Figuras de linguagem 01

4.274 visualizações

Publicada em

1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.274
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
34
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
42
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Figuras de linguagem 01

  1. 1. FIGURAS DEFIGURAS DE LINGUAGEMLINGUAGEM Nixson MachadoNixson Machado
  2. 2. Chama-se figuras de linguagem ao recurso expressivo que consiste no emprego da linguagem em um contexto inesperado, seja no que diz respeito ao sentido, à posição ou à combinação das palavras. Há quarto tipos de figuras de linguagem. Veja- as: FIGURAS DE PALAVRAS (tropos) consistem na mudança do sentido literal das palavras para o sentido figurado. São figuras de palavras: a comparação, a metáfora, catacrese, a metonímia, a perífrase e a sinestesia.
  3. 3.   1- COMPARAÇÃO – ocorre quando, por meio de um termo comparativo (como, tal qual, assim como) se estabelece uma relação de semelhança entre dois elementos a que se pode atribuir alago em comum.  Ex:
  4. 4.  2- METÁFORA – consiste no emprego de uma palavra fora de seu sentido próprio podendo ter como base uma comparação subentendida, em que o elemento comparativo está implícito.  Ex: (O LEÃO) Tua goela é uma fornalha - Teu salto, uma labareda - Tua garra, uma navalha...
  5. 5.  Ex:  Tipos de namorados na era digital  Namorado BLOG: a maioria deles é ruim e não serve para absolutamente nada. Alguns são feios que dói, mas o conteúdo é bom, então você encara. Alguns têm boa aparência, mas o conteúdo é péssimo, então não dura muito. De qualquer maneira, em algum momento você vai ter um.  Namorado computador do milhão: sempre tem um disponível. Todo mundo te alerta que a qualidade é duvidosa, mas ainda assim tem gente que arrisca. No início, serve para quebrar um galho, mas logo você se arrepende.  Namorado antivírus: vive vasculhando a sua vida para tentar achar algo suspeito, e acha.  Namorado e-mail: se faz presente várias vezes por dia, mas 90% das vezes, não lhe diz nada de útil.  Namorado disquete: – Está ultrapassado há anos, mas tem gente que insiste em ter. Conteúdo limitado, não serve para quase nada hoje em dia! Mas você ainda encontra mulher dizendo que é bom.  Namorado no-break: está alí para te dar uma força quando você precisa, mas não aguenta muito tempo, só uns 10 minutinhos.
  6. 6.  Namorado impressora matricial: faz mais barulho do que serviço. Extremamente lerdo e ultrapassado, mas é melhor que não ter.  Namorado impressora a Laser: bonitão e moderninho. Você pensa que está fazendo um ótimo negócio, mas na hora do “vamover”, descobre que ele é muito rápido, quando você pensa que a impressão tá entrando, na verdade ela já saiu e o equipamento já foi automaticamente desligado.  Namorado Windows: todo mundo diz que não presta, mas você não vive sem ele. Muitas vezes também confundido com o namorado cd-rom.  Namorado CD-ROM: extremamente rodado, sua irmã, sua amiga, sua prima, sua vizinha e toda torcida do flamengo já experimentou, mesmo assim você também quer testar.  Namorado Linux: faz tudo que você precisa, mas requer habilidade para manuseio. Normalmente todas as suas amigas o odeiam.  Namorado Mouse: só funciona quando é arrastado e apertado. Mas quem é que vive sem ele?  Namorado papel de parede: não serve para nada, mas é bonitinho.  Namorado proteção de tela: solta as asinhas toda vez que você não está presente. Pensa que ninguém está vendo, mas sempre tem um para comentar depois.  Namorado provedor de internet: vive cheio de problemas e está sempre ocupado demais para te ouvir.  Namorado Firefox: com o tempo foi ficando pesado. Mas, mesmo gordinho, você prefere continuar com ele.  Namorado Internet Explorer: mesmo que você tenha deixado de usar devido às outras opções disponíveis no mercado, ele sempre estará lá para ocupar espaço. Não dá para se livrar dele sem abrir mão de muitas outras coisas. Esse tipo namorado é conhecido em algumas culturas como MARIDO.
