Figuras de linguagem
FIGURAS DE LINGUAGEM  FIGURAS DE PALAVRAS(TROPOS)  FIGURAS DE CONSTRUÇÃO(SINTAXE)  FIGURAS DE PENSAMENTO  FIGURAS DE SOM(O...
Figuras de palavras(TROPOS)   Emprego de um termo em um   sentido diferente daquele em que é   convencionalmente aplicado.
Figuras de palavras(TROPOS)Comparação(símile)MetáforaCatacreseSinestesiaMetonímiaSinédoque
Comparação (símile)“Amava   a natureza como um monge calmo aCristo” (Alberto Caeiro)“O meu olhar é nítido como um girassol...
Comparação (símile)Comparam-se elementos de universos diferentes:   Esta criança é forte como um touro                  Qu...
MetáforaComparação abreviada. A semelhançaentre os termos é subjetiva, imaginada.
MetáforaEsta criança é um touro       A            B             A=B
MetáforaExemplos:“A vida é uma ópera”( Dom Casmurro)“Mas Nhô Augusto era couro ainda por curtir”(A hora e vez de Augusto M...
CatacreseOrigina-se da metáfora. Não é expressãopessoal, subjetiva, pois já foi incorporadapor todos os falantes da língua.
CatacresePé da páginaCabeça de alfineteBraço da poltronaCabelo de milhoDente de alhoEnterrar uma agulha no dedoEmbarcar no...
Sinestesia Mistura de sensações. Aproximam-se sensações percebidas por sentidos diferentes.“Ó sonora audição colorida do a...
Sinestesia“...como uma pancada preta.” (São Marcos– Sagarana)“...despertara-a um grito áspero.” (Vidassecas)
MetonímiaSubstituição de um termo por outro como qual estabelece uma ligação objetiva.Há relação de contigüidade entre ose...
MetonímiaDiabo- Vigiai-vos, pecadores,       Que, depois da sepultura,       Neste rio está a ventura       De prazeres ou...
MetonímiaExemplos: Concreto pelo abstrato:Ele tem cabeça(inteligência)  Continente pelo conteúdo:Ele toma uma lata de coca...
SinédoqueUma espécie de metonímia, mas quedesigna a parte pelo todoExemplo:“ Não se pode viver sem um teto”               ...
Figuras de construçãoTrata-se de desvios em relação àconcordância entre os termos da oraçãoe à ordem em que eles aparecem....
Figuras de construçãoHipérbato ou inversãoAnáforaPleonasmo
Hipérbato ou inversão Consiste na inversão da ordem natural e   direta dos termos da oração. Exemplo: “Passeiam, à tarde,a...
AnáforaRepetição da mesma palavra ou construção no início de várias orações, períodos ou versos.
Anáfora    Quem me dera que eu fosse o pó da estrada    E que os pés dos pobres me estivessem pisando    Quem me dera que ...
PleonasmoÉ um caso de repetição redundante.Exemplos:As minhas roupas, quero até arrancá-las.“Todo dia ela faz tudo sempre ...
Figuras de pensamentoAntíteseParadoxoProsopopéia ou personificaçãoApóstrofeGradaçãoEufemismo
AntíteseOposição de idéias de sentido contrárioEx.:“assim também a quantidade das delícias que terão  gozado no céu os seu...
Antítese“São doentes e confusos e estúpidos      Ao pé da clara simplicidade.” (Alberto Caeiro)
ParadoxoOposição que sugere absurdo, ilogicidade.“Só os relógios do céu terão marcado esse tempo infinito e  breve.” (Dom ...
Prosopopéia ou personificação Consiste em dar características humanas   a seres inanimados ou irracionais. Exemplos: “a ma...
ApóstrofeVocativo com função artística. Ajuda a dar   ênfase.“Ó mar salgado, quanto do teu sal são lágrimas de Portugal”  ...
Gradação  Enumeração que sugere variação de  intensidade.“...ameaçando envolver-me, puxar-me e tragar-me” (Dom  Casmurro)
EufemismoAtenua o sentido de determinadostermos ou expressões consideradosfortes ou desagradáveis.
EufemismoOs amigos que me restam são de data recente; todos os  antigos foram estudar a geologia dos campos-  santos.”(mor...
