Tema 3a

200 visualizações

Publicada em

bom

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
200
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tema 3a

  1. 1. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 1 Tema – O que é Didática e por que ela é importante para o sucesso do trabalho docente? Projeto Pós-graduação Curso Alfabetização e Letramento Disciplina Metodologia do Ensino Tema O que é Didática e por que ela é importante para o sucesso do trabalho docente? Professor Inge Renate Fröse Suhr Introdução Hoje, iniciaremos o estudo sobre o que é Didática e a sua importância para o trabalho docente. No decorrer deste tema, você será levado a refletir sobre a importância da formação teórico-prática do professor, evitando tanto o teoricismo quanto o praticismo. Além disso, estudaremos o papel da Didática como área do conhecimento que fundamenta a ação docente, alertando para o fato de a Didática não ser um conjunto de técnicas, e sim uma área do conhecimento que procura fazer a mediação entre a teoria educacional e a prática em sala de aula. Assista ao vídeo a seguir, disponível no seu material digital, no qual a professora Inge apresentará os objetivos e subdivisões deste tema. Problematização Laís e Fábia estão no ensino médio. Elas se reuniram para estudar para as provas que se aproximam e decidiram começar o estudo por Biologia, que ambas “adoram”. Nas aulas de Biologia, elas se sentem motivadas, pois percebem que o professor ama o que faz. Fábia diz: “é incrível como ele consegue fazer a gente entender, como junta as coisas da vida com as coisas da disciplina”. Já Laís
  2. 2. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 2 acha que esse professor “tem o dom, já nasceu para lecionar!”. As aulas desse professor são organizadas, é possível perceber que ele as planeja. Além disso, ele varia as estratégias dependendo do conteúdo e tem facilidade para ouvir os alunos. Outra qualidade desse professor é que “não se estressa por bobagem”. Quando ocorre algum problema, tipo indisciplina, ele ouve, reflete e age, mas sem fazer escândalo. Comparando o professor de Biologia com o de Química, as alunas chegaram à conclusão de que a matéria também ajuda. Dito de outro modo, elas acham que Química é chata mesmo, não tem como fazer uma aula legal, interessante, pois o que elas vivenciam nessa disciplina é leitura do conteúdo do livro e posterior resolução individual de exercícios. A maior reclamação das duas alunas é que, quando têm dúvidas, o professor não responde de um modo que elas entendam, e sim repete o que está no livro, sem mudar nada. Laís acha até que o professor de Química não sabe a matéria. Vamos analisar a ação desses dois professores. Ensinar é um dom que já nasce com a pessoa e não há como desenvolver essa habilidade? A disciplina (ou o conteúdo) realmente é tão decisiva que não há como fazer aulas interessantes em algumas áreas? Antes de responder a esses questionamentos, acompanhe o conteúdo apresentado a seguir e reflita sobre a melhor resposta. Essa situação será apresentada novamente adiante. O Trabalho Docente: entre o Desenvolvimento da Prática e o Aprofundamento Teórico O trabalho docente se faz na interface entre o desenvolvimento da prática (conhecimento tácito) e o aprofundamento teórico. Por isso, é equivocada a posição, muito difundida na atualidade, de que a prática basta ao bom professor. O aprofundamento teórico é essencial para uma ação reflexiva, de qualidade superior, e é preciso cuidado para não cair em nenhum dos extremos: o praticismo e o teoricismo.
