SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
“Prossigo para o alvo,
pelo prêmio da soberana
vocação de Deus em
Cristo Jesus” (Fp 3.14).
TEXTO ÁUREO
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado
Campo de Presidente Prudente - SP
A maior aspiração do crente
deve ser a conquista do
prêmio da soberana
vocação em Cristo Jesus.
VERDADE PRÁTICA
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado
Campo de Presidente Prudente - SP
12 - Não que já a tenha alcançado ou que seja
perfeito; mas prossigo para alcançar aquilo para o
que fui também preso por Cristo Jesus.
13 - Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja
alcançado; mas uma coisa faço, e é que,
esquecendo-me das coisas que atrás ficam e
avançando para as que estão diante de mim,
14 - prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana
vocação de Deus em Cristo Jesus.
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado
Campo de Presidente Prudente - SP
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Fp 3.12-17
15 - Pelo que todos quantos já somos perfeitos
sintamos isto mesmo; e, se sentis alguma coisa
doutra maneira, também Deus vo-lo revelará.
16 - Mas, naquilo a que já chegamos, andemos
segundo a mesma regra e sintamos o mesmo.
17 - Sede também meus imitadores, irmãos, e
tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em
nós, pelos que assim andam. nós, pelos que assim
andam.
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado
Campo de Presidente Prudente - SP
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Fp 3.12-17
PROPOSTA DA LIÇÃO
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado
Campo de Presidente Prudente - SP
• Se não olharmos para o alvo corremos o risco de cair;
• Paulo nunca corria sem meta;
• Não se considerava um iluminado, não se deixou enganar;
• “Perfeitos”: filipenses servindo a Deus no Espírito;
• Regras: ações e atitudes semelhantes a de Jesus;
• Paulo tinha um caráter ilibado, exemplo;
• As dificuldades, tentações e obstáculos continuam atuais;
• Ainda precisamos alcançar a perfeição, sejamos sóbrios;
• Paulo era um sofredor consciente e fiel. Suportou tudo.
INTRODUÇÃO
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado
Campo de Presidente Prudente - SP
• Paulo alertou os filipenses sobre a obediência e “cães”;
• Nova preocupação: excelência do conhecimento;
• Igreja de Filipos: persiga o alvo – Maturidade cristã.
a) Porque a igreja deveria imitar a Paulo:
• Ele se dedicou pela causa do Evangelho;
• Sempre buscou a excelência do conhecimento;
• Nada impediu sua corrida ao prêmio (2 Co 11.24-33);
• Sua esperança era maior que as adversidades;
• Ao final declarou: “combati o bom combate ...”.
I – ASPIRAÇÃO PAULINA
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado
Campo de Presidente Prudente - SP
1) PROSSIGO PARA O ALVO
• Paulo abriu o coração. Revelou seu objetivo;
• Tal como um atleta, ele se preparava para a corrida;
• Os embaraços da vida não atrapalharam.
2) O SENTIMENTO DE INCOMPLETUDE DE PAULO
• Paulo nunca correu sem meta. Havia muito a conhecer;
• Não se satisfazia somente com a abertura de igrejas;
• Mesmo no cárcere, desejou avançar, queria mais.
3) O ENGANO DA PRESUNÇÃO ESPIRITUAL
• Paulo não se iludia com a ideia de “perfeição”;
• Perfeição: somente aqueles que terminam a carreira;
• Ele não queria ser reprovado antes da linha de chegada.
II – A MATURIDADE
ESPIRITUAL DOS FILIPENSES
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado
Campo de Presidente Prudente - SP
1) SOMOS PERFEITOS (3.15)?
• “Perfeito”: refere-se aos benefícios recebidos de Jesus;
• Que nos fazem servir a Deus e não “confiar na carne”;
• O processo da salvação: perfeito e completo.
2) O CRISTÃO DEVE ANDAR CONFORME A MATURIDADE
• Andar segundo a mesma regra: doutrina de Cristo;
• Corram para o prêmio, mas cresçam, progridam;
• O zelo pelas regras de Deus levam ao final da carreira.
3) EXEMPLO A SER IMITADO (3.17)
• Paulo procurou imitar Jesus, servindo a Igreja de Cristo;
• A igreja deveria imitá-lo e fugir dos maus exemplos;
• Ele anda caminhava, lutava e buscava a perfeição.
III – A ASPIRAÇÃO CRISTÃ HOJE
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado
Campo de Presidente Prudente - SP
1) A ATUALIDADE DO DESEJO PAULINO
• Paulo: exemplo para os filipenses e para a igreja;
• Os obstáculos e empecilho à comunhão continuam;
• A vida cristã não é um mundo de fantasia.
2) CRISTÃO DEVE ALMEJAR A MATURIDADE ESPIRITUAL
• Ainda precisamos alcançar a perfeição;
• Sejamos sóbrios e vigilantes;
• A salvação nos abriu a porta o crescimento espiritual.
3) REJEITANDO A FANTASIA DA FALSA VIDA CRISTÃ
• Paulo era um sofredor consciente (At 9.16);
• Foi difícil, mas ele suportou tudo por causa da obra;
• Prossigamos, pelo prêmio da soberana vocação.
• Toda a vida de Paulo foi centrada na pessoa de Jesus;
• Ele fazia tudo para agradá-lo;
• Ele aspirou em conhecer mais do Mestre da Galileia.
OBJETIVOS DA LIÇÃO
1) Compreender qual era a verdadeira aspiração de Paulo:
• Ele queria conhecer mais de Jesus.
2) Analisar a maturidade espiritual dos filipenses:
• Serviam a Deus e não confiavam na carne.
3) Conscientizar-se a respeito da aspiração cristã:
• A vida cristã não é uma fantasia, é uma realidade.
CONCLUSÃO
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado
Campo de Presidente Prudente - SP
Contato: ailtonsilva2000
@yahoo.com.br
@gmail.com
.blogspot.com
facebook
Álvares Machado (SP)
3º trim. 2013
ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado
Campo de Presidente Prudente - SP

