ApresentaçãO Do Ed

1.036 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

ApresentaçãO Do Ed

  1. 1. 04/03/10 Estado de Mato Grosso Secretaria de Estado de Educação Secretaria Adjunta de Política Educacional Superintendência de Formação dos Profissionais da Educação Coordenadoria de Formação em Tecnologia EducacionalProinfo Edevamilton de Lima Oliveira – Edy Coordenador de formação em Tecnologia EducacionalPROINFO
  2. 2. Um dos elementos estruturantes da agenda da educação no Brasil diz respeito às inovações tecnológicas e metodológicas voltadas ao trabalho pedagógico e que, efetivamente contribuem para a melhoria da qualidade da educação (...) Ministro Fernando Haddad 04/03/10
  3. 3. Nossas escolas buscam fundamentos em uma Arquitetura de sustentabilidade nas dimensões física e humana . Todavia, como toda arquitetura é fruto de uma construção temporal, a instabilidade é inevitável., suscitando, a partir delas, novas acomodações resultantes de uma gestão aliada ao fazer docente. 04/03/10
  4. 4. 04/03/10
  5. 5. Certezas construídas no processo de ensinãncia e aprendência em nossas escolas 04/03/10
  6. 6. 04/03/10
  7. 7. 04/03/10
  8. 8. 04/03/10
  9. 9. Tecnologia dialogada <ul><li>Interface (face a face) </li></ul><ul><li>Homem x máquina </li></ul><ul><li>para </li></ul><ul><li>Homem + Máquina </li></ul><ul><li>Hardware x software </li></ul><ul><li>para </li></ul><ul><li>Hardware + Software. </li></ul>04/03/10
  10. 10. Porque nosso maior desafio como facilitadores de processos educativos é administrar conflitos 04/03/10
  11. 11. 04/03/10
  12. 12.                                            
  13. 13. Uma vez administrados os conflitos... ancorar em Portos Seguros é a garantia fundante de princípios de estabilidade e equilíbrio... Todavia, efêmero e mutável. 04/03/10
  14. 14. PARA DAR A VOLTA AO MUNDO . . . 1500 caravelas 1900 barco a vapor 1950 avião a pistão 1980 Avião supersônico D U R A Ç Ã O Horas Dias Meses Anos 1994 Internet Segundos
  15. 15. Que motivos e que valores marcaram as últimas páginas da educação no Brasil e em especial em MT a partir da tecnologia educacional. 04/03/10
  16. 16. . <ul><li>Muitas vezes, essa INSTABILIDADE é revelada através ou em decorrência de novas ferramentas e, por conta disso, a necessidade de novos perfil dos atores...de uma nova política de uso dessa ferramenta _ eis o novo cenário marcado pela tecnologia computacional e outras tecnologias </li></ul>04/03/10
  17. 17. Três Pilares da arquitetura de uma política de uso dos recursos tecnológicos DA e A PARTIR da escola. O PRIMEIRO pilar dessa construção política de uso dos recursos tecnológicos na rede pública de ensino tomou forma a partir da portaria 112/08/GS/SEDUC/MT que, textualmente,  d ispõe sobre a regulamentação do uso dos laboratórios de informática educativa (LIED) e demais recursos tecnológicos da Rede Pública Estadual de Ensino . O SEGUNDO pilar pauta-se na formação continuada em tecnologia educacional executado pelas AGENCIAS FORMADORAS CEFAPRONTM. O TERCEIRO e importante pilar é o trabalho ARTICULADO e CO-RESPONSÁVEIS entre as instituições EXECUTORAS DA EDUCAÇÃO nos três níveis: FederalEstadualMunicipal. 04/03/10
  18. 18. 04/03/10 MECPROINFO- DITECDPCEAD SEDUCUNDIMESMEs
  19. 19. 04/03/10 Dinâmica.
  20. 20. COMO E..RA A ESCOLA?
