Lição 13

183 visualizações

Publicada em

retorno a essencia do evangelho

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
183
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lição 13

  1. 1. Texto áureo
  2. 2. • Saber: que apesar de todo o trabalho desenvolvido pelos efésios, eles perderam a principal virtude exigida pelo senhor, o amor • Compreender: que a renovação espiritual é uma obra continua promovida pelo Espirito Santo na vida do salvo. • Entender: que todas as iniquidade procedentes do coração humano têm origem na falta de amor
  3. 3. • A quem se destina a mensagem do apocalipse? • Foi escrita as sete igrejas da Ásia. • A mensagem foi lida compartilhada com os cristão da outra regiões todos que esperavam um novo céu é uma terra • As sete igrejas representam os diversos tipos de igrejas e os problemas por elas enfrentados ao longo das épocas.
  4. 4. • PALAVRA INTRODUTÓRIA- • “sete igrejas fundadas na Ásia Menor”, é onde atualmente está a Turquia, sãos as igrejas que foram fundadas antes de Paulo passar à Macedônia At 16.9 • Não abordaremos, nesta oportunidade, as questões escatológicas apresentadas por João”, escatologia é o estudo sobre as últimas coisas, ou os últimos acontecimentos da humanidade.
  5. 5. 1. A IGREJA DE ÉFESO • - “permeada pela idolatria”, Timóteo foi quem pastoreou a igreja de Éfeso logo após a morte de Paulo. • - “paganismo”, é o culto a deuses estranhos, ídolos.
  6. 6. 1.1. Paulo e João: Cartas à Igreja de Éfeso • - “período em que João escreveu o Livro”, Paulo havia escrito à Timóteo antes do ano 70 provavelmente e Apocalipse foi escrito lá pelo ano 96 aproximadamente, então já fazia uns 26 anos ou mais, com certeza já tinha uma outra geração de crentes ali.
  7. 7. 1.2. As primeiras obras da igreja de Éfeso • - “perderam a principal virtude”, isso mostra que grandes obras não conta para nada se faltar o amor. Observamos que alguns crentes se gabam de grandes feitos, mas não se orgulham de ter amor pelas vidas e nem pela obra de Deus. • - “manter acesa a chama do amor”, não é fácil ganhar almas para o Senhor e manter as que ganhamos é tão difícil quanto e só o amor pode promover isso. Então para mantermos as almas que ganhamos para Jesus precisamos primeiro manter acesa a chama do amor.
  8. 8. 1.3. Exortação à igreja de Éfeso • - “motivo que levou a igreja de Éfeso a abandonarem”, é interessante falar aos alunos que quando foi escrito essa carta Paulo havia sido decapitado, Pedro havia sido crucificado de cabeça para baixo, e João estava exilado na ilha de Patmos, é possível que esses fatores tenham contribuído para o esfriamento, de quase todas as igrejas naquela região. • - “arrefecimento”, significa resfriamento. • - “a prática do mal é banalizada”, banalizar significa tornar comum, sem importância, e isso pode acontecer com o pecado, quando se torna comum pecar é porque o esfriamento está chegando ou já chegou.
  9. 9. 2. A RENOVAÇÃO ESPIRITUAL • - “obra contínua promovida pelo Espírito Santo”, é o operar diário do Espírito em nós, quando nos afastamos dele começamos a esfriar no amor. • - “esvai-se no cotidiano”, quer dizer que a nossa caminhada diária nesse mundo faz com que percamos aos poucos essa unção espiritual, mas o Espírito Santo nos renova a cada dia.
  10. 10. 2.1. Os aspectos da renovação espiritual • - “comunidades eclesiásticas”, não podemos pensar em igreja daquele período como as conhecemos hoje, não havia templos e nem era reconhecido pelo estado o seu funcionamento. Eram comunidades que se reuniam nas casas dos irmãos. Quando haviam perseguições eles se reuniam secretamente. • - “incentivando-os a continuidade”, quando Paulo escreveu isso eles estavam em plena prática fervorosa do Evangelho de Cristo, por isso ele estimula a continuidade.
