ProduçãoMultimídia
Aula 1–Parte1
Profa. Gleice Bernardini
gleicebernardini@hotmail.com
Apresentação
• Mestranda em Comunicação (defesa – 14/agosto)
(Orientadora: Prof. Adj. Maria Cristina Gobbi)
• Pós graduaçã...
Ementa
• Sinestesia e linguagens multimidiáticas.
• Compreensão e articulação de linguagens em multimeios.
• Produção publ...
• OBJETIVOS: Apresentar ao aluno conhecimentos teóricos e práticos relacionados
às linguagens, técnicas e tecnologias midi...
Conteúdo
1. Introdução às tecnologias básicas de produção multimídia:
• Breve histórico da comunicação; (processo comunica...
Conteúdo
6. Hipermídia e hipertextos
7. Redes sociais e seus tamanhos e padrões de publicidades:
• Facebook
• Twitter
8. N...
Metodologia
• Aulas expositivas e dialógicas;
• Uso de recursos audiovisuais (slides, datashow, etc.), ferramentas
multimí...
Calendário
Vide folha entregue
Avaliação
Descrição dos Trabalhos a serem realizados durante o Semestre
• (T1) Trabalho produção impressa: Produção em gru...
• (T3) Atividades em Sala: seguindo os 9 temas básicos do Conteúdo
(CRONOGRAMA). Durante as aulas do semestre os alunos ir...
• Resultado final: Será a soma dos trabalhos, sendo que as atividades (T1,
T2 e T3) realizadas em grupo irão compor 50% da...
• TRANSFORMAÇÃO:
A - 10 e 9
B – 8 e 7
C – 6 e 5
D – 4 e 3
E – 2 e 1
É IMPOSSÍVEL ficar com ZERO na disciplina!
Notas
Bibliografia
• ANDERSON, Chris. A Cauda Longa: do mercado de massa para o mercado de nicho. Rio de
Janeiro: Elsevier, Camp...
• GOSCIOLA, Vicente. Roteiro para as novas mídias: dos games à TV interativa. São Paulo:
Senac, 2003.
• JENKIS, Henry. Cul...
• PRIMO, Alex F. T.; CASSOL, Márcio B. F. Explorando o conceito de interatividade: definições e
taxonomias. In: Informátic...
Recordandoum pouco
O que é comunicação?
• Qual o tipo no interessa?
• Tudo é comunicação?
• O que é necessário para uma boa comunicação?
• O ...
Qual a importância da comunicação para nossa
profissão?
E para nossa vida?
Vídeo – problemas de comunicação
Relembrando
• É um processo que tem elementos que se interligam para que possa
acontecer, utilizando tanto o verbal quanto o não verba...
E napublicidade?
Processo comunicacional
Feedback
(venda/compra)
Contexto (mercado)
Empresa
Instituição
Público alvo
Segmentação
Sociedade
...
• Que na publicidade e propaganda não se utiliza (e se comete erros) de
comunicação.
• Seja na fala (áudio e/ou vídeo), se...
Senão pode dar prejuízo...
A Listel (Listas Telefônicas) foi
condenada a restituir valor pago
pelo Colégio e Faculdade San...
Pode ser preconceituosa...
Organização religiosa Pró-Vida
vídeo – os melhores do mundo
Uma boa comunicação pode até salvar vidas. Duvida?
Um bom comunicador consegue a resposta esperada.
No caso da publicidade, uma boa propaganda é para sempre lembrada. Ex.:
•...
• Redação pobre:
– Sob a justificativa do avanço tecnológico que proporciona manipulações de
imagem ilimitadas, o texto es...
• Manuais de redação e estilo,
• Dicionários (gerais, etimológicos, sinônimos e antônimos, analógicos,
temáticos, regência...
Sabia?
O mercado publicitário na internet cresceu 26% entre 2012 e
2013. Foram quase 6 bilhões de reais investidos em propaganda
...
E que...
De acordo com dados recentes levantados pelo eMarketer, uma
das maiores empresas de pesquisa e informação sobre mercado
di...
• Atualmente o consumidor (receptor) também é emissor.
• Por isso, a comunicação deve ser pensada para ser produzida (e
re...
Parapensar
• Este é o meio (canal) certo para divulgar?
• A linguagem está correta para meu público?
