SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
Baixar para ler offline
Instrumento musical
HISTÓRIA
Instrumento musical
 Um instrumento musical é um objecto, ou objeto, construído com o propósito de produzir
música. Os vários tipos de instrumentos podem ser classificados de diversas formas, sendo
uma das mais comuns, a divisão de acordo com a forma pela qual o som é produzido. O
estudo dos instrumentos musicais designa-se por organologia.
 A data e a origem do primeiro aparelho considerado como instrumento musical é objecto de
debates. Arqueologistas tendem a debater o assunto referindo a validade de várias
evidências como artefactos e trabalhos culturais.
 Instrumentista é aquele músico que toca algum instrumento. Observação: Pode soar
estranho mas, na verdade, nem todo músico é um instrumentista (também chamado de
concertista, na música erudita). Alguns músicos seguem uma carreira sem tocar instrumento
algum, como a de: Bibliotecário; Terapia Musical; Engenheiro de Som; Produtor Musical;
Historiador; Educação Musical; Direito Musical; Jornalismo em Música; Empresário Musical;
Disc ou Video Jockey; Diretor de Programação; Designer de Software ou Hardware de
Música; Musicologia; Musicografia; até mesmo o Compositor pode saber tudo sobre os
instrumentos, mas não tocar nada; Estes não são intérpretes, mas os maiores estudiosos
acadêmicos do campo de Música, noutras especializações.
Características dos instrumentos
musicais
 Em princípio, qualquer objeto pode ser usado para produzir sons e
utilizado na música, mas costuma-se utilizar este termo para designar
objetos feitos especificamente com este objetivo. Isso se deve ao fato de
que, em um instrumento musical, é possível controlar com mais precisão
as características do som produzido. Em geral considera-se um som como
musical quando podemos controlar uma ou mais de suas características:
timbre, altura (grave, médio e agudo), duração (do som e/ou do silêncio) e
intensidade.
Componentes
 É impossível generalizar a construção e o funcionamento dos instrumentos
musicais porque existe uma variedade muito grande, mas de maneira
geral, qualquer instrumento possui ao menos uma das partes descritas a
seguir:
Elemento produtor de som
 Também chamado de corpo sonoro ou corpo produtor de som . É a parte
do instrumento musical que efetivamente entra em vibração em resposta a
um estímulo do executante, produzindo uma onda sonora. Por exemplo,
as cordas, palhetas, membranas, tubos ou o próprio corpo do instrumento.
Em alguns instrumentos de sopro, ou aerófonos, é o próprio ar que entra
em vibração ao passar por uma aresta, como em uma flauta.
Corpo
 Parte do instrumento destinada a dar suporte mecânico às outras partes
do instrumento. Por exemplo, o cabo de um sino de mão. Em muitos
casos, o corpo também tem função na produção ou controle do som,
como o corpo de um violino que também serve para tensionar as cordas,
permitir que o instrumentista controle a altura das notas e também como
caixa de ressonância.
Caixa de ressonância
 Câmara cheia de ar, com formatos variados que serve principalmente para
reforçar a intensidade sonora. O formato da câmara de ressonância
permite reforçar apenas determinadas freqüências, atenuando outras. Isso
possibilita um controle mais preciso do timbre do instrumento. Na maioria
dos casos a caixa de ressonância faz parte do corpo do instrumento, como
em um piano, um violão ou um tambor. Em outros casos está incorporado
ao próprio elemento produtor de som, como em um agogô.
Elementos de estímulo e controle
 Envolve uma grande variedade de objetos ou mecanismos destinados a
produzir os estímulos ao elemento produtor de som fazendo com que ele
entre em vibração ou controlar a forma como os sons são produzidos,
afinados ou modificados. Entre outros, temos arcos, trastes, plectros,
baquetas, martelos, bocais, foles, teclados, palhetas, válvulas, chaves ou
pedais.
Acessórios
 Alguns instrumentos permitem o uso de acessórios para provocar
alterações na forma de execução ou em alguma das características do som
produzido. Entre os acessórios podemos citar:
 abafadores para diminuir a intensidade sonora, normalmente usados para
estudo.
 surdinas para abafar e modificar o som produzido.
 caixas de ressonância alternativas ou meios eletrônicos de amplificação.
 suportes ou alças para facilitar a execução em posições não convencionais.
Tessitura e registro
 A tessitura de uma voz ou instrumento musical é a extensão de notas em que um instrumento
pode tocar. Por padronização identifica-se a tessitura através do nome e da oitava da nota mais
