2º Aniversário do CNO

5.655 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.655
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
183
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2º Aniversário do CNO

  1. 1. II Aniversário do Centro Novas OportunidadesEscola Secundária Alfredo dos Reis Silveira <br />
  2. 2. Organograma<br />DIRECTORA<br />Mª Fernanda Catalão<br />COORDENADORA<br />Mª Graça Fernandes<br />SERVIÇO ADMINISTRATIVO<br />PROFISSIONAIS DE RVC<br />TÉCNICA DE DIAGNÓSTICO E ENCAMINHAMENTO<br />FORMADORES<br />Sandra Paiva<br />Carina Dias<br />Filomena Santos<br />Vanda Mineiro<br />Carlos Marques<br />Mª Arménia Diniz<br />Mª Assunção Ribeiro<br />Mª do Carmo Lourenço<br />Mª dos Anjos Branco<br />Mª Helena Marcelo<br />Mª José Ferreira<br />Mª Lurdes Silva<br />Nuno Nascimento<br />Paula Catarino<br />Maria Manuela Palma<br />
  3. 3. Centros Novas Oportunidades<br />O que são?<br /> Uma porta aberta para a aprendizagem, qualificação e certificação da população portuguesa através de uma grande diversidade de percursos de educação e de formação e de processos de reconhecimento, validação e certificação de competências.<br />Missão <br /><ul><li>Informar sobre as ofertas de educação e formação existentes
  4. 4. Adequar a educação e formação de adultos às suas características, interesses e motivações;
  5. 5. Aumentar a qualificação dos portugueses, contribuindo assim para o crescimento económico, a Empregabilidade e a coesão social.</li></li></ul><li>Etapas de Intervenção dos Centros Novas Oportunidades<br />
  6. 6. Sessão de Acolhimento<br />
  7. 7. Sessão de Acolhimento<br />
  8. 8. Estrutura de um Processo de Reconhecimento Validação e Certificação de Competências <br />
  9. 9. História de Vida<br />Estrutura do Referencial de Competências-Chave - Nível Básico<br />Cidadania e Empregabilidade<br />Tecnologias de Informação e Comunicação<br />Linguagem e Comunicação<br />(Língua Estrangeira – opcional)<br />Matemática para a Vida<br />
  10. 10. Estrutura do Referencial de Competências-Chave - Nível Secundário<br />História de Vida<br />Cidadania e Profissionalidade<br />Cultura, Língua e Comunicação<br />Sociedade, Tecnologia e Ciência<br />
  11. 11. Estrutura do Referencial de Competências-Chave - Nível Secundário<br />Núcleos Geradores<br />Cidadania e Profissionalidade<br />Sociedade, Tecnologia e Ciência Cultura, Língua e Comunicação<br />
  12. 12. Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  13. 13. “No decurso deste processo de RVCC secundário relembrei conhecimentos adquiridos ao longo da vida, este processo foi decisivo na motivação, sinto um grande enriquecimento e satisfação pessoal. Este processo serviu, não só, para ver reconhecidas as competências adquiridas ao nível do secundário, mas também para reforçar a ideia de que vale a pena absorver ao máximo todos os momentos das nossas vidas. O passado não se pode mudar, o presente é para se viver e sobretudo reflecte o futuro ... A vida é uma constante aprendizagem”<br />Carlos Tibério - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  14. 14.
  15. 15. “O que mais gostei desse processo foi o facto de que temos que regressar ao nosso passado para poder validar todas os núcleos geradores e isso faz-nos muito bem, pois com a rotina do dia-a-dia esquecemo-nos de coisas, pessoas, lugares, situações muito importante que fazem-nos ver que tudo que acontece na nossa vida é fundamental e temos que tirar proveito.”<br />Eliane Lourenço - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  16. 16. “ (…) Ao analisar estes meses de algum trabalho, fui-me apercebendo que não haveria formação alguma para realizar, mas sim uma exploração das competências e experiências adquiridas ao longo da minha vida. Com o passar do tempo, verifiquei que as pequenas coisas da vida, às quais eu não dava grande importância, afinal tinham uma grande importância na formação do ser e da pessoa que eu sou. Com o processo RVCC, ganhei vontade de fazer mais, tornei-me mais viva. (…) Foi um regresso ao passado, perdendo algumas noites a trabalhar, pesquisar matéria sobre os temas a abordar, dando o meu maior empenho, prescindir de alguns momentos com a família para estudar e muito mais. Para mim foi mais do que um regresso à escola, foi o início da minha formação, abriu-me novos horizontes, devolveu-me a confiança e desejo de progredir até onde me for permitido.” <br />Mª Manuela Ferreira – nível de certificação B3 (9º ano)<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  17. 17.
