SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
SISTEMATIZAÇÃO
DA ASSISTÊNCIA
DE ENFERMAGEM:
RESOLUÇÃO COFEN Nº 358,
DE 15 DE OUTUBRO DE 2009
Enf0 Márcio Alves
Resolução
COFEN nº
358/2009
O Processo de Enfermagem deve ser realizado, de
modo deliberado e sistemático, em todos os
ambientes, públicos ou privados, em que ocorre o
cuidado profissional de enfermagem.
Serviços de internação hospitalar
Domicílios
Serviços ambulatoriais de saúde
Escolas
Associações comunitárias
Fábricas
Outros
• Processo de Enfermagem – organizado em cinco etapas inter-relacionadas,
interdependentes e recorrentes:
Resolução COFEN nº 358/2009
I – Coleta de dados de Enfermagem
(ou Histórico de Enfermagem)
II – Diagnóstico de Enfermagem
III – Planejamento de Enfermagem
IV – Implementação
V – Avaliação de Enfermagem
I – Coleta de dados de Enfermagem (ou Histórico de Enfermagem):
Obtenção de informações sobre a pessoa, família ou coletividade e sobre suas respostas
em um dado momento do processo saúde e doença.
II – Diagnóstico de Enfermagem:
Representação das respostas da pessoa, família ou coletividade em um dado momento do
processo saúde e doença; e constitui a base para a seleção das ações/ intervenções com as
quais se objetiva alcançar resultados.
III – Planejamento de Enfermagem:
Determinação dos resultados que se espera alcançar; e das ações/ intervenções que serão
realizadas face às respostas da pessoa, família ou coletividade em um dado momento do
processo saúde e doença.
IV – Implementação:
Realização das ações/ intervenções determinadas na etapa de
Planejamento de Enfermagem.
V – Avaliação de Enfermagem:
Verificação de mudanças nas respostas da pessoa, família ou
coletividade em um dado momento do processo saúde doença.
Determina se as ações/ intervenções de enfermagem
alcançaram o resultado esperado. Verificação da necessidade
de mudanças ou adaptações nas etapas do processo.
O Processo de Enfermagem deve estar baseado num
suporte teórico que oriente todas as suas etapas e
forneça base para sua continuidade e avaliação.
Resolução COFEN nº 358/2009
Ex.: TEORIA DAS NECESSIDADES HUMANAS BÁSICAS (WANDA HORTA)
PROCESSO DE ENFERMAGEM
• Sua condução CABE ao enfermeiro.
• É PRIVATIVO do enfermeiro:
- DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
- PRESCRIÇÃO DE ENFERMAGEM
Resolução COFEN nº 358/2009
• O Técnico de enfermagem e o Auxiliar de enfermagem
participam da execução do Processo de Enfermagem,
sob a supervisão e orientação do enfermeiro.
• A execução do Processo de Enfermagem deve ser registrada formalmente.
Resolução COFEN nº 358/2009
A Resolução COFEN-358/2009, dispõe sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem e a implementação do Processo de
Enfermagem em ambientes públicos ou privados. O Processo de Enfermagem organiza-se em cinco etapas interrelacionadas,
interdependentes e recorrentes. Diante disso, correlacione as colunas considerando a correspondência entre os termos e as definições.
1. Histórico de enfermagem.
2. Diagnóstico de enfermagem.
3. Planejamento da assistência.
4. Implementação.
5. Avaliação e/ou evolução.
( ) Essa fase se inicia após a formulação do enunciado do diagnóstico e finaliza com a documentação real do plano de cuidados.
( ) Nessa fase, observam-se as consequências da intervenção levando em consideração os resultados esperados e os resultados
obtidos.
( ) Nessa fase, a coleta de dados compreende a entrevista, o exame físico, a observação e a consulta ao prontuário do paciente.
( ) Nessa fase, avaliam-se e correlacionam-se as respostas do sujeito, da sua família ou da sua comunidade aos processos vitais e os seus
problemas reais ou potenciais; e irá orientar a seleção do que será executado.
( ) Nessa fase colocam se em prática as intervenções estipuladas e programadas de acordo com o caso.
A Resolução COFEN-358/2009, dispõe sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem e a implementação do Processo de
Enfermagem em ambientes públicos ou privados. O Processo de Enfermagem organiza-se em cinco etapas interrelacionadas,
interdependentes e recorrentes. Diante disso, correlacione as colunas considerando a correspondência entre os termos e as definições.
1. Histórico de enfermagem.
2. Diagnóstico de enfermagem.
3. Planejamento da assistência.
4. Implementação.
5. Avaliação e/ou evolução.
( 3 ) Essa fase se inicia após a formulação do enunciado do diagnóstico e finaliza com a documentação real do plano de cuidados.
( 5 ) Nessa fase, observam-se as consequências da intervenção levando em consideração os resultados esperados e os resultados
obtidos.
( 1 ) Nessa fase, a coleta de dados compreende a entrevista, o exame físico, a observação e a consulta ao prontuário do paciente.
( 2 ) Nessa fase, avaliam-se e correlacionam-se as respostas do sujeito, da sua família ou da sua comunidade aos processos vitais e os
seus problemas reais ou potenciais; e irá orientar a seleção do que será executado.
( 4 ) Nessa fase colocam se em prática as intervenções estipuladas e programadas de acordo com o caso.
REFERÊNCIAS
• CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM (COFEN). Resolução COFEN nº 358, de 15 de outubro de
2009. BRASÍLIA-DF: COFEN, 2009.
• Imagens: Google Imagens Research.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a SAE-COFEN.pptx

Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Amanda Moura
 
Aula 3 Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE (2) (1).pdf
Aula 3 Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE  (2) (1).pdfAula 3 Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE  (2) (1).pdf
Aula 3 Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE (2) (1).pdfLarissaMachado97
 
AULA Enf Domiciliar Unid_01 (1), aula teorica
AULA Enf Domiciliar Unid_01 (1), aula teoricaAULA Enf Domiciliar Unid_01 (1), aula teorica
AULA Enf Domiciliar Unid_01 (1), aula teoricaHiEster2
 
consulta_de_enfermagem_e_seus_aspectos_eticos_e1.pdf
consulta_de_enfermagem_e_seus_aspectos_eticos_e1.pdfconsulta_de_enfermagem_e_seus_aspectos_eticos_e1.pdf
consulta_de_enfermagem_e_seus_aspectos_eticos_e1.pdfRosaneBastos4
 
Dia do Enf Perioperatório.pptx
Dia do Enf Perioperatório.pptxDia do Enf Perioperatório.pptx
Dia do Enf Perioperatório.pptxmsssalomesilva
 
TEORIAS DE ENF.pptx
TEORIAS DE ENF.pptxTEORIAS DE ENF.pptx
TEORIAS DE ENF.pptxMilena Ramos
 
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.ppt
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.pptME e Angelina - aula anotações de enfermagem.ppt
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.pptRaquelOlimpio1
 
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.ppt
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.pptME e Angelina - aula anotações de enfermagem.ppt
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.pptJoaraSilva1
 
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.ppt
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.pptME e Angelina - aula anotações de enfermagem.ppt
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.pptRicaTatiane2
 
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.ppt
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.pptME e Angelina - aula anotações de enfermagem.ppt
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.pptAndriellyFernandaSPi
 
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.ppt
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.pptME e Angelina - aula anotações de enfermagem.ppt
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.pptDheniseMikaelly
 
Aula nº 1: Processo de Enfermagem
Aula nº 1: Processo de EnfermagemAula nº 1: Processo de Enfermagem
Aula nº 1: Processo de EnfermagemPorfrioCutatela
 
LABORATORIO de aula para o conhecimento da área de engenharia eléctrica
LABORATORIO de aula para o conhecimento da área de engenharia eléctricaLABORATORIO de aula para o conhecimento da área de engenharia eléctrica
LABORATORIO de aula para o conhecimento da área de engenharia eléctricaHanzaAssuate
 
aulaprocessodeenfermagem.pdf
aulaprocessodeenfermagem.pdfaulaprocessodeenfermagem.pdf
aulaprocessodeenfermagem.pdfJuniorVeloso10
 
atribuição da enfermagem.pptx
atribuição da enfermagem.pptxatribuição da enfermagem.pptx
atribuição da enfermagem.pptxssuser51d27c1
 
2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira
2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira
2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio LiraCNseg
 

Semelhante a SAE-COFEN.pptx (20)

Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
 
Aula 3 Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE (2) (1).pdf
Aula 3 Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE  (2) (1).pdfAula 3 Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE  (2) (1).pdf
Aula 3 Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE (2) (1).pdf
 
AULA Enf Domiciliar Unid_01 (1), aula teorica
AULA Enf Domiciliar Unid_01 (1), aula teoricaAULA Enf Domiciliar Unid_01 (1), aula teorica
AULA Enf Domiciliar Unid_01 (1), aula teorica
 
consulta_de_enfermagem_e_seus_aspectos_eticos_e1.pdf
consulta_de_enfermagem_e_seus_aspectos_eticos_e1.pdfconsulta_de_enfermagem_e_seus_aspectos_eticos_e1.pdf
consulta_de_enfermagem_e_seus_aspectos_eticos_e1.pdf
 