grave e da mais aguda que um instrumento pode executar. Por exemplo, a extensão útil de um
saxofone alto vai de Reb2 (Ré bemol da segunda oitava) até La4 (Lá da quarta oitava). A
tessitura do piano vai do La0 até o Do81 .
 Chamam-se registros as três regiões em que a tessitura de um instrumento ou voz pode ser
dividida. Divide-se em registro grave, médio e agudo. Cada registro tem características
próprias. Em alguns casos o timbre é muito diferente de região para região. Em alguns
instrumentos nem é possível executar todas as notas de uma escala em determinadas regiões.
Além disso, certos efeitos sonoros que alguns instrumentos permitem só podem ser
executados em um dos registros instrumentais.
 O conhecimento da tessitura e do registro instrumental são fundamentais para a perfeita
execução do instrumento e para a composição musical. De outra forma, um compositor
poderia escrever uma melodia para um determinado instrumento com notas que ele não fosse
capaz de executar.
 O conceito de tessitura só faz sentido para instrumentos que permitem variação de altura, mas
o registro pode indicar a região de alturas predominante mesmo em instrumentos de altura
indefinida.
Altura determinada
 Quando as notas do instrumento podem ser afinadas de acordo com
escalas definidas, estes instrumentos são conhecidos como instrumentos
de altura definida. Quase todos os instrumentos de cordas e sopros têm
altura definida. Alguns instrumentos de percussão, como o xilofone, a
celesta e os tímpanos também possuem altura definida.
 Para que a altura seja definida, não é necessário que o instrumento possa
variar a freqüência das notas durante a execução, mas somente que as
notas possam ser afinadas com precisão em relação a outros instrumentos.
Há, por exemplo alguns ton-tons que possuem altura definida, mesmo que
as suas notas não possam ser alteradas durante a execução.
Altura indeterminada
 Quando as notas produzidas pelo instrumento não podem ser precisamente
afinadas, diz-se que eles possuem altura indefinida, não definida ou
indeterminada. Em geral trata-se de instrumentos não harmônicos, ou seja,
possuem uma grande quantidade de parciais não harmônicos em seu timbre,
o que torna a afinação difícil ou impossível. A maioria dos instrumentos de
altura não definida são instrumentos de percussão, como tambores, pratos,
gongos e sinos. Existem alguns instrumentos de cordas e sopros com altura
indefinida, como o berimbau e o kazoo.
 Por não possuírem altura determinada, estes instrumentos podem ser
utilizados em músicas de qualquer tonalidade sem que haja problemas de
afinação. Em geral é possível definir o registro dos instrumentos embora não
sua altura. Um bumbo, por exemplo, possui registro mais grave que uma caixa,
e um tamborim, por sua vez, é mais agudo do que ambos.
Alguns Instrumentos de cordas
 Alaúde
 Baixo
 Baixo elétrico
 Balalaica
 Bandolim
 Banjo
 Berimbau
 Cavaquinho
 Charango
 Cembalo
 Cistre
 Cítara
 Clavicórdio
 Contrabaixo
 Cravo
 Craviola
 Dulcimer
 Espineta
 Guitarra
 Guitarra acústica
 Guitarra semiacústica
 Guitarra eléctrica
 Guitarra inglesa
 Guitarra portuguesa
 Guitolão
 Harpa
 Kantele - (Derivado da
Cítara)
 Kora
 Koto
 Lira
Instrumentos de percussão
 Agogô
 Afoxé
 Bateria (pratos)
 Bloco sonoro
 Caneca
 Carrilhão
 Castanhola
 Caxixi
 Chimbal
 Chocalho
 Ganzá
 Marimba
 Pandeireta (soalhas)
 Pandeiro (soalhas)
 Pandeirola
 Pratos
 Reco-reco
 Sino
 Sinos tubulares
 Tantã
 Triângulo(ferrinhos)
 Xilofone
 Xequerê
 Piano
 Rebab
 Saltério
 Sanfona
 Sangen
 Sitar
 Ukulele
 Viola
 Viola caipira
 Viola da gamba
 Viola-de-cocho
 Violino
 Violoncelo
 Rabeca
 Piano de madeira
Nos membranofones percutidos o som é produzido por uma
membrana esticada, tal como uma pele, tecido ou membrana de
material sintético. Exemplos:
 Atabaque
 Batá
 Bateria (tambores)
 Bumbo (um tipo de tambor)
 Caixa
 Cuíca
 Djembê
 Pandeireta (pele)
 Pandeiro (pele)
 Repinique
 Surdo
 Tambor
 Tamborim
 Tarol (um tipo de tambor)
 Tom-tom
 Zabumba
Instrumentos de sopro
 Berrante
 Bombardino(ou
Eufônio)
 Clarineta (ou clarinete)
 Clarone
 Corne-inglês
 Didjeridoo
 Dulciana
 Escaleta (ou piânica)
 Fagote
 Flauta transversal
(Flauta)
 Flauta doce
 Flauta baixa
 Flautim
 Flugelhorn
 Gaita
 Gaita-de-fole
 Órgão
 Oboé
 Ocarina
 Pífaro
 Pife brasileiro
 Saxofone (soprano, alto,
baixo, tenor)
 Trompa
 Trompete (de pisto, de
chave)
 Trombone (Trombone
de vara, alto, baixo)
 Tuba (ou Bombardon)
Instrumentos de teclas
 Acordeão
 Bandoneon
 Celesta
 Clavicórdio
 Concertina
 Cravo
 Ondas Martenot
 Órgão
 Piano
 Teclado
Instrumentos musicais eléctricos
 Órgão eletrônico
 Piano digital
 Sampler
 Sintetizador
 Teremim
 Teclado
 Stylophone

