1
Desenvolvendo uma fé verdadeira ou
mera religiosidade.
Mauro R. Silva – Batatais - SP 2014
“E serviu o povo ao SENHOR to...
2
Quantos pais e responsáveis por crianças, no afã de
ajudá-los na fé acabam por fazerem de seus filhos meros
religiosos, ...
3
O fato é que essa nova geração nunca desenvolveu uma
fé verdadeira na pessoa de Jesus Cristo e não conhecem a graça
de D...
4
cobrando, estimulando... “Vocês precisam ir ao templo, oferecer
sacrifícios, fazer algo, se envolverem mais, etc.” Enqua...
5
existe aprendizado, transformação de vida. Quando a influência
dos pais passa o que fica é apenas mera religiosidade.
É ...
6
não tinham o coração atentos para aprenderem com aquilo, o
resultado foi lastimável.
É preciso cuidado para observar nos...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Desenvolvendo uma fé verdadeira ou mera religião.

127 visualizações

Publicada em

Fé verdadeira (Confiança em Cristo) x Mera religiosidade (desempenho humano)

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
127
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Desenvolvendo uma fé verdadeira ou mera religião.

  1. 1. 1 Desenvolvendo uma fé verdadeira ou mera religiosidade. Mauro R. Silva – Batatais - SP 2014 “E serviu o povo ao SENHOR todos os dias de Josué, e todos os dias dos anciãos que ainda sobreviveram depois de Josué, e viram toda aquela grande obra do SENHOR, que fizera a Israel. Faleceu, porém, Josué, filho de Num, servo do SENHOR, com a idade de cento e dez anos; E sepultaram-no no termo da sua herança, em Timnate-Heres, no monte de Efraim, para o norte do monte de Gaás. E foi também congregada toda aquela geração a seus pais, e outra geração após ela se levantou, que não conhecia ao SENHOR, nem tampouco a obra que ele fizera a Israel.” Juízes 2:7-10
  2. 2. 2 Quantos pais e responsáveis por crianças, no afã de ajudá-los na fé acabam por fazerem de seus filhos meros religiosos, e depois quando essas crianças crescem e adquirem uma certa idade já não querem saber mais nada daquilo que foram obrigados a fazer: ir às reuniões da igreja, ler a Bíblia, orar, etc... Ou se vão às reuniões da igreja o fazem por medo, culpa, ou por fazer a vontade de seus pais, mas depois que saem das reuniões nada mudou na vida deles, pois o que se faz nas reuniões não passa de coisas tolas e enfadonhas na mente deles. Lobo come carne e ovelha come capim. Ovelha não come carne e lobo não come capim, isso é próprio de suas naturezas. Essa é uma realidade comum desde os tempos antigos de Israel e é a mesma coisa na história da igreja. Isso tem se repetido pelos séculos e ainda hoje é muito comum. As novas gerações que se levantam não conhecem ao Senhor, nem tampouco a obra que Ele fez. Gente de todas as famílias, filhos de pastores, e gente que é considerada muito séria com Deus tem tido essa experiência. Há igrejas onde acontece isso de modo comum de um ministério para o outro. O que aconteceu? Por quê isso? De quem é a culpa?
  3. 3. 3 O fato é que essa nova geração nunca desenvolveu uma fé verdadeira na pessoa de Jesus Cristo e não conhecem a graça de Deus, mas apenas cumpriram as formalidades comportamentais da igreja-religião. As questões não são: o que aconteceu, por quê, de quem é a culpa? A questão é: Por que isso acontece? Vamos tentar entender o texto e a história. A fidelidade deste povo estava vinculada à presença de pessoas que estavam influenciando positivamente este povo para seguir a Deus: Josué e os anciãos. Mas quando faleceu Josué e depois de um tempo também faleceram os anciãos, aquele povo já não tinha a mesma influência sobre seus filhos e o povo também faleceu e uma nova geração surgiu, que não conhecia ao Senhor e nem a obra dEle. O que é que aconteceu? O povo serviu a Deus somente enquanto Josué e os anciãos estavam vivos. Enquanto havia a influência de Josué e dos anciãos, dizendo à eles o que fazer e o que não fazer,
  4. 4. 4 cobrando, estimulando... “Vocês precisam ir ao templo, oferecer sacrifícios, fazer algo, se envolverem mais, etc.” Enquanto isso aconteceu eles obedeceram... Mas tão logo essa influência acabou, eles se desviaram totalmente. Não conheciam ao Senhor, nem a obra dele. Houve ensino, mas não houve aprendizagem. O que se gerou foi apenas mera religiosidade. Sempre encontrei pessoas que deixaram suas casas e foram para outra cidade, muitas dessas pessoas quando estavam morando com seus pais eram bem comportadas, agiam com honestidade, mas depois que estavam longe da influência dos pais, da família, eles eram outras pessoas. Nas igrejas temos visto a mesma coisa aocntecer, você leva os filhos para a igreja, ensina-os a serem compromissados, fazer oração, darem ofertas, cantar, tocar, senta, levanta, fica quieto, leia a Bíblia, presta atenção no pastor, etc... Mas nem por isso, significa que eles estão aprendendo. Existe ensino, mas não
  5. 5. 5 existe aprendizado, transformação de vida. Quando a influência dos pais passa o que fica é apenas mera religiosidade. É preciso tomar cuidado com o coração. Discípulo = aquele que aprende. A fé verdadeira só se desenvolve no coração de um discípulo e não de um mero religioso. O coração do discípulo é um coração de alguém que aprende sempre, que está em adoração à Deus espontaneamente, voluntariamente, naturalmente. Ele quer conhecer a Deus e suas obras. Ensinar é importante e bom, mas não é o suficiente para fazer um discípulo de Jesus. É preciso estar atento para as mudanças, as necessidades deles, e saber como eles aprendem para poder ajudá-los. Muita gente pode vir nas reuniões da igreja e não entregar seu coração à Deus. E quando se perde a influência dos pais, dos líderes, ou se viaja ou se muda para outro lugar, então o natural é se afastar de Deus, pois nem O conhece e nem tampouco as suas obras. José, Daniel e seus amigos, eram discípulos e não meros religiosos. Eles conheciam ao Senhor e a obra de Deus e por isso nada poderia mudar aquilo que era natural neles. Mas muitos outros na história nunca conheceram ao Senhor, como os filhos de Eli por exemplo. Embora estivessem no Tabernáculo e estavam fazendo aquelas coisas comuns, como na igreja, eles
  6. 6. 6 não tinham o coração atentos para aprenderem com aquilo, o resultado foi lastimável. É preciso cuidado para observar nossos filhos, nossos queridos, a nova geração, se não são apenas meros religiosos. É preciso ver se eles conhecem de fato ao Senhor e Sua obra em seu favor. É preciso ver se são de fato discípulos de Jesus, se tem um coração que aprende, um coração de discípulo, um coração que ama a Deus, que admira Sua obra de graça. É preciso cuidar do coração, essa é a diferença entre a fé verdadeira e a mera religiosidade.

×