O paganismo entra na igreja

1.236 visualizações

Publicada em

A maneira de como o paganismo se introdoziu na igreja assim como os seus costumes

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.236
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
23
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
72
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Além disso, a história confirma que o Imperador Constantino
  • O paganismo entra na igreja

    1. 1. O Paganismo entra na Igreja
    2. 2. Em 493, Clóvis I, rei dos francos, casou-se com Clotilde, princesa católica de Borgonha. Durante uma batalha com os alamanos, ele jurou aceitar o Deus de Clotilde e tornar-se cristão se saísse vitorioso. Em decorrência de sua vitória, ele foi batizado no dia de Natal de 496 “com três mil de seus soldados pelo Bispo Remígio de Reims” Em 507, Clóvis declarou guerra contra os visigodos. Ele era o agressor, e acreditava que “era uma guerra religiosa para libertar a Gália dos hereges arianos”. Reunindo suas tropas, ele fez-lhes um vigoroso discurso, no qual declarou: “Entristece-me o fato desses arianos dominarem uma parte da Gália. Marchemos, com a ajuda de Deus, e subjuguemos o seu país”. Sem dúvida, o elemento religioso foi muito poderoso nessa guerra, da qual dependia, humanamente falando, a supremacia do credo católico ou do ariano na Europa ocidental” Após a sua vitória sobre os visigodos , em 508, Clóvis recebeu honras especiais de Roma. A CONVERSÃO DE CLÓVIS
    3. 3. No período inicial da Igreja Cristã, todos os bispos possuíam quase a mesma autoridade. Mas com a ascensão de Leão I ao trono episcopal, em 440, o bispo de Roma começou a reivindicar mais explicitamente a sua supremacia sobre os demais bispos. Na passagem do quinto para o sexto século, o Papa Símaco foi “acusado de muitos crimes”. As acusações foram levadas ao herético rei ariano Teodorico, que convocou, com o consentimento do papa, um sínodo em 501 para tratar da questão. Algumas pessoas argumentavam “que o bispo romano não podia ser julgado por qualquer outra pessoa, mesmo que fosse acusado de crimes como aqueles dos quais Símaco era acusado” Finalmente, os membros de um sínodo realizado em 503 “exigiram que os oponentes e os acusadores do papa deveriam ser punidos. Teodorico, rei dos ostrogodos, que esteve diretamente envolvido na solução do problema, “ordenou agora que todas as igrejas em Roma fossem entregues a Símaco, e que somente ele fosse reconhecido como bispo desta cidade”. O PAPA SÍMACO
    4. 4. Justiniano era inspirado por dois grandes projetos: [1] restaurar o Império Romano ao redor do Mediterrâneo Ocidental, e [2] restabelecer a unidade da Igreja Cristã. Mas Justiniano não via esses dois alvos como dissociados um do outro. Em realidade, ele reconhecia que uniformidade em questões seculares só poderia ser bem-sucedida com “a mesma uniformidade em questões de fé.” Portanto, “Justiniano desejava reunificar todas as ramificações da Igreja Cristã e abolir todas as heresias” A pena de morte foi decretada a todos os que secretamente praticassem um culto pagão ou, uma vez convertidos, retornassem à sua antiga fé. Os filhos de pais pagãos deveriam ser tomados destes, batizados e instruídos na religião cristã. O IMPERADOR JUSTINIANO
    5. 5. Na segunda edição do seu Codex, publicado no dia 16 de novembro de 534, aparece uma carta escrita por Justiniano ao Papa João II, em 533, na qual ele reconhece o papa como “o cabeça de todas as Sagradas Igrejas” Embora Justiniano houvesse reconhecido oficialmente em 533 a primazia eclesiástica do papa, a Igreja de Roma ainda não tinha liberdade política para exercer sua supremacia. Desde a queda do Império Romano (476), Roma estava sempre sob domínio de um rei ariano. Os hérulos dominaram Roma até o tempo em que o seu rei Odoacro foi assassinado por Teodorico, em 493. Em 534, os vândalos foram completamente derrotados por Belisário e o seu exército. Mas Roma ainda não tinha sido libertada do domínio dos ostrogodos.
    6. 6. Em 538, pela primeira vez desde o fim da linhagem imperial ocidental, a cidade de Roma estava livre do domínio de um reino ariano. Naquele ano, o reino dos ostrogodos recebeu o seu golpe mortal. Sobre o contexto histórico de 538 d.C., podemos concluir que (1) Símaco não apenas se considerava superior ao governante secular, mas chegou mesmo a autodenominar-se “juiz em lugar de Deus” e “subgerente do Altíssimo”; (2) Justiniano I não apenas chamou o papa de “o cabeça de todas as Sagradas Igrejas”, mas também legalizou oficialmente a supremacia eclesiástica do papa; e (3) foi somente em 538 que a cidade de Roma se tornou livre do domínio de qualquer reino ariano “herético”, e a Igreja de Roma foi capaz de desenvolver mais efetivamente a sua supremacia eclesiástica.
    7. 7. Com esta união entre o paganismo, política e cristianismo, começaram a ser introduzidas dentro do seio cristão as práticas pagãs
    8. 8. Além disso, a história confirma que o Imperador Constantino, no ano 313 se converteu ao cristianismo. Esse acontecimento levou os dirigentes da igreja a considerar uma boa política transformar as festas mais populares dos pagãos em festas cristãs. Entre os romanos era celebrado o carnaval desde o dia 17 até ao dia 24 de dezembro, e no dia seguinte, o 25, era realizada a maior festa religiosa, o dia de culto ao deus sol. Esta foi a data escolhida com o propósito de fazer transformas as festas pagãs em festas cristãs.
