CAMILA BUSARELO
DAVYD LIEBL
FELIPE SCHREINER
GUILLAIN VARELA
JOYCE NASCIMENTO LEITE
ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA
SEMCO S/A
...
CAMILA BUSARELO
DAVYD LIEBL
FELIPE SCHREINER
GUILLAIN VARELA
JOYCE NASCIMENTO LEITE
ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA
SEMCO S/A
...
RESUMO
BUSARELO, Camila; LIEBL, Ramos; SCHREINER, Felipe; VARELA, Guillain; LEITE,
Joyce. 10 p. Administração Participativ...
SUMÁRIO
1 INTRODUÇÃO ...................................................................................4
2 COMO É A HIERA...
4
1 INTRODUÇÃO
Desde que iniciou seu trabalho na empresa de seu pai, Ricardo Semler
já tinha uma maneira diferente de se p...
5
modo geral. Com um local de trabalho diferente e flexível, a Semco cresce com
ideias de todos as pessoas que a integram....
6
6 SALÁRIOS E PLR
As decisões salariais da Semco S/A começaram a surgir juntamente
com o processo de decisão participativ...
7
autoridade e nesse contexto todos são avaliados por todos, ou seja, o líder
avalia o colaborador e vice-versa.
8 ROTAÇÃO...
8
10 CLIENTES
Após a morte de seu pai, Ricardo Semler assumiu o comando da
Semco, na época, com números muito restritos de...
9
12 REFERÊNCIAS
JONES, Gareth; GEORGE, Jeniffer. Administração Contemporânea. Porto
Alegre: AMGH, 2011.
SEMLER, Ricardo. ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Administração Participativa na SEMCO SA

187 visualizações

Publicada em

Breve descrição de como é o ambiente de trabalho na SEMCO S/A.

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
187
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Administração Participativa na SEMCO SA