• Estou usando as ferramentas/te...
• Vídeos de curta duração com publicidade
• Adaptação de telas
• Multitelas
• Propaganda segundo geolocalização
• Publicid...
Paraencerrar
• Marketing
– estuda as causas e os mecanismos que regem as relações de troca (bens, serviços ou
ideias) e pretende que o ...
• Relações Públicas
– História: os imperadores contavam com RPs que estabeleciam a comunicação entre
reinos e até mesmo fa...
• Jornalistas
– Essencialmente, trabalha (ou deveria trabalhar, pois sabemos que não é bem assim) de
forma imparcial, e al...
• Publicitários
– Propaganda é uma parte da publicidade, porém propaganda e publicidade não são a
mesma coisa. A publicida...
• E ainda: editores, redatores, designers, ilustradores,
fotógrafos, etc.
Vídeo – Brainstorm
Aula 1
Aula 1
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula 1

149 visualizações

Publicada em

Aula Inaugural Disciplina Produção Multimídia

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
149
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 1

  1. 1. ProduçãoMultimídia Aula 1–Parte1 Profa. Gleice Bernardini gleicebernardini@hotmail.com
  2. 2. Apresentação • Mestranda em Comunicação (defesa – 14/agosto) (Orientadora: Prof. Adj. Maria Cristina Gobbi) • Pós graduação (Lato Sensu) - Especialização em Linguagem, Cultura e Mídia, • Bacharel em Comunicação social (Jornalismo) – todas pela Unesp, Bauru/SP. • Bolsista Capes (2013-2015) – mérito por colocação final • Coordenadora Geral e da Comunicação do V Congresso Internacional e X Congresso Nacional de Mídia Cidadã (2015), • Editora de Layout e diagramadora da Revista Comunicação Midiátíca (Qualis B2) • Áreas de pesquisa – Comunicação Latino-americana, Interatividade, Internet, TV Digital, Segunda Tela, Cibercultura, Tecnologias digitais e áreas relacionadas. • Experiência em docência, assessoria de imprensa, jornalismo, fotografia, mídias sociais, editoração.
  3. 3. Ementa • Sinestesia e linguagens multimidiáticas. • Compreensão e articulação de linguagens em multimeios. • Produção publicitária em multimeios. EXPLICANDO: • Compreensão de conceitos das linguagens multimidiáticas. • Levantamento das características multimídias. • Análise de produtos multimídias. • Produção publicitária utilizando as ferramentas multimidiáticas.
  4. 4. • OBJETIVOS: Apresentar ao aluno conhecimentos teóricos e práticos relacionados às linguagens, técnicas e tecnologias midiáticas ampliando a visão estratégica, criativa e crítica do uso da propaganda para o desenvolvimento humano e do relacionamento do mercado com a sociedade. Possibilitar ao aluno o conhecimento e a aplicabilidade de todas as fases da produção publicitária; do brainstorming, passando por todas as etapas (briefing, criação, desenvolvimento, produção) até a avaliação dos resultados obtidos; seja na produção impressa, eletrônica ou digital. • Específicos: – Compreender as características das novas mídias; – Planejar campanhas interativas e convergentes utilizando as ferramentas atuais; – Produzir peças publicitárias. Objetivos
  5. 5. Conteúdo 1. Introdução às tecnologias básicas de produção multimídia: • Breve histórico da comunicação; (processo comunicacional) • Tecnologias básicas de produção multimídia 2. Produção e edição: • Vídeo • Áudio • Animações 3. Roteiros e narrativas para conteúdos audiovisuais 4. Convergência das mídias 5. Interações e Interatividade
  6. 6. Conteúdo 6. Hipermídia e hipertextos 7. Redes sociais e seus tamanhos e padrões de publicidades: • Facebook • Twitter 8. Navegabilidade e novos formatos: • Games • Infografia 9. Segunda tela e TV social: • Apps • Outras possibilidades 10. Modelo de negócios: • Canvas
  7. 7. Metodologia • Aulas expositivas e dialógicas; • Uso de recursos audiovisuais (slides, datashow, etc.), ferramentas multimídias e laboratório de informática; • Apontamentos de textos para leitura extraclasse; • Seminários; • Seleção de cases para apreciação e discussão em sala; • Debate em classe; • Produção publicitária e/ou entrega de respostas sobre questionamentos; • Trabalhos em grupos; • Aplicação de avaliação (se necessário); • Correções, com os alunos, de provas, testes e trabalhos.
