SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Baixar para ler offline
Imagem Corporal – Padrão de Beleza
PADRÃO DE BELEZA
PROFESSORA: Marta Araújo
Ensino Médio Integral
Reconhecer e criticar o
impacto dos estereótipos de
beleza corporal na opção por
exercícios físicos, produtos e
práticas alimentares.
Habilidade
• Identificar padrões e estereótipos de
beleza nos diferentes contextos
históricos e culturais.
• Identificar representações da beleza
em seu grupo sociocultural.
• Identificar recursos voltados à
obtenção de padrões de beleza
corporal.
Objetivos
Nenhum padrão de beleza tira o brilho de sua
inteligência, sua pureza de alma e seus princípios.
Problematização
O que é padrão de beleza?
Interação
Essa expressão refere-se à
caracterização de uma beleza
ideal, de acordo com o âmbito
geral da sociedade.
Resposta
O que é estereótipo?
Interação
De maneira preconceituosa e
sem fundamento, habitualmente
criamos um conceito, um modelo
de imagem ou até mesmo uma
ideia de pessoas ou grupos
sociais.
Resposta
Atualmente, qual é o padrão de
beleza imposto pela nossa
sociedade?
Interação
• França: naturalidade, pouca maquiagem e cabelo levemente bagunçado.
• Austrália: corpo atlético, com músculos bem definidos.
• Suécia: look nórdico, ou seja, cabelo platinado, olhos azuis e bochechas
rosadas.
• Coreia do Sul: olhar aberto e pele clara.
• Irã: nariz com a forma correta.
• EUA: não há uma regra, mas a maquiagem é bem exuberante.
• Rússia: traços finos e rosto em formato oval.
• Espanha: sensualidade.
• Brasil: look de modelo, marquinha de sol, corpo atlético e cabelo
loiro.
Padrões de beleza pelo mundo
Padrões de beleza ao longo da história
Pré-História
Homens fortes.
Mulheres obesas.
Idade Média
Homens poderosos.
Mulheres que
transmitissem pureza.
Renascimento
Corpo sem pelos e com
músculos; já as mulheres,
cabelos longos e formas
avantajadas.
Século XIV
Testa
grande.
Século XV
Obesas.
Séculos XVI e XVIII
Corpos magros.
Padrões de beleza ao longo da história
Século XVII
Corpos magros e
muito brancos.
Século XIX
Corpos
avantajados.
Anos 1940 e 1950
Mulheres com curvas e
homens com rosto liso e
topete brilhante.
Anos 1970
Diversificação
de estilos.
Anos 1980
Fitness.
Anos 1990
Mulheres altas, magras e
curvilíneas sem exagero.
A beleza está muito ligada às redes sociais. Existe uma
exposição de beleza exagerada: todos têm corpo bonito, rosto
perfeito e até vida perfeita.
A utilização de filtros funciona quase como um processo
cirúrgico.
Atualmente
Assim sendo, cria-se a ilusão de que tudo e todos são perfeitos.
Tenho essa atitude de aprimorar a realidade no momento de
clicar e postar uma foto, porém, quando olho a imagem do
outro, esqueço todo o aperfeiçoamento que aquela imagem
sofreu.
Dessa maneira, as comparações são inevitáveis.
Além das redes sociais, podemos apontar a mídia como
influenciadora dessa aquisição do corpo perfeito.
As imagens de modelos, atrizes, apresentadoras, youtubers,
cantoras etc. são vistas como “material de consumo”.
Influência da mídia
Mas o que preciso fazer para chegar ao que desejo?
São inúmeros os métodos e as maneiras aos quais as pessoas
recorrem. Contudo, quanto isso afetará a saúde?
Infelizmente, não é este o pensamento da maioria. As
pessoas cometem loucuras para alcançar a “imagem
perfeita”.
• Dietas milagrosas.
• Cremes mágicos.
• Aparelhos que realizam exercícios por você.
• Exercícios em excesso.
• Uso de remédios sem prescrição médica.
• Uso de anabolizantes.
• Jejum de longo período sem acompanhamento médico.
• Entre outros...
Como atingir o padrão de beleza?
Você já fez alguma coisa
para atingir um padrão de
beleza determinado ou ficar
igual a alguém?
Interação
• Anorexia: a pessoa tem obsessão pelo seu peso e pelo que
come. A balança é sua maior inimiga. Portanto, sempre acha
que precisa emagrecer mais, pois há uma distorção de sua
imagem no espelho. Para isso, utiliza-se de remédios,
exercícios físicos em excesso, além do jejum por longo
período.
Transtornos alimentares
• Bulimia: muito parecida com a anorexia, porém neste caso
existe uma compulsão em comer e posteriormente um
peso na consciência que faz a pessoa induzir o vômito.
• Vigorexia: também ligada à insatisfação com o corpo, leva
as pessoas a quererem aumentar seus músculos cada vez
mais.
• Padrão de beleza.
• Estereótipo.
• Padrão de beleza ao longo da história e
atualmente.
• Influência da mídia.
• Métodos utilizados para atingir o padrão de
beleza.
• Transtornos alimentares.
Retomada
Obrigada!
Até a próxima aula.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC (EM13LGG101)
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC  (EM13LGG101) LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC  (EM13LGG101)
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC (EM13LGG101) GoisBemnoEnem
 
