Tetelestai livro

363 visualizações

Publicada em

A sexta palavra da cruz.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
363
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tetelestai livro

  1. 1. 1 João 19:30 Mauro RS – 2015
  2. 2. 2 A sexta palavra da cruz. Introdução: Jesus falou sete vezes na cruz, (púlpito universal): 1. À sua mãe e João, Jo.; 2. Pai perdoa-lhes... Jo.; 3. Luc. Com o ladrão (Hoje estarás...); 4. Eloí... Mat. e Mc.; 5. Tenho sede. Jo.; 6. Está consumado = TETELESTAI, Jo.; 7. Pai nas tuas mãos... Luc.; Na sexta fala Cristo declarou TETELESTAI. Essa palavra tem um significado muito profundo para nosso entendimento no que diz respeito a nossa vida espiritual e a nossa relação com Deus. Porque o grande problema do ser humano não é material, físico, psicológico, mas é espiritual e precisa de tratamento espiritual, isto é, relacionamento com Deus.
  3. 3. 3 O que prejudica o relacionamento humano com Deus é o pecado- dívida, que gera culpa, medo de Deus, neuroses, barganhas, etc. Geralmente o que fazemos quando devemos para alguém e vemos a pessoa no caminho? Escondemos, fugimos, etc... Geralmente não temos um bom relacionamento com credores... Um bom entendimento a respeito de como Deus tratou e trata com os nossos pecados-dívidas, nos liberta totalmente da culpa, do medo, das neuroses, das barganhas... e nos leva a uma vida de liberdade, libertária e de gratidão crescente e também a um profundo relacionamento com Ele.
  4. 4. 4 Para tanto precisamos entender bem duas verdades: I. NOSSA DÍVIDA É IMPAGÁVEL POR NÓS MESMOS. A trajetória humana após a queda no pecado é baseada na justiça própria, na tentativa de pagar a conta com suas próprias ações ou com uma vida “certinha”, religiosa, na tentativa de agradar a Deus (credor). Porém, logo se percebe que não é possível satisfazer todas as demandas da Lei de Deus. E por viver num mundo caído e estar no meio de outros caídos, aqui ou ali acaba quebrando a lei de Deus e acrescentando mais dívida na conta e aí mais culpa-peso, mais medo, mais barganha-negócio, e a relação com Deus é um
  5. 5. 5 negócio neurótico, obsessivo, maluco mesmo. Isso leva a pessoa a fazer algumas coisas: Ser o mais religiosa possível, até se auto flagelar, tentando pagar a conta. (Um líder religioso convenceu 400 homens a se castrarem para se aproximarem de Deus). Apesar da proeza não valeu de nada. Aprisionar outros com sua religião. Amargurar-se contra Deus e contra toda espécie de religião, etc Depressão, suicídio, etc... Olha quanta coisa por causa de dívida!!! Nossa dívida é impagável por nós mesmos. Nada do que você faça ou deixe de fazer poder saudar qualquer débito com Deus, nem um centavinho, nem 0,0001%. Rom. 3:20; Hb.10:4; Gl.3:10
  6. 6. 6 Isso vale tanto para o passado quanto para o presente e o futuro. Nossa dívida é impagável por nós mesmos.
  7. 7. 7 Se entendermos isso já será um grande avanço para nossa saúde espiritual. II. A BOA NOTÍCIA DA DÍVIDA CANCELADA. No século I, quando um criminoso era preso, seus delitos eram registrados em um papiro conhecido como “cédula de dívida” ou “escrito de dívida”. Ao cumprir a pena e chegando a ocasião de sua liberdade, o juiz responsável pela soltura do condenado, riscava a cédula, especialmente na parte onde os crimes estavam apontados, e, no rodapé, escrevia TETELESTAI. Pronto! O indivíduo não devia mais nada à justiça. Estava livre da condenação e, agora, poderia desfrutar da paz e da liberdade. “TETELESTAI” é uma expressão grega que pode ser traduzida como “está consumado”, “totalmente pago” ou “dívida cancelada”.
  8. 8. 8 O apóstolo Paulo se apropria desta figura jurídica para nos transmitir a profundidade do alcance da obra redentora de Cristo, pois como pecadores que somos, contra nós também há uma “cédula de dívida”, a saber, uma série de transgressões cometidas ao longo da nossa vida. Esta cédula constitui-se em um poderoso instrumento de acusação. Ela nos silencia, nos humilha, pois não há como contradizê-la, não há como nega-la. Nela se registram todas as nossas maldades, todas as nossas mentiras, toda perversidade que praticamos. Ela aponta para a destruição dos que ali constam. Entretanto, o apóstolo Paulo declara que Cristo “riscou o escrito de dívida, tirando-o do meio de nós, cravando-o na cruz”. Col. 2:14 Ou seja, Jesus Cristo com sua morte vicária (substitutiva), pagou a dívida que tínhamos para com Deus.
