Língua Portuguesa   –   uma história e muitas mudanças.
A Origem da Língua Portuguesa
A  Língua Portuguesa  tem sua origem ligada ao Latim, língua inicialmente falada na região do  Lácio , parte da antiga Itá...
A Europa é um continente com um formato cheio de recortes, onde abundam inúmeros acidentes geográficos como penínsulas, il...
Nos fins do século III a.C. os  exércitos de Roma chegaram à Península Ibérica  e iniciaram o processo de Romanização, ist...
séc. XVI PENÍNSULA IBÉRICA Península Ibérica
 
R E F O R M A   ORTOGRÁFICA
Todos os créditos bibliográficos desta apresentação são do:   GUIA PRÁTICO DA NOVA  ORTOGRAFIA Saiba o que mudou  na ortog...
Acordo Ortográfico <ul><li>Acordo Ortográfico  da Língua Portuguesa, assinado em  Lisboa, em 16 de dezembro de 1990,  por ...
As mudanças estabelecidas pelo acordo ortográfico atingem em menor escala a grafia utilizada no Brasil:  aproximadamente 0...
conceitos saussurianos de sincronia e diacronia   Sausurre  ciência lingüística observar a língua:  em sua época  e  atrav...
Mudanças   <ul><li>no alfabeto </li></ul><ul><li>As letras k, w e y, que na verdade  não tinham desaparecido da maioria  d...
 
<ul><li>Trema: - O trema cai, de vez, em desuso, exceto em nomes próprios e seus derivados. Grafado nos casos em que o “u”...
 
<ul><li>Acento agudo: -  Os ditongos abertos  “éi”  e  “ói ” das palavras  paroxítonas  não serão mais acentuados Antes : ...
<ul><li>O acento diferencial também some em alguns casos Antes:  pára, péla, pêlo, pólo, pêra Depois:  para, pela, pelo, p...
Acento circunflexo: O acento circunflexo  some  nas palavras terminadas em  “êem”  e  “ôo” Antes:  crêem, vêem, lêem, enjô...
Hífen As observações referem-se ao uso do hífen em palavras formadas por prefixos ou por elementos que podem  funcionar co...
HÍFEN <ul><li>O sinal não poderá ser mais usado quando a  primeira palavra terminar com  vogal  e a segunda começar com  c...
ATENÇÃO Nos demais casos não se usa o  HÍFEN. Exemplos: hipermercado intermunicipal superinteressante superproteção  Com o...
Será mantido o hífen em palavras compostas cuja segunda palavra começa com h, como  pré-história.  super-homem macro-histó...
GRAFIA No português lusitano: 1. desaparecerão o &quot;c&quot; e o &quot;p&quot; de palavras em que essas letras não são p...
 
 
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Atividade 3.7 e 3.8 Criar um produto hipermídia em editor de apresentação

2.909 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Arte e fotografia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.909
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
56
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
39
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Atividade 3.7 e 3.8 Criar um produto hipermídia em editor de apresentação

