Figuras de linguagem

6.782 visualizações

Publicada em

FIGURAS DE PALAVRAS,SINTAXE E PENSAMENTO

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.782
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.645
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
167
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Figuras de linguagem

  1. 1. FIGURAS DE LINGUAGEM Maria Paula de Souza Turim
  2. 2. Apóstrofe:• Ocorre apóstrofe quando há invocação de uma pessoa ou algo, real ou imaginário, que pode estar presente ou ausente. Corresponde ao vocativo na análise sintática e é utilizada para dar ênfase à expressão.• Exemplo: "Deus! ó Deus! onde estás, que não respondes?" (Castro Alves).
  3. 3. PARA QUESERVEM?
  4. 4. Paradoxo:• Ocorre paradoxo não apenas na aproximação de palavras de sentido oposto, mas também na de idéias que se contradizem referindo-se ao mesmo termo. É uma verdade enunciada com aparência de mentira. Oxímoro (ou oximoron) é outra designação para paradoxo.• Exemplo: "Amor é fogo que arde sem se ver; / É ferida que dói e não se sente; / É um contentamento descontente; / É dor que desatina sem doer;" (Camões)
  5. 5. Sinestesia• Do grego συναισθησία, συν- (syn-) "união" ou "junção" e -αισθησία (- esthesia) "sensação". Sinestesia é a relação de planos sensoriais diferentes: Por exemplo, o gosto com a audição ou a visão com o olfato.
  6. 6. SINESTESIA• "Mais claro e fino do que as finas pratas• O som da tua voz deliciava ...• Na dolência velada das sonatas• Como um perfume a tudo perfumava.• Era um som feito luz, eram volatas• Em lânguida espiral que iluminava• Brancas sonoridades de cascatas ...• Tanta harmonia melancolizava." (Cruz e Souza)
  7. 7. Metáfora– Emprego de palavras fora do seu sentido normal, por analogia. É um tipo de comparação implícita, sem termo comparativo. Ex: A Amazônia é o pulmão do mundo. Encontrei a chave do problema– Na sua mente povoa só maldade. "Veja bem, nosso caso / É uma porta entreaberta." (Luís Gonzaga Junior)
  8. 8. METÁFORA• Tiroteio cerrado: o alvo é o regimento.• Foram quatro horas de tiroteio. De um lado, os 29 oradores inscritos, uns com melhor pontaria que os outros, mas todos com a mira voltada para um único alvo: o substitutivo ao projeto interno do senador Fernando Henrique Cardoso. Na primeira sessão de discussão do regimento sobraram balas até para Ulisses Guimarães.
  9. 9. METÁFORA• É necessário domar a inflação.• No rastro da inflação.• O grande monstro da inflação.• O dragão da inflação.• Uma inflação galopante• A inflação ruge solta.• A inflação é um monstro híbrido promíscuo.• Ou então, "a inflação é uma doença.• Os sintomas da inflação.• Dar à inflação um tratamento de choque.• A imunidade da inflação a tratamentos tradicionais.• O surto inflacionário.
  10. 10. Catacrese ou Metáforas viciadas• Uso impróprio de uma palavra ou expressão, por esquecimento ou na ausência de termo específico.• É UMA METÁFORA CRISTALIZADA NA LÍNGUA PORTUGUESA. DIFERENTEMENTE DA METÁFORA, QUE EXIGE UMA CERTA INTERPRETAÇAÕ, A CATACRESE É CONHECIDA E RECONHECIDA POR TODOS. Ex.: Espalhar dinheiro pé de meia boca de forno
  11. 11. BOCA DAPRIVADA
  12. 12. CATACRESE• Embarcarei no avião das onze horas. (embarcar = tomar barca)• - Comprei uma ferradura de prata. (ferradura = peça de ferro)• - Eu ganho uma mesada semanal. (mesada = pagamento por mês)• - Gosto de azulejo amarelo (azulejo = azul)• - Enterrei uma agulha no dedo (enterrar = pôr debaixo da terra)•
  13. 13. Inutilidades (José Paulo Paes)• Ninguém coça as costas da cadeira. Ninguém chupa a manga da camisa. O piano jamais abana a cauda. Tem asa, porém não voa, a xícara.• De que serve o pé da mesa se não anda? E a boca da calça se não fala nunca? Nem sempre o botão está em sua casa. O dente de alho não morde coisa alguma.• Ah! se trotassem os cavalos do motor ... Ah! se fosse de circo o macaco do carro ... Então a menina dos olhos comeria Até bolo esportivo e bala de revólver.
