Ftl b - uma breve resenha histórico-teológico

251 visualizações

Publicada em

Estudo histórico-teológico da caminhada da FTL - Brasil entre as décadas de 70 a 90.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
251
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ftl b - uma breve resenha histórico-teológico

  1. 1. A FTL-B: uma breve resenha histórico- teológica de sua caminhada 1FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN
  2. 2. Esquema da Apresentação  Palavras Introdutórias;  A FTL Latino-americana;  A FTL-B: uma breve resenha histórico-teológica de sua caminhada. 2FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN
  3. 3. Palavras Introdutórias  A relevância da FTL para o contexto teológico latino-americano;  A importância do momento teológico que vivemos em nossa Nação;  A importância deste momento para nossa cidade: retorno das atividades do Núcleo Natal;  O “porque” do tema proposto e as dificuldades relativas ao desenvolvimento do mesmo. 3FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN
  4. 4. A FTL Latino-Americana  A discussão gerada no seio do Clade I deixou clara a necessidade de uma “fraternidade” de teólogos;  O responsável por levar o projeto da fraternidade adiante é Pedro Savage, que conseguiu reunir um grupo de teólogos em Cochabamba (Bolívia), de 12 a 18 de dezembro de 1970; 4FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN
  5. 5.  O evento foi caracterizado como uma Consulta, cujo objetivo era buscar um “consenso evangélico básico e lançar as bases para um futuro esforço teológico cooperativo”, e o tema central foi a Palavra de Deus;  Participaram do evento cerca de 25 teólogos, representando cerca de 09 denominações;  A FTL se espalha por vários países latino- americanos, gerando um espaço para a reflexão teológica e missiológica, sendo a principal divulgadora da teologia contextual e da Missão Integral; 5FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN
  6. 6.  Os principais objetivos da FTL são: a) Promover a reflexão em torno do Evangelho e seu significado para o ser humano e a sociedade na América Latina. Com esta finalidade estimula o desenvolvimento de um pensamento evangélico atento aos desafios da vida no continente latino- americano. Para tal reflexão se aceita o caráter normativo da Bíblia como a palavra escrita de Deus, ouvindo, sob a direção do Espírito Santo, a mensagem bíblica em relação às ambiguidades da situação concreta; 6FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN
  7. 7. b) Constituir uma plataforma de diálogo entre pensadores que confessam a Jesus Cristo como Salvador e Senhor e que estejam dispostos a refletir à luz da Bíblia, a fim de comunicar o Evangelho em meio às culturas latino- americanas; c) Contribuir para a vida e missão das Igrejas Evangélicas no Brasil e na América Latina, sem pretender falar em nome delas e nem assumir a posição de seu porta-voz. 7FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN
  8. 8. A FTL-B: Uma breve Resenha Histórico- teológica de sua caminhada 8FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN
  9. 9. Divisão Histórico-teológica  1ª Fase: Implantação dos trabalhos - 2ª metade da década de 70 até os anos iniciais da década de 80;  2ª Fase: Consolidação e expansão dos trabalhos - Início da década de 80 até o final da década de 90;  3ª Fase: Manutenção, reestruturação e repaginação – a partir do início do ano 2000. 9FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN
  10. 10. 1ª FASE  A FTL-B funcionava não como uma instituição, mas como um segmento da FTL continental;  A FTL-B não conseguiu se consolidar como movimento significativo no meio evangélico brasileiro (devido a fatores internos e externos);  Andava em descompasso quando comparada a FTL continental;  Era formado por um grupo conservador (semifundamentalista) 10FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN
  11. 11.  A liderança evangelical brasileira – influente no contexto nacional - não se interessava pelos trabalhos da FTL-B;  O gigantismo continental brasileiro torna o movimento evangelical muito difuso e heterogêneo;  O desinteresse de professores e teólogos, que naquele momento não sentiam interesse pela FTL;  Contudo, a FTL-B começou a plantar raízes que mais tarde iriam frutificar 11FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN
  12. 12. 2ª FASE (Anos 80)  Período caracterizado pela reorganização em âmbito nacional a partir de um Encontro nacional realizado em Campinas no final de 1983 (sua organização como Instituição data de 1985);  Neste momento, uma diretoria foi eleita, o Boletim Teológico começou a ser publicado, consultas nacionais começaram a ser realizadas e Núcleos regionais começaram a se organizar; 12FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN
  13. 13.  A FTL-B atuava de forma silenciosa e lenta, mas sistemática: difusão no “boca a boca”, consultas nacionais e na publicação dos BTs;  Seu compromisso teológico neste período: refletir sobre a missão da igreja – a reflexão e a prática da MI marcavam a atividade da FTL-B;  Dois eixos principais marcam a discussão teológica deste período: a) Justiça social (enfrentamento da pobreza), b) Participação política dos evangélicos (afirmar a Bíblia como única regra de fé e prática, a conversão pessoal como caminho de acesso inicial a Deus, compromisso com a igreja como marca da espiritualidade e identidade); 13FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN
  14. 14.  Foi um momento de afirmar a necessidade de afirmar uma teologia brasileira e latino-americana. Isto pode ser percebido nos temas das primeiras consultas e nos primeiros números dos BTs: Cristologia, hermenêutica, crítica à teologia, Espírito Santo, missão urbana e ação política;  Para firmar a integralidade da missão era necessário atuar em duas frentes: 14FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN
