MEIO AMBIENTE
(O ESPAÇO DA GEOGRAFIA)
http://profalexandregangorra.blogspot.com.br/
01 - (UFMG MG/2005)
Leia este trecho:
...
químicos encarece a captação e o
tratamento da água
Das afirmações feitas, estão corretas:
a) somente I e II.
b) somente I...
d) à inversão térmica, ocasionada pelo
movimento do ar das zonas rurais para as
zonas urbanas, aumentando as
temperaturas ...
15 - (Fatec SP/2003)
Cerca de meio bilhão de pessoas no mundo
sofreram com a falta de água, em 2001, segundo
informações d...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Meio ambiente

720 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
720
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Meio ambiente

  1. 1. MEIO AMBIENTE (O ESPAÇO DA GEOGRAFIA) http://profalexandregangorra.blogspot.com.br/ 01 - (UFMG MG/2005) Leia este trecho: O global warming, ou aquecimento global, é um tema extremamente confuso, “às vezes obscuro”, como o classificou recentemente Godard (2001). Esse tema reúne tudo: a poluição e o clima, este último, o álibi, o espantalho; os bons sentimentos e os interesses confessáveis e inconfessáveis; o planeta que precisa ser “salvo” enquanto se negocia o direito de poluir; as teorias de modelos e os mecanismos reais, o hipotético clima do futuro (apresentado como um postulado) e a evolução do tempo presente; as previsões tão mais gratuitas quão mais distante está sua confirmação (aproximando-se de profecias à “Nostradamus”); o sensacionalismo e a seriedade científica, a procura do “furo” e a informação devidamente fundamentada, a mídia que aumenta a confusão, sobretudo entre clima e tempo. LEROUX, Marcel. Global warming: mito ou realidade? A evolução real da dinâmica do tempo. Annales de Géographie, n. 624, 2002, p. 115-137. (Adaptado) A partir da leitura e análise desse trecho, é INCORRETO afirmar que: a) a discussão sobre o tema do aquecimento global envolve uma diversidade de posições, valores e atitudes polêmicos e, também, de interesses escusos. b) a posição do autor é percebida como a de um defensor convicto da hipótese do aquecimento global. c) as mudanças do tempo meteorológico são confundidas, às vezes, com mudanças climáticas globais. d) o texto é crítico e irônico em relação à forma como vem sendo tratado o tema do aquecimento global. 02 - (UEL/PR/Janeiro/2005) Após o início da Revolução Industrial, no século XVIII, e ao longo dos séculos XIX e XX, o uso de combustíveis fósseis, como o petróleo e o carvão, aumentou significativamente. Atualmente, alguns dos problemas ambientais mais graves são gerados pela queima de combustíveis fósseis por automóveis e indústrias, sendo que, em alguns casos, os seus impactos são sentidos em áreas distantes das fontes emissoras. Assinale a alternativa que identifica, corretamente, os problemas ambientais decorrentes da queima de combustíveis fósseis indicados no texto. a) Chuva ácida e efeito estufa. b) Desertificação dos solos e esgotamento da água potável. c) Buraco na camada de ozônio e eutrofização de rios e lagos. d) Desmatamento nas florestas tropicais e assoreamento de rios e lagos. e) Redução da camada de ozônio e das florestas temperadas. 03 - (FMTM MG/Janeiro/2004) Sobre o problema mundial envolvendo a questão da água, pode-se afirmar que: a) as mudanças climáticas, mesmo pequenas, podem provocar enormes alterações no ciclo hidrológico, como afirma o relatório da ONU no Fórum Mundial de Montreal de 1998. b) segundo a ONU, mais da metade da população mundial não tem acesso a água potável, pois os maiores aqüíferos existentes no globo encontram-se poluídos. c) diferente do uso de combustíveis fósseis para a geração de energia elétrica, as hidroelétricas não degradam o meio ambiente pois usam fonte energética renovável. d) segundo a ONU, a agropecuária é responsável por cerca de 70% do consumo mundial de água doce além de colaborar para a poluição dos rios, dos lagos e dos lençóis freáticos. e) a manutenção de reservas florestais e áreas de preservação nos arredores de grandes metrópoles tem-se mostrado um meio ineficaz para se obter água pura para o abastecimento da população. 04 - (Mackenzie SP/Janeiro/2004) A ONU elegeu 2003 como o Ano Internacional da Água Doce e patrocinou o 3º Fórum Internacional da Água, em Kyoto, no Japão. Considere as afirmações abaixo, sobre o problema da água doce. I. Mais de 97% da água do planeta é salgada e sua dessalinização implicaria custos muito elevados e dificilmente atenderia a toda a demanda mundial. II. Sem disponibilidade de água doce, a expansão agrária seria comprometida e apenas as atividades urbanas se desenvolveriam. III. O elevado desmatamento, em nível mundial, aumenta a desertificação no planeta e promove o esvaziamento dos lençóis freáticos. IV. A contaminação das águas superficiais e dos lençóis freáticos por esgotos e produtos