  9. 9. 9 Está Consumado! Totalmente pago! Esta é a nossa verdadeira posição em Cristo no que consiste a satisfação da justiça divina. Não importa o que tenhamos feito. Não importa a extensão e a gravidade do nosso pecado, em Cristo Jesus “nenhuma condenação há...” (Rm 8.1). Portanto, quando lembranças ruins de um passado distante ou recente surgirem e nos sentirmos culpados e ameaçados em nossa paz, basta nos lembrarmos do que Cristo fez por nós. Basta nos lembrarmos da palavra proferida a nosso respeito: TETELESTAI! Todos os nossos pecados foram perdoados pelo precioso sangue do Senhor Jesus Cristo. Sangue este que riscou a cédula que nos era
  10. 10. 10 contrária, nos livrando da condenação de uma vez por todas. De uma vez para sempre! É comum encontrarmos pessoas inseguras quanto ao fato de se sentirem plenamente perdoados por Deus. Alguns têm a impressão de que precisam orar mais uma vez para, quem sabe, serem realmente perdoados pelo Senhor. Porém, as Escrituras Sagradas não nos orienta a “sentir o perdão” de Deus e, sim a crer que, em Cristo, Ele já nos perdoou conforme diz a Escritura. Escritura é documento. Portanto, não é uma questão de sentimento, mas sim de fé na pessoa de Jesus Cristo e na eficácia da obra que Ele realizou conforme diz a Escritura. Outra questão que também atormenta alguns irmãos é o receio de que, dependendo do que fizeram no passado, estes precisam “quebrar alguma maldição” ou “anular algum pacto”, pois, do contrário, sempre estarão sujeitos a alguma investida de satanás e poderão ter algum tipo de influência maligna em suas vidas.
  11. 11. 11 Assim, para tais, a qualquer momento, o diabo poderá vir “cobrar a fatura” sendo, portanto, é necessário participar de algum culto ou corrente de libertação. Esta prática é estranha ao ensino da Escritura Sagrada. Paulo, afirma que a dívida foi cancelada, além disso, no versículo 15 do capítulo 2 da carta aos Colossenses, o apóstolo insiste que “tendo despojado os principados e as potestades, os expôs publicamente ao desprezo, e deles triunfou na cruz...” Se no versículo 14, Paulo utiliza uma cena jurídica, como já dissemos acima, neste ele usa uma realidade militar bastante conhecida na época, pois quando duas nações entravam em guerra, era comum o exército vencedor trazer ao seu território o exército vencido e, numa cerimônia pública, os soldados derrotados tinham suas roupas e demais pertences retirados até ficarem completamente nus, eles eram despojados. Este despojamento tinha o objetivo de humilhar o inimigo derrotado, demonstrando que estava totalmente subjugado.
  12. 12. 12 É exatamente isto que Paulo está ensinando aos crentes de Colossos! Cristo derrotou e humilhou o diabo, despojando-o de toda e qualquer autoridade que tinha para nos acusar, tentar e prejudicar. Cristo fez dos seus inimigos, o “estrado de seus pés”.
  13. 13. 13 Não precisamos temer qualquer cobrança. Ele foi derrotado, despojado e humilhado pelo Senhor Jesus Cristo. A dívida está paga! TETELESTAI!!! Esses dias eu ouvi uma história de um homem que tinha pago uma certa dívida, mas vieram os cobradores e tentaram acusá-lo de que ele ainda devia, mas ele tinha algo guardado, o recibo da conta paga, o escrito registrado que tudo estava pago, eles não podiam fazer nada e ele ainda aproveitou para dizer a eles que eles é que vão pagar agora por danos morais. Nós temos a Palavra de Deus que confirma o pagamento completo de nossa dívida (passado, presente e futuro). Todos os nossos pecados foram perdoados! TETELESTAI!
  14. 14. 14 Que boa notícia! Todas as nossas maldições foram levadas à cruz e ali aniquiladas (Isaias 53). Que maravilha! Estamos livres! Livres para viver a plenitude da vida de Cristo. A Ele, e somente a Ele, seja o louvor, e a honra, e a glória, e o poder pelos séculos dos séculos, Amém!!! Conclusão I. Nossa dívida é impagável por nós mesmos. II. A boa notícia da dívida cancelada. Um bom entendimento a respeito de como Deus tratou e trata com os nossos pecados-dívidas, nos liberta totalmente da culpa, do medo, das neuroses, das barganhas... e nos leva a uma vida de liberdade, libertária e de gratidão crescente e também a um profundo relacionamento com Ele. (Nenhum ritual, religião, esforço humano, etc., pode nos ajudar na vida espiritual, só um bom e profundo relacionamento com Deus nos ajudará.)
  15. 15. 15
  16. 16. 16

×