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Relatório experimental modelo
Relatório experimental modeloRelatório experimental modelo
Relatório experimental modeloAngela Boucinha
 
Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio
Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio
Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio InesTeixeiraDuarte
 
Classes e subclasses das palavras - 5º , 6º e 7º ano
Classes e subclasses das palavras - 5º , 6º e 7º anoClasses e subclasses das palavras - 5º , 6º e 7º ano
Classes e subclasses das palavras - 5º , 6º e 7º anocarol slides
 
Subclasses dos nomes
Subclasses dos nomesSubclasses dos nomes
Subclasses dos nomesmaalcraz
 
Historia da musica
Historia da musica Historia da musica
Historia da musica Shinnayder
 
Sílabas Métricas
Sílabas MétricasSílabas Métricas
Sílabas Métricas713773
 
Funções sintáticas internas ao grupo adjetival
Funções sintáticas internas ao grupo adjetivalFunções sintáticas internas ao grupo adjetival
Funções sintáticas internas ao grupo adjetivalMarta Espada
 
Gramática 11º ano
Gramática 11º anoGramática 11º ano
Gramática 11º anoLuis Antonio
 
Critérios de avaliação expressão oral
Critérios de avaliação   expressão oralCritérios de avaliação   expressão oral
Critérios de avaliação expressão oralPaulo Moura
 
Classificação de instrumentos musicais
Classificação de instrumentos musicaisClassificação de instrumentos musicais
Classificação de instrumentos musicaisLucaas Emanueel
 
Tempos verbais simples e compostos
Tempos verbais simples e compostosTempos verbais simples e compostos
Tempos verbais simples e compostosLurdes Augusto
 
Poesia Trovadoresca: cantigas de amigo
Poesia Trovadoresca: cantigas de amigoPoesia Trovadoresca: cantigas de amigo
Poesia Trovadoresca: cantigas de amigodomplex123
 

Mais procurados (20)

Relatório experimental modelo
Relatório experimental modeloRelatório experimental modelo
Relatório experimental modelo
 
Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio
Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio
Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio
 
Classes e subclasses das palavras - 5º , 6º e 7º ano
Classes e subclasses das palavras - 5º , 6º e 7º anoClasses e subclasses das palavras - 5º , 6º e 7º ano
Classes e subclasses das palavras - 5º , 6º e 7º ano
 
Ai flores, ai flores
Ai flores, ai floresAi flores, ai flores
Ai flores, ai flores
 
Subclasses dos nomes
Subclasses dos nomesSubclasses dos nomes
Subclasses dos nomes
 
