Pdp1[1] Capela

402 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
402
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pdp1[1] Capela

  1. 1. ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO DE MOURA Governo da República Portuguesa UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Plano de Desenvolvimento Pessoal 1. Equipa Pedagógica NOME FUNÇÃO Fernando Estevens Profissional de RVC Helena Nunes Formadora de STC António Veladas Formadora de STC Leonor Félix Formadora de CLC Irene Afonso Formadora de CLC Carlos Sardinha Formadora de CP 2. Identificação do Adulto Nome: Joaquim José Primo Capela Data de Nascimento: 15/ 01 / 1965 B.I.: 6951714 Naturalidade: PORTEL Residência: Rua do Grupo Desportivo de Portel – lote n.º 11 7220 PORTEL 2.1. Percurso do Adulto Início do processo: ___/___/_____ Conclusão do Processo: ___/___/_____ Grupo: ___________ Certificação/ Validações obtidas: ________________________________ _____________________________________________________________________________________ 1 O Plano de Desenvolvimento Pessoal, destina-se a todos os Adultos certificados pelos Centros Novas Oportunidades, com vista à continuação do seu percurso de qualificação/aprendizagem após o processo de RVCC. Este Plano tem como objectivo a definição de projectos, pessoais, profissionais e formativos do Adulto.
  2. 2. ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO DE MOURA Governo da República Portuguesa UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu 2.2. Reflexão do impacto do Processo RVCC Auto- Reflexão sobre as mais-valias da certificação obtida, a nível pessoal, profissional, formativo e social. (Avaliação do Processo: detecção de dúvidas, de necessidades e alternativas; apropriação das temáticas e consciencialização do progresso atingido) O que não sabia que sabia! (reconhecimento) É realmente volumoso o que nós aprendemos e que esquecemos com o passar do tempo. Este processo foi realmente um reavivar de memórias. O voltar aos livros, à pesquisa, à actualização nas mais diversas áreas foi realmente voltar de novo a estudar. Foi bastante gratificante o facto de me aperceber que conseguia corresponder ao desafio que eu lancei a mim próprio e ao que me era solicitado. Não foi tão difícil como eu imaginei ao iniciar, nem tão fácil como pensei em determinadas alturas. Foi um reavivar de memórias, de todo um processo escolar e profissional, que com o passar do tempo vamos esquecendo que já fizemos e que ainda sabemos fazer. Tanto a nível escolar como profissional este processo foi no seu todo um reconhecimento de todas essas vivências e aprendizagens. O que aprendi. (novas competências) Ao debruçar-me sobre os vários trabalhos que executei, procedendo a pesquisas sobre toda essa diversidades de temas aprendi bastante. Pois muito embora tivesse conhecimentos sobre todos esses temas, não os tinha tão aprofundados e actualizados como tenho neste momento. Como me sinto e vejo. (auto-estima; valorização pessoal, desenvolvimento pessoal) Todo este processo aumentou a minha auto-estima. Tenho perfeita consciência da minha valorização e desenvolvimento pessoal. Para tudo isto contribuiu o facto de me sentir muito mais à vontade a discutir certas matérias e assuntos que eu já conhecia, mas que, ou estavam esquecidos ou desactualizados. Toda esta procura e actualização de conhecimentos valorizou-me e enriqueceu-me tanto a nível pessoal como profissional. 2
  3. 3. ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO DE MOURA Governo da República Portuguesa UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu 3. Expectativas face ao futuro: Projectar e Projectar-se Nível profissional Nível formativo Nível pessoal Nível escolar Depois de Obter o 12.º Ano a possibilidade de progressão na carreira é mais real. A nível de formação penso conseguir entrar em formações onde me era vedado o acesso devido à escolaridade que possuía. Penso que os objectivos a nível profissional e escolar definem bem o que quero a nível pessoal, uma maior valorização Porque não prosseguir? Dentro ou não de moldes parecidos penso ser capaz de o fazer. O mais difícil foi reiniciar o processo de aprendizagem, agora tudo se torna mais fácil 3.1. Que meios mobilizar para alcançar os meus objectivos: Actividades necessárias para concretizar os resultados pretendidos Recursos necessários para concretizar os resultados pretendidos Nível profissional (acções, cursos ou actividades de formação e auto-formação para o perfil profissional do adulto, iniciativas de criação de auto emprego e/ou de apoio à progressão/reconversão profissional) 3
  4. 4. ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO DE MOURA Governo da República Portuguesa UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Nível Formativo (modalidades de formação, entidades formadoras/educativas, cursos e conhecimentos) Nível Pessoal (projectos familiares, sonhos, talentos, possibilidade de valorizar a participação em actividades de associativismo, voluntariado, participação em dinâmicas locais) Nível Escolar (prosseguir os estudos no ensino formal , sob qualquer alternativa viável após atingir determinado nível de certificação não formal) 4
  5. 5. ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO DE MOURA Governo da República Portuguesa UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu 4. Observações: Data: 31 / 03 / 2009 O Adulto Joaquim José Primo Capela O Profissional de RVC ________________________ 5
  6. 6. ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO DE MOURA Governo da República Portuguesa UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu 4. Observações: Data: 31 / 03 / 2009 O Adulto Joaquim José Primo Capela O Profissional de RVC ________________________ 5

×