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

lição 9 - Habacuque, a Soberania Divina sobre as nações
lição 9 - Habacuque, a Soberania Divina sobre as naçõeslição 9 - Habacuque, a Soberania Divina sobre as nações
lição 9 - Habacuque, a Soberania Divina sobre as nações
Ailton da Silva
 
a Verdadeira Sabedoria se manifesta na prática
a Verdadeira Sabedoria se manifesta na práticaa Verdadeira Sabedoria se manifesta na prática
a Verdadeira Sabedoria se manifesta na prática
Ailton da Silva
 
lição 10 - A perda dos bens terrenos
lição 10 - A perda dos bens terrenoslição 10 - A perda dos bens terrenos
lição 10 - A perda dos bens terrenos
Ailton da Silva
 
Lição 12 - O propósito da verdadeira prosperidade
Lição 12 - O propósito da verdadeira prosperidadeLição 12 - O propósito da verdadeira prosperidade
Lição 12 - O propósito da verdadeira prosperidade
Ailton da Silva
 
Lição 07 - A divisão espiritual no lar
Lição 07 - A divisão espiritual no larLição 07 - A divisão espiritual no lar
Lição 07 - A divisão espiritual no lar
Ailton da Silva
 
O propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituaisO propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituais
Ailton da Silva
 
O perigo da busca pela autorrealização humana
O perigo da busca pela autorrealização humanaO perigo da busca pela autorrealização humana
O perigo da busca pela autorrealização humana
Ailton da Silva
 
Lição 2 - A enfermidade na vida do crente
Lição 2 - A enfermidade na vida do crenteLição 2 - A enfermidade na vida do crente
Lição 2 - A enfermidade na vida do crente
Ailton da Silva
 
lição 11 - Como alcançar a verdadeira prosperidade
lição 11 - Como alcançar a verdadeira prosperidadelição 11 - Como alcançar a verdadeira prosperidade
lição 11 - Como alcançar a verdadeira prosperidade
Ailton da Silva
 
