Grego θεóς = theos = "divindade" +λóγος,    logos      =    "palavra") /"estudo", análise, questionamento...No sentido lit...
Moral
MoralCostumesComportamentoRegras que regem nossas vidas.
Pentateuco
Sapienciais e Profetas
Sócrates
•O     ethos   socrático    é racionalista,           nele encontramos             uma concepção do bem como felicidade pr...
•O homem age retamente quando conhece o bem e, conhecendo-o, não pode deixar de praticá-lo, Por outro
Aristóteles
• A Partir de Platão, mais forte  com Aristóteles, o homem  enquanto tal, só pode viver na  cidade ou na polis; é, por  na...
• 1. O que é o Bem para o homem.• 2. A virtude Moral.• 3. Responsabilidade pela ação.• 4. Virtudes relacionadas com o  din...
• 6. A virtude intelectual• 7. Continência e incontinência.• 8. Amizade.• 9. Nas amizades onde os  motivos de cada um das ...
Moral:• Costume• Comportamento• Regras que regem nossas vidasÉtica:• A raiz da palavra ethos vem do grego e sugere morada,...
•A raiz da palavra ethos vem do grego          e           sugere morada, residência, lugar onde se
•Portanto, a esse modo ou jeito próprio e habitual de morar, habitar no mundo e organizar a vida é que chamamos de ethos.
•Isso se dá na maneira em que vamos escolhendo a melhor resposta frente aos desafios,
• Experimentando, mudando, criando, a  té conseguir ajeitar nosso ninho.
Deste ethos em ação vão surgindo:                ValoresSolidariedade   Partilha Encontro
Normas,
Costumes de uma civilização, deum povo, de um grupo social ouaté de um único indivíduo.
•O ethos está em ação desde que nascemos.
O ethos é:Sistema de disposições adquiridas.             •Solidariedade   Bem       •Amor             •Ódio   Mal       •v...
•Gerador de estratégias novas, sempre que se faz necessário.
•Por disposições adquiridas queremos dizer tudo aquilo que é evidência comum de um grupo, alimentados por:
Mitos
Símbolos
•Valores e práticas que sustentam e regulamentam a vida individual e coletiva.
•O ethos nem sempre é verbalizado, nós descobrimos no mais das vezes quando observamos:
Comportamento das pessoas, suas motivaçõese intenções profundas, seus gestos e açõesdentro do seu mundo existencial / cult...
•Ele aflora nos sentimentos espontâneos, nos estados de ânimo, nos costumes e no agir cotidiano. Está presente na sabedori...
•ponto de partida para entender profundamente o ser humano e suas atitudes.
•Ele aparece como um alicerce que sustenta o ser humano seja lá qual for a sua situação e onde quer que viva, em qualquer ...
• O ethos depara com uma experiência histórico-  social no terreno da moral.• partindo delas, procura determinar a essênci...
• Não podemos falar de  normas, culturas, religiões, sem partir  dos ethos. Ele aponta para a identidade  mais profunda do...
• Na dimensão cristã, da qual fazemos  parte e recebemos o mandato de Cristo  de ir por todo mundo e “fazei de  todas     ...
Cristo resgatou o ethos
•Em todo seu vigor, abrindo- nos as portas para o “tesouro” do humano, sem máscaras, para além das aparências, numa conjug...
•O Pai, é ao mesmo tempo a realização plena do humano, do ethos. Na medida em que nos aprofundamos no ethos revelado por C...
Moral
•É uma palavra que deriva do latim / mos- mores – costumes,
•A moral: Conjunto de normas aceitas livres e conscientemente, qu e regulam o comportamento individual e social
• Por muitos  séculos, moral passou a  representar um esquema  de “conservação”, algo  “fechado”, mas aos  poucos foi se a...
•A moral segue em progresso quando elevada pelo caráter consciente e livre do comportamento dos indivíduos ou dos grupos s...
• Neste      sentido,     a  comunidade primitiva se  nos apresenta com uma  fisionomia moral pobre,  porque seus membros ...