    9. 9. “Rituais e cerimónias, das quais nem Paulo, nem Pedro jamais escutaram, infiltraram-se silenciosamente na Igreja, e com o tempo chegaram a ser consideradas instituições divinas.” (História da Igreja Cristã, p. 6,7)
    10. 10. “E no segundo ano do reinado de Nabucodonosor, Nabucodonosor teve sonhos; e o seu espírito se perturbou, e passou-se-lhe o sono. Respondeu o rei, e disse a Daniel (cujo nome era Beltessazar): Podes tu fazer-me saber o sonho que tive e a sua interpretação? Respondeu Daniel na presença do rei, dizendo: O segredo que o rei requer, nem sábios, nem astrólogos, nem magos, nem adivinhos o podem declarar ao rei; Mas há um Deus no céu, o qual revela os mistérios; ele, pois, fez saber ao rei Nabucodonosor o que há de acontecer nos últimos dias; o teu sonho e as visões da tua cabeça que tiveste na tua cama são estes:” (Daniel 2:1,26-28)
    11. 11. “Tu, ó rei, estavas vendo, e eis aqui uma grande estátua; esta estátua, que era imensa, cujo esplendor era excelente, e estava em pé diante de ti; e a sua aparência era terrível. A cabeça daquela estátua era de ouro fino; o seu peito e os seus braços de prata; o seu ventre e as suas coxas de cobre; as pernas de ferro; os seus pés em parte de ferro e em parte de barro. Tu, ó rei, és rei de reis; a quem o Deus do céu tem dado o reino, o poder, a força, e a glória. E onde quer que habitem os filhos de homens, na tua mão entregou os animais do campo, e as aves do céu, e fez que reinasse sobre todos eles; tu és a cabeça de ouro. E depois de ti se levantará outro reino, inferior ao teu; e um terceiro reino, de bronze, o qual dominará sobre toda a terra. E o quarto reino será forte como ferro; pois, como o ferro, esmiúça e quebra tudo; como o ferro que quebra todas as coisas, assim ele esmiuçará e fará em pedaços. E, quanto ao que viste dos pés e dos dedos, em parte de barro de oleiro, e em parte de ferro, isso será um reino dividido; Quanto ao que viste do ferro misturado com barro de lodo, misturar-se-ão com semente humana, mas não se ligarão um ao outro, assim como o ferro não se mistura com o barro.” (Daniel 2:31-41,43)
    12. 12. “No primeiro ano de Belsazar, rei de Babilónia, teve Daniel um sonho e visões da sua cabeça quando estava na sua cama; escreveu logo o sonho, e relatou a suma das coisas. Falou Daniel, e disse: Eu estava olhando na minha visão da noite, e eis que os quatro ventos do céu agitavam o mar grande. E quatro animais grandes, diferentes uns dos outros, subiam do mar. Estes grandes animais, que são quatro, são quatro reis, que se levantarão da terra.” (Daniel 7:1-3,17)
    13. 13. “E, quanto aos dez chifres, daquele mesmo reino se levantarão dez reis…” (Daniel 7:24)
    14. 14. DATA TRIBO PAÍS 351 D.C. Alamos Alemanha 351 D.C. Francos França 406 D.C. Borguinhões Suíça 409 D.C. Suevos Portugal 410 D.C. Visigodos Espanha 429 D.C. Anglo-Saxões Inglaterra 449 D.C. Lombardos Itália 453 D.C. Vândalos Argélia (Extinta) 453 D.C. Ostrogodos Itália (Extinta) 476 D.C. Hérulos Itália (Extinta)
    15. 15. “Das ruínas do império Romano, surgiu gradualmente um novo grupo de estados (nações) cujo foco central era a santa sede. Portanto, inevitavelmente, surgiu uma nova posição diferente das anteriores.” (A Igreja e as Igrejas, p. 42,43)
    16. 16. “A seguir á sucessão de césares, seguiu-se a sucessão de pontífices em Roma. O trono que Constantino deixou ao mudar- se para Constantinopla, foi entregue ao pontífice romano.” (Labanca, professor de história da Universidade de Roma)
    17. 17. “Sob o domínio do pontífice romano, os reis eram simplesmente seus vassalos e quase todos os reis e príncipes da Europa, juraram fidelidade e sujeição ao bispo de Roma, uma vez mais, Roma voltou a ser o centro do mundo.” (Meyer, História Geral, p. 455)
    18. 18. “Estando eu a considerar os chifres, eis que, entre eles subiu outro chifre pequeno, diante do qual três dos primeiros chifres foram arrancados; e eis que neste chifre havia olhos, como os de homem, e uma boca que falava grandes coisas.” (Daniel 7:8) “E, quanto aos dez chifres, daquele mesmo reino se levantarão dez reis; e depois deles se levantará outro, o qual será diferente dos primeiros, e abaterá a três reis.” (Daniel 7:24)
    19. 19. “E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos e a lei; e eles serão entregues na sua mão, por um tempo, e tempos, e a metade de um tempo.” Daniel 7:24,25
    20. 20. “E foi-lhe dada uma boca, para proferir grandes coisas e blasfêmias; e deu-se-lhe poder para agir por quarenta e dois meses. E abriu a sua boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar do seu nome, e do seu tabernáculo, e dos que habitam no céu.” Ap. 13:4,5 “PROFERIRÁ PALAVRAS CONTRA O ALTÍSSIMO” DANIEL 7:25
    21. 21. “Eu e o Pai somos um. Os judeus pegaram então outra vez em pedras para o apedrejar. Respondeu-lhes Jesus: Tenho-vos mostrado muitas obras boas procedentes de meu Pai; por qual destas obras me apedrejais? Os judeus responderam, dizendo-lhe: Não te apedrejamos por alguma obra boa, mas pela blasfêmia; porque, sendo tu homem, te fazes Deus a ti mesmo.” João 10:30-33 QUE É UMA BLASFÉMIA?
    22. 22. “Nós ocupamos nesta terra o lugar do Deus todo-poderoso.” (Papa Leão XIII) “O papa é o vicário de Cristo, soberano dos fiéis. O papa é reis dos reis e senhor dos senhores. Por isso ostenta uma coroa tripla: como rei do céu, da terra e do inferno. Apenas o papa é chamado de santíssimo porque é o único que legitimamente é santo.” (Enciclopédia Católica “Prompta Biblioteca”, artic. “papa”, Vol II, p. 26) “O Papa e Deus são o mesmo, logo ele tem todo o poder nos Céus e na terra” (Papa Pio V, citado em Barclay, Capítulo XXVII, p. 218, “Cities Petrus Bertanous”) QUE BLASFEMOU ESTE PODER?
    23. 23. “E Deus mesmo é obrigado a se submeter ao julgamento dos seus sacerdotes... O Soberano Mestre do universo somente segue o servo, confirmando no céu tudo o que o último decide na terra.” (Liguori, “Duties and Dignities of the Priest”, p27,28) “E o próprio Deus é obrigado a agir de acordo com o julgamento de seu sacerdote, perdoando ou não perdoando caso estes se recusem a dar a absolvição, contanto que o penitente tenha capacidade para tanto.” (Alphonsus Liguori, Duties and Dignities of the Priest, p.27.)
    24. 24. “Estes combaterão contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá, porque é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; vencerão os que estão com ele, chamados, e eleitos, e fiéis.” Ap. 17:14 SERÁ O PAPA REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES?