  18. 18. “Este trabalho para mim foi bastante importante, visto nunca ter pensado que ao fim destes anos todos tivesse ganho experiência que pudesse ser traduzida para o papel. (…) Por fim, vejo que todo o meu passado não foi em vão, hoje sei perfeitamente que teria mudado certos episódios na minha vida. (…) serviu para relembrar acontecimentos e aprendizagens, que pensava já as ter esquecido. (…) Ver a forma como as minhas escolhas me condicionaram tanto profissionalmente como pessoalmente.”<br />Hélder Cardoso - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  19. 19. “(…) depois de ter assistido a todas as sessões e feito todos os trabalhos pedidos, sinto-me muito mais realizado porque além de me desenvolver nas áreas de TIC, revi nas outras áreas matérias que já tinha aprendido quando andei na escola, mas gostei essencialmente de me sentir a receber formação. Resumo que foi muito positivo ter recomeçado a estudar, por me fazer sentir realizado, isto porque durante todos estes anos eu pensei sempre que nunca deveria ter parado de estudar e devia recomeçar assim que pudesse.” <br />António Borda D’Água – nível de certificação B3 (9º ano)<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  20. 20.
  21. 21. “ [RVCC] Proporcionou-me a aquisição de mais conhecimentos, aprender TIC e uma maior valorização pessoal que agora me deu o desejo de querer continuar.” <br />Cremilde Nogueira – nível de certificação B3 (9º ano) <br />“Fazendo um balanço final sobre o meu processo RVCC, este foi muito positivo (…) sinto-me mais realizada e feliz comigo mesma.”<br />Ana Veiga - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  22. 22. “Foi um trabalho que me deu muito gosto fazer, rebuscando na minha memória vivências das quais já não me lembrava, e, ao abrir o álbum de fotografias na procura daqueles momentos que considerei importantes na minha vida, revivi momentos muito agradáveis (…). Tomei novamente o gosto pela leitura, pela escrita e por novas aprendizagens. Na azáfama que é a vida, algumas situações passavam-me ao lado, ouvia as notícias mas não ia ao fundo da questão. As pesquisas que tive que fazer nos livros e na Internet para aprofundar diversos temas, também se revelaram muito importantes para o aumento da minha cultura geral. Mas…acima de tudo, consegui surpreender-me no trabalho que desenvolvi e, pela consciência que tomei da mulher que sou e do que ainda poderei vir a ser.”<br />Mª Guilhermina Paris - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  23. 23.
  24. 24. “Gostei de tudo… e este processo só me fez bem, porque cheguei com a auto-estima muito em baixo e agora sinto-me com a auto-estima mais elevada! Quando terminar o 9º ano gostava muito de tirar um curso de informática, para eu poder ir a todos os programas sem pedir ajuda. Para mais tarde fica concluir o 12º ano…”<br />Teresa Magalhães – nível de certificação B3 (9º ano)<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  25. 25.
  26. 26. “Para que tudo fosse possível, foi necessário realizar várias diligências. Inicialmente, quando me propus a este “desafio” não imaginava o quanto a rotina do meu dia-a-dia teria que mudar … Olhando hoje, desde o início desta caminhada, sei que percorri momentos difíceis, com maior ou menor dificuldade, nomeadamente a conciliação da minha vida profissional, familiar e esta fase de desenvolvimento do Portefólio.”<br />José Raimundo - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  27. 27. “Apesar de não me ter evidenciado nas aulas, penso que a experiência obtida nessa grande escola da “vida” me ensinou muitas lições que, hoje partilho com os meus mentores. Seguir a minha consciência, nunca questionando seja qual fosse a direcção que me indicasse em determinadas alturas na procura de soluções, foi a chave para concluir este processo. (…) Pergunto-me: O que poderei alcançar? A nível profissional, nos próximos anos não será a falta de habilitações que me impedirá de concorrer a concursos de valorização profissional.”<br />Domingos Fontes - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  28. 28.
