SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 100
NR-7
NORMA REGULAMENTADORA 7
Medicina Ocupacional ICSE
www.icseocupacional.com.br/
PRIMEIROS
SOCORROS
2
Hailton José do Nascimento
Técnico em Segurança do Trabalho
*ETEC Polivalente de Americana
- Pós Graduando em Engenharia de Segurança do Trabalho
- Bacharel em Engenharia de Produção
- Tecnólogo em Gestão da Produção Industrial
- Técnico em Mecatrônica
Egresso do setor de máquinas e equipamentos industriais
ÍNDICE
3
PRIMEIROS
SOCORROS
1. Importância, Legislação e Conceitos
2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros
3. Asfixia
4. Parada Cardiorespiratória
5. Ressuscitação Cardiopulmonar – RCP
6. Infarto
7. Estado de Choque
8. Crise Convulsiva
9. Desmaios
10. Choque Elétrico
11. Ferimentos
12. Amputação de Membros
13. Esmagamentos de Membros
14. Hemorragias: Interna e Externas
15. Picadas e Ferroadas de Animais
Peçonhentos
16. Queimaduras
17. Intoxicação ou Envenenamento
18. Imobilização
19. Movimentação e Remoção de Vítima
20. Caixa de Primeiros Socorros
21. Telefones Úteis
VÍDEO
4
PRIMEIROS
SOCORROS
5
PRIMEIROS
SOCORROS
1. Importância, Legislação e Conceitos
Importância;
A capacitação de um colaborador em primeiros socorros é de extrema importância para uma
empresa.
As ações prestadas logo após um acidente ajudam a determinar como será a recuperação do
colaborador ou mesmo o salvamento de sua vida.
6
PRIMEIROS
SOCORROS
1. Importância, Legislação e Conceitos
Legislação;
No Brasil, existem algumas leis que tratam da obrigação dos primeiros socorros em locais
públicos e privados. A que regulamenta de forma geral essa atividade é a Lei nº2.848 de 1940,
especificamente o art.135.
Além dessa lei, existem também o Regime Jurídico da Proteção da Segurança e Saúde no
Trabalho e a norma regulamentadora 07. Ambas tratam das diretrizes dos primeiros socorros
especificamente para empresas e serão tratadas com mais detalhes ao longo deste texto.
7
PRIMEIROS
SOCORROS
1. Importância, Legislação e Conceitos
Legislação;
Responsabilidade na Omissão de Socorro;
8
PRIMEIROS
SOCORROS
1. Importância, Legislação e Conceitos
Legislação;
Responsabilidade na Omissão de Socorro;
"Deixar de prestar assistência, quando possível fazê-lo sem risco
pessoal, à criança abandonada ou extraviada, ou à pessoa
inválida ou ferida, em desamparo ou em grave e iminente perigo;
não pedir, nesses casos, o socorro da autoridade pública."
Segundo o artigo 135 do Código Penal, a omissão de socorro
consiste em;
9
PRIMEIROS
SOCORROS
1. Importância, Legislação e Conceitos
Legislação;
Responsabilidade na Omissão de Socorro;
Pena - detenção de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
Parágrafo único: A pena é aumentada de metade, se da omissão
resulta lesão corporal de natureza grave, e triplicada, se resulta em
morte.
1
PRIMEIROS
SOCORROS
1. Importância, Legislação e Conceitos
Legislação;
Responsabilidade na Omissão de Socorro;
Importante: O fato de
chamar o socorro
especializado, nos casos em
que a pessoa não possui um
treinamento específico ou não
se sente confiante para atuar,
já descaracteriza a ocorrência
de omissão de socorro.
1
PRIMEIROS
SOCORROS
1. Importância, Legislação e Conceitos
Conceitos;
OS PRIMEIROS SOCORROS se caracterizam como uma série de técnicas e procedimentos
prestados inicialmente a uma vítima que sofreu um acidente ou que teve algum mal súbito.
O objetivo é, independente da gravidade, manter o indivíduo com os sinais vitais estáveis
enquanto espera a chegada do atendimento profissional adequado.
1
PRIMEIROS
SOCORROS
1. Importância, Legislação e Conceitos
Conceitos;
O SOCORRISTA é a pessoa que presta os primeiros socorros em
casos de acidentes ou males súbitos.
1
PRIMEIROS
SOCORROS
2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros
•Manter a calma;
•Controlar a situação;
•Sinalizar o local;
•Avaliar a situação;
•Acionar o socorro especializado..
Ações do Socorrista
“A atitude do socorrista pode significar a
vida ou a morte do acidentado.”
1
PRIMEIROS
SOCORROS
Na abordagem a vítima;
O prestador de socorro deve ter em mente que a vítima possui o
direito de recusa do atendimento. No caso de adultos, esse
direito existe quando eles estiverem conscientes e com clareza
de pensamento.
Ações do Socorrista
2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros
1
PRIMEIROS
SOCORROS
Na abordagem a vítima;
Isto pode ocorrer por diversos motivos, tais como crenças religiosas ou falta de
confiança no prestador de socorro que for realizar o atendimento.
Nestes casos, a vítima não pode ser forçada a receber os primeiros socorros,
devendo assim ao socorrista, certificar-se de que o socorro especializado foi
solicitado e continuar monitorando a vítima, enquanto tenta ganhar a sua
confiança através do diálogo.
Ações do Socorrista
2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros
1
PRIMEIROS
SOCORROS
Na abordagem a vítima;
 Não discuta com a vítima.
 Não questione suas razões, principalmente se elas
forem baseadas em crenças religiosas.
Ações do Socorrista
2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros
1
PRIMEIROS
SOCORROS
Na abordagem a vítima;
 Não toque na vítima, isto poderá ser considerado como
violação dos seus direitos.
Ações do Socorrista
2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros
18
PRIMEIROS
SOCORROS
Na abordagem a vítima;
 Converse com a vítima, informe a ela que você possui treinamento em primeiros
socorros, que irá respeitar o direito dela de recusar o atendimento, mas que está
pronto para auxiliá-la no que for necessário.
Ações do Socorrista
2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros
1
PRIMEIROS
SOCORROS
Na abordagem a vítima;
Ações do Socorrista
2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros
 Consentido: quando a vítima verbaliza ou sinaliza que concorda com o atendimento, após o
prestador de socorro ter se identificado como tal e ter informado à vítima de que possui
treinamento em primeiros socorros;
 Implícito: quando a vítima esteja inconsciente, confusa ou gravemente ferida a ponto de não
poder verbalizar ou sinalizar consentindo com o atendimento. Neste caso, a legislação infere
que a vítima daria o consentimento, caso tivesse condições de expressar o seu desejo de
receber o atendimento de primeiros socorros.
2
PRIMEIROS
SOCORROS
Na abordagem a vítima;
Ações do Socorrista
2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros
 O consentimento implícito pode ser adotado também no caso de acidentes
envolvendo menores desacompanhados dos pais ou responsáveis legais. Do
mesmo modo, a legislação infere que o consentimento seria dado pelos pais ou
responsáveis, caso estivessem presentes no local.
2
PRIMEIROS
SOCORROS
Verifique:
Ações do Socorrista
2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros
 Nível de consciência alterado;
 Fala prejudicada;
 Dores no peito;
 Alterações na visão;
 Vômitos com sangue;
 Dificuldade para respirar;
 Fraturas;
 Hemorragias externa;
 Histórico de saúde;
 Se faz uso de medicamentos;
 Se ingeriu bebidas alcoólicas.
2
PRIMEIROS
SOCORROS
Funções, Sinais Vitais e de Apoio
As funções do cérebro e do coração são vitais para que o ser humano permaneça vivo. Esses órgãos
possibilitam o funcionamento de todas as funções do corpo, são percorridos pelos capilares, vasos
sanguíneos em contato direto com o sangue arterial e, por isso, ricos em nutrientes e oxigênio.
Ações do Socorrista
2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros
Verifique:
2
PRIMEIROS
SOCORROS
Ações do Socorrista
2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros
CENA DO ACIDENTE
2
PRIMEIROS
SOCORROS
Ações do Socorrista
2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros
CENA DO ACIDENTE
1. Observar a cena buscando a identificação de
riscos potenciais para si, para o paciente e/ou
outros envolvidos;
2. Observar os mecanismos do trauma ou a
natureza da doença do paciente;
3. Checar o número de vítimas e suas condições;
4. Adotar o uso de equipamentos de proteção
individual (EPI).
2
PRIMEIROS
SOCORROS
Identifique cada caso:
Ações do Socorrista
2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros
Urgência; inicialmente não existe um risco grave. Entretanto, é uma situação que também merece
atenção e cuidado com certa agilidade. Caso uma situação de urgência não tenha o tratamento
adequado, é possível que ela se transforme em uma situação de emergência, aumentando os riscos.
Emergência; é a circunstância que exige uma cirurgia ou intervenção médica de imediato, por isso,
em ambulâncias está geralmente escrito emergência e não urgência. Estas situações possuem um
caráter mais imediatista e emergencial, pois pode haver risco de morte.
2
PRIMEIROS
SOCORROS
3. Asfixia
• obstruções mecânicas ou engasgamento
A Pessoa tem a garganta tampada por um corpo
estranho, vômito, sangue ou outros líquidos.
FECHAMENTO
PARCIAL
FECHAMENTO
TOTAL
2
PRIMEIROS
SOCORROS
3. Asfixia
• obstruções mecânicas ou engasgamento
FECHAMENTO
PARCIAL
- Mãos à garganta;
- Inquietação;
- Tosse;
- Respiração com dificuldade;
2
PRIMEIROS
SOCORROS
3. Asfixia
• obstruções mecânicas ou engasgamento
FECHAMENTO
TOTAL
- Mãos à garganta;
- Não consegue falar;
- Para de respirar;