Cruzadinha de filosofia (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)
Cruzadinha de filosofia  (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)Cruzadinha de filosofia  (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)
Cruzadinha de filosofia (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)Mary Alvarenga
 
padroes de beleza mendel seminario
padroes de beleza mendel seminariopadroes de beleza mendel seminario
padroes de beleza mendel seminarioBeatriz Rodrigues
 
Atividade de estudo orientado final da segunda etapa - via e-mail - ilmar...
Atividade de estudo orientado   final da segunda etapa -  via e-mail -  ilmar...Atividade de estudo orientado   final da segunda etapa -  via e-mail -  ilmar...
Atividade de estudo orientado final da segunda etapa - via e-mail - ilmar...Danilo Padrão
 
Prova Artes 6° ano
Prova Artes 6° anoProva Artes 6° ano
Prova Artes 6° anoGeo Honório
 
Plano de aula diversidade religiosa
Plano de aula diversidade religiosaPlano de aula diversidade religiosa
Plano de aula diversidade religiosaRoseane Ribeiro
 
Capa, contra capa, introdução ,conclusão, biografia,
Capa, contra capa, introdução ,conclusão, biografia,Capa, contra capa, introdução ,conclusão, biografia,
Capa, contra capa, introdução ,conclusão, biografia,Jaqueline Sarges
 

Mais procurados (20)

LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC (EM13LGG101)
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC  (EM13LGG101) LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC  (EM13LGG101)
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC (EM13LGG101)
 
Estudo Orientado
Estudo OrientadoEstudo Orientado
Estudo Orientado
 
Padrões de beleza 8º ano
Padrões de beleza 8º anoPadrões de beleza 8º ano
Padrões de beleza 8º ano
 
Projeto de vida
Projeto de vidaProjeto de vida
Projeto de vida
 
Cruzadinha de filosofia (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)
Cruzadinha de filosofia  (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)Cruzadinha de filosofia  (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)
Cruzadinha de filosofia (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)
 
Atividades de filosofia
Atividades de filosofiaAtividades de filosofia
Atividades de filosofia
 
Estetica e beleza
Estetica e belezaEstetica e beleza
Estetica e beleza
 
padroes de beleza mendel seminario
padroes de beleza mendel seminariopadroes de beleza mendel seminario
padroes de beleza mendel seminario
 
Atividade de estudo orientado final da segunda etapa - via e-mail - ilmar...
Atividade de estudo orientado   final da segunda etapa -  via e-mail -  ilmar...Atividade de estudo orientado   final da segunda etapa -  via e-mail -  ilmar...
Atividade de estudo orientado final da segunda etapa - via e-mail - ilmar...
 
