16. apresentação cristal grupo de_mulheres[1]

535 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
535
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

16. apresentação cristal grupo de_mulheres[1]

  1. 1. I SEMINÁRIO DE PRÁTICAS Grupo de Mulheres na comunidade CRAS Cristal Setembro/2013 Fu n d a ç ã o d e A ssistê n c ia So c ia l e C id a d a n ia P re fe itu ra M u n ic ip a l d e P o rto A le g re F u n d a ç ã o d e A s s is tê n c ia S o c ia l e C id a d a n ia
  2. 2. Ação: Grupo de Mulheres na comunidade Vila Ecológica Relevância: O Grupo de Mulheres foi criado a partir da observação da estagiária de Psicologia quanto ao público que acessa o CRAS Cristal e a demanda apresentada por este durante os atendimentos.
  3. 3. Relevância  As mulheres, chefes de família, representam um grande número de usuários que acessam os serviços do CRAS;  Dificuldades em prover o sustento da família;  Conflitos familiares com companheiro e/ou filhos adolescentes em função do uso de substância psicoativa e envolvimento com o tráfico de drogas;  Obstáculos na inserção e permanência em empregos formais;  Resistência em acessar serviços de saúde;  Dificuldades em manter os filhos frequentes na escola, entre outros.
  4. 4. Relevância  Importância de se estabelecer ações dentro da comunidade;  Despertar o sentimento de pertencimento dos usuários em relação ao CRAS;  Estimular a participação ativa; e  Oportunizar a visibilidade dos serviços prestados.
  5. 5. A criação  A equipe do CRAS estabeleceu uma parceria com a liderança comunitária e a Igreja Restauração, situada dentro da Vila Ecológica, para que o espaço da Igreja fosse cedido para a realização do Grupo de Mulheres.
  6. 6. Objetivo geral  Promover a autonomia e cidadania das usuárias, estimular a participação cidadã, orientar quanto ao acesso as políticas públicas, fortalecer vínculos comunitários e familiares e problematizar questões referentes à família.
  7. 7. Metodologia  O grupo ocorre quinzenalmente no turno da tarde, com duração de 1h30min.  Neste momento, é coordenado pela estagiária de Psicologia e pela psicóloga do CRAS.  Antecedendo cada encontro, as participantes recebem o convite para o grupo por meio de telefonema ou visita domiciliar.  O grupo é aberto, portanto as participantes podem convidar outras mulheres para participar.  O Grupo de Mulheres também é divulgado pela equipe do CRAS através da Sala de Espera e dos atendimentos na Acolhida.
  8. 8. Metodologia  Os recursos utilizados como dispositivo para a discussão das temáticas são: filmes, documentários, músicas, dinâmicas e desenhos.  A média de participantes nos encontros é de cinco mulheres.  Temáticas trabalhadas: Os papéis da mulher na sociedade; Família e suas configurações; Violência doméstica, entre outros.
  9. 9.  Compreendemos que um grupo proporciona mudanças de paradigma, percepção de si, do outro e da sociedade e um senso crítico. Também é um espaço de acolhimento e escuta, onde as participantes podem dividir suas experiências e expectativas de vida, estabelecendo, assim, relações de aprendizagem e novas possibilidades de modos de vida.
  10. 10.  Segundo Bastos (2010), a aprendizagem centrada nos processos grupais coloca em evidência a possibilidade de uma nova elaboração de conhecimento, de integração e de questionamentos acerca de si e dos outros.  Impacto Social: O grupo está constituído há 2 meses, não sendo possível avaliar adequadamente o impacto social no território
  11. 11. Referências  BASTOS, A. B. B. I. A técnica de grupos- operativos à luz de Pichon-Rivière e Henri Wallon. Psicólogo inFormação ano 14, n, 14 jan./dez. 2010.  BRASIL. Orientações Técnicas sobre o PAIF. Ministério do Desenvolvimento e Combate a Fome, 1º edição, Brasília, 2012.  VISCA, J. Clínica psicopedagógica: epistemologia convergente. Porto Alegre: Artes  Médicas, 1987.
  12. 12. Obrigada!

×