacob
Apostila de comunicac3a7c3a3o_aplicada-soraia-jacobApostila de comunicac3a7c3a3o_aplicada-soraia-jacob
Apostila de comunicac3a7c3a3o_aplicada-soraia-jacob
 
Tirinha, gêneros e tipologia textual - Alunos CEV 2015 1°C
Tirinha, gêneros e tipologia textual -  Alunos CEV 2015 1°CTirinha, gêneros e tipologia textual -  Alunos CEV 2015 1°C
Tirinha, gêneros e tipologia textual - Alunos CEV 2015 1°C
 

Mais de escola 2/3 Bernardino Machado (20)

Detalhesdorostocomluzesombra 3
Detalhesdorostocomluzesombra 3Detalhesdorostocomluzesombra 3
Detalhesdorostocomluzesombra 3
 
Máscaras2017
Máscaras2017Máscaras2017
Máscaras2017
 
Mecanismos simples
Mecanismos simplesMecanismos simples
Mecanismos simples
 
Divisodacircunferencia
DivisodacircunferenciaDivisodacircunferencia
Divisodacircunferencia
 
Boas vindas
Boas vindasBoas vindas
Boas vindas
 
Cascata 2016
Cascata 2016Cascata 2016
Cascata 2016
 
Máscaras
MáscarasMáscaras
Máscaras
 
Caricaturas
CaricaturasCaricaturas
Caricaturas
 
Diabetes
DiabetesDiabetes
Diabetes
 
Higieneesegurana
HigieneeseguranaHigieneesegurana
Higieneesegurana
 
Madeiras
MadeirasMadeiras
Madeiras
 
Os Metais
Os MetaisOs Metais
Os Metais
 
Os materiais
Os materiaisOs materiais
Os materiais
 
Exposição de educação tecnológica – 2º ciclo
Exposição de educação tecnológica – 2º cicloExposição de educação tecnológica – 2º ciclo
Exposição de educação tecnológica – 2º ciclo
 
Dia do patrono ev
Dia do patrono evDia do patrono ev
Dia do patrono ev
 
Meios riscadores
Meios riscadoresMeios riscadores
Meios riscadores
 
Fibras texteis
Fibras texteisFibras texteis
Fibras texteis
 
Museu
MuseuMuseu
Museu
 
Módulo padrão
Módulo padrãoMódulo padrão
Módulo padrão
 
Detalhes do rosto com luz e sombra
Detalhes do rosto com luz e sombraDetalhes do rosto com luz e sombra
Detalhes do rosto com luz e sombra
 

Último

DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfpaulafernandes540558
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024SamiraMiresVieiradeM
 

Último (20)

DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
 

Comunicar em 40

  • 1. MENSAGEM CÓDIGO CANAL DE COMUNICAÇÃO EMISSOR RECEPTOR Comunicar é a capacidade de partilhar, pôr em comum, o que pensamos ou sentimos; é transmitir uma determinada mensagem. Elementos de comunicação: - Estrutura( conteúdo e organização da comunicação ) - Emissor( o que emite a mensagem ) - Recetor( o que recebe a mensagem ) - Mensagem( a significação da comunicação ). - Canal ou Suporte( o meio pelo qual se realiza a comunicação ) - Código( conjunto de signos estruturados de acordo com o tipo de linguagem utilizado )
  • 2. A comunicação entre as pessoas é feita de várias formas: através da fala, dos gestos, de cartas, de emails, conversas em computador, etc. Em todos esses casos, uma pessoa emite uma mensagem e a outra recebe. Durante essa comunicação, vamos trocando de papel, ora sendo emissores, ora recetores. Os jornais, as revistas, o rádio e a televisão também são formas de comunicar, sendo chamados meios de comunicação. Porém, com esses não temos jeito de interagir, trocando os papéis, como fazemos quando conversamos com alguém.
  • 3. Tipos de Comunicação Comunicação Verbal Quase toda a comunicação verbal é composta por palavras. -Comunicação oral: são as ordens, pedidos, conversas, debates, discussões. -Comunicação escrita: são as cartas, telegramas, bilhetinhos, letreiros, cartazes, livros, folhetos, jornais, revista. Comunicação Não-Verbal Através desta comunicação não-verbal ocorre a troca de sinais: olhar, gesto, postura, mímica. Comunicação pelo olhar: as pessoas costumam se entender pelo olhar. Comunicação por gestos: pode ser voluntária, como um beijo ou um cumprimento. Mas também pode ser involuntária, como por exemplo, mãos que não param de rabiscar ou de mexer em algo. Isso é sinal de tensão e, ou nervosismo. Comunicação pela postura: o modo como nos sentamos, o corpo inclinado para trás ou para frente, até mesmo a posição dos pés. Tudo isso na maioria das vezes é o nosso subconsciente transmitindo uma mensagem. Comunicação por mímica: são os gestos das mãos, do corpo, da face, as caretas.
  • 4. Para que a comunicação exista é necessária a existência de um emissor e um recetor. Recetor é o destinatário da informação ou quem a recebe. Emissor Uma fonte que emite uma ideia ou informação
  • 5. CANAL – Meio de comunicação utilizado
  • 6. Mensagem – representa o conteúdo da comunicação.
  • 7. Código – É um conjunto de sinais e regras organizados.
  • 8. Tipos de comunicação Verbal - Oral - Escrita Não verbal - Gestual - Comportamental - Corporal - Musical - Visual
  • 9. Comunicação casual Os Índices Os índices são informações que recebemos em que não houve qualquer intenção em comunicar.
  • 10. Comunicação Intencional Sinais A Comunicação é intencional quando o significado da mensagem daquilo que se quer comunicar não pode ter vários significados.
  • 13.
  • 14. O cartaz é sem dúvida, um dos meios de comunicação visual mais utilizados, nos dias de hoje.
  • 15. Para que serve um cartaz? O cartaz é um meio de comunicação muito poderoso na nossa sociedade que serve para divulgar uma mensagem
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19. Vamos então aprender a fazer um cartaz tendo em conta as diversas caraterísticas e finalidades dos cartazes
  • 20. Um cartaz que se destine a ser afixado no interior de um edifício deverá ser diferente do cartaz dos grandes espaços abertos. O cartaz que se destina a informar o grande público, deve ser colocado num local de passagem e conter uma mensagem forte e de leitura imediata.
  • 21. A leitura de um cartaz de rua faz-se com as pessoas em andamento e, por isso, durante um tempo muito curto. Por isso, as suas dimensões são relativamente grandes. O seu destino é a parede, permitindo assim que seja visto por vários espectadores.
  • 22. Existem porém várias formas de cartazes. Habitualmente, o cartaz é retangular, uma vez que o formato do papel e cartolinas, que lhe servem de suporte é também retangular.
  • 23. O primeiro passo na criação de um cartaz é o da escolha do tema ou assunto a tratar. Atenção: Cada cartaz deverá ter um único tema. Um cartaz com vários temas torna-se confuso e de difícil leitura.
  • 24.
  • 25. Segue-se a escolha da mensagem ou título a partir do registo de frases relacionadas com o tema. A mensagem deverá ser curta, sugestiva, clara, compreendida por todos e de fácil memorização, um verdadeiro “slogan”!