    25. 25. “O papa é de tão grande dignidade e exaltação, que não é um simples homem, ele é como o próprio Deus, o vicário de Deus na terra…” (Enciclopédia Católica “Prompta Biblioteca”, artic. “papa”, Vol II, p. 26)
    26. 26. “O papa é de uma dignidade tão sublime e suprema que, falando com propriedade, não foi estabelecido o seu valor numa escala de dignidade, mas foi colocado no topo de todas as dignidades. Ele é o deus supremo nesta terra.” (Enciclopédia Católica “Prompta Biblioteca”, artic. “papa”, Vol II, p. 26)
    27. 27. “Apenas o papa merece ser chamando “santíssimo”, “santo padre”, porque unicamente ele é o vicário de Cristo, manancial, fonte e plenitude de toda a santidade… o papa é o único que legitimamente é santo.” (Enciclopédia Católica “Prompta Biblioteca”, artic. “papa”, Vol II, p. 26)
    28. 28. “E a ninguém na terra chameis vosso pai, porque um só é o vosso Pai, o qual está nos céus.” Mateus 23:9
    29. 29. • Faz-se chamar santo padre – Rouba o titulo a Deus • Faz-se chamar Sumo pontífice (sacerdote) – Rouba o título a Jesus • Faz-se passar por vicário de Cristo – Rouba o título ao Espírito Santo (“E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre” João 14:16) O PAPA:
    30. 30. “Além disso, a superioridade e o poder do pontífice romano não se refere apenas às coisas celestiais, às terrenais e às que estão debaixo da terra, mas chegam até aos anjos do céu, pois o papa é maior que eles.” (Enciclopédia Católica “Prompta Biblioteca”, artic. “papa”, Vol II, p. 29)
    31. 31. “E eu pus-me sobre a areia do mar, e vi subir do mar uma besta que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre os seus chifres dez diademas, e sobre as suas cabeças um nome de blasfêmia. E a besta que vi era semelhante ao leopardo, e os seus pés como os de urso, e a sua boca como a de leão; e o dragão deu-lhe o seu poder, e o seu trono, e grande poderio. E vi uma das suas cabeças como ferida de morte, e a sua chaga mortal foi curada; e toda a terra se maravilhou após a besta. E adoraram o dragão que deu à besta o seu poder; e adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? Quem poderá batalhar contra ela? E foi-lhe dada uma boca, para proferir grandes coisas e blasfêmias; e deu-se-lhe poder para agir por quarenta e dois meses. E abriu a sua boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar do seu nome, e do seu tabernáculo, e dos que habitam no céu.” Ap. 13: 1-6) QUE FEZ ESTE PODER?
    32. 32. “De maneira que se fosse possível que os anjos errassem na fé, ou que pensassem de maneira diferente à fé, poderiam ser julgados e excomungados pelo papa… porque ele tem tão grande dignidade e poder que forma com Cristo um, e o mesmo tribunal.” (Enciclopédia Católica “Prompta Biblioteca”, artic. “papa”, Vol II, p. 29)
    33. 33. “O papa é como Deus na terra, soberano dos fiéis de Cristo, principal rei de reis, que tem a plenitude de poder, a quem Deus omnipotente confiou não só a direção da terra, mas também de um reino celestial.” (Enciclopédia Católica “Prompta Biblioteca”, artic. “papa”, Vol II, p. 29)
    34. 34. "Portanto, não te maravilhes si está em meu poder mudar tempo e tempos, alterar e mudar a lei, dispensar todas as cousas, sim, os próprios preceitos de Cristo. Porque onde Cristo manda a Pedro embainhar a espada, e exorta a seus discípulos a não usar de força material, exorto eu, Papa Nicolau, escrevendo aos bispos de França, que puxem pelas espadas materiais" (Papa Nicolau, em seu discurso de n° 96; Extraído de “Decretal de Translat, Episcop”, cap. 6) “O papa tem tão grande autoridade e poder que pode modificar, explicar, interpretar ou abolir as leis divinas…” (Enciclopédia Católica “Prompta Biblioteca”, artic. “papa”, Vol II, p. 29) "O Papa tem poder para mudar os tempos, abrogar leis e dispensar todas as coisas, mesmo os preceitos de Cristo” (Extraído de “Decretal de Translat, Episcop.”, cap. 6) “CUIDARÁ EM MUDAR OS TEMPOS E A LEI” DANIEL 7:25
    35. 35. "O Domingo é a nossa MARCA de autoridade… A Igreja de Roma está acima da Bíblia; e esta transferência da observância do Sábado para o Domingo é a prova desse fato." (Catholic Record, 1 de Setembro de 1923) No livro Cânon e Tradição, o Dr. H. J. Holtzmann descreve a cena passada no Concílio de Trento. Note-se como a decisão foi tomada para dar preferência à tradição na interpretação das Escrituras: "Finalmente, no dia 18 de Janeiro de 1562, toda hesitação foi posta de lado. O Arcebispo de Reggio fez um discurso onde declarou abertamente que a Tradição estava estabelecida acima das Escrituras. A autoridade da Igreja não deveria, portanto, submeter-se à autoridade das Escrituras, porque a Igreja tinha mudado... o Sétimo Dia para o Domingo, não pelo comando de Cristo, mas por sua própria autoridade."
    36. 36. "Podeis ler a Bíblia do Gênesis ao Apocalipse, e não encontrareis uma única linha que autorize a santificação do domingo. As Escrituras ordenam a observância religiosa do sábado, dia que nós nunca santificámos.“ (Cardeal James Gibbons, - The Faith of Our Fathers, pág 111) "O Domingo é uma instituição católica, e sua observância só pode ser defendida por princípios católicos. Do princípio ao fim das Escrituras não é possível encontrar uma única passagem que autorize a mudança do culto semanal, do último para o primeiro dia da semana." (Catholic Press, de 25 de agosto de 1900)
    37. 37. Decreto de Constantino (321dC) (Imperador Romano fundador da Igreja Católica Apostólica + Romana) antes de Constantino a Igreja era apenas conhecida como Católica Apostólica Crista (Edito de 07 março de 321dC, Corpus Juris Civilis Cord., Liv. 3, Tit.12,3) "Que os juízes e o povo das cidades, bem como os comerciantes, repousem no venerável dia do Sol. Aos moradores dos campos, porém, conceda-se atender livre e desembaraçadamente aos cuidados de sua lavoura, visto suceder frequentemente não haver dia mais adequado à semeadura e ao plantio das vinhas, pelo que não convém deixar passar a ocasião oportuna e privar-se a gente das provisões oferecidas pelo céu."
    38. 38. The Catholic Mirror, publicação oficial do Cardeal James Gibbons, 23 de Setembro de 1893: “Pergunta: Qual é o sétimo dia? Resposta: O sábado é o sétimo dia. Pergunta: Por que nós observamos o domingo em lugar do sábado? Resposta: Nós observamos o domingo em lugar do sábado porque a Igreja Católica, no Concílio de Niceia, em 325, transferiu a solenidade do sábado para o domingo”.
    39. 39. Pedro Geiermann, The Converts Catechism of Catholic Doctrine (Catecismo da Doutrina Católica dos Conversos), 2ª Edição (1957), pag. 50: “Pergunta: Tem você alguma outra forma de demonstrar que a Igreja tem poder para instituir festividades de preceito? Resposta: Se ela não tivesse tal poder, não poderia ter feito aquilo em que todos os religiosos modernos estão de acordo com ela. Ela não poderia haver trocado a observância do domingo, o primeiro dia da semana, pela observância do sábado, o sétimo dia: uma mudança para a qual não há autoridade das Escrituras”.