Figuras de som ou de harmonia  Aliteração  Assonância  Onomatopéia  Paronomásia
OnomatopéiaRepetição imitativa; representa ruído ou  som.Exemplos:“grulhantes e gralhantes; rrrl-rrrl. (A hora e vez   de ...
AssonânciaRepetição enfática de sons vocálicos.Silvino assoviou no ouvido do bicho...( Burrinho Pedrês - Sagarana )Sou Ana...
Aliteração  Repetição enfática de sonsconsonantais.“Dança doido, dá de duro, dá de dentro, dá  direito...”( Burrinho Pedrê...
ParonomásiaTrocadilho; consiste em aproximarpalavras semelhantes no som, mas designificados diferentes(parônimos).
Paronomásia“...mas, vida a fora, por amos e anos, outras tivera,   sempre involuntariamente: Brinquinho, primeiro,   por s...
Bibliografia  GUIMARÃES, Hélio de Seixas    Figuras de Linguagem; São Paulo,   Atual, 1998. Coleção Tópicos de   Linguagem.
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula de redação figuras de linguagem

2.978 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.978
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
103
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula de redação figuras de linguagem

  1. 1. Figuras de linguagem
  2. 2. FIGURAS DE LINGUAGEM FIGURAS DE PALAVRAS(TROPOS) FIGURAS DE CONSTRUÇÃO(SINTAXE) FIGURAS DE PENSAMENTO FIGURAS DE SOM(OU DE HARMONIA)
  3. 3. Figuras de palavras(TROPOS) Emprego de um termo em um sentido diferente daquele em que é convencionalmente aplicado.
  4. 4. Figuras de palavras(TROPOS)Comparação(símile)MetáforaCatacreseSinestesiaMetonímiaSinédoque
  5. 5. Comparação (símile)“Amava a natureza como um monge calmo aCristo” (Alberto Caeiro)“O meu olhar é nítido como um girassol” (idem)“O Tejo é mais belo que o rio que corre pelaminha aldeia” (Idem). )
  6. 6. Comparação (símile)Comparam-se elementos de universos diferentes: Esta criança é forte como um touro Qualidade conectivo B A comum
  7. 7. MetáforaComparação abreviada. A semelhançaentre os termos é subjetiva, imaginada.
  8. 8. MetáforaEsta criança é um touro A B A=B
  9. 9. MetáforaExemplos:“A vida é uma ópera”( Dom Casmurro)“Mas Nhô Augusto era couro ainda por curtir”(A hora e vez de Augusto Matraga – Sagarana)
  10. 10. CatacreseOrigina-se da metáfora. Não é expressãopessoal, subjetiva, pois já foi incorporadapor todos os falantes da língua.
  11. 11. CatacresePé da páginaCabeça de alfineteBraço da poltronaCabelo de milhoDente de alhoEnterrar uma agulha no dedoEmbarcar no avião
  12. 12. Sinestesia Mistura de sensações. Aproximam-se sensações percebidas por sentidos diferentes.“Ó sonora audição colorida do aroma” audição visão olfato
  13. 13. Sinestesia“...como uma pancada preta.” (São Marcos– Sagarana)“...despertara-a um grito áspero.” (Vidassecas)
  14. 14. MetonímiaSubstituição de um termo por outro como qual estabelece uma ligação objetiva.Há relação de contigüidade entre osentido de um termo com aquele que osubstitui.
  15. 15. MetonímiaDiabo- Vigiai-vos, pecadores, Que, depois da sepultura, Neste rio está a ventura De prazeres ou de dores
  16. 16. MetonímiaExemplos: Concreto pelo abstrato:Ele tem cabeça(inteligência) Continente pelo conteúdo:Ele toma uma lata de coca-cola de uma vez. (a lata é que contém o refrigerante). Autor pela obra: Gosto de ouvir Beethoven( a música de Beethoven)
  17. 17. SinédoqueUma espécie de metonímia, mas quedesigna a parte pelo todoExemplo:“ Não se pode viver sem um teto” casa
  18. 18. Figuras de construçãoTrata-se de desvios em relação àconcordância entre os termos da oraçãoe à ordem em que eles aparecem.Refere-se ainda à subtração ourepetição de termos.