  29. 29. “A nível particular, penso continuar a estudar para adquirir conhecimentos, para num futuro próximo poder concorrer por uma vaga ao Ensino Superior. Sinto-me afortunado por concluir este processo de RVCC, porque para além de toda formação adquirida com as pesquisas efectuadas, troca de saberes entre colegas e amigos e com a colaboração de todos os formadores (…) alteei a minha auto-estima e confiança. Hoje, não duvido que, desde que me empenhe, sou capaz de realizar distintas actividades que ontem pareciam inalcançáveis.”<br />Domingos Fontes - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  30. 30. “Sempre se aprende e além do mais eleva-nos a auto estima por vermos reconhecido o que a vida nos ensinou ao longo dos anos”<br />António Ferreira – nível de certificação B3 (9º ano) <br />“Aprendi outra vez o gosto pela leitura e escrita e pude aprofundar mais os meus conhecimentos de informática”<br />Mara Batista – nível de certificação B3 (9º ano) <br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  31. 31.
  32. 32. “Foi sem dúvida um grande desafio para mim, com muitas dificuldades também, pensando que não iria conseguir devido ao factor tempo, pois o meu emprego exige bastante disponibilidade, mas eu realmente queria concluir este ciclo na minha vida e com atitude, determinação e a ajuda da equipa de RVC consegui ganhar mais do que eu pensava. Fiquei a conhecer-me melhor. Acabei por concluir que a aprendizagem é importante demais, para que a possamos excluir das nossas vidas, pois com um mundo e com sociedades em constante mudança temos o dever de tentar acompanhar o desenvolvimento dos mesmos.”<br />António Lopes - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  33. 33. “As minhas aprendizagens neste processo foram várias, uma vez que aprendi que na nossa vida diária tudo tem uma forma de nos ensinar e relembrar o que há muito tínhamos esquecido. As mais Valias neste processo ficarão para sempre guardadas no meu Portefólio, que nunca pensei conseguir um dia escrever e passar para o papel tudo o que a vida me ensinou.”<br />Gisela Baptista – nível de certificação B3 (9º ano) <br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  34. 34.
  35. 35. “Quanto ao meu percurso no RVCC, estou a gostar muito e veio ajudar a fundamentar um pouco mais o meu projecto de vida. Ajudou-me a estabelecer e a organizar objectivos para o futuro, além de que também estava nos meus projectos a conclusão do 12º ano, que pela falta de disponibilidade de tempo, era sempre um projecto adiado, dado ter que conciliar os estudos, com a família e o trabalho. Está a ser uma experiência muito positiva e enriquecedora para mim. Espero assim contribuir para um Portugal melhor e acima de tudo para um mundo melhor.”<br />Paula Morais - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  36. 36. “A nível profissional tenho a certeza que este processo vai me ajudar muito pois com o 12º ano, sei que tenho mais oportunidades de trabalho e não só, esse processo me incentivou a continuar a estudar quem sabe fazer um curso superior.”<br />Eliane Lourenço - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  37. 37.
  38. 38. “Ao longo do processo RVCC pude relembrar situações da minha vida que me marcaram, tomando consciência de que estas me proporcionaram o desenvolvimento de determinadas competências importantes na construção do plano de vida. (…) Uma das lições que aprendi foi não desistir das nossas ambições e sonhos, tendo ganho consciência de que se aprende ao longo da nossa vida. Essa lição foi-me dada pelos meus filhos e ao ver as pessoas com mais idade que continuam a querer desenvolver a sua formação mesmo que tenham que ultrapassar imensos obstáculos, tais como as novas tecnologias de informação e comunicação, às quais tive de me adaptar. A minha aprendizagem irá continuar profissionalmente e também a nível pessoal.” <br />Cesaltina Mota - nível de certificação B3 (9º ano) <br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  39. 39. “(…) o RVCC deu-me uma nova oportunidade, já depois de adulta, em validar e certificar as minhas competências, que adquiri ao longo da minha vida. Competências pessoais e profissionais que estavam esquecidas e que eu julguei que já não me serviam para nada. Com este sistema pude valorizar-me, a nível pessoal e profissional. Reconheço a grande ajuda das profissionais e formadoras do RVCC (…)”<br />Lucília Serpa - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  40. 40.