  7. 7. 3-3- METONÍMIAMETONÍMIA - É a figura em que um termo é usado no lugar de outro para- É a figura em que um termo é usado no lugar de outro para designar uma coisa, porque esse termo mantém com a coisa designada uma relaçãodesignar uma coisa, porque esse termo mantém com a coisa designada uma relação lógica facilmente identificável.lógica facilmente identificável. a) parte pelo todoa) parte pelo todo O bonde passa cheio de pernas:O bonde passa cheio de pernas: pernas brancas pretas amarelas.pernas brancas pretas amarelas. Para que tanta perna, meu Deus, pergunta meu coração.Para que tanta perna, meu Deus, pergunta meu coração. b) o lugar pela coisab) o lugar pela coisa Champanhe só se toma bem gelado. (champanhe é nome de uma regiãoChampanhe só se toma bem gelado. (champanhe é nome de uma região onde seonde se produz vinho espumante)produz vinho espumante) c) O instrumento pela pessoa que o utilizac) O instrumento pela pessoa que o utiliza A melhor tesoura da região.A melhor tesoura da região. O gatilho mais rápido do oeste.O gatilho mais rápido do oeste. d) O autor pela obrad) O autor pela obra Eu leio Clarice LispectorEu leio Clarice Lispector e) A marca pelo produtoe) A marca pelo produto Ela bebeu Coca-cola, comprou Bombril e deu ao filho mingau de Maizena.Ela bebeu Coca-cola, comprou Bombril e deu ao filho mingau de Maizena. f) O continente pelo conteúdof) O continente pelo conteúdo Comi um prato bem cheio.Comi um prato bem cheio.
  8. 8. ANTONOMÁSIA – é a substituição de um nome por uma expressão que indica a coisa ou pessoa, salientando suas qualidades ou um fato notável pelo qual é conhecida.  Ex: A dama do teatro brasileiro foi indicada para o Oscar. (Fernanda Montenegro)  Quincas Borba é uma das obras-primas do Bruxo do Cosme Velho. (Machado de Assis) SINESTESIA – consiste na mistura de sensações que produzem forte sugestão.  Ex: Meu Deus como é sublime um canto ardente. (Castro Alves)  Indefiníveis músicas supremas,  Harmonia da Cor e do Perfume... (Cruz e Sousa)
  9. 9. FIGURAS DE PENSAMENTO  As figuras de pensamento ocorrem quando empregamos, intencionalmente, ideias diferentes daquelas que normalmente a palavra ou expressão sugere na frase. As principais figuras de pensamento são a antítese, o eufemismo, a ironia, a hipérbole, a personificação, a gradação, a apóstrofe e o paradoxo.  ANTÍTESE – consiste no emprego de palavras ou expressões de sentidos opostos para caracterizar um mesmo elemento.  Ex:  Te ver e não te querer É improvável, é impossível Te ter e ter que esquecer É insuportável É dor incrível... (skank)
  10. 10. PARADOXO (oxímoro) – representa a aproximação de termos ou ideias contraditórias associadas a uma só ideia.  Ex: É como mergulhar no rio E não se molhar É como não morrer de frio No gelo polar (skank)  Amor é fogo que arde sem se ver; É ferida que dói e não se sente; É um contentamento descontente; É dor que desatina sem doer (Camões)
  11. 11. EUFEMISMO – consiste em suavizar a linguagem, evitando-se o emprego de palavras ou expressões consideradas desagradáveis:  Ex: Faxineiro é = Supervisor Geral de Bem-Estar, Higiene e Saúde.  • Porteiro = Oficial Coordenador de Movimentação Interna.  • Vigia = Oficial Coordenador de Movimentação Noturna.  • Garçom = Especialista em Logística de Alimentos.  • Camelô = Distribuidor de Produtos Alternativos de Alta Rotatividade.  • Gari = Técnico Saneador de Vias Publicas.  • Garota de Programa => Especialista em Entretenimento Masculino.  • Travesti = Dublê de Especialista em Entretenimento Masculino.  • Cafetão = Supervisor dos Serviços de Entretenimento Masculino.  • Ladrão = Técnico em Redistribuição de Renda.
  12. 12. IRONIA - ocorre quando se diz o contrário do que se pensa, normalmente com intenção sarcástica.