Lição 03 - A longa seca sobre Israel
Lição 03 - A longa seca sobre IsraelLição 03 - A longa seca sobre Israel
Lição 03 - A longa seca sobre Israel
Ailton da Silva
 

Mais procurados (20)

Lição 13 - a fidelidade de Deus
Lição 13 - a fidelidade de DeusLição 13 - a fidelidade de Deus
Lição 13 - a fidelidade de Deus
 
lição 9 - Habacuque, a Soberania Divina sobre as nações
lição 9 - Habacuque, a Soberania Divina sobre as naçõeslição 9 - Habacuque, a Soberania Divina sobre as nações
lição 9 - Habacuque, a Soberania Divina sobre as nações
 
a Verdadeira Sabedoria se manifesta na prática
a Verdadeira Sabedoria se manifesta na práticaa Verdadeira Sabedoria se manifesta na prática
a Verdadeira Sabedoria se manifesta na prática
 
01
0101
01
 
lição 10 - A perda dos bens terrenos
lição 10 - A perda dos bens terrenoslição 10 - A perda dos bens terrenos
lição 10 - A perda dos bens terrenos
 
Lição 2
Lição 2Lição 2
Lição 2
 
Lição 12 - O propósito da verdadeira prosperidade
Lição 12 - O propósito da verdadeira prosperidadeLição 12 - O propósito da verdadeira prosperidade
Lição 12 - O propósito da verdadeira prosperidade
 
O ministério de pastor
O ministério de pastorO ministério de pastor
O ministério de pastor
 
Lição 07 - A divisão espiritual no lar
Lição 07 - A divisão espiritual no larLição 07 - A divisão espiritual no lar
Lição 07 - A divisão espiritual no lar
 
12
1212
12
 
O propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituaisO propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituais
 
Lição 8
Lição 8Lição 8
Lição 8
 
O perigo da busca pela autorrealização humana
O perigo da busca pela autorrealização humanaO perigo da busca pela autorrealização humana
O perigo da busca pela autorrealização humana
 
Lição 4 - A alegria, fruto do Espírito; Inveja, hábito da velha natureza
Lição 4 - A alegria, fruto do Espírito; Inveja, hábito da velha naturezaLição 4 - A alegria, fruto do Espírito; Inveja, hábito da velha natureza
Lição 4 - A alegria, fruto do Espírito; Inveja, hábito da velha natureza
 
Lição 7 - Benignidade - um escudo protetor contra as porfias
Lição 7 - Benignidade - um escudo protetor contra as porfiasLição 7 - Benignidade - um escudo protetor contra as porfias
Lição 7 - Benignidade - um escudo protetor contra as porfias
 
04
0404
04
 
Lição 2 - A enfermidade na vida do crente
Lição 2 - A enfermidade na vida do crenteLição 2 - A enfermidade na vida do crente
Lição 2 - A enfermidade na vida do crente
 
lição 11 - Como alcançar a verdadeira prosperidade
lição 11 - Como alcançar a verdadeira prosperidadelição 11 - Como alcançar a verdadeira prosperidade
lição 11 - Como alcançar a verdadeira prosperidade
 
Lição 6
Lição 6Lição 6
Lição 6
 
Lição 03 - A longa seca sobre Israel
Lição 03 - A longa seca sobre IsraelLição 03 - A longa seca sobre Israel
Lição 03 - A longa seca sobre Israel
 

Destaque

Destaque (20)

Lição 3
Lição 3Lição 3
Lição 3
 
Lição 07
Lição 07Lição 07
Lição 07
 
A consagração dos sacerdotes
A consagração dos sacerdotesA consagração dos sacerdotes
A consagração dos sacerdotes
 
Lição 02
Lição 02Lição 02
Lição 02
 
lição 02 - Elias, o tisbita
lição 02 - Elias, o tisbitalição 02 - Elias, o tisbita
lição 02 - Elias, o tisbita
 