    40. 40. “Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim abrogar, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til jamais passará da lei, sem que tudo seja cumprido” (Mateus 5:17,18) “E é mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til da lei.” (Lucas 16:17) “Porque Eu, o Senhor, não mudo….” (Malaquias 3:6) “E assim invalidastes, pela vossa tradição, o mandamento de Deus.” (Mateus 15:6) “Pois quem obedece a toda a Lei, mas tropeça em apenas um ponto, torna-se culpado de quebrá-la inteiramente.” (Tiago 2:10) “Se me amais, guardai os meus mandamentos.” (João 14:15) Que diz a Bíblia?
    41. 41. “DESTRUIRÁ OS SANTOS DO ALTÍSSIMO” (Daniel 7:25) “E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra ao remanescente da sua semente, os que guardam os mandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus Cristo.” Apocalipse 12:17
    42. 42. Como a igreja católica mudou a lei de Deus, muitos fiéis viram-se sofrendo perseguição, tortura e morte em defesa da lei divina durante a inquisição. O papa João Paulo II veio aliás pedir perdão pelas atrocidades cometidas pela igreja católica. Num presente mais próximo o papa Benedito XVI veio pedir perdão pelos atos de pedofilia, violações, freiras grávidas, fetos mortos e enterrados. A bíblia diz “ não é bom que o homem esteja só” mas quiseram fazer leis de homens…
    43. 43. “E na sua testa estava escrito o nome: Mistério, a grande Babilónia, a mãe das prostituições e abominações da terra. E vi que a mulher estava embriagada do sangue dos santos, e do sangue das testemunhas de Jesus. E, vendo-a eu, maravilhei-me com grande admiração.” Ap. 17:5,6
    44. 44. “E a mulher estava vestida de púrpura e de escarlata, e adornada com ouro, e pedras preciosas e pérolas; e tinha na sua mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da sua prostituição” Ap. 17:4 Púrpura e escarlate – quem se veste desta maneira? Cálice de ouro – quem é a igreja que tem um cálice de ouro e o dá a beber? Aliás os bispos são chamados de purpurinos
    45. 45. “Aqui o sentido, que tem sabedoria. As sete cabeças são sete montes, sobre os quais a mulher está assentada.” Apocalipse 17:9
    46. 46. “E a mulher que viste é a grande cidade que reina sobre os reis da terra.” Apocalipse 17:18 UNIÃO POLITICO- RELIGIOSA
    47. 47. A união político-religiosa começou com Ninrode quando ele disse: “edifiquemos nós uma cidade e uma torre cujo cume toque nos céus” GN. 11:4 Ele queria ser igual a Deus, possuindo o domínio político e religioso Através de Ninrode foi como satanás tentou pela primeira vez exercer um domínio mundial na terra, ele foi um tipo de anticristo.
    48. 48. NOME DO PAPA EM LATIM
    49. 49. NOME DE NINRODE EM HEBRAICO
    50. 50. O PRIMEIRO PODEROSO QUE CITA A BÍBLIA “E Cuxe gerou a Ninrode; este começou a ser poderoso na terra. E este foi poderoso caçador diante da face do SENHOR; por isso se diz: Como Ninrode, poderoso caçador diante do SENHOR. E o princípio do seu reino foi Babel, Ereque, Acade e Calné, na terra de Sinar.” Génesis 10:8-10
    51. 51. Ninrode em hebraico significa adversário “diante da face do SENHOR” Génesis 10:9 A palavra hebraica que se emprega na expressão “diante da face” significa em realidade “contra” Portanto deveria ser lido contra Jehová SIGNIFICADO DO NOME NINRODE
    52. 52. QUE DISSE NINRODE? “edifiquemos nós uma cidade e uma torre cujo cume toque nos céus” Génesis. 11:4
    53. 53. “E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte. Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo.” Isaías 14:13-14 QUE DISSE SATANÁS?
    54. 54. O local onde se situava a cidade de Ninrode era chamado Esaglia, que significa a morada dos deuses Era composto principalmente por diversos palácios e pela torre de Babilónia
    55. 55. No topo da torre era onde estaria o trono do rei da Babilónia O nome da torre de Babel era Etemenanki, que significa em língua hebraica ponte para o céu. A torre de Babel era um “zigurate”. Zigurates eram torres, geralmente com 7 andares, que eram construídas para adoração do céu e seus astros. A torre de Babel serviu de modelo para todos os zigurates da antiguidade. A astrologia já existia nessa ocasião; carta astral, prognósticos através dos astros, não são coisas modernas, são práticas muito antigas. Os zigurates eram construídos para adoração do céu, consulta à lua, ao sol, às estrelas. Por isso vemos constantemente as expressões “deus sol”, “deusa lua”.
    56. 56. “Que não levantes os teus olhos aos céus e vejas o sol, e a lua, e as estrelas…” (Deuteronómio 4:19)
    57. 57. A Torre de Babel foi o motivo pelo qual Ninrode se fez chamar sumo pontífice, cujo significado é principal construtor de pontes A palavra pontífice é uma palavra composta • Pontí – porvém da palavra ponte • Tífice – provém da palavra artífice Pontí+tífice = Construtor de pontes Ponte esta que estaria entre o céu e a terra, com o trono de Ninrode em destaque
    58. 58. Ninrode, era neto de um dos filhos de Noé chamado Cão. Cão teve um filho chamado Cuxe que se casou com uma mulher chamada Semíramis. Cuxe e Semíramis tiveram um filho o qual recebeu o nome "Ninrode". Após a morte de seu pai, Ninrode casou-se com a sua própria mãe e tornou-se um rei poderoso
    59. 59. Após a morte de Ninrode, supostamente pelas mãos de um inimigo, a mãe-esposa de Ninrode ficou grávida, alegando que tinham sido os raios do deus sol, Baal (Ninrode), o que a levaram a conceber, pois segundo Semíramis, Ninrode tinha ascendido ao céu e tomado posse do sol. O fruto dessa relação foi Tamuz, um ser divino gerado quando Semíramis era ainda virgem. Ela propagou a perversa doutrina da encarnação, afirmando que Tamuz era a reencarnação de Ninrode. Começaram, além de adorar Ninrode reencarnado, a adorar Semíramis como a deusa da fertilidade. Em outras culturas, ela era também conhecida por: Ashtarot e Baal Fenícia Ishtar ou Inanna Assíria Isis e Osiris Egito Afrodite e Eros Grécia Venus e Cupido Roma Cibele e Deoius Ásia
    60. 60. Semíramis alegou que foi concebida imaculadamente, e que veio da lua em forma de ovo gigante, o qual caiu no rio Eufrates. Semíramis tornou-se conhecida como "Ishtar" que é pronunciado como "Easter“ (páscoa em português), e o seu ovo lua tornou-se conhecido como "Ishtar" ovo ". Este passou a ser um dia dedicado para comemorar a ressurreição de um de seus deuses, "Tamuz", que acreditavam ser o filho unigênito da deusa lua e do deus sol.