  8. 8. Calendário Vide folha entregue
  9. 9. Avaliação Descrição dos Trabalhos a serem realizados durante o Semestre • (T1) Trabalho produção impressa: Produção em grupo, ou individual, de uma propaganda interativa para o meio impresso utilizando alguma ferramenta/tecnologia midiática. O trabalho T1 deverá ser entregue no dia da aula 07, NÃO SENDO ACEITO APÓS O PRAZO. A nota da atividade T1 valerá de ZERO a NOVE pontos + UM ponto referente a entrega. • (T2) Apresentação em Sala do CP: trabalho em grupo, mínimo de 6 alunos. Cada grupo terá no máximo 50 minutos para sua apresentação. A forma de apresentação e de discussão será definida pelo grupo. Todos devem participar. Não serão permitidos atrasos para o início e final das apresentações (caso ocorra será descontado na nota final da apresentação). TODOS os integrantes dos outros grupos deverão estar presentes (nota de avaliação de sala). A ordem das apresentações será definida por sorteio realizado em sala de aula. As apresentações serão realizadas nas aulas 13 e 14 do semestre (a presença de todos os membros do grupo é obrigatória. Não há justificativa pela ausência no dia da apresentação). A apresentação comporá a nota de atividade T2 e valerá de ZERO a OITO pontos. DOIS pontos serão referentes à presença do aluno durante as apresentações dos outros grupos.
  10. 10. • (T3) Atividades em Sala: seguindo os 9 temas básicos do Conteúdo (CRONOGRAMA). Durante as aulas do semestre os alunos irão compor grupos de leitura extraclasse e debate em sala de aula. Os textos base serão selecionados pela professora. Cada grupo apresentará seu olhar crítico para a turma sobre um dos temas previamente escolhidos no dia da aula do estudo histórico sobre a mídia escolhida. Em seguida, formará o debate sobre os pontos do texto e material de apoio trazido pelo grupo. Será avaliado o material de apoio. A apresentação comporá a nota de atividade T3 e valerá de ZERO a DEZ pontos. NÃO HAVERÁ SEGUNDA CHAMADA DA ATIVIDADE EM SALA. • (CP) AVALIAÇÃO FINAL: entrega do material produzido para a campanha publicitária. A avaliação terá nota de ZERO a DEZ PONTOS. NÃO SERÁ ACEITA APÓS O PRAZO. Avaliação
  11. 11. • Resultado final: Será a soma dos trabalhos, sendo que as atividades (T1, T2 e T3) realizadas em grupo irão compor 50% da média final. A outra metade será composta pela avaliação. Ficando assim o detalhamento do cálculo das notas: ((T1 + T2 + T3) / 3) * 0,50) + (CP * 0,50). Será considerado aprovado o aluno que obtiver nota igual ou superior a 5,0 (cinco), além dos 75% de presença. Para os alunos em regime de recuperação será ofertada uma avaliação escrita em data a ser definida, tendo como base a bibliografia e o conteúdo ofertado em aula. Notas
  12. 12. • TRANSFORMAÇÃO: A - 10 e 9 B – 8 e 7 C – 6 e 5 D – 4 e 3 E – 2 e 1 É IMPOSSÍVEL ficar com ZERO na disciplina! Notas
  13. 13. Bibliografia • ANDERSON, Chris. A Cauda Longa: do mercado de massa para o mercado de nicho. Rio de Janeiro: Elsevier, Campus, 2006. • BARRÉRE, Eduardo. Interatividade. Disponível em < www.lcg.ufrj.br. >. Acesso em maio de 2013. • BULHÕES, Marcelo. A ficção nas mídias: um curso sobre a narrativa nos meios audiovisuais. São Paulo: Ed. Ática, 2009. • CABRAL FILHO, Adilson V.; COUTINHO, Guttemberg. WEB 2.0: Caminhos e desafios no desenvolvimento da internet. In: FRAGOSO, Suely; MALDONADO, Alberto E.. (orgs). A internet na América Latina. Porto Alegre: Ed. Unisino, 2009. • CANNITO, Newton. A televisão na era digital: Interatividade, convergência e novos modelos de negócio. São Paulo: Summus, 2010. 2ª ed. • CASTELLS, Manuel. A Sociedade em Rede. São Paulo: Paz e Terra, 2013. Vol. 1. 6ª ed. • FINGER, Cristiane; SOUZA, Fábio C. de. Uma nova forma de ver TV no sofá ou em qualquer lugar. In: Revista FAMECOS: mídia, cultura e tecnologia. Porto Alegre, v.19, n. 2, p. 373-389, 2012.