•O    ethos    é   um referencial substancial, por isso precisa         estar atento, pois no meio dele pode brotar
•Há possibilidade de legitimarmos em nossa vida contra valores, como sendo valores. É fácil perceber
Submissão
Exploração
Autoritarismo
Mordomia
Privilégio
Esperteza
Jeitinho
•Notemos como está sendo introduzindo como normal todo um modo de ser e viver:
Malandragem
Sorte
Pistolão
Clientelismo
• Para a moral não cair  nesta armadilha, ela  precisa da ética.• Horizonte crítico e  depurador.• É o ethos que fornece a...
•Continuemos na busca da compreensão da Teologia enquanto “lar” da ética. O cristianismo tem sido sempre um lar para os gr...
O cristianismo tem sido  sempre um lar para osgrandes projetos éticos da
fontes onde se bebe:da fé num único Deus “vivo e         verdadeiro”
•(1Ts 1,9), que é o sustentador e a garantia humana (Ex 20,1-17), da consciência crítico- utópica do profetismo, que sabe ...
Para os Cristãos, o    ethos vem Jesus de Nazaré.
A cifra e o sinal dessaalternativa ética é
mediante as Bem- aventuranças no    contexto daproclamação da Lei   messiânica e  escatológica do
Jesus vendo a multidão, subiu a ummonte, sentando-se, começou a ensinar:
Felizes os pobres no espírito, porque      deles é o Reino dos Céus.
Felizes os mansos, porque      herdarão a terra
Felizes os aflitos, porque    serão consolados.
Felizes os que tem fome e sede da justiça, porque serão saciados.
Felizes os misericordiosos, porque     alcançaram misericórdia.
Felizes os de puro coração, porque            verão a Deus.
Felizes os que promovem a paz, porque    serão chamados filhos de Deus.
Felizes os que são perseguidos por causa da      justiça, porque deles é o reino dos céus.•
• Felizes sois vós, quando vos injuriarem e vos  perseguirem e, mentindo, disserem todo mal  contra vós por causa de mim. ...
•O fundamento da Teologia como lar da ética tem como base:
Orientanormas parauma vida“boa”.Não há féplenamentevivida semilustração da
(Tia 2,14-22)
•Quando esse dinamismo de ilustração se converte em discurso crítico faz sua aparição: a Teologia. Por isso pode se afirma...
Iluminismo
Crise•ConfrontoÉtica•Valores
Ética – Moral    Crise?
Filosofia Moderna -     Heidegger
• Deu importância ao  significado de  ethos, como sendo“estilo humano de morare de habitar”. A éticaconstrói um universo d...
• O mundo em que nos  encontramos está  confuso, cheio de  interrogações, de  incertezas, de ceticismo.  Não há segurança ...
• O moderno, o pós-moderno e já se fala  que estamos em pleno tempo  contemporâneo, que se impõe de forma  brutal. Mas ess...
• Seja qual for essa era em  que vivemos, o certo é que  estamos em profundas  mudanças que naturalmente  provocam em cade...
O ser humano está vazio, andaaborrecido com tudo, responde aqualquer provocação com violência eaté de forma violenta.
•A vida é cheia de armadilhas que proporcionam um permanente estado de medo, medo de
• Estamos nos afundando num  individualismo narcisista; somos  tomados pelo niilismo, ou  seja, por uma descrença  absolut...
• A impressão que temos é que tudo  está de cabeça pra baixo, que o  mundo está escapando das nossas  mãos, do nosso contr...
• Cabia a cada pessoa se  encaixar no sistema  vigente. Os papeis que  cada um deveria  desempenhar os  símbolos e a relig...
• A família era coesa, a visão do  mundo ainda era cosmocêntrica, bem  típica da sociedade agrária. O ser  humano era inti...
• Com o processo  modernista, todas as ciências  decolaram e com a expansão da  pesquisa e da experiência  surgiram novos ...
•Francis Bacon com a valorização da razão, chamado iluminismo e a revolução industrial, estes dois
• A modernidade tem como  princípio básico de que o homem  é autônomo, sujeito de sua  história e que busca a  independênc...
• Outra artimanha do  modernismo foi o  processo de  secularização, fomentad  o pelo avanço da técnica  e da ciência, mas ...
• O certo é que o Estado  moderno queria ser  soberano e não mais  permanecer sob a tutela  religiosa. Em várias partes  d...
• Até então, a Teologia tinha  explicação para tudo, mas com o  advento das ciências, seus  enunciados foram perdendo  con...