Dia do Enf Perioperatório.pptx
Dia do Enf Perioperatório.pptxDia do Enf Perioperatório.pptx
Dia do Enf Perioperatório.pptx
 
TEORIAS DE ENF.pptx
TEORIAS DE ENF.pptxTEORIAS DE ENF.pptx
TEORIAS DE ENF.pptx
 
Sae
SaeSae
Sae
 
Sae
SaeSae
Sae
 
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.ppt
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.pptME e Angelina - aula anotações de enfermagem.ppt
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.ppt
 
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.ppt
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.pptME e Angelina - aula anotações de enfermagem.ppt
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.ppt
 
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.ppt
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.pptME e Angelina - aula anotações de enfermagem.ppt
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.ppt
 
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.ppt
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.pptME e Angelina - aula anotações de enfermagem.ppt
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.ppt
 
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.ppt
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.pptME e Angelina - aula anotações de enfermagem.ppt
ME e Angelina - aula anotações de enfermagem.ppt
 
Sae nanda 2013
Sae nanda 2013Sae nanda 2013
Sae nanda 2013
 
Aula nº 1: Processo de Enfermagem
Aula nº 1: Processo de EnfermagemAula nº 1: Processo de Enfermagem
Aula nº 1: Processo de Enfermagem
 
LABORATORIO de aula para o conhecimento da área de engenharia eléctrica
LABORATORIO de aula para o conhecimento da área de engenharia eléctricaLABORATORIO de aula para o conhecimento da área de engenharia eléctrica
LABORATORIO de aula para o conhecimento da área de engenharia eléctrica
 
aulaprocessodeenfermagem.pdf
aulaprocessodeenfermagem.pdfaulaprocessodeenfermagem.pdf
aulaprocessodeenfermagem.pdf
 
atribuição da enfermagem.pptx
atribuição da enfermagem.pptxatribuição da enfermagem.pptx
atribuição da enfermagem.pptx
 
2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira
2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira
2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira
 
Lista de Verificação da OMS para Partos Seguros
Lista de Verificação da OMS para Partos SegurosLista de Verificação da OMS para Partos Seguros
Lista de Verificação da OMS para Partos Seguros
 

Último

Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de Enfermagem
Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de EnfermagemAula sobre ANSIEDADE & Cuidados de Enfermagem
Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de EnfermagemCarlosLinsJr
 
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdfA HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdfMarceloMonteiro213738
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfEduardoSilva185439
 
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdfHELLEN CRISTINA
 
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfAULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfLviaParanaguNevesdeL
 
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxAULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxEnfaVivianeCampos
 
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTOPROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTOvilcielepazebem
 
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfAULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfLviaParanaguNevesdeL
 
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteina
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteinaaula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteina
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteinajarlianezootecnista
 
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTALDEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTALCarlosLinsJr
 
Técnica Shantala para bebês: relaxamento
Técnica Shantala para bebês: relaxamentoTécnica Shantala para bebês: relaxamento
Técnica Shantala para bebês: relaxamentoPamelaMariaMoreiraFo
 
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999vanessa270433
 
avaliação pratica. pdf
avaliação pratica.                           pdfavaliação pratica.                           pdf
avaliação pratica. pdfHELLEN CRISTINA
 
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obrasosnikobus1
 

Último (14)

Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de Enfermagem
Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de EnfermagemAula sobre ANSIEDADE & Cuidados de Enfermagem
Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de Enfermagem
 
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdfA HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
 
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
 
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfAULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
 
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxAULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
 
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTOPROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
 
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfAULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
 
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteina
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteinaaula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteina
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteina
 
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTALDEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
 
Técnica Shantala para bebês: relaxamento
Técnica Shantala para bebês: relaxamentoTécnica Shantala para bebês: relaxamento
Técnica Shantala para bebês: relaxamento
 
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999
 
avaliação pratica. pdf
avaliação pratica.                           pdfavaliação pratica.                           pdf
avaliação pratica. pdf
 
