ALUNAS: CAMILA PIRES E JULIA
8°D
Revolução Francesa ate o final do
Império Napoleônico
ASSEMBLÉIA DOS ESTADOS GERAIS
 A sociedade Francesa era dividida em três estados,
o primeiro estado era constituído pelo ...
A ASSEMBLÉIA NACIONAL CONSTITUINTE
 O terceiro estado se revoltou contra o primeiro e
segundo fazendo com que criasse sua...
CONVENÇÃO NACIONAL
 Os revolucionários eram divididos em: Girondinos, que
eram o grupo majoritário encontrados a direita ...
DIRETÓRIO
 O poder executivo estava nas “mãos” de 5
diretores escolhidos pelo voto censitário masculino.
 Os diretores e...
GOVERNO NAPOLEÔNICO
 Napoleão ao chegar no governo da França
começou a consolidação das conquistas da
burguesia no país e...
CONSULADO
 O poder executivo era dividido em três partes e o
legislativo ficava com o cargo das assembléias.
 Após conse...
IMPÉRIO
 Com 60% dos votos Napoleão se tornou imperador
da França.
 Napoleão disputou com a Inglaterra a hegemonia
polít...
 O Tratado de Fontainebleau, foi decretado quando
Bonaparte invadiu Portugal, por não fechar os
portos. Esse tratado perm...
O IMPÉRIO NAPOLEÔNICO CHEGA AO FIM
 O Bloqueio Continental estava prejudicando os
países que ele aderiram, com isso a Rús...
 Com a perda na batalha, criaram uma nova
coligação contra a França, formada por Rússia,
Inglaterra, Prússia e Áustria.
...
 Apenas em 100 dias de retorno ao poder, Napoleão
foi derrotado na Guerra de Waterloo, pelo duque da
Bélgica. Com isso fo...
CONGRESSO DE VIENA
 Após a derrota de Napoleão Bonaparte, organizou-
se na Europa um movimento conservador.
 Retomaram n...
SANTA ALIANÇA
 Czer Alexandre I, propôs aos principais países
envolvidos no Congresso de Viena que formassem
a Santa Alia...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Revolução Francesa ate o fim da era Napolêonica

288 visualizações

Publicada em

Revolução Francesa até o fim da era Napoleônica

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
288
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revolução Francesa ate o fim da era Napolêonica