• Em relação à Religião e  a Espiritualidade das  pessoas, criou-se um  vácuo, deixando todos  desorientados. Mas  continu...
• Aí está a explicação para o surgimento e o  sucesso das novas formas de “religiosidade”  – seitas e outras - São express...
São expressão desse ser   humano moderno quenecessita cultivar o espiritual.
• Em tudo o que vimos ate aqui, o homem  é causa e vítima desses conflitos e  desgraças.
• Avaliam-se, sobretudo as  aspirações da  humanidade  especialmente dos  setores mais  marginalizados, daí as  reivindica...
Perspectivas para a elaboração         do novo ethos
“As instituições, as leis e os modos  de pensar e agir legados pelosantepassados não parecem semprebem adaptados ao estado...
Em virtude disso e em colaboração coma Igreja de Cristo e com todos os homense mulheres de boa vontade queremostraças cami...
Osmandamentosde Deus são,também,preceitos ouimperativosmorais.
Religião• A religião se apresenta como  garantia do fundamento  absoluto (Deus) dos valores  morais, assim como da sua  re...
• Segundo o Concílio, o conteúdo  dessa reflexão é justamente “a  sublimidade da vocação dos fiéis em  Cristo. Não se trat...
•Assim, estamos situando Cristo no cerne da própria teologia moral, seguindo as pegadas de São Paulo. Para entendermos mel...
• Precisamos retomar a nossa  identidade cristã e como membros  da Igreja Católica Apostólica Romana  dar nossa contribuiç...
• Entretanto, tempo esse, que  contem grandes sonhos e  desejos, uma vontade enorme  de trilhar o caminho do  crescimento ...
• Este tempo que nos é dado  viver é tempo de Graça de  Deus para nós! Em nossa  próxima aula, vamos analisar  de forma cr...
Voltemos às  fontes!
teologia moral
teologia moral
teologia moral
teologia moral
teologia moral
teologia moral
teologia moral
teologia moral
teologia moral
teologia moral
teologia moral
teologia moral
teologia moral
teologia moral
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

teologia moral

1.616 visualizações

Publicada em

Procurem definir o local da fonte

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.616
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
84
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

teologia moral

  1. 1. Grego θεóς = theos = "divindade" +λóγος, logos = "palavra") /"estudo", análise, questionamento...No sentido literal é o estudo:
  2. 2. Moral
  3. 3. MoralCostumesComportamentoRegras que regem nossas vidas.
  4. 4. Pentateuco
  5. 5. Sapienciais e Profetas
  6. 6. Sócrates
  7. 7. •O ethos socrático é racionalista, nele encontramos uma concepção do bem como felicidade pra a alma e do bom como útil para a felicidade.• A tese da virtude (Areté)
  8. 8. •O homem age retamente quando conhece o bem e, conhecendo-o, não pode deixar de praticá-lo, Por outro
  9. 9. Aristóteles
  10. 10. • A Partir de Platão, mais forte com Aristóteles, o homem enquanto tal, só pode viver na cidade ou na polis; é, por natureza, um animal político, ou seja, social. Não pode levar uma vida moral como indivíduo isolado, mas como membro da comunidade.
  11. 11. • 1. O que é o Bem para o homem.• 2. A virtude Moral.• 3. Responsabilidade pela ação.• 4. Virtudes relacionadas com o dinheiro liberalidade e mesquinharia (baixeza, mediocridade, vulgaridade e avareza.• 5. Justiça como um meio-termo.
  12. 12. • 6. A virtude intelectual• 7. Continência e incontinência.• 8. Amizade.• 9. Nas amizades onde os motivos de cada um das duas partes são diferentes.• 10. Prazer - Felicidade.
  13. 13. Moral:• Costume• Comportamento• Regras que regem nossas vidasÉtica:• A raiz da palavra ethos vem do grego e sugere morada, residência, lugar onde se habita.
  14. 14. •A raiz da palavra ethos vem do grego e sugere morada, residência, lugar onde se
  15. 15. •Portanto, a esse modo ou jeito próprio e habitual de morar, habitar no mundo e organizar a vida é que chamamos de ethos.
  16. 16. •Isso se dá na maneira em que vamos escolhendo a melhor resposta frente aos desafios,
  17. 17. • Experimentando, mudando, criando, a té conseguir ajeitar nosso ninho.
