O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 2

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio

Confira estes a seguir

1 de 7 Anúncio

Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 2

Baixar para ler offline

Desde o princípio da revelação bíblica, Deus exigiu que o Seu povo guardasse suas leis, estatutos e juízos.
A lei e o estatuto prescrevem o que deve ser obedecido, e os juízos divinos consistem nas ameaças e penalizações e sentenças atreladas ao descumprimento das leis e estatutos.

Desde o princípio da revelação bíblica, Deus exigiu que o Seu povo guardasse suas leis, estatutos e juízos.
A lei e o estatuto prescrevem o que deve ser obedecido, e os juízos divinos consistem nas ameaças e penalizações e sentenças atreladas ao descumprimento das leis e estatutos.

Anúncio
Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Mais de Silvio Dutra (20)

Mais recentes (20)

Anúncio

Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 2

  1. 1. Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 2 Por John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra
  2. 2. 2 (2.) Todos os que, desde o princípio do mundo sofreram até ao sangue, por causa da religião, e sofreram na causa de Cristo, pela fé nEle e na confissão dEle, a saber, como por Ele foi prometido à igreja. Diante dEle e ao seu ofício, Abel pela fé, deu testemunho disso em figura, através do sacrifício sangrento que ele ofereceu a Deus. Ele foi portanto, morto na causa de Cristo, pois deu testemunho que necessitava daquele sangue para cobrir o seu pecado, o qual tipificava o sangue e o sacrifício que Jesus faria. E, considerando que esta geração referida em Lucas 11: 45-51 iria matar o próprio Cristo, e assim o fez; aprovou e justificou todo o sangue que foi derramado desde a fundação do mundo, e se tornaram justamente responsáveis pelo castigo que lhes era devido, e que sofreram na destruição de Jerusalém em 70 d.C pelos romanos. Por isso, nosso Salvador lhes diz em Mateus 23:35, que eles, os homens daquela geração mataram Zacarias, que foi realmente morto muitos séculos antes. (3.) Nosso bendito Salvador menciona particularmente, Abel e Zacarias. (2 Crônicas 24: 20-22). Em relação a esses dois, observa-se que a morte de ambos "clamou pela vingança". Então, Deus testifica do sangue de Abel como que clamando a ele desde a terra, em que foi derramado por Caim. (Gênesis 4:10) E, de Zacarias, quando ele morreu disse: "O Senhor viu e o retribuirá". Assim, o apóstolo afirma, que "Abel morto ainda fala" (Hb 11: 4), isto é, o sangue dele clamou por vingança, como ele diz no capítulo 12:24, pois esta
  3. 3. 3 carta aos Hebreus foi escrita antes e próximo da destruição de Jerusalém em 70.d.C. Na rejeição e destruição absoluta daquela igreja antiga dos judeus e pessoas apostatadas, o sangue de todos os que sofreram sob o Antigo Testamento foi vingado por Deus, como manifestação de seu juízo condenatório sobre eles. O sangue de Abel não clama mais, nem Deus olha mais para o sangue de Zacarias para exigi-lo, mas a voz do clamor agora é continuada por outro tipo de homens, ou seja, por aqueles que sofreram na causa de Cristo desde a Sua primeira vinda, de acordo com a promessa. (Ap 6: 9,10) Este clamor dos santos que foram mortos desde o começo da igreja cristã continuará, até que o tempo designado venha para a total destruição do estado anticristão e apostatado, nos dias do Anticristo. Quando uma igreja ou pessoas pecaminosas passarem os limites máximos da paciência divina, eles cairão em tal condição abominável por pecados e provocações, que chamam maior vingança para suas abominações. Então, Josefo afirma daquela geração de Judá que foi destruída pelos romanos em 70 d.C., depois de terem rejeitado e matado o Senhor Jesus Cristo, que eles caíram em um abismo que provocou abominações, que se os romanos não tivessem vindo e os destruído, Deus teria enviado fogo sobre eles do céu, como fez em Sodoma. (Nota do tradutor: A destruição de Jerusalém pelos romanos em 70 d.C. significou a pá de cal que Deus colocou sobre o ministério da igreja judaica, que perdeu sua função com o encerramento da dispensação da
  4. 4. 