Aula protista

5.184 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.184
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
66
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula protista

  1. 1. PROTISTA Cap. 20
  2. 2.  Origem do termo protista; Sistema de classificação (cap. 17); * Reino Monera e Protista deixam de existir;Domínio Eucaria: Fungos, animais e plantas; * Os protozoários e as algas são tratados no sentido coletivo como protistas, sem atribuir ao termo o valo de Reino
  3. 3.  Em 1969 Whittaker autor da divisão dos seres vivos em reinos reconhece deficiências em seu sistema. Ex: Algas. Whittaker também observou que o grupo protista apresentam direções evolutivas muitos variadas, sendo certamente polifilético e não monofilético;
  4. 4.  Em 1982 duas pesquisadoras Lynn Margulis e Karlene Schawartz modificaram o sistema de 5 Reinos; ReinoProtoctista (esse termo apesar de ainda usado está em desuso.)
  5. 5. Células Eucarióticas englobaram bactérias aeróbicas Mitocôndrias.Linhagem originada: Diplomonadidas, Parabasálias, Amebozoas, Foramminíferos, Radiolários, Heliozoários, Fungos e Animais;Linhagem Clorofilada: Algas verdes, plantas, e algas vermelhas.
  6. 6. Células Eucarióticas, já com mitocôndrias, englobaram as cianobactérias cloroplastos.Linhagem originada: Todos os demais eucariontes.
  7. 7. Ocorreu com as algas verdes ou vermelhas e deram origem aos animais clorofilados.Obs.: Protistas heterótrofos mitocondriados englobaram por fagocitose algas verdes ou vermelhas e incorporaram seus cloroplastos.
  8. 8. Organismos unicelulares oumulticelulares sem tecidos;*eucariontes; * Heterótrofos, autótrofos digestãointracelular e se alimentam por ingestãoou absorção;Vida livre ou parasitas.
  9. 9. Heterótrofo resultante apenas de endossimbiose que resultou mitocôndrias.‡ mitocôndrias sofreram modificações e deixaram de realizar a respiração, dando origem aos hidrogenossomos(geram ATP de forma anaeróbia,liberando H) e aos mitossomos(realizam a maturação de proteínas que contêm Fe e S e pequena produção de ATP).‡
  10. 10. Os diplomonadidas possuem mitossomos e os parabasálias possuem hidrogenossomos.‡ exemplo de diplomonadida Giardia sp. exemplo de parabasália Trichonympha sp. eTrichomonas vaginalis.Doenças:Giardíase e tricomoníase.
  11. 11. Encontrados em água doce, solos úmidos e mares;Algumas são Parasitas;Se locomovem por meio de pseudópodes;Se alimentam de pequenos protozoários, fungos e algas e também de protoplasma;Se reproduzem por divisão binária ou cissiparidade;Dentre os amebóides alguns representantes de vida livre perderam totalmente as mitocôndrias.
  12. 12. Entamoeba Hystolítica: não possui mitocôndrias mas possui mitossomosParasita de importância médica: Disenteria amebiana;
  13. 13. Os foraminíferos apresentam um tipo especial depseudópode (reticulópode) que, por ser fino eramificado, forma uma trama com a qual capturampequenos organismos. ‡ possuem exoesqueletoformado por carbonato de cálcio, aglutinação deareia,espículas de esponjas ou outros materiaisinorgânicos.‡ os radiolários e os heliozoários formampseudópodes finos, eretos,flexíveis e sustentadospor feixes de microtúbulos internos (axópode).‡ osheliozoários são comum sem água doce e a maiorianão possui esqueleto.‡ os radiolários possuemendoesqueleto de sílica e são comuns no zooplânctonmarinho.
  14. 14.  Possuem flagelo. são caracterizados pela presença de uma única e grande mitocôndria que, na base do flagelo, apresenta um grande dilatação onde se encontra uma grande quantidade de DNA (cinetoplasto). Vida livre ou parasitas: Trypanosoma cruzi (doença de Chagas) e Leishmania SP (leishmaniose visceral e úlcera de Bauru) Protozoários da espécie Trypanosoma cruzi aderindo-se às fibras cardíacas. O mal de Chagas é uma doença de grande importância no Brasil, chegando a afetar a nível planetário de 16 a18 milhões de pessoas por ano, principalmente na América Latina.