  14. 14. • GOSCIOLA, Vicente. Roteiro para as novas mídias: dos games à TV interativa. São Paulo: Senac, 2003. • JENKIS, Henry. Cultura da Convergência. ALEXANDRIA, Susana (trad.). São Paulo: Aleph, 2008. 2ª ed. • LEMOS, André. Anjos interativos e retribalização do mundo: sobre interatividade e interfaces digitais. 1997. Disponível em http://www.facom.ufba.br/pesq/cyber/lemos/interac.html.>. Acesso em abril de 2013. • MACHADO, Arlindo. Hipermídia: O labirinto como metáfora. In: DOMINGUES, Diana (org). A Arte no século XXI: a humanização das tecnologias. São Paulo: Fund. Ed. da UNESP, 1997. • NICOLAI-DA-COSTA, Ana Maria (Org.). Cabeças Digitais: o cotidiano na era da informação. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio; São Paulo: Loyola, 2006. • OSTERWALDER, Alexander; PIGNEUR, Yves. Business Model Generation – Inovação em Modelos de Negócios: um manual para visionários, inovadores e revolucionários. Rio de Janeiro: Alta Books, 2011.
  15. 15. • PRIMO, Alex F. T.; CASSOL, Márcio B. F. Explorando o conceito de interatividade: definições e taxonomias. In: Informática na Educação: teoria e prática, v. 2, n. 2, p. 65-80, 1999. Disponível em < http://seer.ufrgs.br/index.php/InfEducTeoriaPratica/article/view/6286/3756. >. Acesso em outubro de 2014. • PRIMO, Alex. Interação mútua e interação reativa: uma proposta de estudo. In: Revista FAMECOS: mídia, cultura e tecnologia, Porto Alegre, v. 1, n. 12, p. 81-92, 2000. Disponível em < http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/3068. >. Acesso em maio 2013. • ______. Quão interativo é o hipertexto? : Da interface potencial à escrita coletiva. In: Fronteiras: Estudos Midiáticos, São Leopoldo, v. 5, n. 2, p. 125-142, 2003. Disponível em < http://www.ufrgs.br/limc/PDFs/quao_interativo_hipertexto.pdf. >. Acesso em maio de 2013. • ______. (org). Interações em Rede. Porto Alegre: Sulina, 2013. • SANTAELLA, Lucia; LEMOS, Renata. Redes sociais digitais: A cognição conectiva do Twitter. São Paulo: Paulus, 2010. • VILCHES, Lorenzo. A migração digital. LOPES, Maria I. V. de (trad.). São Paulo: Ed. Loyola, 2003.
  16. 16. Recordandoum pouco
  17. 17. O que é comunicação? • Qual o tipo no interessa? • Tudo é comunicação? • O que é necessário para uma boa comunicação? • O que é processo de comunicação? • Quem faz a comunicação? E as diferenças entre marketing, propaganda, relações públicas e jornalismo..
  18. 18. Qual a importância da comunicação para nossa profissão? E para nossa vida? Vídeo – problemas de comunicação
  19. 19. Relembrando
  20. 20. • É um processo que tem elementos que se interligam para que possa acontecer, utilizando tanto o verbal quanto o não verbal. • É a troca de informação entre indivíduos, que se constitui num dos processos fundamentais da experiência humana e da organização social. • Todas as formas de comunicação envolvem os mesmos elementos básicos: – Emissor – Receptor – Mensagem – Canal – Código – Contexto Comunicação é...
  21. 21. E napublicidade?
  22. 22. Processo comunicacional Feedback (venda/compra) Contexto (mercado) Empresa Instituição Público alvo Segmentação Sociedade Código Canal Mensagem (imagem)
  23. 23. • Que na publicidade e propaganda não se utiliza (e se comete erros) de comunicação. • Seja na fala (áudio e/ou vídeo), seja na escrita (impresso) devemos tomar cuidado. Vídeo – problemas linguísticos Fotos – Unopar/Geladeira Muito se enganaquem acredita...