- Cianótica (Pele Azul);
2
PRIMEIROS
SOCORROS
3. Asfixia
O QUE FAZER?
3
PRIMEIROS
SOCORROS
3. Asfixia
O QUE FAZER?
SE ESTIVER SOZINHO
3
PRIMEIROS
SOCORROS
3. Asfixia
O QUE FAZER?
- Vire a criança de costas com a cabeça mais baixa que o tronco;
- 05 (cinco) tapinhas nas costas (entre os ombros);
- Vire a criança de frente e veja se ainda está engasgada;
- Ainda engasgada? Efetue 05 (cinco) compressões abdominais com os dedos.
CRIANÇAS
3
PRIMEIROS
SOCORROS
3. Asfixia
O QUE FAZER?
- Tente encontrar o objeto e retirá-lo;
- Cuidado para não empurrar o objeto mais adiante;
- Estímulos na boca do estômago (região epigástrica);
DESMAIADO
3
PRIMEIROS
SOCORROS
3. Asfixia
ENGASGAMENTO - VÍDEO
3
PRIMEIROS
SOCORROS
3. Asfixia
ENGASGAMENTO - VÍDEO
3
PRIMEIROS
SOCORROS
4. Parada Cardiorespiratória
A parada cardiorrespiratória é quando o coração para de bater
repentinamente ou passa a bater de forma insuficiente, muito
devagar. A condição também é conhecida por parada cardíaca e
pode levar à morte.
3
PRIMEIROS
SOCORROS
• Parada Cardíaca: pode estar ligada a uma parada respiratória e
ambas acontecerem simultaneamente. Sinais de parada cardíaca:
Inconsciência, ausência de pulsação e ausência de escuta de
batimentos cardíacos.
• Parada Respiratória: ocorre por: afogamento, sufocação,
aspiração excessiva de gases venenosos, soterramento e choque.
Sinais de parada respiratória: Inconsciência, peito imóvel, ausência
de saída de ar pelas vias aéreas e unhas e lábios azulados.
4. Parada Cardiorespiratória
3
PRIMEIROS
SOCORROS
ONDE PODE ACONTECER
4. Parada Cardiorespiratória
3
PRIMEIROS
SOCORROS
O atendimento se bem feito é vital. Se mal feito, no entanto, o erro
pode ser irreparável.
- Nossas células ficam sem oxigênio;
- Perdemos a consciência;
- E caso demore por um socorro, podemos evoluir a óbito;
4. Parada Cardiorespiratória
3
PRIMEIROS
SOCORROS
5. Ressuscitação Cardiorespiratória - RCP
É um conjunto de ações destinadas a garantir a oxigenação dos
órgãos quando a circulação do sangue de uma pessoa é
interrompida;
“O atendimento se bem feito é vital. Se mal feito, no entanto, o erro
pode ser irreparável.”
4
PRIMEIROS
SOCORROS
5. Ressuscitação Cardiorespiratória - RCP
O QUE FAZER
SE RESPIRA
- Observa a vítima até a
chegada do socorro;
- Ligue imediatamente para o Corpo de Bombeiros Militar, no
telefone 193;
4
PRIMEIROS
SOCORROS
5. Ressuscitação Cardiorespiratória - RCP
O QUE FAZER
SE NÃO RESPIRA
- Coração não bate?
- Se não tiver batimentos
iniciar RCP;
4
PRIMEIROS
SOCORROS
5. Ressuscitação Cardiorespiratória - RCP
O QUE FAZER
- Deite a vítima de costas sobre o chão
rígido;
- Fique de joelhos ao lado da vítima, na
altura dos ombros;
- Apoie no centro do tórax;
4
PRIMEIROS
SOCORROS
5. Ressuscitação Cardiorespiratória - RCP
O QUE FAZER
- Posicione os braços estendidos, com os dedos entrelaçados,
coloque uma mão sobre a outra, apoiando-se no centro do tórax;
- Utilize o peso do corpo;
4
PRIMEIROS
SOCORROS
5. Ressuscitação Cardiorespiratória - RCP
O QUE FAZER
QUANDO ADULTOS
- 30 compressões x 02 respirações;
(Repetir 5 vezes e verificar se tem batimentos)
QUANDO MENORES
- 15 compressões x 02 respirações;
(Repetir 5 vezes e verificar
se tem batimentos)
VELOCIDADE DAS COMPRESSÕES
- 02 (duas) x segundo;
4
PRIMEIROS
SOCORROS
5. Ressuscitação Cardiorespiratória - RCP
O QUE FAZER Respiraçã boca boca
4
PRIMEIROS
SOCORROS
5. Ressuscitação Cardiorespiratória - RCP
VÍDEO
4
PRIMEIROS
SOCORROS
6. Infarto
O infarto ocorre quando uma ou mais artérias que levam oxigênio ao coração (chamadas
artérias coronárias) são obstruídas abruptamente por um coágulo de sangue formado em
cima de uma placa de gordura (ateroma) existente na parede interna da artéria.
O que é?
4
PRIMEIROS
SOCORROS
6. Infarto
PRINCIPAIS SINTOMAS DE INFARTO
1. Dor torácica
2. Falta de ar e dificuldade em respirar;
3. Tontura;
4. Fadiga;
5. Náusea, falta de apetite e indigestão;
6. Suor frio e repentino.
4
PRIMEIROS
SOCORROS
6. Infarto
5
PRIMEIROS
SOCORROS
6. Infarto
O que fazer?
51
5
PRIMEIROS
SOCORROS
7. Estado de Choque
O estado de choque caracteriza-se por uma oxigenação insuficiente dos órgãos vitais, que
acontece devido a uma insuficiência circulatória aguda, que pode ser causada por fatores
como trauma, perfuração de órgãos, emoções, frio ou calor extremo, cirurgias, entre outros.
5
PRIMEIROS
SOCORROS
7. Estado de Choque
Sintomas
• Pele fria úmida, fria e pegajosa;
• Palidez;
• Cianose (arroxeamento) de lábios,
orelhas e pontas dos dedos;
• Transpiração intensa na testa e na palma
das mãos;
• Fraqueza geral com pulso rápido e fraco;
• Sensação de frio, podendo haver
calafrios;
• Náuseas e vômitos;
• Respiração curta, rápida irregular ou
muito difícil;
• Perturbação visual com expressão de
ansiedade ou indiferença e com dilatação
da pupila e agitação;
• Sede intensa;
• Medo/ansiedade;
• Visão nublada,
• Enchimento capilar lento;
• Queda gradual da pressão arterial;
• Confusão mental ou inconsciência total
ou parcial.
5
PRIMEIROS
SOCORROS
7. Estado de Choque
O QUE FAZER
Deve-se ainda levantar ligeiramente as pernas, num ângulo de cerca de 45º e
tentar acalmá-la enquanto se chama a emergência médica. Caso a pessoa
esteja inconsciente, deve ser colocado em posição lateral de segurança e
chamar a emergência médica, que a levará para o hospital.
55
PRIMEIROS
SOCORROS
8. Crise Convulsiva
Ataque Epiléptico
A crise convulsiva ou convulsão ocorre devido a um aumento excessivo e desordenado da
atividade elétrica das células cerebrais, nesse caso os neurônios. Esta atividade elétrica
alterada, é em muito dos casos, o causador das alterações motoras de uma crise
convulsiva, muitas vezes caracterizada por movimentos desordenados, repetitivos e
rápidos de todo o corpo.
56
PRIMEIROS
SOCORROS
Além disto, a convulsão também pode ocasionar perda temporária de consciência, aumento
da salivação, ranger de dentes, perda do controle do processo urinário e defecação.
8. Crise Convulsiva
Ataque Epiléptico
57
PRIMEIROS
SOCORROS
As crises convulsivas nem sempre estão associadas com a epilepsia, pois diversos
fatores podem desencadeá-la tais como: febre alta; diminuição do açúcar no sangue;
desidratação; febre alta; pancadas fortes na cabeça; perda excessiva de sangue;
tumores; intoxicações por álcool, medicamentos ou drogas ilícitas, dentre outros
fatores…
8. Crise Convulsiva
Ataque Epiléptico
58
PRIMEIROS
SOCORROS 8. Crise Convulsiva
Ataque Epiléptico
Como agir:
5
PRIMEIROS
SOCORROS
9. Desmaios
Normalmente, o desmaio não passa de um acidente leve, só se
agravando quando é causado por grandes hemorragias.
Como socorrer:
• Se a pessoa estiver prestes a desmaiar, coloque-a sentada
com a cabeça entre as pernas;
• Se o desmaio já ocorreu, deitar a vítima no chão, verificar
respiração e palidez;
• Afrouxar as roupas;
• Erguer os membros inferiores;
Obs.: Se a vítima não se recuperar de 2 a 3 minutos, procurar
assistência médica.
6
PRIMEIROS
SOCORROS
9. Desmaios
PLS – POSIÇÃO LATERAL DE SEGURANÇA
A Posição Lateral de Segurança (PLS) deve ser utilizada nas pessoas
inconscientes que mantenham a ventilação. Esta posição previne a obstrução das
vias aéreas superiores, permitindo uma melhor ventilação. (para impedir a queda da
língua para trás e a sufocação por sangue, vómitos ou secreções).
6
PRIMEIROS
SOCORROS
9. Desmaios PLS – POSIÇÃO LATERAL DE SEGURANÇA
6
PRIMEIROS
SOCORROS
10. Choque Elétrico
O choque elétrico é a reação do organismo à passagem da corrente elétrica.
Eletricidade, por sua vez é o fluxo de elétrons de um átomo, através de um condutor,
que vem a ser qualquer material que deixe a corrente elétrica passar facilmente (cobre,
alumínio, água, etc.).
6
PRIMEIROS
SOCORROS
10. Choque Elétrico
1. Queimaduras (internas e externas)
2. Problemas cardíacos
3. Lesões neurológicas
4. Morte
Consequências
6
PRIMEIROS
SOCORROS
10. Choque Elétrico
1. Corte ou desligue a fonte de energia, mas não toque na vítima;
2. Afaste a pessoa da fonte elétrica que estava provocando o choque,
usando materiais não condutores e secos como a madeira, o plástico, panos
grossos ou borracha;
3. Chame uma ambulância, ligando para o 192 ou 193;
4. Observe se a pessoa está consciente e respirando;
Se estiver consciente: acalme a vítima até a chegada da equipe médica;
Se estiver inconsciente, mas respirando: deite-a de lado, colocando-a em
posição lateral de segurança;
Se estiver inconsciente e não respirando: inicie a massagem cardíaca
5. Continue fazendo o passo anterior até a chegada da ajuda médica.
O QUE FAZER?
6
PRIMEIROS
SOCORROS
10. Emergências Traumáticas
É um tipo de lesão onde ocorre a quebra de um osso. Existem 2 tipos de fraturas:
• Exposta ou aberta: quando há o rompimento da pele.
• Interna ou fechada: quando não há o rompimento da pele.
Em ambos os casos, acontece dor intensa, deformação do local afetado,
incapacidade de movimento e inchaço.
Como socorrer:
• Imobilização;
• Movimentar o menos possível;
• Colocar gelo no local de 20 a 30 minutos;
• Improvisar talas;
• Proteger o ferimento com gase ou pano limpo
(para casos de fraturas expostas ou abertas).
6
PRIMEIROS
SOCORROS
11. Ferimentos
Tipos: Contusão (beliscão, batidas), hematoma (local fica roxo),
perfuro cortante (ferimento com faca prego, mordedura de animais,