Historia da musica
Historia da musica Historia da musica
Historia da musica
 
Funções sintáticas
Funções sintáticasFunções sintáticas
Funções sintáticas
 
Sílabas Métricas
Sílabas MétricasSílabas Métricas
Sílabas Métricas
 
Textos de opinião
Textos de opiniãoTextos de opinião
Textos de opinião
 
Funções sintáticas internas ao grupo adjetival
Funções sintáticas internas ao grupo adjetivalFunções sintáticas internas ao grupo adjetival
Funções sintáticas internas ao grupo adjetival
 
Musica
MusicaMusica
Musica
 
Gramática 11º ano
Gramática 11º anoGramática 11º ano
Gramática 11º ano
 
Complemento oblíquo
Complemento oblíquoComplemento oblíquo
Complemento oblíquo
 
Critérios de avaliação expressão oral
Critérios de avaliação   expressão oralCritérios de avaliação   expressão oral
Critérios de avaliação expressão oral
 
Classificação de instrumentos musicais
Classificação de instrumentos musicaisClassificação de instrumentos musicais
Classificação de instrumentos musicais
 
Determinantes
DeterminantesDeterminantes
Determinantes
 
Tempos verbais simples e compostos
Tempos verbais simples e compostosTempos verbais simples e compostos
Tempos verbais simples e compostos
 
Subclasses de verbos
Subclasses de verbosSubclasses de verbos
Subclasses de verbos
 
Noesdeversificao2
Noesdeversificao2Noesdeversificao2
Noesdeversificao2
 
Poesia Trovadoresca: cantigas de amigo
Poesia Trovadoresca: cantigas de amigoPoesia Trovadoresca: cantigas de amigo
Poesia Trovadoresca: cantigas de amigo
 

Destaque

Instrumentos tradicionais portugueses
Instrumentos tradicionais portuguesesInstrumentos tradicionais portugueses
Instrumentos tradicionais portugueseshome
 
Instrumentos Tradicionais Portugueses
Instrumentos Tradicionais PortuguesesInstrumentos Tradicionais Portugueses
Instrumentos Tradicionais Portuguesesmigmigg
 
Música Árabe e Indiana
Música Árabe e Indiana Música Árabe e Indiana
Música Árabe e Indiana luisaeteresa
 
Power point instrumentos tradicionais portugueses nuno brito
Power point instrumentos tradicionais portugueses nuno britoPower point instrumentos tradicionais portugueses nuno brito
Power point instrumentos tradicionais portugueses nuno britonunodebrito
 
Slides instrumentos de orquestra
Slides instrumentos de orquestraSlides instrumentos de orquestra
Slides instrumentos de orquestraLala1307
 
Trabalho Power Point
Trabalho Power PointTrabalho Power Point
Trabalho Power PointLouletano
 
tic-piano
tic-pianotic-piano
tic-pianotaz12
 
Instr.musicais
Instr.musicaisInstr.musicais
Instr.musicaisatlantico
 
Revisão dos-instrumentos-da-sala-de-aula
Revisão dos-instrumentos-da-sala-de-aulaRevisão dos-instrumentos-da-sala-de-aula
Revisão dos-instrumentos-da-sala-de-aulaAugusto Pereira
 
Aerofones em Portugal e Aerofones no mundo
Aerofones em Portugal e Aerofones no mundoAerofones em Portugal e Aerofones no mundo
Aerofones em Portugal e Aerofones no mundoAna Lúcia Francisco
 
Eco Escolas ji Carqueijo - 2015-2016
Eco Escolas ji Carqueijo -  2015-2016Eco Escolas ji Carqueijo -  2015-2016
Eco Escolas ji Carqueijo - 2015-2016Regina Coutinho
 

Destaque (20)

Instrumentos musicais
Instrumentos musicaisInstrumentos musicais
Instrumentos musicais
 
Instrumentos musicais
Instrumentos musicaisInstrumentos musicais
Instrumentos musicais
 
Instrumentos tradicionais portugueses
Instrumentos tradicionais portuguesesInstrumentos tradicionais portugueses
Instrumentos tradicionais portugueses
 
Instrumentos Tradicionais Portugueses
Instrumentos Tradicionais PortuguesesInstrumentos Tradicionais Portugueses
Instrumentos Tradicionais Portugueses
 
Música Árabe e Indiana
Música Árabe e Indiana Música Árabe e Indiana
Música Árabe e Indiana
 