    61. 61. Como as festividades da chegada da primavera eram uma alusão à suposta ressurreição de Tamuz, esta estação do ano era vista como uma mudança de tempo, uma época de fartura, o renascimento da terra iluminado pelo deus-sol (Ninrode ou Tamuz supostamente ressuscitado). Os povos antigos comemoravam esse festival decorando ovos, os quais eram depois enterrados ou lançados ao fogo como oferta aos deuses. Ambos, o coelho e o ovo de simbolizam o ato sexual e o início da vida. O ovo sendo chocado pelo calor do sol dava (segundo a lenda) vida a tudo o que existe. O coelho por ser extremamente fértil simbolizava a procriação. Os rituais da chegada da primavera envolviam muita orgia entre os sacerdotes e sacerdotisas (prostitutas sagradas) O ORIGEM DO COELHO E DOS OVOS
    62. 62. Acreditando que as pessoas são livres para estabelecer seus próprios costumes regionais, aos poucos os símbolos das celebrações da chegada da primavera foram sendo incorporados às tradições da igreja católica. A aprovação definitiva da Páscoa foi fixada no primeiro Concílio de Nicéia, no ano de 325.
    63. 63. Outro símbolo atribuído a Tamuz é o de uma serpente enrolada num ovo Nas tradições babilónicas acreditavam que a serpente fecundava o ovo e por isso era um símbolo de vida Isso podemos ver ainda hoje no símbolo da medicina onde se usa o mesmo simbolismo da serpente.
    64. 64. DIA DE NASCIMENTO DE TAMUZ Semíramis tomou conhecimento sobre a promessa de Deus em enviar o Messias ao mundo e logo criou a mentira dizendo que Tamuz, seu filho, era o cumprimento dessa promessa, pois as pessoas aguardavam ansiosamente pelo salvador prometido desde o início da humanidade (veja Gênesis 3:15), eles acreditaram que Tamuz era esse salvador. O dia mais curto do ano é o dia 21 de Dezembro, o chamado solstício de Inverno. Os três dias que se seguem, 22, 23 e 24 têm exatamente o mesmo número de horas de sol. O dia 25 de Dezembro é o dia em que os dias começam a ficar maiores O deus sol dos babilónicos (Tamuz) nasceu no dia 25 de dezembro, e como também é neste dia que os dias começam a ficar maiores, era celebrado o dia de nascimento do deus sol Durante 2000 anos até ao nascimento de Cristo, os babilónicos, os medo persas, os gregos e os romanos, celebraram no dia 25 de dezembro o nascimento do deus sol, (Tamuz)
    65. 65. A morte de Tamuz deveu-se a um golpe de um porco selvagem durante uma caçada, sendo encontrado já sem vida em cima do tronco de uma árvore. Mais tarde Semíramis disse que do tronco onde o seu filho tinha morrido, nasceu uma árvore, um pinheiro. Este pinheiro era, no dia do nascimento do deus sol (25 de dezembro), coberto de tochas de luz e bolas brilhantes, havia troca de presentes e as pessoas juntavam-se com amigos e família em grandes banquetes. Tudo em celebração do nascimento do deus sol A MORTE DE TAMUZ
    66. 66. “Porque os costumes dos povos são vaidade; pois corta-se do bosque um madeiro, obra das mãos do artífice, feita com machado; Com prata e com ouro o enfeitam, com pregos e com martelos o firmam, para que não se mova.” Jeremias 10:3,4
    67. 67. Este culto ao deus sol era feito através de um pinheiro, por isso mesmo é que ainda hoje o pinheiro de natal é adornado com luzes e inclusivamente é colocada uma estrela no topo do pinheiro, à qual chamam estrela de Belém. Na realidade esta estrela é a estrela do oriente, representando Tamuz, pois ele nas tradições babilónicas era chamado a estrela de Vénus, a primeira a aparecer no céu. Também quando Ninrode perdeu a sua vida, a rainha Semíramis proclamou que Baal (outro nome dado ao deus sol Ninrode) estaria presente na terra, na forma de uma chama, de vela ou lâmpada, quando usados ​​na adoração.
    68. 68. Imagem de adoração ao deus sol, onde podemos ver claramente o pinheiro decorado, como já vimos na foto anterior
    69. 69. É BÍBLICA A TROCA DE PRESENTES? "A troca de presentes entre amigos é característico tanto do Natal como da Saturnália, e os cristãos seguramente a copiaram dos pagãos, como o demonstra com clareza o conselho de Tertuliano". (Biblioteca Sacra, vol. 12, páginas 153-155) O costume de trocar presentes com amigos e parentes durante a época natalina não tem absolutamente nada a ver com o cristianismo! Ele não celebra o nascimento de Jesus Cristo nem O honra! (Suponhamos que é o aniversário de alguma pessoa que você estima. Será que a honrarias comprando presentes para os seus próprios amigos??... Omitirias a pessoa a quem deveria honrar??... Não parece absurdo deste ponto de vista?!...)
    70. 70. Contudo, isto é precisamente o que as pessoas fazem em todo o mundo. Observam um dia em que Cristo não nasceu, gastando muito dinheiro em presentes para parentes e amigos. Porém, anos de experiência nos ensinam que os cristãos confessos se esquecem de dar o que deviam, a Cristo e a Sua obra, no mês de dezembro. Este é o mês em que mais sofre a obra de Deus. Aparentemente as pessoas estão tão ocupadas trocando presentes natalinos que não se lembram de Cristo nem de Sua obra. Depois, durante janeiro a fevereiro, tratam de recuperar tudo o que gastaram no Natal, de modo que muitos, no que se refere ao apoio que dão a Cristo e Sua obra, não voltam à normalidade até março. Vejamos o que diz a Bíblia em Mateus 2:1,11 com respeito aos presentes que levaram os magos quando Jesus nasceu: "E, tendo nascido Jesus em Belém de Judeia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do oriente a Jerusalém, ... E, entrando na CASA, acharam o menino com Maria sua mãe e, prostrando-se, O adoraram; e abrindo os seus tesouros, ofertaram-lhe dádivas: ouro, incenso e mirra."