  24. 24. Senão pode dar prejuízo... A Listel (Listas Telefônicas) foi condenada a restituir valor pago pelo Colégio e Faculdade Santa Terezinha, no valor de R$ 7.136, acrescido de multa contratual de 10%, correção monetária e juros moratórios, à taxa de 1% ao mês, devido à publicação de um anúncio publicitário com erro de português. A palavra ensino foi escrita como “insino” no anúncio publicado.
  25. 25. Pode ser preconceituosa... Organização religiosa Pró-Vida
  26. 26. vídeo – os melhores do mundo Uma boa comunicação pode até salvar vidas. Duvida?
  27. 27. Um bom comunicador consegue a resposta esperada. No caso da publicidade, uma boa propaganda é para sempre lembrada. Ex.: • Havaianas ... (todo mundo usa). • Skol (desce redondo) • Bombril (1001 utilidades) Até mesmo quando não tem associação com o produto:
  28. 28. • Redação pobre: – Sob a justificativa do avanço tecnológico que proporciona manipulações de imagem ilimitadas, o texto escrito tem passado por uma diminuição em quantidade e qualidade. • Estilo de escrita e criatividade: – Evitar lugar comum. Ex.: ‘Você FELIZ’ (Habib’s), ‘Lugar de gente FELIZ’ (Pão de açúcar), ‘A TV mais FELIZ do Brasil’ (SBT) e ‘A escolha FELIZ’ (GVT). – Respeitar leis, crenças, costumes e religiões. Devemos ter cuidado com:
  29. 29. • Manuais de redação e estilo, • Dicionários (gerais, etimológicos, sinônimos e antônimos, analógicos, temáticos, regência verbal, abreviaturas, bilíngues ou plurilíngues), • Livros sobre publicidades premiadas, • Sites especializados, • Redes sociais de grandes nomes da área, • Etc. Os melhores amigos
  30. 30. Sabia?
  31. 31. O mercado publicitário na internet cresceu 26% entre 2012 e 2013. Foram quase 6 bilhões de reais investidos em propaganda pelas empresas, valor abaixo apenas do segmento de TV. (Fonte: site Guia do Estudante)
  32. 32. E que...
  33. 33. De acordo com dados recentes levantados pelo eMarketer, uma das maiores empresas de pesquisa e informação sobre mercado digital do mundo, os investimentos com publicidade no Brasil estão em trajetória de crescimento absoluto. O volume total será de R$ 9,5 bilhões, segundo estimativa do Interactive Advertising Bureau (IAB) Brasil. Internet já é a segunda mídia mais importante do país. Fique de olho:
  34. 34. • Atualmente o consumidor (receptor) também é emissor. • Por isso, a comunicação deve ser pensada para ser produzida (e reproduzida) em conjunto. – Publicidade interativa, – Convergência de meios, – Blogues, – Consumidor consciente e cidadão, – Redes sociais. Também houve mudanças:
  35. 35. Parapensar
  36. 36. • Este é o meio (canal) certo para divulgar? • A linguagem está correta para meu público? • Estou usando as ferramentas/tecnologias necessárias da forma correta? • Quais meus objetivos com esta propaganda? • Ela pode ter duplo sentido? (Se sim, ainda sim são aceitos?) • Qual a inovação? Vamos criar?
  37. 37. • Vídeos de curta duração com publicidade • Adaptação de telas • Multitelas • Propaganda segundo geolocalização • Publicidade nativa com conteúdo relevante (publieditorial) • Fidelização dos clientes • Comunidades de fãs • Etc. Que tal?
