Com o passar dos anos, as pessoasapresentam limitações devidas a algumasmodificações físicas. A visão, a audição, oolfato,...
O que favorece uma resistência quanto aaceitar que os anos se passaram oumesmo a rejeitam usando de algunsartifícios para ...
O processo deenvelhecimentopopulacional vem sendovivenciado de maneiramais intensa no mundoatual. Compõe um grandedesafio ...
A participação dos idosos naUniversidade Aberta à Terceira Idadepode significar uma forma depreencherem seu tempo com ativ...
A imagem dos idosos jogandoxadrez na praça, passando o diafazendo bolinhos ou tricotandona cadeira de balanço é coisa dopa...
Com a melhora na qualidade de vida,devido a melhores condições de acesso àsaúde e tecnologia, a turma da melhoridade, com ...
Em face do crescimento do número deidosos, alguns programas e/ou projetosestão sendo implantados no sentido deincorporação...
O programa disponibiliza ainda outras atividadesvoltadas para esse grupo como: palestras, atividadefísica, cursos de pintu...
O critério de seleção dos idososvaria para cada unidade da USP.Disciplinas muito específicasexigem exame prévio decurrícul...
Sem dúvida que estudar é bom a qualquermomento, porém voltar ao banco da escolana terceira idade traz benefícios tanto par...
O aposentado Jayme Kuperman, de 95 anos: "Nãogosto de ficar sozinho e aqui a convivência é muitoboa. É uma terapia para a ...
Segundo Fauze Saadi, coordenadordo curso da PUC, “os alunos deveriamtirar uma fotografia quando ingressam nauniversidade e...
A aluna Neuza Guerreiro de Carvalho, 78anos, professora de Biologia aposentada,que em depoimento pessoal relata:
Há quatro anos frequentando a Universidade Aberta àTerceira Idade da USP, 23 cursos feitos, diversificados emárea de Music...
A aluna Neuza Guerreiro de Carvalho é um dos exemplos daimportância dos espaços abertos dentro das universidades, paraaten...
ConclusãoO desejo pelaescolarização estevepresente durante avida desses sujeitosdesde a infância,quando não tiverama oport...
A privação que sofreram, seja porterem que sair para trabalhar aindamuito jovens, ou por falta de escolaspúblicas, levou e...
O desejo de completar suaescolarização só pôde ser realizado naTerceira Idade. Vários fatorescontribuíram para que isto fo...
Trabalho patricia
Trabalho patricia
Trabalho patricia
Trabalho patricia
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Trabalho patricia

268 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
268
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho patricia

  1. 1. Com o passar dos anos, as pessoasapresentam limitações devidas a algumasmodificações físicas. A visão, a audição, oolfato, o paladar, o equilíbrio e o tato jánão são mais os mesmos e o esquecimentose torna cada vez mais corriqueiro. Taismudanças também refletem na família, nostatus, na riqueza, e são muito difíceis deserem aceitasEmbora cada pessoa reaja de maneirapeculiar a esta fase, de modo geral,quando estas perdas não sãocompreendidas resultam em um estado defragilidade, insegurança, medo,depressão, diminuição da auto estima,sentimento de rejeição e abandono
  2. 2. O que favorece uma resistência quanto aaceitar que os anos se passaram oumesmo a rejeitam usando de algunsartifícios para esconder a idade, comopor exemplo, copiar comportamentos deadolescentes (Debert, 1999). Não hárazão para não viver bem a velhice, poisembora haja limitações o importante ébuscar o saber, manter-se atualizadopara não se render ao sentimento deincapacidade e solidão. É necessário queo idoso tenha uma postura positiva erealista, para usufruir as maneirassaudáveis e viver a chamada “melhoridade”.
  3. 3. O processo deenvelhecimentopopulacional vem sendovivenciado de maneiramais intensa no mundoatual. Compõe um grandedesafio à sociedade, já queeste processo exige muitasmudanças para atender àsnovas necessidades que seimpõem. No Brasil, estequadro já é encontradodesde o início do século.