  1. 1. Língua Portuguesa – uma história e muitas mudanças.
  2. 2. A Origem da Língua Portuguesa
  3. 3. A Língua Portuguesa tem sua origem ligada ao Latim, língua inicialmente falada na região do Lácio , parte da antiga Itália, onde vivia um povo chamado latino, fundador da cidade de Roma. A miscigenação com povos vizinhos e, por volta do século VII a.C., a anexação da região ao Império Etrusco tornaram Roma a cidade mais importante do Lácio . A cidade expandiu seus domínios, levando sua cultura às regiões dominadas militarmente Para garantir a dominação política, os romanos exigiam que, em todo o vasto Império, o latim fosse de uso obrigatório nas escolas, nas transações comerciais, nos documentos, nos atos oficiais e no serviço militar. Entretanto, o contato dos romanos com a cultura grega deu-se de forma contrária: foi o latim que incorporou uma grande quantidade de palavras gregas que, conseqüentemente, também vieram a fazer parte da língua portuguesa.
  4. 4. A Europa é um continente com um formato cheio de recortes, onde abundam inúmeros acidentes geográficos como penínsulas, ilhas, baías, golfos, lagos, etc.
  5. 5. Nos fins do século III a.C. os exércitos de Roma chegaram à Península Ibérica e iniciaram o processo de Romanização, isto é, de imposição de sua cultura aos diversos povos (principalmente celtas e iberos) que nela habitavam: sua organização política, seu direito, sua religião, sua língua. Todavia, não foi o latim clássico, literário, usado pelos grandes escritores romanos (Cícero, Horácio, César, Virgílio, Ovídio, etc.), que foi imposto às populações dominadas. Foi o latim vulgar, falado pelos soldados romanos. Aos poucos, os povos dominados absorveram o falar dos romanos, que se misturou com os falares regionais, originando as línguas neolatinas: português, espanhol, francês, italiano, romeno, galego e outras.
  6. 6. séc. XVI PENÍNSULA IBÉRICA Península Ibérica
  7. 8. R E F O R M A ORTOGRÁFICA
  8. 9. Todos os créditos bibliográficos desta apresentação são do: GUIA PRÁTICO DA NOVA ORTOGRAFIA Saiba o que mudou na ortografia brasileira Douglas Tufano, do blog da professora Deborah: deborah-felicidade.blogspot.com Profª Deborah
  9. 10. Acordo Ortográfico <ul><li>Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, assinado em Lisboa, em 16 de dezembro de 1990, por Portugal, Brasil, Angola, São Tomé e Príncipe, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e, posteriormente, por Timor Leste. No Brasil, o Acordo foi aprovado pelo Decreto Legislativo no 54, de 18 de abril de 1995 </li></ul><ul><li>Esse Acordo é meramente ortográfico; portanto, restringe-se à língua es- crita, não afetando nenhum aspecto da língua falada. </li></ul>
  10. 11. As mudanças estabelecidas pelo acordo ortográfico atingem em menor escala a grafia utilizada no Brasil: aproximadamente 0,5% das palavras, enquanto em Portugal chegam a 1,6% As alterações dizem respeito ao uso de sinais diacríticos (trema, acentos agudo e circunflexo) e hífen DIACRÍTICOS: d iacrítico é um acento sobre uma VOGAL que se destina unicamente a alterar o seu som. .
  11. 12. conceitos saussurianos de sincronia e diacronia Sausurre ciência lingüística observar a língua: em sua época e através do tempo A língua, ao mesmo tempo em que ocorre no presente relacionando idéias e formas de modo aparentemente estático, atualiza-se, passando do presente ao passado. Sausurre pensamentos acerca da linguagem estavam fundamentados na epistemologia da gramática comparada (épistémè do séc XIX) e na epistemologia da filosofia da linguagem da segunda metade do séc XVIII. Assim, houve uma reorganização da ciência lingüística que passa a tratar sincronicamente da semântica e diacronicamente, da fonologia. Portanto: sincronia relaciona com aspectos estáticos. É estrutural (a norma, coerência...) Diacronia tudo que diz respeito a evolução. Não é estrutural
  12. 13. Mudanças <ul><li>no alfabeto </li></ul><ul><li>As letras k, w e y, que na verdade não tinham desaparecido da maioria dos dicionários da nossa língua, são usadas em várias situações. Por exemplo: a) na escrita de símbolos de unidades de medida: km (quilômetro), kg (qui- lograma), W (watt); </li></ul>O alfabeto passa a ter 26 letras. Fo- ram reintroduzidas as letras k, w e y. O alfabeto completo passa a ser: A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z
