A craseO termo crase significa fusão, junção. Em português, a crase é o nome que se dá à contraçãoda preposição "a" com: ...
Crase facultativaA crase é facultativa nos seguintes casos:   Antes de nome próprio feminino:Refiro-me à (a) Fernanda.  ...
   Após o uso de preposições:Antes a descoberta o cientista gritou.   Antes de pronomes indefinidos, pessoais, relativos...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Fichamento

553 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
553
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fichamento

  1. 1. A craseO termo crase significa fusão, junção. Em português, a crase é o nome que se dá à contraçãoda preposição "a" com: artigo feminino "a" ou "as". o "a" dos pronomes "aquele"(s), "aquela"(s), "aquilo", "aqueloutro"(s) e "aqueloutra" (s). o "a" do pronome relativo "a qual" e "as quais" o "a" do pronome demonstrativo "a" ou "as".Regras de verificaçãoPara saber se a crase é aplicável, ou seja, se deve ser usada a contração à (com acentograve) em vez da preposição a (sem acento), aplique-se uma das regras de verificação:1) substitui-se a preposição a por outra preposição, como em ou para; se, com a substituição,o artigo definido a permanecer, então a crase é aplicável. Exemplos:Pedro viajou à Região Nordeste: com crase, porque equivale a Pedro viajou para a RegiãoNordesteO autor dedicou o livro a sua esposa; sem crase em português do Brasil, porque equivale a Oautor dedicou o livro para sua esposa; mas com crase em português de Portugal,O autordedicou o livropara a sua esposa.2) troca-se o complemento nominal, após "a", de um substantivo feminino para um substantivomasculino; se, com a troca, for necessário o uso da combinação ao, então a crase é aplicável.Exemplos:Prestou relevantes serviços à comunidade; com crase, porque ao se trocar o complemento -Prestou relevantes serviços ao povo - aparece a combinação ao.Chegarei daqui a uma hora; sem crase, porque ao se trocar o complemento - Chegarei daqui aum minuto - não aparece a combinação ao.Importante: A crase não ocorre: antes de palavras masculinas; antes de verbos, de pronomespessoais, de nomes de cidade que não utilizam o artigo feminino, da palavra casa quando temsignificado do próprio lar, da palavra terra quando tem sentido de solo e de expressões compalavras repetidas (dia a dia).
  2. 2. Crase facultativaA crase é facultativa nos seguintes casos: Antes de nome próprio feminino:Refiro-me à (a) Fernanda. Antes de pronome possessivo feminino:Dirija-se à (a) sua fazenda. Depois da preposição até:Dirija-se até à (a) porta.Crase facultativaA crase é facultativa nos seguintes casos: Antes de nome próprio feminino:Refiro-me à (a) Fernanda.Antes de pronome possessivo feminino:Dirija-se à (a) sua fazenda.Depois da preposição até:Dirija-se até à (a) porta.Casos ProibidosO uso da crase é proibido: Antes do emprego de verbos:Preços a combinar. Antes de substantivos masculinos:Passear a Cavalo Antes de numerais:Encontramos o produto numa faixa de preço que vai de R$120,00 a R$ 150,00. Antes de plural sem o emprego do artigo definido as:a brilhantes cientistas
  3. 3.  Após o uso de preposições:Antes a descoberta o cientista gritou. Antes de pronomes indefinidos, pessoais, relativos ou demonstrativos (com exceção da terceira pessoa):Entregue o relatório a ela. (Pessoal)Dei nota zero a esta aluna. (Demonstrativo)Permiti apenas a uma mulher conhecer-me. (Indefinido)Jamais dei dinheiro a ninguém. (Relativos)Atenção (Pronomes demonstrativos de 3ª pessoa, aquele, aquela, aqueles, aquelaspodem levar crase):Entreguei as chaves àquela mulher. (Demonstrativo) Entre substantivos idênticos:Menino, vais tomar essa sopa gota a gota! A exceção de:É preciso declarar guerra à guerra! Antes de topônimos de cidades que não admitem a:Vou a Lisboa.Obs.: Substituir por: "Estou na" ou "Vim da" (vai crase) - "Estou em" ou "Vim de" (não vaicrase). Ex: Vou a Brasília. - Estou em Brasília. Vim de Brasília.(não vai crase), Estou naBrasília. Vim da Brasília.(não concorda). Ex: Vou a Bahia. - Estou em Bahia. Vim de Bahia.(nãovai crase), Estou na Bahia. Vim da Bahia.(concorda e vai crase então).

×