armas de fogo) e escoriação (ferimento superficial, só atinge a pele).
Como socorrer:
Contusões e Hematomas
• Repouso da parte contundida;
• Aplicar gelo até melhorar a dor e o inchaço se estabilize;
• Elevar a parte atingida.
Perfuro cortantes e Escoriações
• Lavar as mãos;
• Lavar o ferimento com água e sabão;
• Proteger o ferimento para evitar contaminação;
• Secar o local com gase ou pano limpo;
• Se houver sangramento comprimir o local;
• Fazer um curativo, manter o curativo limpo e seco.
6
PRIMEIROS
SOCORROS
12. Amputação de Membros
Amputação é o termo utilizado para definir a retirada total ou parcial de um membro e pode
ocorrer mediante cirurgia ou acidente.
Sendo este um método de tratamento para diversas doenças.
6
PRIMEIROS
SOCORROS
12. Amputação de Membros
Envolva o membro em solução salina (soro fisiológico) e gaze, caso tenha
disponível; Coloque em um saco plástico fechado e depois dentro de uma
caixa de isopor com gelo para manter a temperatura refrigerada; Busque um
hospital o quanto antes
O primeiro ponto é que mesmo com o susto é preciso tentar manter a calma.
Avaliar se a amputação foi completa ou parcial?
Quão intenso está o sangramento? Tente estancar o sangramento fazendo
compressões na área afetada. Use um tecido limpo.
Esse tipo de acidente é bastante grave e o paciente e o membro lesionado
devem ser levados imediatamente ao hospital, seja por meios próprios ou
pelo serviço de resgate.
6
PRIMEIROS
SOCORROS
13. Esmagamentos de Membros
A síndrome do esmagamento ocorre devido a acidentes compressivos, em situações como
acidentes automobilísticos, acidentes industriais, em zonas de guerra, desastres naturais
(terremotos, desabamentos) ou até mesmo por mal posicionamento prolongado (exemplo:
paciente em coma).
Pode resultar em ferimentos abertos ou fechados. O dano tecidual é extenso (músculos,
tendões, ossos).
7
PRIMEIROS
SOCORROS
13. Esmagamentos de Membros
Como agir:
Os esmagamentos de tórax e abdome causam graves distúrbios circulatórios e
respiratórios, sendo muitas vezes incompatíveis com a vida.
No caso de extremidade presa a maquinaria industrial, desligar a energia da máquina, e em
seguida fazer a lenta reversão manual das engrenagens e retirada do membro. Caso não
seja possível liberar a extremidade a máquina deverá ser desmontada e transportada
juntamente com a vítima ao hospital.
7
PRIMEIROS
SOCORROS
14. Hemorragias: Interna e Externas
Hemorragia é a perda de sangue que acontece quando há rompimento de
veias ou artérias, provocadas por cortes, tumores, úlceras, etc.
Existem 2 tipos de hemorragias, as externas (visíveis) que devem ser
estancadas imediatamente e as internas (não visíveis), mas que podem
levar a vítima à morte.
Como socorrer:
• Manter a vítima deitada com a cabeça para o lado;
• Afrouxar suas roupas;
• Manter a vítima agasalhada;
• Procurar assistência médica imediatamente.
7
PRIMEIROS
SOCORROS 15. Picadas e Ferroadas de Animais Peçonhentos
Os princípios de primeiros socorros, nos casos de mordeduras e picadas são:
• Limitar a disseminação de venenos específicos;
• Tratar os venenos específicos;
• Controlar qualquer sangramento;
• Verificar se existe choques e problemas respiratórios, tratando-os se necessário;
• Evitar infecção pela limpeza da área mordida;
• Procurar assistência médica.
73
PRIMEIROS
SOCORROS
74
PRIMEIROS
SOCORROS
16. Queimadura
Queimadura é toda lesão provocada pelo contato direto com alguma fonte de calor ou frio,
produtos químicos, corrente elétrica, radiação, ou mesmo alguns animais e plantas (como
larvas, água-viva, urtiga), entre outros que, pode causar Danos à pele ou a tecidos mais
profundos.
As queimaduras podem ser
de 1º grau, 2º grau e 3º grau,
cada uma delas com suas
próprias características.
Causa pele avermelhada, com edema e dor intensa.
Como socorrer:
 resfriar o local com água corrente
Queimadura de 1º grau
16. Queimadura
Causa bolhas sobre uma pele vermelha, manchada ou de
coloração variável, edema, exsudação e dor.
Como socorrer:
 esfriar o local com água corrente;
 nunca romper as bolhas;
 nunca utilizar produtos caseiros, como: pó de café,
pasta de dente, etc.
Queimadura de 2º grau
16. Queimadura
Queimadura de 3º grau
Neste tipo de queimadura, a pele fica esbranquiçada ou carbonizada,
quase sempre com pouca ou nenhuma dor (aqui incluem-se todas as
queimaduras elétricas).
Como socorrer:
 não usar água;
 assistência médica é essencial;
 levar imediatamente ao médico.
16. Queimadura
16. Queimadura Térmica
16. Queimadura
80
PRIMEIROS
SOCORROS
17. Intoxicação Química
A intoxicação química ocorre quando...
uma substância entra em contato com um organismo e provoca uma
série de efeitos adversos, afetando e rompendo o seu equilíbrio.
81
PRIMEIROS
SOCORROS
17. Intoxicação Química
Tipos de intoxicação que podem ocorrer;
• Intoxicação por uso indevido de produtos químicos;
• Intoxicação por medicamentos;
• Intoxicação por abuso de drogas ilícitas e álcool;
• Intoxicação por uso indevido de defensivos agrícolas.
82
PRIMEIROS
SOCORROS
17. Intoxicação Química
Em casa
Na indústria
Na lavoura
Onde ocorrem
83
PRIMEIROS
SOCORROS
17. Intoxicação Química
Principais sintomas
• Batimentos cardíacos acelerados ou lentificados;
• Aumento ou queda da pressão arterial;
• Aumento ou diminuição do diâmetro das pupilas;
• Suor intenso;
• Vermelhidão ou ferimentos na pele;
• Alterações visuais, como borramento, turvação ou escurecimento;
• Falta de ar;
• Vômitos;
84
PRIMEIROS
SOCORROS
17. Intoxicação Química
Nos casos de intoxicação por ingestão:
1.Não provocar vômito;
2.Não oferecer água, leite ou qualquer outro líquido.
3.Encaminhar, com urgência, para serviço médico (pronto
socorro ou hospital).
***se possível, leve a embalagem do produto junto ao
local de atendimento da vítima.
85
PRIMEIROS
SOCORROS
18. IMOBILIZAÇÃO
Essa proteção é utilizada em casos de
acidentes, lesões, doenças ou
problemas específicos, como a artrose,
e também no pós-operatório de algumas
cirurgias.
Diante de uma lesão toma-se a decisão de imobilizar a área afetada.
Isso serve para aliviar a dor, evitar maiores comprometimentos ao tecido e
tratar a fratura, quando for o caso.
86
PRIMEIROS
SOCORROS
• Observar se a vítima relata formigamento, paralisia ou
perda de sensibilidade dos membros;
• Observar se a vítima relata dor espontânea e a palpação
do local;
• Verificar se há traumatismo grave acima da clavícula;
• Inconsciência pós-trauma.
Como saber se precisa imobilizar?
18. IMOBILIZAÇÃO
87
PRIMEIROS
SOCORROS
18. IMOBILIZAÇÃO
88
PRIMEIROS
SOCORROS
O transporte ou a remoção da vítima é a atitude tomada após o resgate.
O transporte se faz com o acompanhamento da vítima para local onde possa ser
atendida com segurança e tranquilidade. O transporte traz consigo sempre o risco
de agravamento da lesão.
19. Movimentação e Remoção de Vítima
89
PRIMEIROS
SOCORROS
• Imobilizar a área afetada na vítima antes do transporte.
• acionar a buzina e dirigir em alta velocidade.
• dirigir em baixa velocidade para não agravar o estado a vítima.
• jamais deitá-la, pois poderá desfalecer.
Para transportar, por meios próprios, uma vítima que
está gritando de dor, a atitude correta é:
18. Movimentação e Remoção de Vítima
90
PRIMEIROS
SOCORROS
19. Movimentação e Remoção de Vítima
9
PRIMEIROS
SOCORROS
20. Kit de Primeiros Socorros
O kit de primeiros socorros é um item essencial nas organizações, pois
possibilita os primeiros cuidados ao colaborador em caso de algum
incidente que venha a causar danos ao seu bem-estar.
9
PRIMEIROS
SOCORROS
20. Kit de Primeiros Socorros
1. Soro fisiológico
2. Colírio lubrificante
3. Solução antisséptica
4. Gazes/bandagens
5. Algodão
6. Tesoura
7. Pinça
8. Termômetro
9. Luvas descartáveis
9
PRIMEIROS
SOCORROS
20. Kit de Primeiros Socorros
Prancha + Imobilisador Cervical
Desfibrilador Portátil
9
PRIMEIROS
SOCORROS
21. Telefones Úteis
191
190
911
115 192
0800
193
195
155
198
187
147
VOCÊ SABE O NÚMERO DOS
BOMBEIROS OU DO SAMU?
254
169
156
9
PRIMEIROS
SOCORROS
21. Telefones Úteis
9
PRIMEIROS
SOCORROS
21. Telefones Úteis
193 – BOMBEIROS
Em casos de:
• Incêndios em residências, empresas, estruturas e em vegetação.
• Acidentes de trânsito com vítimas.
• Afogamentos.
• Acidentes domésticos (queimaduras, intoxicação, explosões e ferimentos em geral).
• Quedas de plano elevado ou de mesmo nível que resultem em lesões.
• Busca e Salvamento em ambientes hostis.
• Lesões provenientes de agressão e ataques de animais.
• Ferimentos por arma de fogo e objetos cortantes/perfurantes.
• Emergências com produtos perigosos e combustíveis.
• Desabamentos, soterramentos e deslizamentos.
• Emergências resultantes de desastres naturais: vendavais, enchentes, temporais e
chuvas de granizo.
QUAL DEVO ACIONAR?
9
PRIMEIROS
SOCORROS
21. Telefones Úteis
QUAL DEVO ACIONAR?
192 – SAMU
Em casos clínicos, tais como:
• problemas cardíacos e respiratórios;
• trabalhos de parto;
• crises hipertensivas;
• acidente vascular cerebral;
• crises convulsivas;
• transferência de doentes graves.
Seu maior patrimônio é a vida, sua maior proteção é a prevenção.
Medicina Ocupacional ICSE
www.icseocupacional.com.br/
OBRIGADO!
Medicina Ocupacional ICSE
www.icseocupacional.com.br/

