SlideShare uma empresa Scribd logo
INDUSTRIA | GOVERNO | VAREJO




PROJETO MANDA BALA
MANDRAK PROJETOS S/A
               CORPO DIRETIVO DO PROJETO
COLABORADOR                 CARGO/FUNÇÃO

João Carlos Souza           Legal Director

Haroldo Kavamura            Engineer

Marco Biancardi             Chief Financial Officer

Douglas Reis                Manager Project

Luiz Mendonça               Commercial Director

Jefferson Otovicz           Marketing Director
LISTA DE ABREVIAÇÕES
ISO – International Standart Organization

AWS – American Welding Society

PMBOK - Project Management Body of Knowledge

PMI - Project Management Institute

BNDES – Banco Nacional do Desenvolvimento

MCTI - Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

MC - Ministério das Cidades

MIN - Ministério da Integração Nacional

MMA - Ministério do Meio Ambiente
LISTA DE ABREVIAÇÕES
MT - Ministério dos Transportes

MPU - Ministério Público da União

MPESP - Ministério Público do Estado de SP

MPERJ - Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro

TCU - Tribunal de Contas da União

CONFEA – Conselho Federal de Engenharia e Agronomia

CREA – Conselho Regional de Engenharia e Agronomia

ANTT - Agência Nacional de Transportes Terrestres

COB - Comitê Olímpico Brasileiro

COI - Comitê Olímpico Internacional
TERMO DE ABERTURA DO
      PROJETO
TERMO DE ABERTURA DO
           PROJETO
Projeto: Manda Bala

Descrição: Os sistemas ferroviários de alta velocidade utilizados no transporte
de passageiros compreendem, em geral, linhas ferroviárias projetadas e
construídas para trens capazes de desenvolver velocidades iguais ou superiores
a 200 km/h.

A ferrovia de alta velocidade se mostra mais adequada quando opera entre
pares de cidades em que a distância entre elas fica na faixa de 500 a 600 km.

Acima dessa distância, a viagem aérea torna-se mais competitiva e a
participação relativa de mercado da ferrovia de alta velocidade fica menor.
TERMO DE ABERTURA DO
           PROJETO
Justificativas: Em meados dos anos 90, o governo brasileiro, no âmbito de
um acordo de cooperação com o governo alemão, realizou um estudo
denominado “TRANSCORR” com o objetivo de identificar investimentos para
modernização do sistema de transporte no corredor Rio de Janeiro - São Paulo
- Campinas.

Ao fazer o prognóstico da malha de transporte do corredor, o estudo
“TRANSCORR” também simulou como deveria ficar a situação da sua rede
rodoviária para atender ao crescimento socioeconômico caso não fosse
efetuada nenhuma intervenção estrutural.

Este estudo indicou a necessidade de implantação e detalhou um sistema de
trens de alta velocidade como solução para o transporte de passageiros no
corredor que serviu de referência para os estudos atuais.
TERMO DE ABERTURA DO
            PROJETO
Mais recentemente, também desenvolveu-se um estudo indicando a
possibilidade de realização de um projeto de ligação ferroviária entre as
cidades do Rio de Janeiro e São Paulo, sem paradas intermediárias, por meio
de concessão à iniciativa privada.

•   Todos estes estudos, bem como Decreto n. 6.256/07 e às competências
    regimentais relativas à concessão de serviços públicos de transporte de
    passageiros, justificam por considerar:

•   Constatação de uma situação de crescimento gradativo do esgotamento
    de capacidade das modalidades de transporte disponíveis, as quais
    vêm sendo estudadas há décadas

•   Saturação da Rodovia Presidente Dutra
TERMO DE ABERTURA DO
            PROJETO
•   Saturação dos atuais aeroportos de São Paulo e Rio de Janeiro e
    dificuldades na construção de novos aeroportos

•   A opção por trens de média velocidade não é competitiva, devido ao
    custo elevado de implantação, tempo maior de viagem e menor
    expectativas de receitas

•   Possibilidade de expansão do transporte de passageiros de Viracopos

•   Dificuldades técnicas e socioambientais na construção de novas ligações
    rodoviárias no eixo Rio-São Paulo, o que torna essa solução menos eficaz
    em termos econômicos
TERMO DE ABERTURA DO
            PROJETO
Benefícios: A implantação e operação desse sistema está associado às
seguintes vantagens:

•   Indução ao desenvolvimento regional, aliviando áreas de maior densidade
    urbana;

•   Redução de gargalos dos subsistemas de transporte aeroportuário,
    rodoviário e urbano;

•   Postergação de investimentos na ampliação e construção de aeroportos e
    de rodovias;

•   Menor uso do solo comparado à construção ou ampliação de rodovias;
TERMO DE ABERTURA DO
            PROJETO
•   Redução de impactos ambientais e emissão de gases poluentes em
    decorrência do desvio da demanda do transporte aéreo e rodoviário para o
    Projeto Manda Bala;

•   Redução dos tempos de viagem associados à baixa probabilidade de
    atrasos;

•   Aumento do tempo produtivo para os usuários;

•   Geração de empregos diretos e indiretos;

•   Redução dos níveis de congestionamento e do número de acidentes em
    rodovias.
TERMO DE ABERTURA DO
         PROJETO
Objetivo SMART do Projeto

Minimizar o tráfego rodoviário e aéreo em 35% após o término da
implantação no eixo Rio-São Paulo estimado em 5 anos, garantindo o
conforto compatível com a atual ponte aérea e com o mínimo impacto
ambiental.
TERMO DE ABERTURA DO
          PROJETO
Requisitos Básicos do Produto

•   Deverá compreender dois tipos de serviços: Expresso e Regional

•   Tempos de viagem de centro a centro das cidades competitivos quando
    comparados a aéreo, conseguidos por operação a alta velocidade

•   Novos traçados, separados e dedicados, inteiramente nivelados,
    operacionalmente independentes das existentes infraestruturas ferroviárias
    convencionais

•   Considerando os requisitos básicos da via férrea:
     – Bitola: 1.435 mm com via eletrificada
     – Velocidade máxima do trem: 350km/h
     – Raio horizontal mínimo: 7.228 m
TERMO DE ABERTURA DO
          PROJETO
Requisitos Básicos do Produto

     –   Raio vertical mínimo: 42.875 m
     –   Inclinação máxima: 35 mm/m
     –   Carga por eixo do trem: 17 toneladas
     –   Plataforma: 500 m (comportar composições com até 16 carros )

•   Considerando os requisitos básicos do trem
     – Comprimento do trem: 400 m (16 carros)
     – Carregamento máximo por eixo: 17 toneladas
     – Tara: 436 toneladas
     – Velocidade comercial máxima: 300 km/h
     – Número de assentos: 458 assentos para o serviço expresso dividido
       em duas classes e 600 assentos para o serviço regional em uma única
       classe
TERMO DE ABERTURA DO
          PROJETO
Requisitos Básicos do Produto



•   Transferência de tecnologia

•   Tratativas para as interferências ambientais dos traçados e para os
    controles dos custos socioambientais associados aos traçados;
TERMO DE ABERTURA DO
          PROJETO
Requisitos Básicos do Projeto

•   Induzir o desenvolvimento regional, aliviando áreas de maior densidade
    urbana;

•   Reduzir gargalos dos subsistemas de transporte aeroportuário, rodoviário e
    urbano;

•   Postergar investimentos na ampliação e construção de aeroportos e de
    rodovias;

•   Reduzir o uso do solo comparado à construção ou ampliação de rodovias;

•   Reduzir os impactos ambientais e emissão de gases poluentes em
    decorrência do desvio da demanda do transporte aéreo e rodoviário para o
    Trem Bala;
TERMO DE ABERTURA DO
          PROJETO
Requisitos Básicos do Projeto

•   Reduzir os tempos de viagem associados à baixa probabilidade de atrasos;

•   Aumentar o tempo produtivo dos usuários;

•   Gerar empregos diretos e indiretos;

•   Reduzir os níveis de congestionamento e do número de acidentes em
    rodovias.
TERMO DE ABERTURA DO
         PROJETO
Designação

O Engenheiro Civil Douglas Reis fica designado como Gerente do Projeto
Manda Bala para aplicar o conjunto de práticas do PMBOK publicado pelo PMI
constituindo a base de conhecimento no gerenciamento de projetos.
TERMO DE ABERTURA DO
          PROJETO
Lista dos Principais Milestones

•   Projeto Básico
•   Estudo das Viabilidades
•   Construção dos Pátios de Montagem
•   Prototipação dos trens, plataformas e vias
•   Entrega e Operacionalização
TERMO DE ABERTURA DO
          PROJETO
Orçamento do Projeto

Deve ser gerenciado conforme o Edital de Concessão nº 001/2012 o
orçamento total de R$ 50 bilhões de reais, sendo R$ 23 bilhões financiados
pelo BNDES e um aporte de R$ 27 bilhões na sociedade por uma estatal
criada pelo governo brasileiro.

O prazo previsto para a conclusão da implantação integral do sistema é de 7,5
anos.
TERMO DE ABERTURA DO
          PROJETO
Riscos do Projeto

•   Congestionamento e baixas condições de segurança tanto nos aeroportos
    de São Paulo e Rio de Janeiro, quanto na ligações rodoviárias entre as
    duas cidades

•   Garantias corporativas de R$ 23 bilhões exigidos pelo BNDES durante a
    obra e juros de 7% ao ano de acordo com a taxa de 2012 de juros ao longo
    prazo

•   As estimativas do projeto como um todo não incluem qualquer tipo de
    contingência
TERMO DE ABERTURA DO
          PROJETO
Riscos do Projeto

•   Altos impactos e probabilidades altas e médias de uma configuração
    geológica comprometida e/ou que possa comprometer as obras e a
    operação despois de entregue

•   Levar em conta os riscos de deslizamentos de terra na área entre Queluz e
    Cachoeira Paulista

•   Baixíssima expectativa de demanda e receita comparada à participação
    internacional do mercado ferroviário. Dentre os demais exemplos, a
    estimativa é que, no horário de pico, no trecho Rio-São Paulo, o trem
    brasileiro transportará 45% do total de passageiros, contra 95% no trecho
    Paris-Bruxelas
TERMO DE ABERTURA DO
      PROJETO
IDENTIFICAÇÃO DE
  STAKHOLDERS
IDENTIFICAÇÃO DE
               STAKHOLDERS
•   População (Entidades Civis,     •   Ministério da Ciência, Tecnologia e
    Proprietários afetados)             Inovação;
     – Ong’s                        •   Ministério das Cidades;
     – Sindicatos                   •   Ministério da Integração Nacional;
     – Reservas Indígenas           •   Ministério do Meio Ambiente;
     – Quilombos                    •   Ministério dos Transportes;
     – Comunidades Rurais           •   Ministério Público da União;
     – Comunidades Urbanas          •   Ministério Público do Estado de SP;
•   Comitê Olímpico Brasileiro;     •   Ministério Público do Estado do Rio
•   Iniciativa Privada;                 de Janeiro;
     – Bancos                       •   Tribunal de Contas da União;
     – Comércio que sofre impacto   •   Associação dos Moradores
     – Produtores rurais                Regionais
•   Poder Legislativo;              •   Confea/CREA
•   Órgãos Reguladores;             •   Agência Nacional de Transportes
                                        Terrestres
IDENTIFICAÇÃO DE
                       STAKHOLDERS
                                  CLASSIFICAÇÃO DOS STAKHOLDERS
IDENTIFICAÇÃO
                     PODER   INTERESSE   INFLUENCIA              REQUISITOS

MT                    ALTO     ALTO       POSITIVA    Liberar a obra o mais rápido
                                                      possível
População            BAIXO     ALTO      NEGATIVA     Valorizar a área, gerar mercado e
                                                      novos empregos diretos e indiretos
COB                  BAIXO     ALTO       POSITIVA    Ampliar a infraestrutura do país
                                                      para o evento
Iniciativa Privada   BAIXO     ALTO       POSITIVA    Executar a obra