  15. 15.  Possuem cílios que são utilizados para locomoção e para alguns casos, filtragem de alimentos; Grupo de protozoários com maior diversidade; Representantes:predadores, fitófagos, parasitas e filtradores de partículas; Principal representante: Paramecium; Não possuem clorosplastos
  16. 16.  Não possuem estrutura de locomoção; Possuem uma estrutura chamada de complexo apical responsável pela penetração na célula do hospedeiro; Reprodução: Esporogonia; Apicoplasto: cloroplastos diferenciados que não realizam fotossíntese e estão relacionados com o metabolismos de ácidos graxos; Perda de pigmentos fotossintetizantes;
  17. 17.  Ambiente: a maioria vivem mar e algumas espécies são de água doce; Unicelulares ou Colônias; Possuem dois flagelos; Metade são heterótrofos; As formas autótrofas são importantes produtores no ecossistema marinho; Possuem clorofila a e c e peridinina (exclusiva desse grupo); O amido é as sua substância de reserva; Se reproduzem assexuadamente por divisão binária, mas ocorre reprodução sexuada com formação de gametas
  18. 18.  Vivem na água doce ou no mar; Unicelulares ou colônias; Possuem clorofila a e c e fucoxantinas; Substâncias de reserva: lipídios e crisolaminarina (polissacarídeo); Tem parede celular rígida denominada de frústula ou carapaça; Se deslocam por deslizamento; Reprodução assexuada por divisão binária ou sexuada através da formação de gametas.
  19. 19. Podem ser Unicelulares ou pluricelulares•Habitam mares, lagos, rios, ambientesúmidos•Base da cadeia alimentar•Formam o fitoplâncton•Reposição do O2 na atmosfera•Podem viver isoladas ou coloniais•Obs:.O termo alga também é utilizado nosentido coletivo sem valor de taxonômico
  20. 20. A super população de dionoflageladosprovoca o fenômeno das “marésvermelhas”. Nessa circunstância, a grandequantidade de substâncias tóxicaseliminados na água por esses protistasprovoca a mortandade de peixes,crustáceos, tartarugas, focas e etc.
  21. 21. Filo Phaeophyta (algas pardas)
  22. 22.  Os protozoários podem ser fixos ou se deslocar através de cílios, flagelos ou pseudópodes. De acordo com o tipo e a presença ou não dessas organelas locomotoras, os protozoários classificam-se em: rizópodes ou sarcodíneos - locomovem-se através de pseudópodes. flagelados ou mastigóforos - locomovem-se através de flagelos. ciliados - locomovem-se através de cílios; esporozoários - desprovidos de organelas locomotoras.
  23. 23. Sarcodíneos ou RizópodosLocomoção por pseudópodos.Nutrição por fagocitose.Digestão intracelular.Vida livre (aquáticos) ou parasitas.Vacúolos Pulsáteis ou Contráteis para controle osmótico.Reprodução assexuada por divisão binária.Nome genérico  Amebas.Ex.: Amoeba proteus (vida livre) e Entamoeba histolytica (parasita).
  24. 24.  Locomoção por flagelos. Mutualísticos ou parasitas. Digestão intracelular. Reprodução assexuada por divisão binária. Ex.: Trichonymphas sp. (mutualístico), Trypanosoma cruzi (parasita), Giardia lambia (parasita), Leishmania brasiliensis (parasita
  25. 25. sulco oral.Digestão intracelular.Vacúolos Pulsáteis ou Contráteis.Vida livre, mutualísticos ou parasitas.Reprodução assexuada por divisão binária e sexuada por conjugação.Locomoção por cilios.Ex.: Paramaecium spp (vida livre), Balantidium coli (parasita).São os protistas mais complexos.
  26. 26. No grupo dos esporozoários encontram-se os protistas que não têm qualquer tipo de sistema de locomoção.Todos eles são parasitas obrigatórios.Os mais comuns são do gênero Plasmodium, que causam a Malária, e do gênero Toxoplasma, que causam a toxoplasmose.
  27. 27.  ASSEXUADA por divisão binária e Ocorre por exemplo em amebas e no tripanossomo. SEXUADA por conjugação que ocorre no paramécio.
