ROSIANDO
VIDA E OBRA DE JOÃO GUIMARÃES ROSA

COLEGIO DA IMACULADA CONCEIÇÃO
GRUPO: ANDRÉA, LUIZA, RAPHAELA, RENATA
2° ANO ...
"Quando escrevo, repito o que já vivi antes.

E para estas duas vidas, um léxico só não é
suficiente.
Em outras palavras, ...
SÉCULO XX
o século “sangrento”
UM SÉCULO DE ATOS EXTREMOS DE VIOLÊNCIA
E GRANDIOSAS ATITUDES DE PERDÃO E PAZ
UM SÉCULO QUE VIU O MUNDO SE DIVIDIR E SE GLOBALIZAR
E QUE NÃO ACEITOU LIMITES PARA TECNOLOGIA
REPUDIOU E CRITICOU O PRESENTE E O PASSADO,
TRANSFORMOU E CRIOU NOVAS FORMAS DE EXPRESSÃO
Operários . Óleo sobre tela . Tarsila do Amaral

O BRASIL APARECE NESSE SÉCULO VELOZ, BUSCANDO
DESENVOLVIMENTO E MODERNIZA...
ALÉM DO NOVO, O ARTISTA BRASILEIRO BUSCA O BRASIL, SUAS
RAÍZES, SUA IDENTIDADE CULTURAL
Cordisburgo,
Minas Gerais
27 de julho
de 1908

“Minas principia de dentro
para fora e do céu para o
chão”
“Minha gente”, S...
"acho que estudar o espírito e o
mecanismo de outras línguas
ajuda muito à compreensão mais
profunda do idioma nacional.
P...
1930 - FORMA-SE EM MEDICINA
TEM SEUS PRIMEIROS CONTOS PUBLICADOS
NA REVISTA O CRUZEIRO
CASA-SE.

1932
OFICIAL MÉDICO DO 9° BATALHÃO
DE INFANTARIA DE BARBACENA.
1934
CONCURSO PARA O ITAMARATI.

1936
“MagMa”.
1937
“contos” prÊMio
HUMBERTO DE CAMPOS
1938
CÔNSUL-ADJUNTO EM
HAMBURGO

"Se eu não lhes der o visto, vão acabar morrendo;...
1943
SECRETÁRIO DA
EMBAIXADA BRASILEIRA
EM BOGOTÁ
1946
chefe-de-gabinete do
ministro João Neves da
Fontoura
“sagarana”
1952
EXCURSÃO AO MATO GROSSO
“coM o vaqueiro Mariano”, correio da
MANHÃ
1956
CORPO DE BAILE

GRANDE SERTÃO: VEREDAS
1962
assume a chefia do Serviço de
Demarcação de Fronteiras
1963
É ELEITO NA ACADEMIA
BRASILEIRA DE LETRAS
16 DE NOVEMBRO ...
19 DE NOVEMBRO DE 1967
CARACTERÍSTICAS DA OBRA DE
GUIMARÃES ROSA
"Cada autor deve criar seu próprio léxico, do contrário não
pode cumprir sua missão"
USAVA TERMOS DO PORTUGUÊS ARCAICO.
CR...
Uso de aliterações e onomatopeias no
intuito de criar sonoridade;
Temas envolvendo destino, vida, morte, Deus;
A língua fa...
INVENÇÕES ROSIANAS
Taurophtongo.
Quer dizer mugido, voz de touro. O escritor
recorreu aos termos gregos "táuros" (touro) e...
Mimbauamanhanaçara.
Quer dizer vaqueiro ou "o que vigia o gado". Fusão
dos termos tupi "mimbaua" (criação, animal
doméstic...
Fluifim.
Significa pequenino, gracioso, e se compõe da
junção de fluir e fino.
Velvo.
É uma adaptação do inglês velvet, qu...
O caso mais célebre de
neologismo é o termo
"nonada", palavra de
abertura do romance
Grande Sertão: Veredas.
Significa "co...
Fontes de pesquisa:
•
•
•
•

O Léxico de Guimarães Rosa, Nilce Sant'Anna martins,EDUSP
www.releituras.com
www.academia.org...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

SEMINÁRIO DE LITERATURA - GUIMARÃES ROSA

2.868 visualizações

Publicada em

Seminário de Literatura realizado no Colégio da Imaculada Conceição (RJ) durante as aulas do Prof. Marcelo Fernandes. Trabalho apresentado em 24/10/2013 pelas alunas Andrea Saavedra, Luíza Andreiolo, Raphaela Manghi e Renata Bhering.

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.868
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
192
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
89
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