  1. 1. CAMILA BUSARELO DAVYD LIEBL FELIPE SCHREINER GUILLAIN VARELA JOYCE NASCIMENTO LEITE ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA SEMCO S/A CURITIBA 2016
  2. 2. CAMILA BUSARELO DAVYD LIEBL FELIPE SCHREINER GUILLAIN VARELA JOYCE NASCIMENTO LEITE ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA SEMCO S/A Trabalho acadêmico apresentado como requisito parcial para conclusão da disciplina Administração da Empresa Moderna, do Curso de Administração da FAE Centro universitário. Orientador: Prof. Carlos Bertini CURITIBA MARÇO/ 2016
  3. 3. RESUMO BUSARELO, Camila; LIEBL, Ramos; SCHREINER, Felipe; VARELA, Guillain; LEITE, Joyce. 10 p. Administração Participativa Semco S/A. Relatório de Pesquisa (administração) – FAE Centro Universitário. Curitiba, 2016. O objetivo deste estudo é apontar quais foram os conceitos e métodos aplicados por Ricardo Semler na reestruturação da empresa Semco S/A. Desde que assumiu a empresa, Semler adotou um método mais informal de gestão, caracterizado como administração participativa e que rendeu a empresa resultados excelentes como maior participação por parte das pessoas da empresa e aumento da carteira de clientes e mercados-alvo. Conclui-se que o modelo de administração participativa tem efeitos positivos nas pessoas e sua produtividade por proporcionar autonomia e participação e engajamento de todos os colaboradores, configurando-se como uma excelente forma de se administrar. Palavras-chave: Semco. Administração Participativa. Conceitos. Ferramentas.
  4. 4. SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO ...................................................................................4 2 COMO É A HIERARQUIA ..................................................................4 3 EXISTEM FORMAS DE SE EXPOR OPNIÕES?................................4 4 COMO SÃO OS HORÁRIOS?............................................................5 5 PLANO DE CARREIRA E PROMOÇÕES..........................................5 6 SALÁRIOS E PLR..............................................................................6 7 LIDERANÇA.......................................................................................6 8 ROTAÇÃO DE CARGOS ...................................................................7 9 EMPOWERMENT...............................................................................7 10 CLIENTES..........................................................................................8 11 CONCLUSÃO.....................................................................................8
  5. 5. 4 1 INTRODUÇÃO Desde que iniciou seu trabalho na empresa de seu pai, Ricardo Semler já tinha uma maneira diferente de se pensar, ele dava importância às pessoas e os métodos e processos que a empresa, na época de caráter familiar, não era bem visto por ele. Ricardo assume de maneira compulsória o comando da Semco nos anos 80 e dá início a maior reengenharia de gestão vista no Brasil. Os conceitos e métodos aplicados por ele na empresa servem de exemplo para gestores e acadêmicos de todo o mundo e renderam a ele o status de ser um dos consultores mais requisitados em empresas como GM e NASA. Além disso, seus livros são sucesso de venda em todo o mundo e ele já fora escolhido como o Homem de Negócios do Ano na América Latina. 2 COMO É A HIERARQUIA A Semco possui uma hierarquia descentralizada, com organogramas informais, a relação entre lideranças é igualitária e existe avaliação mútua entre líder e liderado. Na Semco as pessoas tem o poder de escolher a função a ser desempenhada e antes disso passam cerca de 6 meses a um ano conhecendo o negócio e todos os ambientes trabalhando em várias áreas. Além disso as pessoas é que escolhem seus líderes. Na Semco termos como: funcionário, colaborador e outros semelhantes são evitados, lá todos são tratados como pessoas. 3 EXISTEM FORMAS DE SE EXPOR OPNIÕES? Sim. E a participação das pessoas em decisões da empresa é o que faz da Semco uma empresa diferenciada. Em sua gestão Semler faz questão que as pessoas tenham liberdade e autonomia, seu foco é nas pessoas de
  6. 6. 5 modo geral. Com um local de trabalho diferente e flexível, a Semco cresce com ideias de todos as pessoas que a integram. 4 COMO SÃO OS HORÁRIOS? De acordo com Ricardo Semler, quanto maior a liberdade dada as pessoas, melhor elas trabalham pelo seu próprio bem e consequentemente pelo bem da empresa, por isso, ele criou um formato flexível de horários, pois considera que cada pessoa tem uma velocidade diferente e a empresa deve se adaptar a elas. Com a liberdade proposta, elas determinam seus horários e também onde vão trabalhar, não sendo necessário que compareçam na empresa, porém eles possuem metas, tanto pessoais quanto dos seus grupos, com isso a responsabilidade de cada um se torna muito alta e a pressão sobre eles também. Dessa forma, concluiu-se que é necessário focar nos resultados e cumprir objetivos, não horários. 5 PLANO DE CARREIRA E PROMOÇÕES As pessoas na Semco possuem o poder de aceitar ou não um novo colaborador ou um gestor, a cada dois anos eles escolhem um grupo participativo Semco “GPS” e este orienta e representa os gestores responsáveis por definir em conjunto com os colaboradores as metas individuais e por setor. Para que outro colaborador seja aceito, ele passa por uma entrevista na qual seus futuros colegas também estão presentes e precisa do aceite deles para poder fazer parte da organização. A única exceção são os CEOs, pois eles são um grupo de 6 pessoas que ficam trocando de lugar como CEO a cada 6 meses, ela é um dos mais famosos exemplos de Empowerment, pois dá praticamente todo o poder aos seus colaboradores.