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Segurança e higiene do trabalho - Aula 3
Segurança e higiene do trabalho - Aula 3Segurança e higiene do trabalho - Aula 3
Segurança e higiene do trabalho - Aula 3IBEST ESCOLA
 
CURSO: NOÇÕES DE PRIMEIROS SOCORROS COMPLETO
CURSO: NOÇÕES DE PRIMEIROS SOCORROS COMPLETOCURSO: NOÇÕES DE PRIMEIROS SOCORROS COMPLETO
CURSO: NOÇÕES DE PRIMEIROS SOCORROS COMPLETODiulianaMendes1
 
Manobra Heimlich
Manobra HeimlichManobra Heimlich
Manobra HeimlichLF Martins
 
Aula EPI - Apresentação
Aula EPI - ApresentaçãoAula EPI - Apresentação
Aula EPI - ApresentaçãoRapha_Carvalho
 
Treinamento de Primeiros socorros
Treinamento de Primeiros socorros Treinamento de Primeiros socorros
Treinamento de Primeiros socorros Ane Costa
 
IBRAPH-SLIDES-PRIMEIROS-SOCORROS-LEI-LUCAS-1.pdf
IBRAPH-SLIDES-PRIMEIROS-SOCORROS-LEI-LUCAS-1.pdfIBRAPH-SLIDES-PRIMEIROS-SOCORROS-LEI-LUCAS-1.pdf
IBRAPH-SLIDES-PRIMEIROS-SOCORROS-LEI-LUCAS-1.pdfFLA Dacio
 
Treinamento de primeiros socorros para brigadistas de emergências
Treinamento de primeiros socorros para brigadistas de emergênciasTreinamento de primeiros socorros para brigadistas de emergências
Treinamento de primeiros socorros para brigadistas de emergênciasMárcio Roberto de Mattos
 
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de TrabalhoPalestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de TrabalhoHP Safety Engenharia
 
Primeiros Socorros - Novo 2022.pptx
Primeiros Socorros - Novo 2022.pptxPrimeiros Socorros - Novo 2022.pptx
Primeiros Socorros - Novo 2022.pptxWesleyOliveira123559
 
Primeiros socorros
Primeiros socorrosPrimeiros socorros
Primeiros socorrosKaique Lopes
 
IBRAPH-SLIDES-PS-LEI-LUCAS-CURSO-COMPLETO.pdf
IBRAPH-SLIDES-PS-LEI-LUCAS-CURSO-COMPLETO.pdfIBRAPH-SLIDES-PS-LEI-LUCAS-CURSO-COMPLETO.pdf
IBRAPH-SLIDES-PS-LEI-LUCAS-CURSO-COMPLETO.pdfGleiceGrein
 

Mais procurados (20)

Primeiros socorros
Primeiros socorrosPrimeiros socorros
Primeiros socorros
 
Segurança e higiene do trabalho - Aula 3
Segurança e higiene do trabalho - Aula 3Segurança e higiene do trabalho - Aula 3
Segurança e higiene do trabalho - Aula 3
 
PRIMEIROS SOCORROS CHOQUE ELETRICO
PRIMEIROS SOCORROS  CHOQUE ELETRICOPRIMEIROS SOCORROS  CHOQUE ELETRICO
PRIMEIROS SOCORROS CHOQUE ELETRICO
 
CURSO: NOÇÕES DE PRIMEIROS SOCORROS COMPLETO
CURSO: NOÇÕES DE PRIMEIROS SOCORROS COMPLETOCURSO: NOÇÕES DE PRIMEIROS SOCORROS COMPLETO
CURSO: NOÇÕES DE PRIMEIROS SOCORROS COMPLETO
 
Primeiros socorros
Primeiros socorrosPrimeiros socorros
Primeiros socorros
 
Ovace
OvaceOvace
Ovace
 
Aph
AphAph
Aph
 
Manobra Heimlich
Manobra HeimlichManobra Heimlich
Manobra Heimlich
 
Urgência e Emergência
Urgência e EmergênciaUrgência e Emergência
Urgência e Emergência
 
Apresentação Final
Apresentação FinalApresentação Final
Apresentação Final
 
Aula EPI - Apresentação
Aula EPI - ApresentaçãoAula EPI - Apresentação
Aula EPI - Apresentação
 
Treinamento de Primeiros socorros
Treinamento de Primeiros socorros Treinamento de Primeiros socorros
Treinamento de Primeiros socorros
 
IBRAPH-SLIDES-PRIMEIROS-SOCORROS-LEI-LUCAS-1.pdf
IBRAPH-SLIDES-PRIMEIROS-SOCORROS-LEI-LUCAS-1.pdfIBRAPH-SLIDES-PRIMEIROS-SOCORROS-LEI-LUCAS-1.pdf
IBRAPH-SLIDES-PRIMEIROS-SOCORROS-LEI-LUCAS-1.pdf
 
Treinamento de primeiros socorros para brigadistas de emergências
Treinamento de primeiros socorros para brigadistas de emergênciasTreinamento de primeiros socorros para brigadistas de emergências
Treinamento de primeiros socorros para brigadistas de emergências
 
Atendimento pré hospitalar aula 01 iesm
Atendimento pré hospitalar aula 01 iesmAtendimento pré hospitalar aula 01 iesm
Atendimento pré hospitalar aula 01 iesm
 
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de TrabalhoPalestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
 