  15. 15. 1º) Valorizar a produção teológica contextual, mostrando que teologia se faz, não se reproduz; mostrar que fazer teologia não significa abandonar a fé a tradição, mas, sim, revitalizá-las através de um comprometimento com o Reino de Deus; mostrar que fazer teologia é parte integrante da vida e missão da igreja; 2º) Defender a urgente necessidade das igrejas se engajarem no serviço social aos mais pobres e necessitados, através de projetos de desenvolvimento comunitário, através de envolvimento político inteligente e crítico. 15FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN
  16. 16.  Para levar a cabo este projeto, a FTL-B passa a trabalhar alguns temas teológicos importantes: a) Cristologia encarnacional – espiritualidade cristocêntrica; b)Pneumatologia renovadora: renovando não somente a igreja, mas também toda humanidade e a criação; no Espírito a igreja tem poder para cumprir sua missão; c) Integralidade da Missão: foco principal estava direcionado para a responsabilidade social e política; 16FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN
  17. 17. d) Reino de Deus: auxiliou na reflexão sobre a responsabilidade sociopolítica da igreja, sendo fundamental para o desenvolvimento da missiologia integral. O Reino é de Deus, é maior que a igreja, que a missão, maior que o povo de Deus; e)Eclesiologia: a igreja só é entendida à luz do Reino de Deus, percebida como a comunidade do Reino, e não uma instituição autossuficiente; 17FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN
  18. 18. Outra Discussão relevante no período: Contextualidade  Neste sentido, a FTL-B se deparou com dois grandes desafios: 1º) Discernir nosso contexto: conhecer o contexto social, econômico, político e cultural onde a igreja estava inserida; compreender o Brasil e a AL. Percebeu-se o quanto nós desconhecíamos nossa realidade social e cultural; 18FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN
  19. 19. 2º) Busca de uma hermenêutica contextual da Bíblia: continuar afirmando que a Bíblia é a Palavra de Deus, mas que é necessário interpretá-la dentro dos contextos e buscando respostas para as perguntas que nascem no contexto do intérprete. Para se fazer MI é necessário encontrar as respostas da Palavra de Deus para os dramas e angústias do presente mundo pecaminoso. 19FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN
  20. 20. 2ª FASE (Anos 90)  Na 1ª metade dos anos 90, a reflexão teológica da FTL-B passa a ter duas marcas principais: 1ª) Reafirmar as conquistas dos anos anteriores (80); 2ª) Ampliar a abrangência temática de sua reflexão: questão da mulher; lugar e papel do culto; estrutura econômica; espiritualidade pessoal;  Envolvimento de igrejas e alguns seminários com a MI; 20FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN
  21. 21.  A FTL-B tem um papel preponderante na difusão dos pressupostos da MI;  Na 2ª metade dos anos 90, devido a novas e imprevisíveis mudanças no cenário religioso e protestante, a questão missiológica e a reflexão teológica ficam em 2º plano (Neopentecostalismo);  Igrejas, instituições e movimentos evangélicos em uma situação de luta pela sobrevivência e afirmação de identidade, e isto também afetou a FTL-B; 21FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN
  22. 22.  Para a FTL-B, a 2ª metade da década de 90 foi de enfraquecimento da reflexão teológica, e de desaquecimento da reflexão nos Núcleos; 22FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN
  23. 23. 3ª FASE (anos 2000)  Pós dificuldades enfrentadas na 2ª metade dos anos 90, podemos dizer que este tem sido um tempo de reestruturação, reaquecimento e de novos desafios e reflexões teológicas;  Desafio de tirar a FTL-B da margem e dar a ela a devida visibilidade dada sua relevância no contexto reflexão teológica brasileira e latino- americana;  Dar continuidade e aprofundar a reflexão da teologia contextual e aprofundar o diálogo interdisciplinar, mantendo a seriedade em relação às Escrituras Sagradas; 23FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN
  24. 24.  Aproximar-se das discussões e propostas de diversos temas relevantes para a igreja e sociedade, refletindo sobre temas como: políticas de inclusão social, políticas públicas, educação teológica, cooperação acadêmica e participação em redes universitárias, assistência social, discussões sobre gênero, inter- religiosidade, sexualidade, ecologia, entre outros;  Registro do novo Estatuto;  Buscar andar no compasso da FTL continental; 24FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN
  25. 25.  Retomada da publicação dos conhecidos boletins teológicos (Impresso e digital), que há mais de 10 anos está parado; parcerias institucionais; grupos de trabalhos (GTs) internacionais; novos membros com boas reflexões e atuações locais; além da manutenção dos atuais núcleos que temos em todo o Brasil, dentre outros;  Fortalecer o espírito fraterno para derrotar o personalismo com suas polarizações que ainda insistem em alguns âmbitos. O diálogo é necessário para que possamos conjuntamente promover o seguimento de Jesus frente às muitas alienações; 25FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN
  26. 26. Conclusão  A FTL-B é um movimento fraternal de reflexão teológica de suma importância para o desenvolvimento da igreja evangélica nacional;  O movimento é o principal porta-voz da teologia contextual e da TMI;  Em que pese todas as intempéries enfrentadas ao longo dos anos, a FTL-B possui um papel no contexto do movimento evangelical brasileiro. 26FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN
  27. 27. Referências  GONDIM, Ricardo. Missão Integral: em busca de uma identidade evangélica. São Paulo: Fonte Editorial, 2010;  LONGUINI, Luiz. O Novo Rosto da Missão: os movimentos ecumênico e evangelical no protestantismo latino-americano. Viçosa: Ultimato, 2002;  OLIVA, Alfredo dos Santos; PROENÇA, Wander de Lara; ZABATIERO, Júlio. A Missão Integral da Igreja: breve história de uma ideia que mudou a face da igreja evangélica. Disponível em www.googleacademico.com.br. Acesso em 13.07.14. FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN 27
  28. 28.  Site: www.ftl-al.org;  Site: www.ftl.org.br FTL-Brasil - Núcleo Natal/RN 28

×