  28. 28.  DOENÇA DE CHAGAS Descobridor: o médico brasileiro Dr. Carlos Justiniano Ribeiro das Chagas. Definição: E uma doença transmissível, causado por um parasito do gênero Trypanosoma e transmitida principalmente através do "barbeiro". É conhecido também por: chupança. Agente causador: É um protozoário denominado Trypanosoma cruzi. No homem e nos animais, vive no sangue e nas fibras musculares, especialmente as cardíacas e digestivas: no inseto transmissor, vive no tubo digestivo.
  29. 29.  Transmissor: O "barbeiro", é um inseto que se alimenta exclusivamente de vertebrados, sendo chamados hematófagos. A principal espécie propagadora da Doença de Chagas no Estado de São Paulo, foi o Triatoma infestans, hoje eliminado do nosso meio.. Geralmente, abrigam-se em locais muito próximo à fonte de alimento e podem ser encontrados na mata. Nas casas escondem-se nas frestas, buracos das paredes, nas camas, colchões e baús.
  30. 30.  Na fase aguda, ocorrem febre moderada, hepatomegalia discreta (grande fígado), inflamação dos gânglios linfáticos, miocardia aguda, meningoencefalite (dores na meninges), etc. É comum a diminuição dos sintomas. As crianças apresentam uma maior taxa de letalidade variando de 2% a 7%. Na fase crônica, ocorre o comprometimento do coração e do sistema digestivo. A duração depende de vários fatores, desde idade e estado nutricional do paciente até os intrínsecos dos parasitas. Os sintomas mais importantes são a cadiomegalia (coração grande), o megaesôfago (esôfago grande) e o megacólon (cólon grande).
  31. 31. Baseia-se principalmente em medidas decontrole ao "barbeiro", impedindo a suaproliferação nas moradias e em seusarredores. Além de medidas específicas(inquéritos sorológicos, entomológicos edesinsetização), as atividades de educação emsaúde, devem estar inseridas em todas asações de controle, bem como, as medidas aserem tomadas pela população local, taiscomo:- melhorar habitação, através de reboco etamponamento de rachaduras e frestas;
  32. 32. -usar telagem em portas e janelas; - impedir a permanência de animais, como cão, o gato, macaco e outros no interior da casa; - evitar montes de lenhas, telhas ou outros entulhos no interior e arredores da casa; - construir galinheiro, paiol, tulha, chiqueiro, depósito afastados das casas e mantê-los limpos; - retirar ninhos de pássaros dos beirais das casas; - manter limpeza periódica nas casas e em seus arredores;
  33. 33. -difundir junto aos amigos, parentes, vizinhos, os conhecimentos básicos sobre a doença, vetor e sobre as medidas preventivas; - encaminhar os insetos suspeitos de serem "barbeiros", para o serviço de saúde mais próximo.
  34. 34.  Agente causador: E.Histolytica Hospedeiro definitivo: homem Local do parasitismo: intestino grosso. Podem, também, ser afetados o fígado, os pulmões e o cérebro
  35. 35.  Uma pessoa vai a um restaurante e ingere um alface mal-lavado e contaminado com cistos (formas de resistência) de amebas. Tal cisto chega ao intestino do hospedeiro e se abre, liberando jovens amebas. Elas invadem a parede do intestino e começam a se alimentar de células e sangue. Além disso, elas começam a se multiplicar e inflamar a parede do intestino. Com o tempo, tal inflamação se rompe, liberando sangue junto com novas amebas.
  36. 36. O período de incubação é de 2 a 4 semanas. A disenteria amebiana aguda manifesta-se com quadro disentérico agudo, cólicas abdominais, náuseas, vômitos, emagrecimento e fadiga muscular.
  37. 37.  manter sanitários limpos; *lavar as mãos antes das refeições e após a defecação; *tratar os doentes e portadores assintomáticos; *não usar excrementos, como fertilizantes; *combater as moscas e baratas.
  38. 38.  Parasita à Giardia lamblia Hospedeiro definitivo: homem Local do parasitismo: intestino delgado
  39. 39. A infecção ocorre pela ingestão de cistos em água ou alimentos contaminados.No ambiente podem sobreviver meses na água fria.  