Primeiros Socorros - Novo 2022.pptx
Primeiros Socorros - Novo 2022.pptxPrimeiros Socorros - Novo 2022.pptx
Primeiros Socorros - Novo 2022.pptx
 
Primeiros socorros
Primeiros socorrosPrimeiros socorros
Primeiros socorros
 
Afogamento
AfogamentoAfogamento
Afogamento
 
IBRAPH-SLIDES-PS-LEI-LUCAS-CURSO-COMPLETO.pdf
IBRAPH-SLIDES-PS-LEI-LUCAS-CURSO-COMPLETO.pdfIBRAPH-SLIDES-PS-LEI-LUCAS-CURSO-COMPLETO.pdf
IBRAPH-SLIDES-PS-LEI-LUCAS-CURSO-COMPLETO.pdf
 

Semelhante a Primeiros Socorros NR7_Novo.pptx

Aula 01 primeiros socorros
Aula 01   primeiros socorrosAula 01   primeiros socorros
Aula 01 primeiros socorrosLegiane Bortoli
 
Aula 1 Primeiros Socorros.pdf
Aula 1 Primeiros Socorros.pdfAula 1 Primeiros Socorros.pdf
Aula 1 Primeiros Socorros.pdfontimiza
 
Primeiros socorros completo
Primeiros socorros completoPrimeiros socorros completo
Primeiros socorros completoMay Mello
 
1ª AILA.pptx
1ª AILA.pptx1ª AILA.pptx
1ª AILA.pptxjoseigor7
 
1 aula PRIMEIROS SOCORROS E EMERGÊNGIA NETS.pptx
1 aula PRIMEIROS SOCORROS E EMERGÊNGIA NETS.pptx1 aula PRIMEIROS SOCORROS E EMERGÊNGIA NETS.pptx
1 aula PRIMEIROS SOCORROS E EMERGÊNGIA NETS.pptxIrisnara Nunes Silva
 
\'PRIMEIROS_SOCORROS
\'PRIMEIROS_SOCORROS\'PRIMEIROS_SOCORROS
\'PRIMEIROS_SOCORROSmiguel_ytchu
 
06-28-59-primeirossocorros-slide1.pptx
06-28-59-primeirossocorros-slide1.pptx06-28-59-primeirossocorros-slide1.pptx
06-28-59-primeirossocorros-slide1.pptxRodrigo Barroso
 
GE 079 Primeiros socorros básico (nova).pdf
GE 079 Primeiros socorros básico (nova).pdfGE 079 Primeiros socorros básico (nova).pdf
GE 079 Primeiros socorros básico (nova).pdfandersonmbraga1
 
Primeiros Socorros_jp.pptx
Primeiros Socorros_jp.pptxPrimeiros Socorros_jp.pptx
Primeiros Socorros_jp.pptxHelitonCosta2
 
PRIMEIROS SOCORROS (2).ppt
PRIMEIROS SOCORROS (2).pptPRIMEIROS SOCORROS (2).ppt
PRIMEIROS SOCORROS (2).pptDevanir Miranda
 
Primeiros socorros
Primeiros socorrosPrimeiros socorros
Primeiros socorroscelsoricca
 
Palestra aph
Palestra aphPalestra aph
Palestra aphselvay
 
Emergências médicas em odontologia
Emergências médicas em odontologiaEmergências médicas em odontologia
Emergências médicas em odontologiaClaudio Fleig
 

Semelhante a Primeiros Socorros NR7_Novo.pptx (20)

Aula 01 primeiros socorros
Aula 01   primeiros socorrosAula 01   primeiros socorros
Aula 01 primeiros socorros
 
Primeiros socorros
Primeiros socorrosPrimeiros socorros
Primeiros socorros
 
Acordalagrima
AcordalagrimaAcordalagrima
Acordalagrima
 
Aula 1 Primeiros Socorros.pdf
Aula 1 Primeiros Socorros.pdfAula 1 Primeiros Socorros.pdf
Aula 1 Primeiros Socorros.pdf
 
Primeiros socorros
Primeiros socorrosPrimeiros socorros
Primeiros socorros
 
Primeiros socorros completo
Primeiros socorros completoPrimeiros socorros completo
Primeiros socorros completo
 
1ª AILA.pptx
1ª AILA.pptx1ª AILA.pptx
1ª AILA.pptx
 
1 aula PRIMEIROS SOCORROS E EMERGÊNGIA NETS.pptx
1 aula PRIMEIROS SOCORROS E EMERGÊNGIA NETS.pptx1 aula PRIMEIROS SOCORROS E EMERGÊNGIA NETS.pptx
1 aula PRIMEIROS SOCORROS E EMERGÊNGIA NETS.pptx
 
\'PRIMEIROS_SOCORROS
\'PRIMEIROS_SOCORROS\'PRIMEIROS_SOCORROS
\'PRIMEIROS_SOCORROS
 
06-28-59-primeirossocorros-slide1.pptx
06-28-59-primeirossocorros-slide1.pptx06-28-59-primeirossocorros-slide1.pptx
06-28-59-primeirossocorros-slide1.pptx
 
GE 079 Primeiros socorros básico (nova).pdf
GE 079 Primeiros socorros básico (nova).pdfGE 079 Primeiros socorros básico (nova).pdf
GE 079 Primeiros socorros básico (nova).pdf
 
Aula 1 tst01 n
Aula 1 tst01 nAula 1 tst01 n
Aula 1 tst01 n
 
Primeiros Socorros_jp.pptx
Primeiros Socorros_jp.pptxPrimeiros Socorros_jp.pptx
Primeiros Socorros_jp.pptx
 
PRIMEIROS SOCORROS (2).ppt
PRIMEIROS SOCORROS (2).pptPRIMEIROS SOCORROS (2).ppt
PRIMEIROS SOCORROS (2).ppt
 
Primeiros socorros
Primeiros socorrosPrimeiros socorros
Primeiros socorros
 
1ªaula - primeiros socorros.ppt
1ªaula - primeiros socorros.ppt1ªaula - primeiros socorros.ppt
1ªaula - primeiros socorros.ppt
 
Primeiros socorros
Primeiros socorrosPrimeiros socorros
Primeiros socorros
 
primeiros socorros básico.pptx
primeiros socorros básico.pptxprimeiros socorros básico.pptx
primeiros socorros básico.pptx
 
Palestra aph
Palestra aphPalestra aph
Palestra aph
 
Emergências médicas em odontologia
Emergências médicas em odontologiaEmergências médicas em odontologia
Emergências médicas em odontologia
 

