Boletim cno 2ª edição

486 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
486
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Boletim cno 2ª edição

  1. 1. CNO PENACOVA 2ª EDIÇÃO JULHO DE 2011 Agrupamento de Escolas de Penacova Centro Novas Oportunidades de Penacova BOLETIM CNO"Temos todos um rio na lembrança, E alguns é um rio inteiro a sua vida. Um rio que não seca e não descansa,E é uma força perdida Entre montanhas de desconfiança." MIGUEL TORGA (1949)Nesta edição:Oferta formativa 2011/2012 1O processo RVCC 2Divulgação do CNO Oferta Educativa e FormativaProjecto Grundtvig 2 2011/2012Sessões de Júri 3TestemunhosLer + Centro Novas Oportunidades Agrupamento de Escolas de PenacovaArtigos : 4Perguntas e RespostasAvaliador Externo
  2. 2. PÁGINA 2 CNO PENACOVA O Processo RVCC - Acolhimento /Diagnóstico/ Encaminhamento Sara Antunes obtidas na sessão anterior, bem como obter outras que poderão ser relevantes . Técnica de Diagnóstico e Por último, na etapa do encaminhamento, também ela Encaminhamento individual, é realizada previamente uma análise aprofunda- da dos dados recolhidos para se definir uma proposta de encaminhamento. Na proposta de percursos apresentada,Estas etapas constituem o primeiro passo a realizar pelos o técnico de diagnóstico e encaminhamento, procura deadultos que se inscrevem num Centro Novas Oportunida- forma fundamentada as vias de qualificação que mais sedes. São realizadas pelo Técnico de Diagnóstico e Encami- adequam ao perfil, necessidades e expectativas do adulto.nhamento. O culminar destas etapas é concretizado através da forma-Primeiramente, este irá acolher os adultos numa sessão de lização do encaminhamento, que poderá ser por duasgrupo que esclarecerá a missão do Centro Novas Oportu- situações distintas: para um processo de Reconhecimento,nidades e as diversas fases subsequentes à inscrição; dispo- Validação e Certificação de Competências ou para outrasnibilizar informação sobre as ofertas formativas e sobre ofertas formativas externas ao nosso centro.processos de RVCC escolar e profissional; planear e calen-darizar as etapas seguintes e solicitar documentos oficiais A próxima edição será dedicada ao processo de RVCC.como o certificado de habilitações literárias.A etapa de diagnóstico pressupõe duas fases: primeiramen-te o preenchimento de um conjunto de fichas, com oobjectivo de recolher informação sobre a situação específi-ca do adulto face à inscrição, as suas características pes-soais e contexto de vida. A segunda sessão consiste numaentrevista individual que permitirá clarificar as informações Divulgação do CNOAo longo do ano, realizaram-se algumas actividades que contribuíram para a divulgação e reconhecimento social dotrabalho desenvolvido : elaboração de cartazes, desdobráveis e panfletos para afixar e distribuir pelo concelho, tendosido entregues em vários Órgãos Autárquicos, Empresas, Instituições e Associações Culturais e Recreativas e distribuí-dos porta à porta. A participação no Jornal da Escola, a elaboração de um Boletim do CNO com uma periodicidadetrimestral, actividades de final de ano e matrículas, sessões de esclarecimento nas freguesias de Miro, Roxo e Figueira deLorvão e sessão de esclarecimento em parceria com a ACIC na Câmara Municipal de Penacova ( RVCC Escolar /RVCC Profissional), foram outras formas de divulgação bem como a participação na Feira das Profissões do Agrupa-mento a dinamização de um blogue e de uma página no Facebook. Projecto Grundtvig— Shape the ChangeFoi aprovada uma candidatura, de acordo com os resultados do processo de selecção de candidaturas publicados napágina da Agência Nacional PROALV, do Centro Novas Oportunidades de Penacova no âmbito do programaGrundtvig 2011 – Parcerias de Aprendizagem. Esta candidatura resultou da participação da coordenadora do CNOnum seminário de contacto realizado em Itália, Making learning visible – Valorisation of adult learning in informalsetting , em Outubro de 2010. O Projecto intitula-se Shape the Change e o CNO Penacova terá como parceiros 5países: Itália (coordenador do projecto), Inglaterra, França, Bélgica e Irlanda. O projecto será desenvolvido ao longo de2 anos e neste contexto serão planificadas e promovidas várias actividades, nomeadamente um workshop que acolheráos países participantes e serão naturalmente envolvidos os adultos do Centro e a equipa CNO.