  13. 15. <ul><li>Trema: - O trema cai, de vez, em desuso, exceto em nomes próprios e seus derivados. Grafado nos casos em que o “u” é átono e pronunciado (que, qui, gue, gui), o sinal não será mais utilizado nas palavras da língua portuguesa. Antes: tranqüilo, conseqüência, cinqüenta Depois: tranquilo, consequência e cinquenta. </li></ul><ul><li>Porém, será mantido apenas nas palavras de origem estrangeira e seus derivados. </li></ul><ul><li>Exemplo: Führer, Müeller. </li></ul>
  14. 17. <ul><li>Acento agudo: - Os ditongos abertos “éi” e “ói ” das palavras paroxítonas não serão mais acentuados Antes : assembléia, apóio, platéia, européia Depois : assembleia, apoio, plateia, europeia </li></ul><ul><li>As palavras herói, papéis e troféu continuam sendo acentuadas porque têm a ultima sílaba mais forte, isto é, são oxítonas. </li></ul><ul><li>- O acento some também no “i” e no “u” tônicos quando vierem depois de ditongo em palavras paroxítonas Antes : feiúra, bocaiúva Depois : feiura, bocaiuva </li></ul><ul><li>* O acento permanece se o “i” ou o “u” estiverem na ultima sílaba , a exemplo de Piauí e tuiuiú </li></ul>
  15. 18. <ul><li>O acento diferencial também some em alguns casos Antes: pára, péla, pêlo, pólo, pêra Depois: para, pela, pelo, polo, pera </li></ul><ul><li>* O acento diferencial não deixa de ser usado em : </li></ul><ul><li>pôr (verbo) / por (preposição ) </li></ul><ul><li>pôde (pretérito) / pode (presente). </li></ul><ul><li>Fôrma também continua sendo acentuada para ser diferenciada de forma . </li></ul>
  16. 19. Acento circunflexo: O acento circunflexo some nas palavras terminadas em “êem” e “ôo” Antes: crêem, vêem, lêem, enjôo Depois: creem, veem, leem, enjoo Visualisar: Manual – página 13
  17. 20. Hífen As observações referem-se ao uso do hífen em palavras formadas por prefixos ou por elementos que podem funcionar como prefixo, como: Aero, agro, além,ante, anti,aquém, arqui, auto, circum, Co, contra, eletro, entre, ex, extra, geo, hidro, hiper, Infra,inter, intra , macro, micro, mini, multi, neo, pan, Pluri, proto, pós, pré, pró, pseudo , retro, semi, sobre, Sub, super, supra, tele, ultra , vice etc.
  18. 21. HÍFEN <ul><li>O sinal não poderá ser mais usado quando a primeira palavra terminar com vogal e a segunda começar com consoante (r ou s), ou seja, a partir da reforma, os casos em que a primeira palavra terminar em vogal e a segunda começar por “r” ou “s”, essas letras deverão ser duplicadas, como na conjunção “anti” + “semita”: “antissemita”. </li></ul><ul><li>Antes: anti-rugas, auto-retrato, ultra-som Depois: antirrugas, autorretrato, ultrassom </li></ul><ul><li>A exceçã o é quando o primeiro elemento terminar e “r” e o segundo elemento começar com a mesma letra . Nesse caso, a palavra deverá ser grafada com hífen , como em </li></ul><ul><li>“ hiper-requintado” e “inter-racial”. </li></ul>
  19. 22. ATENÇÃO Nos demais casos não se usa o HÍFEN. Exemplos: hipermercado intermunicipal superinteressante superproteção Com o prefixo SUB, usa-se o HÍFEN também diante de palavras Iniciadas por R: sub-raça sub-região etc. Com os prefixos CIRCUM e PAN, usa-se o hífen diante de palavras Iniciadas por M, N e VOGAL: circum-navegação pan-americano Obs.:manual a partir da página 25
  20. 23. Será mantido o hífen em palavras compostas cuja segunda palavra começa com h, como pré-história. super-homem macro-história ultra-humano sobre-humano EXCEÇÃO: SUBUMANO (nesse caso a palavra HUMANO perde o H Em substantivos compostos cuja última letra da primeira palavra e a primeira letra do prefixo são as mesmas, será feita a introdução do hífen. Assim microondas vira micro-ondas. O sinal será abolido em palavras compostas em que o prefixo termina em vogal e o segundo elemento também começa com outra vogal, como em aeroespacial (aero + espacial) extraescolar (extra + escolar).
  21. 24. GRAFIA No português lusitano: 1. desaparecerão o &quot;c&quot; e o &quot;p&quot; de palavras em que essas letras não são pronunciadas , como &quot;acção&quot;, &quot;acto&quot;, &quot;adopção&quot;, &quot;óptimo&quot; -que se tornam &quot;ação&quot;, &quot;ato&quot;, &quot;adoção&quot; e &quot;ótimo &quot; Dupla acentuação : foi mantida a diferença de acentuação entre o português brasileiros e o lusitano. É comum quando se fala do acento circunflexo e agudo: assim, nós escrevemos 'econômico' e eles, 'económico'.

×