Primeiros Socorros NR7_Novo.pptx

  • 1. NR-7 NORMA REGULAMENTADORA 7 Medicina Ocupacional ICSE www.icseocupacional.com.br/ PRIMEIROS SOCORROS
  • 2. 2 Hailton José do Nascimento Técnico em Segurança do Trabalho *ETEC Polivalente de Americana - Pós Graduando em Engenharia de Segurança do Trabalho - Bacharel em Engenharia de Produção - Tecnólogo em Gestão da Produção Industrial - Técnico em Mecatrônica Egresso do setor de máquinas e equipamentos industriais
  • 3. ÍNDICE 3 PRIMEIROS SOCORROS 1. Importância, Legislação e Conceitos 2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros 3. Asfixia 4. Parada Cardiorespiratória 5. Ressuscitação Cardiopulmonar – RCP 6. Infarto 7. Estado de Choque 8. Crise Convulsiva 9. Desmaios 10. Choque Elétrico 11. Ferimentos 12. Amputação de Membros 13. Esmagamentos de Membros 14. Hemorragias: Interna e Externas 15. Picadas e Ferroadas de Animais Peçonhentos 16. Queimaduras 17. Intoxicação ou Envenenamento 18. Imobilização 19. Movimentação e Remoção de Vítima 20. Caixa de Primeiros Socorros 21. Telefones Úteis
  • 5. 5 PRIMEIROS SOCORROS 1. Importância, Legislação e Conceitos Importância; A capacitação de um colaborador em primeiros socorros é de extrema importância para uma empresa. As ações prestadas logo após um acidente ajudam a determinar como será a recuperação do colaborador ou mesmo o salvamento de sua vida.
  • 6. 6 PRIMEIROS SOCORROS 1. Importância, Legislação e Conceitos Legislação; No Brasil, existem algumas leis que tratam da obrigação dos primeiros socorros em locais públicos e privados. A que regulamenta de forma geral essa atividade é a Lei nº2.848 de 1940, especificamente o art.135. Além dessa lei, existem também o Regime Jurídico da Proteção da Segurança e Saúde no Trabalho e a norma regulamentadora 07. Ambas tratam das diretrizes dos primeiros socorros especificamente para empresas e serão tratadas com mais detalhes ao longo deste texto.
  • 7. 7 PRIMEIROS SOCORROS 1. Importância, Legislação e Conceitos Legislação; Responsabilidade na Omissão de Socorro;
  • 8. 8 PRIMEIROS SOCORROS 1. Importância, Legislação e Conceitos Legislação; Responsabilidade na Omissão de Socorro; "Deixar de prestar assistência, quando possível fazê-lo sem risco pessoal, à criança abandonada ou extraviada, ou à pessoa inválida ou ferida, em desamparo ou em grave e iminente perigo; não pedir, nesses casos, o socorro da autoridade pública." Segundo o artigo 135 do Código Penal, a omissão de socorro consiste em;
  • 9. 9 PRIMEIROS SOCORROS 1. Importância, Legislação e Conceitos Legislação; Responsabilidade na Omissão de Socorro; Pena - detenção de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa. Parágrafo único: A pena é aumentada de metade, se da omissão resulta lesão corporal de natureza grave, e triplicada, se resulta em morte.
  • 10. 1 PRIMEIROS SOCORROS 1. Importância, Legislação e Conceitos Legislação; Responsabilidade na Omissão de Socorro; Importante: O fato de chamar o socorro especializado, nos casos em que a pessoa não possui um treinamento específico ou não se sente confiante para atuar, já descaracteriza a ocorrência de omissão de socorro.
  • 11. 1 PRIMEIROS SOCORROS 1. Importância, Legislação e Conceitos Conceitos; OS PRIMEIROS SOCORROS se caracterizam como uma série de técnicas e procedimentos prestados inicialmente a uma vítima que sofreu um acidente ou que teve algum mal súbito. O objetivo é, independente da gravidade, manter o indivíduo com os sinais vitais estáveis enquanto espera a chegada do atendimento profissional adequado.
  • 12. 1 PRIMEIROS SOCORROS 1. Importância, Legislação e Conceitos Conceitos; O SOCORRISTA é a pessoa que presta os primeiros socorros em casos de acidentes ou males súbitos.
  • 13. 1 PRIMEIROS SOCORROS 2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros •Manter a calma; •Controlar a situação; •Sinalizar o local; •Avaliar a situação; •Acionar o socorro especializado.. Ações do Socorrista “A atitude do socorrista pode significar a vida ou a morte do acidentado.”
  • 14. 1 PRIMEIROS SOCORROS Na abordagem a vítima; O prestador de socorro deve ter em mente que a vítima possui o direito de recusa do atendimento. No caso de adultos, esse direito existe quando eles estiverem conscientes e com clareza de pensamento. Ações do Socorrista 2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros
  • 15. 1 PRIMEIROS SOCORROS Na abordagem a vítima; Isto pode ocorrer por diversos motivos, tais como crenças religiosas ou falta de confiança no prestador de socorro que for realizar o atendimento. Nestes casos, a vítima não pode ser forçada a receber os primeiros socorros, devendo assim ao socorrista, certificar-se de que o socorro especializado foi solicitado e continuar monitorando a vítima, enquanto tenta ganhar a sua confiança através do diálogo. Ações do Socorrista 2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros
  • 16. 1 PRIMEIROS SOCORROS Na abordagem a vítima;  Não discuta com a vítima.  Não questione suas razões, principalmente se elas forem baseadas em crenças religiosas. Ações do Socorrista 2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros
  • 17. 1 PRIMEIROS SOCORROS Na abordagem a vítima;  Não toque na vítima, isto poderá ser considerado como violação dos seus direitos. Ações do Socorrista 2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros
  • 18. 18 PRIMEIROS SOCORROS Na abordagem a vítima;  Converse com a vítima, informe a ela que você possui treinamento em primeiros socorros, que irá respeitar o direito dela de recusar o atendimento, mas que está pronto para auxiliá-la no que for necessário. Ações do Socorrista 2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros
  • 19. 1 PRIMEIROS SOCORROS Na abordagem a vítima; Ações do Socorrista 2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros  Consentido: quando a vítima verbaliza ou sinaliza que concorda com o atendimento, após o prestador de socorro ter se identificado como tal e ter informado à vítima de que possui treinamento em primeiros socorros;  Implícito: quando a vítima esteja inconsciente, confusa ou gravemente ferida a ponto de não poder verbalizar ou sinalizar consentindo com o atendimento. Neste caso, a legislação infere que a vítima daria o consentimento, caso tivesse condições de expressar o seu desejo de receber o atendimento de primeiros socorros.
  • 20. 2 PRIMEIROS SOCORROS Na abordagem a vítima; Ações do Socorrista 2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros  O consentimento implícito pode ser adotado também no caso de acidentes envolvendo menores desacompanhados dos pais ou responsáveis legais. Do mesmo modo, a legislação infere que o consentimento seria dado pelos pais ou responsáveis, caso estivessem presentes no local.
  • 21. 2 PRIMEIROS SOCORROS Verifique: Ações do Socorrista 2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros  Nível de consciência alterado;  Fala prejudicada;  Dores no peito;  Alterações na visão;  Vômitos com sangue;  Dificuldade para respirar;  Fraturas;  Hemorragias externa;  Histórico de saúde;  Se faz uso de medicamentos;  Se ingeriu bebidas alcoólicas.
  • 22. 2 PRIMEIROS SOCORROS Funções, Sinais Vitais e de Apoio As funções do cérebro e do coração são vitais para que o ser humano permaneça vivo. Esses órgãos possibilitam o funcionamento de todas as funções do corpo, são percorridos pelos capilares, vasos sanguíneos em contato direto com o sangue arterial e, por isso, ricos em nutrientes e oxigênio. Ações do Socorrista 2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros Verifique:
  • 23. 2 PRIMEIROS SOCORROS Ações do Socorrista 2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros CENA DO ACIDENTE
  • 24. 2 PRIMEIROS SOCORROS Ações do Socorrista 2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros CENA DO ACIDENTE 1. Observar a cena buscando a identificação de riscos potenciais para si, para o paciente e/ou outros envolvidos; 2. Observar os mecanismos do trauma ou a natureza da doença do paciente; 3. Checar o número de vítimas e suas condições; 4. Adotar o uso de equipamentos de proteção individual (EPI).
  • 25. 2 PRIMEIROS SOCORROS Identifique cada caso: Ações do Socorrista 2. Etapas Básicas de Primeiros Socorros Urgência; inicialmente não existe um risco grave. Entretanto, é uma situação que também merece atenção e cuidado com certa agilidade. Caso uma situação de urgência não tenha o tratamento adequado, é possível que ela se transforme em uma situação de emergência, aumentando os riscos. Emergência; é a circunstância que exige uma cirurgia ou intervenção médica de imediato, por isso, em ambulâncias está geralmente escrito emergência e não urgência. Estas situações possuem um caráter mais imediatista e emergencial, pois pode haver risco de morte.
  • 26. 2 PRIMEIROS SOCORROS 3. Asfixia • obstruções mecânicas ou engasgamento A Pessoa tem a garganta tampada por um corpo estranho, vômito, sangue ou outros líquidos. FECHAMENTO PARCIAL FECHAMENTO TOTAL
  • 27. 2 PRIMEIROS SOCORROS 3. Asfixia • obstruções mecânicas ou engasgamento FECHAMENTO PARCIAL - Mãos à garganta; - Inquietação; - Tosse; - Respiração com dificuldade;
