Otacilia Grubert Moraes
Penas são simples penas, de qualquer ave!... Quanto menores, mais leves, mais voam, levadas pelo vento, sem destino. Ondul...
Palavras & Penas são análogas e cruzam-se ao perderem-se no espaço. Palavras depois de proferidas não retornam. Tocam os o...
Tais como Penas jogadas ao vento na montanha. São irrecuperáveis, irrecolhíveis.  Desaparecem ao controle do homem.  As Pa...
As Penas voam, voam, conforme sopra o vento. Não importam a direção que tomem. São tantas e se dispersam sem conectarem-se...
Penas conciliam o sono em travesseiros fofíssimos. Unem corações, unem aves em ninhos e ruas. Enquanto petecas, são jogada...
Penas estão presentes em espanadores.  E cocares, adorno dos nossos índios. Também, enfeitam nos carnavais!...
Ah! Quantas Palavras as Penas escreveram!... No papel estiveram sempre juntas, coladinhas. Aconchegadas e banhadas de tint...
Encantam, ainda, a humanidade. Palavras & Penas partem de seres vivos.  Analogicamente penetram corações.  Dependem do aco...
Humanas ou Animais, existem para se  Completarem, no espaço ou em terra. São articuladas ou nutridas por animais. Tanto Ra...
[email_address] Imagens: Internet Música: Tchaikowski  Valsa  “O  Lago Dos Cisnes” www.mensagensvirtuais.com.br
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Palavras e penas

1.833 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.833
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
212
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Palavras e penas

  1. 1. Otacilia Grubert Moraes
  2. 2. Penas são simples penas, de qualquer ave!... Quanto menores, mais leves, mais voam, levadas pelo vento, sem destino. Ondulantes, ululantes sobem e descem, despertando exclamações e expectações!
  3. 3. Palavras & Penas são análogas e cruzam-se ao perderem-se no espaço. Palavras depois de proferidas não retornam. Tocam os ouvidos daqueles que as querem ouvir. “ Quem tem ouvidos, que as ouçam...” Os distraídos ou indiferentes perdem-nas Ao comum, deixando de absorvê-las para o bem.
  4. 4. Tais como Penas jogadas ao vento na montanha. São irrecuperáveis, irrecolhíveis. Desaparecem ao controle do homem. As Palavras ecoam, são audíveis. Elas enlaçam, envolvem e consolam. Ora agridem, machucam, ferindo corações. Alçam vôo e podem construir ou destruir.
  5. 5. As Penas voam, voam, conforme sopra o vento. Não importam a direção que tomem. São tantas e se dispersam sem conectarem-se. Cada uma responde por si própria aos gritos Dos “Ventos Uivantes”,ecoantes nos montes. Quem sabe até pairam em corações sedentos.
  6. 6. Penas conciliam o sono em travesseiros fofíssimos. Unem corações, unem aves em ninhos e ruas. Enquanto petecas, são jogadas nas brincadeiras. Conduzidas pelo vento, podem cair e adormecer nas calmarias.
  7. 7. Penas estão presentes em espanadores. E cocares, adorno dos nossos índios. Também, enfeitam nos carnavais!...
  8. 8. Ah! Quantas Palavras as Penas escreveram!... No papel estiveram sempre juntas, coladinhas. Aconchegadas e banhadas de tinta azul. A Pena, mui carinhosa, deslizava sobre as Palavras, traduzindo ou exprimindo obras de arte e histórias que encantaram.
  9. 9. Encantam, ainda, a humanidade. Palavras & Penas partem de seres vivos. Analogicamente penetram corações. Dependem do acolhimento humano. Tais como suspiros e ais!... Corações se preenchem com elas.
  10. 10. Humanas ou Animais, existem para se Completarem, no espaço ou em terra. São articuladas ou nutridas por animais. Tanto Racionais como Irracionais.
  11. 11. [email_address] Imagens: Internet Música: Tchaikowski Valsa “O Lago Dos Cisnes” www.mensagensvirtuais.com.br

×