  4. 4. A participação dos idosos naUniversidade Aberta à Terceira Idadepode significar uma forma depreencherem seu tempo com atividadese convívio social; ou uma busca derealização pessoal, ou pode significarainda uma forma de escaparem dasolidão e elaborarem lutos dos filhos(que não são tão presentes comogostariam devido à independência ou àconstrução de sua nova família), dofalecimento de parceiros e amigos, ousimplesmente para sentirem-se inseridose pertinentes a esta nova sociedade.
  5. 5. A imagem dos idosos jogandoxadrez na praça, passando o diafazendo bolinhos ou tricotandona cadeira de balanço é coisa dopassado. No Brasil atualmentetemos cerca de 21 milhões depessoas com mais de 60 anos deidade, um crescimento de 23%nos últimos 10 anos, segundodados do IBGE (InstitutoBrasileiro de Geografia eEstatística) e a expectativa é deque, em 2025, existam 64milhões de brasileiros com maisde 60 anos.
  6. 6. Com a melhora na qualidade de vida,devido a melhores condições de acesso àsaúde e tecnologia, a turma da melhoridade, com preferem ser chamados,também tem se preocupado com osestudos, e a procura tem sido tão grandeque universidades de renome, comoUSP, Puc e Unesp, abriram cursosespecialmente para atendê-los e provadisso é que no último ENEM, dos 3,3milhões de estudantes que fizeram oEnem (Exame Nacional do EnsinoMédio) em 2010, 4.268 candidatos erampessoas com mais de 60 anos e entre os100 participantes mais velhos, as idadesvariaram entre 64 e 76 anos.
  7. 7. Em face do crescimento do número deidosos, alguns programas e/ou projetosestão sendo implantados no sentido deincorporação desses idosos na sociedade.Um destes projetos é representado pelosdiversos programas de aprendizagem eressocialização denominado “universidadeda terceira idade” aberta em diversasregiões do país. É o caso da Universidade deSão Paulo, que em 1993 criou o ProgramaUniversidade Aberta à Terceira Idade.Promovido pela Pró-Reitoria de Cultura eExtensão Universitária, sob coordenaçãoacadêmica da Profª. Drª. Ecléa Bosi.Oferece vagas gratuitas e sem a necessidadede prestar vestibulares, destinado às pessoasda terceira idade, em disciplinas regularesdos cursos de graduação
  8. 8. O programa disponibiliza ainda outras atividadesvoltadas para esse grupo como: palestras, atividadefísica, cursos de pintura, coral e música. O programasemestral destina-se à população maior de 60 anos, deacordo com o Estatuto do Idoso, Lei nº 10.741, de 1º deoutubro de 2003, independente do nível deescolaridade. O objetivo desse programa é integrar apessoa idosa na comunidade acadêmica; conscientizara pessoa da terceira idade da importância de seu papelna sociedade como elemento gerador de “equilíbriosocial”; possibilitar ao idoso aprofundar oconhecimento em alguma área de seu interesse e aomesmo tempo trocar informações e experiências com osalunos que estão iniciando o curso superior, comoforma de enriquecimento e valorização da vida.
  9. 9. O critério de seleção dos idososvaria para cada unidade da USP.Disciplinas muito específicasexigem exame prévio decurrículo ou entrevista com oprofessor responsável; para amaioria das disciplinas nada éexigido, desde que o candidatoapresente condições suficientesde aproveitamento. Os alunossão vinculados ao programa,tendo direito a receber umatestado de participação emitidopela Pró-Reitoria de Cultura eExtensão Universitária.
