SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 70
Baixar para ler offline
Esta é uma tradução livre
de How to write a screenplay
de autoria de Victor Piñeiro, que
pode ser vista aqui:
http://slidesha.re/TWDups
por Renata dos Passos
Como escrever
um roteiro.
Ou contar uma história de
maneira melhor.
[storystuff]

por Victor Piñeiro
Primeiro de tudo.

Qual é sua ideia?
Ela deve ter um GANCHO.
Ela deve ter um ALTO CONCEITO.
O que significa, na verdade que...

Ela deve ser espetacular.
alto conceito: adj. uma história baseada em um
enredo ou ideia facilmente comunicável e impactante.
(Oxford English Dictionary)
Ideias espetaculares.
•Um policial que tem de matar robôs deve também ser um robô.
• Durante uma visita prévia, um parque temático sofre um grande
colapso que permite que seus dinossauros clonados corram enlouquecidos.

• Um homem vindo de uma família suicida tem a oportunidade

de ver como seria o mundo se ele não tivesse nascido.
• Um cara que vive reclamando de Deus recebe poderes divinos

para ensiná-lo o quanto é difícil administrar o mundo.
• Depois que uma cidade do Alaska é mergulhada em escuridão

por um mês, é atacada por uma gangue de vampiros sedenta
de sangue.
Você precisa de um ENREDO
e uma HISTÓRIA.
Enredo
•
•

o herói QUERENDO alguma coisa
um evento causando outro
História
•
•

o herói PRECISANDO de alguma coisa
revelando o caráter do herói
Certo, você tem sua ideia espetacular.

Me conte em uma linha.
Sua ideia de uma linha, ou LOGLINE, deve incluir ou
sugerir estes três elementos:

Alguém (o herói) quer algo (o objetivo) mas é impedido
por alguma coisa (o adversário).
Loglines espetaculares
• Um garoto de 8 anos, que acidentalmente é deixado para trás

enquanto sua família voa para a França no Natal, tem de
defender sua casa contra assaltantes idiotas.
• Um caubói de brinquedo se sente profundamente ameaçado

e com ciúme quando um astronauta de brinquedo pomposo
o tira da posição de brinquedo favorito do quarto do garoto.
• Um homem do tempo encontra-se vivendo o mesmo dia

repetidamente.
• Um homem jovem e ingênuo combate autoridades sem coração

para proteger a vida de sua namorada quando é revelado
que ela não é humana — ela é uma sereia.
Se isso ajudar, você pode também descrever o TOM
do seu filme com um ―X encontra Y‖, ―X com Y‖ ou
―X em Y‖ de uma linha.
POCAHONTAS NO ESPAÇO
BRUXA DE BLAIR ENCONTRA GODZILLA
HAMLET COM LEÕES
TUBARÃO COM OUTRAS
CRIATURAS
Para ganhar pontos de bônus, me dê:

Sua ideia numa palavra.
(Este é seu TEMA.)
VINGANÇA.
FAMÍLIA.
CARÁTER.
Certo, você tem uma ideia.

Quem é seu herói?
Para definir seu herói, pergunte:

O que ele QUER?
Do que ele PRECISA?
Um QUERER é externo.
Um PRECISAR é interno.
QUER:

Que os pais se conheçam

PRECISA:

Coragem
QUER:

PRECISA:

Dinheiro

Confiança/Amor
QUER:

PRECISA:

o Amanhã

Valorizar o hoje
QUER:

Derrotar Dr. Octopus

PRECISA:

Confiança
Mais uma pergunta.

Qual é a FALHA dele?
[O que ele PRECISA tem relação com sua FALHA.]
MEDO.
INDECISÃO.
DÚVIDA SOBRE SI MESMO.
Certo, você tem um herói.

Quem é o adversário?

[Nota: Ele pode não ser um vilão.]
Um adversário incorpora a FALHA do herói.
Um adversário força o herói a encarar sua FALHA.
ADVERSÁRIO.
ADVERSÁRIO.
ADVERSÁRIO.
ADVERSÁRIO.
Ideia? Confere.
Herói? Confere.
Adversário? Confere.