Poder Legislativo     ALTO     ALTO       POSITIVA    Aumentar o nível de investimento
                                                      da sua região
Órgãos                ALTO     ALTO      NEGATIVA     Quer o cumprimento das normas
Reguladores                                           técnicas quando aplicáveis
MCTI                  ALTO     ALTO       POSITIVA    Quer aprender a fazer

MC                   BAIXO     ALTO       POSITIVA    Quer beneficiar as cidades com o
                                                      projeto
IDENTIFICAÇÃO DE
                  STAKHOLDERS
                            CLASSIFICAÇÃO DOS STAKEHOLDERS
IDENTIFICAÇÃO
                PODER   INTERESSE   INFLUENCIA             REQUISITOS

MIN             BAIXO     BAIXO      POSITIVA    Promover ganhos econômicos
                                                 para os estados envolvidos
MMA              ALTO     ALTO      NEGATIVA     Garantir o cumprimento das leis e
                                                 acordos ambientais
MT               ALTO     ALTO       POSITIVA    Precisa trazer resultados positivos

MPU              ALTO     ALTO      NEGATIVA     Executar com transparência

MPESP            ALTO     ALTO      NEGATIVA     Executar com transparência

MPERJ            ALTO     ALTO      NEGATIVA     Executar com transparência

TCU              ALTO     ALTO      NEGATIVA     Auditar as contas do Projeto

Associação de   BAIXO     ALTO      NEGATIVA     Se beneficiar do Projeto
Moradores
Regionais
Confea/CREA     BAIXO     BAIXO      POSITIVA    Acompanhar as Obras

ANTT             ALTO     ALTO      NEGATIVA     Auditar os procedimentos
IDENTIFICAÇÃO DE
                       STAKHOLDERS
                              CLASSIFICAÇÃO DOS STAKEHOLDERS
IDENTIFICAÇÃO        CARACTERISTICAS           AÇÃO         ESTRATÉGIA
MT, MIN              Facilitador do projeto    Manter       Convidar para reuniões específicas
                                               informado
População            Difícil de se trabalhar   Manter       Convidar para reuniões específicas
                                               satisfeito
COB                  Influenciador             Manter       Convidar para reuniões específicas
                                               informado
Iniciativa Privada   Realiza muitas            Manter       Acompanhar e dar suporte
                     atividades no projeto     envolvido
Poder Legislativo    Difícil de se trabalhar   Manter       Assegurar que o cumprimento do
                                               satisfeito   projeto esteja acontecendo de acordo
                                                            com os prazos e custos
Órgãos               Influenciador             Manter       Planejar reuniões periódicas
Reguladores                                    informado
ANTT                 Difícil de se trabalhar   Manter       Convidar para reuniões específicas
                                               satisfeito
MCTI                 Facilitador do projeto    Manter       Convidar para reuniões específicas
                                               informado
IDENTIFICAÇÃO DE
              STAKHOLDERS
                         CLASSIFICAÇÃO DOS STAKEHOLDERS
IDENTIFICAÇÃO   CARACTERISTICAS           AÇÃO         ESTRATÉGIA
MC              Influenciador             Manter       Convidar para reuniões específicas
                                          informado
MIN             Influenciador             Manter       Convidar para reuniões específicas
                                          informado
MMA             Potencial fonte de        Foco de      Assegurar o cumprimento de todas as
                conflito                  atenção      normas ambientais e geológicas
MT              Realiza muitas            Manter       Acompanhar e dar suporte
                atividades no projeto     envolvido
MPU             Difícil de se trabalhar   Manter       Assegurar que o cumprimento do
                                          satisfeito   projeto esteja acontecendo de acordo
                                                       com os prazos e custos
MPESP           Difícil de se trabalhar   Manter       Assegurar que o cumprimento do
                                          satisfeito   projeto esteja acontecendo de acordo
                                                       com os prazos e custos
MPERJ           Difícil de se trabalhar   Manter       Assegurar que o cumprimento do
                                          satisfeito   projeto esteja acontecendo de acordo
                                                       com os prazos e custos
IDENTIFICAÇÃO DE
                  STAKHOLDERS
                         CLASSIFICAÇÃO DOS STAKEHOLDERS
IDENTIFICAÇÃO   CARACTERISTICAS           AÇÃO         ESTRATÉGIA
TCU             Difícil de se trabalhar   Manter       Assegurar que o cumprimento do
                                          satisfeito   projeto esteja acontecendo de acordo
                                                       com os prazos e custos
Associação de   Influenciador             Manter       Convidar para reuniões específicas
Moradores                                 informado
Regionais
Confea/CREA     Influenciador             Manter       Convidar para reuniões específicas
                                          informado
DECLARAÇÃO DE
REQUISITOS DO PRODUTO
DECLARAÇÃO DE
       REQUISITOS DO PRODUTO
                      REQUISITOS DO PRODUTO                                  RASTREABILIDADE DO
                                                                                  PRODUTO
Stakeholder    Requisito Detalhado                    Prioridade   Status   Relação    Onde se
                                                                                       Manifesta
COB,           Ter trecho expresso e regional de          1        Ativo    S, M, A,   Fase Entrega
Iniciativa     acordo com as paradas publicadas                             R, T
Privada,       no      edital   de    concessão
Legislativo,   (Funcionalidade)
MT, TCU,
ANTT
População,     Conseguir     tempo    de    viagem        1        Ativo    S, M, A,   Fase Entrega
MT, ANTT       competitivo quando comparado ao                              R
               do transporte aéreo (Qualidade)
Órgãos         Ter traçados separados e dedicados,        1        Ativo    S, M, A,   Fase
Reguladores    independentes     das     estruturas                         T          Montagem
, População    convencionais (Desempenho)
Órgãos         Atender       o    conjunto    de          1        Ativo    S, A, R    Pacote de
Reguladores    características  técnicas   da via                                      Trabalho União
, Judiciário   férrea (Segurança)                                                      das Peças
DECLARAÇÃO DE
       REQUISITOS DO PRODUTO
                     REQUISITOS DO PRODUTO                                RASTREABILIDADE DO
                                                                               PRODUTO
Stakeholder   Requisito Detalhado                  Prioridade   Status   Relação   Onde se
                                                                                   Manifesta
Órgãos        Atender       o    conjunto     de       1        Ativo    S, A, R   Pacote de
Reguladores   características técnicas do   trem                                   Trabalho União
              (Técnica)                                                            das Peças
MMA, MPU      Cumprir as normas de terras que          1        Ativo    A         Todas as fases
              devem ser evitadas pelos traçados
              (Qualidade)
MCTI          Atender as normas vigentes e             2        Ativo    A         Todas as fases
              execução         de     normas
              complementares     para projetos
              executivos (Segurança)
MT, ANTT      Estações com linhas de desvio ou         1        Ativo    A         Todas as fases
              passante para manter operação em
              alta velocidade (Qualidade)
MMA, MCTI     Adequar a superestrutura da via          1        Ativo    S, R      Fase de
              (Técnica)                                                            Viabilidade
DECLARAÇÃO DE
     REQUISITOS DO PRODUTO
                     REQUISITOS DO PRODUTO                                  RASTREABILIDADE DO
                                                                                 PRODUTO
Stakeholder   Requisito Detalhado                    Prioridade   Status   Relação   Onde se
                                                                                     Manifesta
MCTI, MPU,    Compreender a transmissão à                3        Ativo    S, M, A   Fases de
MPESP,        Empresa Estatal Federal e a                                            Construção,
MPERJ         Agentes Locais do conhecimento e                                       Montagem,
              das técnicas, bem como programas                                       Validação,
              de assistência técnica e treinamento                                   Produção e
              necessários à construção, operação                                     Entrega
              e manutenção de sistemas do trem
              (Segurança)
MMA,          Compreender      as  interferências        2        Ativo    M, A      Fase de
Confea/CRE    ambientais dos traçados e os                                           Viabilidade,
A,            controles        dos         custos                                    Construção e
MPU,          socioambientais associados aos                                         Montagem
MPESP,        traçados (Qualidade)
MPERJ,
TCU
MT, MMA,      Otimizar o traçado na ligação de           3        Ativo    S, R      Fase de
ANTT          São Paulo e Campinas (Técnica)                                         Construção
DECLARAÇÃO DE
     REQUISITOS DO PRODUTO
                     REQUISITOS DO PRODUTO                               RASTREABILIDADE DO
                                                                              PRODUTO
Stakeholder   Requisito Detalhado                 Prioridade   Status   Relação    Onde se
                                                                                   Manifesta
MCTI, MT,     Compreender um sistema de               1        Ativo    A, R       Fase de
ANTT          sinalização capaz de operar com 3                                    Produção
              minutos de intervalo entre trens,
              com sinalização na cabina e rádio
              seguro de cabina (Segurança)
Associação    Compreender as tratativas     de        3        Ativo    M, A, R    Fases do
dos           desapropriações (Funcionalidade)                                     Projeto Básico,
Moradores                                                                          Viabilidade,
Regionais,                                                                         Suprimentos e
TCU                                                                                Logística
MT, Órgãos    Construção de Túneis de acordo          2        Ativo    S, M, A,   Fase de
Reguladores   com as especificações técnicas                            R          Construção
, ANTT        (Qualidade)
DECLARAÇÃO DE
REQUISITOS DO PROJETO
DECLARAÇÃO DE
      REQUISITOS DO PROJETO
                    REQUISITOS DO PROJETO                                 RASTREABILIDADE DO
                                                                               PROJETO
Stakeholder    Requisito Detalhado                Prioridade   Status   Relação         Onde se
                                                                                        Manifesta
MMA, MPU,      Reduzir os impactos ambientais         3        Ativo    S, A, R         Fase de
MPESP,         e emissão de gases poluentes                                             Viabilidade
MPERJ
MT,            Tempo de viagem competitivo e          1        Ativo    S, A, R         Fase de
População,     baixa probabilidade de atrasos                                           Validação e
ANTT                                                                                    Entrega
MIN,           Ampliar o tempo produtivo dos          2        Ativo    S, M, A, R      Fase de
População      usuários                                                                 Entrega
MT, MIN, MC,   Geração de empregos diretos e          1        Ativo    S, M, A, R, T   Todas as
ANTT           indiretos                                                                fases
MT, ANTT       Redução     dos    níveis    de        2        Ativo    S, M, A         Fase de
               congestionamento     rodoviário,                                         Entrega
               bem como os        índices de
               acidentes
DECLARAÇÃO DE
       REQUISITOS DO PROJETO
                    REQUISITOS DO PROJETO                                    RASTREABILIDADE DO
                                                                                  PROJETO
Stakeholder   Requisito Detalhado                  Prioridade   Status   Relação      Onde se
                                                                                      Manifesta
MT,           Integrar como facilitador entre as       1        Ativo    A            Todas as
Confea/CRE    partes técnicas                                                         fases
A, ANTT
MCTI          Atender as normas vigentes e             2        Ativo    A            Todas as
              execução      de      normas                                            fases
              complementares para projetos
              executivos
COB           Integrar   como     mobilidades          4        Ativo    A            Fase de
              urbanas prevista pelo Comitê                                            Entrega
              Olímpico Internacional (COI)
              para as Olimpíadas de 2016
MT,           Utilizar    as   normas       de         2        Ativo    A            Todas as
Confea/CRE    infraestrutura Europeias     TSI,                                       fases
A, ANTT       CEN, CENELEC e ETSI
DECLARAÇÃO DE
      REQUISITOS DO PROJETO
                    REQUISITOS DO PROJETO                                RASTREABILIDADE DO
                                                                              PROJETO
Stakeholder   Requisito Detalhado              Prioridade   Status   Relação      Onde se
                                                                                  Manifesta
Associação    Atender as expectativas dos          3        Ativo    M, A         Fase de
dos           impactos causados pela                                              Viabilidade
Moradores     implantação
Regionais
MPU, TCU,     Atender as expectativas de           2        Ativo    M, A         Fase de
MIN, MC       impacto urbano deslocamento de                                      Viabilidade
              população
MMA           Atender as legislações               2        Ativo    A            Fase de
              ambientais vigentes                                                 Viabilidade
MT, Órgãos    Atender todas as viabilidades        1        Ativo    A            Fase de
Regularores   técnicas-econômicas                                                 Viabilidade
TCU, MPU      Atender a transparência das          4        Ativo    A            Todas as
              contas financeiras de                                               fases
              desembolsos
MC, MIN       Atender os interesses de             3        Ativo    A            Todas as
              integração dos municípios                                           fases
WBS, LVQ E ESCOPO
CICLO DE VIDA DO PROJETO
Todo o projeto está subdividido em fases de desenvolvimento. Esta subdivisão
permite um melhor controle total de recursos gastos, conforme abaixo
especificado:

•   Projeto Básico – Documentos
•   Viabilidade – Relatórios
•   Suprimentos e Logística – Contrato com os Fornecedores
•   Construção – Ferramentas
•   Montagem – Conjuntos
•   Validação – Laudos
•   Produção – Produto
•   Entrega – Receita
ESTRUTURA ANALITICA DE
    PROJETO - WBS
DICIONÁRIO WBS
Fase: Projeto Básico                                Entrega: Documentos Iniciais

Pacote de       Descrição                           Entrega do Pacote    Critério de Aceitação
Trabalho
Descritivo      Memorial descritivo de todos os     Documentos           Estar de acordo com
                equipamentos                        Básicos              Plano de Gerenciamento
                                                                         de Projeto
Desenho         Formatos do trem, estações e vias   Desenhos e           Estar de acordo com a
                                                    disposições          Declaração            de
                                                                         Requisitos do Produto
Premissas       Lista de premissas do Projeto       Planilha com         Estar de acordo com a
                                                    premissas            Declaração de Escopo
DICIONÁRIO WBS
Fase: Viabilidade                                      Entrega: Relatórios de Viabilidades

Pacote de       Descrição                              Entrega do Pacote     Critério de Aceitação
Trabalho
Custos          Determinação dos valores envolvidos    Orçamento de          Estar de acordo com os
                nas partes operacional, implantação,   custos técnico-       estudos iniciais
                desapropriações, etc.                  operacionais
Técnica/Econô   - Previsão de receitas futuras         - Relatórios          Estar de acordo com os
mica            - Análise econômico-financeira         contábeis             estudos iniciais
                - VPL do projeto                       - Relatório de
                - Geração de cenários econômicos       análise econômico-
                                                       financeira
Ambiental       - Elaboração de estudos de impacto     - Documentação        Estar de acordo com a
                ambiental                              - Relatórios          legislação    ambiental
                - Elaboração de projetos de            ambientais            federal
                recuperação ambiental
DICIONÁRIO WBS
Fase: Suprimentos e Logística                           Entrega: Contratos com Fornecedores

Pacote de        Descrição                              Entrega do Pacote       Critério de Aceitação
Trabalho
Definição de     Elaborar fornecedores necessários      Lista de                Ser aprovado pelo Plano
Fornecedores     para o Projeto                         Fornecedores            de Gerenciamento de
                                                                                Projeto
Pré-contrato     NDA com fornecedores                   Conjunto de pré-        Ser aprovado pelo Plano
                                                        contratos               de Gerenciamento de
                                                                                Projeto
Material         Elaboração     de   materiais   para   Lista de                Ser aprovado pelo Plano
                 aquisição                              Materiais/Supriment     de Gerenciamento de
                                                        os                      Projeto
Locação          Locações necessárias para produção     Contratos de            Ser aprovado pelo Plano
                                                        Locação                 de Gerenciamento de
                                                                                Projeto
Infraestrutura   Elaboração das necessidades      de    Lista de artefatos de   Ser aprovado pelo Plano
                 infraestrutura                         infraestrutura          de Gerenciamento de
                                                                                Projeto
DICIONÁRIO WBS
Fase: Construção                                     Entrega: Ferramental

Pacote de      Descrição                             Entrega do Pacote        Critério de Aceitação
Trabalho
Ferramental    Elaboração    dos     pré-projetos,   Meios de construção e    Ser aprovado pelo Plano
               projetos e construções dos meios      fabricação         de    de Gerenciamento de
               de fabricação                         componentes/subsiste     Projeto
                                                     mas
Entrega de     Fabricação de peças e subsistemas     Peças e subsistemas      Ser aprovado pelo Plano
Peças                                                construídos/fabricados   de Gerenciamento de
                                                                              Projeto
DICIONÁRIO WBS
Fase: Montagem                                          Entrega: Conjuntos Montados

Pacote de        Descrição                              Entrega do Pacote   Critério de Aceitação
Trabalho
União das        Montagem das peças, equipamentos       - Peças,            Estar de acordo com os
Peças            e módulos para a construção do trem,   equipamentos e      Manuais Técnicos
                 plataformas e via                      módulos montados
                                                        - Termo de Aceite
                                                        - Manual de
                                                        operação dos
                                                        equipamentos
                                                        - Garantia dos
                                                        equipamentos
                                                        montados
DICIONÁRIO WBS
Fase: Validação                                         Entrega: Laudos

Pacote de         Descrição                             Entrega do Pacote    Critério de Aceitação
Trabalho
Piloto de         - Projeto dos meios de validação      Meios de Validação   Estar de acordo com o
Testes            - Confecção dos meios de medição                           projeto de validação
                  dos meios de validação
                  - Aprovação dos meios de validação
Testes            - Rodagem                             - Validação do       Casos de teste
                  - Desempenho                          protótipo            efetuados com sucesso
Protótipos        Escolha de FNR’s para construção de   - Construção do      Protótipo testado com
                  meios não definitivos                 protótipo            sucesso
DICIONÁRIO WBS
Fase: Produção                                            Entrega: Produto

Pacote de        Descrição                                Entrega do Pacote    Critério de Aceitação
Trabalho
Qualidade        - Elaboração dos critérios de            Certificado de       Estar de acordo com as
                 qualidade e documentos/relatórios        Qualidade            normas internacionais
                 que permitam a rastreabilidade dos                            de qualidade
                 processos e do produto
Corrida Piloto   - Elaboração do critérios de aceitação   Relatórios/Documen   Estar de acordo com as
                 e validação da linha de montagem e       tos de Aceitação     normas nacionais e
                 a própria montagem do produto                                 internacionais de
                                                                               padronização
DICIONÁRIO WBS
Fase: Entrega                                        Entrega: Receita

Pacote de       Descrição                            Entrega do Pacote     Critério de Aceitação
Trabalho
Resultado       Todos os produtos                    Trens, plataformas,   Atender os critérios
                construídos/fabricados e entregues   vias entregues e      mínimos de
                                                     operando              operacionalização.
LISTA DE VERIFICAÇÃO DE
            QUALIDADE
Fase: Projeto Básico                                Entrega: Documentos Iniciais

Pacote de       Descrição                           Entrega do Pacote    Critério de Validação
Trabalho
Descritivo      Memorial descritivo de todos os     Documentos           Declaração de
                equipamentos                        Básicos              Requisitos
Desenho         Formatos do trem, estações e vias   Desenhos e           Normas nacionais
                                                    disposições          aplicadas a desenhos
                                                                         técnicos
Premissas       Lista de premissas do Projeto       Planilha com         Declaração de Escopo
                                                    premissas            do Projeto
LISTA DE VERIFICAÇÃO DE
            QUALIDADE
Fase: Viabilidade                                      Entrega: Relatórios de Viabilidades

Pacote de       Descrição                              Entrega do Pacote     Critério de Validação
Trabalho
Custos          Determinação dos valores envolvidos    Orçamento de          Padrões de
                nas partes operacional, implantação,   custos técnico-       Contabilidade aplicáveis
                desapropriações, etc.                  operacionais
Técnica/Econô   - Previsão de receitas futuras         - Relatórios          Normas técnicas
mica            - Análise econômico-financeira         contábeis             aplicáveis
                - VPL do projeto                       - Relatório de
                - Geração de cenários econômicos       análise econômico-
                                                       financeira
Ambiental       - Elaboração de estudos de impacto     - Documentação        Normas ambientais
                ambiental                              - Relatórios          aplicáveis
                - Elaboração de projetos de            ambientais
                Recuperação ambiental
LISTA DE VERIFICAÇÃO DE
            QUALIDADE
Fase: Suprimentos e Logística                         Entrega: Contratos com Fornecedores

Pacote de         Descrição                           Entrega do Pacote       Critério de Validação
Trabalho
Definição de      Elaborar fornecedores necessários   Lista de                Plano de Gerenciamento
Fornecedores      para o Projeto                      Fornecedores            do Projeto
Pré-contrato      NDA com fornecedores                Conjunto de pré-        Normas jurídicas
                                                      contratos               aplicáveis
Material          Elaboração de materiais para        Lista de                Plano de Gerenciamento
                  aquisição                           Materiais/Supriment     do Projeto
                                                      os
Locação           Locações necessárias para           Contratos de            Normas jurídicas
                  produção                            Locação                 aplicáveis
Infraestrutura    Elaboração das necessidades de      Lista de artefatos de   Plano de Gerenciamento
                  infraestrutura                      infraestrutura          do Projeto
LISTA DE VERIFICAÇÃO DE
            QUALIDADE
Fase: Construção                                   Entrega: Ferramental

Pacote de      Descrição                           Entrega do Pacote        Critério de Validação
Trabalho
Ferramental    Elaboração dos pré-projetos ,       Meios de construção e    Normas técnicas
               projetos e construções dos meios    fabricação de            aplicáveis
               de fabricação                       componentes/subsiste
                                                   mas
Entrega de     Fabricação de peças e subsistemas   Peças e subsistemas      Normas técnicas
Peças                                              construídos/fabricados   aplicáveis
LISTA DE VERIFICAÇÃO DE
            QUALIDADE
Fase: Montagem                                          Entrega: Conjuntos Montados

Pacote de        Descrição                              Entrega do Pacote   Critério de Validação
Trabalho
União das        Montagem das peças, equipamentos       - Peças,            - Normas ISO e AWS
Peças            e módulos para a construção do trem,   equipamentos e
                 plataformas e via                      módulos montados
                                                        - Termo de Aceite
                                                        - Manual de
                                                        operação dos
                                                        equipamentos
                                                        - Garantia dos
                                                        equipamentos
                                                        montados
LISTA DE VERIFICAÇÃO DE
            QUALIDADE
Fase: Validação                                         Entrega: Laudos

Pacote de         Descrição                             Entrega do Pacote    Critério de Validação
Trabalho
Piloto de         - Projeto dos meios de validação      Meios de Validação   Plano de validação
Testes            - Confecção dos meios de medição
                  dos meios de validação
                  - Aprovação dos meios de validação
Testes            - Rodagem                             Validação do         Plano de operação
                  - Desempenho                          protótipo
Protótipos        Escolha de fornecedores para          Construção do        Plano de operação
                  construção de meios não definitivos   protótipo
LISTA DE VERIFICAÇÃO DE
            QUALIDADE
Fase: Produção                                        Entrega: Produto

Pacote de        Descrição                            Entrega do Pacote       Critério de Validação
Trabalho
Qualidade        - Elaboração dos critérios de        Certificado de          Normas técnicas
                 qualidade e documentos/relatórios    Qualidade               aplicáveis
                 que permitam a rastreabilidade dos
                 processos e do produto
Corrida Piloto   - Elaboração do critérios de         Relatórios/Documentos   Normas técnicas
                 aceitação e validação da linha de    de Aceitação            aplicáveis
                 montagem e a própria montagem
                 do produto
LISTA DE VERIFICAÇÃO DE
            QUALIDADE
Fase: Entrega                                        Entrega: Receita