07
0707
07
 
A multiforme Sabedoria de Deus
A multiforme Sabedoria de DeusA multiforme Sabedoria de Deus
A multiforme Sabedoria de Deus
 
O ministério de Evangelista
O ministério de EvangelistaO ministério de Evangelista
O ministério de Evangelista
 
Lição 10 - Sofonias, o juízo vindouro
Lição 10 - Sofonias, o juízo vindouroLição 10 - Sofonias, o juízo vindouro
Lição 10 - Sofonias, o juízo vindouro
 
LIÇÃO 7
LIÇÃO 7LIÇÃO 7
LIÇÃO 7
 
Lição 03
Lição 03Lição 03
Lição 03
 
Um libertador para Israel
Um libertador para IsraelUm libertador para Israel
Um libertador para Israel
 
03 - Joel, o derramamento do Espírito Santo
03 - Joel, o derramamento do Espírito Santo03 - Joel, o derramamento do Espírito Santo
03 - Joel, o derramamento do Espírito Santo
 
07
0707
07
 
Lição 8 - Naum, o limite da tolerância Divina
Lição 8 - Naum, o limite da tolerância DivinaLição 8 - Naum, o limite da tolerância Divina
Lição 8 - Naum, o limite da tolerância Divina
 
Tiago - fé que se mostra pelas obras
Tiago - fé que se mostra pelas obrasTiago - fé que se mostra pelas obras
Tiago - fé que se mostra pelas obras
 
O propósito da tentação
O propósito da tentaçãoO propósito da tentação
O propósito da tentação
 
Lição 02 - Oséias a fidelidade no relacionamento com Deus
Lição 02 - Oséias a fidelidade no relacionamento com DeusLição 02 - Oséias a fidelidade no relacionamento com Deus
Lição 02 - Oséias a fidelidade no relacionamento com Deus
 
Lição 10
Lição 10Lição 10
Lição 10
 
Lição 04
Lição 04Lição 04
Lição 04
 

Semelhante a 08

Lição 8 – a suprema aspiração do crente
Lição 8 – a suprema aspiração do crenteLição 8 – a suprema aspiração do crente
Lição 8 – a suprema aspiração do crente
Anderson Silva
 
AULA 9 ESCOLA BIBLICA DOMINICAL FILIPENSES.pptx
AULA 9 ESCOLA BIBLICA DOMINICAL FILIPENSES.pptxAULA 9 ESCOLA BIBLICA DOMINICAL FILIPENSES.pptx
AULA 9 ESCOLA BIBLICA DOMINICAL FILIPENSES.pptx
varjaomelo
 
o ministério de apóstolo
o ministério de apóstoloo ministério de apóstolo
o ministério de apóstolo
Ailton da Silva
 

Semelhante a 08 (20)

A suprema aspiração do crente
A suprema aspiração do crenteA suprema aspiração do crente
A suprema aspiração do crente
 
A SUPREMA ASPIRAÇÃO DO CRENTE - Lição 08 – Escola Dominical
A SUPREMA ASPIRAÇÃO DO CRENTE - Lição 08 – Escola DominicalA SUPREMA ASPIRAÇÃO DO CRENTE - Lição 08 – Escola Dominical
A SUPREMA ASPIRAÇÃO DO CRENTE - Lição 08 – Escola Dominical
 
12
1212
12
 
Lição 14
Lição 14 Lição 14
Lição 14
 
2013_3 Tri_Lição 8 - A Suprema Aspiração do Crente_Natalino das Neves
2013_3 Tri_Lição 8 - A Suprema Aspiração do Crente_Natalino das Neves2013_3 Tri_Lição 8 - A Suprema Aspiração do Crente_Natalino das Neves
2013_3 Tri_Lição 8 - A Suprema Aspiração do Crente_Natalino das Neves
 
05
0505
05
 
2013 3 tri lição 12 - a reciprocidade do amor cristão
2013 3 tri lição 12 - a reciprocidade do amor cristão2013 3 tri lição 12 - a reciprocidade do amor cristão
2013 3 tri lição 12 - a reciprocidade do amor cristão
 