Vamos falar de ESTRUTURA.
A maioria dos filmes (e muitas histórias) tem TRÊS ATOS.
Cada ATO é feito de SEQUÊNCIAS.
Cada SEQUÊNCIA é feita de CENAS.
Cada CENA é feita de EVENTOS.
FILME
=

ATO ATO ATO

SEQUÊNCIA SEQUÊNCIA SEQUÊNCIA
= SEQUÊNCIA SEQUÊNCIA SEQUÊNCIA
SEQUÊNCIA SEQUÊNCIA SEQUÊNCIA
CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA
CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA
= CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA
CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA
CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA

=

EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO
EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO
EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO
EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO
Evento
•
•

a menor unidade em um roteiro/história
uma troca de ação & reação
Cena
•
•
•
•
•
•

uma ação contínua num local específico
funciona como uma mini-história
tem um protagonista com um objetivo
os protagonistas devem encarar um obstáculo
uma cena ou move a história para frente ou
revela informações sobre o personagem
Sequência
•
•
•
•
•

várias cenas que se desenvolvem até um clímax maior
cada sequência tem um mini-objetivo
sequências terminam em pontos de virada
ponto de virada = um objetivo conquistado ou perdido
ponto de virada = a história mudando de direção
Ato
•
•

várias sequências que se desenvolvem até um clímax
o clímax é um ponto de virada grande
Histórias também tendem a ter as seguintes SINALIZAÇÕES.
Um dia na vida.
Mostre-nos o que um herói mundial é, introduza todos os
personagens principais, introduza a(s) falha(s) do herói.

PONTO CENTRAL

ATO I

ATO II

ATO III
A FAGULHA!
Alguma coisa acontece e o mundo do herói fica DE CABEÇA
PARA BAIXO. Aqui é onde o GANCHO entra. Você pode
também considerar isto O CHAMADO PARA A AVENTURA.

PONTO CENTRAL

ATO I

ATO II

ATO III
Eu fico ou eu vou?
O herói deve decidir se embarca nesta aventura
(ou pega esta nova oportunidade). 99% do tempo
ele RECUSARÁ INICIALMENTE e alguma coisa irá
conduzi-lo a tomar a decisão e IR!
PONTO DENTRAL

ATO I

ATO II

ATO III
No novo mundo
O herói (corajosamente) se aventura num novo mundo, que é
o OPOSTO do mundo em que ele viveu até este ponto.

PONTO CENTRAL

ATO I

ATO II

ATO III
O que é o amor?
O novo mundo geralmente vem com alguns novos personagens,
incluindo o ALVO DO AMOR. Ele geralmente representa
o que o herói PRECISA.

PONTO CENTRAL

ATO I

ATO II

ATO III
Deixe-os de queixo caído
Lembra daquele GANCHO espetacular que você pensou?
Mostre aqui. O herói se diverte com seus novos poderes
ou situação. A audiência deve ADORAR esta parte.

PONTO CENTRAL

ATO I

ATO II

ATO III
Atravessando o Rubicão
Em outras palavras, este é o CAMINHO SEM VOLTA. O
herói deve fazer algo que ele não possa desfazer, o qual
irá em breve fazê-lo mergulhar num PESADELO... mas
ainda não.
PONTO CENTRAL

ATO I

ATO II

ATO III
Falsa Vitória
O herói tem um momento de clareza, e tudo parece que
vai ficar bem – ele vai prevalecer...
[Nota: às vezes esta é uma Falsa Derrota.]

PONTO CENTRAL

ATO I

ATO II

ATO III
Longa Jornada Noite Adentro
As coisas vão de mal a pior. Os vilões voltam, ainda mais
poderosos que antes. O herói está perdendo sua batalha
externa e interna (que frequentemente significa que o
alvo de seu amor vai embora).

PONTO CENTRAL

ATO I

ATO II

ATO III
Fundo do Poço
As coisas não poderiam ficar pior. O vilões parecem
incontroláveis. Toda a esperança foi perdida. O amor deixou
o herói (geralmente por causa da FALHA do herói). E somente
quando as coisas estão no ápice do desespero...

PONTO CENTRAL

ATO I

ATO II

ATO III
Das Cinzas
...o herói percebe sua falha, aprende a lição, e formula
um plano para derrotar o vilão. Aqui é onde a História A
(o enredo principal) e a História B (geralmente o alvo
do amor) se encontram.

PONTO CENTRAL

ATO I

ATO II

ATO III
Hora de detonar!
O herói encara o vilão, que está no seu momento mais
forte... e VENCE! Ao vencer, ele agora MUDOU O MUNDO.
O herói está agora mais velho e mais sábio. E todos
os personagens de destaque MUDARAM.
PONTO CENTRAL

ATO I

ATO II

ATO III
Sinalizações
ATO UM
Um dia na Vida
FAGULHA!
Eu vou ou eu fico?
Em um novo mundo!
ATO DOIS
O que é o Amor?
Deixe-os de queixo caído
Atravessando o Rubicão (Ponto Central)
Falsa vitória
Longa jornada noite adentro
Fundo do poço
Das cinzas
ATO TRÊS
Hora de detonar!
O melhor conselho que eu posso te dar a esta altura é:

Foque no seu esboço.
Gaste muito tempo trabalhando nos seus eventos, cenas,
sequências e atos. Use as sinalizações para ajudar a guiar
sua história. Histórias/Roteiros SÃO estruturas. Trabalhe bem
a estrutura antes de mergulhar na escrita.*

* Este ponto é supercontroverso. Para outra opinião, procure o termo ―pantser‖ no Google.
Checklist
Você tem uma ideia espetacular que é fácil de comunicar.
Seu herói é impressionante e carismático.
Ele quer algo que é tangível, e o quer MUITO.
Ele tem uma falha e precisa mudar se quiser ter sucesso.
Seu adversário é extraordinário.
Toda cena tem um conflito.
Obstáculos ficam mais e mais difíceis.
Montanhas ficam cada vez mais altas.
Nós entramos em cena tarde e saímos de cena cedo.

Todo personagem de destaque muda no fim.
Os pontos de virada devem ser SURPREENDENTES MAS INEVITÁVEIS.
Erros de Principiante
• Seu herói é passivo demais.
• Seu personagem principal tem muitos amigos.
• Você tem poucas (ou muitas) cenas sem conflito.

• Seus personagens não mudam (ou aprendem alguma coisa).
• Você tem muita exposição, e estão sendo narradas, não mostradas.
• Suas cenas são longas demais.
• Todos os personagens se parecem.

• As montanhas não são altas o bastante.
Finalmente, o melhor conselho que posso te dar:

Leia.
Comece com estes livros.
• Save the Cat, de Blake Snyder
• Story, de Robert McKee
• The Screenwriter’s Bible, de David Trottier
• Manual do Roteiro, de Syd Field
• O Herói de Mil Faces, de Joseph Campbell

• Writing Movies For Fun & Profit, de Ben Garant & Tom Lennon
• Save the Cat Strikes Back, de Blake Snyder

* Em ordem de utilidade (para mim).
Visite estes sites.
• http://johnaugust.com
• http://screenwritingtips.tumblr.com/
• http://www.gointothestory.com/

• http://scriptshadow.blogspot.com/
• http://www.tracking-board.com/
Avisos!
Estas dicas e princípios são uma coleção de coisas que eu achei
úteis quando aprendi sobre storytelling e roteiro.
Nada aqui está cravado na rocha e todas estas ―regras‖ podem ser
quebradas.
Aprendi muito sobre a coisa em livros que eu mencionei antes faça um favor a si mesmo e os leia!
Estou mal raspando a superfície aqui. Nem cheguei na parte de gênero!
Escrevi isto para amigos que me pediam para eu dá-lhes uma cartilha
rápida sobre os fundamentos do storytelling, e para uma versão mais
jovem de mim mesmo – gostaria de ter tido contato com algo do tipo
.
quando eu estava na escola ou faculdade.
Quem sou eu
Oi – sou o Victor. Eu não escrevi um roteiro ganhador do Oscar,
um grande sucesso de verão ou O Grande Romance Americano.

Eu escrevi e produzi o documentário Second Skin, que
estreiou no SXSW, ganhou um monte de prêmios e foi distribuído
internacionalmente. Também escrevi um monte de roteiros, entre
eles um que foi finalista no Sundance Film Lab.
Além de filmes, trabalhei estabelecendo histórias e vozes para
Skittles, Star Wars e outras marcas. Eu também publiquei um monte
de artigos e poesia. E, é claro, eu tenho aquele romance não
finalizado na gaveta da escrivaninha.
Fale comigo: victor@victorpineiro.com Twitter: @victorpineiro
Obrigado!
Tyson Damman, pelo design.
James Hutchinson, pelo conselho.
Will Simon, pela edição.
Juan Carlos Piñeiro Escoriaza, pelas ideias.
Greg Babonis, pelas provocações.
Como escrever um roteiro

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Oficina de descritores português 9º ano
Oficina de descritores português 9º anoOficina de descritores português 9º ano
Oficina de descritores português 9º anoClaudiaAdrianaSouzaS
 
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTOAULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTOMarcelo Cordeiro Souza
 
Palestra Roteiro Cinema
Palestra Roteiro CinemaPalestra Roteiro Cinema
Palestra Roteiro CinemaDiego Moreau
 
Produção Textual - Manifesto
Produção Textual  - ManifestoProdução Textual  - Manifesto
Produção Textual - ManifestoElaine Teixeira
 
Exemplos de-projeto-de-documentario
Exemplos de-projeto-de-documentarioExemplos de-projeto-de-documentario
Exemplos de-projeto-de-documentarioHeraldo Gouveia
 