Pacote de       Descrição                            Entrega do Pacote     Critério de Validação
Trabalho
Resultado       Todos os produtos                    Trens, plataformas,   Determinações da ANTT
                construídos/fabricados e entregues   vias entregues e      e do MT
                                                     operando
ESCOPO DO PRODUTO
Compõem este escopo a fabricação de um sistema de trem de alta velocidade,
plataformas e traçados observando as características superficiais abaixo
listadas:

• Extensão: 518km

• Investimento: R$ 50 bilhões

• Velocidade do trem: 300km/h

• Tempo de percurso Rio -São Paulo: 80 minutos (expresso) e 101 minutos
  (com paradas São José dos Campos, Resende e Galeão)

• Tempo de percurso: São Paulo-Campinas: 24 minutos (expresso) e 28
  minutos (com parada em Viracopos)

• Estimativa antiga de passageiros: 32 milhões/ano

• Tarifa estava estimada a R$ 140,00
ESCOPO DO PROJETO
• Acompanhamento dos Estudos de Viabilidade de Implantação do TAV

• Divulgação e Apreciação Pública dos Estudos

• Realização de Processo Licitatório

• Envio de documentos para apreciação pelo CND e TCU

• Estruturação da Cooperação Técnica e Financeira para a capacitação da ANTT
  na realização da fase de avaliação de propostas, para a realização dos estudos
  ambientais e para fortalecimento institucional e pessoal

• Reestruturação Organizacional

• Capacitação e Treinamento do Pessoal
ESCOPO DO PROJETO
• Acompanhamento da Elaboração do Projeto e Implantação do TAV

• Desenvolvimento do Quadro Normativo da Conformidade dos Serviços
  Concedidos

• Estruturação da ANTT para Gestão e Fiscalização do Contrato de Concessão
PREMISSAS DO PROJETO
•   Influência irrelevante de atividade sísmica na região

•   Ter todas as aprovações dos órgão ambientais

•   Reduzir a pressão sobre a infraestrutura rodoviária e aeroportuária

•   Reduzir a emissão de poluentes

•   Interligação das cidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Campinas

•   Conectar os aeroportos do Galeão, Guarulhos e Viracopos; e

•   Estações intermediárias no trecho do Vale do Paraíba Fluminense e
    Paulista
RESTRIÇÕES DO PROJETO
•   O trem deve percorrer o tempo mínimo entre estações

•   Ruído interno máximo deve ser de 15 db

•   Todos os carros devem ser equipados com ar condicionado

•   Resistência à corrosão de 30 anos

•   Lotação máxima de pessoas por vagão deve ser 48 pessoas

•   Campo de variação climática entre -40 C a 50 C

•   Obtenção das licenças ambientais para implantação do projeto
SOLICITAÇÕES DE
   MUDANÇA
SOLICITAÇÕES DE
                      MUDANÇA
Nº da SM: 001/2012    Data da Abertura: 17/02/2012     Solicitante: Sponsor do Projeto
Descrição da          Redução imediata de 30% do orçamento total do Projeto.
Mudança Solicitada:
Justificativa da      O Sponsor investiu parte do orçamento que não seria utilizado agora
Solicitação:          em ações na Bolsa de Valores e sofreu uma perda de exatos 30 %
SOLICITAÇÕES DE
                      MUDANÇA
Parecer do Gerente de Projetos
Áreas de           Impactos Identificados
Conhecimento
Escopo do          Possibilidade real de não ser cumprido na sua totalidade
Projeto
Tempo do Projeto Atraso em algumas entregas do Projeto
Custo do Projeto   Sofrerá reduções e racionamentos necessários para
                   cumprimento das atividades
Qualidade do       Não deve sofrer impactos diretos
Projeto
Recursos           Reduções obrigatórias do quadro funcional
Humanos do
Projeto
SOLICITAÇÕES DE
                   MUDANÇA
Parecer do Gerente de Projetos
Áreas de          Impactos Identificados
Conhecimento
Comunicações      Precisa ser o mais assertiva possível para evitar mais
do Projeto        solicitações de mudança e e/ou retrabalhos
Riscos do Projeto Aumento potencial dos riscos e esforços para suas mitigações
Aquisições do     Redução da qualidade das aquisições a serem realizadas para
Projeto           critérios mínimos dos seus respectivos quesitos
MBA em Gestão Estratégica e Econômica de Projetos T9 – Berrini
Gerenciamento de Escopo de Projetos – Fevereiro/2012
Professor Marco Coghi



João Carlos Souza | Haroldo Kavamura | Marco Biancardi
Douglas Reis | Luiz Mendonça | Jefferson Otovicz

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Estradas aula 03
Estradas aula 03Estradas aula 03
Estradas aula 03
Marinaldo Junior
 
Navegar é Preciso
Navegar é PrecisoNavegar é Preciso
Navegar é Preciso
Marco Coghi
 
Heavy Haul Rail South America 2013, 15-16 October 2013 | São Paulo, Brazil
Heavy Haul Rail South America 2013, 15-16 October 2013 | São Paulo, Brazil Heavy Haul Rail South America 2013, 15-16 October 2013 | São Paulo, Brazil
Heavy Haul Rail South America 2013, 15-16 October 2013 | São Paulo, Brazil
Tina_Karas
 
Aula 1 Prof. Rachel Russo Seydell
Aula 1 Prof. Rachel Russo SeydellAula 1 Prof. Rachel Russo Seydell
Aula 1 Prof. Rachel Russo Seydell
Jair Almeida
 
Transporte e logistica edu gonzaga 2012
Transporte e logistica edu gonzaga 2012Transporte e logistica edu gonzaga 2012
Transporte e logistica edu gonzaga 2012
Edu Gonzaga
 
Bernardo Figueiredo, idealizador e primeiro presidente da EPL
Bernardo Figueiredo, idealizador e primeiro presidente da EPLBernardo Figueiredo, idealizador e primeiro presidente da EPL
Bernardo Figueiredo, idealizador e primeiro presidente da EPL
Jornal GGN
 
PILT FDC 2018
PILT FDC 2018PILT FDC 2018
Projeto Aplicado 2012 - O SISTEMA OmniSAT APLICADO NO CONTROLE DO PROCESSO D...
Projeto Aplicado 2012 - O  SISTEMA OmniSAT APLICADO NO CONTROLE DO PROCESSO D...Projeto Aplicado 2012 - O  SISTEMA OmniSAT APLICADO NO CONTROLE DO PROCESSO D...
Projeto Aplicado 2012 - O SISTEMA OmniSAT APLICADO NO CONTROLE DO PROCESSO D...
Sidnei Reis
 
BRT Standard 2013 - Padrão de qualidade de BRT 2013
BRT Standard 2013 - Padrão de qualidade de BRT 2013BRT Standard 2013 - Padrão de qualidade de BRT 2013
BRT Standard 2013 - Padrão de qualidade de BRT 2013
Claudio Bomfim
 
Infraestrutura do Setor Rodoviário de Carga
Infraestrutura do Setor Rodoviário de CargaInfraestrutura do Setor Rodoviário de Carga
Infraestrutura do Setor Rodoviário de Carga
Fiesp Federação das Indústrias do Estado de SP
 
Aula 5 velocidade e veiculo de projeto
Aula 5   velocidade e veiculo de projetoAula 5   velocidade e veiculo de projeto
Aula 5 velocidade e veiculo de projeto
Jair Almeida
 
Planejamento da Utilização de Vagões - MRS
Planejamento da Utilização de Vagões - MRSPlanejamento da Utilização de Vagões - MRS
Planejamento da Utilização de Vagões - MRS
Gapso Tecnologia da Decisão
 
Civil 07
Civil 07Civil 07
Antp vuc
Antp vucAntp vuc
Antp vuc
trans_smt
 
Transportes
TransportesTransportes
Transportes
Cláudio Carneiro
 
Logística De Transportes Para A Desenvolvimento Nacional
Logística De Transportes Para A Desenvolvimento NacionalLogística De Transportes Para A Desenvolvimento Nacional
Logística De Transportes Para A Desenvolvimento Nacional
Luis Nassif
 

Mais procurados (16)

Estradas aula 03
Estradas aula 03Estradas aula 03
Estradas aula 03
 
Navegar é Preciso
Navegar é PrecisoNavegar é Preciso
Navegar é Preciso
 
Heavy Haul Rail South America 2013, 15-16 October 2013 | São Paulo, Brazil
Heavy Haul Rail South America 2013, 15-16 October 2013 | São Paulo, Brazil Heavy Haul Rail South America 2013, 15-16 October 2013 | São Paulo, Brazil
Heavy Haul Rail South America 2013, 15-16 October 2013 | São Paulo, Brazil
 
Aula 1 Prof. Rachel Russo Seydell
Aula 1 Prof. Rachel Russo SeydellAula 1 Prof. Rachel Russo Seydell
Aula 1 Prof. Rachel Russo Seydell
 
Transporte e logistica edu gonzaga 2012
Transporte e logistica edu gonzaga 2012Transporte e logistica edu gonzaga 2012
Transporte e logistica edu gonzaga 2012
 
Bernardo Figueiredo, idealizador e primeiro presidente da EPL
Bernardo Figueiredo, idealizador e primeiro presidente da EPLBernardo Figueiredo, idealizador e primeiro presidente da EPL
Bernardo Figueiredo, idealizador e primeiro presidente da EPL
 
PILT FDC 2018
PILT FDC 2018PILT FDC 2018
PILT FDC 2018
 
Projeto Aplicado 2012 - O SISTEMA OmniSAT APLICADO NO CONTROLE DO PROCESSO D...
Projeto Aplicado 2012 - O  SISTEMA OmniSAT APLICADO NO CONTROLE DO PROCESSO D...Projeto Aplicado 2012 - O  SISTEMA OmniSAT APLICADO NO CONTROLE DO PROCESSO D...
Projeto Aplicado 2012 - O SISTEMA OmniSAT APLICADO NO CONTROLE DO PROCESSO D...
 
BRT Standard 2013 - Padrão de qualidade de BRT 2013
BRT Standard 2013 - Padrão de qualidade de BRT 2013BRT Standard 2013 - Padrão de qualidade de BRT 2013
BRT Standard 2013 - Padrão de qualidade de BRT 2013
 
Infraestrutura do Setor Rodoviário de Carga
Infraestrutura do Setor Rodoviário de CargaInfraestrutura do Setor Rodoviário de Carga
Infraestrutura do Setor Rodoviário de Carga
 
Aula 5 velocidade e veiculo de projeto
Aula 5   velocidade e veiculo de projetoAula 5   velocidade e veiculo de projeto
Aula 5 velocidade e veiculo de projeto
 
Planejamento da Utilização de Vagões - MRS
Planejamento da Utilização de Vagões - MRSPlanejamento da Utilização de Vagões - MRS
Planejamento da Utilização de Vagões - MRS
 
Civil 07
Civil 07Civil 07
Civil 07
 
Antp vuc
Antp vucAntp vuc
Antp vuc
 
Transportes
TransportesTransportes
Transportes
 
Logística De Transportes Para A Desenvolvimento Nacional
Logística De Transportes Para A Desenvolvimento NacionalLogística De Transportes Para A Desenvolvimento Nacional
Logística De Transportes Para A Desenvolvimento Nacional
 

Semelhante a São Paulo Berrini GEEPT9-Escopo-Mandrak

Bernardo Figueiredo, idealizador e primeiro presidente da EPL
Bernardo Figueiredo, idealizador e primeiro presidente da EPLBernardo Figueiredo, idealizador e primeiro presidente da EPL
Bernardo Figueiredo, idealizador e primeiro presidente da EPL
Luiz de Queiroz
 
O Desenvolvimento de Infraestrutura de Transportes Contribuições do TCU - Min...
O Desenvolvimento de Infraestrutura de Transportes Contribuições do TCU - Min...O Desenvolvimento de Infraestrutura de Transportes Contribuições do TCU - Min...
O Desenvolvimento de Infraestrutura de Transportes Contribuições do TCU - Min...
Editora Fórum
 