Power point instrumentos tradicionais portugueses nuno brito
Power point instrumentos tradicionais portugueses nuno britoPower point instrumentos tradicionais portugueses nuno brito
Power point instrumentos tradicionais portugueses nuno brito
 
Slides instrumentos de orquestra
Slides instrumentos de orquestraSlides instrumentos de orquestra
Slides instrumentos de orquestra
 
Música
MúsicaMúsica
Música
 
Trabalho Power Point
Trabalho Power PointTrabalho Power Point
Trabalho Power Point
 
tic-piano
tic-pianotic-piano
tic-piano
 
Instr.musicais
Instr.musicaisInstr.musicais
Instr.musicais
 
Powerpoint bibliomusica
Powerpoint bibliomusicaPowerpoint bibliomusica
Powerpoint bibliomusica
 
Trabanho
Trabanho Trabanho
Trabanho
 
Guitarra Portuguesa
Guitarra PortuguesaGuitarra Portuguesa
Guitarra Portuguesa
 
Revisão dos-instrumentos-da-sala-de-aula
Revisão dos-instrumentos-da-sala-de-aulaRevisão dos-instrumentos-da-sala-de-aula
Revisão dos-instrumentos-da-sala-de-aula
 
Aerofones em Portugal e Aerofones no mundo
Aerofones em Portugal e Aerofones no mundoAerofones em Portugal e Aerofones no mundo
Aerofones em Portugal e Aerofones no mundo
 
Cordofones no mundo
Cordofones no mundoCordofones no mundo
Cordofones no mundo
 
Fado
FadoFado
Fado
 
Eco Escolas ji Carqueijo - 2015-2016
Eco Escolas ji Carqueijo -  2015-2016Eco Escolas ji Carqueijo -  2015-2016
Eco Escolas ji Carqueijo - 2015-2016
 
Musica árabe
Musica árabeMusica árabe
Musica árabe
 

Semelhante a Instrumento Musical

Introdução a composição para games
Introdução a composição para gamesIntrodução a composição para games
Introdução a composição para gamesGiulyo Barbosa
 
9ano 00 apostila completa
9ano 00 apostila completa9ano 00 apostila completa
9ano 00 apostila completaMunique Silva
 
INICIAÇÃO MUSICAL - Teclado.pptx
INICIAÇÃO  MUSICAL - Teclado.pptxINICIAÇÃO  MUSICAL - Teclado.pptx
INICIAÇÃO MUSICAL - Teclado.pptxRenato Monteiro
 
Apostila de educação musical 8º ano ensino fundamental
Apostila de educação musical   8º ano ensino fundamentalApostila de educação musical   8º ano ensino fundamental
Apostila de educação musical 8º ano ensino fundamentalPartitura de Banda
 
Aula de violão
Aula de violão Aula de violão
Aula de violão Lah Mikrute
 
Instrumentos De Orquestra 5º Ano / Educação Musical
Instrumentos De Orquestra 5º Ano / Educação MusicalInstrumentos De Orquestra 5º Ano / Educação Musical
Instrumentos De Orquestra 5º Ano / Educação MusicalFrancisco Nogueira
 
03 aula - 21082012
03   aula - 2108201203   aula - 21082012
03 aula - 21082012atsileg
 
Elementos básicos da música serie cadernos de musica da universidade de cambr...
Elementos básicos da música serie cadernos de musica da universidade de cambr...Elementos básicos da música serie cadernos de musica da universidade de cambr...
Elementos básicos da música serie cadernos de musica da universidade de cambr...Saulo Gomes
 
Instrumentos de tubo
Instrumentos de tuboInstrumentos de tubo
Instrumentos de tuboNeilson Souza
 
9ano 00 QQ completa
9ano 00 QQ completa9ano 00 QQ completa
9ano 00 QQ completaMAILSON2010
 
Apostila musica ef 09
Apostila musica ef 09Apostila musica ef 09
Apostila musica ef 09Elvis Live
 
História da música
História da músicaHistória da música
História da músicaJohn Joseph
 
Apostila Iniciação Musical.pdf
Apostila Iniciação Musical.pdfApostila Iniciação Musical.pdf
Apostila Iniciação Musical.pdfRenato Monteiro
 
Apostila-de-Ensino-Violão-Mod.-I-compressed.pdf
Apostila-de-Ensino-Violão-Mod.-I-compressed.pdfApostila-de-Ensino-Violão-Mod.-I-compressed.pdf
Apostila-de-Ensino-Violão-Mod.-I-compressed.pdfMcp2016
 