  10. 10. Sem dúvida que estudar é bom a qualquermomento, porém voltar ao banco da escolana terceira idade traz benefícios tanto paraa mente quanto para o corpo. Segundoespecialistas as pessoas que voltam aestudar na “melhor idade” passam a teruma melhor qualidade de vida física,mental e espiritual. Além do ganho com asaúde, também pode ser notado umamelhora na integração cultural e social, deacordo com relato dos próprios alunos,voltar a estudar traz uma maiorsociabilidade, aumenta a auto estima,recicla e atualiza os conhecimentos,desperta para novos projetos, traz novasamizades, além de preparar para oenvelhecimento saudável.
  11. 11. O aposentado Jayme Kuperman, de 95 anos: "Nãogosto de ficar sozinho e aqui a convivência é muitoboa. É uma terapia para a idade. Tem coisas que eunão lembro mais e aprendo de novo. Eu gosto detodas as aulas.”.
  12. 12. Segundo Fauze Saadi, coordenadordo curso da PUC, “os alunos deveriamtirar uma fotografia quando ingressam nauniversidade e meses depois, é quase umacirurgia plástica sem bisturi”, de tãogrande os benefícios que a universidadeproporciona aos alunos da “melhor idade”.Essa melhora se deve ao fato do idosoadotar uma postura firme de alunopropriamente dito, já que estudar passa aser uma opção dele e não uma obrigação, edesta forma o prazer é bem diferente. Emuitos conseguem fazer na “melhor idade’o que não conseguiram fazer na juventudee em alguns casos é a realização de sonho
  13. 13. A aluna Neuza Guerreiro de Carvalho, 78anos, professora de Biologia aposentada,que em depoimento pessoal relata:
  14. 14. Há quatro anos frequentando a Universidade Aberta àTerceira Idade da USP, 23 cursos feitos, diversificados emárea de Musica, Literatura, Arte, Ciências e Psicologia,propiciaram um aumento de cultura difícil de avaliar, masseguramente muito grande. Consequentemente aumento naauto-estima e segurança Coragem para emitir opiniõesporque apoiadas em conhecimentos; discussões comargumentos firmes. Timidez vencida. A convivência socialmais fácil porque navego por muitos assuntos e meuvocabulário aumentou por conta de muita leitura.Confiança nas atitudes profissionais e sociais Souparticipante, atuante e inserida no contexto social e nãofico à margem da vida. Sou atriz, no palco da vida, mesmoque coadjuvante, e não simples expectadora na plateia
  15. 15. A aluna Neuza Guerreiro de Carvalho é um dos exemplos daimportância dos espaços abertos dentro das universidades, paraatendimento à terceira idade, ela é participante atuante e comoconsequência relata que houve melhora na sua qualidade de vida eela procura incentivar aos idosos a fazerem parte desses programas.
  16. 16. ConclusãoO desejo pelaescolarização estevepresente durante avida desses sujeitosdesde a infância,quando não tiverama oportunidade deconcluir seusestudos em “idaderegular”, atéchegarem à TerceiraIdade.
  17. 17. A privação que sofreram, seja porterem que sair para trabalhar aindamuito jovens, ou por falta de escolaspúblicas, levou estes sujeitos a umacondição de excluídos. A exclusão,primeiramente de um direito, levou-osa serem excluídos em diversas outrassituações vivenciadas como porexemplo de uma melhor oportunidadede emprego, de uma maior e maisefetiva participação social, deconhecer de forma mais ampla seusdireitos como cidadãos e lutar porestes. Foram privados até mesmo, demuitas vezes, poder sonhar com diasmelhores e de usufruir de umamelhor qualidade de vida
  18. 18. O desejo de completar suaescolarização só pôde ser realizado naTerceira Idade. Vários fatorescontribuíram para que isto fossepossível nesta fase da vida. Quanto àquestão econômica essas pessoas jánão pagam passagens para frequentaruma escola. No que se refere à questãopolítica e à oferta de vagas, têm seudireito á educação garantido por leisfederais. A Terceira Idade vem lhespermitindo buscar a escolarização,uma vez que a maioria desses sujeitosjá se encontra aposentada e suasfamílias já “estão criadas.

×