  41. 41. “Quando entrei para o processo RVCC foi tudo uma novidade. (…) Ao trabalhar a minha história de vida e ao fazer as actividades das áreas de competências-chave, percebi que sabia mais do que imaginava. No entanto, aprendi muitas coisas novas, principalmente a TIC. Com a Cidadania e Empregabilidade abri os meus horizontes e reflecti sobre assuntos da vida que nunca tinha pensado, pelo menos desta forma. Em Linguagem e Comunicação foi a área que tive mais dificuldade, mas que também evoluí mais. Na Matemática só tive que “limar umas arestas” e foi a área em que tive mais facilidade em demonstrar competências. No final, valeu a pena o esforço e o empenho e estou muito feliz por ter atingido mais este objectivo na minha vida.” <br />Rui Costa – nível de certificação B3 (9º ano) <br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  42. 42. “(…) Foi um projecto em que tive de despender de muitas horas para a conclusão de alguns temas apresentados. Não foi muito fácil conciliar a vida profissional e familiar com o RVCC. Mas, foi muito positivo. Os temas tratados no referencial obrigaram-me a uma reflexão sobre mim própria e sobre toda a minha vida, dando importância a certos pormenores que até aqui quase me passaram despercebidos. Com a necessidade da construção de um portefólio, fui obrigada a ter acesso a outros conhecimentos e para isso dediquei algum tempo à descoberta e pesquisa dos mesmos. Este projecto foi o responsável, pela minha evolução e contribuiu para novas aprendizagens. (…)”<br />Vanda Antunes - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  43. 43.
  44. 44. “(…) Ao pesquisar e ao elaborar alguns temas de certo aprendi algo mais. (…) Gostava de poder continuar a estudar mais, tirar um curso de informática. (…) sinto que este projecto é uma vitória, quer por ter chegado ao fim, como pelo que aprendi de novo e que contribuiu de certa maneira para a minha valorização pessoal. A todos os profissionais que estiveram envolvidos neste projecto, muito obrigada.<br />Vanda Antunes - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  45. 45. “Sinceramente eu pensava que o processo de RVCC fosse bem mais fácil, não que eu ache muito difícil, mas por aquilo que eu ouvi falar não estava à espera das disciplinas, sempre pensei que era só escrever a história de vida, mas não foi bem assim. (…) Com o RVCC aprendi que sou capaz de ir mais além do que aquilo que acho que vou. Aprendi que não há idade para aprender nem hora certa. Aprendi também a dar mais valor aos estudos porque a nossa felicidade passa pelo nosso percurso escolar, porque se não tivermos os estudos que devemos não podemos trabalhar no que mais gostamos e se não trabalharmos no que mais gostamos não somos felizes.” <br />Cláudia Domingos - nível de certificação proposto B2 (6º ano de escolaridade)<br />
  46. 46.
  47. 47. “Honestamente, quando me inscrevi neste programa não fazia qualquer ideia em que consistia, uma vez que estava afastado do ensino há mais de 30 anos. Passado este tempo, considero uma experiência positiva, da qual retiro significativos conhecimentos, tanto na construção de texto, como na elaboração de um trabalho para fins escolares. Uma das dificuldades que senti neste percurso, foi passar para o “papel” as ideias que iam crescendo na minha cabeça, pois para elaboração de um texto argumentativo considero não ter facilidade, mas este obstáculo foi também ultrapassado, com a ajuda tanto dos professores como da minha auto-recreação na pesquisa em documentos que me ajudassem.”<br />José Carvalho – nível de certificação B3 (9º ano)<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  48. 48. “O R.V.C.C é uma experiência muito enriquecedora, tanto a nível pessoal, profissional e formativo. (…) A nível profissional, vem abrir novos horizontes para outra carreira profissional ou progredir na actual. A nível formativo, nunca é tarde para se aprender coisas novas e apostar em nós. O meu muito obrigado a todos os profissionais e formadores do R.V.C.C.”<br />Carla Carvalho - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  49. 49.
