Neuroanatomia oficial pb

4.382 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.382
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
132
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Neuroanatomia oficial pb

  1. 1. ORGANIZACAO ANATOMICA E FUNCIONAL DO SISTEMA NERVOSO Bulbo ou Medula oblonga Cerebelo Encéfalo PonteSISTEMA NERVOSO MesencéfaloCENTRAL (SNC) Cérebro – Hemisférios Cerebrais Medula espinhal Sistema Nervoso Somático(SNS) voluntárioSISTEMA NERVOSO Sistema Nervoso Autônomo (SNA)PERIFÉRICO (SNP) Simpática Parassimpática Coordena Nervos cranianos, principalmente os espinhais, gânglios e órgãos internos- terminações nervosas involuntários 1
  2. 2. Organização do Sistema Nervoso SNC conectado SNP Nervos cranianos Nervos espinhais Receptores sensitivos, músculos e glândulasOriginam-se do encéfalo Medula espinhal 2
  3. 3. Planos referenciais do corpo Plano coronal ou frontal Plano sagital Linha média Plano transversal 3
  4. 4. Revisão: anatomia topográfica O Sistema Nervoso é dividido anatomicamente em: SISTEMA NERVOSO CENTRAL Encéfalo Medula SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO Nervos espinhais e cranianos Gânglios Sensitivos Sistema nervoso autônomo Receptores Sensoriais Plexo Entérico O tecido nervoso é formado basicamente de dois tipos de células: - Neurônios - Gliócitos 4
  5. 5. Os mamíferos tenderam ao aumento progressivo do encéfalo, variando e preservando estruturas homologas filogeneticamente antigas.A MEDULA situa-se dentro do canal vertebral. Assim como o encéfalo, estáenvolta por membranas. Os nervos espinhais emergem aos pares de cada foramevertebral. 5
  6. 6. O ENCÉFALO situa-sedentro do crânio MEDULA Nervos espinhais 6
  7. 7. A MEDULA é dividida em 4 regiões topográficas. O seucomprimento total é menor do que canal vertebral, mas os nervosespinhais guardam correlação topográfica com os respectivasvértebras. MEDULA SUBSTÂNCIA CINZENTA 7
  8. 8. Fibras descendentes Fibras ascendentes (motoras) (sensitivas) MEDULASUBSTANCIA BRANCAA substancia branca é a região detráfego de fibras nervosas mielinizadas1) do encéfalo para a medula (Vias descendentes)2) da medula para o encéfalo (Vias ascendentes)3) fibras próprias da medula (Tratos proprioespinhais) COMPONENTES FUNCIONAIS DE UM NERVO ESPINHAL Fibras sensitivas somáticas gerais Fibras motoras somáticas Pele, músculos, tendões e articulação Músculos estriados esqueléticos Fibras sensitivas viscerais Fibras motoras viscerais Músculos lisos, cardíaco e glândulas 8
  9. 9. MORFOLOGIA DOS NERVOS As fibras nervosas variam no calibre e possuem bainha de mielina ou nãoNervos: cordões esbranquiçadosconstituídos de fibras nervosasreforçados por tecido conjuntivo. 9
  10. 10. NERVOS ESPINAISNervos espinhais: União de uma raízventral (motora) e dorsal (sensorial).O tronco do nervo espinhal éfuncionalmente misto e deixa o canalvertebral pelo forame intervertebral.Ramo dorsal : inerva a pele e músculos daregião dorsal do tronco, da nuca e regiãooccipital da cabeça.Ramo ventral: inerva a pele, musculatura,ossos e vasos dos membros e regiãoantero-lateral do pescoço e tronco. Quando atingem o sitio de inervação, as fibras nervosas se ramificam em terminações nervosas. Fibras motoras: terminações motoras que formam as junções neuro-musculares. Fibras sensoriais: terminações sensitivas que possuem a capacidade de converter diferentes formas de energia física ou química em impulso nervoso. 10
  11. 11. Os nervos afastam-se do SNC, ramificam-se e atingem os respectivos campos deinervação sensorial ou motora. NERVOS ESPINHAIS1) Unissegmentar: derivados de umsegmento medular2) Plurissegmentar: derivados de váriossegmentos medulares Os nervos espinhais torácicos são todos unissegmentares 11