Slide Gênero Textual Notícia
Slide Gênero Textual NotíciaSlide Gênero Textual Notícia
Slide Gênero Textual NotíciaJomari
 
Exemplos de artigo de opinião
Exemplos de artigo de opiniãoExemplos de artigo de opinião
Exemplos de artigo de opiniãoLeandro Rodrigues
 
Gêneros jornalísticos
Gêneros jornalísticosGêneros jornalísticos
Gêneros jornalísticosRenally Arruda
 
Roteiro de Documentário
Roteiro de DocumentárioRoteiro de Documentário
Roteiro de DocumentárioLuciano Dias
 
Roteiro para filme publicitário
Roteiro para filme publicitárioRoteiro para filme publicitário
Roteiro para filme publicitárioJosué Brazil
 
redação - dissertativa argumentativa
redação - dissertativa argumentativa redação - dissertativa argumentativa
redação - dissertativa argumentativa Luciene Gomes
 
Compreensão e Interpretação de Textos
Compreensão e Interpretação de Textos Compreensão e Interpretação de Textos
Compreensão e Interpretação de Textos Professor Rômulo Viana
 
Capitães da Areia - JORGE AMADO
Capitães da Areia - JORGE AMADOCapitães da Areia - JORGE AMADO
Capitães da Areia - JORGE AMADOKaique Oliveira
 
Gênero Textual: Conto
Gênero Textual: ContoGênero Textual: Conto
Gênero Textual: ContoMyllenne Abreu
 

Mais procurados (20)

Charge e Cartum
Charge e CartumCharge e Cartum
Charge e Cartum
 
Slides do Módulo 3 sobre Roteiro e Edição de vídeo
Slides do Módulo 3 sobre Roteiro e Edição de vídeoSlides do Módulo 3 sobre Roteiro e Edição de vídeo
Slides do Módulo 3 sobre Roteiro e Edição de vídeo
 
Oficina de descritores português 9º ano
Oficina de descritores português 9º anoOficina de descritores português 9º ano
Oficina de descritores português 9º ano
 
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTOAULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
 
Palestra Roteiro Cinema
Palestra Roteiro CinemaPalestra Roteiro Cinema
Palestra Roteiro Cinema
 
Variedades linguísticas
Variedades linguísticasVariedades linguísticas
Variedades linguísticas
 
Produção Textual - Manifesto
Produção Textual  - ManifestoProdução Textual  - Manifesto
Produção Textual - Manifesto
 
Exemplos de-projeto-de-documentario
Exemplos de-projeto-de-documentarioExemplos de-projeto-de-documentario
Exemplos de-projeto-de-documentario
 
Slide Gênero Textual Notícia
Slide Gênero Textual NotíciaSlide Gênero Textual Notícia
Slide Gênero Textual Notícia
 
Exemplos de artigo de opinião
Exemplos de artigo de opiniãoExemplos de artigo de opinião
Exemplos de artigo de opinião
 
Gêneros jornalísticos
Gêneros jornalísticosGêneros jornalísticos
Gêneros jornalísticos
 
Roteiro de Documentário
Roteiro de DocumentárioRoteiro de Documentário
Roteiro de Documentário
 
Roteiro para filme publicitário
Roteiro para filme publicitárioRoteiro para filme publicitário
Roteiro para filme publicitário
 
Aula criação de personagem
Aula   criação de personagemAula   criação de personagem
Aula criação de personagem
 
redação - dissertativa argumentativa
redação - dissertativa argumentativa redação - dissertativa argumentativa
redação - dissertativa argumentativa
 
Compreensão e Interpretação de Textos
Compreensão e Interpretação de Textos Compreensão e Interpretação de Textos
Compreensão e Interpretação de Textos
 
Capitães da Areia - JORGE AMADO
Capitães da Areia - JORGE AMADOCapitães da Areia - JORGE AMADO
Capitães da Areia - JORGE AMADO
 
Conto
ContoConto
Conto
 
Gênero Textual: Conto
Gênero Textual: ContoGênero Textual: Conto
Gênero Textual: Conto
 
Estrutura do-artigo-de-opinião
Estrutura do-artigo-de-opiniãoEstrutura do-artigo-de-opinião
Estrutura do-artigo-de-opinião
 

Semelhante a Como escrever um roteiro

Roteiro 0008
Roteiro 0008Roteiro 0008
Roteiro 0008Bruno G.
 
