SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 27
QUESTÕES AMBIENTAIS
Profº Nonato Bouth
Objeto de Conhecimento:
Os domínios naturais e a relação do ser humano com o ambiente
Temas:
1. Relação homem-natureza, a apropriação dos recursos naturais pelas
sociedades ao longo do tempo.
2. As questões ambientais contemporâneas: mudança climática, ilhas de
calor, efeito estufa, chuva ácida, a destruição da camada de ozônio.
3. A nova ordem ambiental internacional.
4. Políticas territoriais ambientais.
MATRIZ DO ENEM
Objeto de Conhecimento:
Os domínios naturais e a relação do ser humano com o ambiente
Temas:
1. Relação homem-natureza, a apropriação dos recursos naturais
pelas sociedades ao longo do tempo.
2. Impacto ambiental das atividades econômicas no Brasil.
3. Recursos minerais e energéticos: exploração e impactos.
4. Recursos hídricos; bacias hidrográficas e seus
aproveitamentos.
5. As questões ambientais contemporâneas: mudança climática,
ilhas de calor, efeito estufa, chuva ácida, a destruição da
camada de ozônio.
6. A nova ordem ambiental internacional.
7. Políticas territoriais ambientais.
8. Uso e conservação dos recursos naturais, unidades de
conservação, corredores ecológicos, zoneamento ecológico e
econômico.
9. Origem e evolução do conceito de sustentabilidade.
10. Estrutura interna da terra.
11. Estruturas do solo e do relevo
12. Agentes internos e externos modeladores do relevo.
13. Situação geral da atmosfera e classificação climática.
14. As características climáticas do território brasileiro.
15. Os grandes domínios da vegetação no Brasil e no mundo.
Matriz de Ciências Humanas:
 6 competências de área.
 Cada competência com 05 habilidades = 30
habilidades.
Competência de área 6 - Compreender a
sociedade e a natureza, reconhecendo suas
interações no espaço em diferentes
contextos históricos e geográficos.
H26 - Identificar em fontes diversas o
processo de ocupação dos meios físicos e as
relações da vida humana com a paisagem.
H27 - Analisar de maneira crítica as
interações da sociedade com o meio físico,
levando
em consideração aspectos históricos e(ou)
geográficos.
H28 - Relacionar o uso das tecnologias com
os impactos socioambientais em diferentes
contextos histórico-geográficos.
H29 - Reconhecer a função dos recursos
naturais na produção do espaço geográfico,
relacionando-os com as mudanças
provocadas pelas ações humanas.
H30 - Avaliar as relações entre preservação e
degradação da vida no planeta nas
diferentes escalas.
Tema: Políticas territoriais ambientais Competência: 06 Habilidade: 30 Incidência: G
Glossário: sustentável, conservação e biodegradável Casa: 22, 24, 25 e 26.
6. (Enem 2ª aplicação 2010) O crescimento rápido das cidades nem sempre é
acompanhado, no mesmo ritmo, pelo atendimento de infraestrutura para a melhoria da
qualidade de vida. A deficiência de redes de água tratada, de coleta e tratamento de
esgoto, de pavimentação de ruas, de galerias de águas pluviais, de áreas de lazer, de áreas
verdes, de núcleos de formação educacional e profissional, de núcleos de atendimento
médico-sanitário é comum nessas cidades.
ROSS, J. L .S. (Org.) Geografia do Brasil. São Paulo: EDUSP, 2009 (adaptado)
Sabendo que o acelerado crescimento populacional urbano está articulado com a escassez
de recursos financeiros e a dificuldade de implementação de leis de proteção ao meio
ambiente, pode-se estabelecer o estímulo a uma relação sustentável entre conservação e
produção a partir
a) do aumento do consumo, pela população mais pobre, de produtos industrializados para
o equilíbrio da capacidade de consumo entre as classes.
b) da seleção e recuperação do lixo urbano, que já é uma prática rotineira nos grandes
centros urbanos dos países em desenvolvimento.
c) da diminuição acelerada do uso de recursos naturais, ainda que isso represente perda da
qualidade de vida de milhões de pessoas.
d) da fabricação de produtos reutilizáveis e biodegradáveis, evitando-se substituições e
descartes, como medidas para a redução da degradação ambiental.
e) da transferência dos aterros sanitários para as partes mais periféricas das grandes
cidades, visando-se à preservação dos ambientes naturais.
DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: COMO SURGIU ESSE
CONCEITO?
As alterações no meio ambiente são causadas por fatores
antrópicos (humanos) e/ou físicos (naturais).
As alterações podem ser:
a) locais
ex: ilha de calor, inversão térmica...
b) globais
ex: queimadas, desmatamento, efeito estufa...
Revolução Industrial (Séc. XVIII): maior pressão sobre os recursos
naturais (matéria prima e fontes de energia) – possibilidade de
esgotamento.
 Como relacionar o desenvolvimento sem a necessidade de
esgotar os recursos naturais?
As possibilidades passaram a ser discutidas em Conferências
Ambientais.
Fonte: LUIZ, Márcio – Colégio Santo Agostinho
1983: a ONU criou a Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e
Desenvolvimento.
Gro Harlem Brudtland: Presidente da comissão.
Propôs que o desenvolvimento econômico fosse integrado à
questão ambiental, estabelecendo-se, assim, o conceito de
“desenvolvimento sustentável”.
1987: conclusão dos trabalhos - Relatório Brundtland.
DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL é aquele que responde às
necessidades do presente sem comprometer as possibilidades
das gerações futuras de satisfazer suas próprias necessidades.
*SUSTENTÁVEL é usar racionalmente, sem desperdício
(relação entre social - econômico - ambiental)
PRESERVAR É DIFERENTE DE CONSERVAR ?
Gabarito: D
Resolução:
O lixo e sua produção em grande quantidade é um
problema marcante dos grandes centros urbanos
mundiais. Uma possível solução seria o processo de
reutilização a partir da reciclagem do lixo. Seria
importante a fabricação de produtos reutilizáveis e
biodegradáveis como forma de minimizar agressão ao
meio ambiente
EFEITO ESTUFA
EFEITO ESTUFA é o aquecimento global ?
causas:
a) queima de combustíveis fósseis.
ex: carvão, petróleo, gás natural