  21. 21. O MUNDO EM QUE NOSSOS FILHOS VIVEM ESTÁ MUNDANDO 4 VEZES MAIS RÁPIDO DO QUE O MUNDO ONDE NASCEMOS
  22. 22. Educação
  23. 23. Eis alguns motivos condutores 04/03/10
  24. 24. Essa força move nosso mundo – do individual ao coletivo e do coletivo ao individual 04/03/10
  25. 25. <ul><li>Os professores precisam estar seguros para o desafio em experimentar o uso autônomo dos recursos tecnológicos aliados a seu fazer pedagogico. </li></ul>04/03/10 “ Ninguém é sujeito da autonomia de ninguém. A autonomia, enquanto amadurecimento do seu para si, é processo, é vir a ser. Não ocorre com data marcada. É nesse sentido que uma pedagogia da autonomia tem de estar centrada nas experiências estimuladoras da decisão e da responsabilidade, vale dizer, em experiências respeitosas da liberdade” Paulo Freire
  26. 26. Lembram desse personagem.... Quando experimentamos... O movimento é, no mínimo, bidirecional. 04/03/10
  27. 27. <ul><li>Comunidades construídas com base na partilha de motivações comuns de afinidades de interesses, de conhecimentos, atividades, de projetos, num processo de cooperação e interações sociais </li></ul><ul><li>entre escolas </li></ul><ul><li>entre outras instituições comunitárias </li></ul><ul><li>entre autores e leitores </li></ul><ul><li>Independentemente das proximidades geográficas e domínios institucionais, os resultados tendem a ser muito melhor..... </li></ul><ul><li>PORTAL DO PROFESSOR. </li></ul>04/03/10
  28. 28. 04/03/10 A Web pode constituir uma interface educacional para renovar as ações pedagógicas de nossos profissionais, pois é uma tecnologia adequada para suportar os processos da aprendizagem colaborativa, proporcionando que professores e alunos exercitem a capacidade criadora dentro de um ambiente de aprendizagem hipertextual, interativo e plural .
  29. 29. Outros instrumentos mediadores de aprendizagens 04/03/10
  30. 31. 04/03/10
  31. 32. 04/03/10
  32. 33. Infraestrutura Laboratórios Escolas Urbanas <ul><li>Servidor + 7 Conjunto - Muti-terminal </li></ul><ul><li>22.000 Laboratórios com 15 pontos de acesso </li></ul><ul><li>WiFi </li></ul><ul><li>Multiterminal </li></ul><ul><li>Sem Infra-Estrutura Lógica </li></ul><ul><li>Maior Atendimento / Menor preço </li></ul>
  33. 34. Infraestrutura Projetor Proinfo Integrado Projeto uca
  34. 35. (dezembro 2008) (junho 2009) MAPA DE ATENDIMENTO Programa Banda Larga.
  35. 36. A formação continuada em TECNOLOGIA EDUCACIONAL EM MATO GROSSO <ul><li>Curso de introdução a educação digital </li></ul><ul><li>Tecnologia na educação: ensinando e aprendendo com as TICs. </li></ul><ul><li>PITEC – Projeto tecnológico. </li></ul>04/03/10
  36. 37. Curso Introdução a Educação Digital – Linux Educacional – 40 hs
  37. 38. Tecnologia na educação:Ensinando e aprendendo com as TICs . <ul><li>Objetivando Compreender o potencial pedagógico de recursos das TIC no ensino e na aprendizagem em suas escolas; </li></ul><ul><li>Planejar estratégias de ensino e aprendizagem integrando recursos tecnológicos disponíveis e criando situações de aprendizagem que levem os alunos à construção de conhecimento, à criatividade, ao trabalho colaborativo e resultem efetivamente na construção dos conhecimentos e habilidades esperados em cada série; </li></ul><ul><li>Utilizar as TIC na prática pedagógica, promovendo situações de ensino que aprimorem a aprendizagem dos alunos. </li></ul>04/03/10 UNIDADE 1 - TECNOLOGIA NA SOCIEDADE, NA VIDA E NA ESCOLA; UNIDADE 2 - INTENET, HIPERTEXTO E HIPERMÍDIA; UNIDADE 3 - PRÁTICA PEDAGÓGICA E MÍDIAS DIGITAIS; UNIDADE 4 - CURRÍCULOS PROJETOS E TECNOLOGIAS.