  50. 50. “Foi uma experiência muito interessante, cheia de surpresas, aprendendo novamente mais qualquer coisa e ficando mais motivada para a etapa seguinte, que será tirar um curso profissional para equivalência ao 12.º ano. (…) A História de Vida é mais complicada, muita coisa estava “arquivada”, relembrar coisas passadas, boas e más, escrever sobre isso, não foi fácil. Todos, desde a formadora até aos vários professores que me “aturaram”, gostei imenso e admiro também a coragem deles para este trabalho extra. Tendo em conta que estou desempregada há mais de sete anos, penso que o trabalho foi executado com consciência e ponderado, sempre pensando que poderia ser melhor.” <br />Lídia Lucas – nível de certificação B3 (9º ano) <br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  51. 51. “Como tudo na vida, este foi um processo que exigiu muito esforço da minha parte e alguma disponibilidade de tempo, pois os referenciais eram extensos e trabalhosos. (…) Por outro lado foi bom escrever a minha autobiografia e relembrar /reflectir nos tempos de escola e de criança. (…) Dar valor a tudo o que na vida aprendi, é muito gratificante e foi uma experiência enriquecedora.”<br />Ana Flores - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  52. 52.
  53. 53. “Este processo foi uma “mais valia” que contribuiu para um Enriquecimento profissional e intelectual e foi um passo importante na minha formação que, de outro modo, dificilmente obteria.”<br />Maria de Fátima Soares - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  54. 54.
  55. 55. “Quando entrei para o processo RVCC, pensava que ia aprender mais. Depois de saber que o objectivo era demonstrar competências, percebi que tenho muitas competências. Ao contar a minha história de vida e ao fazer as actividades das áreas de competências-chave, percebi que ao longo da minha vida aprendi muito. Aprendi com o trabalho, com os deveres, e ao lidar com as pessoas no dia-a-dia. (…) Agora que cheguei ao fim, estou muito feliz por ter atingido o meu objectivo e espero continuar a estudar para tornar a minha vida melhor.” <br />Deolinda Custódia – nível de certificação B3 (9º ano) <br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  56. 56.
  57. 57. “Este processo foi muito positivo, pois permitiu-me recordar e reflectir em situações passadas da minha vida e constatar o tanto que já fiz e aprendi. (…) A avaliação que faço é a mais positiva possível e para mim foi muito bom frequentar o Processo de RVCC e assim concluir o meu ensino secundário. Fiquei com vontade de continuar a apostar na minha formação e assim pretendo fazer.”<br />Paula Sado - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  58. 58.
  59. 59. “Considero que todo o mecanismo em que consiste o processo R.V.C.C, assim como o pessoal técnico e professores o envolve, nos dá todos os condimentos necessários para, tal como na confecção de um bolo, podermos criar as nossas receitas, o mesmo que dizer, traçarmos os nossos percursos de aprendizagem para que estes nos levem ao encontro de uma realização pessoal contínua e permanente.”<br />Octávio Vieira - nível de certificação B3 (9º ano) <br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  60. 60.
  61. 61. “Com o processo de RVCC, aprendi que: Não é em vão o percurso que percorremos ao longo das nossas vidas, e que vale a pena absorver ao máximo todos os momentos que ela nos proporciona. Ao início foi um pouco complicado, por vezes com vontade de desistir, mas, com a ajuda da Profissional de RVC, das três Formadoras, consegui ultrapassar os momentos menos bons. Com este processo consegui validar e certificar competências ao nível do ensino secundário, nas áreas de: CP, STC e CLC. A vida foi, é, e será uma constante aprendizagem…”<br />Mª Manuela Palma - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  62. 62.
  63. 63. “Sempre pensei em tirar o 9º ano, era um dos meus objectivos e como surgiu esta oportunidade aproveitei-a. Também serviu para aumentar a minha auto-estima, conhecer gente nova e aprender também coisas novas.”<br />Mónica Dionísio - nível de certificação B3 (9º ano)<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  64. 64.