Família de instrumentos musicais
Família de instrumentos musicaisFamília de instrumentos musicais
Família de instrumentos musicaisElisabete Trentin
 

Semelhante a Instrumento Musical (20)

Instrumentos musicas
Instrumentos musicasInstrumentos musicas
Instrumentos musicas
 
Introdução a composição para games
Introdução a composição para gamesIntrodução a composição para games
Introdução a composição para games
 
Teoria Cintra
Teoria CintraTeoria Cintra
Teoria Cintra
 
9ano 00 apostila completa
9ano 00 apostila completa9ano 00 apostila completa
9ano 00 apostila completa
 
Teoriamusical
TeoriamusicalTeoriamusical
Teoriamusical
 
INICIAÇÃO MUSICAL - Teclado.pptx
INICIAÇÃO  MUSICAL - Teclado.pptxINICIAÇÃO  MUSICAL - Teclado.pptx
INICIAÇÃO MUSICAL - Teclado.pptx
 
Apostila de educação musical 8º ano ensino fundamental
Apostila de educação musical   8º ano ensino fundamentalApostila de educação musical   8º ano ensino fundamental
Apostila de educação musical 8º ano ensino fundamental
 
Aula de violão
Aula de violão Aula de violão
Aula de violão
 
teoria musical
teoria musical teoria musical
teoria musical
 
Instrumentos De Orquestra 5º Ano / Educação Musical
Instrumentos De Orquestra 5º Ano / Educação MusicalInstrumentos De Orquestra 5º Ano / Educação Musical
Instrumentos De Orquestra 5º Ano / Educação Musical
 
03 aula - 21082012
03   aula - 2108201203   aula - 21082012
03 aula - 21082012
 
Teoria musical
Teoria musicalTeoria musical
Teoria musical
 
Elementos básicos da música serie cadernos de musica da universidade de cambr...
Elementos básicos da música serie cadernos de musica da universidade de cambr...Elementos básicos da música serie cadernos de musica da universidade de cambr...
Elementos básicos da música serie cadernos de musica da universidade de cambr...
 
Instrumentos de tubo
Instrumentos de tuboInstrumentos de tubo
Instrumentos de tubo
 
9ano 00 QQ completa
9ano 00 QQ completa9ano 00 QQ completa
9ano 00 QQ completa
 
Apostila musica ef 09
Apostila musica ef 09Apostila musica ef 09
Apostila musica ef 09
 
História da música
História da músicaHistória da música
História da música
 
Apostila Iniciação Musical.pdf
Apostila Iniciação Musical.pdfApostila Iniciação Musical.pdf
Apostila Iniciação Musical.pdf
 
Apostila-de-Ensino-Violão-Mod.-I-compressed.pdf
Apostila-de-Ensino-Violão-Mod.-I-compressed.pdfApostila-de-Ensino-Violão-Mod.-I-compressed.pdf
Apostila-de-Ensino-Violão-Mod.-I-compressed.pdf
 
Família de instrumentos musicais
Família de instrumentos musicaisFamília de instrumentos musicais
Família de instrumentos musicais
 