Eco Road
Eco RoadEco Road
Eco Road
Marco Coghi
 
Transporte urbano de cargas
Transporte urbano de cargasTransporte urbano de cargas
Transporte urbano de cargas
Wilian Gatti Jr
 
Manual de projeto geometrico DNIT
Manual de projeto geometrico DNITManual de projeto geometrico DNIT
Manual de projeto geometrico DNIT
allantafuri
 
Trem de Alta Velocidade (TAV) Brasil
Trem de Alta Velocidade (TAV) BrasilTrem de Alta Velocidade (TAV) Brasil
Trem de Alta Velocidade (TAV) Brasil
Logística Descomplicada
 
01.PDTU SETRANS, 2015
01.PDTU SETRANS, 201501.PDTU SETRANS, 2015
01.PDTU SETRANS, 2015
gatha17
 
Apresentação-Institucional-Rodovia-Liberdade.pdf
Apresentação-Institucional-Rodovia-Liberdade.pdfApresentação-Institucional-Rodovia-Liberdade.pdf
Apresentação-Institucional-Rodovia-Liberdade.pdf
Aldeir Borges
 
Apresentação Malha Oeste.pdf
Apresentação Malha Oeste.pdfApresentação Malha Oeste.pdf
Apresentação Malha Oeste.pdf
JooLuiz653135
 
Aula 23 transportes e comércio exterior do brasil
Aula 23   transportes e comércio exterior do brasilAula 23   transportes e comércio exterior do brasil
Aula 23 transportes e comércio exterior do brasil
Jonatas Carlos
 
Parecer Técnico Logístico - Programa de Integração Logística, Sistemas de Uni...
Parecer Técnico Logístico - Programa de Integração Logística, Sistemas de Uni...Parecer Técnico Logístico - Programa de Integração Logística, Sistemas de Uni...
Parecer Técnico Logístico - Programa de Integração Logística, Sistemas de Uni...
Jader Windson
 
BIM para Infraestrutura de Transportes
BIM para Infraestrutura de TransportesBIM para Infraestrutura de Transportes
BIM para Infraestrutura de Transportes
Carlos Galeano
 
13 alternativas de_financiamento_bndes
13 alternativas de_financiamento_bndes13 alternativas de_financiamento_bndes
13 alternativas de_financiamento_bndes
Filipe Eduardo Martins Guedes
 
Monotrilho sp
Monotrilho spMonotrilho sp
C-ROADS Portugal: cooperação a todos os níveis nas estradas portuguesas
C-ROADS Portugal: cooperação a todos os níveis nas estradas portuguesasC-ROADS Portugal: cooperação a todos os níveis nas estradas portuguesas
C-ROADS Portugal: cooperação a todos os níveis nas estradas portuguesas
André Ramos
 
ApresentaçãO RibeirãO Preto Etapa 345
ApresentaçãO RibeirãO Preto Etapa 345ApresentaçãO RibeirãO Preto Etapa 345
ApresentaçãO RibeirãO Preto Etapa 345
Maciel "Massa"
 
FGV / IBRE - O PAC e as Políticas Públicas de Incentivo ao Desenvolvimento do...
FGV / IBRE - O PAC e as Políticas Públicas de Incentivo ao Desenvolvimento do...FGV / IBRE - O PAC e as Políticas Públicas de Incentivo ao Desenvolvimento do...
FGV / IBRE - O PAC e as Políticas Públicas de Incentivo ao Desenvolvimento do...
FGV | Fundação Getulio Vargas
 
Luis Mariano Batista - Apresentação 2016(v0)
Luis Mariano Batista - Apresentação 2016(v0)Luis Mariano Batista - Apresentação 2016(v0)
Luis Mariano Batista - Apresentação 2016(v0)
Luis Mariano Batista
 
Apresentação 2016(v0)
Apresentação 2016(v0)Apresentação 2016(v0)
Apresentação 2016(v0)
Luis Mariano Batista
 
Rui Carlos Botter, ex-presidente do Instituto Panamericano de Engenharia Naval
Rui Carlos Botter, ex-presidente do Instituto Panamericano de Engenharia NavalRui Carlos Botter, ex-presidente do Instituto Panamericano de Engenharia Naval
Rui Carlos Botter, ex-presidente do Instituto Panamericano de Engenharia Naval
Luiz de Queiroz
 

Semelhante a São Paulo Berrini GEEPT9-Escopo-Mandrak (20)

Bernardo Figueiredo, idealizador e primeiro presidente da EPL
Bernardo Figueiredo, idealizador e primeiro presidente da EPLBernardo Figueiredo, idealizador e primeiro presidente da EPL
Bernardo Figueiredo, idealizador e primeiro presidente da EPL
 
O Desenvolvimento de Infraestrutura de Transportes Contribuições do TCU - Min...
O Desenvolvimento de Infraestrutura de Transportes Contribuições do TCU - Min...O Desenvolvimento de Infraestrutura de Transportes Contribuições do TCU - Min...
O Desenvolvimento de Infraestrutura de Transportes Contribuições do TCU - Min...
 
Eco Road
Eco RoadEco Road
Eco Road
 
Transporte urbano de cargas
Transporte urbano de cargasTransporte urbano de cargas
Transporte urbano de cargas
 
Manual de projeto geometrico DNIT
Manual de projeto geometrico DNITManual de projeto geometrico DNIT
Manual de projeto geometrico DNIT
 
Trem de Alta Velocidade (TAV) Brasil
Trem de Alta Velocidade (TAV) BrasilTrem de Alta Velocidade (TAV) Brasil
Trem de Alta Velocidade (TAV) Brasil
 
01.PDTU SETRANS, 2015
01.PDTU SETRANS, 201501.PDTU SETRANS, 2015
01.PDTU SETRANS, 2015
 
Apresentação-Institucional-Rodovia-Liberdade.pdf
Apresentação-Institucional-Rodovia-Liberdade.pdfApresentação-Institucional-Rodovia-Liberdade.pdf
Apresentação-Institucional-Rodovia-Liberdade.pdf
 
Apresentação Malha Oeste.pdf
Apresentação Malha Oeste.pdfApresentação Malha Oeste.pdf
Apresentação Malha Oeste.pdf
 
Aula 23 transportes e comércio exterior do brasil
Aula 23   transportes e comércio exterior do brasilAula 23   transportes e comércio exterior do brasil
Aula 23 transportes e comércio exterior do brasil
 
Parecer Técnico Logístico - Programa de Integração Logística, Sistemas de Uni...
Parecer Técnico Logístico - Programa de Integração Logística, Sistemas de Uni...Parecer Técnico Logístico - Programa de Integração Logística, Sistemas de Uni...
Parecer Técnico Logístico - Programa de Integração Logística, Sistemas de Uni...
 
BIM para Infraestrutura de Transportes
BIM para Infraestrutura de TransportesBIM para Infraestrutura de Transportes
BIM para Infraestrutura de Transportes
 
13 alternativas de_financiamento_bndes
13 alternativas de_financiamento_bndes13 alternativas de_financiamento_bndes
13 alternativas de_financiamento_bndes
 
Monotrilho sp
Monotrilho spMonotrilho sp
Monotrilho sp
 
C-ROADS Portugal: cooperação a todos os níveis nas estradas portuguesas
C-ROADS Portugal: cooperação a todos os níveis nas estradas portuguesasC-ROADS Portugal: cooperação a todos os níveis nas estradas portuguesas
C-ROADS Portugal: cooperação a todos os níveis nas estradas portuguesas
 
ApresentaçãO RibeirãO Preto Etapa 345
ApresentaçãO RibeirãO Preto Etapa 345ApresentaçãO RibeirãO Preto Etapa 345
ApresentaçãO RibeirãO Preto Etapa 345
 
FGV / IBRE - O PAC e as Políticas Públicas de Incentivo ao Desenvolvimento do...
FGV / IBRE - O PAC e as Políticas Públicas de Incentivo ao Desenvolvimento do...FGV / IBRE - O PAC e as Políticas Públicas de Incentivo ao Desenvolvimento do...
FGV / IBRE - O PAC e as Políticas Públicas de Incentivo ao Desenvolvimento do...
 
Luis Mariano Batista - Apresentação 2016(v0)
Luis Mariano Batista - Apresentação 2016(v0)Luis Mariano Batista - Apresentação 2016(v0)
Luis Mariano Batista - Apresentação 2016(v0)
 
Apresentação 2016(v0)
Apresentação 2016(v0)Apresentação 2016(v0)
Apresentação 2016(v0)
 
Rui Carlos Botter, ex-presidente do Instituto Panamericano de Engenharia Naval
Rui Carlos Botter, ex-presidente do Instituto Panamericano de Engenharia NavalRui Carlos Botter, ex-presidente do Instituto Panamericano de Engenharia Naval
Rui Carlos Botter, ex-presidente do Instituto Panamericano de Engenharia Naval
 

Mais de Marco Coghi

Projeto Caixa Forte
Projeto Caixa ForteProjeto Caixa Forte
Projeto Caixa Forte
Marco Coghi
 
EZ Pass
EZ PassEZ Pass
EZ Pass
Marco Coghi
 
Sai Zika
Sai ZikaSai Zika
Sai Zika
Marco Coghi
 
Acertando suas Contas
Acertando suas ContasAcertando suas Contas
Acertando suas Contas
Marco Coghi
 
EcoTelhado
EcoTelhadoEcoTelhado
EcoTelhado
Marco Coghi
 
Volume Morto Nunca Mais
Volume Morto Nunca MaisVolume Morto Nunca Mais
Volume Morto Nunca Mais
Marco Coghi
 
Projeto Iemanjá
Projeto IemanjáProjeto Iemanjá
Projeto Iemanjá
Marco Coghi
 
Viva Mariana
Viva MarianaViva Mariana
Viva Mariana
Marco Coghi
 
Projeto Help
Projeto HelpProjeto Help
Projeto Help
Marco Coghi
 
Princes Forever
Princes ForeverPrinces Forever
Princes Forever
Marco Coghi
 
Aquaman
AquamanAquaman
Aquaman
Marco Coghi
 
Projeto +Cana
Projeto +CanaProjeto +Cana
Projeto +Cana
Marco Coghi
 
Princess Forever
Princess ForeverPrincess Forever
Princess Forever
Marco Coghi
 
Ecobuilding
EcobuildingEcobuilding
Ecobuilding
Marco Coghi
 
Sanca GreenHouse
Sanca GreenHouseSanca GreenHouse
Sanca GreenHouse
Marco Coghi
 
Teto Amigo
Teto AmigoTeto Amigo
Teto Amigo
Marco Coghi
 
Projeto Lampião
Projeto LampiãoProjeto Lampião
Projeto Lampião
Marco Coghi
 
CONSEGS
CONSEGSCONSEGS
CONSEGS
Marco Coghi
 
Projeto Gestar
Projeto GestarProjeto Gestar
Projeto Gestar
Marco Coghi
 
Zika
ZikaZika

Mais de Marco Coghi (20)

Projeto Caixa Forte
Projeto Caixa ForteProjeto Caixa Forte
Projeto Caixa Forte
 
EZ Pass
EZ PassEZ Pass
EZ Pass
 
Sai Zika
Sai ZikaSai Zika
Sai Zika
 
Acertando suas Contas
Acertando suas ContasAcertando suas Contas
Acertando suas Contas
 
EcoTelhado
EcoTelhadoEcoTelhado
EcoTelhado
 
Volume Morto Nunca Mais
Volume Morto Nunca MaisVolume Morto Nunca Mais
Volume Morto Nunca Mais
 