Slides aula verbos
Slides   aula verbosSlides   aula verbos
Slides aula verbos
 
Atividade de ensino religioso autocontrole
Atividade  de ensino religioso autocontroleAtividade  de ensino religioso autocontrole
Atividade de ensino religioso autocontrole
 
Consciencia negra
Consciencia negraConsciencia negra
Consciencia negra
 
Prova Artes 6° ano
Prova Artes 6° anoProva Artes 6° ano
Prova Artes 6° ano
 
Plano de aula diversidade religiosa
Plano de aula diversidade religiosaPlano de aula diversidade religiosa
Plano de aula diversidade religiosa
 
Diferença entre fato e opinião
Diferença entre fato e opiniãoDiferença entre fato e opinião
Diferença entre fato e opinião
 
Respeito
RespeitoRespeito
Respeito
 
AVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS - 6º OU 7º ANO - ÁGUA, LIXO, SANEAMENTO BÁSICO E POLUIÇÃO
AVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS - 6º OU 7º ANO - ÁGUA, LIXO, SANEAMENTO BÁSICO E POLUIÇÃOAVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS - 6º OU 7º ANO - ÁGUA, LIXO, SANEAMENTO BÁSICO E POLUIÇÃO
AVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS - 6º OU 7º ANO - ÁGUA, LIXO, SANEAMENTO BÁSICO E POLUIÇÃO
 
Interpretação texto redes sociais (1)
Interpretação texto redes sociais (1)Interpretação texto redes sociais (1)
Interpretação texto redes sociais (1)
 
Capa, contra capa, introdução ,conclusão, biografia,
Capa, contra capa, introdução ,conclusão, biografia,Capa, contra capa, introdução ,conclusão, biografia,
Capa, contra capa, introdução ,conclusão, biografia,
 
Prova 7ano ensino religioso 2b pet 2
Prova 7ano ensino religioso 2b pet 2Prova 7ano ensino religioso 2b pet 2
Prova 7ano ensino religioso 2b pet 2
 

Semelhante a ELETIVA I PADRÃO DE BELEZA.pptx

Air-Pollution.pptx
Air-Pollution.pptxAir-Pollution.pptx
Air-Pollution.pptxjopzinn
 
O Eterno Ideal De Beleza
O Eterno Ideal De BelezaO Eterno Ideal De Beleza
O Eterno Ideal De Belezaguest75574e
 
O Eterno Ideal De Beleza
O Eterno Ideal De BelezaO Eterno Ideal De Beleza
O Eterno Ideal De Belezaguest1d1887
 
O Eterno Ideal De Beleza
O Eterno Ideal De BelezaO Eterno Ideal De Beleza
O Eterno Ideal De Belezaguest75574e
 
O Eterno Ideal De Beleza
O Eterno Ideal De BelezaO Eterno Ideal De Beleza
O Eterno Ideal De Belezaguest1d1887
 
Padrões de beleza
Padrões de belezaPadrões de beleza
Padrões de belezampcu
 
A influencia da mídia .pptx Educação Física
A influencia da mídia .pptx Educação FísicaA influencia da mídia .pptx Educação Física
A influencia da mídia .pptx Educação Físicamarciopinho101
 
Corpolatria imagem do corpo perfeito
Corpolatria imagem do corpo perfeitoCorpolatria imagem do corpo perfeito
Corpolatria imagem do corpo perfeitoKatiucia Ferreira
 
Trabalho de historia
Trabalho de historiaTrabalho de historia
Trabalho de historiaMatthew154822
 
2-Corpos sarados são corpos saudáveis.pptx
2-Corpos sarados são corpos saudáveis.pptx2-Corpos sarados são corpos saudáveis.pptx
2-Corpos sarados são corpos saudáveis.pptxmarciopinho101
 
A busca-pelo-corpo-perfeito
A busca-pelo-corpo-perfeitoA busca-pelo-corpo-perfeito
A busca-pelo-corpo-perfeitoIsabel Cabral
 
CI 04 CORPO E TENDÊNCIA
CI 04 CORPO E TENDÊNCIACI 04 CORPO E TENDÊNCIA
CI 04 CORPO E TENDÊNCIAOdair Tuono
 
Anorexia, bulimia e os Transtornos Alimentares: psicoterapia comportamental e...
Anorexia, bulimia e os Transtornos Alimentares: psicoterapia comportamental e...Anorexia, bulimia e os Transtornos Alimentares: psicoterapia comportamental e...
Anorexia, bulimia e os Transtornos Alimentares: psicoterapia comportamental e...Marcelo da Rocha Carvalho
 