    71. 71. No Oriente não se costuma entrar na presença de reis ou pessoas importantes com as mãos vazias. Este costume ocorre com frequência no Velho Testamento e ainda persiste no Oriente e em algumas ilhas do Pacífico Sul. Os magos não estavam instituindo um novo costume cristão de troca de presentes para honrar o nascimento de Jesus Cristo! Procederam de acordo com um antigo costume Oriental que consistia em levar presentes ao rei ao apresentarem-se a ele. Eles foram pessoalmente à presença do Rei dos Judeus. Portanto, levaram oferendas, da mesma maneira que a rainha de Sabá levou a Salomão, e assim como levam aqueles que hoje visitam um chefe de estado. O costume de trocas de presentes de Natal nada tem a ver com o nascimento do Cristo de Deus, é apenas a continuação de um costume pagão. POR QUE LEVARAM OS MAGOS PRESENTES A CRISTO?
    72. 72. SERIAM TRÊS? Na tradição natalícia é-nos dito que foram três magos: Gaspar, Melchior e Baltasar, que levaram presentes a Jesus no dia do Seu nascimento (o que não verdade, como será demonstrado mais á frente) No relato Bíblico não nos fala de três magos, fala sim de três presentes, presentes estes que eram simbólicos para a Cristo: • Ouro: para o Rei • Incenso: para o Sumo-Sacerdote • Mirra: para o grande Médico
    73. 73. Há pessoas que insistem em que, apesar das raízes do Natal estarem no paganismo, agora elas não observam o Natal para honrarem um falso deus, o deus sol, senão para honrarem a Jesus Cristo. Mas Deus diz: "Guarda-te, que não te enlaces seguindo-as, ...; e que não perguntes acerca dos seus deuses, dizendo: 'Assim como serviram estas nações os seus deuses, do mesmo modo também farei eu.' Assim não farás ao SENHOR teu Deus; porque tudo o que é abominável ao SENHOR, e que Ele odeia, fizeram eles a seus deuses; ...". (Deut 12:30-31) CONHECEDORES DA ORIGEM DO NATAL, MAS CELEBRAM-NO
    74. 74. "Assim diz o SENHOR: 'Não aprendais o caminho dos gentios, ... Porque os costumes dos povos são vaidade; ..." (Jr 10:2-3). Deus disse-nos claramente que não aceitará este tipo de adoração: ainda que tenha hoje a intenção de honrá-Lo, teve origem pagã e, como tal, é abominável honra-o não a Ele, mas sim aos falsos deuses pagãos.
    75. 75. "Deus é Espírito; e importa que os que O adoram O adorem em espírito e em verdade". (João 4.24). O que é a verdade? Jesus disse que a Sua palavra, a Bíblia, é a verdade (João 17:17). E a Bíblia diz que Deus não aceitará o culto de pessoas que, querendo honrar a Cristo, adotem um costume pagão: "Mas em vão me adoram, ensinando doutrina que são preceitos dos homens." (Mt 15:9). A comemoração do Natal é um mandamento (uma tradição) de homens e isto não agrada a Deus. "E assim invalidastes, pela vossa tradição, o mandamento de Deus" (Mat 15:6). "Assim não farás ao SENHOR teu Deus; porque tudo o que é abominável ao SENHOR, e que ele odeia, fizeram eles a seus deuses..." (Deut 12:31)
    76. 76. Nos tempos antigos quando, as tradições romanas estavam sendo suplantadas pelas tradições orientais importadas, os maiores festejos realizavam-se em honra do deus Mitra, cujo nascimento se comemorava a 25 de Dezembro. O culto de Mitra, o deus do sol, da luz e da retidão, penetrou em Roma no 1º século AC. Mitra era o correspondente iraniano do babilônico Tamuz. A data entrou no calendário civil romano em 274, quando o Imperador Aureliano declarou aquele dia o maior feriado em Roma. A data assinalava a festa mitraísta do Natális Solis Invicti (Nascimento do sol invencível). Através do casamento de Roma com a igreja, o dia 25 de dezembro foi maquiado; a dia do nascimento de Jesus para que pudesse adentrar sutilmente no púlpito cristão, fazendo com que muito através no natal, adorem inocentemente o sol, até que saibam disso.
    77. 77. “E disse-me: Filho do homem, levanta agora os teus olhos para o caminho do norte. E levantei os meus olhos para o caminho do norte, e eis que ao norte da porta do altar, estava esta imagem de ciúmes na entrada. E disse-me: Filho do homem, vês tu o que eles estão fazendo? As grandes abominações que a casa de Israel faz aqui, para que me afaste do meu santuário? Mas ainda tornarás a ver maiores abominações. E levou-me à porta do átrio; então olhei, e eis que havia um buraco na parede. E disse-me: Filho do homem, cava agora naquela parede. E cavei na parede, e eis que havia uma porta. Então me disse: Entra, e vê as malignas abominações que eles fazem aqui. E entrei, e olhei, e eis que toda a forma de répteis, e animais abomináveis, e de todos os ídolos da casa de Israel, estavam pintados na parede em todo o redor. E estavam em pé diante deles setenta homens dos anciãos da casa de Israel, e Jaazanias, filho de Safã, em pé, no meio deles, e cada um tinha na mão o seu incensário; e subia uma espessa nuvem de incenso. Então me disse: Viste, filho do homem, o que os anciãos da casa de Israel fazem nas trevas, cada um nas suas câmaras pintadas de imagens? Pois dizem: O SENHOR não nos vê; o SENHOR abandonou a terra. E disse-me: Ainda tornarás a ver maiores abominações, que estes fazem. E levou-me à entrada da porta da casa do SENHOR, que está do lado norte, e eis que estavam ali mulheres assentadas chorando a Tamuz.” Ezequiel 8:5-14 REFERÊNCIA A TAMUZ NA BÍBLIA
    78. 78. Segundo a história, corpo de Tamuz foi cortado em pedaços e enviado a todas as partes. Sua mãe, Semíramis, havia então ordenado uma busca a todas as partes para remontar o corpo e ressuscitar o filho. A busca durou quarenta dias, durante os quais, Semíramis com todas as sacerdotisas que serviam na sua religião, choraram e jejuaram. Quando reuniram as partes do corpo que encontraram, Semíramis verificou que lhe faltava uma parte, o órgão sexual masculino o qual lhe foi dito que estaria no rio Eufrates. Ordenou-se então uma busca, pois necessitava desse órgão para dar vida novamente a Tamuz. Redes de pesca percorriam todo o rio Eufrates, em busca da parte do corpo que faltava a Tamuz. Muitos peixes foram retirados do rio nesta procura, e obviamente comidos. Ao final do período de busca, diz a lenda que finalmente foi possível reconstituir o corpo do morto; então sua mãe deita-se sobre ele todo um dia, para reaquecer e dar novamente vida ao corpo, e ao final disso o ressuscita. Então ocorria uma comemoração à ressurreição e culto à fertilidade com rituais de prostituição. Foram adotados o coelho e os ovos como símbolo da fertilidade – daí a tradição de se comerem ovos de páscoa. Tudo isso veio do culto pagão a Tamuz, proveniente da religião pagã. PORQUE CHORAVAM AS MULHERES POR TAMUZ?