Projeto Iemanjá
Projeto IemanjáProjeto Iemanjá
Projeto Iemanjá
 
Viva Mariana
Viva MarianaViva Mariana
Viva Mariana
 
Projeto Help
Projeto HelpProjeto Help
Projeto Help
 
Princes Forever
Princes ForeverPrinces Forever
Princes Forever
 
Aquaman
AquamanAquaman
Aquaman
 
Projeto +Cana
Projeto +CanaProjeto +Cana
Projeto +Cana
 
Princess Forever
Princess ForeverPrincess Forever
Princess Forever
 
Ecobuilding
EcobuildingEcobuilding
Ecobuilding
 
Sanca GreenHouse
Sanca GreenHouseSanca GreenHouse
Sanca GreenHouse
 
Teto Amigo
Teto AmigoTeto Amigo
Teto Amigo
 
Projeto Lampião
Projeto LampiãoProjeto Lampião
Projeto Lampião
 
CONSEGS
CONSEGSCONSEGS
CONSEGS
 
Projeto Gestar
Projeto GestarProjeto Gestar
Projeto Gestar
 
Zika
ZikaZika
Zika
 

São Paulo Berrini GEEPT9-Escopo-Mandrak

  • 1. INDUSTRIA | GOVERNO | VAREJO PROJETO MANDA BALA
  • 2. MANDRAK PROJETOS S/A CORPO DIRETIVO DO PROJETO COLABORADOR CARGO/FUNÇÃO João Carlos Souza Legal Director Haroldo Kavamura Engineer Marco Biancardi Chief Financial Officer Douglas Reis Manager Project Luiz Mendonça Commercial Director Jefferson Otovicz Marketing Director
  • 3. LISTA DE ABREVIAÇÕES ISO – International Standart Organization AWS – American Welding Society PMBOK - Project Management Body of Knowledge PMI - Project Management Institute BNDES – Banco Nacional do Desenvolvimento MCTI - Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação MC - Ministério das Cidades MIN - Ministério da Integração Nacional MMA - Ministério do Meio Ambiente
  • 4. LISTA DE ABREVIAÇÕES MT - Ministério dos Transportes MPU - Ministério Público da União MPESP - Ministério Público do Estado de SP MPERJ - Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro TCU - Tribunal de Contas da União CONFEA – Conselho Federal de Engenharia e Agronomia CREA – Conselho Regional de Engenharia e Agronomia ANTT - Agência Nacional de Transportes Terrestres COB - Comitê Olímpico Brasileiro COI - Comitê Olímpico Internacional
  • 5. TERMO DE ABERTURA DO PROJETO
  • 6. TERMO DE ABERTURA DO PROJETO Projeto: Manda Bala Descrição: Os sistemas ferroviários de alta velocidade utilizados no transporte de passageiros compreendem, em geral, linhas ferroviárias projetadas e construídas para trens capazes de desenvolver velocidades iguais ou superiores a 200 km/h. A ferrovia de alta velocidade se mostra mais adequada quando opera entre pares de cidades em que a distância entre elas fica na faixa de 500 a 600 km. Acima dessa distância, a viagem aérea torna-se mais competitiva e a participação relativa de mercado da ferrovia de alta velocidade fica menor.
  • 7. TERMO DE ABERTURA DO PROJETO Justificativas: Em meados dos anos 90, o governo brasileiro, no âmbito de um acordo de cooperação com o governo alemão, realizou um estudo denominado “TRANSCORR” com o objetivo de identificar investimentos para modernização do sistema de transporte no corredor Rio de Janeiro - São Paulo - Campinas. Ao fazer o prognóstico da malha de transporte do corredor, o estudo “TRANSCORR” também simulou como deveria ficar a situação da sua rede rodoviária para atender ao crescimento socioeconômico caso não fosse efetuada nenhuma intervenção estrutural. Este estudo indicou a necessidade de implantação e detalhou um sistema de trens de alta velocidade como solução para o transporte de passageiros no corredor que serviu de referência para os estudos atuais.
  • 8. TERMO DE ABERTURA DO PROJETO Mais recentemente, também desenvolveu-se um estudo indicando a possibilidade de realização de um projeto de ligação ferroviária entre as cidades do Rio de Janeiro e São Paulo, sem paradas intermediárias, por meio de concessão à iniciativa privada. • Todos estes estudos, bem como Decreto n. 6.256/07 e às competências regimentais relativas à concessão de serviços públicos de transporte de passageiros, justificam por considerar: • Constatação de uma situação de crescimento gradativo do esgotamento de capacidade das modalidades de transporte disponíveis, as quais vêm sendo estudadas há décadas • Saturação da Rodovia Presidente Dutra
  • 9. TERMO DE ABERTURA DO PROJETO • Saturação dos atuais aeroportos de São Paulo e Rio de Janeiro e dificuldades na construção de novos aeroportos • A opção por trens de média velocidade não é competitiva, devido ao custo elevado de implantação, tempo maior de viagem e menor expectativas de receitas • Possibilidade de expansão do transporte de passageiros de Viracopos • Dificuldades técnicas e socioambientais na construção de novas ligações rodoviárias no eixo Rio-São Paulo, o que torna essa solução menos eficaz em termos econômicos
  • 10. TERMO DE ABERTURA DO PROJETO Benefícios: A implantação e operação desse sistema está associado às seguintes vantagens: • Indução ao desenvolvimento regional, aliviando áreas de maior densidade urbana; • Redução de gargalos dos subsistemas de transporte aeroportuário, rodoviário e urbano; • Postergação de investimentos na ampliação e construção de aeroportos e de rodovias; • Menor uso do solo comparado à construção ou ampliação de rodovias;
  • 11. TERMO DE ABERTURA DO PROJETO • Redução de impactos ambientais e emissão de gases poluentes em decorrência do desvio da demanda do transporte aéreo e rodoviário para o Projeto Manda Bala; • Redução dos tempos de viagem associados à baixa probabilidade de atrasos; • Aumento do tempo produtivo para os usuários; • Geração de empregos diretos e indiretos; • Redução dos níveis de congestionamento e do número de acidentes em rodovias.
  • 12. TERMO DE ABERTURA DO PROJETO Objetivo SMART do Projeto Minimizar o tráfego rodoviário e aéreo em 35% após o término da implantação no eixo Rio-São Paulo estimado em 5 anos, garantindo o conforto compatível com a atual ponte aérea e com o mínimo impacto ambiental.
  • 13. TERMO DE ABERTURA DO PROJETO Requisitos Básicos do Produto • Deverá compreender dois tipos de serviços: Expresso e Regional • Tempos de viagem de centro a centro das cidades competitivos quando comparados a aéreo, conseguidos por operação a alta velocidade • Novos traçados, separados e dedicados, inteiramente nivelados, operacionalmente independentes das existentes infraestruturas ferroviárias convencionais • Considerando os requisitos básicos da via férrea: – Bitola: 1.435 mm com via eletrificada – Velocidade máxima do trem: 350km/h – Raio horizontal mínimo: 7.228 m
  • 14. TERMO DE ABERTURA DO PROJETO Requisitos Básicos do Produto – Raio vertical mínimo: 42.875 m – Inclinação máxima: 35 mm/m – Carga por eixo do trem: 17 toneladas – Plataforma: 500 m (comportar composições com até 16 carros ) • Considerando os requisitos básicos do trem – Comprimento do trem: 400 m (16 carros) – Carregamento máximo por eixo: 17 toneladas – Tara: 436 toneladas – Velocidade comercial máxima: 300 km/h – Número de assentos: 458 assentos para o serviço expresso dividido em duas classes e 600 assentos para o serviço regional em uma única classe
  • 15. TERMO DE ABERTURA DO PROJETO Requisitos Básicos do Produto • Transferência de tecnologia • Tratativas para as interferências ambientais dos traçados e para os controles dos custos socioambientais associados aos traçados;
  • 16. TERMO DE ABERTURA DO PROJETO Requisitos Básicos do Projeto • Induzir o desenvolvimento regional, aliviando áreas de maior densidade urbana; • Reduzir gargalos dos subsistemas de transporte aeroportuário, rodoviário e urbano; • Postergar investimentos na ampliação e construção de aeroportos e de rodovias; • Reduzir o uso do solo comparado à construção ou ampliação de rodovias; • Reduzir os impactos ambientais e emissão de gases poluentes em decorrência do desvio da demanda do transporte aéreo e rodoviário para o Trem Bala;
  • 17. TERMO DE ABERTURA DO PROJETO Requisitos Básicos do Projeto • Reduzir os tempos de viagem associados à baixa probabilidade de atrasos; • Aumentar o tempo produtivo dos usuários; • Gerar empregos diretos e indiretos; • Reduzir os níveis de congestionamento e do número de acidentes em rodovias.
  • 18. TERMO DE ABERTURA DO PROJETO Designação O Engenheiro Civil Douglas Reis fica designado como Gerente do Projeto Manda Bala para aplicar o conjunto de práticas do PMBOK publicado pelo PMI constituindo a base de conhecimento no gerenciamento de projetos.
  • 19. TERMO DE ABERTURA DO PROJETO Lista dos Principais Milestones • Projeto Básico • Estudo das Viabilidades • Construção dos Pátios de Montagem • Prototipação dos trens, plataformas e vias • Entrega e Operacionalização
  • 20. TERMO DE ABERTURA DO PROJETO Orçamento do Projeto Deve ser gerenciado conforme o Edital de Concessão nº 001/2012 o orçamento total de R$ 50 bilhões de reais, sendo R$ 23 bilhões financiados pelo BNDES e um aporte de R$ 27 bilhões na sociedade por uma estatal criada pelo governo brasileiro. O prazo previsto para a conclusão da implantação integral do sistema é de 7,5 anos.
  • 21. TERMO DE ABERTURA DO PROJETO Riscos do Projeto • Congestionamento e baixas condições de segurança tanto nos aeroportos de São Paulo e Rio de Janeiro, quanto na ligações rodoviárias entre as duas cidades • Garantias corporativas de R$ 23 bilhões exigidos pelo BNDES durante a obra e juros de 7% ao ano de acordo com a taxa de 2012 de juros ao longo prazo • As estimativas do projeto como um todo não incluem qualquer tipo de contingência
  • 22. TERMO DE ABERTURA DO PROJETO Riscos do Projeto • Altos impactos e probabilidades altas e médias de uma configuração geológica comprometida e/ou que possa comprometer as obras e a operação despois de entregue • Levar em conta os riscos de deslizamentos de terra na área entre Queluz e Cachoeira Paulista • Baixíssima expectativa de demanda e receita comparada à participação internacional do mercado ferroviário. Dentre os demais exemplos, a estimativa é que, no horário de pico, no trecho Rio-São Paulo, o trem brasileiro transportará 45% do total de passageiros, contra 95% no trecho Paris-Bruxelas
  • 23. TERMO DE ABERTURA DO PROJETO
  • 24. IDENTIFICAÇÃO DE STAKHOLDERS
  • 25. IDENTIFICAÇÃO DE STAKHOLDERS • População (Entidades Civis, • Ministério da Ciência, Tecnologia e Proprietários afetados) Inovação; – Ong’s • Ministério das Cidades; – Sindicatos • Ministério da Integração Nacional; – Reservas Indígenas • Ministério do Meio Ambiente; – Quilombos • Ministério dos Transportes; – Comunidades Rurais • Ministério Público da União; – Comunidades Urbanas • Ministério Público do Estado de SP; • Comitê Olímpico Brasileiro; • Ministério Público do Estado do Rio • Iniciativa Privada; de Janeiro; – Bancos • Tribunal de Contas da União; – Comércio que sofre impacto • Associação dos Moradores – Produtores rurais Regionais • Poder Legislativo; • Confea/CREA • Órgãos Reguladores; • Agência Nacional de Transportes Terrestres