  3. 3. 2ª EDIÇÃO PÁGINA 3 Sessões de Júri e Entrega de DiplomasRealizaram-se as seguintes sessões dejúri neste trimestre: dia 2 Maio, de nívelsecundário; 6 de Junho de nível básico;17 de Junho de nível secundário; 15 deJulho de nível básico e dia 18 de Julhode nível secundário.Foi realizada também a sessão deentrega de diplomas no dia 22 de Mar-ço de 2011. PARABÉNS a todos!! Testemunhos reaisI Com doze anos saí Enquanto presidente do GSSDCR Miro, assinei um protocolo com o Da escola de Lorvão CNO do Agrupamento de Escolas de Penacova, para que os funcioná- Mais tarde eu resolvi rios da Instituição pudessem obter a certificação de nível básico e Continuar a educação secundário.II Já tirei o 9º ano Eu próprio acabei por responder à chamada porque ia ter pela frente mais um desafio aliciante e ambicioso e, como a minha vontade de aprender, supera o O 12º está à espreita medo e o receio, foi esta a motivação principal de dizer presente e, acima de tudo, Quero ver se o termino provar a mim mesmo que, apesar de não ter tido a oportunidade de continuar com Para ficar satisfeita os meus estudos, porque tive de começar a trabalhar desde muito cedo para ajudar os pais, até ao serviço militar obrigatório, não sou menos capaz do que aquelesIII À Drª Cláudia agradeço que seguiram um curso superior. O ensino e compreensão Confesso que nunca me tinha passado pela cabeça passar para o papel a minha Aos outros também não esqueço história de vida, as minhas recordações do passado, as actividades do presente a as Para todos a minha gratidão preocupações do futuro. Não posso dizer que é tudo muito fácil, é preciso abdicarIV Uma vida feliz vivi de muitos momentos de convivência familiar e de lazer, mas, sinto que está a valer E espero continuar a pena, e quando terminar este resumo alargado da minha vida, irei-me sentir satis- Por vezes também sofri feito por ter atingido um dos objectivos que era obter a certificação do nível secundário. Mas a vida é para amar. Manuel Nogueira Helena Silva Adulto Centro Novas OportunidadesAdulta Centro Novas Oportunidades Projecto LER+ no CNO O CNO de Penacova vai candidatar-se ao Projecto Ler+no CNO. Propomos que os nossos adultos tenham actividades no âmbito deste projecto: leitura de obras literárias; elaboração de fichas de leitura que serão publicadas neste boletim e no nosso Blog; pesquisa na Internet de informações sobre temas da actualidade e participação em actividades promovidas pela equipa da BibliotecaEscolar, em que os adultos serão convidados a partilhar as suas experiências enquanto leitores, a recitar poemas, contarhistórias, apresentar textos dramatizados, etc.As actividades propostas visam ajudar os adultos na elaboração do seu Portefólio Reflexivo de Aprendizagens e transmi-tir-lhes alguns conhecimentos que facilitem a selecção e tratamento de informações, mas visa sobretudo reforçar o seugosto pela leitura.Esperamos que o nosso projecto seja aprovado e que no próximo ano tenhamos o prazer de ler+ no CNO, tendo emmente que “O verbo ler não suporta o imperativo… é uma aversão que compartilha com outros: o verbo amar... o verbosonhar...» Daniel Pennac, em “Como Um Romance”. Celeste Simões - Formadora de LC e CLC