  11. 11. 2.1.1. Restauração • - “elemento essencial à comunhão”, quem tenta manter uma comunhão com Deus sem esse elemento acaba se frustrando ou fingem ter comunhão com Deus para não ficar mal diante da igreja. • - “João informa-nos”, convêm lembrar que João só escreveu e enviou a carta, pois quem ditou a ele foi o próprio Senhor Jesus. • - “corroborando a ideia paulina de continuidade”, isso quer dizer que quando Paulo os exortou 26 anos antes, a continuarem no amor, estava sendo direcionado pelo Espírito Santo, uns 26 anos depois o Senhor Jesus apontou que eles não seguiram a orientação de Paulo.
  12. 12. 2.1.2. Continuidade • - “dando lugar ao novo”, todo dia o velho homem tenta se reerguer de novo, mas devemos alimentar espiritualmente o novo homem, salvo em Cristo. • - “uma geração corrompida e perversa”, estamos no meio de um povo de impuros lábios, por isso precisamos dessa renovação contínua, pelo contato com Espírito Santo.
  13. 13. 2.2. A importância da renovação • - “já não atende mais tão rapidamente”, em alguns momentos o Senhor fica em silêncio para provar nossa fé e perseverança. A batalha na obra de Deus tende a ficar mais intensa e por isso precisamos estar maduros para prosseguir, o silêncio de Deus serve ara separar os imaturos dos maduros para o serviço do Senhor. • - “que tudo será sempre igual”, isso acaba fazendo com que paremos com algumas práticas importantes como a oração, jejum e a leitura da Palavra de Deus.
  14. 14. 2.3. O Espírito Santo em nós • - “um fascínio desmedido”, alguns começam a olhar e a considerar que estão perdendo algumas coisas dessa vida. • - “acaba por ser vivificado”, eles começam a retornar a escravidão do pecado, nesse ponto perdem a salvação e alguns continuam dentro das igrejas levando uma vida cristã de fachada.
  15. 15. 3. O RETORNO À ESSÊNCIA • O que a mensagem de Cristo revela concernente à estagnação espiritual, declínio e apostasia? • As sete cartas às igrejas da Ásia sugerem que a tendência das igrejas é acomodar-se no erro, aceitar falsos ensinos e adaptar-se aos princípios anticristãos prevalecentes no mundo. Além disso, observa-se frequentemente homens e mulheres apóstatas, vis e infiéis estragam as igrejas. Por isso, o progresso espiritual de uma igreja nunca deve ser evocado como prova de que ela está dentro da vontade de Deus, nem para se afirmar que anda na verdade e na doutrina do Senhor. O evangelho, a mensagem original de Cristo e dos apóstolos, é a autoridade suprema para avaliar o certo e o errado nesse campo.
  16. 16. 3.1. A quase morte do amor • - “caminhar a segunda milha”, essa é a proposta de prática do amor feita por Jesus, onde Ele chama seus servos a terem um padrão de amor mais elevado do que qualquer instituição terrena. Um padrão que não é possível a homem nenhum, a não ser pela capacitação do Espírito Santo de Deus. • - “remanescentes”, são os que sobram, quando tudo parece perdido ainda restam alguns que não se dobraram a baal. • - “palavras de João”, palavras de Jesus.
  17. 17. CONCLUSÃO • - “termos visto tantas manifestações da Graça”, um dos motivos está nas expectativas do crente, se ele começa a idealizar um evangelho onde deverá receber coisas ou cargos e o tempo passa e não recebe essas coisas, então as muitas revelações que ele presenciou fazem com que ele encha de tédio e não de fé. • - “cozinhar pra Jesus”, refere-se ao crente que trabalha na obra mas não se aprofunda nas palavras e no relacionamento com o Senhor.

×