Atividade física e saúde.pptx
Atividade física e saúde.pptxAtividade física e saúde.pptx
Atividade física e saúde.pptxDevilsoNEnoque1
 

Semelhante a ELETIVA I PADRÃO DE BELEZA.pptx (20)

18360.pptx
18360.pptx18360.pptx
18360.pptx
 
Air-Pollution.pptx
Air-Pollution.pptxAir-Pollution.pptx
Air-Pollution.pptx
 
O Eterno Ideal De Beleza
O Eterno Ideal De BelezaO Eterno Ideal De Beleza
O Eterno Ideal De Beleza
 
O Eterno Ideal De Beleza
O Eterno Ideal De BelezaO Eterno Ideal De Beleza
O Eterno Ideal De Beleza
 
O Eterno Ideal De Beleza
O Eterno Ideal De BelezaO Eterno Ideal De Beleza
O Eterno Ideal De Beleza
 
O Eterno Ideal De Beleza
O Eterno Ideal De BelezaO Eterno Ideal De Beleza
O Eterno Ideal De Beleza
 
Ditadura da beleza
Ditadura da belezaDitadura da beleza
Ditadura da beleza
 
Padrões de beleza
Padrões de belezaPadrões de beleza
Padrões de beleza
 
Pro Ana E Mia
Pro Ana E MiaPro Ana E Mia
Pro Ana E Mia
 
A influencia da mídia .pptx Educação Física
A influencia da mídia .pptx Educação FísicaA influencia da mídia .pptx Educação Física
A influencia da mídia .pptx Educação Física
 
Corpolatria imagem do corpo perfeito
Corpolatria imagem do corpo perfeitoCorpolatria imagem do corpo perfeito
Corpolatria imagem do corpo perfeito
 
Trabalho de historia
Trabalho de historiaTrabalho de historia
Trabalho de historia
 
2-Corpos sarados são corpos saudáveis.pptx
2-Corpos sarados são corpos saudáveis.pptx2-Corpos sarados são corpos saudáveis.pptx
2-Corpos sarados são corpos saudáveis.pptx
 
A busca-pelo-corpo-perfeito
A busca-pelo-corpo-perfeitoA busca-pelo-corpo-perfeito
A busca-pelo-corpo-perfeito
 
CI 04 CORPO E TENDÊNCIA
CI 04 CORPO E TENDÊNCIACI 04 CORPO E TENDÊNCIA
CI 04 CORPO E TENDÊNCIA
 
Ebook emagrecer
Ebook emagrecerEbook emagrecer
Ebook emagrecer
 
7º ano
7º ano7º ano
7º ano
 
Anorexia, bulimia e os Transtornos Alimentares: psicoterapia comportamental e...
Anorexia, bulimia e os Transtornos Alimentares: psicoterapia comportamental e...Anorexia, bulimia e os Transtornos Alimentares: psicoterapia comportamental e...
Anorexia, bulimia e os Transtornos Alimentares: psicoterapia comportamental e...
 
Atividade física e saúde.pptx
Atividade física e saúde.pptxAtividade física e saúde.pptx
Atividade física e saúde.pptx
 
Identidade mulheres
Identidade mulheresIdentidade mulheres
Identidade mulheres
 

Mais de EEMAS

PERIODOS DA REVOLUÇÃO FRANCESA - HOSTORIA.pdf
PERIODOS DA REVOLUÇÃO FRANCESA  - HOSTORIA.pdfPERIODOS DA REVOLUÇÃO FRANCESA  - HOSTORIA.pdf
PERIODOS DA REVOLUÇÃO FRANCESA - HOSTORIA.pdfEEMAS
 