  • 28. 2 PRIMEIROS SOCORROS 3. Asfixia • obstruções mecânicas ou engasgamento FECHAMENTO TOTAL - Mãos à garganta; - Não consegue falar; - Para de respirar; - Cianótica (Pele Azul);
  • 30. 3 PRIMEIROS SOCORROS 3. Asfixia O QUE FAZER? SE ESTIVER SOZINHO
  • 31. 3 PRIMEIROS SOCORROS 3. Asfixia O QUE FAZER? - Vire a criança de costas com a cabeça mais baixa que o tronco; - 05 (cinco) tapinhas nas costas (entre os ombros); - Vire a criança de frente e veja se ainda está engasgada; - Ainda engasgada? Efetue 05 (cinco) compressões abdominais com os dedos. CRIANÇAS
  • 32. 3 PRIMEIROS SOCORROS 3. Asfixia O QUE FAZER? - Tente encontrar o objeto e retirá-lo; - Cuidado para não empurrar o objeto mais adiante; - Estímulos na boca do estômago (região epigástrica); DESMAIADO
  • 35. 3 PRIMEIROS SOCORROS 4. Parada Cardiorespiratória A parada cardiorrespiratória é quando o coração para de bater repentinamente ou passa a bater de forma insuficiente, muito devagar. A condição também é conhecida por parada cardíaca e pode levar à morte.
  • 36. 3 PRIMEIROS SOCORROS • Parada Cardíaca: pode estar ligada a uma parada respiratória e ambas acontecerem simultaneamente. Sinais de parada cardíaca: Inconsciência, ausência de pulsação e ausência de escuta de batimentos cardíacos. • Parada Respiratória: ocorre por: afogamento, sufocação, aspiração excessiva de gases venenosos, soterramento e choque. Sinais de parada respiratória: Inconsciência, peito imóvel, ausência de saída de ar pelas vias aéreas e unhas e lábios azulados. 4. Parada Cardiorespiratória
  • 37. 3 PRIMEIROS SOCORROS ONDE PODE ACONTECER 4. Parada Cardiorespiratória
  • 38. 3 PRIMEIROS SOCORROS O atendimento se bem feito é vital. Se mal feito, no entanto, o erro pode ser irreparável. - Nossas células ficam sem oxigênio; - Perdemos a consciência; - E caso demore por um socorro, podemos evoluir a óbito; 4. Parada Cardiorespiratória
  • 39. 3 PRIMEIROS SOCORROS 5. Ressuscitação Cardiorespiratória - RCP É um conjunto de ações destinadas a garantir a oxigenação dos órgãos quando a circulação do sangue de uma pessoa é interrompida; “O atendimento se bem feito é vital. Se mal feito, no entanto, o erro pode ser irreparável.”
  • 40. 4 PRIMEIROS SOCORROS 5. Ressuscitação Cardiorespiratória - RCP O QUE FAZER SE RESPIRA - Observa a vítima até a chegada do socorro; - Ligue imediatamente para o Corpo de Bombeiros Militar, no telefone 193;
  • 41. 4 PRIMEIROS SOCORROS 5. Ressuscitação Cardiorespiratória - RCP O QUE FAZER SE NÃO RESPIRA - Coração não bate? - Se não tiver batimentos iniciar RCP;
  • 42. 4 PRIMEIROS SOCORROS 5. Ressuscitação Cardiorespiratória - RCP O QUE FAZER - Deite a vítima de costas sobre o chão rígido; - Fique de joelhos ao lado da vítima, na altura dos ombros; - Apoie no centro do tórax;
  • 43. 4 PRIMEIROS SOCORROS 5. Ressuscitação Cardiorespiratória - RCP O QUE FAZER - Posicione os braços estendidos, com os dedos entrelaçados, coloque uma mão sobre a outra, apoiando-se no centro do tórax; - Utilize o peso do corpo;
  • 44. 4 PRIMEIROS SOCORROS 5. Ressuscitação Cardiorespiratória - RCP O QUE FAZER QUANDO ADULTOS - 30 compressões x 02 respirações; (Repetir 5 vezes e verificar se tem batimentos) QUANDO MENORES - 15 compressões x 02 respirações; (Repetir 5 vezes e verificar se tem batimentos) VELOCIDADE DAS COMPRESSÕES - 02 (duas) x segundo;
  • 45. 4 PRIMEIROS SOCORROS 5. Ressuscitação Cardiorespiratória - RCP O QUE FAZER Respiraçã boca boca
  • 47. 4 PRIMEIROS SOCORROS 6. Infarto O infarto ocorre quando uma ou mais artérias que levam oxigênio ao coração (chamadas artérias coronárias) são obstruídas abruptamente por um coágulo de sangue formado em cima de uma placa de gordura (ateroma) existente na parede interna da artéria. O que é?
  • 48. 4 PRIMEIROS SOCORROS 6. Infarto PRINCIPAIS SINTOMAS DE INFARTO 1. Dor torácica 2. Falta de ar e dificuldade em respirar; 3. Tontura; 4. Fadiga; 5. Náusea, falta de apetite e indigestão; 6. Suor frio e repentino.
  • 51. 51
  • 52. 5 PRIMEIROS SOCORROS 7. Estado de Choque O estado de choque caracteriza-se por uma oxigenação insuficiente dos órgãos vitais, que acontece devido a uma insuficiência circulatória aguda, que pode ser causada por fatores como trauma, perfuração de órgãos, emoções, frio ou calor extremo, cirurgias, entre outros.
  • 53. 5 PRIMEIROS SOCORROS 7. Estado de Choque Sintomas • Pele fria úmida, fria e pegajosa; • Palidez; • Cianose (arroxeamento) de lábios, orelhas e pontas dos dedos; • Transpiração intensa na testa e na palma das mãos; • Fraqueza geral com pulso rápido e fraco; • Sensação de frio, podendo haver calafrios; • Náuseas e vômitos; • Respiração curta, rápida irregular ou muito difícil; • Perturbação visual com expressão de ansiedade ou indiferença e com dilatação da pupila e agitação; • Sede intensa; • Medo/ansiedade; • Visão nublada, • Enchimento capilar lento; • Queda gradual da pressão arterial; • Confusão mental ou inconsciência total ou parcial.
  • 54. 5 PRIMEIROS SOCORROS 7. Estado de Choque O QUE FAZER Deve-se ainda levantar ligeiramente as pernas, num ângulo de cerca de 45º e tentar acalmá-la enquanto se chama a emergência médica. Caso a pessoa esteja inconsciente, deve ser colocado em posição lateral de segurança e chamar a emergência médica, que a levará para o hospital.
  • 55. 55 PRIMEIROS SOCORROS 8. Crise Convulsiva Ataque Epiléptico A crise convulsiva ou convulsão ocorre devido a um aumento excessivo e desordenado da atividade elétrica das células cerebrais, nesse caso os neurônios. Esta atividade elétrica alterada, é em muito dos casos, o causador das alterações motoras de uma crise convulsiva, muitas vezes caracterizada por movimentos desordenados, repetitivos e rápidos de todo o corpo.
  • 56. 56 PRIMEIROS SOCORROS Além disto, a convulsão também pode ocasionar perda temporária de consciência, aumento da salivação, ranger de dentes, perda do controle do processo urinário e defecação. 8. Crise Convulsiva Ataque Epiléptico
  • 57. 57 PRIMEIROS SOCORROS As crises convulsivas nem sempre estão associadas com a epilepsia, pois diversos fatores podem desencadeá-la tais como: febre alta; diminuição do açúcar no sangue; desidratação; febre alta; pancadas fortes na cabeça; perda excessiva de sangue; tumores; intoxicações por álcool, medicamentos ou drogas ilícitas, dentre outros fatores… 8. Crise Convulsiva Ataque Epiléptico
  • 58. 58 PRIMEIROS SOCORROS 8. Crise Convulsiva Ataque Epiléptico Como agir:
  • 59. 5 PRIMEIROS SOCORROS 9. Desmaios Normalmente, o desmaio não passa de um acidente leve, só se agravando quando é causado por grandes hemorragias. Como socorrer: • Se a pessoa estiver prestes a desmaiar, coloque-a sentada com a cabeça entre as pernas; • Se o desmaio já ocorreu, deitar a vítima no chão, verificar respiração e palidez; • Afrouxar as roupas; • Erguer os membros inferiores; Obs.: Se a vítima não se recuperar de 2 a 3 minutos, procurar assistência médica.
  • 60. 6 PRIMEIROS SOCORROS 9. Desmaios PLS – POSIÇÃO LATERAL DE SEGURANÇA A Posição Lateral de Segurança (PLS) deve ser utilizada nas pessoas inconscientes que mantenham a ventilação. Esta posição previne a obstrução das vias aéreas superiores, permitindo uma melhor ventilação. (para impedir a queda da língua para trás e a sufocação por sangue, vómitos ou secreções).
  • 61. 6 PRIMEIROS SOCORROS 9. Desmaios PLS – POSIÇÃO LATERAL DE SEGURANÇA
  • 62. 6 PRIMEIROS SOCORROS 10. Choque Elétrico O choque elétrico é a reação do organismo à passagem da corrente elétrica. Eletricidade, por sua vez é o fluxo de elétrons de um átomo, através de um condutor, que vem a ser qualquer material que deixe a corrente elétrica passar facilmente (cobre, alumínio, água, etc.).
  • 63. 6 PRIMEIROS SOCORROS 10. Choque Elétrico 1. Queimaduras (internas e externas) 2. Problemas cardíacos 3. Lesões neurológicas 4. Morte Consequências
  • 64. 6 PRIMEIROS SOCORROS 10. Choque Elétrico 1. Corte ou desligue a fonte de energia, mas não toque na vítima; 2. Afaste a pessoa da fonte elétrica que estava provocando o choque, usando materiais não condutores e secos como a madeira, o plástico, panos grossos ou borracha; 3. Chame uma ambulância, ligando para o 192 ou 193; 4. Observe se a pessoa está consciente e respirando; Se estiver consciente: acalme a vítima até a chegada da equipe médica; Se estiver inconsciente, mas respirando: deite-a de lado, colocando-a em posição lateral de segurança; Se estiver inconsciente e não respirando: inicie a massagem cardíaca 5. Continue fazendo o passo anterior até a chegada da ajuda médica. O QUE FAZER?
  • 65. 6 PRIMEIROS SOCORROS 10. Emergências Traumáticas É um tipo de lesão onde ocorre a quebra de um osso. Existem 2 tipos de fraturas: • Exposta ou aberta: quando há o rompimento da pele. • Interna ou fechada: quando não há o rompimento da pele. Em ambos os casos, acontece dor intensa, deformação do local afetado, incapacidade de movimento e inchaço. Como socorrer: • Imobilização; • Movimentar o menos possível; • Colocar gelo no local de 20 a 30 minutos; • Improvisar talas; • Proteger o ferimento com gase ou pano limpo (para casos de fraturas expostas ou abertas).