  1. 1. ALUNAS: CAMILA PIRES E JULIA 8°D Revolução Francesa ate o final do Império Napoleônico
  2. 2. ASSEMBLÉIA DOS ESTADOS GERAIS  A sociedade Francesa era dividida em três estados, o primeiro estado era constituído pelo clero, o segundo pela nobreza e o terceiro pela burguesia.  Com a crise da frança o rei convoca a assembléia dos estados gerais para tentar resolver os problemas econômicos e sociais.  Porem logo que se encontraram, começaram a gerar conflitos. O primeiro e o segundo estado queriam o voto por classe social, em quanto o terceiro estado queria o voto por cabeça e a igualdade econômica fazendo com que o primeiro e segundo estados pagassem impostos.
  3. 3. A ASSEMBLÉIA NACIONAL CONSTITUINTE  O terceiro estado se revoltou contra o primeiro e segundo fazendo com que criasse sua própria assembléia, com o apoio dos deputados.  Decretou varias leias, entre elas o direito do homem e cidadão. E com isso o rei revoltou por não querer que seu poder fosse diminuído.  Os membros da assembléia acusaram o rei Luis XVI de estar traindo a revolução. Com isso a família real foi presa, e logo após isso foi criada a Convenção nacional, que era a assembléia eleita pelo voto universal masculino.
  4. 4. CONVENÇÃO NACIONAL  Os revolucionários eram divididos em: Girondinos, que eram o grupo majoritário encontrados a direita da assembléia, Jacobinos, que eram a media e pequena burguesia, eram encontrados a esquerda da assembléia, e a Planície, também representantes da alta burguesia, eram divididos entre Jacobinos e Girondinos.  A convenção era governada de forma ditatorial.  Ocorreu o período do terror, que foi quando os Jacobinos perseguiam os Girondinos.  Após Robespierre líder dos jacobinos, ser preso e guilhotinado, foi elaborada uma nova constituição e instalada uma nova fonte de governo, chamado Diretório.
  5. 5. DIRETÓRIO  O poder executivo estava nas “mãos” de 5 diretores escolhidos pelo voto censitário masculino.  Os diretores eram fracos e não estavam dando conta de lidar com todo o poder sozinhos. Então decidiram chamar Napoleão Bonaparte, porem no dia 18 brumário Napoleão deu um golpe no diretório, e instaurou o Consulado. Esse fato ficou conhecido como o Golpe do 18 Brumário. Com isso a revolução Francesa chega ao fim.
  6. 6. GOVERNO NAPOLEÔNICO  Napoleão ao chegar no governo da França começou a consolidação das conquistas da burguesia no país e também empreendeu campanhas militares que provocaram a desorganização das burguesias absolutas da Europa, favorecendo os movimentos liberais.  Após o Golpe do 18 Brumário, foi elaborado uma nova forma de governo, o Consulado, fazendo que assim a Era Napoleônica começa-se.
  7. 7. CONSULADO  O poder executivo era dividido em três partes e o legislativo ficava com o cargo das assembléias.  Após conseguir relativa estabilidade, Napoleão criou o Código Civil Napoleônico. Por meio desse conjunto de leis, inspirado em varias diretrizes do Direito Romano, foram assegurados o direito à propriedade, a igualdade dos cidadãos perante a lei, a proibição das greves e sindicatos. A partir do Código Napoleônico, eram garantidos interesses fundamentais básicos da burguesia.  Com o apoio da burguesias Napoleão criou um plebiscito e se tornou cônsul vitalício.
  8. 8. IMPÉRIO  Com 60% dos votos Napoleão se tornou imperador da França.  Napoleão disputou com a Inglaterra a hegemonia política e econômica da Europa. Disputou também com a terceira coligação contra a França formada pela Inglaterra, Rússia e Áustria.  O Imperador Frances promulgou o Decreto de Berlim, fechou todos os portos europeus aos navios e as mercadorias vindas da Inglaterra, esse ato ficou conhecido como Bloqueio Continental. E os países que não adquiriram ao Bloqueio sofriam invasão de Napoleão.
  9. 9.  O Tratado de Fontainebleau, foi decretado quando Bonaparte invadiu Portugal, por não fechar os portos. Esse tratado permitia que a França entrasse em território Espanhol.  Com a ajuda dos ingleses Don João, príncipe regente de Portugal, fugiu com a corte para o Brasil. Com isso Bonaparte dominava quase toda Europa. Tornando- se assim o senhor absoluto da política européia.
  10. 10. O IMPÉRIO NAPOLEÔNICO CHEGA AO FIM  O Bloqueio Continental estava prejudicando os países que ele aderiram, com isso a Rússia decidiu rompe-lo. Napoleão nada contente com isso decidiu formar um exercito de 600 mil homens para invadir a Rússia.  Ao chegar em seu destino Napoleão não encontrou nada, pois o czar havia retirado toda a população da capital, Moscou.  Na volta para a França o Imperador Bonaparte enfrentou o inverno. Com o frio e com os ataques russos Napoleão perdeu 90% de seu exercito.
  11. 11.  Com a perda na batalha, criaram uma nova coligação contra a França, formada por Rússia, Inglaterra, Prússia e Áustria.  Napoleão abdicou o trono Frances, após a derrota em Leipzig. Após isso Luis XVIII foi convidado a voltar para retomar o poder.  Napoleão recebeu a soberania da Ilha de Elba, mas não foi muito longe em seu exílio, pois logo conseguiu fugir da ilha com a ajuda da burguesia. Após sair da ilha Bonaparte foi para Paris, sendo assim aclamado imperador novamente. Fazendo com que Luis XVIII fugisse para a Bélgica.
  12. 12.  Apenas em 100 dias de retorno ao poder, Napoleão foi derrotado na Guerra de Waterloo, pelo duque da Bélgica. Com isso foi aprisionado na ilha de Santa Helena, onde faleceu.
  13. 13. CONGRESSO DE VIENA  Após a derrota de Napoleão Bonaparte, organizou- se na Europa um movimento conservador.  Retomaram nas antigas fontes de governo.  Monarcas e ministros reuniram-se no Congresso de Viena, para restabelecer o antigo regime político europeu, e reorganizar o mapa político europeu que havia sido bastante modifigado graça as conquistas napoleônicas.  Os principais países ali presentes eram Rússia, Prússia, Inglaterra, Áustria e França. Os princípios eram: Restauração, legitimar e solidariedade.
  14. 14. SANTA ALIANÇA  Czer Alexandre I, propôs aos principais países envolvidos no Congresso de Viena que formassem a Santa Aliança. No qual tinha o objetivo de defender as monarquias absolutistas, em nome dos principios cristãos. Também foi instaurado o direito de intervirem nos países onde ouvissem Revoluções liberais e tentativas de emancipação política.  Com a interrupção das Revoluções liberais e nacionalistas dentro e fora dos continentes europeu, provocou o enfraquecimento da Santa Aliança.

×