Último

Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 

Instrumento Musical

  • 2. Instrumento musical  Um instrumento musical é um objecto, ou objeto, construído com o propósito de produzir música. Os vários tipos de instrumentos podem ser classificados de diversas formas, sendo uma das mais comuns, a divisão de acordo com a forma pela qual o som é produzido. O estudo dos instrumentos musicais designa-se por organologia.  A data e a origem do primeiro aparelho considerado como instrumento musical é objecto de debates. Arqueologistas tendem a debater o assunto referindo a validade de várias evidências como artefactos e trabalhos culturais.  Instrumentista é aquele músico que toca algum instrumento. Observação: Pode soar estranho mas, na verdade, nem todo músico é um instrumentista (também chamado de concertista, na música erudita). Alguns músicos seguem uma carreira sem tocar instrumento algum, como a de: Bibliotecário; Terapia Musical; Engenheiro de Som; Produtor Musical; Historiador; Educação Musical; Direito Musical; Jornalismo em Música; Empresário Musical; Disc ou Video Jockey; Diretor de Programação; Designer de Software ou Hardware de Música; Musicologia; Musicografia; até mesmo o Compositor pode saber tudo sobre os instrumentos, mas não tocar nada; Estes não são intérpretes, mas os maiores estudiosos acadêmicos do campo de Música, noutras especializações.
  • 3. Características dos instrumentos musicais  Em princípio, qualquer objeto pode ser usado para produzir sons e utilizado na música, mas costuma-se utilizar este termo para designar objetos feitos especificamente com este objetivo. Isso se deve ao fato de que, em um instrumento musical, é possível controlar com mais precisão as características do som produzido. Em geral considera-se um som como musical quando podemos controlar uma ou mais de suas características: timbre, altura (grave, médio e agudo), duração (do som e/ou do silêncio) e intensidade.
  • 4. Componentes  É impossível generalizar a construção e o funcionamento dos instrumentos musicais porque existe uma variedade muito grande, mas de maneira geral, qualquer instrumento possui ao menos uma das partes descritas a seguir:
  • 5. Elemento produtor de som  Também chamado de corpo sonoro ou corpo produtor de som . É a parte do instrumento musical que efetivamente entra em vibração em resposta a um estímulo do executante, produzindo uma onda sonora. Por exemplo, as cordas, palhetas, membranas, tubos ou o próprio corpo do instrumento. Em alguns instrumentos de sopro, ou aerófonos, é o próprio ar que entra em vibração ao passar por uma aresta, como em uma flauta.
  • 6. Corpo  Parte do instrumento destinada a dar suporte mecânico às outras partes do instrumento. Por exemplo, o cabo de um sino de mão. Em muitos casos, o corpo também tem função na produção ou controle do som, como o corpo de um violino que também serve para tensionar as cordas, permitir que o instrumentista controle a altura das notas e também como caixa de ressonância.
  • 7. Caixa de ressonância  Câmara cheia de ar, com formatos variados que serve principalmente para reforçar a intensidade sonora. O formato da câmara de ressonância permite reforçar apenas determinadas freqüências, atenuando outras. Isso possibilita um controle mais preciso do timbre do instrumento. Na maioria dos casos a caixa de ressonância faz parte do corpo do instrumento, como em um piano, um violão ou um tambor. Em outros casos está incorporado ao próprio elemento produtor de som, como em um agogô.
  • 8. Elementos de estímulo e controle  Envolve uma grande variedade de objetos ou mecanismos destinados a produzir os estímulos ao elemento produtor de som fazendo com que ele entre em vibração ou controlar a forma como os sons são produzidos, afinados ou modificados. Entre outros, temos arcos, trastes, plectros, baquetas, martelos, bocais, foles, teclados, palhetas, válvulas, chaves ou pedais.
  • 9. Acessórios  Alguns instrumentos permitem o uso de acessórios para provocar alterações na forma de execução ou em alguma das características do som produzido. Entre os acessórios podemos citar:  abafadores para diminuir a intensidade sonora, normalmente usados para estudo.  surdinas para abafar e modificar o som produzido.  caixas de ressonância alternativas ou meios eletrônicos de amplificação.  suportes ou alças para facilitar a execução em posições não convencionais.