  12. 12. Vários nervos espinhais são plurissegmentares, i.e. derivados de plexos PLEXOS: formação anatômica onde as fibras dos ramos ventrais se entrelaçam sem perder a funcionalidade individual das suas fibras Há 4 plexos nervosos CERVICAL BRAQUIAL LOMBAR SACRALDermátomo: território cutâneo de inervação sensorial da pele por uma única raiz dorsal O dermátomo é identificado pelo nome da raiz que o inerva. 12
  13. 13. Campo radicular motor: território de inervação muscular de uma única raiz ventral. A inervação de um músculo pode ser unirradicular (intercostais) ou pluriradicular (a maioria). ENCÉFALO CérebroTronco encefálicoNervos cranianos 13
  14. 14. O ENCÉFALOSNC ENCEFALO MEDULA Cerebelo Telencéfalo Diencéfalo Mesencéfalo Ponte Bulbo Medula TRONCO CÉREBRO ENCEFÁLICO 2 pares de nervos 10 pares de nervos 14
  15. 15. ENCEFÁLO MEDULA Ventrículos cerebrais As cavidades ventriculares conservam aTelencéfalo Diencéfalo Tronco encefálico mesma relação em todos os vertebrados. TRONCO ENCEFÁLICO Haste em que o cérebro e o cerebelo se apóiam Núcleos motores e sensoriais dos nervos cranianos Formação reticular: complexa rede de neurônios que em parte servem de estações de retransmissão do cérebro para o cerebelo e medula e vice-versa. Sítio de controle de funções vitais (respiração, estado de consciência e ciclo sono-vigilia, controle cárdio-vascular, etc). 15
  16. 16. TRONCO ENCEFÁLICO BULBO – contém núcleos relacionados a nervos cranianos: vestíbulo-coclear (VIII), Glossofaríngeo (IX), Vago (X), parte craniana do acessório (XI) e Hipoglosso (XII). PONTE – contém núcleos relacionados aos nervos cranianos: trigêmeo (V), Abducente (VI) e facial (VII). MESENCÉFALO - nervos oculomotor (III) e troclear (IV). Passa pro ele o aqueducto cerebral ou de Sylvius – um canal que representa a única via pela qual o líquido cefalorraquidiano pode sair dos ventrículos prosencefálicos para atingir o quarto ventrículo. SISTEMA NERVOSO CENTRALMESENCÉFALO• Importante para o movimento ocular e o controle posturalsubconsciente e contem a FORMAÇÃO RETICULAR que regula aconsciência.• Dispõe de um sistema de conexão dos sistemas auditivos e visual http://www.afh.bio.br/nervoso/nervoso3.asp#divisao 16
  17. 17. SISTEMA NERVOSO CENTRAL PONTE • Contém grande quantidade de neurônios que retransmite informações dos hemisférios cerebrais para o cerebelo garantindo a coordenação dos movimentos pretendidos e reais. • Participa da regulação da respiração http://www.afh.bio.br/nervoso/nervoso3.asp#divisao SISTEMA NERVOSO CENTRALBULBO ou MEDULA OBLONGA• Contém vários núcleos motores de nervos cranianos e centros autônomosque controlam o coração, a respiração, pressão sanguínea, reflexo da tosse,da deglutição e do vômito. http://www.afh.bio.br/nervoso/nervoso3.asp#divisao 17
  18. 18. Cerebelo: dele não emerge nenhum nervo; recebe várias aferências sensoriais e cerebrais mas está, exclusivamente, a serviço da motricidade ORGANIZAÇÃO FUNCIONALTRONCO ENCEFÁLICO DOS NERVOS CRANIANOS Emergência de 10 dos 12 pares cranianos A substancia e branca e cinzenta do tronco encefálico difere da medula. N. motores somáticos N. motores viscerais N. motores viscerais especiais N. sensoriais somáticos gerais N. sensoriais somáticos especiais N. Sensoriais viscerais N. Sensoriais viscerais especiais Vias de passagem de fibras nervosas Formação reticular (áreas associativas) 18
  19. 19. NERVOS CRANIANOS• São os que fazem conexão com o encéfalo(cérebro, cerebelo e tronco encefálico)• Estes nervos sensoriais ou motores servem àpele, músculos da cabeça e órgãos especiais dossentidos• São 12 pares. Nervos crânianos Conjunto de doze pares de nervos que originam-se no originam- encéfalo e realizam a maioria de suas funções na cabeça. São formados por fibras aferentes e eferentes o que lhes confere suas classificação. 19