TUNDRA - GEOGRAFIA.pptx
TUNDRA - GEOGRAFIA.pptxTUNDRA - GEOGRAFIA.pptx
TUNDRA - GEOGRAFIA.pptxEEMAS
 
O BRASIL DO SERTÃO.pptx
O BRASIL DO SERTÃO.pptxO BRASIL DO SERTÃO.pptx
O BRASIL DO SERTÃO.pptxEEMAS
 
MAUS TRATOS DE ANIMAIS - SOCIOLOGIA.pptx
MAUS TRATOS DE ANIMAIS - SOCIOLOGIA.pptxMAUS TRATOS DE ANIMAIS - SOCIOLOGIA.pptx
MAUS TRATOS DE ANIMAIS - SOCIOLOGIA.pptxEEMAS
 
O CORAÇÃO.pptx
O CORAÇÃO.pptxO CORAÇÃO.pptx
O CORAÇÃO.pptxEEMAS
 
ESTADOS UNIDOS DA AMERICA.pptx
ESTADOS UNIDOS DA AMERICA.pptxESTADOS UNIDOS DA AMERICA.pptx
ESTADOS UNIDOS DA AMERICA.pptxEEMAS
 
CONSEQUENCIAS DA REVOLUÇÃO FRANCESA.pptx
CONSEQUENCIAS DA REVOLUÇÃO FRANCESA.pptxCONSEQUENCIAS DA REVOLUÇÃO FRANCESA.pptx
CONSEQUENCIAS DA REVOLUÇÃO FRANCESA.pptxEEMAS
 
CONSEQUENCIA DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL - YARA.pdf
CONSEQUENCIA DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL - YARA.pdfCONSEQUENCIA DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL - YARA.pdf
CONSEQUENCIA DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL - YARA.pdfEEMAS
 
ALBERT EISTEIN - EDUCAÇÃO FÍSICA.pptx
ALBERT EISTEIN - EDUCAÇÃO FÍSICA.pptxALBERT EISTEIN - EDUCAÇÃO FÍSICA.pptx
ALBERT EISTEIN - EDUCAÇÃO FÍSICA.pptxEEMAS
 
LEONARDO DA VINCI - ANA LOUISY.pdf
LEONARDO DA VINCI  - ANA LOUISY.pdfLEONARDO DA VINCI  - ANA LOUISY.pdf
LEONARDO DA VINCI - ANA LOUISY.pdfEEMAS
 
RENASCIMENTO CULTURAL E CIENTIFICO.pptx
RENASCIMENTO CULTURAL E CIENTIFICO.pptxRENASCIMENTO CULTURAL E CIENTIFICO.pptx
RENASCIMENTO CULTURAL E CIENTIFICO.pptxEEMAS
 
VIOLÊNCIA - HISTORIA.pptx
VIOLÊNCIA - HISTORIA.pptxVIOLÊNCIA - HISTORIA.pptx
VIOLÊNCIA - HISTORIA.pptxEEMAS
 
MONARQUIA - FILOSOFIA.pdf
MONARQUIA - FILOSOFIA.pdfMONARQUIA - FILOSOFIA.pdf
MONARQUIA - FILOSOFIA.pdfEEMAS
 
AGRONEGÓCIO NO BRASIL .pdf
AGRONEGÓCIO NO BRASIL .pdfAGRONEGÓCIO NO BRASIL .pdf
AGRONEGÓCIO NO BRASIL .pdfEEMAS
 
AS FACES DA VIOLÊNCIA.pptx
AS FACES DA VIOLÊNCIA.pptxAS FACES DA VIOLÊNCIA.pptx
AS FACES DA VIOLÊNCIA.pptxEEMAS
 
SLIDE - A ORIGEM DOS SERES HUMANOS.pptx
SLIDE - A ORIGEM DOS SERES HUMANOS.pptxSLIDE - A ORIGEM DOS SERES HUMANOS.pptx
SLIDE - A ORIGEM DOS SERES HUMANOS.pptxEEMAS
 
TEMA - TURISMO.pptx
TEMA - TURISMO.pptxTEMA - TURISMO.pptx
TEMA - TURISMO.pptxEEMAS
 
EVOLUÇÃO DE CHARLES DARWIN.pptx
EVOLUÇÃO DE CHARLES DARWIN.pptxEVOLUÇÃO DE CHARLES DARWIN.pptx
EVOLUÇÃO DE CHARLES DARWIN.pptxEEMAS
 