  40. 40. A giardíase se manifesta por azia e náusea que diminuem de intensidade quando ocorre ingestão de alimentos, ocorrem cólicas seguidas de diarréia, perda de apetite, irritabilidade. Raramente observa-se muco ou sangue nas fezes do indivíduo com giardíase que no entanto possuem odor fétido, são do tipo explosiva e acompanhadas de gases. 
  41. 41.  Basicamente,para se evitar a giardíase deve-se tomar as mesmas medidas profiláticas usadas contra a amebíase, já que as formas de contaminação são praticamente as mesmas. Portanto deve-se:  Só ingerir alimentos bem lavados e/ou cozidos;       Lavar as mãos antes das refeições e após o uso de sanitários;       Construção de fossas e redes de esgotos;       Só beber água filtrada e/ou fervida;       Tratar as pessoas doentes.
  42. 42.  Causadores: P. vivax, P. malariae, P. falciparum, P. ovale. Hospedeiro definitivo: mosquitos do gênero Anopheles. Só as fêmeas sugam sangue humano e podem atuar como transmissoras dos parasitas.O sangue humano contém nutrientes essenciais para a maturação e desenvolvimento dos ovos desses insetos. Hospedeiro intermediário: homem Locais do parasitismo: glóbulos vermelhos do sangue, células hepáticas, corpo do mosquito.
  43. 43.  Período de incubação - 7 a 21 dias Calafrio, calor e suor Febre Mal estar Cefaléia Vômito Diarréia Hipoglicemia Insuficiência renal Convulsão
  44. 44.  Detecção e tratamento precoce dos infectados Medidas de proteção individual e coletiva Telagem de janelas e portas Inseticidas de ação residual Impregnação de mosquiteiros com inseticida Desenvolvimento de novos fármacos Treinamento de Recursos Humanos Estruturação do sistema de saúde Desenvolvimento de Vacina
  45. 45.  Causador: Trichomonas vaginalis Transmissão: É considerada doença sexualmente transmissível, embora raramente, possa ser transmitida por vias não sexuais, como por exemplo, objetos contaminados (toalhas, vasos sanitários de locais públicos etc.) Sintomas No homem, a sintomatologia é mais discreta: corrimento uretral, geralmente pela manhã, antes da primeira micção, bem como irritação da uretra. Na mulher, corrimento abundante, amarelo ou amarelo-esverdeado, bolhoso, com mau cheiro característico; prurido e/ou irritação vulvar; ocasionalmente dor pélvica;. Pode permanecer assintomática no homem e, na mulher, principalmente após a menopausa.
  46. 46.  Profilaxia e tratamento É recomendável o uso de preservativo durante o ato sexual, uso individual de roupas íntimas, tratamento de indivíduos portadores, esterilização dos aparelhos ginecológicos, higiene em relação aos sanitários públicos, etc. O tratamento é feito com uso de nitroimidazóis, em administração oral e vaginal. Em todos os casos em que se positiva o diagnóstico da infecção na mulher, deve-se estender também o tratamento ao seu marido ou companheiro, já que, sem tal cuidado, poderá surgir uma nova contaminação da mulher e perpetuação do quadro clínico apresentado.
  47. 47.  Causador: Leishmania brasiliensis Hospedeiro definitivo: homem Hospedeiro intermediário: inseto conhecido como mosquito- palha ou birigüi. Ciclo: os parasitas se reproduzem no corpo do inseto e são inoculados durante a picada. Os ferimentos provocados pela picada ulceram e neles os parasitas se multiplicam. Novas picadas espalham as leishmânias de pessoa a pessoa.
  48. 48.  Medidas clínicas, diagnóstico precoce e tratamento. Toda a pessoa que apresentar ferida de difícil cicatrização deverá procurar a Unidade Básica de Saúde, para a realização do exame específico e tratamento. Medidas de proteção individual, são meios mecânicos através do uso de mosquiteiros simples, telas finas em portas e janelas , evitar a frequência na mata, principalmente no horário noturno, a partir das 20:00 horas (crepúsculo) sem o uso de roupas adequadas,boné, camisas de manga comprida, calças compridas e botas além do uso de repelentes. Manter limpo terrenos baldios que possa servir como criadouros de insetos transmissores.

×