  2. 2. químicos encarece a captação e o tratamento da água Das afirmações feitas, estão corretas: a) somente I e II. b) somente I, II e III. c) somente I, II e IV. d) somente II e III. e) somente I, III e IV. 05 - (UESPI/PI/2004) A poluição atmosférica é um dos mais sérios problemas ambientais enfrentados pelas populações que residem nas grandes cidades do mundo. Esse tipo de poluição causa diversas doenças e seus efeitos perniciosos agravam-se quando: a) ocorrem pesados aguaceiros. b) acontece uma inversão térmica. c) os ventos ficam mais fortes e úmidos. d) no oceano, as águas superficiais ficam mais quentes. e) ocorre o fenômeno “El Niño”. 06 - (FMTM MG/Julho/2004) Durante as décadas de 1970 e 1980, tornou-se cada vez mais claro que os recursos naturais eram dilapidados em nome do desenvolvimento. Estavam ocorrendo mudanças imprevistas na atmosfera, nos solos, nas águas, entre as plantas e os animais e nas relações entre os elementos do meio ambiente. Foi necessário reconhecer que a velocidade da transformação era tal que superava a capacidade científica e institucional para minimizar ou inverter o sentido de suas causas e efeitos. Criou-se, dentro da ONU, uma comissão para examinar esses problemas e sugerir mecanismos que permitissem um desenvolvimento econômico e social, possibilitando enfrentar as necessidades do presente sem pôr em risco o patrimônio natural das futuras gerações, para que suas necessidades viessem a ser atendidas. A aplicação desses mecanismos passou a receber a denominação de: a) ecossistema. b) desenvolvimento sustentável. c) agenda 77. d) biodiversidade. e) carta da humanidade. 07 - (UECE/CE/2ªFase/Janeiro/2004) Multiplicam-se as notícias sobre a possibilidade de, nos próximos anos, haver uma escassez de água em todo o planeta. Não faltam sinais de escassez de água doce. No que tange às principais causas deste problema, assinale a alternativa FALSA. a) Ritmo acelerado de desmatamentos b) Crescimento urbano e industrial c) Pastoreio excessivo d) Preservação da mata ciliar 08 - (PUC/Belo Horizonte/MG/Janeiro/2003) Antes chamada de a “Veneza do Novo Mundo”, por causa dos seus lagos e canais, há muito desaparecidos, a Cidade do México explorou a tal ponto suas reservas subterrâneas de água que já afundou 7,5 metros. Hoje, os vazamentos consomem quase 1/3 da água disponível e a cidade precisa fazer uso de caminhões-pipa. Problemas como esse se repetem nos quatro cantos do globo, onde cerca de dois bilhões de pessoas sofrem de grave carência de água. A esse respeito, é INCORRETO afirmar que: a) é incontestável o desperdício no uso de água no planeta, para consumo humano e industrial e, em especial, para a agricultura, através da irrigação desenfreada, o que ameaça os mananciais. b) no mundo inteiro, agricultores e administradores públicos municipais bombeiam água com extrema velocidade, não permitindo que os reservatórios subterrâneos se recuperem. c) novas tecnologias – como a dessalinização da água do mar –, viáveis no contexto global, tornam-se a forma mais eficaz e vantajosa de conservação da água e para resolver o problema da escassez entre os mais pobres. d) o aumento da população e da demanda de alimentos torna indispensável aproveitar melhor os recursos hídricos, para equilibrar as necessidades humanas com as exigências de sistemas naturais vitais para sustentar a vida no planeta. 09 - (PUC RS/Janeiro/2003) Com base no desenho abaixo, referente ao meio ambiente. O desenho refere-se: a) ao efeito tampão, que causa aumento exagerado de temperatura em cidades litorâneas durante os invernos. b) ao efeito estufa, aumento de calor em função da agressão à camada de ozônio. c) à formação de chuva ácida, que ocorre somente em áreas urbanas, em função da industrialização.