  3. 3. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 3  Praticismo: é a “prática pela prática”, distanciada da compreensão teórica acerca das razões que levam à determinada ação.  Teoricismo: é o seu oposto, ou seja, a teoria deslocada da realidade, como se fosse “a verdade” a ser aprendida e depois aplicada na prática. Tanto o praticismo quanto o teoricismo são equivocados, pois a teoria e a prática se articulam o tempo todo, embora nem sempre as percebamos. Exemplifiquemos: mesmo que um médico tenha muita experiência e baseie seus diagnósticos e formas de tratamento sugeridos nessa mesma experiência, ela foi construída a partir do domínio teórico. Nenhum de nós confiaria em um médico que não tenha conhecimento de fisiologia, anatomia, etc. Na área da educação, a Didática é uma área essencial para o aprofundamento teórico. Ela é “uma área que tem como especificidade o estudo da prática pedagógica” e se ocupa do processo ensino-aprendizagem. No vídeo a seguir, disponível no seu material digital, a professora Inge irá abordar a importância da formação docente. Ela também irá falar sobre o fato de que o professor deve ir além do domínio de conteúdo e sobre o papel da Didática nisso. Definição de Didática A Didática é uma disciplina teórico-prática que pretende subsidiar o professor “em todos os elementos constitutivos da dinâmica escolar, quais sejam: a reflexão pedagógica necessária à implementação de um projeto educativo, com suas concepções explicitadas através de seus planejamentos e efetivadas através de sua dinâmica cotidiana” (MELO; URBANETZ, 2008, p. 152). Dito de outro modo, o estudo da Didática é essencial ao professor e objetiva que ele compreenda o fenômeno educativo de maneira ampliada e possa tomar decisões adequadas aos propósitos que ele defende. Por isso mesmo, reduzir a formação do professor apenas à prática é negar-lhe a possibilidade de ser um intelectual da educação e colocá-lo apenas
  4. 4. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 4 no papel de executor de atividades pensadas e programadas por sistemas de ensino, leis, autores, etc. O professor é e precisa ser um intelectual da educação, saber o que e como fazer, assim como as possíveis consequências de seus atos! Para se aprofundar mais nessa reflexão, assista à fala do filósofo Mario S. Cortella sobre como ser um bom professor. Para isso, acesse o link a seguir: <http://www.youtube.com/watch?v=dz4lMxhVTEI>. Entendendo Melhor o que é a Didática Há várias concepções de Didática que foram sendo construídas no decorrer dos tempos e de acordo com as necessidades e condições da sociedade em cada época. Você poderá passear pela história da constituição da Didática assistindo ao vídeo a seguir: <http://www.youtube.com/watch?v=UC7XZOSo5uo>. Inicialmente, na Grécia antiga, a Didática foi caracterizada como a “arte de ensinar”, que seria inata em algumas pessoas. Contudo, hoje sabemos que a capacidade de ensinar não é inata, pode ser aprendida. Leia o artigo a seguir, que explora o papel da Didática na formação do professor. Com essa leitura, você terá uma visão geral sobre como surgiu a Didática, as suas diversas concepções e as suas dimensões. <http://www.slideshare.net/VinciusSilva5/conhecendo-a-didtica>. No entanto, até chegar a esse ponto vários pensadores foram construindo diferentes concepções sobre a Didática. São eles: Sócrates, Comenius, Herbart, Dewey, entre outros. Esses autores são os clássicos da Didática e servem de referência para os pesquisadores da área na atualidade. Você quer saber mais a respeito desses pensadores? Então acesse os links a seguir: Sócrates: <http://educarparacrescer.abril.com.br/aprendizagem/socrates- 306963.shtml?utm_campaign=redesabril_educar>.
  5. 5. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 5 Herbart: <http://educarparacrescer.abril.com.br/aprendizagem/jf-herbart- 307401.shtml>. Comenius: <http://educarparacrescer.abril.com.br/aprendizagem/comenio-307077.shtml>. Dewey: <http://educarparacrescer.abril.com.br/aprendizagem/john- dewey-307892.shtml>. Você conseguiu compreender o que é Didática? Então, para saber mais sobre a sua definição, assista ao vídeo com a professora Inge, que está disponível em seu material digital. Alguns autores caracterizaram a Didática como o conjunto de técnicas a serem utilizadas para garantir o sucesso do ensino e da aprendizagem. Contudo, essa é uma concepção restrita, sendo refutada pelos autores que hoje tratam do tema. Para esses autores, dentre os quais citamos Vera Candau, Ilma Veiga, José Carlos Libâneo, entre outros, a Didática vai muito além de uma listagem de técnicas de ensino. Caso você queira saber mais sobre esses pensadores, que são referência na área de Didática, acesse os links a seguir: José Carlos Libâneo: <http://letrasunifacsead.blogspot.com.br/p/jose- carlos-libaneo-biografia.html>. Vera Candau: <http://www.dhnet.org.br/direitos/militantes/veracandau/textos.htm>. Ilma Veiga: <http://escola-ensino-aprendizagem.blogspot.com.br/p/ilma- veiga.html>. É verdade que a Didática se ocupa do “como ensinar”, mas essa questão está sempre relacionada a outras duas: “para que ensinar?” e “por que ensinar”? Dito de outro modo, não há técnica neutra, que sirva para todos os momentos e todas as situações. A opção metodológica (que é o objeto da Didática) se relaciona a outras dimensões, importantíssimas:
  6. 6. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 6  Quem são os alunos?  Qual é a realidade na qual se encontram?  Que tipo de pessoa desejamos formar?  Para que tipo de sociedade? A Didática é um conjunto de técnicas? Assista ao vídeo a seguir, disponível em seu material digital, para saber mais sobre essa questão. A decisão sobre o encaminhamento do processo ensino-aprendizagem, para além de ser técnica, é uma decisão política. Quando pensamos sobre os pontos citados anteriormente, não organizamos as atividades de um curso ou disciplina de maneira neutra, pois o modo de realizar o processo pedagógico tem efeitos para além da aprendizagem do conteúdo especificamente. Exemplificando: se desejo desenvolver a autonomia intelectual em todos os conteúdos, deverei organizar as aulas de modo que os alunos se sintam parte do processo, que exerçam níveis crescentes de decisão e assumam as consequências dos seus atos. Não adianta fazer um discurso em prol da autonomia intelectual e definir absolutamente tudo no dia a dia da escola e das aulas, impedindo que os alunos reflitam e se sintam sujeitos do seu próprio aprendizado. O fato de o professor ter um papel político não significa que deva fazer doutrinação em sua disciplina. Na verdade, para cumprir bem o papel político o professor deve cumprir o seu papel técnico, ou seja, organizar a disciplina de modo que favoreça a aprendizagem significativa dos alunos, indiferente da sua origem de classe, sexo, raça, entre outros pontos. Por isso mesmo, a Didática é uma atividade mediadora entre a teoria educacional e a prática em sala de aula. O domínio de seus elementos constituintes permite ao professor decidir de maneira autônoma e consciente quais serão os procedimentos a serem adotados e por quê. Essa é a razão pela qual a Didática tem a aula como foco, mas não fica restrita a ela. A aula é a manifestação do processo educativo como um todo,
  7. 7. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 7 mas este é mais amplo. Na verdade, a aula apenas indica todas as relações (legais, sociais, políticas, econômicas, interpessoais, psicológicas etc.) que acontecem no decorrer do processo ensino-aprendizagem. Aprofunde-se neste conteúdo estudando o capítulo 4 do livro: “Fundamentos de Didática” de Melo e Urbanetz, que está disponível no link a seguir: <http://uninter.bv3.digitalpages.com.br/users/publications/9788578380205/page s/_1>. Para aprofundar os seus conhecimentos a respeito da importância da Didática para a prática educativa, leia o material disponível no link a seguir: <http://www.unicerp.edu.br/index.php/pesquisas/athos-ethos/445-7-a- importancia-da-didatica-enquanto-ferramenta-pedagogica-na-pratica-educativa- e-na-formacao-do-educador>.
  8. 8. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 8 Revendo a Problematização Muito bem! Acredito que já tenhamos tido tempo suficiente para refletir sobre o caso apresentado no início dos estudos deste tema. Caso queira, leia o caso novamente antes de responder. Caso contrário, analise as alternativas a seguir e dê a sua resposta. Depois de ter assistido ao vídeo com o caso e ter lido o conteúdo teórico, responda à questão: a. Bons professores têm o dom, já nascem com facilidade para se comunicar com as pessoas e influenciá-las. b. A diferença entre professores que encantam e outros que são maçantes está na disciplina lecionada, pois alguns temas são extremamente áridos e desagradáveis, por mais que o professor se esforce. c. A habilidade do professor depende do domínio de sua disciplina e também do conhecimento de como os grupos funcionam, das técnicas e dos procedimentos adequados para cada conteúdo.
  9. 9. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 9 Feedback a. Atualmente sabemos que, para além das habilidades individuais, é possível aprender e desenvolver conhecimentos e habilidades que nos levem a ser um professor que encanta. b. Os conteúdos realmente são diferentes entre si, mas isso não significa que haja alguns temas desagradáveis por si só. O domínio da Didática pode contribuir significativamente para o sucesso do ensino- aprendizagem. c. Realmente, é possível aprender a ser um bom professor, mediante o aprofundamento na metodologia de ensino. Tanto a experiência quanto o estudo oferecem ao professor condições para que melhore a sua prática.
  10. 10. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 10 Síntese No decorrer deste estudo vimos que a formação do professor precisa ser teórico-prática e que devemos evitar o teoricismo e também o praticismo. Sendo assim, o professor precisa compreender o fenômeno educativo para além do que acontece na sala de aula. Vimos, também, que a Didática é a área do conhecimento que fundamenta a ação do professor, e que negar a ele o acesso ao conhecimento teórico é mantê-lo no papel de executor de projetos decididos por outrem. Além disso, aprendemos que a Didática não é uma listagem de técnicas de ensino, e sim uma área do conhecimento que procura fazer a mediação entre a teoria educacional e a prática em sala de aula. Aprendemos, também, que o objeto de estudo da Didática realmente é o “como fazer”, mas essa questão está sempre relacionada ao “para que fazer” e ao “por que fazer”. Por fim, vimos que a escolha do encaminhamento na sala de aula é, ao mesmo tempo, técnica e política. Agora, assista ao vídeo da síntese com a professora Inge. Não deixe de conferir!