Lição 11
Lição 11Lição 11
Lição 11
 
Lição 8 – a suprema aspiração do crente
Lição 8 – a suprema aspiração do crenteLição 8 – a suprema aspiração do crente
Lição 8 – a suprema aspiração do crente
 
Lição 8 – a suprema aspiração do crente
Lição 8 – a suprema aspiração do crenteLição 8 – a suprema aspiração do crente
Lição 8 – a suprema aspiração do crente
 
Lição 13
Lição 13Lição 13
Lição 13
 
Crescendo na vida
Crescendo na vidaCrescendo na vida
Crescendo na vida
 
Lição 4
Lição 4Lição 4
Lição 4
 
Amadurecimento cristão
Amadurecimento cristãoAmadurecimento cristão
Amadurecimento cristão
 
AULA 9 ESCOLA BIBLICA DOMINICAL FILIPENSES.pptx
AULA 9 ESCOLA BIBLICA DOMINICAL FILIPENSES.pptxAULA 9 ESCOLA BIBLICA DOMINICAL FILIPENSES.pptx
AULA 9 ESCOLA BIBLICA DOMINICAL FILIPENSES.pptx
 
Apostila para formação de evangelismo pessoal e coletivo
Apostila para formação de evangelismo pessoal e coletivoApostila para formação de evangelismo pessoal e coletivo
Apostila para formação de evangelismo pessoal e coletivo
 
Lição 10
Lição 10Lição 10
Lição 10
 
o ministério de apóstolo
o ministério de apóstoloo ministério de apóstolo
o ministério de apóstolo
 
2013 3 tri - lição 2 - esperança em meio à adversidade
2013   3 tri - lição 2 - esperança em meio à adversidade2013   3 tri - lição 2 - esperança em meio à adversidade
2013 3 tri - lição 2 - esperança em meio à adversidade
 
LBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
LBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUSLBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
LBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
 

Mais de Ailton da Silva

Mais de Ailton da Silva (20)

Lição 3 - Os primeiros passos de Abraão
Lição 3 - Os primeiros passos de AbraãoLição 3 - Os primeiros passos de Abraão
Lição 3 - Os primeiros passos de Abraão
 
Lição 2 - O primeiro dia depois do sim
Lição 2 - O primeiro dia depois do simLição 2 - O primeiro dia depois do sim
Lição 2 - O primeiro dia depois do sim
 
Lição 1 - Abraão, chamada e revelação
Lição 1 - Abraão, chamada e revelaçãoLição 1 - Abraão, chamada e revelação
Lição 1 - Abraão, chamada e revelação
 
Lição 5 - Cristo é superior a Arão e à ordem Levítica
Lição 5 - Cristo é superior a Arão e à ordem LevíticaLição 5 - Cristo é superior a Arão e à ordem Levítica
Lição 5 - Cristo é superior a Arão e à ordem Levítica
 
Lição 4 - Jesus é superior a Josué. O meio de entrar no repouso de Deus
Lição 4 - Jesus é superior a Josué. O meio de entrar no repouso de DeusLição 4 - Jesus é superior a Josué. O meio de entrar no repouso de Deus
Lição 4 - Jesus é superior a Josué. O meio de entrar no repouso de Deus
 
Lição 3 - A superioridade de Jesus em relação a Moisés
Lição 3 - A superioridade de Jesus em relação a MoisésLição 3 - A superioridade de Jesus em relação a Moisés
Lição 3 - A superioridade de Jesus em relação a Moisés
 
Lição 2 - Uma salvação grandiosa
Lição 2 - Uma salvação grandiosaLição 2 - Uma salvação grandiosa
Lição 2 - Uma salvação grandiosa
 
01 - A Carta aos hebreus e a excelência de Cristo
01 - A Carta aos hebreus e a excelência de Cristo01 - A Carta aos hebreus e a excelência de Cristo
01 - A Carta aos hebreus e a excelência de Cristo
 
