Aula M1 demo

566 visualizações

Publicada em

ATIC - Aula de demonstraç

Publicada em: Educação, Turismo, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
566
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula M1 demo

  1. 1. DEMONSTRAÇÃO
  2. 2. <ul><li>Resumo: </li></ul><ul><li>Esta primeira aula vai ser dedicada essencialmente ao conceito de Microentidades e da NCM, compreender os seus objectivos e a sua aplicabilidade. Para efeito serão abordados vários temas como é o exemplo da terminologia aplicada, a estrutura legal do NCM, os instrumentos NC-ME, a relação entre as normas SNC e a NC-ME e a hierarquia legal da NCM. </li></ul><ul><li>Preliminarmente, e de forma muito sucinta, será abordada a sinopse da evolução da contabilidade em Portugal. </li></ul><ul><li>Objectivos: </li></ul><ul><li>No final da aula será capaz de: </li></ul><ul><li>Identificar as principais etapas da normalização em Portugal </li></ul><ul><li>Definir NC-ME e os seus objectivos </li></ul><ul><li>Distinguir as principais diferenças entre o SNC e a NCM </li></ul><ul><li>Identificar os instrumentos do NC-ME </li></ul><ul><li>Reconhecer os diplomas legais do NC-ME </li></ul><ul><li>Ser capaz de identificar a hierarquia legal do NC-ME </li></ul><ul><li>Identificar os quatro níveis de normalização em Portugal </li></ul><ul><li>Saber qualificar uma microentidade </li></ul><ul><li>Enunciar as entidades abrangidas pela NC-ME </li></ul>
  3. 3. Enquadramento da normalização contabilística   Síntese da normalização em Portugal <ul><li>Em Portugal, a evolução de normalização contabilística é constituída essencialmente em quatro grandes fases: </li></ul><ul><li>1976 até 1985: </li></ul><ul><ul><li>É criada a Comissão de Normalização Contabilística em 1976 e aprovado o primeiro Plano Oficial de Contabilidade (POC) em 1977, fundamentalmente influenciado pela normalização contabilística francesa; </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>1986 até 1991: </li></ul><ul><ul><li>A adesão, em 1986, de Portugal à UE veio trazer a obrigação de incluir no normativo nacional as IV e VII Directivas Comunitárias. Para o efeito foi publicado o Decreto-Lei n.º 410/89 de 21 de Novembro que revoga o POC/77 e aprova doze novos capítulos do POC/89. Em 1991 e aprovado o Decreto-Lei n.º 238/91, de 2 de Julho que acrescenta o capítulo 13 e 14 ao POC, sobre o tratamento contabilístico de consolidação de contas; </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>1992 até 2009: </li></ul><ul><ul><li>A Comissão Normalização Contabilística publica diversas Directrizes Contabilísticas e inicia-se a fase da aproximação clara às normas internacionais de contabilidade; </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>A partir de 2010: </li></ul><ul><ul><li>Decreto-Lei n.º 158/2009 de 13 de Julho revoga o POC e aprova o Sistema de Normalização Contabilística, que entra em vigor no primeiro exercício que se inicie em ou após 1 de Janeiro de 2010. </li></ul></ul><ul><li>A partir de 2011: </li></ul><ul><ul><li>Decreto-Lei n.º XPTO de XX de XXXXX aprova o regime da Normalização Contabilística para Microentidades. </li></ul></ul><ul><ul><li>Ainda é um Projecto Lei </li></ul></ul>
  4. 4. Enquadramento e objectivos da NCM <ul><ul><li>O que é a NCM </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>A Normalização Contabilística para Microentidades constitui um modelo de normalização, assente num regime especial de simplificação das normas e informações contabilísticas aplicável as entidades designadas por microentidades. Este modelo, embora operando de forma autónoma, recorre a conceitos, definições e procedimentos contabilísticos de aceitação generalizada em Portugal, tal como enunciados no Sistema de Normalização Contabilística </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><ul><li>O que é são Microentidades </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>São consideradas Microentidades (ME) pelo enquadramento da NCM as empresas que, à data do balanço, não ultrapassem dois dos três limites seguintes: </li></ul><ul><li>Total do balanço – € 500 000; </li></ul><ul><li>Volume de negócios líquido – € 500 000; </li></ul><ul><li>Número médio de empregados durante o exercício – cinco. </li></ul>
  5. 5. FIM AULA DEMONSTRAÇÃO

×