EVOLUÇÃO DAS ESPECIES - BIOLOGIA.pptx
EVOLUÇÃO DAS ESPECIES - BIOLOGIA.pptxEVOLUÇÃO DAS ESPECIES - BIOLOGIA.pptx
EVOLUÇÃO DAS ESPECIES - BIOLOGIA.pptxEEMAS
 
AGRONEGÓCIO NO BRASIL .pdf
AGRONEGÓCIO NO BRASIL .pdfAGRONEGÓCIO NO BRASIL .pdf
AGRONEGÓCIO NO BRASIL .pdfEEMAS
 

Mais de EEMAS (20)

PERIODOS DA REVOLUÇÃO FRANCESA - HOSTORIA.pdf
PERIODOS DA REVOLUÇÃO FRANCESA  - HOSTORIA.pdfPERIODOS DA REVOLUÇÃO FRANCESA  - HOSTORIA.pdf
PERIODOS DA REVOLUÇÃO FRANCESA - HOSTORIA.pdf
 
TUNDRA - GEOGRAFIA.pptx
TUNDRA - GEOGRAFIA.pptxTUNDRA - GEOGRAFIA.pptx
TUNDRA - GEOGRAFIA.pptx
 
O BRASIL DO SERTÃO.pptx
O BRASIL DO SERTÃO.pptxO BRASIL DO SERTÃO.pptx
O BRASIL DO SERTÃO.pptx
 
MAUS TRATOS DE ANIMAIS - SOCIOLOGIA.pptx
MAUS TRATOS DE ANIMAIS - SOCIOLOGIA.pptxMAUS TRATOS DE ANIMAIS - SOCIOLOGIA.pptx
MAUS TRATOS DE ANIMAIS - SOCIOLOGIA.pptx
 
O CORAÇÃO.pptx
O CORAÇÃO.pptxO CORAÇÃO.pptx
O CORAÇÃO.pptx
 
ESTADOS UNIDOS DA AMERICA.pptx
ESTADOS UNIDOS DA AMERICA.pptxESTADOS UNIDOS DA AMERICA.pptx
ESTADOS UNIDOS DA AMERICA.pptx
 
CONSEQUENCIAS DA REVOLUÇÃO FRANCESA.pptx
CONSEQUENCIAS DA REVOLUÇÃO FRANCESA.pptxCONSEQUENCIAS DA REVOLUÇÃO FRANCESA.pptx
CONSEQUENCIAS DA REVOLUÇÃO FRANCESA.pptx
 
CONSEQUENCIA DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL - YARA.pdf
CONSEQUENCIA DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL - YARA.pdfCONSEQUENCIA DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL - YARA.pdf
CONSEQUENCIA DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL - YARA.pdf
 
ALBERT EISTEIN - EDUCAÇÃO FÍSICA.pptx
ALBERT EISTEIN - EDUCAÇÃO FÍSICA.pptxALBERT EISTEIN - EDUCAÇÃO FÍSICA.pptx
ALBERT EISTEIN - EDUCAÇÃO FÍSICA.pptx
 
LEONARDO DA VINCI - ANA LOUISY.pdf
LEONARDO DA VINCI  - ANA LOUISY.pdfLEONARDO DA VINCI  - ANA LOUISY.pdf
LEONARDO DA VINCI - ANA LOUISY.pdf
 
RENASCIMENTO CULTURAL E CIENTIFICO.pptx
RENASCIMENTO CULTURAL E CIENTIFICO.pptxRENASCIMENTO CULTURAL E CIENTIFICO.pptx
RENASCIMENTO CULTURAL E CIENTIFICO.pptx
 