  38. 38. Paraencerrar
  39. 39. • Marketing – estuda as causas e os mecanismos que regem as relações de troca (bens, serviços ou ideias) e pretende que o resultado de uma relação seja uma transação (venda) satisfatória para todas as partes que participam no processo. Segundo Philip Kotler (considerado um dos gênios do marketing), o marketing é também um processo social, no qual indivíduos ou grupos obtêm o que necessitam e desejam através da criação, oferta e troca de produtos de valor com os outros. – Com a internet e o imediatismo das redes sociais e dos virais caminha hoje para um trabalho ainda maior de inteligência de negócios, com estudos de comportamento dos clientes e seus hábitos de aquisição por meio da análise do cruzamento de dados de diversas fontes. É o tal do Big Data. – Nas empresas é mal utilizado: é a área que, em vez de entender as demandas dos clientes para posicionar corretamente a marca da empresa, apaga o fogo com brindes, eventos, campanhas e ações ineficazes de engajamento. – NÃO FAZ: artigo (se referindo a uma matéria, que ela também não vai fazer), "venda“ de matéria em sites (publieditorial, e normalmente não é notícia), “produto” (peças publicitárias), representação. Você sabe diferenciaros seus parceiros?
  40. 40. • Relações Públicas – História: os imperadores contavam com RPs que estabeleciam a comunicação entre reinos e até mesmo faziam as declarações de guerras, entre tantas outras coisas (como ir nas praças dizer que o imposto ia aumentar). – É a prática de gerenciar a troca de informações entre um indivíduo ou uma organização ao público, segundo James E. Grunig e Todd Hunt, no livro Managing Public Relations. Atividades comuns incluem o trabalho com a imprensa, indicando o cliente como fonte de informações para a criação de notícias, estabelecendo o relacionamento com o jornalista, seja por organizar entrevistas, coletivas de imprensa, comunicados etc. – O objetivo é persuadir o público, clientes potenciais, investidores, parceiros, funcionários e outras partes interessadas, a manter certo ponto de vista sobre um assunto. O RP auxilia uma pessoa ou empresa a ganhar exposição por alguns meios, inclusive por jornais, revistas, televisão, rádio, sites, blogs etc. – NÃO: o papel é auxiliar o jornalista a encontrar personagens para uma história ou mesmo indicar uma história para se transformar em notícia. O RP pode ser visto como o braço direito do jornalista na criação de textos, embora defenda, acima de tudo, o ponto de vista do cliente, o que por vezes o torna um grande inimigo do profissional da redação, pois não libera informações oficiais sobre um determinado tema. Não a toa o RP criou o gerenciamento de crise.
  41. 41. • Jornalistas – Essencialmente, trabalha (ou deveria trabalhar, pois sabemos que não é bem assim) de forma imparcial, e alicerçado sobre algumas teorias, transmite informações noticiosas para diferentes públicos. “É uma propaganda orgânica”, que hoje pode até ser conhecida como branding, mas ainda é sobre notícias e não sobre empresas. – Produz: artigo (opinião, sem necessidade de imparcialidade), reportagem (diversas entrevistas que geram a matéria, imparcial), coluna, crônica (relato de um acontecimento cotidiano), editorial (que retrata a opinião da redação sobre a própria revista, por exemplo, sem a necessidade de imparcialidade) entre tantos outros. – Pode ser opinativo (uma leitura superficial ou imediata e não o retrato a fundo sobre algo, e predomina a opinião de quem escreve ou da editora) e o informativo (descreve ou aprofunda um fato noticiável e pressupõe objetividade e imparcialidade). – NÃO é marketing, propaganda, publicidade e relações públicas: o jornalista não vai escrever o que a fonte quer sobre sua empresa.
  42. 42. • Publicitários – Propaganda é uma parte da publicidade, porém propaganda e publicidade não são a mesma coisa. A publicidade é uma atividade profissional dedicada à difusão pública de ideias associadas a empresas, produtos ou serviços. – A propaganda é uma forma de comunicação que tem como objetivo incentivar a atitude de um determinado público. "Uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade", fala do ministro da propaganda de Hitler, Joseph Goebbels. – A propaganda não é imparcial, não é informativa e não é notícia. O poder da propaganda é gigantesco na construção de imagens e "opiniões", e usa principalmente da emoção para atingir o público alvo ou da repetição de palavras para incutir uma ideia em sua cabeça. Num pensamento horizontal, o propaganda é produto de uma estratégia de marketing, e a publicidade é a inteligência em criar os formatos por onde a propaganda será ecoada. Publicidade e propaganda são essenciais para que o marketing torne uma marca conhecida. – NÃO: escreve os "produtos" do jornalismo. Usa publieditorial. E por fim
  43. 43. • E ainda: editores, redatores, designers, ilustradores, fotógrafos, etc. Vídeo – Brainstorm

×