b) as queimadas.
c) a pecuária.
d) emissão dos clorofluorcarbonos (CFCs) e do gás metano.
Não. O efeito estufa (origem natural e depois agravado a partir das
revoluções Industriais) é a concentração de gases do efeito estufa
na atmosfera. É essa concentração que dificulta a propagação das
ondas de calor e reflete parte dessas ondas para a superfície da
terra. Como consequência temos o aquecimento global.
Consequência: aquecimento global, derretimento das geleiras,
elevação do nível dos mares e oceanos, inundações catastróficas
e a intensificação de outros problemas.
Normalmente, as camadas de ar próximo à superfície são quentes e
leves, sofrendo movimento ascendente. As camadas superiores são
frias, pesadas e descendentes (circulação normal da atmosfera).
A INVERSÃO TÉRMICA ocorre com mudança abrupta de temperatura
no inverno. O camada de ar inferior fica fria e pesada, acaba
estagnada próxima a superfície deixando de fazer o movimento
ascendente, retendo os poluentes próximo a superfície causando
doenças respiratórias e nos olhos.
*A Inversão térmica é natural, mas a poluição tem causa antrópica.
Como evitar as ilhas de calor
- Rearborização (praças, bosques, parques no centro das cidades).
- Diminuição e controle da emissão de gases poluentes emitidos por
automóveis e indústrias.
- Em alguns casos abertura de “janelas” para os rios.
A ILHA DE CALOR ocorre com a elevação da temperatura no centro
da área urbana se comparada a uma zona rural ou áreas periféricas.
Calor excessivo no interior dos centros urbanos causa maior consumo de energia.
CAUSAS:
- Verticalização do espaço
urbano (prédios).
- Impermeabilização do solo
(asfalto e calçadas).
- Circulação de automóveis,
presença de indústrias.
- Desarborização.
LINHAS ISOTÉRMAS
São linhas que passam
por pontos que
apresentam a mesma
temperatura.
A chuva acida provém da reação dos óxidos de enxofre (SOx) e
óxidos de azoto/nitrogénio (NOx). Ao reagiram com a água formam
na atmosfera ácidos como o ácido sulfúrico e o acído nítrico.
As principais fontes emissoras desses gases são a queima do carvão
mineral, a circulação de automóveis e outras atividas industriais.
Principais Consequências:
 Acidez do solo e das águas.
 Desfolhamento de florestas.
 Corrosão de monumentos
históricos.
Solo pobre em nutrientes e mineiras com
consequente enfraquecimento da vegetação.
Efeitos da chuva ácida numa
floresta. Montanhas de Jizera
Camada de Ozônio
17
O ozônio encontra-se na atmosfera a uma altitude de 15 a 30 km
(estratosfera). A camada de ozônio dificulta a passagem de raios UV
que são prejudiciais ao homem por causarem câncer de pele,
alteração no metabolismo das plantas e contribuírem para a elevação
da temperatura.
Gases como os Clorofluorcarbonos (CFCs) são os destruidores das
moléculas de ozônio.
PRINCIPAIS CAUSAS DO DESMATAMENTO
1. Extração da madeira para fins comerciais.
2. Implantação de projetos agropecuários.
3. Implantação de projetos de mineração.
4. Construção de usinas hidrelétricas.
5. Abertura de rodovias e construção de outras obras de
infraestrutura.
PRINCIPAIS CONSEQUÊNCIAS DO DESMATAMENTO
1. Destruição da biodiversidade.
2. Erosão e empobrecimento dos solos (Lixiviação e Laterização).
3. Assoreamento dos rios.
4. Diminuição dos índices pluviométricos.
5. Elevação da temperatura.
6. Desertificação.
Poluição do solo
É causada pela deposição no solo de produtos ou resíduos de
produtos químicos tóxicos, radioativos, lixos biológicos, excesso de
fertilizantes, óleos, graxas, etc.
O solo perde sua função filtradora, colocando em risco o lençol de
água subterrâneo.
Fonte: www.joinville.udesc.br/portal/professores/masiero/.../ambiente_2011.ppt.
Poluição Atmosférica
A fumaça do escapamento de automóveis e as emissões aéreas
das industrias causam a poluição atmosférica.
Fonte: www.joinville.udesc.br/portal/professores/masiero/.../ambiente_2011.ppt.
Poluição das Águas
CATEGORIA EXEMPLO
Industrial
Fábricas de polpa e de papel, fábricas de químicos, fábricas de têxteis,
fábricas de produtos alimentares.
Municipal
Estações de tratamento de esgotos que podem receber descargas indiretas de
complexos industriais.
Esgotos pluviais/
escoamento urbano
Escoamento de superfícies impermeáveis incluindo ruas, edifícios e outras
áreas pavimentadas para esgotos ou tubos antes de descarregarem para águas
superficiais.
Agrícola
Excesso de fertilizantes que vão infiltrar-se no solo e poluir os lençóis de
água subterrâneos e por sua vez os rios ou ribeiros onde estes vão dar.
Extracção de recursos Minas
Modificações
hidrológicas
Canalizações, construção de barragens.
Fonte:www.joinville.udesc.br/portal/professores/masiero/.../ambiente_2011.ppt.
Fonte:www.sjose.com.br–AquestãodolixonoBrasil.
Classificação dos resíduos sólidos para reciclagem
Fonte: www.sjose.com.br – A questão do lixo no Brasil.
Coleta de lixo no Brasil
• Em 2009 quase 90% dos domicílios eram atendidos pela coleta
regular de resíduos sólidos (em áreas urbanas o atendimento
supera 98% das moradias e na zona rural apenas 33%).
Fonte: www.sjose.com.br – A questão do lixo no Brasil.
Coleta seletiva no Brasil
Há hoje entre 400
e 600 mil
catadores de
materiais
recicláveis no
Brasil, com renda
média entre
R$420,00 e R$
520,00.
Fonte: www.sjose.com.br – A questão do lixo no Brasil.
Contribuição dos cidadãos para
solucionar o problema do lixo
• Política dos Rs (educação ambiental): Recusar, Reduzir,
Reutilizar, Recuperar e Reciclar;
• Separação domiciliar do lixo em três partes: orgânico, reciclável
e rejeito;
• Resíduos com Logística Reversa obrigatória: pilhas e baterias,
pneus, lâmpadas fluorescentes de vapor de sódio e mercúrio e
de luz mista, óleos lubrificantes, seus resíduos e embalagens,
produtos eletroeletrônicos e seus componentes e resíduos de
embalagens de agrotóxicos.
Fonte: www.sjose.com.br – A questão do lixo no Brasil.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Poluição ambiental
Poluição ambientalPoluição ambiental
Poluição ambientalfefemrc
 