  14. 14. COMPARAÇÃO• É quando a associação entre as palavras se processa através de partículas como: como, tal como, tal qual, assim como... Exemplos: 1º A felicidade é como a pluma que o vento vai levando pelo ar 2º "Tem dias que a gente se sente como quem partiu ou morreu..."
  15. 15. • É que teu riso penetra nalma Como a harmonia de uma orquestra santa. Castro Alves•
  16. 16. ESTAR COM VOCÊ É COMO ESTAR NO PARAÍSO...
  17. 17. ANTÍTESE
  18. 18. Antítese• Aproximação de termos ou frases que se opõem pelo sentido. Ex: "Neste momento todos os bares estão repletos de homens vazios" (Vinicius de Moraes) Obs.: Paradoxo ou Oxímoro- idéias contraditórias num só pensamento: (...) dor que desatina sem doer. Camões
  19. 19. Antítese Esse recurso foi especialmente utilizado pelos autores do período Barroco. O contraste que se estabelece serve, essencialmente, para dar uma ênfase aos conceitos envolvidos que não se conseguiria com a exposição isolada dos mesmos.• Onde queres prazer sou o que dói,• E onde queres tortura, mansidão• Onde queres um lar, revolução• E onde queres bandido sou herói. (Caetano Veloso)• "Já estou cheio de me sentir vazio." (Renato Russo)• Do riso fez se o pranto.• Hoje fez sol, ontem, pois, choveu muito.• Com a morte de uma pessoa querida valorizamos a vida.
  20. 20. LIBERDADE EM UMTÚNEL...
  21. 21. IRONIA Ironia é um instrumento de literatura ou de retórica que consiste em dizer o contrário daquilo que se pensa, deixando entender uma distância intencional entre aquilo que dizemos e aquilo que realmente pensamos.SÓ ISSO? QUE TAL DEPISTACHE?
  22. 22. QUE DESPERTADORBONZINHO...SEMPREFAZENDO SEUSERVIÇO...
  23. 23. Metonímia• Substituição de um nome por outro em virtude de haver entre eles associação de significado. Ex: Ler Jorge Amado (autor pela obra - livro) / Ir ao barbeiro (o possuidor pelo possuído, ou vice- versa - barbearia) / Bebi dois copos de leite (continente pelo conteúdo - leite) / Ser o Cristo da turma. (indivíduo pala classe - culpado) / Completou dez primaveras (parte pelo todo - anos) / O brasileiro é malandro (sing. pelo plural - brasileiros) / Brilham os cristais (matéria pela obra - copos).
  24. 24. Antonomásia, perífraseSubstituição de um nome de pessoa oulugar por outro ou por uma expressãoque facilmente o identifique. Fusãoentre nome e seu aposto.Ex: O mestre = Jesus Cristo, A cidadeluz = Paris, O rei das selvas = o leão,Escritor Maldito = Lima Barreto
  25. 25. PERÍFRASE• A pátria de Voltaire está em guerra. (A França está em guerra.)• astro rei (Sol) | última flor do Lácio (língua portuguesa) | Cidade-Luz (Paris) Rainha da Borborema (Campina Grande) | Cidade Maravilhosa (Rio de Janeiro)
  26. 26. ANTONOMÁSIA - PESSOAS• A rainha do mar (Iemanjá) O poeta dos escravos (Castro Alves) O criador do teatro português (Gil Vicente)
  27. 27. IroniaUtilização de termo com sentido oposto aooriginal, obtendo-se, assim, valor irônico.Ex: O ministro foi sutil como uma jamanta.
  28. 28. IRONIA
  29. 29. Eufemismo Consiste em "suavizar" alguma idéia desagradável. Politicamente correto. Ex: Ele enriqueceu por meios ilícitos. (roubou), Você não foi feliz nos exames. (foi reprovado) Ele não vê, em lugar de Ele é cego; Não sou moço, em vez de Sou velho."E pela paz derradeira (morte) que enfim vai nos redimir Deus lhe pague". (Chico Buarque).
  30. 30. • Você faltou com a verdade. (Em lugar de mentiu)• Ele entregou a alma a Deus. (Em lugar de: Ele morreu)• Nos fizeram varrer calçadas, limpar o que faz todo cão... (Em lugar de fezes)• Ela é minha ajudante (Em lugar de empregada doméstica)• "...Trata-se de um usurpador do bem alheio..." (Em lugar de ladrão)• Filho do mesgramado! (Ao invés de desgraçado)
  31. 31. • "Era uma estrela divina que ao firmamento voou!" (Em lugar de morreu)• "Quando a indesejada da gente chegar" (Em lugar de a morte)• Ele subtraiu os bens de tal pessoa. (Em vez de furtou)• "...Para o porto de Lúcifer." (Em vez de inferno) "Verdades que esqueceram de acontecer" em lugar de mentira• A cidade dos pés-juntos (Em vez de cemitério)• Passar os cinco [dedos] -- expressão popular (Em vez de roubar)