VIOLÊNCIA - HISTORIA.pptx
VIOLÊNCIA - HISTORIA.pptxVIOLÊNCIA - HISTORIA.pptx
VIOLÊNCIA - HISTORIA.pptx
 
MONARQUIA - FILOSOFIA.pdf
MONARQUIA - FILOSOFIA.pdfMONARQUIA - FILOSOFIA.pdf
MONARQUIA - FILOSOFIA.pdf
 
AGRONEGÓCIO NO BRASIL .pdf
AGRONEGÓCIO NO BRASIL .pdfAGRONEGÓCIO NO BRASIL .pdf
AGRONEGÓCIO NO BRASIL .pdf
 
AS FACES DA VIOLÊNCIA.pptx
AS FACES DA VIOLÊNCIA.pptxAS FACES DA VIOLÊNCIA.pptx
AS FACES DA VIOLÊNCIA.pptx
 
SLIDE - A ORIGEM DOS SERES HUMANOS.pptx
SLIDE - A ORIGEM DOS SERES HUMANOS.pptxSLIDE - A ORIGEM DOS SERES HUMANOS.pptx
SLIDE - A ORIGEM DOS SERES HUMANOS.pptx
 
TEMA - TURISMO.pptx
TEMA - TURISMO.pptxTEMA - TURISMO.pptx
TEMA - TURISMO.pptx
 
EVOLUÇÃO DE CHARLES DARWIN.pptx
EVOLUÇÃO DE CHARLES DARWIN.pptxEVOLUÇÃO DE CHARLES DARWIN.pptx
EVOLUÇÃO DE CHARLES DARWIN.pptx
 
EVOLUÇÃO DAS ESPECIES - BIOLOGIA.pptx
EVOLUÇÃO DAS ESPECIES - BIOLOGIA.pptxEVOLUÇÃO DAS ESPECIES - BIOLOGIA.pptx
EVOLUÇÃO DAS ESPECIES - BIOLOGIA.pptx
 
AGRONEGÓCIO NO BRASIL .pdf
AGRONEGÓCIO NO BRASIL .pdfAGRONEGÓCIO NO BRASIL .pdf
AGRONEGÓCIO NO BRASIL .pdf
 

Último

POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETODouglasVasconcelosMa
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURADouglasVasconcelosMa
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 

Último (20)

POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 

ELETIVA I PADRÃO DE BELEZA.pptx

  • 1. Imagem Corporal – Padrão de Beleza
  • 2. PADRÃO DE BELEZA PROFESSORA: Marta Araújo Ensino Médio Integral
  • 3. Reconhecer e criticar o impacto dos estereótipos de beleza corporal na opção por exercícios físicos, produtos e práticas alimentares. Habilidade
  • 4. • Identificar padrões e estereótipos de beleza nos diferentes contextos históricos e culturais. • Identificar representações da beleza em seu grupo sociocultural. • Identificar recursos voltados à obtenção de padrões de beleza corporal. Objetivos
  • 5. Nenhum padrão de beleza tira o brilho de sua inteligência, sua pureza de alma e seus princípios. Problematização
  • 6. O que é padrão de beleza? Interação
  • 7. Essa expressão refere-se à caracterização de uma beleza ideal, de acordo com o âmbito geral da sociedade. Resposta
  • 8. O que é estereótipo? Interação
  • 9. De maneira preconceituosa e sem fundamento, habitualmente criamos um conceito, um modelo de imagem ou até mesmo uma ideia de pessoas ou grupos sociais. Resposta
  • 10. Atualmente, qual é o padrão de beleza imposto pela nossa sociedade? Interação
  • 11. • França: naturalidade, pouca maquiagem e cabelo levemente bagunçado. • Austrália: corpo atlético, com músculos bem definidos. • Suécia: look nórdico, ou seja, cabelo platinado, olhos azuis e bochechas rosadas. • Coreia do Sul: olhar aberto e pele clara. • Irã: nariz com a forma correta. • EUA: não há uma regra, mas a maquiagem é bem exuberante. • Rússia: traços finos e rosto em formato oval. • Espanha: sensualidade. • Brasil: look de modelo, marquinha de sol, corpo atlético e cabelo loiro. Padrões de beleza pelo mundo
  • 12. Padrões de beleza ao longo da história Pré-História Homens fortes. Mulheres obesas. Idade Média Homens poderosos. Mulheres que transmitissem pureza. Renascimento Corpo sem pelos e com músculos; já as mulheres, cabelos longos e formas avantajadas. Século XIV Testa grande. Século XV Obesas. Séculos XVI e XVIII Corpos magros.
  • 13. Padrões de beleza ao longo da história Século XVII Corpos magros e muito brancos. Século XIX Corpos avantajados. Anos 1940 e 1950 Mulheres com curvas e homens com rosto liso e topete brilhante. Anos 1970 Diversificação de estilos. Anos 1980 Fitness. Anos 1990 Mulheres altas, magras e curvilíneas sem exagero.
  • 14. A beleza está muito ligada às redes sociais. Existe uma exposição de beleza exagerada: todos têm corpo bonito, rosto perfeito e até vida perfeita. A utilização de filtros funciona quase como um processo cirúrgico. Atualmente Assim sendo, cria-se a ilusão de que tudo e todos são perfeitos. Tenho essa atitude de aprimorar a realidade no momento de clicar e postar uma foto, porém, quando olho a imagem do outro, esqueço todo o aperfeiçoamento que aquela imagem sofreu. Dessa maneira, as comparações são inevitáveis.
  • 15. Além das redes sociais, podemos apontar a mídia como influenciadora dessa aquisição do corpo perfeito. As imagens de modelos, atrizes, apresentadoras, youtubers, cantoras etc. são vistas como “material de consumo”. Influência da mídia Mas o que preciso fazer para chegar ao que desejo? São inúmeros os métodos e as maneiras aos quais as pessoas recorrem. Contudo, quanto isso afetará a saúde? Infelizmente, não é este o pensamento da maioria. As pessoas cometem loucuras para alcançar a “imagem perfeita”.
  • 16. • Dietas milagrosas. • Cremes mágicos. • Aparelhos que realizam exercícios por você. • Exercícios em excesso. • Uso de remédios sem prescrição médica. • Uso de anabolizantes. • Jejum de longo período sem acompanhamento médico. • Entre outros... Como atingir o padrão de beleza?
  • 17. Você já fez alguma coisa para atingir um padrão de beleza determinado ou ficar igual a alguém? Interação
  • 18. • Anorexia: a pessoa tem obsessão pelo seu peso e pelo que come. A balança é sua maior inimiga. Portanto, sempre acha que precisa emagrecer mais, pois há uma distorção de sua imagem no espelho. Para isso, utiliza-se de remédios, exercícios físicos em excesso, além do jejum por longo período. Transtornos alimentares • Bulimia: muito parecida com a anorexia, porém neste caso existe uma compulsão em comer e posteriormente um peso na consciência que faz a pessoa induzir o vômito. • Vigorexia: também ligada à insatisfação com o corpo, leva as pessoas a quererem aumentar seus músculos cada vez mais.
  • 19. • Padrão de beleza. • Estereótipo. • Padrão de beleza ao longo da história e atualmente. • Influência da mídia. • Métodos utilizados para atingir o padrão de beleza. • Transtornos alimentares. Retomada

Notas do Editor

  1. Modelo Slide Capa Título Aula
  2. Modelo Aplicação Tempo Atividade Ampulheta
  3. Modelo Aplicação Tempo Atividade Ampulheta
  4. Modelo Aplicação Tempo Atividade Ampulheta
  5. Modelo Aplicação Tempo Atividade Ampulheta
  6. Modelo Aplicação Tempo Atividade Ampulheta
  7. Modelo Aplicação Tempo Atividade Ampulheta
  8. Modelo Aplicação Tempo Atividade Ampulheta
  9. Modelo Aplicação Tempo Atividade Ampulheta
  10. Modelo Aplicação Tempo Atividade Ampulheta
  11. Modelo Aplicação Tempo Atividade Ampulheta
  12. Modelo Aplicação Tempo Atividade Ampulheta
  13. Modelo Aplicação Tempo Atividade Ampulheta
  14. Modelo Aplicação Tempo Atividade Ampulheta
  15. Modelo Aplicação Tempo Atividade Ampulheta
  16. Modelo Aplicação Tempo Atividade Ampulheta
  17. Modelo Aplicação Tempo Atividade Ampulheta
  18. Modelo Aplicação Tempo Atividade Ampulheta
  19. Modelo Aplicação Tempo Atividade Ampulheta