  20. 20. Classificação Aferentes Eferentes Elementos Somáticos Elementos Viscerais Mistos Aferentes Eferentes Elementos Somáticos Elementos Viscerais NERVOS CRANIANOS COMPONENTES SENSORIAIS1 - FIBRAS AFERENTES SOMATICAS GERAIS - Fibras p/ dor, pres, frio ESPECIAIS - p/ visão e audição2 - FIBRAS AFERENTES VISCERAIS GERAIS - p/ sensibilidade visceral ESPECIAIS - p/ gustação e olfação COMPONENTES MOTORES1 - FIBRAS EFERENTES SOMATICAS - p/ fibras musculares em geral2 - FIBRAS EFERENTES VISCERAIS GERAIS - p/ o SNA (músculo liso e glândulas) ESPECIAIS - p/ musc.da laringe e faringe 40 20
  21. 21. NERVOS CRANIANOSNervo craniano FunçãoI-OLFATÓRIO sensitiva Percepção do olfato.II-ÓPTICO sensitiva Percepção visual.III-OCULOMOTOR motora Controle da movimentação do globo ocular, da pupila e do cristalino.IV-TROCLEAR motora Controle da movimentação do globo ocular. Controle dos movimentos da mastigação (ramo motor);V-TRIGÊMEO mista Percepções sensoriais da face, seios da face e dentes (ramo sensorial).VI-ABDUCENTE motora Controle da movimentação do globo ocular. Controle dos músculos faciais – mímica facial (ramo motor);VII-FACIAL mista Percepção gustativa no terço anterior da língua (ramo sensorial).VIII-VESTÍBULO- Percepção postural originária do labirinto (ramo vestibular); sensitivaCOCLEAR Percepção auditiva (ramo coclear). Percepção gustativa no terço posterior da língua, percepções sensoriaisIX-GLOSSOFARÍNGEO mista da faringe, laringe e palato. Percepções sensoriais da orelha, faringe, laringe, tórax e vísceras.X-VAGO mista Inervação das vísceras torácicas e abdominais. Controle motor da faringe, laringe, palato, dos músculosXI-ACESSÓRIO motora esternoclidomastóideo e trapézio.XII-HIPOGLOSSO motora 41 Controle dos músculos da faringe, da laringe e da língua. NERVOS CRANIANOS A maioria faz conexão com o tronco encefálico (Exceções: Olfatório com telencéfalo e o Óptico com o diencéfalo) Imagem: ATLAS INTERATIVO DE ANATOMIA HUMANA. Artmed 42 Editora. 21
  22. 22. 22
  23. 23. NERVOS CRANIANOSNervo Craniano Emergência Principal funçãoI. Olfatório Telencéfalo Sentido especial (Olfação)II. Óptico Diencéfalo Sentido especial (Visão)III. Óculo-motor Mesencéfalo Motricidade somáticaIV. Troclear Mesencéfalo Motricidade somáticaV. Trigêmeo Ponte Sensibilidade e motricidade somáticasVI. Abducente Bulbo/ponte Motricidade somáticaVII. Facial Bulbo/ponte Motricidade somática e sentido especial (Gustação)VIII. Acústico- Bulbo Sentido especialvestibular (Audição/Equilíbrio)IX. Bulbo Sensibilidade e motricidadeGlossofaríngeo somáticasX. Vago Bulbo Sensibilidade visceral e motricidade visceralXI. Acessório Bulbo e medula Motricidade somáticaXII. Hipoglosso Bulbo Motricidade somática 23
  24. 24. NUCLEOS DO TRONCO ENCEFÁLICO Imagem: AMABIS, José Mariano; MARTHO, Gilberto Rodrigues. Conceitos de Biologia. São 48 Paulo, Ed. Moderna, 2001. vol. 2. 24
  25. 25. 25
  26. 26. Do tronco originam-se dos seusrespectivos núcleos, os tratos quedescem em direção à medula espinhalonde influenciam os núcleos deneurônios motores e os circuitosmedulares locais.-T. rubro espinhal-T. teto-espinhal-T. reticulo espinhal-T. vestíbulo espinhal + - - + Neurônios motores medulares 26
  27. 27. 27
  28. 28. 28
  29. 29. FORMAÇAO RETICULARÁrea onde ocorre uma difusa rede de neurônios de projeção ascendentee descendente e circuitos locais de integração. 29
  30. 30. Sono Sono e sonho são mistérios Temos apenas controle limitado sobre o sono. Gastamos 1/3 de nossas vidas dormindo ¼ desse tempo sonhando.Sono Def: Def: O sono é um estado facilmente reversível com ausência de respostas que possibilitam interagir com o meio. Todos os mamíferos, aves e répteis parecem dormir. Mamíferos e algumas aves tem sono REM 18 horas morcegos. 3 horas cavalo e girafa. 30