    79. 79. Isto foi uma demonstração do poder da mãe. Ela começou a ser adorada com o título de ‘rainha dos céus’ ou ‘deusa mãe’. O símbolo desta religião foi a imagem da mãe com a criança nos braços conhecido como ‘o mistério da mãe com a criança’.
    80. 80. A quem chamam Rainha dos Céus atualmente? “Desde os primeiros séculos da Igreja católica, elevou o povo cristão orações e cânticos de louvor e de devoção à Rainha do céu tanto nos momentos de alegria, como sobretudo quando se via ameaçado por graves perigos; e nunca foi frustrada a esperança posta na Mãe do Rei divino, Jesus Cristo, nem se enfraqueceu a fé, que nos ensina reinar com materno coração no universo inteiro a Virgem Maria, Mãe de Deus, assim como está coroada de glória na bem-aventurança celeste.” (CARTA ENCÍCLICA do papa Pio XII)
    81. 81. “Os filhos apanham a lenha, e os pais acendem o fogo, e as mulheres preparam a massa, para fazerem bolos à rainha dos céus, e oferecem libações a outros deuses, para me provocarem à ira.” (Jeremias 7:18)
    82. 82. A tradição dos 40 dias de luto foi adotada pela igreja cristã moderna. Os quarenta dias converteram-se na quaresma, e o não comer carne, apenas peixe na sexta feira santa, faz-se exatamente na mesma data em que finalizavam os 40 dias de busca do corpo de Tamuz. A tradição continua na Igreja católica
    83. 83. A celebração da morte de Tamuz era feita anualmente, e assim como as sacerdotisas fizeram luto 40 dias pela sua morte, assim era este acontecimento celebrado anualmente. Este luto começava na quarta feira em que os adoradores iam aos sacerdotes de Tamuz, os quais se vestiam de negro, rapavam a sua cabeça e usavam um solidéu. Os adoradores de Tamuz iam então aos sacerdotes receberem o sinal de luto, que era um “T” de Tamuz em forma de cruz, colocado na testa destes adoradores usando cinzas. Hoje celebra-se esta data na igreja católica, sendo chamada quarta-feira de cinzas, o primeiro dia de quaresma.
    84. 84. “Ora, havia naquela mesma comarca pastores que estavam no campo, e guardavam, durante as vigílias da noite, o seu rebanho. E eis que o anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de resplendor, e tiveram grande temor. E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo: Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor. E isto vos será por sinal: Achareis o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura.” Lucas 2:8-10 SERÁ QUE FOI A 25 DE DEZEMBRO O NASCIMENTO DE JESUS?
    85. 85. • Belém situa-se no hemisfério norte, onde cai neve e gelo todo o mês de dezembro • Se virem alguma vez uma festa católica de Belém verão que está tudo coberto de neve • Os pastores, em outubro, guardam o seu rebanho até á primavera por causa do frio • A Bíblia diz-nos inclusivamente que era de noite, logo o frio seria maior • Poderia a mãe de Jesus levar o seu filho para uma manjedoura, um local aberto e desabrigado, onde comem os animais, durante este mês tão frio, tendo-o envolvido em simples panos? • Poderiam, aliás, viajar com o clima que se verificava? • Aliás Jesus disse: “Orai para que a vossa fuga não suceda no inverno” A MANJEDOURA
    86. 86. “E, tendo nascido Jesus em Belém de Judeia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do oriente a Jerusalém, Dizendo: Onde está aquele que é nascido rei dos judeus? porque vimos a sua estrela no oriente, e viemos a adorá-lo. E o rei Herodes, ouvindo isto, perturbou-se, e toda Jerusalém com ele. E, congregados todos os príncipes dos sacerdotes, e os escribas do povo, perguntou-lhes onde havia de nascer o Cristo. E eles lhe disseram: Em Belém de Judeia; porque assim está escrito pelo profeta: E tu, Belém, terra de Judá, De modo nenhum és a menor entre as capitais de Judá; Porque de ti sairá o Guia Que há de apascentar o meu povo de Israel. Então Herodes, chamando secretamente os magos, inquiriu exatamente deles acerca do tempo em que a estrela lhes aparecera. E, enviando-os a Belém, disse: Ide, e perguntai diligentemente pelo menino e, quando o achardes, participai-mo, para que também eu vá e o adore. E, tendo eles ouvido o rei, partiram; e eis que a estrela, que tinham visto no oriente, ia adiante deles, até que, chegando, se deteve sobre o lugar onde estava o menino. E, vendo eles a estrela, regozijaram-se muito com grande alegria. E, entrando na casa, acharam o menino com Maria sua mãe e, prostrando-se, o adoraram; e abrindo os seus tesouros, ofertaram-lhe dádivas: ouro, incenso e mirra.” Mateus 2:1-12 OS REIS MAGOS
    87. 87. “E, tendo eles se retirado, eis que o anjo do Senhor apareceu a José em sonhos, dizendo: Levanta-te, e toma o menino e sua mãe, e foge para o Egito, e demora-te lá até que eu te diga; porque Herodes há de procurar o menino para o matar. E, levantando-se ele, tomou o menino e sua mãe, de noite, e foi para o Egito. E esteve lá, até à morte de Herodes, para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor pelo profeta, que diz: Do Egito chamei o meu Filho. Então Herodes, vendo que tinha sido iludido pelos magos, irritou-se muito, e mandou matar todos os meninos que havia em Belém, e em todos os seus contornos, de dois anos para baixo, segundo o tempo que diligentemente inquirira dos magos.” Mateus 2:13-16 QUANTO TINHA PASSADO DESDE QUE JESUS NASCEU, ATÉ À VISITA DOS REIS MAGOS? • José, Maria e Jesus já não estavam na manjedoura ou pesebre
    88. 88. QUANDO NASCEU JESUS? Vejamos nas Escrituras alguns detalhes que nos ajudarão a situar cronologicamente o nascimento de Jesus: • Os levitas eram divididos em 24 turnos e cada turno ministrava por 15 dias, 2 vezes ao ano. (1 Cro. 14:1-18) • Durante os sábados especiais, todos os turnos ministravam juntamente 1Cr 24:1-19.
