Nova reforma ortográfica

244 visualizações

Publicada em

Nova Reforma da Ortografia

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
244
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
40
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Nova reforma ortográfica

  1. 1. Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa (1990)
  2. 2. Acordos ortográficos • No Brasil: – a língua portuguesa já passou por reformas em 1943, 1971,e agora a reforma de 1990 • Em Portugal: – houve alterações em 1911, 1945 e 1973.
  3. 3. PAÍSES QUE ASSINARAM O ACORDO ORTOGRÁFICO assinado pelos seguintes países: • Portugal; • Brasil; • Angola; • São Tomé e Príncipe; • Cabo Verde; • Guiné-Bissau; • Moçambique; • e, posteriormente, por Timor Leste(2002)
  4. 4. RETROSPECTIVA • O Acordo foi assinado em Lisboa, dezembro de 1990. • Deveria vigorar no início de 1994. • Em 1998, um protocolo modificativo, que retirava do texto original a data para a entrada em vigor das novas regras, faz a seguinte consideração: “O acordo ortográfico da língua portuguesa entrará em vigor após depositados os instrumentos de ratificação de TODOS (grifo meu) os Estados...” - Quantos ratificaram? - Só três:Brasil, Portugal e Cabo Verde) • Em 2004, um Segundo Protocolo é assinado. - Mas qual a novidade nesse protocolo? - Sua aplicação poderia acontecer a partir da assinatura de três países. - Dessa vez, sabe quem não assinou? - Portugal. - Parece novela mexicana, né? - Contudo, a não assinatura de Portugal estaria fora dos padrões de acordos internacionais.
  5. 5. Afinal de contas, a partir de quando serei cobrado? •De 2009 até 31 de dezembro de 2012: período de transição. •A partir de 2013, as novas regras ortográficas serão obrigatórias no Brasil.
  6. 6. 18 anos depois... • Finalmente, no dia 16 de maio, de 2008, após 18 anos do seu lançamento, o parlamento português aprovou os termos da reforma.
  7. 7. PRINCIPAL OBJETIVO DO ACORDO • Unificar o registro escrito nos oito países que falam português.
  8. 8. • www.africanidade.com
  9. 9. Qual a causa de haver essa reforma? • Será que alguém caiu da cama e gemeu: Está decretado: haverá uma reforma na língua portuguesa! • Um dos empecilhos encontrados para o Português ser língua oficial da Onu é o fato de qualquer documento redigido em Português ter de ser feito em duas vias: uma com o Português falado no Brasil e outra com o de Portugal. • Portanto, a solução encontrada para unificar o idioma foi realizar uma reforma ortográfica que padronizaria a escrita em todos os países da CPLP.
  10. 10. • É apenas ortográfico; portanto, restringe- se à língua escrita. • Não afeta a língua falada, nem os nomes próprios já registrados (sejam de pessoas ou de firmas, lugares, etc.) • Ele não elimina todas as diferenças ortográficas entre os países de língua portuguesa (como idioma oficial) • É um passo em direção à pretendida unificação ortográfica desses países.
  11. 11. INFORMAÇÕES EXTRAS • Atualmente, são seis idiomas neste rol: o árabe, o espanhol, o francês, o inglês, o mandarim e o russo.
  12. 12. • As dúvidas que porventura existirem mesmo após a leitura do texto do Acordo certamente serão resolvidas com a publicação de um Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (VOLP), como está previsto Instrumento de Aprovação.
  13. 13. O QUE O ACORDO ABRANGE • ALFABETO • TREMA • ACENTUAÇÃO • HIFENIZAÇÃO
  14. 14. RESUMO DAS REGRAS
  15. 15. ALFABETO • Entram oficialmente os já consagrados • K W Y • show, playboy, playground, • windsurf, kung fu, yin, yang, • William, kaiser, Kafka, kafkiano.
  16. 16. TREMA (¨) • Não se usa mais o trema (¨), sinal colocado sobre a letra u para indicar que ela deve ser pronunciada nos grupos gue, gui, que, qui. Como era Como fica LINGUIÇA LINGUIÇA AGÜENTAR AGUENTAR BILÍNGÜE BILÍNGUE
  17. 17. • Só permanece em palavras derivadas de nomes estrangeiros: Müller = mülleriano
  18. 18. ACENTUAÇÃO • Não se usa mais o acento dos ditongos abertos éi e ói das palavras paroxítonas/ vocábulo que tem o acento tônico na penúltima sílaba. • andróide = androide • apóia (verbo apoiar) = apoia • apóio (verbo apoiar) = apoio • bóia = boia • debilóide = debiloide • epopéia = epopeia • estréia = estreia • geléia = geleia • heróico = heroico • idéia = ideia • jóia = joia • odisséia = odisseia • paranóia = paranoia • platéia =plateia