SEMINÁRIO DE LITERATURA - GUIMARÃES ROSA

  1. 1. ROSIANDO VIDA E OBRA DE JOÃO GUIMARÃES ROSA COLEGIO DA IMACULADA CONCEIÇÃO GRUPO: ANDRÉA, LUIZA, RAPHAELA, RENATA 2° ANO / E.M. OUTUBRO/2013
  2. 2. "Quando escrevo, repito o que já vivi antes. E para estas duas vidas, um léxico só não é suficiente. Em outras palavras, gostaria de ser um crocodilo vivendo no rio São Francisco. Gostaria de ser um crocodilo porque amo os grandes rios, pois são profundos como a alma de um homem. Na superfície são muito vivazes e claros,
  3. 3. SÉCULO XX o século “sangrento”
  4. 4. UM SÉCULO DE ATOS EXTREMOS DE VIOLÊNCIA
  5. 5. E GRANDIOSAS ATITUDES DE PERDÃO E PAZ
  6. 6. UM SÉCULO QUE VIU O MUNDO SE DIVIDIR E SE GLOBALIZAR E QUE NÃO ACEITOU LIMITES PARA TECNOLOGIA
  7. 7. REPUDIOU E CRITICOU O PRESENTE E O PASSADO, TRANSFORMOU E CRIOU NOVAS FORMAS DE EXPRESSÃO
  8. 8. Operários . Óleo sobre tela . Tarsila do Amaral O BRASIL APARECE NESSE SÉCULO VELOZ, BUSCANDO DESENVOLVIMENTO E MODERNIZAÇÃO
  9. 9. ALÉM DO NOVO, O ARTISTA BRASILEIRO BUSCA O BRASIL, SUAS RAÍZES, SUA IDENTIDADE CULTURAL
  10. 10. Cordisburgo, Minas Gerais 27 de julho de 1908 “Minas principia de dentro para fora e do céu para o chão” “Minha gente”, Sagarana
  11. 11. "acho que estudar o espírito e o mecanismo de outras línguas ajuda muito à compreensão mais profunda do idioma nacional. Principalmente, porém, estudando-se por divertimento, gosto e distração."
  12. 12. 1930 - FORMA-SE EM MEDICINA TEM SEUS PRIMEIROS CONTOS PUBLICADOS NA REVISTA O CRUZEIRO
  13. 13. CASA-SE. 1932 OFICIAL MÉDICO DO 9° BATALHÃO DE INFANTARIA DE BARBACENA. 1934 CONCURSO PARA O ITAMARATI. 1936 “MagMa”.
  14. 14. 1937 “contos” prÊMio HUMBERTO DE CAMPOS 1938 CÔNSUL-ADJUNTO EM HAMBURGO "Se eu não lhes der o visto, vão acabar morrendo; e aí vou ter um peso em minha consciência."
  15. 15. 1943 SECRETÁRIO DA EMBAIXADA BRASILEIRA EM BOGOTÁ 1946 chefe-de-gabinete do ministro João Neves da Fontoura “sagarana”
  16. 16. 1952 EXCURSÃO AO MATO GROSSO “coM o vaqueiro Mariano”, correio da MANHÃ
  17. 17. 1956 CORPO DE BAILE GRANDE SERTÃO: VEREDAS
  18. 18. 1962 assume a chefia do Serviço de Demarcação de Fronteiras 1963 É ELEITO NA ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS 16 DE NOVEMBRO DE 1967 TOMA POSSE NA ABL "...a gente morre é para provar que viveu."
  19. 19. 19 DE NOVEMBRO DE 1967
  20. 20. CARACTERÍSTICAS DA OBRA DE GUIMARÃES ROSA
  21. 21. "Cada autor deve criar seu próprio léxico, do contrário não pode cumprir sua missão" USAVA TERMOS DO PORTUGUÊS ARCAICO. CRIAVA NEOLOGISMOS USANDO E MISTURANDO PREFIXOS E SUFIXOS ESTRANGEIROS, ESTRUTURAS DO PORTUGUÊS ARCAICO E TERMOS E ESTRUTURAS DA LINGUAGEM POPULAR. SIGNIFICADO EXPLÍCITO NO CONTEXTO PREOCUPAÇÃO EM FAZER COM QUE O SOM E O SENTIDO DA PALAVRA CAMINHASSEM JUNTOS
  22. 22. Uso de aliterações e onomatopeias no intuito de criar sonoridade; Temas envolvendo destino, vida, morte, Deus; A língua falada no sertão está presente em sua obra (fruto de anotações e pesquisas linguísticas).
  23. 23. INVENÇÕES ROSIANAS Taurophtongo. Quer dizer mugido, voz de touro. O escritor recorreu aos termos gregos "táuros" (touro) e "phtoggos" (som da fala) Enxadachim. termo foi empregado para designar um trabalhador do campo, que luta para sobreviver. A palavra é formada por enxada e espadachim
  24. 24. Mimbauamanhanaçara. Quer dizer vaqueiro ou "o que vigia o gado". Fusão dos termos tupi "mimbaua" (criação, animal doméstico) e "manhana" (vigia) e adicionou o sufixo tupi "çara" (que faz). Imitaricar. Significa arremedar, fazer trejeitos imitativos. Provém da junção do verbo imitar com o sufixo diminutivo "icar", que indica a repetição de pequenos atos Ensimesmudo. Uma junção das palavras ensimesmado e mudo. Guimarães Rosa utilizou-o para designar um sujeito fechado e taciturno
  25. 25. Fluifim. Significa pequenino, gracioso, e se compõe da junção de fluir e fino. Velvo. É uma adaptação do inglês velvet, que quer dizer veludo. No contexto empregado pelo autor, corresponde a "planta de folhas aveludadas“ Sagarana SAGA (radical germânico): usado para designar narrativas em prosa. RANA (sufixo tupi-guarani): significa “à seMelhança de”
  26. 26. O caso mais célebre de neologismo é o termo "nonada", palavra de abertura do romance Grande Sertão: Veredas. Significa "coisa sem importância", resulta da fusão de "non", do português arcaico, com "nada".
  27. 27. Fontes de pesquisa: • • • • O Léxico de Guimarães Rosa, Nilce Sant'Anna martins,EDUSP www.releituras.com www.academia.org.br pt.wikipedia.org/wiki/Guimarães_Rosa • http://www.youtube.com/watch?v=b08foPkt8U8 "Se todo animal inspira sempre ternura, que houve, então, com o homem?"

×