  18. 18. Deste ethos em ação vão surgindo: ValoresSolidariedade Partilha Encontro
  19. 19. Normas,
  20. 20. Costumes de uma civilização, deum povo, de um grupo social ouaté de um único indivíduo.
  21. 21. •O ethos está em ação desde que nascemos.
  22. 22. O ethos é:Sistema de disposições adquiridas. •Solidariedade Bem •Amor •Ódio Mal •violência
  23. 23. •Gerador de estratégias novas, sempre que se faz necessário.
  24. 24. •Por disposições adquiridas queremos dizer tudo aquilo que é evidência comum de um grupo, alimentados por:
  25. 25. Mitos
  26. 26. Símbolos
  27. 27. •Valores e práticas que sustentam e regulamentam a vida individual e coletiva.
  28. 28. •O ethos nem sempre é verbalizado, nós descobrimos no mais das vezes quando observamos:
  29. 29. Comportamento das pessoas, suas motivaçõese intenções profundas, seus gestos e açõesdentro do seu mundo existencial / cultural.
  30. 30. •Ele aflora nos sentimentos espontâneos, nos estados de ânimo, nos costumes e no agir cotidiano. Está presente na sabedoria popular, nos provérbios, no folclore e na
  31. 31. •ponto de partida para entender profundamente o ser humano e suas atitudes.
  32. 32. •Ele aparece como um alicerce que sustenta o ser humano seja lá qual for a sua situação e onde quer que viva, em qualquer época. Constitui-se numa fonte que não pára de jorrar.
  33. 33. • O ethos depara com uma experiência histórico- social no terreno da moral.• partindo delas, procura determinar a essência da moral, sua origem, suas condições objetivas e subjetivas do ato moral, as fontes da avaliação moral, a natureza e a função dos juízos morais, os critérios de justificação destes juízos e o princípio que rege a mudança e a sucessão dos diferentes sistemas morais.
  34. 34. • Não podemos falar de normas, culturas, religiões, sem partir dos ethos. Ele aponta para a identidade mais profunda do humano,é bem verdade que nós nem sempre a revelamos de imediato, porque costumamos nos refugiar nas aparências, que não raro viram máscaras.
  35. 35. • Na dimensão cristã, da qual fazemos parte e recebemos o mandato de Cristo de ir por todo mundo e “fazei de todas as nações discípulos, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo e ensinando a observar
  36. 36. Cristo resgatou o ethos
  37. 37. •Em todo seu vigor, abrindo- nos as portas para o “tesouro” do humano, sem máscaras, para além das aparências, numa conjugação do divino e do humano.
  38. 38. •O Pai, é ao mesmo tempo a realização plena do humano, do ethos. Na medida em que nos aprofundamos no ethos revelado por Cristo, conhecemos melhor o ethos do humano. Eis uma das tarefas mais cruciais para a Teologia Moral.
  39. 39. Moral
  40. 40. •É uma palavra que deriva do latim / mos- mores – costumes,
  41. 41. •A moral: Conjunto de normas aceitas livres e conscientemente, qu e regulam o comportamento individual e social
  42. 42. • Por muitos séculos, moral passou a representar um esquema de “conservação”, algo “fechado”, mas aos poucos foi se abrindo.• Moral será sempre a busca ou indicação de
  43. 43. •A moral segue em progresso quando elevada pelo caráter consciente e livre do comportamento dos indivíduos ou dos grupos sociais e, por
  44. 44. • Neste sentido, a comunidade primitiva se nos apresenta com uma fisionomia moral pobre, porque seus membros atuam de acordo com as normas estabelecidas pelo costume e, por
  45. 45. •O ethos é um referencial substancial, por isso precisa estar atento, pois no meio dele pode brotar
  46. 46. •Há possibilidade de legitimarmos em nossa vida contra valores, como sendo valores. É fácil perceber
  47. 47. Submissão
  48. 48. Exploração
  49. 49. Autoritarismo
  50. 50. Mordomia
  51. 51. Privilégio
  52. 52. Esperteza
  53. 53. Jeitinho
  54. 54. •Notemos como está sendo introduzindo como normal todo um modo de ser e viver:
  55. 55. Malandragem
  56. 56. Sorte
  57. 57. Pistolão
  58. 58. Clientelismo
  59. 59. • Para a moral não cair nesta armadilha, ela precisa da ética.• Horizonte crítico e depurador.• É o ethos que fornece a “matéria prima”: substrato que é a
  60. 60. •Continuemos na busca da compreensão da Teologia enquanto “lar” da ética. O cristianismo tem sido sempre um lar para os grandes projetos éticos
  61. 61. O cristianismo tem sido sempre um lar para osgrandes projetos éticos da
  62. 62. fontes onde se bebe:da fé num único Deus “vivo e verdadeiro”
  63. 63. •(1Ts 1,9), que é o sustentador e a garantia humana (Ex 20,1-17), da consciência crítico- utópica do profetismo, que sabe descobrir o
  64. 64. Para os Cristãos, o ethos vem Jesus de Nazaré.
