Retomada aula final sugestão projeto (1)

139 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
139
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Retomada aula final sugestão projeto (1)

  1. 1. UNISEB Centro Universitário Orientação Educacional e Formação do Educador Retomada aula final Profa. Me. Letícia Fonseca Castro
  2. 2. Retomada • Os slides a seguir são auto explicativos, possuem o passo a passo de um projeto para formação contínua, sugerido em aula. • Este projeto pode ser realizado pelo Coordenador Pedagógico em parceria com outros membros da gestão escolar, direcionando aos docentes.
  3. 3. Sugestão de atividade para formação continuada de professores Projeto de leitura para formação continuada docente: Título do projeto: “Professores leitores em formação” • Objetivos gerais: - Evidenciar para equipe a importância da leitura. - Incentivar o grupo escolar na leitura assídua de obras literárias. - Ampliação do repertório de histórias e autores para que possam formar-se contadores de histórias! 3
  4. 4. Metodologia • Desenvolver situações em que docentes, coordenação pedagógica e equipe gestora se envolvam em diferentes práticas de leitura. • Roda de leitores, ouvir histórias lidas pelo coordenador e pares, troca de indicações, discussões de fichas literárias... • Outras situações que podem ir surgindo ao longo do processo, garantindo o objetivo proposto. 4
  5. 5. Estratégias e organização prévia • Equipe envolvida: docentes em formação continuada, coordenação pedagógica e equipe gestora. • Cabe a equipe administrativa: aquisição, empréstimo, troca e reaproveitamento de livros e outros materiais que viabilizem a leitura de livros literários e pedagógicos para a equipe docente. • Cabe a equipe coordenadora pedagógica: organização de estratégias, incluindo encontros para a formação continuada do professor como leitor. 5
  6. 6. Estratégias e organização prévia • Espaço a ser utilizado: variados, desde que organizados devidamente: Biblioteca, salas de leitura, murais e demais ambientes dedicados à leitura ou divulgação da literatura. • Tempo estimado: durante o ano letivo. • Material necessário: livros de literatura, mural, questionário prévio para percepção das necessidades do grupo, textos literários impressos, jornais, revistas e materiais para varal literário como: barbante, pregador de roupas. 6
  7. 7. Desenvolvimento • 1ª fase: Faça o levantamento de informações que podem auxiliar na organização do projeto (interesse de temas, autores de livros) e organize o acervo literário da escola. - O objetivo é conhecer os interesses dos docentes participantes, bem como sobre os livros lidos ultimamente, conhecendo assim os hábitos e as preferências em relação a gêneros, autores, temas. • 2ª fase: Compartilhe com toda a equipe as informações e discuta algumas propostas para serem realizadas ao longo do ano. 7
  8. 8. Desenvolvimento • 3ª fase: Realize leitura em voz alta no início do HTPC – em todos os encontros – para que o grupo se sinta a vontade em fazer o mesmo ao longo dos encontros. • 4ª fase: Rodas de leitura (temáticas ou livres) Peça aos professores que tragam para o HTPC um livro de sua preferência. • 5ª fase: Encontro final/Café literário - Reunião com a equipe participante do projeto com professores de uma escola parceira, com objetivo de realizar um encontro literário (Leitura, indicações literárias, mural). 8
  9. 9. Avaliação do projeto • A avaliação do projeto deve ocorrer de forma a retomar os objetivos do projeto. Para tanto, refaça o questionário inicial e compare os dados obtidos, avaliando assim se ocorreram mudanças de atitudes em relação aos hábitos leitores assim como se ampliaram e diversificaram as leituras realizadas. • Avalie também o envolvimento da equipe e se os professores levaram para a sala de aula algumas das práticas vivenciadas durante o projeto como a realização de rodas de leitura, a leitura em voz alta. 9
  10. 10. Sugestões e Dicas: Formação inicial e continuada • A contação de histórias proporciona desde muito tempo diversão às crianças, por isso é necessário que façamos um resgate dos momentos mágicos desta proposta.  Vale lembrar que esta atividade estimula a leitura pela criança! • É de fundamental importância que nós docentes possamos, de início, encontrar o contador de história que há em nós mesmos. 10
  11. 11. Sugestões e Dicas: Formação inicial e continuada • Enquanto docente é fundamental que possamos aprimorar a capacidade expressiva e criativa, e também, a partir da prática de contação de histórias ensinar as crianças a valorizar a relação com o livro como fonte de inspiração na busca de formar, através da prática, mais que leitores, cidadãos humanizados, sensíveis, inteligentes e questionadores, prontos para aventura do saber. 11
  12. 12. Sugestões e Dicas: Formação inicial e continuada Para ser um bom contador de história é preciso que o contador: 1. Demonstre “participar” da história; 2. Narre com naturalidade e sem afetação; 3. Busque conhecer com confiança o enredo; 12
  13. 13. 4. Domine o interesse do público; 5. Fale com voz adequada, clara e agradável; 6. Cuidado com os gestos 7. Seja original; 8. Tenha conhecimento da história. 13
  14. 14. O que um bom contador de histórias deve saber? • Que o momento da história oferece às crianças a expansão de sua linguagem: enriquece seu vocabulário, facilita a expressão e articulação. • Ao trabalharmos a leitura estamos estimulando a inteligência, desenvolvimento da criatividade e a aquisição de conhecimentos. • Este momento também propicia socialização, a medida que além de identificar-se com o grupo e com o ambiente, a criança é levada a estabelecer associações, por analogias, entre e o que conhece. 14
  15. 15. Dica de filme "O homem que plantava árvores" 15
  16. 16. Acesse http://revistaescola.abril.com.br Vídeo: Oito desafios da formação de professores (parte 1), com a professora Bernardete Gatti, pesquisadora da Fundação Carlos Chagas. www.revistaescola.abril.com.br Artigo: “Na formação continuada não basta (só) tapar os buracos” de Ana Rita Martins, 2008 16
  17. 17. Referências • ALARCÃO, I. Formação Reflexiva de Professores. Portugal. Editora Porto, 1996. • FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia. 20ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996. • FINK, D. H., A. Liderança Sustentável: Desenvolvendo de Gestores da Aprendizagem, Porto Alegre: Artmed, 2007. cap.1 p.31-59. • TESSARIM. M. M. O. Formação continuada de professores. 2010. Acesso em 02 de junho de 2011.<http://www.unicastelo.br>. 17
  18. 18. Referências • GADOTTI, M. Perspectivas atuais da educação. Porto Alegre: Ed. Artes Médicas, 2000. • NÓVOA, A. Concepções e práticas da formação contínua de professores: In: Nóvoa A. (org.). Formação contínua de professores: realidade e perspectivas. Portugal: Universidade de Aveiro, 1991. • PRADA, L. E. A. Formação participativa de docentes em serviço. Taubaté. Cabral Editora Universitária, 1997. 18
  19. 19. Fim da aula. Grata pela atenção! 19

×