  7. 7. 6 6 SALÁRIOS E PLR As decisões salariais da Semco S/A começaram a surgir juntamente com o processo de decisão participativa da empresa. Primeiramente os funcionários puderam opinar e decidir as comidas do refeitório, depois escolheram como seriam os uniformes, as compensações dos feriados e por fim, alguns anos após o início desse processo criavam o plano de carreira e salários da empresa. Os funcionários fizeram comparação salarial com outras empresas, mapearam os cargos e seus atributos, bem como o valor que deveria ser pago para cada cargo. Os resultados foram expostos fazendo com que todos ficassem a par e confortáveis com os salários pagos pela empresa. Em janeiro de 1988, com objetivo de criar interesse por parte dos funcionários para o que se passa à sua volta e dar-lhes uma justa parte do lucro que geram, Semler teve a ideia de criar um programa de participação nos lucros ao qual foi denominado SEMCOPAR. Ele colocou a ideia para ser discutida com os funcionários e então foi desenvolvido o processo. A cada trimestre o lucro de cada uma das divisões é apurado, e uma porcentagem entregue ao Semcopar da divisão e o uso desse dinheiro é de livre escolha dos funcionários daquela divisão e feita da maneira decidida por eles mesmos, seja por cabeça, levando em conta tempo de casa, salário ou qualquer outro critério. O programa é bem flexível e poderá ser rediscutido. 7 LIDERANÇA A empresa Semco não permite que seja liderada por meios formais, e sim informais, pois ela utiliza um sistema diferente das outras organizações, tornando líder aquele que detém o respeito de seus companheiros (o líder é escolhido através e votação). Para ter autoridade, é necessário saber usá-la com bom senso, pois pressões, medo, grito ou qualquer tipo de desrespeito é considerado como incapacidade de liderança, insegurança ou mau uso da
  8. 8. 7 autoridade e nesse contexto todos são avaliados por todos, ou seja, o líder avalia o colaborador e vice-versa. 8 ROTAÇÃO DE CARGOS Já com relação a rotação de cargos da empresa, os colaboradores mudam de cargos após permanecerem algum tempo em cada local para que possam aprender sobre as diferentes áreas da empresa, assim acabam inovando e adquirindo experiências. 9 EMPOWERMENT O termo Empowerment é visto na Semco da seguinte forma: Ricardo Semler possui uma equipe de executivos que possuem autonomia para tomada de decisões, e para facilitar a liberdade de sua equipe, Semler possui seu escritório em casa. As pessoas de modo geral na Semco podem decidir entre os ambientes disponibilizados no prédio sede, e mais recentemente, Semler inovou com escritórios não territoriais onde ele agrupa em um mesmo local pessoas de diferentes áreas de trabalho, um ao lado do outro. A descentralização começou a ser usada na Semco após o Plano Collor, pois, com as dificuldades enfrentadas pela empresa na época pela recessão, as pessoas da Semco concordaram com a redução em 40% de seus salários, em contrapartida, receberam o direito de aprovar cada despesa da empresa antes de executada. O poder dado às pessoas fez com que as coisas sejam feitas, pois, são elas que têm os conhecimentos específicos e especiais de suas tarefas de trabalho. Outro benefício foi que as pessoas se mantêm motivadas e trabalham para os objetivos específicos da organização, e dá aos “gerentes” mais tempo para suas preocupações urgentes.
  9. 9. 8 10 CLIENTES Após a morte de seu pai, Ricardo Semler assumiu o comando da Semco, na época, com números muito restritos de clientes (estaleiros), a organização caminhava para a falência. Como uma das primeiras iniciativas, Semler passou a diversificar seus produtos, adquiriu licenças, empresas que estavam indo embora do Brasil e ampliou seu mercado. Entre um dos princípios atuais da empresa em relação aos clientes pode-se destacar que ela oferece serviços e produtos a preços justos e reconhecidos pelos clientes como os melhores do mercado e proporciona atendimento diferenciado a cada cliente, com responsabilidade própria antes do lucro. 11 CONCLUSÃO Ricardo Semler prova que o foco nas pessoas traz maior produtividade e resultados, pois isso faz com que elas trabalhem felizes e motivadas, e motivação é um dos combustíveis naturais do ser humano. A reestruturação da empresa feita por ele tornou a Semco uma das maiores do mundo em seu mercado e com um crescimento sustentável ano a ano; é vista como uma das melhores empresas brasileiras para se trabalhar. Semler conseguiu mudar uma empresa que estava indo à falência, com métodos ultrapassados de gestão descentralizando o poder e inovando de forma participativa e com isso obteve resultados surpreendentes, servindo de exemplo para muitas empresas de âmbito familiar no Brasil, seja pelo ambiente, quadro de pessoal, tratamento ao ciente, qualidade e gestão.
  10. 10. 9 12 REFERÊNCIAS JONES, Gareth; GEORGE, Jeniffer. Administração Contemporânea. Porto Alegre: AMGH, 2011. SEMLER, Ricardo. Virando a própria mesa. Brasil: Rocco, 2002. JUNIOR, José. Ricardo Semler: O maior reengenheiro do Brasil. 2004. Disponível em: <http://www.administradores.com.br/artigos/economia-e- financas/ricardo-semler-o-maior-reengenheiro-do-brasil/10262>. Acesso em: 02 mar. 2016. ANTUNES, Marisa. Semco: O mais peculiar local de trabalho do mundo. 2010. Disponível em: < http://obviousmag.org/archives/2011/05/semco_o_mais_peculiar_local_de_trab alho_do_mundo.html >. Acesso em: 02 mar. 2016. RAVITCH, Diane. Lessons from Semco on Structure, Growth and Change. 2005. Disponível em: < http://www.agreatsupervisor.com/articles/lessons.htm >. Acesso em: 02 mar. 2016. ADMINISTRADORES, Portal. Uma empresa revolucionária, um verdadeiro Case-Study. 2006. Disponível em: < http://www.administradores.com.br/noticias/negocios/uma-empresa- revolucionaria-um-verdadeiro-case-study/6692/>. Acesso em: 02 mar. 2016.

×