  • 26. IDENTIFICAÇÃO DE STAKHOLDERS CLASSIFICAÇÃO DOS STAKHOLDERS IDENTIFICAÇÃO PODER INTERESSE INFLUENCIA REQUISITOS MT ALTO ALTO POSITIVA Liberar a obra o mais rápido possível População BAIXO ALTO NEGATIVA Valorizar a área, gerar mercado e novos empregos diretos e indiretos COB BAIXO ALTO POSITIVA Ampliar a infraestrutura do país para o evento Iniciativa Privada BAIXO ALTO POSITIVA Executar a obra Poder Legislativo ALTO ALTO POSITIVA Aumentar o nível de investimento da sua região Órgãos ALTO ALTO NEGATIVA Quer o cumprimento das normas Reguladores técnicas quando aplicáveis MCTI ALTO ALTO POSITIVA Quer aprender a fazer MC BAIXO ALTO POSITIVA Quer beneficiar as cidades com o projeto
  • 27. IDENTIFICAÇÃO DE STAKHOLDERS CLASSIFICAÇÃO DOS STAKEHOLDERS IDENTIFICAÇÃO PODER INTERESSE INFLUENCIA REQUISITOS MIN BAIXO BAIXO POSITIVA Promover ganhos econômicos para os estados envolvidos MMA ALTO ALTO NEGATIVA Garantir o cumprimento das leis e acordos ambientais MT ALTO ALTO POSITIVA Precisa trazer resultados positivos MPU ALTO ALTO NEGATIVA Executar com transparência MPESP ALTO ALTO NEGATIVA Executar com transparência MPERJ ALTO ALTO NEGATIVA Executar com transparência TCU ALTO ALTO NEGATIVA Auditar as contas do Projeto Associação de BAIXO ALTO NEGATIVA Se beneficiar do Projeto Moradores Regionais Confea/CREA BAIXO BAIXO POSITIVA Acompanhar as Obras ANTT ALTO ALTO NEGATIVA Auditar os procedimentos
  • 28. IDENTIFICAÇÃO DE STAKHOLDERS CLASSIFICAÇÃO DOS STAKEHOLDERS IDENTIFICAÇÃO CARACTERISTICAS AÇÃO ESTRATÉGIA MT, MIN Facilitador do projeto Manter Convidar para reuniões específicas informado População Difícil de se trabalhar Manter Convidar para reuniões específicas satisfeito COB Influenciador Manter Convidar para reuniões específicas informado Iniciativa Privada Realiza muitas Manter Acompanhar e dar suporte atividades no projeto envolvido Poder Legislativo Difícil de se trabalhar Manter Assegurar que o cumprimento do satisfeito projeto esteja acontecendo de acordo com os prazos e custos Órgãos Influenciador Manter Planejar reuniões periódicas Reguladores informado ANTT Difícil de se trabalhar Manter Convidar para reuniões específicas satisfeito MCTI Facilitador do projeto Manter Convidar para reuniões específicas informado
  • 29. IDENTIFICAÇÃO DE STAKHOLDERS CLASSIFICAÇÃO DOS STAKEHOLDERS IDENTIFICAÇÃO CARACTERISTICAS AÇÃO ESTRATÉGIA MC Influenciador Manter Convidar para reuniões específicas informado MIN Influenciador Manter Convidar para reuniões específicas informado MMA Potencial fonte de Foco de Assegurar o cumprimento de todas as conflito atenção normas ambientais e geológicas MT Realiza muitas Manter Acompanhar e dar suporte atividades no projeto envolvido MPU Difícil de se trabalhar Manter Assegurar que o cumprimento do satisfeito projeto esteja acontecendo de acordo com os prazos e custos MPESP Difícil de se trabalhar Manter Assegurar que o cumprimento do satisfeito projeto esteja acontecendo de acordo com os prazos e custos MPERJ Difícil de se trabalhar Manter Assegurar que o cumprimento do satisfeito projeto esteja acontecendo de acordo com os prazos e custos
  • 30. IDENTIFICAÇÃO DE STAKHOLDERS CLASSIFICAÇÃO DOS STAKEHOLDERS IDENTIFICAÇÃO CARACTERISTICAS AÇÃO ESTRATÉGIA TCU Difícil de se trabalhar Manter Assegurar que o cumprimento do satisfeito projeto esteja acontecendo de acordo com os prazos e custos Associação de Influenciador Manter Convidar para reuniões específicas Moradores informado Regionais Confea/CREA Influenciador Manter Convidar para reuniões específicas informado
  • 32. DECLARAÇÃO DE REQUISITOS DO PRODUTO REQUISITOS DO PRODUTO RASTREABILIDADE DO PRODUTO Stakeholder Requisito Detalhado Prioridade Status Relação Onde se Manifesta COB, Ter trecho expresso e regional de 1 Ativo S, M, A, Fase Entrega Iniciativa acordo com as paradas publicadas R, T Privada, no edital de concessão Legislativo, (Funcionalidade) MT, TCU, ANTT População, Conseguir tempo de viagem 1 Ativo S, M, A, Fase Entrega MT, ANTT competitivo quando comparado ao R do transporte aéreo (Qualidade) Órgãos Ter traçados separados e dedicados, 1 Ativo S, M, A, Fase Reguladores independentes das estruturas T Montagem , População convencionais (Desempenho) Órgãos Atender o conjunto de 1 Ativo S, A, R Pacote de Reguladores características técnicas da via Trabalho União , Judiciário férrea (Segurança) das Peças
  • 33. DECLARAÇÃO DE REQUISITOS DO PRODUTO REQUISITOS DO PRODUTO RASTREABILIDADE DO PRODUTO Stakeholder Requisito Detalhado Prioridade Status Relação Onde se Manifesta Órgãos Atender o conjunto de 1 Ativo S, A, R Pacote de Reguladores características técnicas do trem Trabalho União (Técnica) das Peças MMA, MPU Cumprir as normas de terras que 1 Ativo A Todas as fases devem ser evitadas pelos traçados (Qualidade) MCTI Atender as normas vigentes e 2 Ativo A Todas as fases execução de normas complementares para projetos executivos (Segurança) MT, ANTT Estações com linhas de desvio ou 1 Ativo A Todas as fases passante para manter operação em alta velocidade (Qualidade) MMA, MCTI Adequar a superestrutura da via 1 Ativo S, R Fase de (Técnica) Viabilidade
  • 34. DECLARAÇÃO DE REQUISITOS DO PRODUTO REQUISITOS DO PRODUTO RASTREABILIDADE DO PRODUTO Stakeholder Requisito Detalhado Prioridade Status Relação Onde se Manifesta MCTI, MPU, Compreender a transmissão à 3 Ativo S, M, A Fases de MPESP, Empresa Estatal Federal e a Construção, MPERJ Agentes Locais do conhecimento e Montagem, das técnicas, bem como programas Validação, de assistência técnica e treinamento Produção e necessários à construção, operação Entrega e manutenção de sistemas do trem (Segurança) MMA, Compreender as interferências 2 Ativo M, A Fase de Confea/CRE ambientais dos traçados e os Viabilidade, A, controles dos custos Construção e MPU, socioambientais associados aos Montagem MPESP, traçados (Qualidade) MPERJ, TCU MT, MMA, Otimizar o traçado na ligação de 3 Ativo S, R Fase de ANTT São Paulo e Campinas (Técnica) Construção
  • 35. DECLARAÇÃO DE REQUISITOS DO PRODUTO REQUISITOS DO PRODUTO RASTREABILIDADE DO PRODUTO Stakeholder Requisito Detalhado Prioridade Status Relação Onde se Manifesta MCTI, MT, Compreender um sistema de 1 Ativo A, R Fase de ANTT sinalização capaz de operar com 3 Produção minutos de intervalo entre trens, com sinalização na cabina e rádio seguro de cabina (Segurança) Associação Compreender as tratativas de 3 Ativo M, A, R Fases do dos desapropriações (Funcionalidade) Projeto Básico, Moradores Viabilidade, Regionais, Suprimentos e TCU Logística MT, Órgãos Construção de Túneis de acordo 2 Ativo S, M, A, Fase de Reguladores com as especificações técnicas R Construção , ANTT (Qualidade)
  • 37. DECLARAÇÃO DE REQUISITOS DO PROJETO REQUISITOS DO PROJETO RASTREABILIDADE DO PROJETO Stakeholder Requisito Detalhado Prioridade Status Relação Onde se Manifesta MMA, MPU, Reduzir os impactos ambientais 3 Ativo S, A, R Fase de MPESP, e emissão de gases poluentes Viabilidade MPERJ MT, Tempo de viagem competitivo e 1 Ativo S, A, R Fase de População, baixa probabilidade de atrasos Validação e ANTT Entrega MIN, Ampliar o tempo produtivo dos 2 Ativo S, M, A, R Fase de População usuários Entrega MT, MIN, MC, Geração de empregos diretos e 1 Ativo S, M, A, R, T Todas as ANTT indiretos fases MT, ANTT Redução dos níveis de 2 Ativo S, M, A Fase de congestionamento rodoviário, Entrega bem como os índices de acidentes
  • 38. DECLARAÇÃO DE REQUISITOS DO PROJETO REQUISITOS DO PROJETO RASTREABILIDADE DO PROJETO Stakeholder Requisito Detalhado Prioridade Status Relação Onde se Manifesta MT, Integrar como facilitador entre as 1 Ativo A Todas as Confea/CRE partes técnicas fases A, ANTT MCTI Atender as normas vigentes e 2 Ativo A Todas as execução de normas fases complementares para projetos executivos COB Integrar como mobilidades 4 Ativo A Fase de urbanas prevista pelo Comitê Entrega Olímpico Internacional (COI) para as Olimpíadas de 2016 MT, Utilizar as normas de 2 Ativo A Todas as Confea/CRE infraestrutura Europeias TSI, fases A, ANTT CEN, CENELEC e ETSI
  • 39. DECLARAÇÃO DE REQUISITOS DO PROJETO REQUISITOS DO PROJETO RASTREABILIDADE DO PROJETO Stakeholder Requisito Detalhado Prioridade Status Relação Onde se Manifesta Associação Atender as expectativas dos 3 Ativo M, A Fase de dos impactos causados pela Viabilidade Moradores implantação Regionais MPU, TCU, Atender as expectativas de 2 Ativo M, A Fase de MIN, MC impacto urbano deslocamento de Viabilidade população MMA Atender as legislações 2 Ativo A Fase de ambientais vigentes Viabilidade MT, Órgãos Atender todas as viabilidades 1 Ativo A Fase de Regularores técnicas-econômicas Viabilidade TCU, MPU Atender a transparência das 4 Ativo A Todas as contas financeiras de fases desembolsos MC, MIN Atender os interesses de 3 Ativo A Todas as integração dos municípios fases
  • 40. WBS, LVQ E ESCOPO
  • 41. CICLO DE VIDA DO PROJETO Todo o projeto está subdividido em fases de desenvolvimento. Esta subdivisão permite um melhor controle total de recursos gastos, conforme abaixo especificado: • Projeto Básico – Documentos • Viabilidade – Relatórios • Suprimentos e Logística – Contrato com os Fornecedores • Construção – Ferramentas • Montagem – Conjuntos • Validação – Laudos • Produção – Produto • Entrega – Receita
  • 42. ESTRUTURA ANALITICA DE PROJETO - WBS
  • 43. DICIONÁRIO WBS Fase: Projeto Básico Entrega: Documentos Iniciais Pacote de Descrição Entrega do Pacote Critério de Aceitação Trabalho Descritivo Memorial descritivo de todos os Documentos Estar de acordo com equipamentos Básicos Plano de Gerenciamento de Projeto Desenho Formatos do trem, estações e vias Desenhos e Estar de acordo com a disposições Declaração de Requisitos do Produto Premissas Lista de premissas do Projeto Planilha com Estar de acordo com a premissas Declaração de Escopo
  • 44. DICIONÁRIO WBS Fase: Viabilidade Entrega: Relatórios de Viabilidades Pacote de Descrição Entrega do Pacote Critério de Aceitação Trabalho Custos Determinação dos valores envolvidos Orçamento de Estar de acordo com os nas partes operacional, implantação, custos técnico- estudos iniciais desapropriações, etc. operacionais Técnica/Econô - Previsão de receitas futuras - Relatórios Estar de acordo com os mica - Análise econômico-financeira contábeis estudos iniciais - VPL do projeto - Relatório de - Geração de cenários econômicos análise econômico- financeira Ambiental - Elaboração de estudos de impacto - Documentação Estar de acordo com a ambiental - Relatórios legislação ambiental - Elaboração de projetos de ambientais federal recuperação ambiental