  • 10. Tessitura e registro  A tessitura de uma voz ou instrumento musical é a extensão de notas em que um instrumento pode tocar. Por padronização identifica-se a tessitura através do nome e da oitava da nota mais grave e da mais aguda que um instrumento pode executar. Por exemplo, a extensão útil de um saxofone alto vai de Reb2 (Ré bemol da segunda oitava) até La4 (Lá da quarta oitava). A tessitura do piano vai do La0 até o Do81 .  Chamam-se registros as três regiões em que a tessitura de um instrumento ou voz pode ser dividida. Divide-se em registro grave, médio e agudo. Cada registro tem características próprias. Em alguns casos o timbre é muito diferente de região para região. Em alguns instrumentos nem é possível executar todas as notas de uma escala em determinadas regiões. Além disso, certos efeitos sonoros que alguns instrumentos permitem só podem ser executados em um dos registros instrumentais.  O conhecimento da tessitura e do registro instrumental são fundamentais para a perfeita execução do instrumento e para a composição musical. De outra forma, um compositor poderia escrever uma melodia para um determinado instrumento com notas que ele não fosse capaz de executar.  O conceito de tessitura só faz sentido para instrumentos que permitem variação de altura, mas o registro pode indicar a região de alturas predominante mesmo em instrumentos de altura indefinida.
  • 11. Altura determinada  Quando as notas do instrumento podem ser afinadas de acordo com escalas definidas, estes instrumentos são conhecidos como instrumentos de altura definida. Quase todos os instrumentos de cordas e sopros têm altura definida. Alguns instrumentos de percussão, como o xilofone, a celesta e os tímpanos também possuem altura definida.  Para que a altura seja definida, não é necessário que o instrumento possa variar a freqüência das notas durante a execução, mas somente que as notas possam ser afinadas com precisão em relação a outros instrumentos. Há, por exemplo alguns ton-tons que possuem altura definida, mesmo que as suas notas não possam ser alteradas durante a execução.
  • 12. Altura indeterminada  Quando as notas produzidas pelo instrumento não podem ser precisamente afinadas, diz-se que eles possuem altura indefinida, não definida ou indeterminada. Em geral trata-se de instrumentos não harmônicos, ou seja, possuem uma grande quantidade de parciais não harmônicos em seu timbre, o que torna a afinação difícil ou impossível. A maioria dos instrumentos de altura não definida são instrumentos de percussão, como tambores, pratos, gongos e sinos. Existem alguns instrumentos de cordas e sopros com altura indefinida, como o berimbau e o kazoo.  Por não possuírem altura determinada, estes instrumentos podem ser utilizados em músicas de qualquer tonalidade sem que haja problemas de afinação. Em geral é possível definir o registro dos instrumentos embora não sua altura. Um bumbo, por exemplo, possui registro mais grave que uma caixa, e um tamborim, por sua vez, é mais agudo do que ambos.
  • 13. Alguns Instrumentos de cordas  Alaúde  Baixo  Baixo elétrico  Balalaica  Bandolim  Banjo  Berimbau  Cavaquinho  Charango  Cembalo  Cistre  Cítara  Clavicórdio  Contrabaixo  Cravo  Craviola  Dulcimer  Espineta  Guitarra  Guitarra acústica  Guitarra semiacústica  Guitarra eléctrica  Guitarra inglesa  Guitarra portuguesa  Guitolão  Harpa  Kantele - (Derivado da Cítara)  Kora  Koto  Lira
  • 14. Instrumentos de percussão  Agogô  Afoxé  Bateria (pratos)  Bloco sonoro  Caneca  Carrilhão  Castanhola  Caxixi  Chimbal  Chocalho  Ganzá  Marimba  Pandeireta (soalhas)  Pandeiro (soalhas)  Pandeirola  Pratos  Reco-reco  Sino  Sinos tubulares  Tantã  Triângulo(ferrinhos)  Xilofone  Xequerê  Piano  Rebab  Saltério  Sanfona  Sangen  Sitar  Ukulele  Viola  Viola caipira  Viola da gamba  Viola-de-cocho  Violino  Violoncelo  Rabeca  Piano de madeira
  • 15. Nos membranofones percutidos o som é produzido por uma membrana esticada, tal como uma pele, tecido ou membrana de material sintético. Exemplos:  Atabaque  Batá  Bateria (tambores)  Bumbo (um tipo de tambor)  Caixa  Cuíca  Djembê  Pandeireta (pele)  Pandeiro (pele)  Repinique  Surdo  Tambor  Tamborim  Tarol (um tipo de tambor)  Tom-tom  Zabumba
  • 16. Instrumentos de sopro  Berrante  Bombardino(ou Eufônio)  Clarineta (ou clarinete)  Clarone  Corne-inglês  Didjeridoo  Dulciana  Escaleta (ou piânica)  Fagote  Flauta transversal (Flauta)  Flauta doce  Flauta baixa  Flautim  Flugelhorn  Gaita  Gaita-de-fole  Órgão  Oboé  Ocarina  Pífaro  Pife brasileiro  Saxofone (soprano, alto, baixo, tenor)  Trompa  Trompete (de pisto, de chave)  Trombone (Trombone de vara, alto, baixo)  Tuba (ou Bombardon)
  • 17. Instrumentos de teclas  Acordeão  Bandoneon  Celesta  Clavicórdio  Concertina  Cravo  Ondas Martenot  Órgão  Piano  Teclado
  • 18. Instrumentos musicais eléctricos  Órgão eletrônico  Piano digital  Sampler  Sintetizador  Teremim  Teclado  Stylophone