  13. 13. HIPÉRBOLE - consiste no uso de uma expressão exagerada, em geral com o intuito de realçar uma ideia.  Ex:“Rios te correrão dos olhos, se chorares!” (Olavo Bilac)  “Um quarteirão de perucas para Clodovil Pereira” (José Cândido Carvalho)  “Assim esperamos – disse a platéia, já agora morrendo de rir.” (Caetano Veloso)  “Moça linda bem tratada, três séculos de família, burra como uma porta: um amor! (Mário de Andrade)
  14. 14. PERSONIFICAÇÃO OU PROSOPOPÉIA  Ocorre quando se atribui ações, sentimentos, qualidades e linguagem próprios de ser humano a seres inanimados.  Ex:
  15. 15. GRADAÇÃO  Consiste na apresentação de uma sequência de ideias em progressão, tanto no sentido crescente como decrescente.  Ex:  “Um coração chagado de desejos Latejando, batendo, restrugindo.” Eu ligaria para você mesmo que eu não tivesse os dedos, as mãos, os braços.  "O primeiro milhão possuído excita, acirra, assanha a gula do milionário." (Olavo Bilac)  "O trigo... nasceu, cresceu, espinhou, amadureceu, colheu-se, mediu-se." (Vieira)
  16. 16. FIGURAS DE CONSTRUÇÃOFIGURAS DE CONSTRUÇÃO  ZEUGMA – ocorre quando há a omissão de uma ou mais palavras já expressas anteriormente. No exemplo abaixo observe que há verbos que não se repetem.  Ex:  Houve tempo em que os meus olhos  Gostavam do sol brilhante,  E (gostavam) do negro véu da noite,  E da aurora cintilante.  Gostavam da branca nuvem  Em céu de azul espraiada,  (gostavam)Do terno gemer da fonte  Sobre pedras despenhadas.  (Gonçalves Dias) 
  17. 17. PLEONASMO  Consiste na repetição redundante de palavras ou expressões diferentes, porém com o mesmo sentido, para realçar uma ideia ou deixá-la mais clara.  Ex:  “Sorriu para Holanda um sorriso ainda marcado de pavor.”  Manuel Bandeira:  “Chovia uma triste chuva de resignação.”  Vinícius de Morais:  ”E em seu louvor hei de espalhar meu canto  E rir meu riso e derramar meu pranto.”  "sonhar um sonho“  "entrar para dentro" "sair para fora" "subir para cima" "descer para baixo“  "ver com os olhos" "andar com os pés", etc.
  18. 18. POLISSÍNDETO – é a repetição constante de uma conjunção coordenativa entre a orações ou termos coordenados.  Ex:  E a nevoa e flores e o doce ar cheiroso  Do amanhecer da serra  E o céu azul e o manto nebuloso  Do céu de minha terra;  [...] Álvares de Azevedo  ASSÍNDETO – consiste na ausência de conectivo entre os termos e ou orações.  Ex:  Erguem os colos, voltam as cabeças;  Param o ledo canto,  Move-se o tronco, o vento se suspende;  [...] Tomás Antonio Gonzaga.
  19. 19. ANÁFORA – consiste na repetição de uma ou mais palavras para dar ênfase a uma ideia.  Ex:  Nem um minuto se passa,  Nem um inseto esvoaça,  Nem uma brisa perpassa  Sem uma lembrança aqui:  [...] Fagundes Varela SILEPSE – consiste na concordância feita com um termo que está subentendido, e não com o termo que aparece claro na oração. Há três tipos de silepse:  * DE GÊNERO: Vossa Excelência parece cansado devido à viagem.  * DE NÚMERO: O pessoal ficou apavorado e saíram correndo.  * DE PESSOA: Os brasileiros gostamos de futebol.
  20. 20. FIGURAS DE SONORIDADE ALITERAÇÃOALITERAÇÃO Consiste na repetição ordenada de mesmos sonsConsiste na repetição ordenada de mesmos sons consonantais.consonantais. “Es“Espperando,erando, pparada,arada, ppregada naregada na ppedra doedra do pporto.”orto.” "Chegamos de uma terra feia, fria, fétida, fútil.“ ASSONÂNCIAASSONÂNCIA - Consiste na repetição ordenada de sons- Consiste na repetição ordenada de sons vocálicos idênticos.vocálicos idênticos.  ““Sou um mulSou um mulaato nto naato no sentido lto no sentido laatoto  mulmulaato democrto democráático do litortico do litoraal.”l.” Na messe, que enlouquece, estremece a quermesse... O Sol, o celestial girassol, esmorece... E as cantilenas de serenos sons amenos Fogem fluidas, fluindo à fina flor dos fenos. (Eugênio de Castro)
  21. 21. ONOMATOPEIAONOMATOPEIA – é o nome dado à palavra que imita certos sons ou ruídos.  Ex:  “E era tudo silêncio na saleta de costura; não se ouvia mais que o plic-plic-plic-plic da agulha no pano.” (Machado de Assis) 

×