  19. 19. • Não se usa mais o acento das palavras terminadas em êem e ôo(s) • abençôo = abençoo • crêem (verbo crer) = creem • dêem (verbo dar) = deem • dôo (verbo doar) = doo • enjôo = enjoo • lêem (verbo ler) = leem • magôo (verbo magoar) = magoo • perdôo (verbo perdoar) = perdoo • povôo (verbo povoar) = povoo • vêem (verbo ver) = veem • vôos = voos
  20. 20. • Não se usa mais o acento que diferenciava os pares • pára (v. parar)/para = para • péla(s) (v. pelar)/pela(s) = pela • pêlo(s) (pelos do gato)/pelo(s) = pelo • pólo(s) (Pólo Norte)/polo(s) (ia polo caminho) = polo • pêra (fruta)/pera (ela foi pera rua) = pera Acento diferencial
  21. 21. • Permanece o acento diferencial em: • pôde/pode para o verbo poder Pôde é a forma do passado Pode é a forma do presente • pôr/por. Pôr é verbo. Por é preposição. • singular X plural dos verbos ter e vir, assim como de seus derivados (manter, deter, reter, conter, convir, intervir, advir etc.). • Ele tem / Eles têm • Ele vem / Eles vêm • Ele mantém / Eles mantêm • A ele convém / a eles convêm
  22. 22. • É facultativo o uso do acento circunflexo para diferenciar as palavras forma/fôrma. Em alguns casos, o uso do acento deixa a frase mais clara. Qual é a forma da fôrma do bolo?
  23. 23. • Continuam a ser acentuadas as palavras oxítonas terminadas em éis, éu, éus, ói, óis. Exemplos: papéis, herói, heróis, troféu, troféus
  24. 24. EMPREGO DO HÍFEN • Regra básica • Sempre se usa o hífen diante de h: anti-higiênico, super-homem.
  25. 25. Outros casos • Prefixo terminado em vogal: • Sem hífen diante de vogal diferente: autoescola, antiaéreo. • Sem hífen diante de consoante diferente de r e s: anteprojeto, semicírculo. • Sem hífen diante de r e s. Dobram-se essas letras: antirracismo, antissocial, ultrassom.
  26. 26. Com hífen diante de mesma vogal: contra-ataque, micro-ondas.
  27. 27. Prefixo terminado em consoante: • Com hífen diante de mesma consoante: inter-regional, sub-bibliotecário. • Sem hífen diante de consoante diferente: intermunicipal, supersônico. • Sem hífen diante de vogal: interestadual,superinteressante.
  28. 28. O prefixo co aglutina-se em geral com o segundo elemento, mesmo quando este se inicia por o: coobrigação, coordenar, cooperar, cooperação, cooptar, coocupante etc. • Com o prefixo vice, usa-se sempre o hífen: vice-rei, vice-almirante etc.
  29. 29. REFERÊNCIAS • GUIA DO ACORDO ORTOGRÁFICO. São Paulo: Moderna, 2008. • HOUAISS, Antônio. Escrevendo pela nova ortografia: como usar as regras do novo acordo ortográfico da língua portuguesa. São Paulo: Publifolha; Instituto Houaiss, 2008. • TUFANO, Douglas. Guia Prática da Nova Ortografia: saiba o que mudou na ortografia brasileira. São Paulo: Melhoramentos, 2008.
  30. 30. EXTRAS
  31. 31. • Nas palavras paroxítonas, não se usa mais o acento no i e no u tônicos quando vierem depois de um ditongo • baiúca = baiuca • feiúra = feiura
  32. 32. Observações Com o prefixo sub, usa-se o hífen também diante de palavra iniciada por r sub-região, sub-raça etc. Palavras iniciadas por h perdem essa letra e juntam-se sem hífen: subumano, subumanidade. Com os prefixos circum e pan, usa-se o hífen diante de palavra iniciada por m, n e vogal: circum-navegação, pan-americano etc.
  33. 33. • Não se deve usar o hífen em certas palavras que perderam a noção de composição, como girassol, madressilva, mandachuva, pontapé, paraquedas, paraquedista etc. • Com os prefixos ex, sem, além, aquém, recém, pós, pré, pró, usa-se sempre o hífen: ex-aluno, sem-terra, além-mar, aquém-mar, recém-casado, pós-graduação, pré- vestibular, pró-europeu.
  34. 34. • Há uma variação na pronúncia dos verbos terminados em guar, quar e quir, como aguar, averiguar, apaziguar, desaguar, enxaguar, obliquar, delinquir etc. • Esses verbos admitem duas pronúncias em algumas formas do presente do indicativo, do presente do subjuntivo e também do imperativo. a) se forem pronunciadas com a ou i tônicos, essas formas devem ser acentuadas. • verbo enxaguar: enxáguo, enxáguas, enxágua, enxáguam; enxágue, enxágues, enxáguem. • verbo delinquir: delínquo, delínques, delínque, delínquem; delínqua, delínquas, delínquam.
  35. 35. • b) se forem pronunciadas com u tônico, essas formas deixam de ser acentuadas. • verbo enxaguar: enxaguo, enxaguas, enxagua, enxaguam; enxague, enxagues, enxaguem. • verbo delinquir: delinquo, delinques, delinque, delinquem; delinqua, delinquas, delinquam. • no Brasil, a pronúncia mais corrente é a primeira, aquela com a e i tônicos

×