4 Antiga Aliança, porque foram infiéis à mesma, com as adulterações que haviam introduzido na adoração ao Senhor, pela rejeição de Jesus, e perseguição cruel que os judeus estavam fazendo aos crentes. Assim, se tornou uma amostra, um exemplo do que sucederá à igreja apóstata de Cristo no final dos tempos, em que aqueles que não adoram a Deus segundo a verdade de Sua Palavra serão visitados com seus juízos, e dispersos tal como Judá havia sido no passado.) Podemos, por sinal observar a partir daí, que é perigoso viver nos tempos das igrejas em declínio, quando elas estão se apressando em seu período fatal em julgamentos tais, como inevitavelmente acontecerão a todos. É assim, por estas três razões: [1.] Porque tais tempos são perigosos, através das tentações da abundância das concupiscências dos homens em toda imundície e maldade. Então, o apóstolo afirma em 2 Timóteo 3: 1-5 - Se alguém pensa que eles estão livres de perigo, porque ainda não sentem maldade, enquanto as luxúrias dos homens que professam a religião cristã abundam visivelmente, abertamente, e se irritam no mundo estarão enganados. [2.] Embora a destruição não lhes suceda imediatamente, ainda assim, quando passar o tempo da paciência divina projetando sua reforma, eles se precipitarão em abominações sangrentas, assim como a igreja dos judeus. [3.] O julgamento os ultrapassará, e Deus se vingará de seus pecados e provocações, especialmente das perseguições e do sangue dos que viveram antes deles, e os conduziram à sua apostasia.
  5. 5. 5 Então, quando Ele vier destruir a Babilônia mística, ou a igreja estado anticristã do Apocalipse diz-se que "nela foi encontrado o sangue dos profetas, dos santos, e de todos os que foram mortos sobre a terra". (Apocalipse 18 : 24) Mesmo o sangue dos santos, que foi derramado pela Roma pagã deve ser vingado da Roma anticristã nos últimos dias, porque esta última abraçou a causa e caminhou no caminho da outra, justificando em sua própria prática o que eles haviam feito. Muitos cristãos verdadeiros foram martirizados pela inquisição da Igreja Romana, e muitos foram perseguidos pela referida igreja desde os primeiros séculos do cristianismo. 2. Foi um momento em que os julgamentos estavam próximos; então nosso próprio Salvador falou sobre isto: "e dizia: Ah! Se conheceras por ti mesma, ainda hoje, o que é devido à paz! Mas isto está agora oculto aos teus olhos". "Pois sobre ti virão dias em que os teus inimigos te cercarão de trincheiras e, por todos os lados, te apertarão o cerco"; "e te arrasarão e aos teus filhos dentro de ti; não deixarão em ti pedra sobre pedra, porque não reconheceste a oportunidade da tua visitação". (Lc 19: 42-44) Eles não tinham mais um dia, e agora estão quase prontos para expirar, embora não vissem nem acreditassem nisso, mas o dia da sua desolação se aproximou continuamente, e quando o apóstolo escreveu sua Epístola aos Hebreus, estava fazendo referência a eles, no que estava perto de lhes acontecer. Daí sua exortação para que os crentes não apostatassem, sendo endurecidos pelo engano do pecado, pois havia o
  6. 6. 6 grande perigo de serem colhidos pelo grande juízo que estava às portas: "Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima".(Hb 10: 25) Nota do Tradutor: O juízo sobre os judeus em 70 d.C. com a destruição de sua nação pelos romanos, por causa da rejeição de Jesus e da perseguição que estavam fazendo à Igreja de Cristo, foi uma amostragem do que Deus fará com todo o mundo no tempo do fim, quando a apostasia terá atingido graus além do limite suportável, como já se vê em nossos dias. Esta é a razão da intranquilidade que está sendo trazida sobre o mundo neste século, pois Cristo e o Evangelho têm sido severamente rejeitados e desprezados - e se Deus não trouxe o juízo antes, é porque todos os que ainda deveriam ser salvos (eleitos) sequer tinham nascido, e também o Evangelho não havia ainda sido pregado em todas as nações como ocorreu somente recentemente, e nem Israel havia retornado à Palestina, sendo reconhecido como nação somente em 1947. Então, o quadro está montado para que o flagelo final sobre a impiedade do mundo surja, a saber o Anticristo, que já deve ter nascido e está entre nós aguardando somente que o Espírito Santo permita que ele se manifeste. É tempo portanto, mais do que nunca, para um constante arrependimento e conversão a Jesus, pois o juízo de Deus está à porta. O sangue dos servos de Deus que foi derramado pela perseguição e ódio contra eles, desde que Jesus ressuscitou, ainda está clamando por vingança, como se
  7. 7. 7 vê no livro de Apocalipse, e o Senhor o vindicará das mãos que estão ensanguentadas na presente geração pela visitação de um terrível juízo na volta de Jesus. Deverá acontecer um catalisador para reforçar os argumentos em prol da agenda globalista do Ocidente (Agenda 2030 da ONU), com a atual guerra da Rússia contra a Ucrânia, sob a alegação de que o mundo deve estar unido contra a ameaça russa; e para isto, as políticas nacionalistas devem ser colocadas de lado, em prol de uma política cosmopolita com um governo central que controle e harmonize as ações de todas as nações coligadas ao núcleo da OTAN, que deve ser estender consideravelmente nesta ocasião, inclusive a países da América Latina e da Região do Cáucaso. Será com esta coligação que o Anticristo governará. Este é o mistério da iniquidade se consumando. É o plano antigo de Satanás, para destruir Israel e os cristãos. E, os que a Ele se coligarem, em sua rebeldia serão também arrastados, segundo seu propósito de roubar, matar e destruir, para debaixo da potente mão julgadora de Deus.

×