  19. 19. Figuras de construçãoHipérbato ou inversãoAnáforaPleonasmo
  20. 20. Hipérbato ou inversão Consiste na inversão da ordem natural e direta dos termos da oração. Exemplo: “Passeiam, à tarde,as belas na Avenida” (Drummond) As belas passeiam na Avenida à tarde.
  21. 21. AnáforaRepetição da mesma palavra ou construção no início de várias orações, períodos ou versos.
  22. 22. Anáfora Quem me dera que eu fosse o pó da estrada E que os pés dos pobres me estivessem pisando Quem me dera que eu fosse os rios que correm E as lavadeiras estivessem à minha beira (Alberto Caeiro)Pensa na doçura das palavras.Pensa na dureza das palavras.Pensa no mundo das palavras. (Drummond -A rosa do povo)
  23. 23. PleonasmoÉ um caso de repetição redundante.Exemplos:As minhas roupas, quero até arrancá-las.“Todo dia ela faz tudo sempre igual(...) me sorri um sorriso pontual.”(Chico Buarque)
  24. 24. Figuras de pensamentoAntíteseParadoxoProsopopéia ou personificaçãoApóstrofeGradaçãoEufemismo
  25. 25. AntíteseOposição de idéias de sentido contrárioEx.:“assim também a quantidade das delícias que terão gozado no céu os seus desafetos aumentará as dores aos condenados do inferno.” (Dom Casmurro; Machado de Assis)
  26. 26. Antítese“São doentes e confusos e estúpidos Ao pé da clara simplicidade.” (Alberto Caeiro)
  27. 27. ParadoxoOposição que sugere absurdo, ilogicidade.“Só os relógios do céu terão marcado esse tempo infinito e breve.” (Dom Casmurro)
  28. 28. Prosopopéia ou personificação Consiste em dar características humanas a seres inanimados ou irracionais. Exemplos: “a manhã gargalhou” (A hora e vez de Augusto Matraga – Sagarana) “Em torno carpe a natureza o dia que expira. Soluça a onda trépida e lacrimosa; geme a brisa na folhagem...” (Iracema)
  29. 29. ApóstrofeVocativo com função artística. Ajuda a dar ênfase.“Ó mar salgado, quanto do teu sal são lágrimas de Portugal” ( Fernando Pessoa)
  30. 30. Gradação Enumeração que sugere variação de intensidade.“...ameaçando envolver-me, puxar-me e tragar-me” (Dom Casmurro)
  31. 31. EufemismoAtenua o sentido de determinadostermos ou expressões consideradosfortes ou desagradáveis.
  32. 32. EufemismoOs amigos que me restam são de data recente; todos os antigos foram estudar a geologia dos campos- santos.”(morreram) (Dom Casmurro)
  33. 33. Figuras de som ou de harmonia Aliteração Assonância Onomatopéia Paronomásia
  34. 34. OnomatopéiaRepetição imitativa; representa ruído ou som.Exemplos:“grulhantes e gralhantes; rrrl-rrrl. (A hora e vez de Augusto Matraga - Sagarana)Sino da Paixão, bate bão-bão- bão”Manuel Bandeira
  35. 35. AssonânciaRepetição enfática de sons vocálicos.Silvino assoviou no ouvido do bicho...( Burrinho Pedrês - Sagarana )Sou Ana, da cama, fulana, bacanaSou Ana de Amsterdã .( Chico Buarque)
  36. 36. Aliteração Repetição enfática de sonsconsonantais.“Dança doido, dá de duro, dá de dentro, dá direito...”( Burrinho Pedrês – Sagarana)
  37. 37. ParonomásiaTrocadilho; consiste em aproximarpalavras semelhantes no som, mas designificados diferentes(parônimos).
  38. 38. Paronomásia“...mas, vida a fora, por amos e anos, outras tivera, sempre involuntariamente: Brinquinho, primeiro, por ser brinquedo de menino...” ( Burrinho Pedrês- in Sagarana, G. Rosa)
  39. 39. Bibliografia GUIMARÃES, Hélio de Seixas Figuras de Linguagem; São Paulo, Atual, 1998. Coleção Tópicos de Linguagem.

×