O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

anestesia e curativo cirurgico.pdf

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio

Confira estes a seguir

1 de 27 Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Mais recentes (20)

Anúncio

anestesia e curativo cirurgico.pdf

  1. 1. ANESTESIA Prof. Enf. Luciana Miranda
  2. 2. CONCEITO • Estado de relaxamento, perda da sensibilidade e dos reflexos, de forma parcial ou total, provocada pela ação de drogas anestésicas. • Objetivos – evitar a dor e facilitar o ato operatório. • Tipos de anestesia: • Todo corpo(anestesia geral); • Partes do corpo (anestesia local, raquidiana e peridural);
  3. 3. ANESTESIA GERAL • Administra-se o anestésico por via inalatória, endovenosa ou combinada; • Promover um estado reversível de ausência de sensibilidade, relaxamento muscular, perda de reflexos e inconsciência devido à ação de uma droga ou mais no Sistema Nervoso;
  4. 4. ANESTESIA GERAL • Administra-se o anestésico por via inalatória, endovenosa ou combinada; • Promover um estado reversível de ausência de sensibilidade, relaxamento muscular, perda de reflexos e inconsciência devido à ação de uma droga ou mais no Sistema Nervoso;
  5. 5. VIA INALATÓRIA • Enquanto inala, haverá anestesia. • Estágios na anestesia: • Início da anestesia: calor, vertigem, relaxamento; • Excitação: agitação, gritos, canto, risos; • Anestesia Cirúrgica: inconsciente, respiração irregular; • Perigo: anestesia em excesso, pulso fraco e filiforme;
  6. 6. VIA INALATÓRIA • Vantagens – indução e recuperação rápida e útil, para quase todo tipo de cirurgia; • Desvantagens – pode ocorrer lesão hepática ou renal, e outras;
  7. 7. VIA INALATÓRIA
  8. 8. VIA INTRAVENOSA/ ENDOVENOSA • Infundir medicações venosas durante a cirurgia. • Constitui 3 fases: • Indução – administração e se prolonga até o momento da incisão cirúrgica; • Manutenção – manter o paciente em plano cirúrgico até o fim da cirurgia; • Emersão – superficialização do estado de anestesia;
  9. 9. VIA INTRAVENOSA/ ENDOVENOSA • Única anestesia que serve para qualquer tipo de cirurgia; • Vantagens – inicio agradável, fácil de administrar; • Desvantagens – alguns anestésicos podem causar efeitos;
  10. 10. VIA INTRAVENOSA/ ENDOVENOSA
  11. 11. RAQUIANESTESIA • Injeção de anestésico dentro do canal que leva a condução das sensações táteis e dolorosas das pernas e barriga ao cérebro. • No espaço subaracnóide da região lombar (LCR).
  12. 12. RAQUIANESTESIA • Bloqueio subaracnóideo. • Decúbito lateral – com os joelhos próximos do abdome e o queixo encostado no tórax. • O circulante mantém o cliente nessa posição colocando uma das mãos na região cervical e a outra na dobra posterior do joelho durante a punção; • Sentado – sentado com as pernas pendendo lateralmente para fora da mesa cirúrgica e o queixo apoiado no tórax. • O circulante deve colocar-se à frente, com as mãos em sua nuca;
  13. 13. RAQUIANESTESIA
  14. 14. RAQUIANESTESIA
  15. 15. RAQUIANESTESIA • A anestesia vai se instalando de baixo para cima e ao término segue caminho inverso. • Vantagens – fácil administração, baixo custo e mínimo material, inicio rápido e relativamente mais segura; • Desvantagens – queda da pressão sanguínea, náuseas, vômitos; • Pós operatório – cefaléia intensa;
  16. 16. PERIDURAL • Epidural/ extradural; • Realizada nas costas, anestesiando maioria das vezes, apenas as fibras nervosas que conduzem a DOR; • Considerada anestesia mais fraca, tirando apenas a dor, permitindo a sensação tátil e pressórica. Associar-se a uma sedação para evitar desconforto; • Vantagens – ausência de complicações neurológicas; • Desvantagens - técnica ao introduzir o anestésico, bloqueios insuficientes e falas;
  17. 17. PERIDURAL
  18. 18. ANESTESIA LOCAL • Infiltração local – por meio de uma seringa, aplicada dentro dos tecidos no local da incisão; • Vantagens – simples, econômica; • Desvantagens – choque anafilático e curta duração;
  19. 19. ANESTESIA LOCAL
  20. 20. BLOQUEIO PLEXO BRAQUIAL • Consiste em anestesiar apenas um braço a ser operado, geralmente não mexe o braço após ser anestesiado; • Pode ser feito no pescoço ou na axila, dependendo da cirurgia a ser realizada no tal braço; • Vantagens – equipamento mínimo, econômica; • Desvantagens – alergia e lesão do nervo pela má absorção;
  21. 21. BLOQUEIO PLEXO BRAQUIAL
  22. 22. ATENTAR PARA... • Todas as anestesias descritas, podem ser associadas com anestesia geral; • O médico responsável em avaliar o paciente no pré operatório, prescrever a medicação pré anestésica, administrar a anestesia, controlar as condições do paciente durante a cirurgia e assisti- lo na URPA; • Assistência de Enfermagem;
  23. 23. PRINCIPAIS RISCOS PARA A ANESTESIA • Náuseas e Vômitos: Pode afetar os pacientes durante o procedimento cirúrgico ou no pós-operatório. Quando ocorre, vira-se o paciente de lado e coloca-se uma cuba para coletar o vômito. A aspiração é usada para remover saliva e o conteúdo gástrico vomitado. • Anafilaxia: A anafilaxia é uma reação alérgica aguda e intensa com risco de vida. A qualquer momento que o paciente entra em contato com uma substância estranha, existe o potencial para uma reação anafilática. • Hipóxia: A hipóxia é a depressão respiratória, ou seja, saturação de oxigênio abaixo de 94% que pode ser causada pelos anestésicos, vômitos, asfixia causada por corpo estranho na boca, o relaxamento da língua, saliva, sangue e a posição do paciente na mesa de cirurgia podem comprometer a respiração do paciente.
  24. 24. CURATIVO CIRURGICO Definição • Lesão com ruptura da derme causada por incisão e em condições assépticas Objetivo • Promover ambiente adequado à cicatrização e evitar contaminação da ferida.
  25. 25. CURATIVO CIRURGICO Material a ser utilizado • Luva de procedimento; • Máscara descartável; • Gaze estéril; • Filme transparente ou adesivo hipoalergênico estéril; • SF 0,9%; Clorexidine alcoólica; • Álcool 70%;
  26. 26. CURATIVO CIRURGICO Procedimento • Reunir todo material em uma bandeja; • Higienização das mãos • Calçar luva de procedimento; • Abrir o lacre do frasco de SF 0.9%; • Fazer antissepsia do frasco; • Pegar um chumaço de gaze; • Pegar com a mão esquerda o frasco de SF 0.9% e umedecer a gaze;
  27. 27. CURATIVO CIRURGICO Procedimento • Limpar a ferida em movimento único e de dentro para fora; • Repetir procedimento até total limpeza da ferida; • Umedecer gaze com Clorexidine alcoólica ou álcool 70 % e limpar pele ao redor da ferida também em movimento únicos de dentro para fora; • Aguardar secar a cicatriz cirúrgica; • Aplicar o filme transparente ou adesivo hipoalergênico estéril; • Colocar data, nome do profissional que executou ou procedimento; • Recolher todo material mantendo o ambiente em ordem.

×