  65. 65. “Chegado agora ao fim do processo de valorização das minhas competências, confesso que me sinto bastante empolgado por ter conseguido atingir mais um objectivo da minha vida. Em jeito de autoavaliação, considero que de facto valeu bem a pena e que o esforço dispendido foi amplamente recompensado.. É fantástico perceber agora que a minha vida passada, quer em termos pessoais como profissionais, contribuíram para uma validação de competências, que me permitiu alcançar este meu objectivo, algo que nunca me passaria pela cabeça.”<br />Edgar Alexandre - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  66. 66. “O RVCC significa o despertar do sonho antigo: o de poder dar seguimento aos meus estudos e FORMAR-ME. <br />Significa a possibilidade de poder melhorar profissionalmente fazendo algo que goste.<br />Provar a mim mesmo que apesar dos contratempos que tive, ainda é possível realizar-me profissionalmente.”<br />José Ferreira - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  67. 67.
  68. 68. “(…) Todo este processo despertou em mim o interesse em aprender, em ir mais além e, neste momento, faz parte dos meus planos continuar a estudar e tentar obter o nível secundário de ensino. Esta minha passagem pelo processo RVCC será o começo de um princípio sem fim.”<br />Delfim Ambrósio – nível de certificação B3 (9º ano)<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  69. 69.
  70. 70. “A minha participação foi feita com entusiasmo, tentando cumprir tudo o que me foi proposto. No final consegui perceber que me aconteceram muitas coisas que marcaram a minha vida e que estamos sempre a tempo de fazer coisas novas importantes para nós. Saliento a equipa pedagógica, que sempre se mostrou pronta a colaborar connosco.”<br />Leonor Abrunhosa - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  71. 71.
  72. 72. “Com a experiência do RVCC fui relembrando muitas coisas que se passaram na minha vida e reflectir sobre elas ajudou-me a conhecer-me um pouco mais. Nem sempre foi fácil, o factor tempo por vezes tornava difícil a concretização dos trabalhos, mas no final de cada etapa, há sempre a satisfação de saber que valeu a pena. O RVCC deu-me a oportunidade de concretizar um sonho completar o secundário.”<br />Mª Alice Ferreira - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  73. 73.
  74. 74. “Em primeiro lugar foi muito benéfico para mim, em termos gerais, não só para a minha carreira profissional, mas também o facto de como é bom termo-nos esforçado por aprender e sermos reconhecidos, sendo uma grande valorização pessoal. <br />Quero agradecer à Profissional de RVC Vanda Mineiro, à Formadora de STC, Isabel Laranjeira, à Formadora de CLC, Maria Helena Marcelo e à Formadora CP, Maria do Carmo Lourenço, pela ajuda, força, conhecimentos e apoio que me deram, mas principalmente pela simpatia e simplicidade. (…) Obrigada a tudo e a todos por esta Oportunidade!”<br />Helena Costa - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  75. 75. “(…) Ao longo do processo de RVCC aprendi a construir um Portefólio, relembrei algumas partes da Matemática que já tinham ficado para trás. Em termos de Linguagem e Comunicação e de Cidadania e Empregabilidade, aprendi a trabalhar em grupo, a ser uma pessoa mais calma e a ficar mais sensibilizado para o exercício do voto. Em termos de TIC aprendi sobretudo a trabalhar com o PowerPoint e com o Excel, que eram áreas que eu não dominava nada.”<br />Nelson Teixeira - nível de certificação B3 (9º ano)<br />
  76. 76.
  77. 77. “Os temas tratados no referencial obrigaram-me a reflectir sobre toda a minha vida passada e actual.<br />Este projecto foi uma mais valia, quer em termos de valorização pessoal, quer pelo convívio entre alunos e equipa de profissionais que nos aturaram durante estes meses.”<br />Pedro Machado - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  78. 78. “Quando surgiu a oportunidade de integrar no processo RVCC não tive dúvidas que queria mas, no início tive algumas dificuldades em perceber como é que a minha história de vida iria mostrar as minhas competências nas diversas áreas, mas com a ajuda dos professores tudo se tornou mais fácil e motivante. (…) Todo este processo fez acordar um bichinho dentro de mim a que eu chamo “vício do conhecimento” e isso faz com que eu queira ir mais longe, seja a nível pessoal ou profissional. (…) <br />Obrigado a todos os professores que me ajudaram a finalizar este projecto e que durante todo este processo se disponibilizaram e fizeram com que este vício do conhecimento nascesse em mim.”<br />Filomena Carmo – Nível de certificação B3 (9º ano)<br />
  79. 79.