    89. 89. O OITAVO TURNO PERTENCIA A ABIAS “E quanto aos filhos de Arão, estas foram as suas divisões: os filhos de Arão: Nadabe, Abiú, Eleazar e Itamar. E morreram Nadabe e Abiú antes de seu pai, e não tiveram filhos; e Eleazar e Itamar administravam o sacerdócio. E Davi, com Zadoque, dos filhos de Eleazar, e Aimeleque, dos filhos de Itamar, dividiu-os segundo o seu ofício no seu ministério. E acharam-se muito mais chefes dos pais entre os filhos de Eleazar do que entre os filhos de Itamar, quando os repartiram; dos filhos de Eleazar dezesseis chefes das casas paternas, mas dos filhos de Itamar, segundo as casas paternas, oito. E os repartiram por sortes, uns com os outros. E Semaías, filho de Natanael, o escrivão dentre os levitas, os registrou perante o rei, e os príncipes. E saiu a primeira sorte a Jeoiaribe, a segunda a Jedaías, a terceira a Harim, a quarta a Seorim, a quinta a Malquias, a sexta a Miamim, a sétima a Hacoz, a oitava a Abias” (1 Coríntios 24:1-10)
    90. 90. QUANDO INICIAVA O PRIMEIRO TURNO? “E falou o SENHOR a Moisés e a Arão na terra do Egito, dizendo: Este mesmo mês vos será o princípio dos meses; este vos será o primeiro dos meses do ano.” (Êxodo 12:1-2) “E Moisés disse ao povo: Lembrai-vos deste mesmo dia, em que saístes do Egito, da casa da servidão; pois com mão forte o SENHOR vos tirou daqui; portanto não comereis pão levedado. Hoje, no mês de Abibe, vós saís.” (Êxodo 13:3,4)
    91. 91. Mês (Número) Mês (Hebraico) Correspondência Turnos Referências 1 Abibe ou Nissan Março/Abril 1 e 2 Ex. 13:4 / Ester 3:7 2 Zive Abril/Maio 3 e 4 1 Reis 6:13 3 Sivan Maio/Junho 5 e 6 Ester 8:9 4 Tamuz Junho/Julho 7 e 8 (Abias) Jer. 39:2 / Zac. 8:19 5 Abe Julho/Agosto 9 e 10 Nm. 33:38 6 Elul Agosto/Setembro 11 e 12 Nee. 6:15 7 Etenim ou Tisri Setembro/Outubro 13 e 14 1 Reis 8:2 8 Bul ou Cheshvan Outubro/Novembro 15 e 16 1 Reis 6:38 9 Kisleu Novembro/Dezembro 17 e 18 Esd. 10:9 10 Tebete Dezembro/Janeiro 19 e 20 Ester 2:16 11 Sebate Janeiro/Fevereiro 21 e 22 Zac. 1:7 12 Adar Fevereiro/Março 23 e 24 Ester 3:7
    92. 92. “E o povo estava esperando a Zacarias, e maravilhava-se de que tanto se demorasse no templo. E, saindo ele, não lhes podia falar; e entenderam que tinha tido uma visão no templo. E falava por acenos, e ficou mudo. E sucedeu que, terminados os dias de seu ministério, voltou para sua casa. E, depois daqueles dias, Isabel, sua mulher, concebeu, e por cinco meses se ocultou, dizendo: Assim me fez o Senhor, nos dias em que atentou em mim, para destruir o meu opróbrio entre os homens. E, no sexto mês, foi o anjo Gabriel enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, a uma virgem desposada com um homem, cujo nome era José, da casa de Davi; e o nome da virgem era Maria. E, entrando o anjo aonde ela estava, disse: Salve, agraciada; o Senhor é contigo; bendita és tu entre as mulheres. E, vendo-o ela, turbou-se muito com aquelas palavras, e considerava que saudação seria esta. Disse-lhe, então, o anjo: Maria, não temas, porque achaste graça diante de Deus. E eis que em teu ventre conceberás e darás à luz um filho, e pôr-lhe-ás o nome de Jesus.
    93. 93. “Este será grande, e será chamado filho do Altíssimo; e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai; E reinará eternamente na casa de Jacó, e o seu reino não terá fim. E disse Maria ao anjo: Como se fará isto, visto que não conheço homem algum? E, respondendo o anjo, disse-lhe: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isso também o Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus. E eis que também Isabel, tua prima, concebeu um filho em sua velhice; e é este o sexto mês para aquela que era chamada estéril; Porque para Deus nada é impossível. Disse então Maria: Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo ausentou-se dela.” Lucas 1:21-38
    94. 94. EM QUE ALTURA MINISTRAVA ZACARÍAS? “Existiu, no tempo de Herodes, rei da Judeia, um sacerdote chamado Zacarias, da ordem de Abias, e cuja mulher era das filhas de Arão; e o seu nome era Isabel. E aconteceu que, exercendo ele o sacerdócio diante de Deus, na ordem da sua turma, Segundo o costume sacerdotal, coube-lhe em sorte entrar no templo do Senhor para oferecer o incenso.” (Lucas 1:5,8,9)
    95. 95. Zacarias, pai de João Batista, era sacerdote e ministrava no templo durante o "turno de Abias" (Tamuz, junho / julho) (Luc 1:5,8,9). Terminado o seu turno voltou para casa e (conforme a promessa que Deus lhe fez) sua esposa Isabel, que era estéril, concebeu João Batista (Luc 1:23- 24) no final do mês Tamuz (junho / julho) ou início do mês Abe (julho / agosto). Jesus foi concebido 6 meses depois (Luc 1:24-38), no fim de Tebete (dezembro / janeiro) ou início de Sebate (janeiro / fevereiro). Nove meses depois, no final de Etenim (que cai em setembro e/ou outubro), mês em que os judeus comemoravam a Festa dos Tabernáculos, Deus veio habitar connosco.
    96. 96. Jesus Cristo nasceu na festa dos Tabernáculos, a qual acontecia a cada ano, no final do 7º mês (Iterem) do calendário judaico, que corresponde [mais ou menos, pois o calendário deles é lunar-solar, o nosso é solar] ao mês de setembro do nosso calendário. A festa dos Tabernáculos (ou das Cabanas) significava Deus habitando com o Seu povo. Foi instituída por Deus como memorial, para que o povo de Israel se lembrasse dos dias de peregrinação pelo deserto, dias em que o Senhor habitou no Tabernáculo no meio de Seu povo (Lev 23:39-44; Nee 8:13-18 ). Em João 1:14 "E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade." vemos que o Verbo (Cristo) habitou entre nós. Esta palavra no grego é skenoo = tabernáculo. Devemos ler "E o Verbo se fez carne, e TABERNACULOU entre nós, e...". A festa dos Tabernáculos cumpriu-se em Jesus Cristo, o Emanuel (Isa 7:14) que significa "Deus connosco".
    97. 97. “E depois destas coisas vi descer do céu outro anjo, que tinha grande poder, e a terra foi iluminada com a sua glória. E clamou fortemente com grande voz, dizendo: Caiu, caiu a grande Babilónia, e se tornou morada de demónios, e covil de todo espírito imundo, e esconderijo de toda ave imunda e odiável. Porque todas as nações beberam do vinho da ira da sua prostituição, e os reis da terra se prostituíram com ela; e os mercadores da terra se enriqueceram com a abundância de suas delícias. E ouvi outra voz do céu, que dizia: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas. Porque já os seus pecados se acumularam até ao céu, e Deus se lembrou das iniquidades dela.” Ap. 18:1-5

    ×