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
 

SAE-COFEN.pptx

  • 1. SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM: RESOLUÇÃO COFEN Nº 358, DE 15 DE OUTUBRO DE 2009 Enf0 Márcio Alves
  • 2.
  • 3. Resolução COFEN nº 358/2009 O Processo de Enfermagem deve ser realizado, de modo deliberado e sistemático, em todos os ambientes, públicos ou privados, em que ocorre o cuidado profissional de enfermagem. Serviços de internação hospitalar Domicílios Serviços ambulatoriais de saúde Escolas Associações comunitárias Fábricas Outros
  • 4. • Processo de Enfermagem – organizado em cinco etapas inter-relacionadas, interdependentes e recorrentes: Resolução COFEN nº 358/2009 I – Coleta de dados de Enfermagem (ou Histórico de Enfermagem) II – Diagnóstico de Enfermagem III – Planejamento de Enfermagem IV – Implementação V – Avaliação de Enfermagem
  • 5. I – Coleta de dados de Enfermagem (ou Histórico de Enfermagem): Obtenção de informações sobre a pessoa, família ou coletividade e sobre suas respostas em um dado momento do processo saúde e doença. II – Diagnóstico de Enfermagem: Representação das respostas da pessoa, família ou coletividade em um dado momento do processo saúde e doença; e constitui a base para a seleção das ações/ intervenções com as quais se objetiva alcançar resultados. III – Planejamento de Enfermagem: Determinação dos resultados que se espera alcançar; e das ações/ intervenções que serão realizadas face às respostas da pessoa, família ou coletividade em um dado momento do processo saúde e doença.
  • 6. IV – Implementação: Realização das ações/ intervenções determinadas na etapa de Planejamento de Enfermagem. V – Avaliação de Enfermagem: Verificação de mudanças nas respostas da pessoa, família ou coletividade em um dado momento do processo saúde doença. Determina se as ações/ intervenções de enfermagem alcançaram o resultado esperado. Verificação da necessidade de mudanças ou adaptações nas etapas do processo.
  • 7. O Processo de Enfermagem deve estar baseado num suporte teórico que oriente todas as suas etapas e forneça base para sua continuidade e avaliação. Resolução COFEN nº 358/2009 Ex.: TEORIA DAS NECESSIDADES HUMANAS BÁSICAS (WANDA HORTA)
  • 8. PROCESSO DE ENFERMAGEM • Sua condução CABE ao enfermeiro. • É PRIVATIVO do enfermeiro: - DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM - PRESCRIÇÃO DE ENFERMAGEM Resolução COFEN nº 358/2009 • O Técnico de enfermagem e o Auxiliar de enfermagem participam da execução do Processo de Enfermagem, sob a supervisão e orientação do enfermeiro.
  • 9. • A execução do Processo de Enfermagem deve ser registrada formalmente. Resolução COFEN nº 358/2009
  • 10. A Resolução COFEN-358/2009, dispõe sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem e a implementação do Processo de Enfermagem em ambientes públicos ou privados. O Processo de Enfermagem organiza-se em cinco etapas interrelacionadas, interdependentes e recorrentes. Diante disso, correlacione as colunas considerando a correspondência entre os termos e as definições. 1. Histórico de enfermagem. 2. Diagnóstico de enfermagem. 3. Planejamento da assistência. 4. Implementação. 5. Avaliação e/ou evolução. ( ) Essa fase se inicia após a formulação do enunciado do diagnóstico e finaliza com a documentação real do plano de cuidados. ( ) Nessa fase, observam-se as consequências da intervenção levando em consideração os resultados esperados e os resultados obtidos. ( ) Nessa fase, a coleta de dados compreende a entrevista, o exame físico, a observação e a consulta ao prontuário do paciente. ( ) Nessa fase, avaliam-se e correlacionam-se as respostas do sujeito, da sua família ou da sua comunidade aos processos vitais e os seus problemas reais ou potenciais; e irá orientar a seleção do que será executado. ( ) Nessa fase colocam se em prática as intervenções estipuladas e programadas de acordo com o caso.
  • 11. A Resolução COFEN-358/2009, dispõe sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem e a implementação do Processo de Enfermagem em ambientes públicos ou privados. O Processo de Enfermagem organiza-se em cinco etapas interrelacionadas, interdependentes e recorrentes. Diante disso, correlacione as colunas considerando a correspondência entre os termos e as definições. 1. Histórico de enfermagem. 2. Diagnóstico de enfermagem. 3. Planejamento da assistência. 4. Implementação. 5. Avaliação e/ou evolução. ( 3 ) Essa fase se inicia após a formulação do enunciado do diagnóstico e finaliza com a documentação real do plano de cuidados. ( 5 ) Nessa fase, observam-se as consequências da intervenção levando em consideração os resultados esperados e os resultados obtidos. ( 1 ) Nessa fase, a coleta de dados compreende a entrevista, o exame físico, a observação e a consulta ao prontuário do paciente. ( 2 ) Nessa fase, avaliam-se e correlacionam-se as respostas do sujeito, da sua família ou da sua comunidade aos processos vitais e os seus problemas reais ou potenciais; e irá orientar a seleção do que será executado. ( 4 ) Nessa fase colocam se em prática as intervenções estipuladas e programadas de acordo com o caso.
  • 12. REFERÊNCIAS • CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM (COFEN). Resolução COFEN nº 358, de 15 de outubro de 2009. BRASÍLIA-DF: COFEN, 2009. • Imagens: Google Imagens Research.