Impactos do homem sobre o meio ambiente
Impactos do homem sobre o meio ambienteImpactos do homem sobre o meio ambiente
Impactos do homem sobre o meio ambientelaiszanatta
 
Relação Homem-Natureza
Relação Homem-NaturezaRelação Homem-Natureza
Relação Homem-NaturezaProfCidadania1
 
Educação para o consumo
Educação para o consumoEducação para o consumo
Educação para o consumoFillipe Lobo
 
Sociologia e meio ambiente
Sociologia e meio ambienteSociologia e meio ambiente
Sociologia e meio ambienteEEBMiguelCouto
 
Impactos ambientais causas e consequências
Impactos ambientais causas e consequênciasImpactos ambientais causas e consequências
Impactos ambientais causas e consequênciasCharlles Moreira
 
A industrialização e o impacto ambiental
A industrialização e o impacto ambientalA industrialização e o impacto ambiental
A industrialização e o impacto ambientalbecresforte
 
Apresentação feminismo final
Apresentação feminismo finalApresentação feminismo final
Apresentação feminismo finalGreice Keli
 
Problemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanosProblemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanosMarcio Cicchelli
 
Movimentos sociais ambientais
Movimentos sociais ambientaisMovimentos sociais ambientais
Movimentos sociais ambientaisAline Corso
 

Mais procurados (20)

Poluição ambiental
Poluição ambientalPoluição ambiental
Poluição ambiental
 
Aula SUSTENTABILIDADE
Aula SUSTENTABILIDADEAula SUSTENTABILIDADE
Aula SUSTENTABILIDADE
 
Impactos do homem sobre o meio ambiente
Impactos do homem sobre o meio ambienteImpactos do homem sobre o meio ambiente
Impactos do homem sobre o meio ambiente
 
Relação Homem-Natureza
Relação Homem-NaturezaRelação Homem-Natureza
Relação Homem-Natureza
 
