ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR JOÃO CRUZ
Assunto: ROSA DOS VENTOS
Tema: O significado e a importância da rosa dos ventos
Aluno:...
I. INTRODUÇÃO
A rosa-dos-ventos, que corresponde à volta completa do horizonte, nos
auxilia na localização. Ela se divide ...
II. ORIGEM
Sua origem é atribuída ao grego Aristóteles Timóstenes, um estudioso da
navegação que viveu por volta de 250 a....
A rosa dos ventos e as suas direções
A Rosa dos Ventos é composta pelos pontos cardeais, colaterais e
subcolaterais.
Ponto...
III. REFERENCIAS
http://escolakids.uol.com.br/rosa-dos-ventos.htm
http://www.sogeografia.com.br/Jogos/rosaventos.html
http...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Artigo de divulgação científica: Rosa dos Ventos

544 visualizações

Publicada em

Artigo de divulgação científica: Rosa dos Ventos

3º Ensino Médio A
Luiz Fernando Bucholz de Amorim - nº 27

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
544
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Artigo de divulgação científica: Rosa dos Ventos

  1. 1. ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR JOÃO CRUZ Assunto: ROSA DOS VENTOS Tema: O significado e a importância da rosa dos ventos Aluno: Luiz Fernando Bucholz de Amorim n°27 Série: 3° ano A – Ensino Médio Professores:Carlos Ossamu Cardoso Narita Maria Piedade Teodoro da Silva Disciplinas: Língua Portuguesa Matemática Novembro/2015
  2. 2. I. INTRODUÇÃO A rosa-dos-ventos, que corresponde à volta completa do horizonte, nos auxilia na localização. Ela se divide em 360 partes iguais, denominadas graus. Cada grau, tem 60 minutos, e cada minuto, 60 segundos. Assim, praticamente todos os pontos na linha do horizonte podem ser localizados com máxima exatidão a partir dela. Os pontos cardeais e colaterais servem como orientação, ou seja, pra saber em que direção está determinado lugar. O diagrama com coordenadas polares representa a frequência com que sopram os ventos de cada direção. Normalmente são consideradas oito direções cardinais (que correspondem a pontos na bússola). Por sua vez, os raios podem ser subdivididos para mostrar a frequência de diferentes intensidades de vento associadas a cada direção. O número de dias de calmaria costuma ser representado com um círculo traçado a partir do centro do diagrama. Também conhecida como rosa-dos-rumos ou rosa náutica, a rosa-dos-ventos foi, antes da popularização das bússolas magnéticas, a principal referência nas cartas marinhas. As mais antigas rosas-dos-ventos registradas aparecem nas cartas de navegação do século XIII, manejadas pelos navegantes italianos. A partir da expansão do uso da bússola, a rosa-dos-ventos tornou-se uma ferramenta auxiliar dessa última.
  3. 3. II. ORIGEM Sua origem é atribuída ao grego Aristóteles Timóstenes, um estudioso da navegação que viveu por volta de 250 a.C, e foi escolhido por Ptolomeu II, rei do Egito, para o piloto-mor de sua marinha. Os 12 ventos de Timóstenes incluíam Bóreas e Notus, Zéfiro e Apeliotes, e 2 ventos entre cada par adjacente. Essas 12 direções foram dispostas numa rosa-dos-ventos. A Rosa dos Ventos é um instrumento de localização antigo utilizado para auxiliar na descoberta do local onde se está, ou em qual direção se está seguindo, como um ponto posiciona-se em relação a outro. Também serve de referência para localização absoluta em mapas e cartas. O modo como isto é feito é através dos pontos cardeais, que são as diferentes orientações, apontam as diferentes direções. Os rumos dos ventos, termo que originou a rosa dos ventos, tinham dois rumos, que aumentaram para oito tempos depois. Durante a Idade Média, esses rumos ganharam nomes relacionados com as localidades próximas ao Mediterrâneo: Tramontana (norte), Greco (nordeste), Levante (leste), Siroco (sudeste), Ostro (sul), Libeccio (sudoeste), Ponente (oeste) e Maestro (nordeste). As rosas dos ventos mais completas, com 32 pontos, já se faziam presentes em mapas portulanos no século XIV, que eram mapas utilizados pelos grandes navegadores europeus. Inicialmente, ela tinha outros formatos, sendo que a sua composição atual em forma de rosa é creditada aos portugueses colonizadores.
  4. 4. A rosa dos ventos e as suas direções A Rosa dos Ventos é composta pelos pontos cardeais, colaterais e subcolaterais. Pontos cardeais: Norte (N), Sul (S), Leste (E) e Oeste (W) Pontos Colaterais: Nordeste (NE), Sudeste (SE), Noroeste (NW) e Sudoeste (SW). Pontos Subcolaterais: nor-nordeste (NNE), nor-noroeste (NNW), sul- sudeste (SSE), sul-sudoeste (SSW), lés-nordeste (ENE), lés-sudeste (ESE), oés- sudeste (WSE) e oés-sudoeste (WSW).
  5. 5. III. REFERENCIAS http://escolakids.uol.com.br/rosa-dos-ventos.htm http://www.sogeografia.com.br/Jogos/rosaventos.html https://books.google.com.br/books?hl=pt- BR&lr=lang_pt&id=4uHL1N2N8dEC&oi=fnd&pg=PA13&dq=qual+a+importancia+ da+rosa+dos+ventos+atualmente&ots=5kMiMNDNGj&sig=l5lK8vGx31ECMkYMz ng4F2p1qjw#v=onepage&q=qual%20a%20importancia%20da%20rosa%20dos% 20ventos%20atualmente&f=false

×