  • 45. DICIONÁRIO WBS Fase: Suprimentos e Logística Entrega: Contratos com Fornecedores Pacote de Descrição Entrega do Pacote Critério de Aceitação Trabalho Definição de Elaborar fornecedores necessários Lista de Ser aprovado pelo Plano Fornecedores para o Projeto Fornecedores de Gerenciamento de Projeto Pré-contrato NDA com fornecedores Conjunto de pré- Ser aprovado pelo Plano contratos de Gerenciamento de Projeto Material Elaboração de materiais para Lista de Ser aprovado pelo Plano aquisição Materiais/Supriment de Gerenciamento de os Projeto Locação Locações necessárias para produção Contratos de Ser aprovado pelo Plano Locação de Gerenciamento de Projeto Infraestrutura Elaboração das necessidades de Lista de artefatos de Ser aprovado pelo Plano infraestrutura infraestrutura de Gerenciamento de Projeto
  • 46. DICIONÁRIO WBS Fase: Construção Entrega: Ferramental Pacote de Descrição Entrega do Pacote Critério de Aceitação Trabalho Ferramental Elaboração dos pré-projetos, Meios de construção e Ser aprovado pelo Plano projetos e construções dos meios fabricação de de Gerenciamento de de fabricação componentes/subsiste Projeto mas Entrega de Fabricação de peças e subsistemas Peças e subsistemas Ser aprovado pelo Plano Peças construídos/fabricados de Gerenciamento de Projeto
  • 47. DICIONÁRIO WBS Fase: Montagem Entrega: Conjuntos Montados Pacote de Descrição Entrega do Pacote Critério de Aceitação Trabalho União das Montagem das peças, equipamentos - Peças, Estar de acordo com os Peças e módulos para a construção do trem, equipamentos e Manuais Técnicos plataformas e via módulos montados - Termo de Aceite - Manual de operação dos equipamentos - Garantia dos equipamentos montados
  • 48. DICIONÁRIO WBS Fase: Validação Entrega: Laudos Pacote de Descrição Entrega do Pacote Critério de Aceitação Trabalho Piloto de - Projeto dos meios de validação Meios de Validação Estar de acordo com o Testes - Confecção dos meios de medição projeto de validação dos meios de validação - Aprovação dos meios de validação Testes - Rodagem - Validação do Casos de teste - Desempenho protótipo efetuados com sucesso Protótipos Escolha de FNR’s para construção de - Construção do Protótipo testado com meios não definitivos protótipo sucesso
  • 49. DICIONÁRIO WBS Fase: Produção Entrega: Produto Pacote de Descrição Entrega do Pacote Critério de Aceitação Trabalho Qualidade - Elaboração dos critérios de Certificado de Estar de acordo com as qualidade e documentos/relatórios Qualidade normas internacionais que permitam a rastreabilidade dos de qualidade processos e do produto Corrida Piloto - Elaboração do critérios de aceitação Relatórios/Documen Estar de acordo com as e validação da linha de montagem e tos de Aceitação normas nacionais e a própria montagem do produto internacionais de padronização
  • 50. DICIONÁRIO WBS Fase: Entrega Entrega: Receita Pacote de Descrição Entrega do Pacote Critério de Aceitação Trabalho Resultado Todos os produtos Trens, plataformas, Atender os critérios construídos/fabricados e entregues vias entregues e mínimos de operando operacionalização.
  • 51. LISTA DE VERIFICAÇÃO DE QUALIDADE Fase: Projeto Básico Entrega: Documentos Iniciais Pacote de Descrição Entrega do Pacote Critério de Validação Trabalho Descritivo Memorial descritivo de todos os Documentos Declaração de equipamentos Básicos Requisitos Desenho Formatos do trem, estações e vias Desenhos e Normas nacionais disposições aplicadas a desenhos técnicos Premissas Lista de premissas do Projeto Planilha com Declaração de Escopo premissas do Projeto
  • 52. LISTA DE VERIFICAÇÃO DE QUALIDADE Fase: Viabilidade Entrega: Relatórios de Viabilidades Pacote de Descrição Entrega do Pacote Critério de Validação Trabalho Custos Determinação dos valores envolvidos Orçamento de Padrões de nas partes operacional, implantação, custos técnico- Contabilidade aplicáveis desapropriações, etc. operacionais Técnica/Econô - Previsão de receitas futuras - Relatórios Normas técnicas mica - Análise econômico-financeira contábeis aplicáveis - VPL do projeto - Relatório de - Geração de cenários econômicos análise econômico- financeira Ambiental - Elaboração de estudos de impacto - Documentação Normas ambientais ambiental - Relatórios aplicáveis - Elaboração de projetos de ambientais Recuperação ambiental
  • 53. LISTA DE VERIFICAÇÃO DE QUALIDADE Fase: Suprimentos e Logística Entrega: Contratos com Fornecedores Pacote de Descrição Entrega do Pacote Critério de Validação Trabalho Definição de Elaborar fornecedores necessários Lista de Plano de Gerenciamento Fornecedores para o Projeto Fornecedores do Projeto Pré-contrato NDA com fornecedores Conjunto de pré- Normas jurídicas contratos aplicáveis Material Elaboração de materiais para Lista de Plano de Gerenciamento aquisição Materiais/Supriment do Projeto os Locação Locações necessárias para Contratos de Normas jurídicas produção Locação aplicáveis Infraestrutura Elaboração das necessidades de Lista de artefatos de Plano de Gerenciamento infraestrutura infraestrutura do Projeto
  • 54. LISTA DE VERIFICAÇÃO DE QUALIDADE Fase: Construção Entrega: Ferramental Pacote de Descrição Entrega do Pacote Critério de Validação Trabalho Ferramental Elaboração dos pré-projetos , Meios de construção e Normas técnicas projetos e construções dos meios fabricação de aplicáveis de fabricação componentes/subsiste mas Entrega de Fabricação de peças e subsistemas Peças e subsistemas Normas técnicas Peças construídos/fabricados aplicáveis
  • 55. LISTA DE VERIFICAÇÃO DE QUALIDADE Fase: Montagem Entrega: Conjuntos Montados Pacote de Descrição Entrega do Pacote Critério de Validação Trabalho União das Montagem das peças, equipamentos - Peças, - Normas ISO e AWS Peças e módulos para a construção do trem, equipamentos e plataformas e via módulos montados - Termo de Aceite - Manual de operação dos equipamentos - Garantia dos equipamentos montados
  • 56. LISTA DE VERIFICAÇÃO DE QUALIDADE Fase: Validação Entrega: Laudos Pacote de Descrição Entrega do Pacote Critério de Validação Trabalho Piloto de - Projeto dos meios de validação Meios de Validação Plano de validação Testes - Confecção dos meios de medição dos meios de validação - Aprovação dos meios de validação Testes - Rodagem Validação do Plano de operação - Desempenho protótipo Protótipos Escolha de fornecedores para Construção do Plano de operação construção de meios não definitivos protótipo
  • 57. LISTA DE VERIFICAÇÃO DE QUALIDADE Fase: Produção Entrega: Produto Pacote de Descrição Entrega do Pacote Critério de Validação Trabalho Qualidade - Elaboração dos critérios de Certificado de Normas técnicas qualidade e documentos/relatórios Qualidade aplicáveis que permitam a rastreabilidade dos processos e do produto Corrida Piloto - Elaboração do critérios de Relatórios/Documentos Normas técnicas aceitação e validação da linha de de Aceitação aplicáveis montagem e a própria montagem do produto
  • 58. LISTA DE VERIFICAÇÃO DE QUALIDADE Fase: Entrega Entrega: Receita Pacote de Descrição Entrega do Pacote Critério de Validação Trabalho Resultado Todos os produtos Trens, plataformas, Determinações da ANTT construídos/fabricados e entregues vias entregues e e do MT operando
  • 59. ESCOPO DO PRODUTO Compõem este escopo a fabricação de um sistema de trem de alta velocidade, plataformas e traçados observando as características superficiais abaixo listadas: • Extensão: 518km • Investimento: R$ 50 bilhões • Velocidade do trem: 300km/h • Tempo de percurso Rio -São Paulo: 80 minutos (expresso) e 101 minutos (com paradas São José dos Campos, Resende e Galeão) • Tempo de percurso: São Paulo-Campinas: 24 minutos (expresso) e 28 minutos (com parada em Viracopos) • Estimativa antiga de passageiros: 32 milhões/ano • Tarifa estava estimada a R$ 140,00
  • 60. ESCOPO DO PROJETO • Acompanhamento dos Estudos de Viabilidade de Implantação do TAV • Divulgação e Apreciação Pública dos Estudos • Realização de Processo Licitatório • Envio de documentos para apreciação pelo CND e TCU • Estruturação da Cooperação Técnica e Financeira para a capacitação da ANTT na realização da fase de avaliação de propostas, para a realização dos estudos ambientais e para fortalecimento institucional e pessoal • Reestruturação Organizacional • Capacitação e Treinamento do Pessoal
  • 61. ESCOPO DO PROJETO • Acompanhamento da Elaboração do Projeto e Implantação do TAV • Desenvolvimento do Quadro Normativo da Conformidade dos Serviços Concedidos • Estruturação da ANTT para Gestão e Fiscalização do Contrato de Concessão
  • 62. PREMISSAS DO PROJETO • Influência irrelevante de atividade sísmica na região • Ter todas as aprovações dos órgão ambientais • Reduzir a pressão sobre a infraestrutura rodoviária e aeroportuária • Reduzir a emissão de poluentes • Interligação das cidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Campinas • Conectar os aeroportos do Galeão, Guarulhos e Viracopos; e • Estações intermediárias no trecho do Vale do Paraíba Fluminense e Paulista
  • 63. RESTRIÇÕES DO PROJETO • O trem deve percorrer o tempo mínimo entre estações • Ruído interno máximo deve ser de 15 db • Todos os carros devem ser equipados com ar condicionado • Resistência à corrosão de 30 anos • Lotação máxima de pessoas por vagão deve ser 48 pessoas • Campo de variação climática entre -40 C a 50 C • Obtenção das licenças ambientais para implantação do projeto
  • 64. SOLICITAÇÕES DE MUDANÇA
  • 65. SOLICITAÇÕES DE MUDANÇA Nº da SM: 001/2012 Data da Abertura: 17/02/2012 Solicitante: Sponsor do Projeto Descrição da Redução imediata de 30% do orçamento total do Projeto. Mudança Solicitada: Justificativa da O Sponsor investiu parte do orçamento que não seria utilizado agora Solicitação: em ações na Bolsa de Valores e sofreu uma perda de exatos 30 %
  • 66. SOLICITAÇÕES DE MUDANÇA Parecer do Gerente de Projetos Áreas de Impactos Identificados Conhecimento Escopo do Possibilidade real de não ser cumprido na sua totalidade Projeto Tempo do Projeto Atraso em algumas entregas do Projeto Custo do Projeto Sofrerá reduções e racionamentos necessários para cumprimento das atividades Qualidade do Não deve sofrer impactos diretos Projeto Recursos Reduções obrigatórias do quadro funcional Humanos do Projeto
  • 67. SOLICITAÇÕES DE MUDANÇA Parecer do Gerente de Projetos Áreas de Impactos Identificados Conhecimento Comunicações Precisa ser o mais assertiva possível para evitar mais do Projeto solicitações de mudança e e/ou retrabalhos Riscos do Projeto Aumento potencial dos riscos e esforços para suas mitigações Aquisições do Redução da qualidade das aquisições a serem realizadas para Projeto critérios mínimos dos seus respectivos quesitos
  • 68. MBA em Gestão Estratégica e Econômica de Projetos T9 – Berrini Gerenciamento de Escopo de Projetos – Fevereiro/2012 Professor Marco Coghi João Carlos Souza | Haroldo Kavamura | Marco Biancardi Douglas Reis | Luiz Mendonça | Jefferson Otovicz