Educação para o consumo
Educação para o consumoEducação para o consumo
Educação para o consumo
 
Os fluxos migratórios
Os fluxos migratóriosOs fluxos migratórios
Os fluxos migratórios
 
Sociologia e meio ambiente
Sociologia e meio ambienteSociologia e meio ambiente
Sociologia e meio ambiente
 
Impactos ambientais causas e consequências
Impactos ambientais causas e consequênciasImpactos ambientais causas e consequências
Impactos ambientais causas e consequências
 
A industrialização e o impacto ambiental
A industrialização e o impacto ambientalA industrialização e o impacto ambiental
A industrialização e o impacto ambiental
 
O neoliberalismo
O neoliberalismoO neoliberalismo
O neoliberalismo
 
Capitalismo
CapitalismoCapitalismo
Capitalismo
 
Impacto ambiental
Impacto ambientalImpacto ambiental
Impacto ambiental
 
Desigualdade Social
Desigualdade SocialDesigualdade Social
Desigualdade Social
 
Apresentação feminismo final
Apresentação feminismo finalApresentação feminismo final
Apresentação feminismo final
 
Desigualdade Social
Desigualdade SocialDesigualdade Social
Desigualdade Social
 
Problemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanosProblemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanos
 
Meio ambiente powerpoint
Meio ambiente powerpointMeio ambiente powerpoint
Meio ambiente powerpoint
 
Politicas Ambientais
Politicas AmbientaisPoliticas Ambientais
Politicas Ambientais
 
Movimentos sociais ambientais
Movimentos sociais ambientaisMovimentos sociais ambientais
Movimentos sociais ambientais
 
Consumismo
ConsumismoConsumismo
Consumismo
 

Semelhante a Questões ambientais

Ciencias 6o ano_atividade_18.11.2020
Ciencias 6o ano_atividade_18.11.2020Ciencias 6o ano_atividade_18.11.2020
Ciencias 6o ano_atividade_18.11.2020Washington Rocha
 
A questao ambiental
A questao ambientalA questao ambiental
A questao ambientalrdbtava
 
O cristão e a ecologia
O cristão e a ecologiaO cristão e a ecologia
O cristão e a ecologiaLuciana Lisboa
 
A questão ambiental - principais efeitos
A questão ambiental - principais efeitosA questão ambiental - principais efeitos
A questão ambiental - principais efeitosArtur Lara
 
Impacto da ação humana no meio ambiente
Impacto da ação humana no meio ambienteImpacto da ação humana no meio ambiente
Impacto da ação humana no meio ambienteacrlessa
 
Apresentação cf 2011
Apresentação cf 2011Apresentação cf 2011
Apresentação cf 2011mlfmlopes
 
Tipos de poluição
Tipos de poluiçãoTipos de poluição
Tipos de poluiçãoGalo_Frito
 
Crise global vista como um furacão que se aproxima.ppt
Crise global vista como um furacão que se aproxima.pptCrise global vista como um furacão que se aproxima.ppt
Crise global vista como um furacão que se aproxima.pptgleicianedasilvasant1
 
Manual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizada
Manual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizadaManual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizada
Manual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizadaEditora Juspodivm
 
Acordos internacionais ambientais sobre meio ambiente e desenvolvimento suste...
Acordos internacionais ambientais sobre meio ambiente e desenvolvimento suste...Acordos internacionais ambientais sobre meio ambiente e desenvolvimento suste...
Acordos internacionais ambientais sobre meio ambiente e desenvolvimento suste...Almir Caputo
 
Ações humanas e alteracoes ambientais
Ações humanas e alteracoes ambientaisAções humanas e alteracoes ambientais
Ações humanas e alteracoes ambientaisProf. Francesco Torres
 
Problemas ambientais e o meio urbano
Problemas ambientais e o meio urbanoProblemas ambientais e o meio urbano
Problemas ambientais e o meio urbanoPriscla Silva
 
O desenvolvimento e os recursos ambientais
O desenvolvimento e os recursos ambientaisO desenvolvimento e os recursos ambientais
O desenvolvimento e os recursos ambientaisjovensnaeconomia
 
Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.
Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.
Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.CARLOS MORAES
 
Alterações Climáticas
Alterações ClimáticasAlterações Climáticas
Alterações ClimáticasAlunasEseimu
 
Alterações climáticas #1
Alterações climáticas #1Alterações climáticas #1
Alterações climáticas #1pasf4ever
 

Semelhante a Questões ambientais (20)

Ciencias 6o ano_atividade_18.11.2020
Ciencias 6o ano_atividade_18.11.2020Ciencias 6o ano_atividade_18.11.2020
Ciencias 6o ano_atividade_18.11.2020
 
Julya
JulyaJulya
Julya
 
A questao ambiental
A questao ambientalA questao ambiental
A questao ambiental
 
O cristão e a ecologia
O cristão e a ecologiaO cristão e a ecologia
O cristão e a ecologia
 