  31. 31. FormaçãoReticular Sono paradoxal. Grande relaxamento muscular. Movimentos oculares rápidos.Sono 31
  32. 32. Formação reticular Eletro - encefalograma Usado para ajudar no diagnostico de certas condições neurológicas especialmete na compreensão da epilepsia e para a pesquisa especialmente do sono. sono. Indivíduo em alerta: Ondas de alta freqüência e baixa amplitude Indivíduo dormindo: Ondas de baixa freqüência e alta amplitudeFormação reticular 32
  33. 33. CÉREBRO Diencéfalo TelencéfaloPrincipal região do encéfalo. Telencéfalo Dois hemisférios separados incompletamente pela fissura longitudinal, cujo assoalho é formado pelo corpo caloso. Sulcos Giros e circunvoluções Corpo caloso 33
  34. 34. CÓRTEX CEREBRAL LOBO FRONTAL: processamentos complexos (cognição, planejamento e iniciação dos movimentos voluntários) LOBO PARIETAL: área de projeção e processamento somestésico LOBO TEMPORAL: área de projeção e processamento auditivo. LOBO OCCIPITAL: área de projeção e processamento visual INSULA: fica oculto sob os lobos frontais e temporalCada hemisfério é dividido em 5 lobos Ressonancia magnetica funcional enquanto se pensa sobre etica e moral 34
  35. 35. No interior do cérebro há uma grande massa branca e,em sua base, uma massa cinzenta basal.-Telencéfalo: Núcleos da Base-Diencéfalo:Tálamo e Hipotálamo A Arquitetura do Sistema O sistema límbico Nervoso 35
  36. 36. Sistema Límbico O que é? O Sistema Límbico é o “Cérebro das Emoções” Emoções” e o centro de impulsos agressivos e motivações. Quais as suas funções? Controlar as emoções Processar as dores Armazenar os conteúdos mnésicos Giro do Cingulo Tálamo anterior TálamoArea olfatória Fornix Corpo Mamilar do HipotálamoHypothalamus Hippocampus Uncus Amigdala Giro para-hipocampal 36
  37. 37. Amigdala Lobo Temporal Hipocampo Estímulos Processamento Sistema Nervoso Central Sistema Nervoso Sistema Motor Sistema Sistema Autônomo Somático Endócrino Imune inervação inervação Corrente dupla única sanguíneaParassimpática Simpática Órgãos Viscerais Músculo Órgãos Alvo Músculo liso Esquelético Córtex da Supra-renal Músculo Cardíaco Gônadas Glândulas Controle involuntário Controle voluntário Controle involuntário Controle involuntário 37
  38. 38. SISTEMA LÍMBICOLímbico - Significa borda ou margem.Termo utilizado pela primeira vez porBroca (1978), para descrever um lobo na 1978),face medial do hemisfério cerebral,margeando o corpo caloso e o troncoencefálico rostral. rostral.Sistema límbico – é o conjunto deestruturas do SNC envolvidas naregulação das emoções. emoções.Lobo límbico – compreende o girocingulado e sua extensão anterior, eregião septal. Ligados a formação septal.hipocâmpica (giro para-hipocâmpico), para-amígdala e hipotálamo. hipotálamo. SISTEMA LÍMBICOHipocampo – desempenha papelcrucial na memória e noaprendizado.aprendizado.Amígdala – papel vital paraaprender a associar fatos nomundo com respostasemocionais e para processarinformações emocionais. emocionais. 38
  39. 39. SUBSTANCIAS CINZENTA Córtex cerebral Núcleos da base SUBSTANCIA BRANCACórtex Cerebral massa medular interna Substância branca NUCLEOS DA BASE Intimamente associado ao córtex motor e o tálamo Controle da motricidade somática voluntária DIENCEFÁLO TÁLAMO Núcleos funcionalmente distintos Principal relê de retransmissão cerebral - Sensorial - Motora - Sistema Limbico HIPOTÁLAMO Muitos núcleos funcionalmente distintos Coordenação das funções autonômicas e neuroendócrinas Expressões das emoções EPITÁLAMO Integra funções olfativas 39
  40. 40. Telencéfalo Corpo caloso Diencefálo Mesencéfalo Ponte Cerebelo Bulbo Medula 40
  41. 41. MAMIFEROS: tendência ao aumento doHomologia de estruturas telencéfalo, principalmente do córtex anatômicas cerebral. 41

×