Escrita criativa para cinema 2017
Escrita criativa para cinema 2017Escrita criativa para cinema 2017
Escrita criativa para cinema 2017Riaz Jassat
 
ConstruçãodeNarrativas_Aula11e12_MonomitoeJornadadoHerói.pdf
ConstruçãodeNarrativas_Aula11e12_MonomitoeJornadadoHerói.pdfConstruçãodeNarrativas_Aula11e12_MonomitoeJornadadoHerói.pdf
ConstruçãodeNarrativas_Aula11e12_MonomitoeJornadadoHerói.pdfAnaPaulaDelezuk1
 
Criatividade escrita em oficina
Criatividade escrita em oficinaCriatividade escrita em oficina
Criatividade escrita em oficinaCesar Sinicio
 
O monomito, Arquétipos e Estereótipos e as 22 Regras de Narrativa da Pixar
O monomito, Arquétipos e Estereótipos e as 22 Regras de Narrativa da PixarO monomito, Arquétipos e Estereótipos e as 22 Regras de Narrativa da Pixar
O monomito, Arquétipos e Estereótipos e as 22 Regras de Narrativa da PixarGuilherme Zaffari
 
Star Wars e as novelas de cavalaria
Star Wars e as novelas de cavalariaStar Wars e as novelas de cavalaria
Star Wars e as novelas de cavalariaStefani Ferreira
 
FdA - Guia Nov 2012
FdA - Guia Nov 2012FdA - Guia Nov 2012
FdA - Guia Nov 2012Goshai Daian
 
Oficina de Audiovisual CEFET-RJ (2)
Oficina de Audiovisual CEFET-RJ (2)Oficina de Audiovisual CEFET-RJ (2)
Oficina de Audiovisual CEFET-RJ (2)Luciano Dias
 
Plano de Aula - Trabalhando aspectos da língua inglesa com o filme Tropa De E...
Plano de Aula - Trabalhando aspectos da língua inglesa com o filme Tropa De E...Plano de Aula - Trabalhando aspectos da língua inglesa com o filme Tropa De E...
Plano de Aula - Trabalhando aspectos da língua inglesa com o filme Tropa De E...Fabio Lemes
 
Dsg1004 2018-1-narrativa
Dsg1004 2018-1-narrativaDsg1004 2018-1-narrativa
Dsg1004 2018-1-narrativaMarcelus Gaio
 
STORYTELLING: A arte de contar histórias
STORYTELLING: A arte de contar históriasSTORYTELLING: A arte de contar histórias
STORYTELLING: A arte de contar históriasRenato Melo
 
Escrever Uma Narrativa1
Escrever Uma Narrativa1Escrever Uma Narrativa1
Escrever Uma Narrativa1Maria Fonseca
 
Escrever Uma Narrativa
Escrever Uma NarrativaEscrever Uma Narrativa
Escrever Uma NarrativaHeliadora
 

Semelhante a Como escrever um roteiro (20)

Roteiro 0008
Roteiro 0008Roteiro 0008
Roteiro 0008
 
Vamos fazer um filme!!!
Vamos fazer um filme!!!Vamos fazer um filme!!!
Vamos fazer um filme!!!
 
PUB3AN - Aula03
PUB3AN - Aula03PUB3AN - Aula03
PUB3AN - Aula03
 
Escrita criativa para cinema 2017
Escrita criativa para cinema 2017Escrita criativa para cinema 2017
Escrita criativa para cinema 2017
 
ConstruçãodeNarrativas_Aula11e12_MonomitoeJornadadoHerói.pdf
ConstruçãodeNarrativas_Aula11e12_MonomitoeJornadadoHerói.pdfConstruçãodeNarrativas_Aula11e12_MonomitoeJornadadoHerói.pdf
ConstruçãodeNarrativas_Aula11e12_MonomitoeJornadadoHerói.pdf
 
Criatividade escrita em oficina
Criatividade escrita em oficinaCriatividade escrita em oficina
Criatividade escrita em oficina
 
Criação de personagens
Criação de personagensCriação de personagens
Criação de personagens
 
O monomito, Arquétipos e Estereótipos e as 22 Regras de Narrativa da Pixar
O monomito, Arquétipos e Estereótipos e as 22 Regras de Narrativa da PixarO monomito, Arquétipos e Estereótipos e as 22 Regras de Narrativa da Pixar
O monomito, Arquétipos e Estereótipos e as 22 Regras de Narrativa da Pixar
 
Star Wars e as novelas de cavalaria
Star Wars e as novelas de cavalariaStar Wars e as novelas de cavalaria
Star Wars e as novelas de cavalaria
 
FdA - Guia Nov 2012
FdA - Guia Nov 2012FdA - Guia Nov 2012
FdA - Guia Nov 2012
 
Oficina de Audiovisual CEFET-RJ (2)
Oficina de Audiovisual CEFET-RJ (2)Oficina de Audiovisual CEFET-RJ (2)
Oficina de Audiovisual CEFET-RJ (2)
 
Plano de Aula - Trabalhando aspectos da língua inglesa com o filme Tropa De E...
Plano de Aula - Trabalhando aspectos da língua inglesa com o filme Tropa De E...Plano de Aula - Trabalhando aspectos da língua inglesa com o filme Tropa De E...
Plano de Aula - Trabalhando aspectos da língua inglesa com o filme Tropa De E...
 