A questão ambiental - principais efeitos
A questão ambiental - principais efeitosA questão ambiental - principais efeitos
A questão ambiental - principais efeitos
 
Impacto da ação humana no meio ambiente
Impacto da ação humana no meio ambienteImpacto da ação humana no meio ambiente
Impacto da ação humana no meio ambiente
 
Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
 
Apresentação cf 2011
Apresentação cf 2011Apresentação cf 2011
Apresentação cf 2011
 
Tipos de poluição
Tipos de poluiçãoTipos de poluição
Tipos de poluição
 
Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
 
Crise global vista como um furacão que se aproxima.ppt
Crise global vista como um furacão que se aproxima.pptCrise global vista como um furacão que se aproxima.ppt
Crise global vista como um furacão que se aproxima.ppt
 
Manual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizada
Manual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizadaManual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizada
Manual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizada
 
Acordos internacionais ambientais sobre meio ambiente e desenvolvimento suste...
Acordos internacionais ambientais sobre meio ambiente e desenvolvimento suste...Acordos internacionais ambientais sobre meio ambiente e desenvolvimento suste...
Acordos internacionais ambientais sobre meio ambiente e desenvolvimento suste...
 
Ações humanas e alteracoes ambientais
Ações humanas e alteracoes ambientaisAções humanas e alteracoes ambientais
Ações humanas e alteracoes ambientais
 
Problemas ambientais e o meio urbano
Problemas ambientais e o meio urbanoProblemas ambientais e o meio urbano
Problemas ambientais e o meio urbano
 
O desenvolvimento e os recursos ambientais
O desenvolvimento e os recursos ambientaisO desenvolvimento e os recursos ambientais
O desenvolvimento e os recursos ambientais
 
Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.
Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.
Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.
 
Fenômenos atmosféricos antropizados
Fenômenos atmosféricos antropizadosFenômenos atmosféricos antropizados
Fenômenos atmosféricos antropizados
 
Alterações Climáticas
Alterações ClimáticasAlterações Climáticas
Alterações Climáticas
 
Alterações climáticas #1
Alterações climáticas #1Alterações climáticas #1
Alterações climáticas #1
 

Mais de Nonato Bouth

Tratado de cooperação amazônica nonato bouth, carvalho e georgina
Tratado de cooperação amazônica   nonato bouth, carvalho e georginaTratado de cooperação amazônica   nonato bouth, carvalho e georgina
Tratado de cooperação amazônica nonato bouth, carvalho e georginaNonato Bouth
 
Aula 01 convênio e cursinho - 2012
Aula 01   convênio e cursinho - 2012Aula 01   convênio e cursinho - 2012
Aula 01 convênio e cursinho - 2012Nonato Bouth
 
Aula 01 2º ano - 2012
Aula 01   2º ano - 2012Aula 01   2º ano - 2012
Aula 01 2º ano - 2012Nonato Bouth
 
Aula 01 1º ano - 2012
Aula 01   1º ano - 2012Aula 01   1º ano - 2012
Aula 01 1º ano - 2012Nonato Bouth
 
Aula 01 1º ano - 2012
Aula 01   1º ano - 2012Aula 01   1º ano - 2012
Aula 01 1º ano - 2012Nonato Bouth
 
Profº nonato bouth ler em todas as disciplinas 2012
Profº nonato bouth   ler em todas as disciplinas 2012Profº nonato bouth   ler em todas as disciplinas 2012
Profº nonato bouth ler em todas as disciplinas 2012Nonato Bouth
 
Bullying e o gênero do aluno
Bullying e o gênero do alunoBullying e o gênero do aluno
Bullying e o gênero do alunoNonato Bouth
 
Bullying e o gênero do aluno
Bullying e o gênero do alunoBullying e o gênero do aluno
Bullying e o gênero do alunoNonato Bouth
 
Migrações Nordestinas
Migrações NordestinasMigrações Nordestinas
Migrações NordestinasNonato Bouth
 
Migrações nordestinas
Migrações nordestinasMigrações nordestinas
Migrações nordestinasNonato Bouth
 
Nordeste pobreza x seca x atraso industrial x transposição x questào agrári
Nordeste   pobreza x seca x atraso industrial x transposição x questào agráriNordeste   pobreza x seca x atraso industrial x transposição x questào agrári
Nordeste pobreza x seca x atraso industrial x transposição x questào agráriNonato Bouth
 

Mais de Nonato Bouth (17)

Tratado de cooperação amazônica nonato bouth, carvalho e georgina
Tratado de cooperação amazônica   nonato bouth, carvalho e georginaTratado de cooperação amazônica   nonato bouth, carvalho e georgina
Tratado de cooperação amazônica nonato bouth, carvalho e georgina
 
Livro
LivroLivro
Livro
 
Livro
LivroLivro
Livro
 
Amazônia 2012
Amazônia 2012Amazônia 2012
Amazônia 2012
 
Nordeste
NordesteNordeste
Nordeste
 
Nordeste
NordesteNordeste
Nordeste
 
Aula 01 convênio e cursinho - 2012
Aula 01   convênio e cursinho - 2012Aula 01   convênio e cursinho - 2012
Aula 01 convênio e cursinho - 2012
 