  38. 39. PITEC – Projeto Integrado de Tecnologia ao Currículo – 40 hs. <ul><li>Desenvolver atividades que integrem as dimensões teóricas, metodológicas e práticas para que professores e gestores escolares possam: </li></ul><ul><ul><li>Identificar as contribuições das TIC ao desenvolvimento de projetos de sala de aula; </li></ul></ul><ul><ul><li>Abordar o conceito de projeto a partir do resgate histórico relacionado com o contexto educacional e tecnológico; </li></ul></ul><ul><ul><li>Analisar o conceito de currículo na perspectiva da integração com as TIC; </li></ul></ul><ul><ul><li>Planejar e desenvolver o Projeto Integrado de Tecnologia no Currículo (PITEC). </li></ul></ul>04/03/10
  39. 40. A somatória de esforços rumo a educação de qualidade 04/03/10
  40. 41. 04/03/10
  41. 42. 04/03/10
  42. 43. Números de julho de 2009 29.014 escolas conectadas DISTRIBUIÇÃO DAS CONEXÕES POR REGIÃO
  43. 44. Estrutura sistêmica de capacitação do Proinfo Integrado
  44. 45. Apresentando o CENÁRIO ATRAVÉS DOS SISTEMAS DE GERENCIAMENTO DA INFORMAÇÃO DO MECPROINFOSEDUC. 04/03/10
  45. 46. 04/03/10
  46. 47. 04/03/10
  47. 48. 04/03/10 ELABORAÇÃO DE PROJETOS – PITEC em MATO GROSSO MT Nº de turmas Nº de Professores a serem atendidos em 2010 Número de formadoresmultiplicadores Alta Floresta 10 320 10 Barra do Garças 14 420 14 Cáceres 20 600 20 Confresa 10 300 10 Cuiabá 90 1800 60 Diamantino 16 320 10 Juara 15 300 9 Juína 45 900 30 Matupá 17 350 12 Pontes e Lacerda 16 320 10 Primavera do Leste 16 320 10 Rondonópolis 50 1000 33 São Félix do Araguaia 11 220 7 Sinop 26 520 17 Tangará da Serra 50 1000 30 NTM Terra Nova 10 200 6 NTM Sinop 15 300 10 NTM Água Boa 10 200 6 NTM Jaciara 5 100 3 NTM Diamantino 5 100 3 NTM Várzea Grande 20 600 20 Totais 471 10.190 330
  48. 49. 04/03/10
  49. 50. Plano Geral de Formação –PITECMT. O que fazer? Quando? Quem faz? Onde fazer? Início Fim Capacitar 10.190 (Dez mil cento e noventa) professores, coordenadores e diretores da rede pública de ensino de ambas as redes do Estado de Mato Grosso, distribuídos em 571 (quatrocentas e setenta e uma turma) em todo o Estado. Fevereiro de 2010 Novembro de 2010 Professoras Formadoras dos CEFAPROS, NTMs e multiplicadores (bolsistas) . Nos Laboratórios de Informática Educativa das Escolas da rede Estadual e Municipal de ensino e nos Lieds dos CEFAPROS e NTMs.
  50. 52. <ul><li>Centro de formação dos profissionais da educação e NTMs fortalecidos; </li></ul><ul><li>Ambientes de aprendizagens e Conferencia Web a disposição das agencias formadoras otimizando assim a comunicação com a rede e o MEC; </li></ul><ul><li>Disponibilizamos PROJETOR INTEGRADO AS AGENCIAS FORMADORAS </li></ul><ul><li>Dotar as agencias formadoras com recursos para custeio de material de consumo e diárias; </li></ul><ul><li>Professores Formadores pro-ativos e colaborativos . </li></ul>04/03/10
  51. 53. 04/03/10 Dificuldades a serem superadas
  52. 54. Soluções e encaminhamentos <ul><li>Fortalecer a parceria entre SEDUC/COORDENAÇAO PROINFO/UNDIME/NTM </li></ul><ul><li>Utilizar de recursos materiais (veículo, laboratório e dependências das Agencias Formadoras do CEFAPRO e NTMs; </li></ul><ul><li>Desencadear esforços no sentido de sensibilizar aos professores sobre a importancia dessa formação para usa vida profissionalpessoal; </li></ul><ul><li>Apresentar plano contendo a demanda de bolsas para atendimento das turmas ; </li></ul><ul><li>Contratar bolsistas nos municípios onde serão formadas as turmas; </li></ul><ul><li>Prover os LIEDs de laboratórios e ampliar gradativamente o número de máquinas; </li></ul><ul><li>Instalar linux educacional 3.0 em todos os laboratórios (atualização da versão e formatação dual boot e seus respectivos repositórios; </li></ul><ul><li>Prover as escolas com internet banda larga (recursos próprios e do Governo Federal </li></ul><ul><li>Estabelecer cronograma de atendimento aos cursistas, convencionando prazos para inicio e termino dos cursos ; </li></ul><ul><li>Disponibilizar recursos materiais – material - mídia (DCs e DVDs gravados pelos formadores) e demais recursos existentes na escola; </li></ul><ul><li>Disponibilizando conteúdos (textos, revistas e demais recursos gravados para uso dos cursistas; </li></ul><ul><li>Construir e aplicar avaliação das ações de formação desenvolvidas pelos CEFAPROS E NTMs. </li></ul>
  53. 55. Eis a principal sustentação de nossa rede em Mato Grosso 04/03/10
  54. 56. Um pedaço do BRASIL sem retoques..... 04/03/10

×