  80. 80. “O RVCC é uma oportunidade única para quem deixou de estudar há vários anos e por razões profissionais tem de ter habilitações acima das que possui. O confronto com temas actuais, sérios e importantes dos quais eu pouco ou nada sabia tendo por isso de me informar não só com as formadoras como também através da internet. A equivalência adquirida através do RVCC faz-me sentir no mercado de trabalho, que sou igual a todos os candidatos a um emprego cujas habilitações solicitadas é o 12º ano.”<br />Isabel Conceição - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  81. 81. “Na primeira formação que tive com a Carina e depois de me explicar no que consistia o processo, o que se pretendia, o que devíamos e como devíamos fazer, vim bastante satisfeita. Fiquei com a perfeita noção de que não era tão fácil como eu pensava e que era um processo muito trabalhoso, por vezes tive medo de não conseguir corresponder e concluir do modo pretendido. O mais difícil ainda era ter de demonstrar competências com exemplos da minha vida pessoal, aliado também à grande falta de tempo, mas com a ajuda de todos os formadores, uma grande força de vontade e determinação tenho conseguido ultrapassar todos os objectivos. Gostei bastante de frequentar todas as sessões de formação, aprendi com todas elas.”<br />Ana Paula Quaresma – nível de certificação B3 (9º ano)<br />
  82. 82.
  83. 83. “A construção do portefólio é feita por meio de uma reflexão sobre a aprendizagem ao longo da vida, quer no âmbito profissional, quer no âmbito pessoal. Mas nem sempre foi fácil, os desenvolvimentos dos temas, exigem um grande empenho, muitas horas em frente de um computador, a pesquisar e seleccionar acontecimentos. (…) este trabalho é uma vitória, quer por ter chegado ao fim, como pelo que aprendi de novo e que contribuiu de certa maneira para a minha valorização pessoal. Não queria terminar a minha reflexão sem agradecer o reconhecimento à equipa fantástica do CNO onde pertenço que estiveram na orientação do meu processo e um especial agradecimento à Profissional de RVCC Dr.ª Vanda Mineiro por todo o seu apoio.”<br />Paula Costa - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  84. 84.
  85. 85. “O processo de RVCC foi para mim uma experiência nova, bastante enriquecedora, porque permitiu-me recordar determinados momentos da minha vida que julgava esquecidos. <br />Foi também gratificante pelo facto de ter permitido melhorar a minha escrita, a minha capacidade de pesquisa, bem como, a organização do meu tempo. Ajudou-me a atingir um dos meus objectivos, o de terminar o ensino secundário, de modo a poder ter uma maior valorização pessoal e profissional.” <br />Nuno Fernandes - nível de certificação Secundário<br />Reflexões de candidatos que completaram o Processo de RVCC<br />
  86. 86.
  87. 87.
  88. 88.
  89. 89. Resultados da avaliação dos candidatos ao trabalho desenvolvido no CNO<br />
  90. 90. Serviço Administrativo<br />Resultados da avaliação dos candidatos ao trabalho desenvolvido no CNO<br />
  91. 91. Trabalho desenvolvido pela Técnica de Diagnóstico<br />Resultados da avaliação dos candidatos ao trabalho desenvolvido no CNO<br />
  92. 92. Trabalho desenvolvido pelas Profissionais de RVC<br />Resultados da avaliação dos candidatos ao trabalho desenvolvido no CNO<br />
  93. 93. Trabalho desenvolvido pela equipa de Formadores<br />Resultados da avaliação dos candidatos ao trabalho desenvolvido no CNO<br />
  94. 94. Avaliação Geral da actividade do CNO da ESARS<br />Resultados da avaliação dos candidatos ao trabalho desenvolvido no CNO<br />

×