Aula 01 2º ano - 2012
Aula 01   2º ano - 2012Aula 01   2º ano - 2012
Aula 01 2º ano - 2012
 
Aula 01 1º ano - 2012
Aula 01   1º ano - 2012Aula 01   1º ano - 2012
Aula 01 1º ano - 2012
 
Aula 01 1º ano - 2012
Aula 01   1º ano - 2012Aula 01   1º ano - 2012
Aula 01 1º ano - 2012
 
Profº nonato bouth ler em todas as disciplinas 2012
Profº nonato bouth   ler em todas as disciplinas 2012Profº nonato bouth   ler em todas as disciplinas 2012
Profº nonato bouth ler em todas as disciplinas 2012
 
Bullying e o gênero do aluno
Bullying e o gênero do alunoBullying e o gênero do aluno
Bullying e o gênero do aluno
 
Bullying e o gênero do aluno
Bullying e o gênero do alunoBullying e o gênero do aluno
Bullying e o gênero do aluno
 
As sub regiões
As sub regiõesAs sub regiões
As sub regiões
 
Migrações Nordestinas
Migrações NordestinasMigrações Nordestinas
Migrações Nordestinas
 
Migrações nordestinas
Migrações nordestinasMigrações nordestinas
Migrações nordestinas
 
Nordeste pobreza x seca x atraso industrial x transposição x questào agrári
Nordeste   pobreza x seca x atraso industrial x transposição x questào agráriNordeste   pobreza x seca x atraso industrial x transposição x questào agrári
Nordeste pobreza x seca x atraso industrial x transposição x questào agrári
 

Último

activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADOcarolinacespedes23
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfmirandadudu08
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
Bullying - Texto e cruzadinha
Bullying        -     Texto e cruzadinhaBullying        -     Texto e cruzadinha
Bullying - Texto e cruzadinhaMary Alvarenga
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.keislayyovera123
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBCRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBAline Santana
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdf
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
Bullying - Texto e cruzadinha
Bullying        -     Texto e cruzadinhaBullying        -     Texto e cruzadinha
Bullying - Texto e cruzadinha
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBCRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
 