  • 66. 6 PRIMEIROS SOCORROS 11. Ferimentos Tipos: Contusão (beliscão, batidas), hematoma (local fica roxo), perfuro cortante (ferimento com faca prego, mordedura de animais, armas de fogo) e escoriação (ferimento superficial, só atinge a pele). Como socorrer: Contusões e Hematomas • Repouso da parte contundida; • Aplicar gelo até melhorar a dor e o inchaço se estabilize; • Elevar a parte atingida. Perfuro cortantes e Escoriações • Lavar as mãos; • Lavar o ferimento com água e sabão; • Proteger o ferimento para evitar contaminação; • Secar o local com gase ou pano limpo; • Se houver sangramento comprimir o local; • Fazer um curativo, manter o curativo limpo e seco.
  • 67. 6 PRIMEIROS SOCORROS 12. Amputação de Membros Amputação é o termo utilizado para definir a retirada total ou parcial de um membro e pode ocorrer mediante cirurgia ou acidente. Sendo este um método de tratamento para diversas doenças.
  • 68. 6 PRIMEIROS SOCORROS 12. Amputação de Membros Envolva o membro em solução salina (soro fisiológico) e gaze, caso tenha disponível; Coloque em um saco plástico fechado e depois dentro de uma caixa de isopor com gelo para manter a temperatura refrigerada; Busque um hospital o quanto antes O primeiro ponto é que mesmo com o susto é preciso tentar manter a calma. Avaliar se a amputação foi completa ou parcial? Quão intenso está o sangramento? Tente estancar o sangramento fazendo compressões na área afetada. Use um tecido limpo. Esse tipo de acidente é bastante grave e o paciente e o membro lesionado devem ser levados imediatamente ao hospital, seja por meios próprios ou pelo serviço de resgate.
  • 69. 6 PRIMEIROS SOCORROS 13. Esmagamentos de Membros A síndrome do esmagamento ocorre devido a acidentes compressivos, em situações como acidentes automobilísticos, acidentes industriais, em zonas de guerra, desastres naturais (terremotos, desabamentos) ou até mesmo por mal posicionamento prolongado (exemplo: paciente em coma). Pode resultar em ferimentos abertos ou fechados. O dano tecidual é extenso (músculos, tendões, ossos).
  • 70. 7 PRIMEIROS SOCORROS 13. Esmagamentos de Membros Como agir: Os esmagamentos de tórax e abdome causam graves distúrbios circulatórios e respiratórios, sendo muitas vezes incompatíveis com a vida. No caso de extremidade presa a maquinaria industrial, desligar a energia da máquina, e em seguida fazer a lenta reversão manual das engrenagens e retirada do membro. Caso não seja possível liberar a extremidade a máquina deverá ser desmontada e transportada juntamente com a vítima ao hospital.
  • 71. 7 PRIMEIROS SOCORROS 14. Hemorragias: Interna e Externas Hemorragia é a perda de sangue que acontece quando há rompimento de veias ou artérias, provocadas por cortes, tumores, úlceras, etc. Existem 2 tipos de hemorragias, as externas (visíveis) que devem ser estancadas imediatamente e as internas (não visíveis), mas que podem levar a vítima à morte. Como socorrer: • Manter a vítima deitada com a cabeça para o lado; • Afrouxar suas roupas; • Manter a vítima agasalhada; • Procurar assistência médica imediatamente.
  • 72. 7 PRIMEIROS SOCORROS 15. Picadas e Ferroadas de Animais Peçonhentos Os princípios de primeiros socorros, nos casos de mordeduras e picadas são: • Limitar a disseminação de venenos específicos; • Tratar os venenos específicos; • Controlar qualquer sangramento; • Verificar se existe choques e problemas respiratórios, tratando-os se necessário; • Evitar infecção pela limpeza da área mordida; • Procurar assistência médica.
  • 74. 74 PRIMEIROS SOCORROS 16. Queimadura Queimadura é toda lesão provocada pelo contato direto com alguma fonte de calor ou frio, produtos químicos, corrente elétrica, radiação, ou mesmo alguns animais e plantas (como larvas, água-viva, urtiga), entre outros que, pode causar Danos à pele ou a tecidos mais profundos. As queimaduras podem ser de 1º grau, 2º grau e 3º grau, cada uma delas com suas próprias características.
  • 75. Causa pele avermelhada, com edema e dor intensa. Como socorrer:  resfriar o local com água corrente Queimadura de 1º grau 16. Queimadura
  • 76. Causa bolhas sobre uma pele vermelha, manchada ou de coloração variável, edema, exsudação e dor. Como socorrer:  esfriar o local com água corrente;  nunca romper as bolhas;  nunca utilizar produtos caseiros, como: pó de café, pasta de dente, etc. Queimadura de 2º grau 16. Queimadura
  • 77. Queimadura de 3º grau Neste tipo de queimadura, a pele fica esbranquiçada ou carbonizada, quase sempre com pouca ou nenhuma dor (aqui incluem-se todas as queimaduras elétricas). Como socorrer:  não usar água;  assistência médica é essencial;  levar imediatamente ao médico. 16. Queimadura
  • 80. 80 PRIMEIROS SOCORROS 17. Intoxicação Química A intoxicação química ocorre quando... uma substância entra em contato com um organismo e provoca uma série de efeitos adversos, afetando e rompendo o seu equilíbrio.
  • 81. 81 PRIMEIROS SOCORROS 17. Intoxicação Química Tipos de intoxicação que podem ocorrer; • Intoxicação por uso indevido de produtos químicos; • Intoxicação por medicamentos; • Intoxicação por abuso de drogas ilícitas e álcool; • Intoxicação por uso indevido de defensivos agrícolas.
  • 82. 82 PRIMEIROS SOCORROS 17. Intoxicação Química Em casa Na indústria Na lavoura Onde ocorrem
  • 83. 83 PRIMEIROS SOCORROS 17. Intoxicação Química Principais sintomas • Batimentos cardíacos acelerados ou lentificados; • Aumento ou queda da pressão arterial; • Aumento ou diminuição do diâmetro das pupilas; • Suor intenso; • Vermelhidão ou ferimentos na pele; • Alterações visuais, como borramento, turvação ou escurecimento; • Falta de ar; • Vômitos;
  • 84. 84 PRIMEIROS SOCORROS 17. Intoxicação Química Nos casos de intoxicação por ingestão: 1.Não provocar vômito; 2.Não oferecer água, leite ou qualquer outro líquido. 3.Encaminhar, com urgência, para serviço médico (pronto socorro ou hospital). ***se possível, leve a embalagem do produto junto ao local de atendimento da vítima.
  • 85. 85 PRIMEIROS SOCORROS 18. IMOBILIZAÇÃO Essa proteção é utilizada em casos de acidentes, lesões, doenças ou problemas específicos, como a artrose, e também no pós-operatório de algumas cirurgias. Diante de uma lesão toma-se a decisão de imobilizar a área afetada. Isso serve para aliviar a dor, evitar maiores comprometimentos ao tecido e tratar a fratura, quando for o caso.
  • 86. 86 PRIMEIROS SOCORROS • Observar se a vítima relata formigamento, paralisia ou perda de sensibilidade dos membros; • Observar se a vítima relata dor espontânea e a palpação do local; • Verificar se há traumatismo grave acima da clavícula; • Inconsciência pós-trauma. Como saber se precisa imobilizar? 18. IMOBILIZAÇÃO
  • 88. 88 PRIMEIROS SOCORROS O transporte ou a remoção da vítima é a atitude tomada após o resgate. O transporte se faz com o acompanhamento da vítima para local onde possa ser atendida com segurança e tranquilidade. O transporte traz consigo sempre o risco de agravamento da lesão. 19. Movimentação e Remoção de Vítima
  • 89. 89 PRIMEIROS SOCORROS • Imobilizar a área afetada na vítima antes do transporte. • acionar a buzina e dirigir em alta velocidade. • dirigir em baixa velocidade para não agravar o estado a vítima. • jamais deitá-la, pois poderá desfalecer. Para transportar, por meios próprios, uma vítima que está gritando de dor, a atitude correta é: 18. Movimentação e Remoção de Vítima
  • 91. 9 PRIMEIROS SOCORROS 20. Kit de Primeiros Socorros O kit de primeiros socorros é um item essencial nas organizações, pois possibilita os primeiros cuidados ao colaborador em caso de algum incidente que venha a causar danos ao seu bem-estar.
  • 92. 9 PRIMEIROS SOCORROS 20. Kit de Primeiros Socorros 1. Soro fisiológico 2. Colírio lubrificante 3. Solução antisséptica 4. Gazes/bandagens 5. Algodão 6. Tesoura 7. Pinça 8. Termômetro 9. Luvas descartáveis
  • 93. 9 PRIMEIROS SOCORROS 20. Kit de Primeiros Socorros Prancha + Imobilisador Cervical Desfibrilador Portátil
  • 94. 9 PRIMEIROS SOCORROS 21. Telefones Úteis 191 190 911 115 192 0800 193 195 155 198 187 147 VOCÊ SABE O NÚMERO DOS BOMBEIROS OU DO SAMU? 254 169 156
  • 96. 9 PRIMEIROS SOCORROS 21. Telefones Úteis 193 – BOMBEIROS Em casos de: • Incêndios em residências, empresas, estruturas e em vegetação. • Acidentes de trânsito com vítimas. • Afogamentos. • Acidentes domésticos (queimaduras, intoxicação, explosões e ferimentos em geral). • Quedas de plano elevado ou de mesmo nível que resultem em lesões. • Busca e Salvamento em ambientes hostis. • Lesões provenientes de agressão e ataques de animais. • Ferimentos por arma de fogo e objetos cortantes/perfurantes. • Emergências com produtos perigosos e combustíveis. • Desabamentos, soterramentos e deslizamentos. • Emergências resultantes de desastres naturais: vendavais, enchentes, temporais e chuvas de granizo. QUAL DEVO ACIONAR?
  • 97. 9 PRIMEIROS SOCORROS 21. Telefones Úteis QUAL DEVO ACIONAR? 192 – SAMU Em casos clínicos, tais como: • problemas cardíacos e respiratórios; • trabalhos de parto; • crises hipertensivas; • acidente vascular cerebral; • crises convulsivas; • transferência de doentes graves.
  • 98. Seu maior patrimônio é a vida, sua maior proteção é a prevenção. Medicina Ocupacional ICSE www.icseocupacional.com.br/
  • 99.