Jornada do Herói
Jornada do HeróiJornada do Herói
Jornada do Herói
 
Era uma vez - Guião
Era uma vez  - GuiãoEra uma vez  - Guião
Era uma vez - Guião
 
Dsg1004 2018-1-narrativa
Dsg1004 2018-1-narrativaDsg1004 2018-1-narrativa
Dsg1004 2018-1-narrativa
 
STORYTELLING: A arte de contar histórias
STORYTELLING: A arte de contar históriasSTORYTELLING: A arte de contar histórias
STORYTELLING: A arte de contar histórias
 
DB #186.pdf
DB #186.pdfDB #186.pdf
DB #186.pdf
 
Dragon Cave - Nº01
Dragon Cave - Nº01Dragon Cave - Nº01
Dragon Cave - Nº01
 
Escrever Uma Narrativa1
Escrever Uma Narrativa1Escrever Uma Narrativa1
Escrever Uma Narrativa1
 
Escrever Uma Narrativa
Escrever Uma NarrativaEscrever Uma Narrativa
Escrever Uma Narrativa
 

Como escrever um roteiro

  • 1. Esta é uma tradução livre de How to write a screenplay de autoria de Victor Piñeiro, que pode ser vista aqui: http://slidesha.re/TWDups por Renata dos Passos
  • 2. Como escrever um roteiro. Ou contar uma história de maneira melhor. [storystuff] por Victor Piñeiro
  • 3. Primeiro de tudo. Qual é sua ideia?
  • 4. Ela deve ter um GANCHO. Ela deve ter um ALTO CONCEITO. O que significa, na verdade que... Ela deve ser espetacular.
  • 5. alto conceito: adj. uma história baseada em um enredo ou ideia facilmente comunicável e impactante. (Oxford English Dictionary)
  • 6. Ideias espetaculares. •Um policial que tem de matar robôs deve também ser um robô. • Durante uma visita prévia, um parque temático sofre um grande colapso que permite que seus dinossauros clonados corram enlouquecidos. • Um homem vindo de uma família suicida tem a oportunidade de ver como seria o mundo se ele não tivesse nascido. • Um cara que vive reclamando de Deus recebe poderes divinos para ensiná-lo o quanto é difícil administrar o mundo. • Depois que uma cidade do Alaska é mergulhada em escuridão por um mês, é atacada por uma gangue de vampiros sedenta de sangue.
  • 7. Você precisa de um ENREDO e uma HISTÓRIA.
  • 8. Enredo • • o herói QUERENDO alguma coisa um evento causando outro
  • 9. História • • o herói PRECISANDO de alguma coisa revelando o caráter do herói
  • 10. Certo, você tem sua ideia espetacular. Me conte em uma linha.
  • 11. Sua ideia de uma linha, ou LOGLINE, deve incluir ou sugerir estes três elementos: Alguém (o herói) quer algo (o objetivo) mas é impedido por alguma coisa (o adversário).
  • 12. Loglines espetaculares • Um garoto de 8 anos, que acidentalmente é deixado para trás enquanto sua família voa para a França no Natal, tem de defender sua casa contra assaltantes idiotas. • Um caubói de brinquedo se sente profundamente ameaçado e com ciúme quando um astronauta de brinquedo pomposo o tira da posição de brinquedo favorito do quarto do garoto. • Um homem do tempo encontra-se vivendo o mesmo dia repetidamente. • Um homem jovem e ingênuo combate autoridades sem coração para proteger a vida de sua namorada quando é revelado que ela não é humana — ela é uma sereia.
  • 13. Se isso ajudar, você pode também descrever o TOM do seu filme com um ―X encontra Y‖, ―X com Y‖ ou ―X em Y‖ de uma linha.
  • 15. BRUXA DE BLAIR ENCONTRA GODZILLA
  • 18. Para ganhar pontos de bônus, me dê: Sua ideia numa palavra. (Este é seu TEMA.)
  • 22. Certo, você tem uma ideia. Quem é seu herói?
  • 23. Para definir seu herói, pergunte: O que ele QUER? Do que ele PRECISA?
  • 24. Um QUERER é externo. Um PRECISAR é interno.
  • 25. QUER: Que os pais se conheçam PRECISA: Coragem
  • 29. Mais uma pergunta. Qual é a FALHA dele? [O que ele PRECISA tem relação com sua FALHA.]
  • 30. MEDO.
  • 33. Certo, você tem um herói. Quem é o adversário? [Nota: Ele pode não ser um vilão.]
  • 34. Um adversário incorpora a FALHA do herói. Um adversário força o herói a encarar sua FALHA.