Questões ambientais

  • 1. QUESTÕES AMBIENTAIS Profº Nonato Bouth Objeto de Conhecimento: Os domínios naturais e a relação do ser humano com o ambiente Temas: 1. Relação homem-natureza, a apropriação dos recursos naturais pelas sociedades ao longo do tempo. 2. As questões ambientais contemporâneas: mudança climática, ilhas de calor, efeito estufa, chuva ácida, a destruição da camada de ozônio. 3. A nova ordem ambiental internacional. 4. Políticas territoriais ambientais.
  • 2. MATRIZ DO ENEM Objeto de Conhecimento: Os domínios naturais e a relação do ser humano com o ambiente Temas: 1. Relação homem-natureza, a apropriação dos recursos naturais pelas sociedades ao longo do tempo. 2. Impacto ambiental das atividades econômicas no Brasil. 3. Recursos minerais e energéticos: exploração e impactos. 4. Recursos hídricos; bacias hidrográficas e seus aproveitamentos. 5. As questões ambientais contemporâneas: mudança climática, ilhas de calor, efeito estufa, chuva ácida, a destruição da camada de ozônio. 6. A nova ordem ambiental internacional. 7. Políticas territoriais ambientais. 8. Uso e conservação dos recursos naturais, unidades de conservação, corredores ecológicos, zoneamento ecológico e econômico. 9. Origem e evolução do conceito de sustentabilidade. 10. Estrutura interna da terra. 11. Estruturas do solo e do relevo 12. Agentes internos e externos modeladores do relevo. 13. Situação geral da atmosfera e classificação climática. 14. As características climáticas do território brasileiro. 15. Os grandes domínios da vegetação no Brasil e no mundo. Matriz de Ciências Humanas:  6 competências de área.  Cada competência com 05 habilidades = 30 habilidades. Competência de área 6 - Compreender a sociedade e a natureza, reconhecendo suas interações no espaço em diferentes contextos históricos e geográficos. H26 - Identificar em fontes diversas o processo de ocupação dos meios físicos e as relações da vida humana com a paisagem. H27 - Analisar de maneira crítica as interações da sociedade com o meio físico, levando em consideração aspectos históricos e(ou) geográficos. H28 - Relacionar o uso das tecnologias com os impactos socioambientais em diferentes contextos histórico-geográficos. H29 - Reconhecer a função dos recursos naturais na produção do espaço geográfico, relacionando-os com as mudanças provocadas pelas ações humanas. H30 - Avaliar as relações entre preservação e degradação da vida no planeta nas diferentes escalas.
  • 3. Tema: Políticas territoriais ambientais Competência: 06 Habilidade: 30 Incidência: G Glossário: sustentável, conservação e biodegradável Casa: 22, 24, 25 e 26. 6. (Enem 2ª aplicação 2010) O crescimento rápido das cidades nem sempre é acompanhado, no mesmo ritmo, pelo atendimento de infraestrutura para a melhoria da qualidade de vida. A deficiência de redes de água tratada, de coleta e tratamento de esgoto, de pavimentação de ruas, de galerias de águas pluviais, de áreas de lazer, de áreas verdes, de núcleos de formação educacional e profissional, de núcleos de atendimento médico-sanitário é comum nessas cidades. ROSS, J. L .S. (Org.) Geografia do Brasil. São Paulo: EDUSP, 2009 (adaptado) Sabendo que o acelerado crescimento populacional urbano está articulado com a escassez de recursos financeiros e a dificuldade de implementação de leis de proteção ao meio ambiente, pode-se estabelecer o estímulo a uma relação sustentável entre conservação e produção a partir a) do aumento do consumo, pela população mais pobre, de produtos industrializados para o equilíbrio da capacidade de consumo entre as classes. b) da seleção e recuperação do lixo urbano, que já é uma prática rotineira nos grandes centros urbanos dos países em desenvolvimento. c) da diminuição acelerada do uso de recursos naturais, ainda que isso represente perda da qualidade de vida de milhões de pessoas. d) da fabricação de produtos reutilizáveis e biodegradáveis, evitando-se substituições e descartes, como medidas para a redução da degradação ambiental. e) da transferência dos aterros sanitários para as partes mais periféricas das grandes cidades, visando-se à preservação dos ambientes naturais.
  • 4. DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: COMO SURGIU ESSE CONCEITO? As alterações no meio ambiente são causadas por fatores antrópicos (humanos) e/ou físicos (naturais). As alterações podem ser: a) locais ex: ilha de calor, inversão térmica... b) globais ex: queimadas, desmatamento, efeito estufa... Revolução Industrial (Séc. XVIII): maior pressão sobre os recursos naturais (matéria prima e fontes de energia) – possibilidade de esgotamento.  Como relacionar o desenvolvimento sem a necessidade de esgotar os recursos naturais? As possibilidades passaram a ser discutidas em Conferências Ambientais.
  • 5. Fonte: LUIZ, Márcio – Colégio Santo Agostinho
  • 6. 1983: a ONU criou a Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. Gro Harlem Brudtland: Presidente da comissão. Propôs que o desenvolvimento econômico fosse integrado à questão ambiental, estabelecendo-se, assim, o conceito de “desenvolvimento sustentável”. 1987: conclusão dos trabalhos - Relatório Brundtland. DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL é aquele que responde às necessidades do presente sem comprometer as possibilidades das gerações futuras de satisfazer suas próprias necessidades. *SUSTENTÁVEL é usar racionalmente, sem desperdício (relação entre social - econômico - ambiental) PRESERVAR É DIFERENTE DE CONSERVAR ?
  • 7. Gabarito: D Resolução: O lixo e sua produção em grande quantidade é um problema marcante dos grandes centros urbanos mundiais. Uma possível solução seria o processo de reutilização a partir da reciclagem do lixo. Seria importante a fabricação de produtos reutilizáveis e biodegradáveis como forma de minimizar agressão ao meio ambiente