  4. 4. Centro Novas Oportunidades de Penacova ROMPER O CÉU…PARA QUE O CÉU ENTREABERTO, NOS DEVOLVA A ESPERANÇA Miró sentia a mão direita Dr. Jorge de Sá demasiado sábia Avaliador Externo e que de saber tanto já não podia inventar nada. Como conciliar a necessidade de reconhe- Quis então que desaprendesse cer, validar e certificar competências- o muito que aprendera,chave, com a necessidade de aprendizagens críticas e de afi m de reencontraruma educação para a solidariedade humana? a linha ainda fresca da esquerda. Ávila (2008) refere que as sociedades actuais,sejam elas centradas, na informação, no conhecimento ou Neste sentido, é possível que uma educaçãona aprendizagem, convergem na importância que atri- ambidextra, plural, capaz de cruzar e integrar saberes, pos-buem aos desafios que se colocam aos indivíduos e às sa beneficiar das tensões criativas entre, por um lado, aorganizações, não só as exigências são cada vez maiores, destreza de um a mão direita que de tão destra e sábia senomeadamente na esfera profissional, como tendem a transformou sinistramente num factor de puro hábito,evoluir a um ritmo sem precedentes; é precisamente ajustamento e a amestração e, por outro lado, o discrepar,perante as renovadas exigências cognitivas e comunica- aparentemente mais descentrado da tarefa, desajeitado ecionais dos contextos que as noções de competência e de algo inábil, de um mão esquerda que, menos sábia e com-competências-chave, adquirem uma importância crescen- petente, se assume mais livre e curiosa para aprender.te. Tal como o pintor, que buscou novas vias, umLima, contrapõe uma formação capaz de resistir à “(…) «novo vocabulário de formas» e «um alfabeto pessoal»,«adaptação dócil e aplicada à realidade», exigem sujeitos ganhando distância crítica da realidade mas imediata,livres e autónomos em busca de aprendizagens livres e após ter «esgotado os recursos expressivos da sua particu-conscientes, da apropriação, reconstrução e transforma- lar visão figurativa» (Malet, 1993, 2001), simbolicamenteção do conhecimento e não do simples adestramento a concentrados numa mão excessivamente prefeita e ades-partir de formação que cindem, que fragmentam tayloria- trada, também a educação durante toda a vida deve sernamente e que reificam os sujeitos pedagógicos”, (Lima, orientada no sentido de resistir criticamente à mera2007). subordinação perante o ajustamento funcional à realida- “ (…) Uma aprendizagem critica, não mimética, de; promovendo para isso uma educação para a solidarie-implica conhecer e seguir as regras heterónomas, mas dade humana, aprendizagens críticas e, sempre que neces-também ser capaz de quebrá-las para assim, desaprenden- sário, situações de desaprendizagem que permitam rea-do pode voltar a aprender; pressupõe consentir e aquies- prender e aprender o novo.cer, mas também dissentir e resistir a certos valores e Procurando, desta forma, romper o céu, paraobjectivos, exige intimidade com os conteúdos e as técni- que, como num dos trabalhos de Miró, datado dos anoscas, mas as também distâncias crítica que fomente a sua 50, o céu, entreaberto, nos devolva a esperança. (…) “( Lima,reinvenção talvez seguindo o exemplo de Miró, segundo 2007, págs. 145-146).a tematização poética de João Cabral de Melo Neto, num A Escola é seguramente uma oportunidade deexcerto do seu poema O sim contra O sim, nos seja possível romper o céu…!alcançar não a espontaneidade ou ingenuidade, mas ainventividade e a frescura de uma aprendizagem nova: 19.07.2011, CNO do Agrupamento de Escolas de PenacovaCentro Novas Oportunidades Penacova Perguntas e Respostas (Bloco 1) Resposta: E-mail: cno.penacova@gmail.com Blog: http://cnopenacova.blogspot.com facebook.com/ Cno Penacova Rua Dr. Homero Pimentel, 1 3360 – 344 Penacova Telefone: 239 470 190 Lurdes Dias Fax: 239 470199 Formadora de STC

×