Lição 13 - Glorificados em Cristo
Lição 13 - Glorificados em CristoLição 13 - Glorificados em Cristo
Lição 13 - Glorificados em Cristo
 
Lição 12 - Perseverando na fé
Lição 12 - Perseverando na féLição 12 - Perseverando na fé
Lição 12 - Perseverando na fé
 
Lição 10 - O processo da salvação
Lição 10 - O processo da salvaçãoLição 10 - O processo da salvação
Lição 10 - O processo da salvação
 
Lição 9 - Arrependimento e fé para salvação
Lição 9 - Arrependimento e fé para salvaçãoLição 9 - Arrependimento e fé para salvação
Lição 9 - Arrependimento e fé para salvação
 
Lição 8 - A salvação e o livre-arbítrio
Lição 8 - A salvação e o livre-arbítrioLição 8 - A salvação e o livre-arbítrio
Lição 8 - A salvação e o livre-arbítrio
 
Lição 7 - A Salvação pela Graça
Lição 7 - A Salvação pela GraçaLição 7 - A Salvação pela Graça
Lição 7 - A Salvação pela Graça
 
Lição 6 - A abrangência universal da salvação
Lição 6 - A abrangência universal da salvaçãoLição 6 - A abrangência universal da salvação
Lição 6 - A abrangência universal da salvação
 
Lição 5 - A obra salvífica de Jesus Cristo
Lição 5 - A obra salvífica de Jesus CristoLição 5 - A obra salvífica de Jesus Cristo
Lição 5 - A obra salvífica de Jesus Cristo
 
Lição 8 - A Igreja de Cristo
Lição 8 - A Igreja de CristoLição 8 - A Igreja de Cristo
Lição 8 - A Igreja de Cristo
 
Lição 7 - A necessidade do novo nascimento
Lição 7 - A necessidade do novo nascimentoLição 7 - A necessidade do novo nascimento
Lição 7 - A necessidade do novo nascimento
 
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a DeusLição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
 
Lição 5 - A identidade do Espírito Santo
Lição 5 - A identidade do Espírito SantoLição 5 - A identidade do Espírito Santo
Lição 5 - A identidade do Espírito Santo
 

