Analise de riscos

139 visualizações

Publicada em

Analise de Risco - PPP

Publicada em: Engenharia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
139
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Analise de riscos

  1. 1. Martin Buck Aquisição de um novo regime de trânsito rápido Baseado em um estudo de caso de Nottingham Express Transit, Reino Unido
  2. 2. Qual é o risco? • Eventos acabam melhor ou pior do que o esperado • Consequências para os custos, tempo, desempenho
  3. 3. Lidando com os riscos • Identificando áreas de risco • Avaliando a forma de risco • Considerando a capacidade de gerenciamento • Considerando as consequências do custo-benefício
  4. 4. Tipos de riscos Risco de planejamento Falha em obter uma permissão do planejamento resultando no término do projeto ou uma variação significativa ao serviço. Risco do desenho do projeto Desenho da solução escolhida não permite que exigências sejam cumpridas, levando a revisões de concepção, alterações das especificações ou a rescisão do projeto Risco da construção Riscos associados à fase de construção, tais como defeitos ainda latentes ou de construção;Descobertas arqueológicas ou imprevistas, condições do solo, levando a construção a atrasos e custos excedentes. Risco de Demanda Risco de flutuações na demanda de longo prazo para o serviço, levando a alterações das especificações ou rescisão do projeto. Risco de Desempenho Risco de não alcançar o desempenho das metas fixadas na especificação do produto, levando a má qualidade de serviço aos usuários Risco da Obsolecência da tecnologia Risco de que as alterações à tecnologia que tornem obsoletas as soluções propostas, levando a caras alterações no design/ escopo.
  5. 5. Tipos de riscos …2 Risco de Operação Risco de custos operacionais mais elevados do que o esperado, o que torna mais onerosa a prestação de serviços. Risco de renda de terceiros Risco de rendimento inferior ao esperado de terceiros, o que torna mais onerosa a prestação de serviços . Risco do Valor Residual Risco de flutuações no valor dos ativos relacionados com o serviço (se for transferido) no final do contrato, o contrato fica mais caro. Risco de regulação Risco de alterações à legislação ou regulamentação, o que torna mais difícil e mais caro para prestar serviços na especificação declarada. Risco de financiamento Risco de incapacidade de obter fundos para financiar o projeto; as flutuações do custo dos recursos; as condições de financiamento antecipado no início - o que torna oneroso prestar o serviço.
  6. 6. Alocação de Risco • Risco para quem?: – usuários – investidores – Do Setor Privado – Contribuintes – através do Governo • Alocação de risco para a parte com melhores condições de: – Controlar a sua ocorrência e consequências – Avaliar as informações sobre as probabilidades de risco – no contexto daquilo que é suscetível de ser comercialmente aceitável para o setor privado. • Risco não desaparece através da estruturação contratual • Saldo de transferência de riscos contra custo-benefício
  7. 7. Alocação de risco - Prontidão • Um registro de risco foi elaborado, identificando todos os riscos associados com o sistema, e fazendo um risco preliminar alocado. • O anteprojeto de atribuição, no mínimo, transfere os principais riscos associados à concepção, construção, financiamento e operação de instalações para a terceiros. • Considere a atribuição dos riscos associados à demanda, valores residuais, tecnologia e obsolescência e as mudanças na legislação ou regulamentação. • Garantir a coerência com: Acessibilidade de modelo de interesse comercial, Principais termos e condições, Especificação de saída.. • Nota: haverá também distribuição dentro do setor privado.
  8. 8. Mitigação e controle de risco • Mitigação de risco – reduzir a probabilidade de riscos e suas conseqüências para o tomador de risco – Implicações para o alcance do projeto • Monitoramento de risco – utilização de um plano de gestão de risco, associado ao registro de risco – Atualizações ao longo da vida do projeto
  9. 9. Nottingham Express Transit, Reino Unido
  10. 10. Aspectos fundamentais do Esquema • Forte justificativa sócio econômica • Forte compromisso político local • Previsões de Tráfego robustas • Remoção e serviços concorrentes de ônibus/trem • Estacionamento e Transporte • Prioridade para o centro da cidade
  11. 11. Restrições do Prestador • Novo sistema • Pequena especialização na área de eletricidade • Pequena autoridade, capacidade limitada para angariar fundos localmente • Fundos governamentais – Condicional, após a conclusão e funcionamento do trem – Financiamento em 25 anos
  12. 12. Autoridade Divisão Contratado Planejamento Esquema de apresentação √ Níveis de serviços exigidos √ Parâmetros de Design √ Legislação Nacional √ Aquisição de Terras √ Planejamento Estatutário √ Consentimento dos interessados ? √ Esquema de análise de riscos
  13. 13. Autoridade Divisão Contratado Modelo e Construção Sistema de Desempenho √ Modificação do sistema de controlo de tráfego ? √ Condições do solo √ Utilidades existentes ? √ Efeito em propriedades adjacentes √ Calendário √ Esquema de análise de riscos
  14. 14. Autoridade Divisão Contratado Veículos Design √ Fabricante √ Desempenho √ Conclusão Comissionamento √ Sistema de testes √ Licença de operação ? √ Conclusão dos trabalhos √ Esquema de análise de risco
  15. 15. Autoridade Divisão Contratado Operações Funcionários e condições √ Níveis de serviços √ Qualidade no serviço √ Priorização de tráfego ? √ Risco de Demanda Volumes pax √ Preço do bilhete √ Coleta de tarifa – Preço de evasão √ Esquema de análise de riscos
  16. 16. Esquema de análise dos riscos Autoridad e Divisã o Contratado Manutenção Limpeza √ Reparos √ Defeitos latentes √ Consumíveis √ Grandes renovações ? √
  17. 17. Aspectos chave para um negócio PFI • Contrato de concessão de 25 anos • Concepção, construção, financiamento, operação • honorários de disponibilidade pagos na entrega dos serviços • Começo de contrato em junho de 2000 • Período de construção – 42 meses • Primeiro serviço público – final de 2003
  18. 18. Concessionário Selecionado Concessionário Arrow Light Rail Ltd Construção JV Carillion – Empreiteiro de construção Bombardier – Fornecedor de Veículos Operações JV Transdev – Operador de Transporte Nottingham City Transport – Operador de ônibus Innisfree – financiadorBancos Nottingham City Council Nottingham County Council Nottingham Express Transit
  19. 19. Transferência de risco • Contratado responsável por: – Design e construção riscos - condições do solo etc – Mover os serviços existentes – Modificar e operar em redes ferroviárias existentes – Construir e operar em rodovias – Receitas de tarifas • Autoridade responsável por: – Provisões de prioridades – Trabalhos em rodovias em corredores estreitos – Mudança na legislação - discriminatório ou específico do trem
  20. 20. Benefícios para o setor público • Custo Benefício para o setor público • Transferência de risco • Divisão do Lucro para o setor público • Ponto único de responsabilidade • Definição de nível de serviço e qualidade • Certeza de preço por mais de 25 anos • Incentivos mútuos para maximizar o valor Um ótimo negócio para o setor público
  21. 21. Fase 1 Completa
  22. 22. Fim

×