  • 39. Ideia? Confere. Herói? Confere. Adversário? Confere. Vamos falar de ESTRUTURA.
  • 40. A maioria dos filmes (e muitas histórias) tem TRÊS ATOS. Cada ATO é feito de SEQUÊNCIAS. Cada SEQUÊNCIA é feita de CENAS. Cada CENA é feita de EVENTOS.
  • 41. FILME = ATO ATO ATO SEQUÊNCIA SEQUÊNCIA SEQUÊNCIA = SEQUÊNCIA SEQUÊNCIA SEQUÊNCIA SEQUÊNCIA SEQUÊNCIA SEQUÊNCIA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA = CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA CENA = EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO EVENTO
  • 42. Evento • • a menor unidade em um roteiro/história uma troca de ação & reação
  • 43. Cena • • • • • • uma ação contínua num local específico funciona como uma mini-história tem um protagonista com um objetivo os protagonistas devem encarar um obstáculo uma cena ou move a história para frente ou revela informações sobre o personagem
  • 44. Sequência • • • • • várias cenas que se desenvolvem até um clímax maior cada sequência tem um mini-objetivo sequências terminam em pontos de virada ponto de virada = um objetivo conquistado ou perdido ponto de virada = a história mudando de direção
  • 45. Ato • • várias sequências que se desenvolvem até um clímax o clímax é um ponto de virada grande
  • 46. Histórias também tendem a ter as seguintes SINALIZAÇÕES.
  • 47. Um dia na vida. Mostre-nos o que um herói mundial é, introduza todos os personagens principais, introduza a(s) falha(s) do herói. PONTO CENTRAL ATO I ATO II ATO III
  • 48. A FAGULHA! Alguma coisa acontece e o mundo do herói fica DE CABEÇA PARA BAIXO. Aqui é onde o GANCHO entra. Você pode também considerar isto O CHAMADO PARA A AVENTURA. PONTO CENTRAL ATO I ATO II ATO III
  • 49. Eu fico ou eu vou? O herói deve decidir se embarca nesta aventura (ou pega esta nova oportunidade). 99% do tempo ele RECUSARÁ INICIALMENTE e alguma coisa irá conduzi-lo a tomar a decisão e IR! PONTO DENTRAL ATO I ATO II ATO III
  • 50. No novo mundo O herói (corajosamente) se aventura num novo mundo, que é o OPOSTO do mundo em que ele viveu até este ponto. PONTO CENTRAL ATO I ATO II ATO III
  • 51. O que é o amor? O novo mundo geralmente vem com alguns novos personagens, incluindo o ALVO DO AMOR. Ele geralmente representa o que o herói PRECISA. PONTO CENTRAL ATO I ATO II ATO III
  • 52. Deixe-os de queixo caído Lembra daquele GANCHO espetacular que você pensou? Mostre aqui. O herói se diverte com seus novos poderes ou situação. A audiência deve ADORAR esta parte. PONTO CENTRAL ATO I ATO II ATO III
  • 53. Atravessando o Rubicão Em outras palavras, este é o CAMINHO SEM VOLTA. O herói deve fazer algo que ele não possa desfazer, o qual irá em breve fazê-lo mergulhar num PESADELO... mas ainda não. PONTO CENTRAL ATO I ATO II ATO III
  • 54. Falsa Vitória O herói tem um momento de clareza, e tudo parece que vai ficar bem – ele vai prevalecer... [Nota: às vezes esta é uma Falsa Derrota.] PONTO CENTRAL ATO I ATO II ATO III
  • 55. Longa Jornada Noite Adentro As coisas vão de mal a pior. Os vilões voltam, ainda mais poderosos que antes. O herói está perdendo sua batalha externa e interna (que frequentemente significa que o alvo de seu amor vai embora). PONTO CENTRAL ATO I ATO II ATO III
  • 56. Fundo do Poço As coisas não poderiam ficar pior. O vilões parecem incontroláveis. Toda a esperança foi perdida. O amor deixou o herói (geralmente por causa da FALHA do herói). E somente quando as coisas estão no ápice do desespero... PONTO CENTRAL ATO I ATO II ATO III
  • 57. Das Cinzas ...o herói percebe sua falha, aprende a lição, e formula um plano para derrotar o vilão. Aqui é onde a História A (o enredo principal) e a História B (geralmente o alvo do amor) se encontram. PONTO CENTRAL ATO I ATO II ATO III