  65. 65. A cifra e o sinal dessaalternativa ética é
  66. 66. mediante as Bem- aventuranças no contexto daproclamação da Lei messiânica e escatológica do
  67. 67. Jesus vendo a multidão, subiu a ummonte, sentando-se, começou a ensinar:
  68. 68. Felizes os pobres no espírito, porque deles é o Reino dos Céus.
  69. 69. Felizes os mansos, porque herdarão a terra
  70. 70. Felizes os aflitos, porque serão consolados.
  71. 71. Felizes os que tem fome e sede da justiça, porque serão saciados.
  72. 72. Felizes os misericordiosos, porque alcançaram misericórdia.
  73. 73. Felizes os de puro coração, porque verão a Deus.
  74. 74. Felizes os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus.
  75. 75. Felizes os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus.•
  76. 76. • Felizes sois vós, quando vos injuriarem e vos perseguirem e, mentindo, disserem todo mal contra vós por causa de mim. Alegrai-vos e regozijai-vos, porque será grande a vossa recompensa nos céus, pois foi assim que perseguiram os profetas que vieram antes de vós.
  77. 77. •O fundamento da Teologia como lar da ética tem como base:
  78. 78. Orientanormas parauma vida“boa”.Não há féplenamentevivida semilustração da
  79. 79. (Tia 2,14-22)
  80. 80. •Quando esse dinamismo de ilustração se converte em discurso crítico faz sua aparição: a Teologia. Por isso pode se afirmar que a
  81. 81. Iluminismo
  82. 82. Crise•ConfrontoÉtica•Valores
  83. 83. Ética – Moral Crise?
  84. 84. Filosofia Moderna - Heidegger
  85. 85. • Deu importância ao significado de ethos, como sendo“estilo humano de morare de habitar”. A éticaconstrói um universo desentido, de ideais, devalores onde pode
  86. 86. • O mundo em que nos encontramos está confuso, cheio de interrogações, de incertezas, de ceticismo. Não há segurança nas respostas e as mudanças são constantes e
  87. 87. • O moderno, o pós-moderno e já se fala que estamos em pleno tempo contemporâneo, que se impõe de forma brutal. Mas esse novo tempo que vivemos também enfrenta crise pela rapidez das diversas mudanças.
  88. 88. • Seja qual for essa era em que vivemos, o certo é que estamos em profundas mudanças que naturalmente provocam em cadeia, uma série de crises aptas a provocar todo o complexo sistema político-cultural- econômico-religioso-social.
  89. 89. O ser humano está vazio, andaaborrecido com tudo, responde aqualquer provocação com violência eaté de forma violenta.
  90. 90. •A vida é cheia de armadilhas que proporcionam um permanente estado de medo, medo de
  91. 91. • Estamos nos afundando num individualismo narcisista; somos tomados pelo niilismo, ou seja, por uma descrença absoluta frente às Instituições Religiosas e sua hierarquia de valores.• Esse tempo é de experiência da
  92. 92. • A impressão que temos é que tudo está de cabeça pra baixo, que o mundo está escapando das nossas mãos, do nosso controle.• Já não há mais traços da unanimidade, característica do tradicional. Por isso podemos afirmar que o mundo atual é plural, policêntrico, aldeia global, ecumênico.