  • 9. EFEITO ESTUFA é o aquecimento global ? causas: a) queima de combustíveis fósseis. ex: carvão, petróleo, gás natural b) as queimadas. c) a pecuária. d) emissão dos clorofluorcarbonos (CFCs) e do gás metano. Não. O efeito estufa (origem natural e depois agravado a partir das revoluções Industriais) é a concentração de gases do efeito estufa na atmosfera. É essa concentração que dificulta a propagação das ondas de calor e reflete parte dessas ondas para a superfície da terra. Como consequência temos o aquecimento global. Consequência: aquecimento global, derretimento das geleiras, elevação do nível dos mares e oceanos, inundações catastróficas e a intensificação de outros problemas.
  • 10. Normalmente, as camadas de ar próximo à superfície são quentes e leves, sofrendo movimento ascendente. As camadas superiores são frias, pesadas e descendentes (circulação normal da atmosfera). A INVERSÃO TÉRMICA ocorre com mudança abrupta de temperatura no inverno. O camada de ar inferior fica fria e pesada, acaba estagnada próxima a superfície deixando de fazer o movimento ascendente, retendo os poluentes próximo a superfície causando doenças respiratórias e nos olhos. *A Inversão térmica é natural, mas a poluição tem causa antrópica.
  • 11.
  • 12. Como evitar as ilhas de calor - Rearborização (praças, bosques, parques no centro das cidades). - Diminuição e controle da emissão de gases poluentes emitidos por automóveis e indústrias. - Em alguns casos abertura de “janelas” para os rios. A ILHA DE CALOR ocorre com a elevação da temperatura no centro da área urbana se comparada a uma zona rural ou áreas periféricas. Calor excessivo no interior dos centros urbanos causa maior consumo de energia. CAUSAS: - Verticalização do espaço urbano (prédios). - Impermeabilização do solo (asfalto e calçadas). - Circulação de automóveis, presença de indústrias. - Desarborização.
  • 13. LINHAS ISOTÉRMAS São linhas que passam por pontos que apresentam a mesma temperatura.
  • 14.
  • 15. A chuva acida provém da reação dos óxidos de enxofre (SOx) e óxidos de azoto/nitrogénio (NOx). Ao reagiram com a água formam na atmosfera ácidos como o ácido sulfúrico e o acído nítrico. As principais fontes emissoras desses gases são a queima do carvão mineral, a circulação de automóveis e outras atividas industriais.
  • 16. Principais Consequências:  Acidez do solo e das águas.  Desfolhamento de florestas.  Corrosão de monumentos históricos. Solo pobre em nutrientes e mineiras com consequente enfraquecimento da vegetação. Efeitos da chuva ácida numa floresta. Montanhas de Jizera
  • 17. Camada de Ozônio 17 O ozônio encontra-se na atmosfera a uma altitude de 15 a 30 km (estratosfera). A camada de ozônio dificulta a passagem de raios UV que são prejudiciais ao homem por causarem câncer de pele, alteração no metabolismo das plantas e contribuírem para a elevação da temperatura. Gases como os Clorofluorcarbonos (CFCs) são os destruidores das moléculas de ozônio.
  • 18. PRINCIPAIS CAUSAS DO DESMATAMENTO 1. Extração da madeira para fins comerciais. 2. Implantação de projetos agropecuários. 3. Implantação de projetos de mineração. 4. Construção de usinas hidrelétricas. 5. Abertura de rodovias e construção de outras obras de infraestrutura.
  • 19. PRINCIPAIS CONSEQUÊNCIAS DO DESMATAMENTO 1. Destruição da biodiversidade. 2. Erosão e empobrecimento dos solos (Lixiviação e Laterização). 3. Assoreamento dos rios. 4. Diminuição dos índices pluviométricos. 5. Elevação da temperatura. 6. Desertificação.
  • 20. Poluição do solo É causada pela deposição no solo de produtos ou resíduos de produtos químicos tóxicos, radioativos, lixos biológicos, excesso de fertilizantes, óleos, graxas, etc. O solo perde sua função filtradora, colocando em risco o lençol de água subterrâneo. Fonte: www.joinville.udesc.br/portal/professores/masiero/.../ambiente_2011.ppt.
  • 21. Poluição Atmosférica A fumaça do escapamento de automóveis e as emissões aéreas das industrias causam a poluição atmosférica. Fonte: www.joinville.udesc.br/portal/professores/masiero/.../ambiente_2011.ppt.
  • 22. Poluição das Águas CATEGORIA EXEMPLO Industrial Fábricas de polpa e de papel, fábricas de químicos, fábricas de têxteis, fábricas de produtos alimentares. Municipal Estações de tratamento de esgotos que podem receber descargas indiretas de complexos industriais. Esgotos pluviais/ escoamento urbano Escoamento de superfícies impermeáveis incluindo ruas, edifícios e outras áreas pavimentadas para esgotos ou tubos antes de descarregarem para águas superficiais. Agrícola Excesso de fertilizantes que vão infiltrar-se no solo e poluir os lençóis de água subterrâneos e por sua vez os rios ou ribeiros onde estes vão dar. Extracção de recursos Minas Modificações hidrológicas Canalizações, construção de barragens. Fonte:www.joinville.udesc.br/portal/professores/masiero/.../ambiente_2011.ppt.
  • 24. Classificação dos resíduos sólidos para reciclagem Fonte: www.sjose.com.br – A questão do lixo no Brasil.
  • 25. Coleta de lixo no Brasil • Em 2009 quase 90% dos domicílios eram atendidos pela coleta regular de resíduos sólidos (em áreas urbanas o atendimento supera 98% das moradias e na zona rural apenas 33%). Fonte: www.sjose.com.br – A questão do lixo no Brasil.
  • 26. Coleta seletiva no Brasil Há hoje entre 400 e 600 mil catadores de materiais recicláveis no Brasil, com renda média entre R$420,00 e R$ 520,00. Fonte: www.sjose.com.br – A questão do lixo no Brasil.
  • 27. Contribuição dos cidadãos para solucionar o problema do lixo • Política dos Rs (educação ambiental): Recusar, Reduzir, Reutilizar, Recuperar e Reciclar; • Separação domiciliar do lixo em três partes: orgânico, reciclável e rejeito; • Resíduos com Logística Reversa obrigatória: pilhas e baterias, pneus, lâmpadas fluorescentes de vapor de sódio e mercúrio e de luz mista, óleos lubrificantes, seus resíduos e embalagens, produtos eletroeletrônicos e seus componentes e resíduos de embalagens de agrotóxicos. Fonte: www.sjose.com.br – A questão do lixo no Brasil.