  • 58. Hora de detonar! O herói encara o vilão, que está no seu momento mais forte... e VENCE! Ao vencer, ele agora MUDOU O MUNDO. O herói está agora mais velho e mais sábio. E todos os personagens de destaque MUDARAM. PONTO CENTRAL ATO I ATO II ATO III
  • 59. Sinalizações ATO UM Um dia na Vida FAGULHA! Eu vou ou eu fico? Em um novo mundo! ATO DOIS O que é o Amor? Deixe-os de queixo caído Atravessando o Rubicão (Ponto Central) Falsa vitória Longa jornada noite adentro Fundo do poço Das cinzas ATO TRÊS Hora de detonar!
  • 60. O melhor conselho que eu posso te dar a esta altura é: Foque no seu esboço.
  • 61. Gaste muito tempo trabalhando nos seus eventos, cenas, sequências e atos. Use as sinalizações para ajudar a guiar sua história. Histórias/Roteiros SÃO estruturas. Trabalhe bem a estrutura antes de mergulhar na escrita.* * Este ponto é supercontroverso. Para outra opinião, procure o termo ―pantser‖ no Google.
  • 62. Checklist Você tem uma ideia espetacular que é fácil de comunicar. Seu herói é impressionante e carismático. Ele quer algo que é tangível, e o quer MUITO. Ele tem uma falha e precisa mudar se quiser ter sucesso. Seu adversário é extraordinário. Toda cena tem um conflito. Obstáculos ficam mais e mais difíceis. Montanhas ficam cada vez mais altas. Nós entramos em cena tarde e saímos de cena cedo. Todo personagem de destaque muda no fim. Os pontos de virada devem ser SURPREENDENTES MAS INEVITÁVEIS.
  • 63. Erros de Principiante • Seu herói é passivo demais. • Seu personagem principal tem muitos amigos. • Você tem poucas (ou muitas) cenas sem conflito. • Seus personagens não mudam (ou aprendem alguma coisa). • Você tem muita exposição, e estão sendo narradas, não mostradas. • Suas cenas são longas demais. • Todos os personagens se parecem. • As montanhas não são altas o bastante.
  • 64. Finalmente, o melhor conselho que posso te dar: Leia.
  • 65. Comece com estes livros. • Save the Cat, de Blake Snyder • Story, de Robert McKee • The Screenwriter’s Bible, de David Trottier • Manual do Roteiro, de Syd Field • O Herói de Mil Faces, de Joseph Campbell • Writing Movies For Fun & Profit, de Ben Garant & Tom Lennon • Save the Cat Strikes Back, de Blake Snyder * Em ordem de utilidade (para mim).
  • 66. Visite estes sites. • http://johnaugust.com • http://screenwritingtips.tumblr.com/ • http://www.gointothestory.com/ • http://scriptshadow.blogspot.com/ • http://www.tracking-board.com/
  • 67. Avisos! Estas dicas e princípios são uma coleção de coisas que eu achei úteis quando aprendi sobre storytelling e roteiro. Nada aqui está cravado na rocha e todas estas ―regras‖ podem ser quebradas. Aprendi muito sobre a coisa em livros que eu mencionei antes faça um favor a si mesmo e os leia! Estou mal raspando a superfície aqui. Nem cheguei na parte de gênero! Escrevi isto para amigos que me pediam para eu dá-lhes uma cartilha rápida sobre os fundamentos do storytelling, e para uma versão mais jovem de mim mesmo – gostaria de ter tido contato com algo do tipo . quando eu estava na escola ou faculdade.
  • 68. Quem sou eu Oi – sou o Victor. Eu não escrevi um roteiro ganhador do Oscar, um grande sucesso de verão ou O Grande Romance Americano. Eu escrevi e produzi o documentário Second Skin, que estreiou no SXSW, ganhou um monte de prêmios e foi distribuído internacionalmente. Também escrevi um monte de roteiros, entre eles um que foi finalista no Sundance Film Lab. Além de filmes, trabalhei estabelecendo histórias e vozes para Skittles, Star Wars e outras marcas. Eu também publiquei um monte de artigos e poesia. E, é claro, eu tenho aquele romance não finalizado na gaveta da escrivaninha. Fale comigo: victor@victorpineiro.com Twitter: @victorpineiro
  • 69. Obrigado! Tyson Damman, pelo design. James Hutchinson, pelo conselho. Will Simon, pela edição. Juan Carlos Piñeiro Escoriaza, pelas ideias. Greg Babonis, pelas provocações.