  32. 32. • "Até bebê de colo sabe que juro alto é inimigo da atividade econômica..."
  33. 33. Hipérbole• Exagero de uma idéia com finalidade expressiva Ex: Estou morrendo de sede (com muita sede)• Ela é louca pelos filhos (gosta muito dos filhos)
  34. 34. Hipérbole• Há exagero numa idéia expressa, de modo a acentuar de forma dramática aquilo que se quer dizer, transmitindo uma imagem inesquecível.• "Já te avisei mais de cem vezes, para não voltares a falar-me alto!".• Rios te correrão dos olhos, se chorares!• Um quarteirão de perucas para Clodovil Pereira.
  35. 35. Na chuva decores Da tarde que explode A lagoa brilha
  36. 36. Apóstrofe• É uma figura de estilo caracterizada pela invocação de determinadas entidades, consoante o objetivo do discurso, que pode ser poético, sagrado ou profano. Caracteriza-se pelo chamamento do receptor, imaginário ou não, da mensagem.
  37. 37. Se procuras o sinal gráfico,consulte APÓSTROFO...
  38. 38. • Gradação Apresentação de idéias em progressão ascendente (clímax) ou descendente (anticlímax) Ex: "Nada fazes, nada tramas, nada pensas que eu não saiba, que eu não veja, que eu não conheça perfeitamente."
  39. 39. O trigo... nasceu, cresceu,espigou, amadureceu, colheu-se. (Padre Vieira)- Ele chorou, berrou, esperneou.
  40. 40. Toma o livro nas mãos, lê-o, a princípio comdissabor, pouco depoissem fastio, ultimamentecom gosto e dali pordiante com fome, comcuidado, comdesengano, comdevoção, com lágrimas(...).
  41. 41. Prosopopéia, personificação, animismo• É a atribuição de qualidades e sentimentos humanos a seres irracionais e inanimados. Ex: "A lua, (...) Pedia a cada estrela fria / Um brilho de aluguel ..." (Jõao Bosco / Aldir Blanc) .
  42. 42. CONHEÇOMINHA FAMÍLIANA PALMA DEMINHA MÃO...
  43. 43. FIGURAS DE SOM
  44. 44. ALITERAÇÃO• Consiste na repetição ordenada de mesmos sons consonantais. Ex.: “Esperando, parada, pregada na pedra do porto.”
  45. 45. Assonância:• Ocorre assonância quando há repetição da mesma vogal ao longo de um verso ou poema.• Exemplo: "Sou Ana, da cama / da cana, fulana, bacana / Sou Ana de Amsterdam." (Chico Buarque).
  46. 46. Paronomásia:• Ocorre paronomásia quando há reprodução de sons semelhantes em palavras de significados diferentes.• Exemplo: "Berro pelo aterro pelo desterro / berro por seu berro pelo seu erro / quero que você ganhe que você me apanhe / sou o seu bezerro gritando mamãe." (Caetano Veloso).
  47. 47. Onomatopéia:• Ocorre quando uma palavra ou conjunto de palavras imita um ruído ou som.• Exemplo: "O silêncio fresco despenca das árvores. / Veio de longe, das planícies altas, / Dos cerrados onde o guaxe passe rápido... / Vvvvvvvv... passou." (Mário de Andrade).• "Ó rodas, ó engrenagens, r-r-r-r-r-r-r eterno." (Fernando Pessoa).•
  48. 48. Às vezes, nem ocontexto...
  49. 49. PLEONASMO É a superabundância de palavras para enunciar uma idéia.- Entra pra dentro, Carlinhos...A gente volta pra trás...- Fazer uma breve alocução.- Ter o monopólio exclusivo.- Ser o principal protagonista.
  50. 50. ATIVIDADE• 1. Dê a figura de linguagem nos exemplos abaixo. a) “Eu faço versos como quem chora De desalento... de desencanto...” (M. Bandeira) b) Lemos Machado com interesse. c) “Meu coração é um balde despejado.” (Fernando Pessoa) d) A choupana não suportou quatro invernos. e) “Eu que sou cego – mas peço luzes... Que sou pequeno, - ma só fito os Andes...” (Castro Alves)
  51. 51. • F) O sol zangado como um touro dourado. g) Devolva o Neruda que você me tomou E nunca deu. h) A lua é branca como um pássaro pequeno. i) O menino é tão quietinho na aula. J) A borboleta é uma árvore cheia de frutos. K) O carro fez BRUMMMM. L) Jesus viveu um século sem nós. M) Aceite o tijolo, construa a casa, veja as paisagens do dia quente. N) Eu fiz um elo de ligação com vocês. O) Saia e desça e pule e solte a franga
  52. 52. BONSESTUDOS!!!Maria Paula

×