  11. 11. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 11 Referências CANDAU, V. A Didática em questão. Petrópolis: Vozes, 1984. MARTINS, P. L. Didática. Curitiba: Ibpex, 2008. MASETO, M. Didática: a aula como centro. São Paulo: FTD, 1997. MELO, A.; URBANETZ, S. Fundamentos de Didática. Curitiba: Ibpex, 2008.
  12. 12. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 12 Atividades Há várias concepções de Didática, mas nesta disciplina enfatizamos1. uma delas. Qual? a. Didática é o conjunto de técnicas de ensino que permitem ao professor desempenhar a sua atividade com maior assertividade. b. Didática é sinônimo de Pedagogia, ciência que estuda o fenômeno educativo em sua totalidade. c. Didática é uma área de estudos que se ocupa do como ensinar, mas sempre em relação ao “por que ensinar”. d. Didática é a ciência que determina a melhor metodologia para cada tipo de conteúdo. A decisão sobre o encaminhamento do processo ensino-aprendizagem,2. para além de ser técnica, é uma decisão política. Isso significa que: a. Não existe ensino neutro. Sempre é preciso analisar quem são os alunos, que objetivos pretendemos alcançar, quais as nossas condições concretas, dentre outros fatores. b. As políticas educacionais de determinada gestão definem o encaminhamento metodológico a ser adotado nas escolas, indiferente das opções da escola. c. Todo ensino é interessado, sempre temos objetivos (explícitos ou não) em relação ao ensino. Por isso, a dimensão técnica se sobrepõe à dimensão política quando da escolha do encaminhamento metodológico. d. O processo educacional deve ser neutro, ou seja, precisa atingir a todos e a todas, sem distinção de classe, credo, raça ou cor. O uso de uma ou
  13. 13. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 13 outra metodologia se deve apenas às preferências do professor. Estudamos que a Didática é uma atividade mediadora entre a teoria3. educacional e a prática em sala de aula. Assinale a alternativa que explica corretamente essa afirmativa: a. A Didática estuda os melhores encaminhamentos propostos pelas teorias da educação e tem o papel de convencer os professores a usá- los e, com isso, promover o sucesso do processo ensino-aprendizagem. b. Toda didática surge da prática. Cada professor acaba desenvolvendo um conhecimento tácito que lhe permite agir de maneira autônoma e consciente no seu dia a dia. c. Mediar significa “estar entre”, portanto a Didática busca referencial na teoria para compreender e orientar a prática docente. Ao mesmo tempo, é do dia a dia que ela retira os principais elementos a serem estudados pela teoria. d. A atividade mediadora desempenhada pela Didática é ensinar aos professores, a partir da ciência da educação, qual o melhor encaminhamento metodológico em sala, indiferente de suas preferências pessoais e/ou da realidade da escola. O foco da Didática é a sala de aula, mas não fica restrita a ela, pois a4. aula é a manifestação do processo educativo como um todo, que é mais amplo. De acordo com isso, assinale a alternativa que cita corretamente os principais elementos que definem a realidade da sala de aula: a. O que acontece em sala de aula é fruto de decisões internas da mantenedora, interesses dos alunos e desejos dos professores. Os
  14. 14. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 14 aspectos macrossociais não têm interferência. b. A sala de aula é fruto das relações interpessoais que se estabelecem entre professor e alunos, pois elas definem a disciplina, o ritmo, a motivação e o envolvimento dos sujeitos envolvidos. c. O que acontece em sala de aula é consequência de várias relações, dentre as quais podemos citar: legais, políticas, sociais, econômicas, interpessoais e psicológicas. d. A sala de aula reflete a ideologia dominante, seja na posição dos alunos ou dos professores. Essa ideologia é transmitida pelos meios de comunicação de massa e influi diretamente no trabalho do professor. Atualmente, algumas pessoas têm dito que basta a prática para que o5. professor se torne competente. Em direção diversa, nossa disciplina defende a formação teórico-prática. Por quê? a. A formação teórico-prática é a base de qualquer curso de graduação, definida por lei, não há como fazer diferente. b. A teoria é a única ferramenta capaz de oferecer segurança ao professor. c. A formação prática é insuficiente e estereotipada, levando à repetição exaustiva de uma mesma prática, seja ela adequada ou não. d. Negar ao professor o acesso ao conhecimento teórico é mantê-lo no papel de executor de projetos decididos por outrem.

×