  3. 3. d) à inversão térmica, ocasionada pelo movimento do ar das zonas rurais para as zonas urbanas, aumentando as temperaturas nas cidades. e) à formação de ilha de calor, aumentando a temperatura à medida que nos aproximamos dos centros urbanos. 10 - (PUC/PR/Janeiro/2003) A industrialização européia teve como base energética o uso do carvão mineral. Até hoje, mesmo com a ampliação do uso de petróleo, da energia hidrelétrica e das usinas nucleares, o carvão permanece como importante fonte energética, principalmente, nos países da Europa Oriental. Ocorre, porém, que a queima do carvão mineral, em grandes quantidades, pode provocar o aumento do volume do óxido de enxofre na atmosfera e, com isso, o fenômeno: a) da chuva ácida b) do vento geotrópico c) da rarefação do ar d) desertificação e) da redução da ionosfera 11 - (PUC/Arcos/MG/Janeiro/2003) A natureza mostrou, à véspera da Conferência Rio+10, em Johannesburgo, que não estamos falando em abstrato, mas de uma realidade que precisa mudar: inundações na Europa, secas acentuadas no Sudeste Asiático, mortandade por falta de água potável, oceanos poluídos, aquecimento global. Considerando-se esse contexto, é INCORRETO afirmar que: a) a variabilidade do sistema climático mundial é determinada pela queima dos combustíveis fósseis, altamente poluentes. b) a desertificação afeta quase um terço das terras do planeta e uma parcela significativa delas já está imprestável para o plantio. c) o desmatamento, principalmente nos países periféricos, devasta milhões de hectares de floresta a cada ano. d) as atividades produtivas degradaram significativamente os ecossistemas litorais do mundo. 12 - (PUC RJ/Janeiro/2003) O desenvolvimento sustentável, proclamado generosamente pelo relatório Brundtland, em 1987, como "aquele que atende às necessidades do presente sem comprometer a possibilidade de as gerações futuras atenderem a suas próprias necessidades", gerou impasses na Cúpula da Terra, na Rio-92 e agora em Johanesburgo- 2002. Uma das razões para isso é a insustentabilidade da própria proposta de "desenvolvimento sustentável", que tem como premissa uma noção de desenvolvimento predominante desde o pós-guerra e que se contrapõe à noção de sustentabilidade. Adaptado de Acselrad, Henri; Leroy, Jean-Pierre In Novas premissas da Sustentabilidade Democrática. Rio de Janeiro. FASE, 1999. Esta noção de desenvolvimento NÃO se fundamenta: a) na expansão mundial dos fluxos de circulação de bens, serviços e capitais. b) na integração homogeneizadora das sociedades periféricas ao capitalismo central. c) no progresso econômico dissociado da geração de empregos e do direito ao trabalho. d) na autonomia dos setores produtivos em relação ao funcionamento do setor financeiro. e) na produção em escala de bens duráveis para um mercado consumidor em ampliação. 13 - (PUC/Arcos/MG/Janeiro/2003) É cada vez maior o poder da humanidade de transformar o meio ambiente. Ao se analisar a matriz energética mundial, percebe-se o uso estratégico e político da energia. Analisando essa afirmativa, assinale a opção INCORRETA. a) Os tratados internacionais sobre a emissão de gases tóxicos visam amenizar seus efeitos sobre o aquecimento global, mas encontram grandes obstáculos entre os países maiores consumidores de energia. b) A ausência de recursos financeiros e tecnológicos dos países detentores de reservas energéticas potenciais não constitui obstáculo para seu aproveitamento, diante da transnacionalização. c) É necessário estabelecer um modelo embasado na adoção de fontes renováveis, que amenizam o quadro de degradação ambiental, sem prejudicar a competitividade. d) O poder da OPEP – Organização dos Países Exportadores de Petróleo – no comando da política internacional do petróleo encontra-se na origem étnica dos países componentes. 14 - (Mackenzie SP/Janeiro/2003) É um fenômeno natural, que consiste na sobreposição de uma camada de ar quente a uma de ar frio. A camada fria, por ser mais densa, não consegue elevar-se, permanecendo estacionada próxima à superfície. Em área urbana, que emite poluentes para a atmosfera, não haverá dispersão dos mesmos, o que acarretará problemas de saúde na população, além da ocorrência de chuvas ácidas. Trata-se: a) do efeito estufa. b) da inversão térmica. c) da formação de ilhas de calor. d) da ocorrência do Smog. e) do calor latente da atmosfera.
  4. 4. 15 - (Fatec SP/2003) Cerca de meio bilhão de pessoas no mundo sofreram com a falta de água, em 2001, segundo informações divulgadas no Relatório do Fundo das Nações Unidas para a População. Essa crise de abastecimento ocorreu por várias razões, dentre elas: a) as secas prolongadas, em países da América, Ásia, África e Oceania, e a contaminação dos cursos de água, por pesticidas e fertilizantes empregados na agricultura. b) a ausência de aqüíferos, na América Latina, para abastecimento da numerosa população e a contaminação dos cursos de água, por pesticidas e fertilizantes empregados na agricultura. c) as secas prolongadas, em países da América, Ásia, África e Oceania, e o fato de os grandes depósitos de água subterrânea concentrarem-se nos países desenvolvidos de baixa densidade demográfica. d) a ausência de aqüíferos, na América Latina, para abastecimento da numerosa população e a degradação do solo e das águas dos rios por dejetos industriais, impedindo sua utilização. e) a salinização de lagos no Canadá e países da América do Sul e o fato de os grandes depósitos de água subterrânea concentrarem-se nos países desenvolvidos de baixa densidade demográfica.

×