  93. 93. • Cabia a cada pessoa se encaixar no sistema vigente. Os papeis que cada um deveria desempenhar os símbolos e a religião, tinham lugar garantido, não se podia questionar,
  94. 94. • A família era coesa, a visão do mundo ainda era cosmocêntrica, bem típica da sociedade agrária. O ser humano era intimamente ligado a natureza e era até subjugado as suas forças... Mas o processo de modernidade que começou com o iluminismo há cerca de 500 anos, acabou mudando o modo de pesar e de viver das pessoas.
  95. 95. • Com o processo modernista, todas as ciências decolaram e com a expansão da pesquisa e da experiência surgiram novos enunciados que mudaria para sempre a história da humanidade - Copérnico e Galileu com o heliocentrismo.
  96. 96. •Francis Bacon com a valorização da razão, chamado iluminismo e a revolução industrial, estes dois
  97. 97. • A modernidade tem como princípio básico de que o homem é autônomo, sujeito de sua história e que busca a independência das determinações vindas de fora (tradições, religiões, autoridades e as forças da natureza).
  98. 98. • Outra artimanha do modernismo foi o processo de secularização, fomentad o pelo avanço da técnica e da ciência, mas substancialmente a razão que emancipou o
  99. 99. • O certo é que o Estado moderno queria ser soberano e não mais permanecer sob a tutela religiosa. Em várias partes do mundo, foi se fortalecendo a dinâmica da separação entre Estado e Igreja. Com isso, a religião
  100. 100. • Até então, a Teologia tinha explicação para tudo, mas com o advento das ciências, seus enunciados foram perdendo consistência. Por outro lado, a ciência tem a pretensão de explicar tudo, esvaziado até mesmo às questões Teológicas.
  101. 101. • Em relação à Religião e a Espiritualidade das pessoas, criou-se um vácuo, deixando todos desorientados. Mas continuam sedentos do sagrado, buscam Deus. Essa necessidade de
  102. 102. • Aí está a explicação para o surgimento e o sucesso das novas formas de “religiosidade” – seitas e outras - São expressão desse ser humano moderno que necessita cultivar o espiritual.
  103. 103. São expressão desse ser humano moderno quenecessita cultivar o espiritual.
  104. 104. • Em tudo o que vimos ate aqui, o homem é causa e vítima desses conflitos e desgraças.
  105. 105. • Avaliam-se, sobretudo as aspirações da humanidade especialmente dos setores mais marginalizados, daí as reivindicações na dimensão
  106. 106. Perspectivas para a elaboração do novo ethos
  107. 107. “As instituições, as leis e os modos de pensar e agir legados pelosantepassados não parecem semprebem adaptados ao estado atual de coisas” (GS 7,2)
  108. 108. Em virtude disso e em colaboração coma Igreja de Cristo e com todos os homense mulheres de boa vontade queremostraças caminhos para que o ser humanoretome o caminho de sua vocaçãoprimeira e cooperar nas soluções querespondam aos principais problemas denossa época.
  109. 109. Osmandamentosde Deus são,também,preceitos ouimperativosmorais.
  110. 110. Religião• A religião se apresenta como garantia do fundamento absoluto (Deus) dos valores morais, assim como da sua relação no mundo, sem religião, portanto, não há moral.
  111. 111. • Segundo o Concílio, o conteúdo dessa reflexão é justamente “a sublimidade da vocação dos fiéis em Cristo. Não se trata, portanto de estudar os princípios e normas morais, trata-se muito de apresentar a boa nova ao cristão que é essencialmente a graça de Cristo e fruto do Espírito Santo (LG 9).
  112. 112. •Assim, estamos situando Cristo no cerne da própria teologia moral, seguindo as pegadas de São Paulo. Para entendermos melhor tudo isso, precisamos
  113. 113. • Precisamos retomar a nossa identidade cristã e como membros da Igreja Católica Apostólica Romana dar nossa contribuição para este tempo de crise.
  114. 114. • Entretanto, tempo esse, que contem grandes sonhos e desejos, uma vontade enorme de trilhar o caminho do crescimento e aperfeiçoamento contínuo, numa incessante busca de plenitude e realização.
  115. 115. • Este tempo que nos é dado viver é tempo de Graça de Deus para nós! Em nossa próxima aula, vamos analisar de forma crítico-científico a moral nos designo de Deus a partir da Revelação, tendo como base o Primeiro Testamento.
  116. 116. Voltemos às fontes!

×