08

  • 1.
  • 2. “Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus” (Fp 3.14). TEXTO ÁUREO Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado Campo de Presidente Prudente - SP
  • 3. A maior aspiração do crente deve ser a conquista do prêmio da soberana vocação em Cristo Jesus. VERDADE PRÁTICA Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado Campo de Presidente Prudente - SP
  • 4. 12 - Não que já a tenha alcançado ou que seja perfeito; mas prossigo para alcançar aquilo para o que fui também preso por Cristo Jesus. 13 - Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam e avançando para as que estão diante de mim, 14 - prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus. Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado Campo de Presidente Prudente - SP LEITURA BÍBLICA EM CLASSE Fp 3.12-17
  • 5. 15 - Pelo que todos quantos já somos perfeitos sintamos isto mesmo; e, se sentis alguma coisa doutra maneira, também Deus vo-lo revelará. 16 - Mas, naquilo a que já chegamos, andemos segundo a mesma regra e sintamos o mesmo. 17 - Sede também meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós, pelos que assim andam. nós, pelos que assim andam. Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado Campo de Presidente Prudente - SP LEITURA BÍBLICA EM CLASSE Fp 3.12-17
  • 6. PROPOSTA DA LIÇÃO Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado Campo de Presidente Prudente - SP • Se não olharmos para o alvo corremos o risco de cair; • Paulo nunca corria sem meta; • Não se considerava um iluminado, não se deixou enganar; • “Perfeitos”: filipenses servindo a Deus no Espírito; • Regras: ações e atitudes semelhantes a de Jesus; • Paulo tinha um caráter ilibado, exemplo; • As dificuldades, tentações e obstáculos continuam atuais; • Ainda precisamos alcançar a perfeição, sejamos sóbrios; • Paulo era um sofredor consciente e fiel. Suportou tudo.
  • 7. INTRODUÇÃO Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado Campo de Presidente Prudente - SP • Paulo alertou os filipenses sobre a obediência e “cães”; • Nova preocupação: excelência do conhecimento; • Igreja de Filipos: persiga o alvo – Maturidade cristã. a) Porque a igreja deveria imitar a Paulo: • Ele se dedicou pela causa do Evangelho; • Sempre buscou a excelência do conhecimento; • Nada impediu sua corrida ao prêmio (2 Co 11.24-33); • Sua esperança era maior que as adversidades; • Ao final declarou: “combati o bom combate ...”.
  • 8. I – ASPIRAÇÃO PAULINA Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado Campo de Presidente Prudente - SP 1) PROSSIGO PARA O ALVO • Paulo abriu o coração. Revelou seu objetivo; • Tal como um atleta, ele se preparava para a corrida; • Os embaraços da vida não atrapalharam. 2) O SENTIMENTO DE INCOMPLETUDE DE PAULO • Paulo nunca correu sem meta. Havia muito a conhecer; • Não se satisfazia somente com a abertura de igrejas; • Mesmo no cárcere, desejou avançar, queria mais. 3) O ENGANO DA PRESUNÇÃO ESPIRITUAL • Paulo não se iludia com a ideia de “perfeição”; • Perfeição: somente aqueles que terminam a carreira; • Ele não queria ser reprovado antes da linha de chegada.
  • 9. II – A MATURIDADE ESPIRITUAL DOS FILIPENSES Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado Campo de Presidente Prudente - SP 1) SOMOS PERFEITOS (3.15)? • “Perfeito”: refere-se aos benefícios recebidos de Jesus; • Que nos fazem servir a Deus e não “confiar na carne”; • O processo da salvação: perfeito e completo. 2) O CRISTÃO DEVE ANDAR CONFORME A MATURIDADE • Andar segundo a mesma regra: doutrina de Cristo; • Corram para o prêmio, mas cresçam, progridam; • O zelo pelas regras de Deus levam ao final da carreira. 3) EXEMPLO A SER IMITADO (3.17) • Paulo procurou imitar Jesus, servindo a Igreja de Cristo; • A igreja deveria imitá-lo e fugir dos maus exemplos; • Ele anda caminhava, lutava e buscava a perfeição.
  • 10. III – A ASPIRAÇÃO CRISTÃ HOJE Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado Campo de Presidente Prudente - SP 1) A ATUALIDADE DO DESEJO PAULINO • Paulo: exemplo para os filipenses e para a igreja; • Os obstáculos e empecilho à comunhão continuam; • A vida cristã não é um mundo de fantasia. 2) CRISTÃO DEVE ALMEJAR A MATURIDADE ESPIRITUAL • Ainda precisamos alcançar a perfeição; • Sejamos sóbrios e vigilantes; • A salvação nos abriu a porta o crescimento espiritual. 3) REJEITANDO A FANTASIA DA FALSA VIDA CRISTÃ • Paulo era um sofredor consciente (At 9.16); • Foi difícil, mas ele suportou tudo por causa da obra; • Prossigamos, pelo prêmio da soberana vocação.
  • 11. • Toda a vida de Paulo foi centrada na pessoa de Jesus; • Ele fazia tudo para agradá-lo; • Ele aspirou em conhecer mais do Mestre da Galileia. OBJETIVOS DA LIÇÃO 1) Compreender qual era a verdadeira aspiração de Paulo: • Ele queria conhecer mais de Jesus. 2) Analisar a maturidade espiritual dos filipenses: • Serviam a Deus e não confiavam na carne. 3) Conscientizar-se a respeito da aspiração cristã: • A vida cristã não é uma fantasia, é uma realidade. CONCLUSÃO Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado Campo de Presidente Prudente - SP
  • 12.
  • 13. Contato: ailtonsilva2000 @yahoo.com.br @gmail.com .blogspot.com facebook Álvares Machado (SP) 3º trim. 2013 ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado Campo de Presidente Prudente - SP