  • 26. Deves começar por estabelecer uma ordem de importância para as frases do texto, para que possas dar a cada uma delas o destaque correspondente. O tamanho das letras deve portanto diminuir, consoante se trate de título, texto ou legendas. A cor das letras do título devem ser grossas, pintadas a cheio e de preferência da mesma cor.
  • 27. Pensa na ordem de importância do texto e diz qual das duas hipóteses é a solução que te parece mais correta?
  • 28. É necessário escolher letras simples e fáceis de serem lidas. O tipo de letra Como vamos desenhar o texto? Recortar letras, decalcadas de jornais ou revistas? Desenhar letras imaginadas ou processar o texto no computador?
  • 29. Já pensaste nos espaços que existem entre as letras e as palavras? O espaçamento das letras Vê se consegues ler a mensagem seguinte, em que as letras e palavras foram colocadas ao acaso…
  • 30. O sESp AÇoS ENt RE a Sle Tra Sd EVEMs ERcURt oSeS Em ElH AnT eS, EoES pAçOE NTrEP Al AvRAsD EVe Se Rm Ai oR.
  • 31. Os espaços entre as letras devem ser curtos e semelhantes, e o espaço entre palavras deve ser maior. Não achas que é mais simples a leitura feita desta maneira?
  • 32. As imagens devem ser grandes, sugestivas, ocupar mais espaço que o texto e contrastar com a cor base da cartolina. Paralelamente à criação do texto, ou mesmo antes, deve surgir a seleção das imagens. A sua importância na transmissão da mensagem é enorme.
  • 33. Como fazer um cartaz Um bom cartaz é aquele que "diz" a sua mensagem da forma mais simples e rápida possível. Imagina alguém passando rapidinho por ele. A pessoa precisa: 1) Ver que ele está lá. 2) Ficar curioso para saber qual é a mensagem. 3) Entender a mensagem. Daí, concluis que o teu cartaz deve ter: 1) Poucas imagens, poucas palavras. 2) Um bom contraste de cores ou formas para chamar a atenção. Ou uma frase de impacto, uma pergunta, um dito popular, um trocadilho, uma foto ou desenho bem grande, uma careta engraçada, um símbolo muito conhecido, um sinal de trânsito, um objeto bem ampliado, uma obra de arte famosa... 3) Pensa na mensagem que pretendes passar e imagina que tens só 2 segundos para convencer alguém disso.
  • 34. Há imagens desenhadas, pintadas ou obtidas por colagem de fotografias ou recortes de revistas. O importante é que “salte” do papel, e traduza bem a ideia que se quer transmitir.
  • 35. Vê a importância dada à imagem nestes cartazes da Levi’s: são rostos de jovens realizados com colagens que lembram a tecnologia da marca.
  • 36. Neste cartaz foi utilizada uma radiografia real, de maneira a criar uma imagem forte para captar a atenção do público.
  • 37. • A “composição” é a distribuição dos vários elementos que vão constituir o cartaz na folha de papel (título, imagem e demais texto).  A colocação destes elementos neste espaço pode ser feita de diversos modos, dependendo da mensagem que se quer transmitir.  Em primeiro lugar, devemos estabelecer com cuidado qual dos elementos deve ocupar o espaço mais dominante (texto ou imagem?). Ao mesmo tempo, não devemos esquecer que os espaços vazios também têm importância. Esta é uma fase fundamental.
  • 38. • Geralmente, no fundo do cartaz utilizam-se cores frias, reservando as cores quentes para os pontos mais importantes, como a ilustração central e o título. • É preciso ter em atenção que demasiadas cores, num cartaz prejudicam a leitura da mensagem.
  • 39. LEITURA LEITURA Neste exemplo existe contraste Contraste errado entre a letra e o fundo: o título não se lê bem As cores das letras do título têm de sobressair em relação à cor do fundo do cartaz:
  • 40. É preciso realizar um cartaz para anunciar um espetáculo de Ópera As diferentes fases do estudo deste cartaz que vamos ver, mantêm sempre 3 elementos base: o título, a rosa e a máscara do fantasma Como imagens para este cartaz foram escolhidas uma rosa e a máscara do fantasma Vamos analisar de seguida, como estes elementos se relacionam entre si e qual a sua melhor posição.
  • 41. 1 2 3 As diferenças entre cada um destes estudos baseiam-se na relação e posição dos 3 elementos do cartaz. A partir do estudo 3 escolheu-se a orientação vertical do cartaz.
  • 42. 4 5 A partir destes estudos ficou decidido a posição entre a rosa e a máscara: Rosa canto superior esquerdo Máscara canto inferior direito
  • 43. 6 7 Na proposta final, optou-se pela exclusão da mão e pela ampliação da máscara. Observaste os vários estudos das letras?
  • 44. Em resumo, para elaborar um cartaz, deves fazer o seguinte: Recolha de dados Texto Imagem Letra existente ou criada Desenho, foto ou ambos Esboços de conjunto Estudos de cor Maqueta Cartaz
  • 45. Não te esqueças então que para fazeres um bom cartaz, necessitas sempre de fazer vários estudos, como podes observar nestes exemplos.